Críticas ao atual prefeito, descaso e invasões

Candidatos que participaram do debate em Mauá, na Grande São Paulo, na noite de hoje, criticaram o descaso com a cidade e a falta de repasses dos governos estaduais e federais. Muitos se comprometeram a manter boas relações para trazer mais recursos para a cidade. O debate foi transmitido pelo UOL, em parceria com a TVT e a Rádio Brasil Atual.

Participaram do debate André Sapanos (PSOL), Donisete Braga (PDT), Juiz João (PSD), Marcelo Oliveira (PT), Professor Betinho (PSL) e Ronaldo Pedrosa (PP).

O atual prefeito, Atila Jacomussi (PSB), Zé Lourencini (PSDB) e Vanessa Damo (MDB) foram convidados para o debate, mas optaram por não participar.

Já os candidatos Amanda Bispo (UP), Policial Federal Mauro Roman (PRTB), Dra. Roseni (PMN) e Caio Túlio (PCO) não cumprem as exigências do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para a participação em debates, sem a representatividade necessária na Câmara dos Deputados.

Os repasses de verbas federais e estaduais foram o principal tema da noite.

“Vamos ter bom relacionamento com o governo do estado, porque tanto o governo depende da gente como o município depende do governo do estado. Precisamos captar recursos”, disse o candidato Ronaldo Pedrosa (PP).

Já Professor Betinho (PSL) falou em cobrança com as demais esferas de governo. “A gente perdeu muito recurso com o toma lá, dá cá. Não temos em Mauá a competência para trazer recursos para nossa cidade. Vou estar cobrando esse papel da prefeitura”.

O candidato petista, Marcelo Oliveira, disse querer resgatar a época quando Lula foi presidente. “Foi o governo que mais enviou recurso [para Mauá]. Iremos cobrar”, disse. “Vamos conversar com quem quer que seja”, afirmou Juiz João (PSD).

Outro ponto de polêmica foi a questão habitacional. Ocupações de terras são recorrentes na região, devido à falta de regularização.

“É uma das áreas mais problemáticas de Mauá”, criticou o Professor Betinho (PSL). “Holambra é conhecida como terra das flores, e Mauá é conhecida como a cidade da sub-habitação e da invasão, que são estimuladas pelo governo.” O candidato propõe transformar terrenos públicos em loteamentos populares.

“Em quatro anos do atual governo, não entregou nenhuma casa. Se as pessoas ocupam áreas públicas, é por incompetência do prefeito Átila”, disse Donisete Braga (PDT), que foi prefeito da cidade entre 2013 e 2016.

Candidatos também criticaram a ausência de Jacomussi.

“Mauá sofre demais, o prefeito foi preso duas vezes por corrupção. A Câmara Municipal é investigada por vários delitos. Mauá precisa das pessoas de bem”, criticou o candidato Juiz João, fazendo referência a Jacomussi ter sido preso em operações da Polícia Federal, suspeito de desviar verbas da merenda escolar.

Ele chegou a ter o mandato cassado pela Câmara de Vereadores, mas foi restituído ao cargo pelo Tribunal da Justiça.

“Além de preso duas vezes, o prefeito é fugitivo, pois não quis participar deste debate”, disse Marcelo Oliveira (PT).

Fonte: UOL

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.