Saiba como e por que cuidar, engajar e reter seus colaboradores

Sem o envolvimento do time nada teria funcionado direito até aqui. E sem ele você não vai continuar avançando. Mas o que sua equipe precisa e deseja hoje é bem diferente de alguns meses atrás

O que esses tempos de pandemia nos ensinam é que as pessoas estão no centro de tudo. Afinal, a crise é sobre vidas, medos, incertezas, mas também esperança e solidariedade. Nas empresas, não poderia ser diferente. Cada colaborador tem respondido, à sua maneira, ao que tem acontecido, aos novos modelos de trabalho, às pressões e às urgências, que não são poucas.

No varejo, segmento movido a calor humano e relacionamento, a atitude das pessoas do seu time é o que realmente tem feito a diferença e continuará a fazer num momento em que se tem pouca certeza do cenário que está à frente. As equipes sempre foram um pilar importante de qualquer negócio, mas hoje, diante do imprevisível, são ainda mais fundamentais. Portanto, seu papel como empresa é cuidar, engajar e reter as pessoas, entendendo as particularidades impostas por este momento.

O primeiro aspecto a ser considerado é que o novo coronavírus atinge dois grupos de colaboradores, com necessidades e realidades bem distintas: o de operações, que permaneceu no trabalho presencial para manter lojas abertas, e o administrativo que, em apenas dois dias, deixou os escritórios para realizar suas atividades em casa, o chamado home office.

É o que explica Maria Schneider, diretora de RH do GPA , que participou da 14ª edição do Webinar Series , promovido por SA Varejo em julho último. Segundo ela, no primeiro caso, a preocupação tem sido sobretudo manter o time em segurança, adotando protocolos sanitários rígidos. Já no segundo grupo, a executiva lembra a necessidade inicial de se adaptar a situações novas, como lidar com tecnologias de videoconferência, antes pouco utilizadas, ou até com filhos entrando em meio a reuniões.

REDES MÉDIAS E INDÚSTRIAS

Vanessa Sandrini, conselheira e presidente do Instituto Mulheres do Varejo e recém-contratada pela JHSF, pontua que, em diversas redes médias, o pessoal da matriz permaneceu trabalhando normalmente. “Muitas empresas com esse perfil se viram diante de situações como a dificuldade de acesso à internet na casa das pessoas, o que dificultava reuniões remotas”, explica a executiva, que foi diretora-geral do Grupo Rondelli (BA) e também participou do 14º Webinar. Com isso, os escritórios tiveram de ser adaptados, por exemplo com o espaçamento das mesas, além da implementação dos demais protocolos de segurança. Já pelo lado dos fornecedores, a linha de frente é representada por profissionais como os de fábrica, CDs e promotores, como comentaram Julio Campos, VP de vendas da Unilever , e Joanita Karoleski, diretora de Steering Committee do programa “ Fazer o Bem Faz Bem” da JBS e ex-presidente da Seara , que estiveram na live de SA Varejo.

Fonte: SA Varejo

About the author

Faço seu comentário

%d blogueiros gostam disto: