ALUNOS DE ENGENHARIA DESENVOLVEM VEÍCULO MOVIDO A HIDROGÊNIO

Produzido por estudantes do Centro Universitário FEI, veículo participa da primeira competição Baja e Fórmula SAE de célula a combustível de hidrogênio

Alunos de engenharia e ciência da computação do Centro Universitário FEI se uniram para projetar o carro GF-01, veículo movido a partir de hidrogênio que participa da SAE Brasil & Ballard Student H2 Challenge. O desafio estudantil tem como objetivo transferir conhecimento e experiência para as universidades brasileiras sobre as tecnologias do hidrogênio, além de promover a parceria entre os estudantes e engenheiros experientes da indústria nacional e internacional.

A equipe Feiana – Fórmula FEI H2, composta por integrantes dos projetos estudantis AIChE, Baja e Fórmula – que já conquistaram diversos prêmios nas competições SAE – terminou as etapas virtuais do desafio em terceiro lugar e receberá uma célula a combustível da Ballard para a construção do veículo. Para estas etapas, foram analisadas as especificações técnicas do veículo proposto e os projetos de sistemas do carro, bem como o design do veículo e um protocolo de aspectos gerais das equipes e de suas universidades.

Para João Vitor Garcia Ferreira, capitão da equipe, a possibilidade de trabalhar com essa tecnologia de célula a combustível em conjunto com a mobilidade, tem agregado muito para o seu conhecimento em diversas áreas. “Terminamos essa etapa com uma ótima qualificação e já estamos nos preparando para os próximos desafios”, completa.

Os preparativos para a etapa final da competição começarão assim que as oito equipes classificadas receberem suas células a combustível, pois assim poderão construir seus veículos e apresentá-los no evento BW Expo, programado para ocorrer em São Paulo, entre os dias 17 e 19 de novembro.

Para Fabio Delatore, professor de Engenharia Elétrica do Centro Universitário FEI e orientador, da equipe, é emocionante ver o desempenho dos alunos. “Mesmo com o isolamento social, os estudantes estão se dedicando muito e criando um trabalho espetacular”.

 Gerhard Ett, professor de Engenharia Química e coorientador do projeto, acredita que os ganhos com a participação e boa colocação em projetos como este são impressionantes. “É excelente ver os alunos se desenvolvendo acerca de temas relacionados às megatendências mundiais. Trabalhando na simulação, nos softwares e nas coordenações de equipes, reforça ainda mais a atenção que a FEI dá para o futuro da sociedade.”, comenta. 

E o incentivo dos orientadores também é apreciado pela equipe. Em homenagem aos professores, os alunos batizaram o veículo com as iniciais da dupla: GF-01. “É uma forma de agradecer por todo o apoio que eles nos dão, em aula ou em competições como essa”, explica João.

Fonte: FEI

About the author

Faço seu comentário

%d blogueiros gostam disto: