Que ações devem subir com a recuperação da economia? E quais devem cair?

Fonte: João José Oliveira – UOL

A economia brasileira desabou no segundo trimestre deste ano, mas como dizem os economistas, prestar atenção apenas ao PIB é como dirigir olhando para o retrovisor, pois esses indicadores refletem o passado.

Se o negócio é olhar para a frente, a dica de profissionais de mercado é começar já a procurar na Bolsa quais são os setores que devem apresentar um desempenho mais positivo na retomada da economia.

Como escolher as ações

Vale começar a busca por setores que podem apresentar uma recuperação mais rápida já neste ano, na esteira da atividade econômica no país.

Por outro lado, evite ações de empresas que devem andar mais lentamente, seja porque sofreram um grande baque na crise ou porque terão que suportar o impacto da recessão por mais tempo.

Esses setores têm potencial de alta

  • Shopping centers: Depois de sofrer com as portas fechadas, os shoppings foram reabertos, e as vendas voltaram.
  • Varejo de vestuário: Muita gente comprou pela internet, mas ainda há demanda que ficou reprimida.
  • Setor financeiro: Há expectativa de que os indicadores do setor melhorem, como os índices de inadimplência dos bancos.
  • Exportadoras: Dólar alto e retomada da economia em países que compram muito do Brasil favorecem exportações.
  • Construção civil: Juros baixos reduzem os custos dos empréstimos e estimulam novos empreendimentos.

Mas esses ainda devem sofrer

  • Transportes: O volume de viagens e de deslocamentos pode nem voltar mais ao nível pré-pandemia, já que muitos usuários perceberam alternativas.
  • Setor aéreo: Um dos setores mais afetados na pandemia, a aviação civil ainda não tem no radar como será de fato a volta à normalidade.
  • Turismo e entretenimento: Empresas de turismo, viagens e entretenimento devem estar entre as últimas a se recuperar.
  • Educação: O desemprego e a queda da renda das famílias vão continuar aumentando as taxas de evasão e de inadimplência de escolas e instituições de ensino superior.

Preste atenção à empresa também

O setor de uma empresa é um dos elementos que o investidor deve considerar antes de comprar uma ação, mas não o único, destacam analistas de mercado.

É fundamental analisar também a própria empresa, seus números, sua gestão e seu histórico. Até porque uma das características da Bolsa brasileira é que ela negocia ações principalmente de empresas que são líderes de setores.

E não custa repetir: a Bolsa é um investimento de risco e, por isso, de longo prazo.

Pergunta do leitor

O leitor Osmar Nogueira de Paiva pergunta: “Nunca comprei ações e gostaria de informações sobre qual critério devo adotar para comprar”.

Para fazer qualquer investimento em ações é fundamental que você entenda seus objetivos, perfil de investidor e horizonte de investimento. O mercado de ações requer um horizonte de investimento mais longo. Se você está iniciando, o ideal é começar por um fundo de ações. Se você optar por operar diretamente, o primeiro ponto é escolher uma corretora de sua preferência, com taxas de corretagem satisfatórias e um bom gestor. O segundo ponto é entender que, quando você compra uma ação, se torna sócio da empresa. Por isso, é necessário avaliar o ramo no qual a companhia está inserida, seu ciclo de vida e se é uma empresa lucrativa.

A resposta é de Vera de Santana Milagres Ribeiro planejadora financeira certificada pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

Faço seu comentário

%d blogueiros gostam disto: