Paixão pelo seu trabalho, pode ser o grande segredo do sucesso

Conceiyção Montserrat (CEO da Montserrat Consultoria) é autora de “Paixão pelo seu trabalho, pode ser o grande segredo do sucesso”.

É comprovado que tudo que fazemos com amor e dedicação o sucesso é inevitável.

Fazer qualquer atividade sem amor, executando de forma mecânica, os processos e procedimentos traz a mente e ao corpo sequelas e reações que não são favoráveis, iniciando pelo stress crônico, depressão, fibromialgia, dores de cabeça, alterações de humor entre outras coisas.

Quando não se tem ideia de qual sua aptidão, faça uma pesquisa com um profissional e confirme qual é sua vocação, antes de decidir qual função ou cargo antes de se candidatar ou se inscrever a qualquer vaga.

Claro que a questão financeira é importante e tudo que a carreira oferece. Mas se não tiver a oportunidade de trabalhar em algo que ame de verdade, tenha uma atividade ou um hobby que lhe satisfaça.

Crie e desenvolva condições que torne seu trabalho ou ambiente de trabalho prazeroso e agradável. Entenda seus limites e aptidões e utilize isto a seu favor. 

Se for um produto: 

  • Faça algo que sabe fazer com maestria, sabendo o que seu público consome e sintam a diferença quando consumirem.
  • Cuidado ao manusear e a entrega com muito zelo, pois, é importante que o produto chegue intacto aos clientes.
  • Para a estratégia e vendas, inicie você mesmo falando do produto e os detalhes, pois há uma grande diferença.
  • Pois, olhos brilham quando falamos dos produtos.
  • A voz muda e temos sempre um sorriso no rosto.
  • Os detalhes são evidentes, porque há preciosismo nos acabamentos, e os clientes sentem e querem este cuidado ao consumir seus produtos.

Quando oferecemos serviços:

  • Todos os detalhes são pensados para entregar o melhor em cada projeto.
  • Antecipar os desejos dos clientes e oferecendo as melhores soluções.
  • Tudo é feito de forma primorosa e com muita atenção.
  • Preocupar-se com os processos e todas as suas etapas minunciosamente.
  • Os detalhes são importantes para que tenha um diferencial em tudo que faz. Os clientes reconhecem estes diferenciais e automaticamente fidelizam-se a seus produtos e serviços.
  • Quando o cliente visita uma loja o que mais chama a atenção são os cuidados aplicados em cada detalhe, desde a concepção dos produtos como a iluminação que eles recebem.
  • Na oferta de um serviço, o cliente sente o cuidado e atenção oferecidos a cada pessoa que usufrui.
  • Preste atenção na maneira como está desenvolvendo seu trabalho e adquira novos hábitos, caso esteja fazendo algo que não está lhe fazendo feliz.
  • Lembre-se que nossos sentimentos são refletidos em nosso corpo.

Vou contar um segredo: Quando fazemos algo que nos faz feliz tudo ao nosso redor reconhece esta energia e tudo se transforma!!

 *Conceiyção Montserrat – Atenta as transformações do mercado brasileiro, Conceiyção Montserrat reuniu ao longo da sua carreira em mais de 25 anos (atuando no mercado nacional e internacional à frente de gestão e fomentação de negócios), grandes experiências, pois teve a oportunidade de desenvolver trabalhos nas áreas de gestão de projetos, comunicação, criação e design gráfico, produção audiovisual, marcas e patentes, eventos corporativos, acompanhando as questões jurídicas e gerenciamento de crise nos projetos, vivenciando a oportunidade de trabalhar com profissionais altamente capacitados e atuando junto a empresas com parceiros de larga experiência nas áreas de assessoria de imprensa, planejamento estratégico e conteúdos educacionais 

Gostou da nossa matéria “Paixão pelo seu trabalho, pode ser o grande segredo do sucesso“?

“Paixão pelo seu trabalho…” por Conceiyção Montserrat – CEO da Montserrat Consultoria
divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Home office na pandemia: Solucione problemas em uma crise

Uma das habilidades que ganhou mais destaque no Relatório ‘Futuro do Trabalho’, veja as 5 dicas para simplificar o desenvolvimento dessa habilidade no Home office na pandemia;

Todos temos alguns problemas complexos para resolver em algum momento da vida, e essa habilidade de resolução de problemas já era um atributo notável em profissionais antes mesmo da pandemia. Hoje, após um ano vivendo uma crise, o que não falta são desafios, enquanto rotina, estabilidade e segurança passaram a ser realidade cada vez mais rara na rotina profissional. Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira, comenta sobre a ‘Resolução de Problemas Complexos’, uma habilidade que ganhou mais destaque no ranking de habilidades do relatório ‘Futuro do Trabalho’ do Fórum Econômico Mundial de 2021. A especialista traz ainda 5 dicas para descomplicar e desenvolver essa tão importante competência.

A pandemia de COVID-19 reforçou ainda mais a dimensão da competência em resolver problemas complexos, seja na esfera pública, privada ou pessoal. E quando não desenvolvida essa habilidade, as pessoas perante o problema geralmente expressam comportamentos como falta de coragem, soluções rápidas e não efetivas e até mesmo pode resultar na busca de um culpado ou acreditar que tudo está conspirando contra, tudo por não ter entendido a raiz do problema e pela influência das emoções.

Para a especialista em estratégia de carreira, a postura negativa que podemos desenvolver diante de um problema só acontece quando se ignora o conceito ‘lifelong learning’, o chamado aprendizado contínuo.

“Esse conceito nos mostra que a jornada de desenvolvimento nunca cessa, pois é por meio dela, que os profissionais conseguem preencher as lacunas para entender e resolver a complexidade de um problema. E para exemplificar melhor, precisamos entender que: o problema é formado por partes, e essa compreensão ajuda a dividir o problema em etapas menores e a mapear a solução. Além disso, é necessário ampliarmos a nossa compreensão sobre ele, e ainda compreender as causas e consequências, assim conseguiremos encontrar soluções mais efetivas e eficazes.”, explica Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira.

A estratégia

Fugir e negar um problema não é o melhor caminho, pois sempre vão surgir mais desafios e normalmente novos problemas poderão aparecer, afinal todos estão em constante aprendizado, mas o segredo está no caminho para passar por esses obstáculos.

Diante de qualquer situação, pare e analise o contexto, pois o melhor procedimento para se resolver um problema complexo é utilizar uma estratégia onde se consegue definir, estruturar, priorizar questões, sintetizar os resultados e trazer a solução do problema.

A especialista ainda traz uma reflexão sobre o modo como nos posicionamos perante os problemas, pois são esses problemas que nos fazem observar algo relevante que, provavelmente, não estava dando a devida atenção. “Experimente observar seus problemas, tenho certeza de que você também fará descobertas incríveis e grandes aprendizados sobre a vida nesses momentos, como eu já tive. ”, finaliza Rebeca Toyama.

E para simplificar a habilidade de Resolução de Problemas Complexos no Home office na pandemia, confira as 5 dicas da especialista em estratégia de carreira, Rebeca Toyama.


1. Entenda como sua mente funciona, desenvolva um processo de raciocínio diagnóstico duplo, em que o sistema 1 (não analítico) interage com o sistema 2 (analítico);

2. Observe a influências de suas emoções, evitando diagnósticos rasos e soluções precipitadas que podem amplificar o problema;

3. Fique atento a sua postura perante o problema, evite bancar o herói, a vítima ou o justiceiro, isso apenas prolonga o problema;

4. Analise não apenas os impactos financeiro do problema ou da solução, custo emocional e a demanda de energia e tempo merecem ser consideradas;

5. Procure dar um significado positivo ao problema, por mais complexo e desconfortável que seja, você pode transformá-lo em aprendizado.

Sobre Rebeca Toyama

Rebeca Toyama é fundadora da ACI que integra competências e inteligências e transforma propósitos em carreiras e negócios. Especialista em estratégia de carreira e bem-estar financeiro. Possui formações em administração, marketing e tecnologia. Especialista e mestranda em psicologia. Atua há 20 anos como coach, mentora, palestrante, empreendedora e professora. Colaboradora do livro Tratado de psicologia transpessoal: perspectivas atuais em psicologia: Volume 2; Coaching Aceleração de Resultados e Coaching para Executivos. Integra o corpo docente da pós-graduação da ALUBRAT (Associação Luso-Brasileira de Transpessoal), da Universidade Fenabrave e do Instituto Filantropia.

Gostou da nossa matéria “Home office na pandemia: Solucione problemas em uma crise“?

Rebeca Toyama. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Golpes antigos que voltaram a crescer com o PIX

William Ribeiro, CEO do Dinheiro Com Você, alerta sobre golpes antigos que voltaram a crescer com o PIX. Educador financeiro afirma que a possibilidade da transferência instantânea, que acaba de ganhar um limite ainda maior aprovado pelo Banco Central, fez crescer as tentativas de golpes. Ele explica como as pessoas mal-intencionadas agem e dá dicas de como se proteger

Não importa se você se considera uma pessoa muito bem-informada e blindada contra qualquer tentativa de golpes. Na verdade, o efeito é justamente o contrário: isso pode lhe deixar ainda mais vulnerável, devido a uma falsa sensação segurança.

É o que alerta William Ribeiro, educador financeiro e CEO do Dinheiro Com Você, que ensina algumas maneiras de evitar quatro golpes que têm crescido proporcionalmente ao aumento da popularidade do Pix.

“Ao mesmo tempo em que o Pix tem se tornado extremamente comum nas transações e pagamentos dos brasileiros, é uma tecnologia ainda nova. Isso significa que nem todo mundo entende e domina o seu funcionamento.

Eis então a grande janela de oportunidade para os bandidos e o motivo de tanta gente estar caindo em golpes antigos. São histórias que parecem impossíveis de acreditar, mas que a falta de atenção, a correria do cotidiano ou mesmo a ganância, acabam colaborando para que a gente forneça nossas informações pessoais e financeiras a quem não deveríamos”, revela Ribeiro.

Golpe 1: Whatsapp clonado

O educador financeiro tem alertado em seu canal no YouTube que escolher o número do telefone celular como chave para o Pix não é uma boa ideia. “Qualquer pessoa que tenha acesso ao seu número de celular (capturado em um grupo de Whatsapp, por exemplo) pode simular uma transferência via Pix. E pronto: passa a ter acesso ao seu nome completo e o banco no qual você tem conta”.

E ele explica qual é o risco do acesso a essas informações. “Sabendo que você é correntista de um determinado banco, o trabalho do golpista é facilitado. Ele pode fazer o contato, já informando previamente algumas informações bancárias suas. Em alguns casos, pode ligar inclusive de um número clonado do próprio banco em que você tem conta, dizendo que foram identificadas transações suspeitas no seu extrato”.

E é nessa hora, quando ele conquista sua atenção e a sua confiança, que vai dar a cartada final. “O falso funcionário do banco dirá que, por motivos de segurança, você receberá um código por SMS no seu celular. Na maioria dos casos, se trata do código do Whatsapp, com o qual o golpista poderá “sequestrar” a sua conta no aplicativo, podendo se passar por você para aplicar golpes em seus amigos e familiares”, explica.

– Como se proteger

Para evitar esse tipo de problema, Ribeiro lembra que você deve habilitar a autenticação em duas etapas criando um “pin”, como se fosse uma segunda camada de segurança, uma senha com seis números. “Se alguém tentar clonar seu Whatsapp, mesmo que tenha acesso ao código que recebeu pelo SMS, sem o pin, ele não vai conseguir”.

Golpe 2: Whatsapp falso

Já que muitas vezes o golpista não consegue roubar o acesso ao seu Whatsapp, eles foram além: que tal criar uma nova conta, também se passando por você? Neste caso, é criada uma conta com um número diferente, porém, utilizando uma foto sua (que ele consegue facilmente em qualquer rede social).

A partir de então, ele segue o mesmo script para aplicar golpes: entra em contato com amigos e familiares, pedindo dinheiro por meio de transferências pelo Pix, informando uma chave ou enviando um QR Code.

– Como se proteger:

“Se algum conhecido entrar em contato de um jeito estranho, contando uma história qualquer, dizendo estar precisando de dinheiro, fique atento! O melhor é entrar em contato com a pessoa por uma linha de telefone que não seja via Whatsapp para confirmar se o contato foi feito por ela mesma.”

Ribeiro ainda explica porque apenas confirmar que o número do celular está correto não é uma forma segura de proteção. “Se você confirmou que o telefone que entrou em contato com você é realmente da pessoa, lembre-se, ela pode estar sendo vítima do golpe 1, com seu Whatsapp sendo clonado. Por isso, em todos os casos, procure sempre fazer contato com a pessoa por telefone”.

Golpe 3: Falso funcionário do banco

Nessa modalidade, o golpista também entra em contato com você, fingindo ser um funcionário do banco. No entanto, ao contrário do primeiro golpe que Ribeiro comentou, neste caso ele não está interessado em clonar o seu Whatsapp.

“Dessa vez, ele vai te dizer que entrou em contato para lhe ajudar a cadastrar ou a confirmar a sua chave Pix na instituição em que você tem conta. E eles podem ser tão convincentes a ponto de até colocar uma gravação ao fundo, como se fosse a movimentação de uma operação de telemarketing, com pessoas falando e digitando. Mais uma vez, ele conquistou sua atenção e sua confiança e vai pedir para fazerem um teste que envolve o envio de dinheiro. E se isso acontecer com você, saiba que esse valor você nunca mais verá de volta”, reforça o educador financeiro.

– Como se proteger:

Este é um procedimento que não existe em nenhuma instituição bancária. “Pode ter certeza, funcionário de banco nenhum liga para você para resolver qualquer problema de Pix. Nessa situação, é só ficar atento em caso de um contato como esse que solicite suas informações pessoais. Desconfie e nunca faça qualquer transferência para quem não conhece”.

Golpe 4: Bug no Pix

Dessa vez, o golpista consegue enganar principalmente as pessoas mais gananciosas. “Ao serem apresentadas a uma possível chance de dinheiro fácil, pessoas nesse perfil se tornam uma isca fácil, afinal a atenção é direcionada apenas ao objetivo final, o dinheiro, sem prestar atenção que o caminho até lá é um tanto quanto suspeito”.

Ribeiro explica como funciona. “Você recebe um contato, uma mensagem por Whatsapp ou um e-mail, dizendo que naquele momento ocorreu um bug no Pix. Alguém teria percebido que, ao fazer uma transferência, o dinheiro voltaria em dobro para a sua conta. Essa pessoa fictícia, muito “gentilmente”, resolve passar a dica para frente para que todo mundo, assim como ele, tenha a oportunidade de lucrar com esse problema técnico”.

– Como se proteger:

A solução para este problema é muito simples: “não existe dinheiro fácil e nem mágica, desconfie sempre”.

Engenharia social

Essa metodologia que os golpistas usam para nos convencer já tem até um nome, chama-se “engenharia social”. “Trata-se da habilidade de conseguir informações confidenciais por meio de técnicas de persuasão. Eles usam isso para conseguir que você forneça os seus dados ou para pedir que seus contatos enviem dinheiro”.

E o educador financeiro destaca que, pelo jeito, “eles ficam cada vez melhores nisso, afinal, o número de golpes só cresce porque eles encontram quem dá oportunidade de ser enganado.  Além disso, uma outra forma de não ser passado para trás é sempre estar atento ao nome completo e dados bancários da pessoa para quem está fazendo a transferência. Ao colocar a chave no aplicativo ou site do banco, todas essas informações são apresentadas na tela”.

Sobre William Ribeiro

William Ribeiro é CEO do Dinheiro Com Você, empresa de consultoria, treinamento e Educação Financeira, focada em finanças pessoais e investimentos, além de uma produtora de conteúdo multiplataforma da qual faz parte um dos maiores e mais importantes canais de educação financeira do pais: www.youtube.com/dinheirocomvoce.

Possui título de MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e é graduado em Engenharia da Computação pelo Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). Sua experiência de mais de 20 anos no empreendedorismo lhe trouxe a independência financeira e o consequente maior propósito da sua vida: levar seu conhecimento adiante, ajudando milhares de pessoas a terem uma vida financeira mais próspera.

Além de especialista no mercado financeiro, William também é autor e prepara o lançamento de seu primeiro livro (pela Alta Books) sobre o tema, uma publicação alinhada com o propósito de todo o seu trabalho que é desmistificar os investimentos no Brasil.

Gostou da nossa matéria “Golpes antigos que voltaram a crescer com o PIX“?

William Ribeiro, educador financeiro e CEO do Dinheiro Com Você
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Dia Mundial do Empreendedorismo: Como evitar fraudes eletrônicas?

Um dos grandes desafios para os empresários brasileiros atualmente é superar o problema da fraude transacional online, saiba evitar fraudes eletrônicas

Nesta sexta-feira, 16 de abril, é celebrado em todo o planeta o Dia Mundial do Empreendedorismo. Os negócios que surgem globalmente todos os dias têm um impacto significativo em seu próprio universo, mas todos os empreendedores enfrentam grandes desafios em seus respectivos mercados.

De acordo com o Global Entrepreneurship Monitor (GEM), no Brasil apenas 40% das pessoas consideram que é fácil começar um novo negócio; no México essa percepção fica em 50%, na Argentina em 44% e na Colômbia supera por pouco 35%. O Instituto Global de Empreendedorismo e Desenvolvimento (GEDI), que mede a saúde dos sistemas de empreendedorismo por país, coloca o Brasil na 118ª posição, atrás de outros países da América Latina como a Colômbia (na posição 52), México (posição 70) e Argentina (74).

Entre os desafios que os empresários devem superar está o problema da fraude transacional online. É por isso que a Vesta, líder global em prevenção de fraude digital, oferece 5 dicas que os empreendedores de e-commerce podem aplicar para evitar esse tipo de ameaça.

  1. Implementar regras rígidas durante o check-out

Os processadores de pagamento têm um conjunto de regras para lidar com as transações. Entenda as regras do seu provedor e lembre-se de segui-las sempre que você se deparar com uma disputa. Não fazer isso aumenta suas chances de perder a disputa, o que custa ainda mais dinheiro, uma vez que você é responsável por todos os custos.

  1. Usar várias camadas de autorização

Um pagamento autorizado não garante que o dinheiro irá para sua conta bancária comercial. Os clientes ainda podem contestar a transação se não forem eles que fizerem a compra. Portanto, sempre use uma combinação de recursos de autorização para proteger sua página de checkout, de forma que você tenha várias camadas de segurança. A autorização adequada inclui fatores como:

  • Certificar-se de que sua página de pagamento esteja protegida por HTTPS;
  • Certificar-se de que seu processador de pagamento seja totalmente compatível com os padrões PCI DSS;
  • Ter todos os formulários necessários na página de pagamento para verificar as transações;
  • Não armazenar nenhum tipo de detalhes de cartão de cliente em seu banco de dados.
  1. Usar sistemas de verificação eficazes

Os falsos negativos prejudicam empresas e clientes. A capacidade de verificar transações permite evitar rapidamente a aceitação de transações fraudulentas. Uma boa solução de pagamento faz isso reconhecendo automaticamente os padrões e analisando os detalhes da transação; Em segundos, você pode identificar clientes legítimos. Outros recursos são: verificação de impressão digital, verificação de e-mail, verificação de telefone em duas etapas, verificação do número do cartão, entre outros.

  1. Usar controles manuais (com moderação)

Para pedidos grandes, pode valer a pena revisá-los manualmente, embora seja sempre melhor automatizar o processo se você lida regularmente com pedidos de alto valor. Uma forma de verificar manualmente é entrar em contato com o comprador por e-mail ou telefone. Os clientes genuínos são mais propensos a entrar em contato com você, já que a última coisa que um golpista gostaria de fazer é revelar suas informações pessoais. Se sua empresa for B2B, você pode pesquisar no Google o nome do seu comprador ou o site da empresa para saber mais sobre eles. As verificações manuais são adequadas se você só tiver que fazê-las algumas vezes por ano. Qualquer outra coisa é um uso ineficaz do tempo da sua empresa.

  1. Usar a tecnologia certa

Uma grande parte dos casos de fraude de negócios se deve ao uso de tecnologia desatualizada. Isso se deve às limitações do provedor de pagamento ou dos proprietários de negócios que não desejam gastar dinheiro em ferramentas aprimoradas. Os golpistas de hoje são extremamente qualificados e persistentes em explorar as fraquezas da tecnologia desatualizada. Investir em uma solução de pagamento segura e atualizada é um pequeno custo para a segurança que você obtém ao oferecer a seus clientes uma experiência de compra melhor, ao mesmo tempo que protege sua empresa contra fraudes comerciais.

Sobre a Vesta

Vesta é uma plataforma de prevenção de fraude para compras online, confiável por marcas líderes em telecomunicações, e-commerce, viagens, bancos e serviços financeiros. Usando o aprendizado de máquina sustentado por 25 anos de dados transacionais, a Vesta aumenta as aprovações de vendas legítimas para seus clientes, ao mesmo tempo que elimina estornos e outras formas de fraude digital. O Vesta leva o verdadeiro custo da fraude a zero assumindo 100% do custo da fraude para qualquer transação que aprova, para que os clientes possam escalar com confiança e aumentar sua receita sem risco. A empresa está sediada em Portland, OR, com escritórios adicionais em Atlanta, GA, Irlanda, México e Cingapura. Para obter mais informações, visite https://trustvesta.com/.

Gostou da nossa matéria “Dia Mundial do Empreendedorismo: Como evitar fraudes eletrônicas?“?

Saiba evitar fraudes eletrônicas
Foto: Gerd Altmann / Pixabay

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Livros que todos profissionais do marketing devem ler

Marcelo Trevisani – Chief Marketing Officer (CMO) é autor de “Livros que todos profissionais do marketing devem ler”

Tempos atrás fiz um artigo indicando alguns livros que me serviram de inspiração na minha jornada profissional. Mas, como a leitura é um hábito constante, e como a busca por conhecimento e a evolução devem ser uma busca incessante, senti a necessidade de elencar mais alguns. São obras que abordam as transformações digitais e de liderança ou que trazem cases de empresas que alcançam significativos impactos de negócios por meio de métodos ágeis. O que pretendo aqui é aguçar a curiosidade de vocês e lembrar que precisamos sempre de novos estímulos para nos tornamos melhores pessoas e profissionais. Então, aqui vão mais 7 títulos que me trouxeram importantes insights:

  1. Inspired: How to Create Tech Products Customers Love, 2018, Marty Cagan.

O autor Marty Cagan é líder do pensamento sobre gerenciamento de produtos de tecnologia e traz na obra histórias pessoais e perfis de gerentes de produto mais bem-sucedidos da atualidade. O livro vale muito ser lido, já que a gestão de produtos se torna cada vez mais importante nas organizações para garantir que elas tenham domínio sobre a construção de experiências digitais e sejam capazes de assegurar que o valor que a companhia ambiciona – e precisa – oferecer para continuar a ser relevante para seu público seja de fato entregue.

  1. Bank 4.0: Banking everywhere, never at a bank, 2018, Brett King.

Brett King é um futurista e estudioso do sistema bancário e o primeiro autor a falar sobre fintechs. Neste livro ele faz uma análise preditiva sobre o futuro dos bancos neste emergente mundo da tecnologia e como acompanhar estas mudanças com sucesso. Em suas previsões, o autor orienta leitores a conhecerem de maneira mais profunda essas novas instituições financeiras que surgem a cada dia, a estudar os bancos digitais e transações via blockchain para antecipar novas tendências de mercado e se manter frente aos concorrentes.

  1. Sprint O Método Usado no Google Para Testar e Aplicar Novas Ideias em Apenas Cinco Dias, 2017, Jake Knapp, John Zeratsky, Braden Kowitz.

Jake Knapp apresenta os passos para implementar e utilizar o Design Sprint, método usado pelo Google com o foco em desenvolver e testar ideias em apenas cinco dias. O livro descreve passo a passo o processo de resolução de problemas baseado no conceito Sprint. O método é simples: basta reunir de 5 a 7 pessoas de áreas e expertises diferentes por 5 dias com um problema de negócios a ser solucionado. A resolução deste é realizada em cinco passos: mapear e identificar o problema principal, criar algumas soluções, ‘prototipar’ a melhor solução e testá-la com usuários/clientes reais. Cada integrante analisa e aprende a situação e apresenta sua solução para que o grupo, colaborativamente, chegue a um denominador comum, transformando todos os insights em um resultado satisfatório e pronto para ser testado.

  1. Negotiation Genius, How to Overcome Obstacles and Achieve Brilliant Results at the Bargaining Table and Beyond, 2007, Deepak MalhotraMax Bazerman.

Baseando-se em décadas de pesquisa comportamental e na experiência de milhares de clientes empresariais, os autores Deepak Malhotra e Max Bazerman, líderes em educação executiva na Harvard Business School, falam sobre as habilidades essenciais, estratégias e técnicas para uma negociação bem-sucedida baseando-se em casos.

  1. Organizações exponenciais: Por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito), 2015, Salim Ismail, Michael S. Malone, Yuri Van Geest.

A obra explica as principais diferenças entre as empresas tradicionais e as exponenciais usando o conceito dos 6 Ds: digitalizado, disfarçado, disruptivo, desmaterializar, desmonetizar e democratizar.

  1. Hacking Marketing: Agile Pratices to make Marketing Smarter, Faster and more Innovative, 2016, Scott Brinker

Scott Brinker apresenta um manual no qual explica como as empresas podem se adaptar ao novo mundo e aprender a liderar na era digital. O autor descreve como aplicar conceitos de gerenciamento inspirados em software para acelerar o marketing moderno e ampliar os nossos mindsets. No cenário atual, ser ágil no marketing requer muito mais do que velocidade de ação. Agilidade neste aspecto tem a ver com a sabedoria de captar dados e analisá-los de modo contínuo para aproveitar as oportunidades e soluções em tempo real.

  1. The Four: The Hidden DNA of Amazon, Apple, Facebook, and Google, 2017, Scott Galloway.

Scott Galloway revela os segredos do poder e do sucesso das quatro maiores empresas exponenciais do mundo. De maneira divertida, o autor faz com que você nunca mais enxergue essas empresas e a forma como elas estão na presentes na sua vida da mesma maneira.

Marcelo Trevisani – com mais de 20 anos de experiência como profissional nas áreas de Digital Marketing, Transformação Digital, Inovação, Chief Marketing Officer, é considerado um dos nomes mais relevantes da área. Participou de grandes cases de Marketing Digital do Brasil para empresas como Tecnisa, BRF, Itaú, Coca-Cola, Nestlé e Vivo, além de ter sido finalista e vencedor em prêmios como Caboré 2017 e CMO 2019, respectivamente. Atualmente, como Chief Marketing Officer, embasa seu trabalho em 3 pilares: Marketing – pelo foco no consumidor, Growth – pelo foco em crescimento de negócio e Marketing Digital e Growth Hacking – como facilitadora de trabalhos. Foi criador e professor do primeiro curso de pós-graduação em Marketing Digital do Brasil, além de professor de MBAs e Pós-Graduações por mais de 10 anos em instituições como ESPM, FGV Business School e FIAP. Também é palestrante em eventos relacionados à Nova Economia, Transformação Digital, Marketing Digital e Growth Hacking em locais como ESPM, Endeavor, CUBO Itaú, SEBRAE, Digitalks, Casa Digital, ProXXima, Social Media Week, In Companies entre outros.

Gostou da nossa matéria “Livros que todos profissionais do marketing devem ler“?

Livros que todos profissionais do marketing devem ler. Foto: PixaBay – StockSnap

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Lojistas Brasileiros: Como resolver as principais dificuldades

As principais dificuldades dos lojistas brasileiros em 2020 (e como resolvê-las em 2021) 

Por Henrique Carbonell *  

Não há dúvida de que o ano de 2020 foi desafiador para os lojistas brasileiros. Entretanto, falar que a pandemia da Covid-19 foi o principal problema do varejo chega a ser redundante. Claro, tanto o avanço de uma doença global quanto a necessidade de quarentena e isolamento social foram complicadores – mas esse problema afetou a todos, grandes e pequenos, independentemente da região ou segmento. O que cada empresário fez a partir disso é que determinou o sucesso, ou o fracasso, em 2020. Por conta disso, confira as principais dificuldades dos varejistas brasileiros no ano passado e saiba como evitá-las em 2021:  

1 – Transformação digital  

A digitalização dos processos em si não é um problema – de fato, pode ser considerada a solução para muitas dificuldades. Porém, poucos varejistas estavam aptos para se movimentarem de uma hora para outra com a chegada do novo coronavírus. De repente, tudo aquilo que ele fazia de forma manual e/ou física precisou migrar para o ambiente virtual por meio de softwares, sistemas e dispositivos. A transformação digital é um processo sem volta no Brasil, e os empreendedores precisam se preparar para realizá-la de forma segura. A melhor dica é encontrar fornecedores que possam orientar e auxiliar as empresas a encontrarem soluções que realmente façam sentido ao negócio.  

2 – Omnichannel 

Simultaneamente à transformação digital iniciada às pressas a partir de março de 2020, os varejistas brasileiros também tiveram que lidar com o aspecto omnichannel do consumidor, tanto no relacionamento com a marca quanto nas relações de compra e venda. Até então, havia mais teoria do que prática no dia a dia do negócio, mas foi preciso incorporar (e integrar) diferentes canais utilizados pelas pessoas, como e-commerce, aplicativos de mensagens, redes sociais, entre tantos outros. Foi uma dificuldade manter a comunicação sem ruído com o cliente, mas a adoção de tecnologias já desenvolvidas nesse preceito e que potencializam a integração de canais pode reduzir qualquer risco.  

3 – Gestão de vendas  

De repente as lojas físicas também precisaram vender pela internet. O WhatsApp passou a ser um importante aliado dos vendedores para conversar com os clientes e até para ofertar produtos. Mas como organizar esse fluxo e estipular metas em um novo contexto? A gestão de vendas do varejo precisou se adaptar a essa realidade, seja na adoção de novas técnicas, seja na estrutura do trabalho a ser desenvolvido. Dessa forma, foi preciso capacitar os colaboradores durante a pandemia, corrigindo em tempo real possíveis questões que surgiam no dia a dia. Para evitar novos problemas, a saída é contar com uma plataforma integrada de gestão empresarial e financeira, capaz de extrair relatórios de vendas para análise dos gestores.  

4 – Logística  

Outro problema decorrente da digitalização imposta pela pandemia da Covid-19 é a logística de entrega dos produtos. Quem já estava acostumado a vender pela internet possuía o know-how necessário para dar conta de todas as demandas. Mas e os varejistas que precisaram montar às pressas seus canais de vendas? A grande maioria sofreu para conseguir entregar os pedidos nos prazos e nas condições desejadas pelos consumidores. Aqui, mais do que encontrar a melhor solução tecnológica voltada à logística, o recomendado é garantir que esse recurso esteja integrado às ferramentas de gestão, permitindo que todo o processo seja automatizado, da confirmação do pedido ao envio da mercadoria.  

5 – Conciliação de cartões  

Por fim, fazer a conciliação financeira das transações de cartões tornou-se uma missão ainda mais primordial para a gestão do pequeno e médio varejista. A prática é essencial por conferir os valores envolvidos em cada transação, incluindo o valor pago nas taxas de administração das máquinas e demais custos envolvidos. Sem um detalhamento específico, é comum a loja pagar mais do que deve. É como um conta-gotas: no mês nem se percebe a diferença, mas depois de um ano há um rombo considerável nas finanças. As melhores plataformas de gestão financeira completam essa tarefa de forma automática, permitindo até mesmo a recuperação dos valores pagos a mais.  

* Henrique Carbonell é sócio-fundador da F360°, empresa especializada em sistema de gestão financeira com conciliação automática de vendas por cartão para o pequeno e médio varejowww.f360.com.br– e-mail:f360@nbpress.com  

Sobre a F360° 

A F360° é uma startup com a missão de transformar a gestão de varejo de franquias e do pequeno e do médio varejista desenvolvendo a melhor ferramenta de gestão do Brasil. O objetivo é gerar eficiência operacional, evitar perdas financeiras aos seus usuários e potencializar as vendas. Desenvolvida por – e para – o varejista, a plataforma oferece, em uma única ferramenta, integração de todos os processos de gestão de uma franquia ou de pequeno e médio varejo. A empresa faz parte da HiPartners, um ecossistema de investimentos focado em empresas inovadoras e com alto potencial de crescimento dentro do conceito de New Retail. Para saber mais, acesse https://www.f360.com.br/.  

Gostou da nossa matéria “Lojistas Brasileiros: Como resolver as principais dificuldades”?

Lojistas Brasileiros: soluções

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Junte-se a 600 outros assinantes

Dinheiro Fácil: Day trade só é rentável para os intermediários

Notícias virais sobre dinheiro fácil, como a de um jovem que transformou R$ 30 mil em R$ 700 mil durante a pandemia atrai para a prática da compra e venda diária de ações. Investidores incautos acumulam prejuízos e geram lucros a quem surfa nessa onda vendendo cursos, livros e ilusões.

No ínicio deste ano, tornou-se um viral nas redes sociais a trajetória de um jovem carioca de 24 anos e origem humilde que, atuando como day trader durante a pandemia, conseguiu transformar R$ 30 mil em R$ 700 mil. Contudo, histórias como essa atraem outros investidores para a ilusão do dinheiro fácil e rápido. A maioria acabam acumulando prejuízos e, alguns, como vimos no Fantástico desse domingo, acabam até caindo em golpes.

Histórias de superação como essa costumam ser inspiradoras. Contudo, a forma como ela é compartilhada na internet acaba confundindo as pessoas e reforçando uma compreensão equivocada de que um investimento de altíssimo risco pode ser uma fonte de renda.

Pesquisas mostram que quase a totalidade dos seguem por esse caminho têm prejuízo. Os pesquisadores Fernando Chague e Bruno Giovannetti, da Fundação Getúlo Vargas, chegaram a conclusões espantosas em seu trabalho.

Foram acompanhados todos os indivíduos que começaram a fazer day trade em ações no mercado brasileiro entre 2013 e 2016 (98.378 indivíduos), chegando-se nas seguintes revelações:

  1. 99,43% dos indivíduos não persistiram na atividade (apresentaram menos

de 300 pregões com day-trades);

  1. considerando-se os day-traders que persistiram (operaram por mais de

300 pregões), a performance média foi negativa;

  1. apenas 127 indivíduos foram capazes de apresentar lucro bruto diário

médio acima de 100 reais em mais de 300 pregões.

Nas palavras dos próprios pesquisadores: “Entre os 1.551 que persistiram, apenas 8 conseguiram apresentar lucro bruto diário médio maior do que a remuneração de entrada de um caixa de banco (160 reais por dia).”

No entanto, ao se observar que o número de novos investidores, inclusive muito jovens, nota-se que os resultados parecem não ter desanimado quem acredita na possibilidade do dinheiro fácil.

“A essência de se comprar uma ação é você se tornar sócio de uma grande empresa. Então, qual o sentido de você ficar comprando e vendendo a sua sociedade diariamente?”. Quem traz essa reflexão é o Educador Financeiro do canal “Dinheiro Com Você”, William Ribeiro, que também faz o alerta para os riscos dessa prática.

“A grande maioria das pessoas que estão se interessando pelo investimento em ações ainda acredita que tudo se resume a ficar acompanhando gráficos e apostando nas subidas e descidas dos preços. Day trading é uma atividade extremamente extenuante, que já levou vários investidores e famílias à ruína. Às vezes, o pior que pode acontecer é você começar ganhando dinheiro e acreditar que descobriu as regras do jogo. Os raríssimos day traders que ganham dinheiro, realizam a atividade como seu ofício, não é um hobby para se realizar no litoral ou no semáforo (aliás, quem, em sã consciência, deixaria de tomar caipirinha na praia para operar?).”

O Sonho do Dinheiro Fácil

Os Investidores que têm mais chances em conseguir lucro no day trade são aqueles que menos precisam disso para sobreviver. Pessoas que já construíram patrimônio e levam esse capital para o mercado financeiro para investir, para rentabilizá-lo.

“Quem tira dinheiro do seu próprio orçamento familiar para investir já começa perdendo, porque vai ser impossível não deixar o lado psicológico interferir nas operações”, explica o Educador Financeiro.

“Algumas pessoas afirmam que, assim como em qualquer outra atividade, poucos são os que se dedicam e têm sucesso. No caso do day trading isso é uma falácia, porque as pesquisas mostram que os operadores não ficaram melhores com o passar do tempo. Além disso, para efeito de comparação, as chances de ser aceito em Harward são de 4,7%, muito superiores aos 0,13% dos daytraders que têm como resultado mais de R$100 brutos por dia.”, destaca.

Quem realmente ganha com o day trade?

O grande foco das pesquisas sobre day trade é sobre consistência. Foi demonstrado que quanto maior é o número de pregões operados, menos provável é a sua chance de sucesso.

Desta forma, sempre teremos alguns vencedores pontuais, como certamente é o caso do jovem estagiário que se tornou “milionário” repentinamente. Ainda assim, por mero efeito da aleatoriedade, é bem possível que alguns poucos traders tenham sucesso repetidas vezes. “Se fizéssemos um campeonato de cara ou coroa, o campeão brasileiro certamente teria acertado um número bizarro de vezes, talvez dezenas delas. Nem por isso teria algum mérito por suas escolhas, mas certamente seria capa de revista e poderia lançar um curso ensinando como ser um vencedor nesta modalidade.”, afirma Ribeiro.

Definitivamente, day trade é um negócio lucrativo. Mas, de acordo com os estudos, quem faz dinheiro com ele são somente as corretoras (que ganham taxas), a Bolsa de Valores e os vendedores de curso.

William faz um último alerta a quem, mesmo assim, ainda pensa em arriscar.

“Tome cuidado com os gurus, com as dicas das outras pessoas. Será que se alguém tivesse o mapa da mina de ouro iria compartilhar com você e precisaria do seu dinheiro? Acrescento que, se tais dicas fossem divulgadas, brevemente seriam inócuas, uma vez que ficassem em domínio público e todos copiassem a estratégia.

Se o próprio dono da corretora soubesse desta fórmula, certamente criaria um exército de robôs, operando 24 horas por dia, o que certamente daria muito menos dor de cabeça do que administrar milhares de clientes dentro de uma corretora.

Se você deseja ser um day trader, já sabe que as chances estão contra você e que isso será um “trabalho” dos mais desgastantes e perigosos, diga-se. Caso contrário, não nunca priorize day trading com relação ao seu próprio ofício, porque é nele que você sabe ganhar dinheiro e pode aperfeiçoar-se de verdade”, conclui.

Entender a Jornada do Investidor evita erros e prejuízos

Em uma definição simples, o Educador Financeiro e apresentador do canal “Dinheiro Com Você”, William Ribeiro, explica o conceito da Jornada do Investidor como sendo “o processo que reflete a evolução das pessoas no domínio dos conceitos do mundo dos investimentos”.

Ter a consciência de como funciona essa jornada e seus possíveis caminhos, além de torná-los mais fáceis, é condição essencial para ter uma relação saudável e rentável com os investimentos.

“Muita gente me pergunta como começar e onde investir. E é logo no começo que as pessoas cometem dois erros principais: superestimar ou subestimar os riscos. Para o primeiro caso, é mais fácil: basta buscar conhecimento e ter disciplina para superar o medo de investir.

Já o segundo erro é de solução mais complexa. É preciso ter ciência de que investimento nenhum deixa ninguém rico no curto prazo. Mas também implica domar-se em seus instintos para não pular de cabeça em investimentos cujo risco é incompatível com seu perfil e jornada do investidor”, explica Ribeiro.

Em qual ponto inicia a sua jornada?

A jornada do investidor é uma estrada repleta de ramificações e com diferentes pontos de partida. Um único caminho errado pode atrapalhar e retroceder anos de caminhada, como alerta o Educador Financeiro.

 “O seu extrato bancário é um resultado que pode estar positivo ou negativo, refletindo um balanço das boas decisões financeiras da sua vida, frente à aquelas apostas (ou gastos desnecessários) que retiraram dinheiro da sua conta.

Um bom investidor sempre se questiona a respeito do quanto pode perder, ao passo que os iniciantes irremediavelmente procuram por investimentos cujo risco não podem suportar, como na renda variável”, pondera Ribeiro.

Para saber de onde um novo investidor deveria partir, basta uma análise simples para um primeiro diagnóstico das três possíveis situações que Ribeiro explica abaixo:

  1. A pessoa deseja começar a investir, pode até ter separado algum dinheiro, mas tem dívidas acumuladas.

Antes de pensar em aplicar qualquer quantia, a melhor coisa a fazer é livrar-se das pendências. É impossível encontrar qualquer investimento que tenha um retorno superior aos juros cobrados pelas instituições financeiras, especialmente se estivermos falando do rotativo do cartão de crédito e do cheque especial.

Além dos juros altos, as dívidas tiram o sossego e a liberdade. Então, nesse caso, o primeiro passo é olhar para trás, encontrando um meio de quitar todas as suas pendências e focar na geração de renda para aumentar seus recursos.

Não é raro encontrar pessoas que tentam justificar sua ansiedade em colocar dinheiro em algum investimento, mesmo estando endividadas. “Se eu não fizer dessa forma eu não começo” ou “Dívidas eu sempre vou ter, se não for assim, não consigo comprar nada”, estão entre os absurdos que cegam as pessoas para o problema.

Como falamos no início, a disciplina é indispensável para começar essa jornada. E se este argumento ainda não for suficiente, partimos para um argumento infalível: a ponta do lápis.

Vamos imaginar um aspirante a investidor hipotético que está começando errado a sua jornada e deu início a um plano de previdência privada com contribuições mensais de mil reais, ao mesmo tempo em que está utilizando o limite de seu cheque especial. Veja só:

 Conta com Limite (Cheque Especial)Plano de Previdência
Saldo inicial (R$)0,000,00
Após primeiro aporte (R$)-1.000,001.000,00
Juros ao mês (exemplos)8 %0,5 %
Perdas x Ganhos (R$)– 80,005,00

O que vemos na tabela acima é uma pessoa que, para ganhar R$ 5,00 de rendimento, pagou R$ 80,00 em juros da dívida. Se essa atitude se estende ao passar do tempo, a bola de neve dos juros fatalmente acabará com qualquer possibilidade de progresso financeiro na Jornada do Investidor.

Então, não há outro caminho que não seja acabar com todas as dívidas, buscando aumentar a renda e economizar mais, para conseguir sobrar mais dinheiro para investir.

  1. A pessoa quer começar a investir, mas ainda não tem uma reserva financeira.

Aqui, estão consideradas as pessoas que já não têm dívidas e decidiram começar a investir pela primeira vez, começando do zero. Ou seja, não têm nenhuma reserva de emergência ou, como costumamos chamar, um “colchão financeiro”. Esta é uma etapa indispensável antes de seguir para investimentos de maior risco.

Seja para preparar o colchão financeiro, ou aportar em investimentos mais arrojados, é fundamental garantir que, na balança, o ganho seja maior do que o gasto. Afinal, toda riqueza construída no mundo foi edificada sob a quantia que se foi poupada, evidentemente.

O Colchão Financeiro é o passo mais importante da jornada do investidor por um motivo: garante que a segurança financeira da família não será comprometida, caso um investimento se mostre inviável, ou para momentos de escassez na geração de renda (seja por motivo de demissão, falta de clientes, etc);

O ideal é conseguir separar, no mínimo, 10% dos ganhos e destiná-los para uma reserva. Lembrando que os 90% restantes precisam ser suficientes para cobrir todas as despesas do mês. Você poderá afirmar que realmente já conta com um colchão financeiro formado quando essa reserva for o equivalente à soma de pelo menos seis meses de todos os seus gastos mensais. Há quem se sinta seguro com um montante que cubra um ano das despesas.

Para a reserva de emergência, não é adequado optar por ativos de maior rentabilidade, justamente por apresentarem maiores riscos. Para este objetivo financeiro, o ideal é aproveitar os benefícios que oferece a Renda Fixa, que são o baixíssimo risco e a liquidez, como é o caso do Tesouro Selic ou CDBs de liquidez diária.

É importante ter a consciência de que ninguém ficará rico investindo o dinheiro do colchão financeiro. A função da reserva é prover recursos que estejam prontamente disponíveis para qualquer adversidade que a vida nos apresentar, como problemas de saúde, perda de emprego ou acidentes.

  1. Quer começar a investir e já tem uma reserva financeira segura.

Se uma pessoa não tem dívidas e já conta com uma reserva financeira de emergência, ela pode começar aqui a jornada em direção ao acúmulo de patrimônio.

“A partir daqui os caminhos são muitos, por onde seguir vai depender muito do perfil de cada um, de quanto se tem para investir, prazo, quais os planos desse investidor para o dinheiro, entre diversos outros fatores que podem influenciar nas decisões e seus resultados. Exatamente por isso, acredito que o mais interessante seja adotar o conceito que chamamos de “diversificação financeira”, avalia o Educador Financeiro.

Dentro da própria Renda Fixa também há opções que oferecem um pouco mais de rentabilidade, como pode ser o caso do Tesouro IPCA+ ou Pré-Fixado. Porém, são produtos que possuem um prazo de vencimento, cujo resgate antecipado (embora seja possível)  pode trazer perdas pela chamada “marcação a mercado”.

Contudo, mesmo optando pelos investimentos mais sofisticados desta categoria, a Renda Fixa não oferece retornos muito grandes. Via de regra, são instrumentos que utilizamos mais como proteção do poder de compra de um dinheiro guardado, ou seja, visando protegê-lo da inflação.

Para ganhos maiores (e incertos, diga-se), é indispensável dar continuidade nessa jornada. Veja que primeiro pensamos em proteger, para só então subirmos o próximo degrau da jornada.

Um produto que costuma ser bastante indicado para quem deseja dar os primeiros passos na renda variável, são os Fundos de Investimento Imobiliários. Com quotas tão acessíveis como na casa dos cem reais, os FII possibilitam que pequenos investidores participem de empreendimentos imobiliários de alto padrão, como shoppings, lajes corporativas e galpões logísticos.

Por possuírem receita razoavelmente previsível dos aluguéis e do lastro imobiliário destes ativos, a oscilação das quotas (negociadas na bolsa de valores) não costumam sofrer grandes volatilidades, sendo características ideais para quem está começando a conviver com um pouco mais de risco.

A partir daí, o investidor pode se dar ao luxo de experimentar, sempre aos poucos e aplicando a diversificação, investimentos mais arrojados, como ações de empresas na bolsa de valores, criptomoedas, e até no mundo do empreendedorismo.

Independente do ponto de partida, o importante é começar

Acumular patrimônio é uma questão de disciplina e de dar tempo ao tempo, tanto para que os ativos financeiros possam gerar frutos (os proventos), quanto para que o investidor não pule etapas da jornada financeira.

“Definitivamente, investir não é só para gente rica. Mas, para ficar rico, investir é primordial. Tudo a seu tempo, um passo de cada vez. A jornada do investidor é fundamental para que, um dia, haja a independência financeira, em que o dinheiro trabalha para o investidor, não o contrário. Mas só é possível para aqueles que entendem e respeitam a jornada do investidor”, finaliza Ribeiro.

Sobre William Ribeiro

William Ribeiro é CEO do Dinheiro Com Você, empresa de consultoria, treinamento e Educação Financeira, focada em finanças pessoais e investimentos, além de uma produtora de conteúdo multiplataforma da qual faz parte um dos maiores e mais importantes canais de educação financeira do pais: www.youtube.com/dinheirocomvoce.

Possui título de MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e é graduado em Engenharia da Computação pelo Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). Sua experiência de mais de 20 anos no empreendedorismo lhe trouxe a independência financeira e o consequente maior propósito da sua vida: levar seu conhecimento adiante, ajudando milhares de pessoas a terem uma vida financeira mais próspera.

Além de especialista no mercado financeiro, William também é autor e prepara o lançamento de seu primeiro livro (pela Alta Books) sobre o tema, uma publicação alinhada com o propósito de todo o seu trabalho que é desmistificar os investimentos no Brasil. 

Gostou de “Dinheiro Fácil: Day trade só é rentável para os intermediários??

William Ribeiro, educador financeiro e CEO do Dinheiro Com Você
Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais das últimas notícias. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Parcelamento de verbas rescisórias validado pela Justiça

O acordo extrajudicial, como alguns já sabem, passou a ter previsão legal com a Reforma Trabalhista ocorrida em 2017. A Reforma trouxe alguns critérios para considerar referido acordo válido, como por exemplo, não haver qualquer indício de vício de vontade, as partes estarem representadas por advogados distintos em petição escrita e a permanência da observância do prazo para entrega dos documentos, sendo que o pagamento, e parcelamento, das verbas rescisórias não poderia ser objeto do acordo extrajudicial.

Contudo, recente decisão proferida pela Magistrada da 3ª Vara do Trabalho de Contagem, homologou acordo que previa o parcelamento do pagamento das verbas rescisórias, sendo que o principal motivo do pedido de parcelamento foi o impacto econômico causado pela pandêmica (COVID-19).

A Juíza explicou que referido parcelamento, em tese, contrariasse dispositivo legal com relação ao pagamento das verbas rescisórias, mas em contrapartida, observou que fez parte da transação a multa pelo descumprimento do pagamento no prazo estabelecido em lei e, levando em consideração o cenário econômico atual pela qual o país vive em decorrência do COVID-19, afirmou pela impossibilidade da aplicação simples e fria do princípio da alteridade, positivado no art. 2º, caput, da CLT, segundo o qual o risco do empreendimento cabe ao empregador.

Nas palavras da Juíza: “a cessação/redução da atividade da ré, e consequente impossibilidade do pagamento integral das verbas rescisórias decorre de fortuito externo; isto é, fato inteiramente estranho à atividade e à vontade da parte ré, não se confundindo, e.g., com uma inadimplência decorrente de falhas administrativas ou financeiras” e prosseguiu com a homologação do acordo extrajudicial celebrado entre as partes.

Entendemos como acertada a decisão, porque (i) levou em consideração o momento atual em que o país se encontra e além de garantir o recebimento das verbas rescisórias pelo trabalhador, acrescido de multa, ainda visou proteger também a empresa que luta para manter suas atividades; (ii) sensibilizou-se com o momento de exceção na qual a análise literal da lei não seria o melhor caminho – aplicação restritiva da lei; (iii) evitou que o judiciário tivesse que receber mais um caso com longa duração, já que por mais que o processo seja célere, levará mais tempo se comparado à jurisdição voluntária; (iv) prestigiou a boa-fé das partes e evitou a busca por uma solução fraudulenta como no caso de uma ação simulada; (v) deu segurança jurídica à empresa de pagar e não ser autuada administrativamente pela fiscalização por ter parcelado a rescisão contratual, ato esse em tese ofenderia o artigo de lei que veda o parcelamento.

Entendemos como bastante equilibrada e justa essa decisão que concedeu a oportunidade à empresa de cumprir com suas obrigações legais e, ao mesmo tempo, garantiu um fôlego para que a empresa tentasse continuar suas atividades e a manutenção do emprego de outros empregados.

Que casos como esse sirvam de exemplo a todos os magistrados do nosso país pois, embora tenha flexibilizado a previsão legal, garantiu ao ex empregado o recebimento das verbas rescisórias de forma célere e ao empregador a possibilidade de pagar com suas obrigações e tentar manter sua empresa ativa.

Jacques Rasinovsky Vieira e Luiz Eduardo Amaral de Mendonça são sócios da área trabalhista do FAS Advogados.

Gostou de “Parcelamento de verbas rescisórias validado pela Justiça?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as Últimas Notícias. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

O que o mercado pode esperar da Nova Lei de Licitações?

Veja o que o mercado pode esperar da nova lei, que substituirá a atual Lei 8.666, do Pregão e do Regime Diferenciado de Contratação

Sancionada na última quinta-feira (1) pelo presidente Jair Bolsonaro, a nova Lei de Licitações Públicas chega em substituição às leis 8.666, do Pregão e do RDC.

Nela, destacam-se: uma nova modalidade de contratação, a do diálogo competitivo; critério de julgamento por maior retorno econômico; a previsão da adoção de novas tecnologias como o BIM; a obrigatoriedade de as empresas contratadas implantarem sistemas de integridade e a possibilidade do uso de arbitragem para dirimir conflitos.

De acordo com o doutor em Direito e sócio fundador do escritório Aroeira Salles, Alexandre Aroeira Salles, “o Brasil continua insistindo na ampliação infinita de regras, procedimentos e comandos para gerir o Estado. Sempre que aparecem escândalos de corrupção e fraudes em contratações públicas, novas leis mais rígidas são elaboradas e lotadas de procedimentos e regras que supostamente deveriam melhorar a conduta de maus gestores e agentes privados”, complementa.

A primeira Lei de Licitações no Brasil foi o Decreto-lei 200, de 1967, com 19 artigos sobre contratação pública. A segunda foi o Decreto-lei 2.300, com 90 artigos. E sete anos depois, em 1993, publicou-se a Lei 8.666, com 126 artigos.

Assim como as anteriores, a nova Lei tenta prever o futuro e as hipóteses do mundo real, com a ideia de limitar as alternativas do administrador e da sociedade para que haja o impedimento do desvio de conduta.

As normas constantes nos artigos 127 e 128 que obrigam o particular contratado a aceitar, no curso do seu contrato, novos serviços com preços fictícios retirados da aplicação equivocada de um percentual médio de desconto, que ele ofertou na licitação em data muito anterior à introdução de nova obrigação, descumpre o artigo 37, inciso XXI da Constituição.

“É como se a Administração Pública pudesse se beneficiar criando um novo serviço e impondo ao contratado que o execute com preços que ele não poderia aceitar sem ter prejuízos”, destaca.

Como se sabe, a engenharia não é capaz de prever integralmente a realidade física e geológica (v.g) de um maciço rochoso, podendo levar a imprecisões. “Tal fenômeno não pode ser alterado pela lei humana, pois é da natureza e das limitações da tecnologia. É papel do legislador se preocupar com a conduta dolosa do agente, dirigida para fraudar, como já prevista na ordem jurídica”, completa Alexandre.

A nova lei, além de criar modalidades de contratação e tipificar crimes relacionados a licitações e disciplinar itens do assunto às três esferas de governo: União, estados e municípios, permite seguro-garantia nas licitações, o que pode contribuir para a redução de obras inacabadas, por exemplo.

“Podemos afirmar que a nova lei de licitações tem méritos e poderá ampliar a segurança jurídica, caso seja bem aplicada pelos gestores e órgãos de controle pelo Judiciário.”, conclui.

Gostou de “O que o mercado pode esperar da Nova Lei de Licitações??

Foto de Markus Spiske no Pexels

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

USP cria plataforma para conectar inovação e empreendedorismo

Projeto pioneiro no País, Hub USP Inovação visa a fomentar empreendedorismo, parcerias com startups, empresas e comunidades de negócios disponibilizando informações de docentes, patentes, programas, laboratórios e incubadoras espalhadas pelas 42 unidades de ensino e pesquisa da universidade

A Universidade de São Paulo (USP) vai lançar amanhã, dia 9 de abril, uma plataforma com foco em inovação e empreendedorismo para facilitar a conexão entre o ambiente acadêmico, organizações voltadas para pesquisa, startups, comunidades de negócios, órgãos governamentais e a sociedade civil.

Idealizada para fomentar parcerias e disseminar o conhecimento técnico de uma das maiores universidades do mundo, a  plataforma Hub USP Inovação (hubusp.inovacao.usp.br) oferece informações detalhadas sobre iniciativas em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D&I) de organizações, programas, laboratórios e incubadoras ligadas à USP.

“A USP é a primeira universidade no Brasil a ter um projeto desse tipo, que reúne e disponibiliza numa plataforma suas iniciativas, competências e tecnologias geradas em suas 42 unidades de ensino e pesquisa, distribuídas em sete campi em todo o estado de São Paulo”, afirma o Professor Marcos Nogueira Martins, coordenador da Agência USP de Inovação (AUSPIN), órgão responsável pelo projeto. “O Hub USP Inovação traz um levantamento abrangente de todas as áreas da universidade e estamos cadastrando as competências, serviços tecnológicos e equipamentos de cada um dos 5.300 professores atuais, além do legado representado pelas quase 1.200 patentes registradas pela USP, todas classificadas”, acrescenta Nogueira Martins.

Fruto de um trabalho integrado, sob supervisão da Agência, a plataforma foi alimentada com a colaboração dos laboratórios, docentes, institutos de pesquisa e Pro-Reitorias. O algoritmo para a ferramenta de pesquisa da plataforma, por exemplo, foi desenvolvido com participação do USPCodeLab, grupo de extensão universitária que tem como objetivo estimular a inovação tecnológica da USP, formado por alunos de graduação, pós-graduação e professores, que se originou no Instituto de Matemática e Estatística.

Com uma busca simples na plataforma, uma empresa ou instituição poderá encontrar projetos e especialistas que procura. Por exemplo, se uma empresa está interessada em um projeto de biotecnologia desenvolvido na USP ou em encontrar os especialistas nesta área, basta digitar “biotecnologia” no campo da busca e encontrará todas as competências, laboratórios e docentes associados ao tema.

De acordo com a Professora Geciane Porto, vice-coordenadora da AUSPIN, a plataforma foi desenhada para facilitar a aproximação da universidade com o setor produtivo interessado em desenvolver soluções tecnológicas relevantes. “Para uma empresa, inovação representa sobrevivência a longo prazo e o Hub oferece uma porta de entrada para identificar que tipo de solução existe na universidade para a necessidade que essa empresa procura”, afirma Geciane.

Na plataforma, há uma separação por áreas de busca para facilitar a navegação. São elas: Iniciativas, P&D&I, Competências, Educação, Empresas e Patentes. Na aba “Iniciativas”, por exemplo, o usuário poderá encontrar editais, programas e as estruturas da USP para fomento do empreendedorismo e inovação, como as incubadoras e parques tecnológicos. Em “P&D&I”, há diversos laboratórios, organizações e programas de desenvolvimento para consulta. Na aba de “Competências”, há a separação por área de conhecimento, facilitando a busca por informações na USP pela comunidade externa.

Em “Educação”, há várias possibilidades de busca para cursos de graduação e pós-graduação, com foco em Inovação e Empreendedorismo, oferecidos pela universidade. A aba “Patentes” reúne as patentes da USP que estão disponíveis para que empresas e organizações possam licenciar para aplicação e uso, inclusive aquelas que se encontram em domínio público.

A área de “Empresas”, por sua vez, reflete todo o peso da USP no desenvolvimento do setor produtivo brasileiro. Ali é possível encontrar cerca de 1.700 empresas e startups formadas por alunos e ex-alunos da USP, ou que passaram por processo de incubação na Universidade, as quais são identificadas com a marca DNA USP. Para se ter uma ideia da importância da marca, 7 dos 15 unicórnios (startups avaliadas em pelo menos 1 bilhão de dólares) brasileiros têm DNA USP: Nubank, 99, Gympass, iFood, C6 Bank, Wild Life e Loggi. “São empresas que foram fundadas por alunos e ex-alunos ou são fruto de algum projeto ou pesquisa da universidade ou passaram por alguma das incubadoras da USP”, acrescenta Geciane.

O lançamento do Hub USP Inovação ocorrerá por meio de um evento online às 11h de sexta-feira, dia 9, com a presença do Reitor Vahan Agopyan, além de personalidades acadêmicas e do setor produtivo. “Nosso objetivo é consolidar, cada vez mais, a USP como uma universidade que inova e empreende”, conclui o professor Nogueira Martins.

Após o evento online de lançamento da plataforma, às 11h30 de sexta-feira, o canal da AUSPIN no YouTube vai transmitir uma edição especial do projeto “Fala, Inovação”, um webinar para discutir perspectivas de qualificação profissional e da educação para a inovação e empreendedorismo.

Com a moderação do jornalista Herton Escobar, do Jornal da USP, os especialistas Fernando Shayer e Milton Daré vão conversar sobre experiências bem-sucedidas, perspectivas e desafios da sociedade na formação de profissionais inovadores e empreendedores e como a Universidade deve se preparar para atender novas demandas e qualificações requeridas.

ATENÇÃO:
O link do Hub USP Inovação só estará disponível a partir do dia 9 de abril. Até lá, para navegar e conhecer as funcionalidades da plataforma, acesse o link provisório:
hubuspinovacao.if.usp.br
PARA AGENDAR
Lançamento da plataforma Hub USP InovaçãoData: sexta-feira, 9 de abril de 2021
Horário:  11h
Transmissão ao vivo pelo canal da AUSPIN no YouTube:
https://youtu.be/0ivJpqthTwk

NA WEB:Hub USP Inovação (a partir do dia 9 de abril)
hubusp.inovacao.usp.br
Contato
hubuspinovacao@usp.br

Gostou de “USP cria plataforma para conectar inovação e empreendedorismo?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Cursos de moda podem ser saída para a crise econômica

Com mais de 809 novas empresas criadas no Grande ABC, ao longo de 2020, setor têxtil é opção para moradores da região metropolitana de São Paulo que buscam mudar de área para fugir do desemprego e iniciar seu próprio negócio. Confira sobre oportunidade de cursos de moda.

A crise da pandemia agravou um problema que se arrastava há alguns anos no país: a alta taxa de desemprego. Atualmente, são quase 14 milhões de desempregados, cerca de 13,9% da população economicamente ativa do Brasil (dados do IBGE referentes ao último trimestre de 2020). Uma das saídas para quem está em busca de renda é o empreendedorismo.

Segundo o Mapa das Empresas, divulgado em fevereiro pelo Ministério da Economia, houve um aumento significativo da criação de novos negócios durante a pandemia na região do Grande ABC: foram 53.473 novas empresas abertas nas cidades de São Caetano do Sul, Diadema, São Bernardo do Campo, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Santo André. Em 2019, o número foi de 45.948, uma alta de 16%. O setor têxtil no que diz respeito aos segmentos de fabricação, facção e confecção de roupas e acessórios de vestimenta contou com 809 novas empresas em 2020 ante 705 em 2019. Os dados de 2021 contemplam apenas o mês de janeiro, com 6.293 empresas abertas na região, sendo 118 do setor têxtil.

Porém, aqueles que recorrem a esta alternativa podem encontrar dificuldade em função da falta de capacitação. Nesse sentido, cursos voltados para atuação no mercado têxtil e da moda, que estão entre os setores com maiores oportunidades ao trabalho autônomo, são uma ótima opção por oferecerem retorno rápido e a preços acessíveis.

No Grande ABC, por exemplo, é possível encontrar unidades da Escola de Moda Sigbol em Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul que oferecem cursos a partir de R$ 243 mensais. “Buscar aprendizado nunca é demais, e quando essa profissionalização dá retorno financeiro é melhor ainda”, explica Aluizio de Freitas, diretor da rede Sigbol. “Os alunos começam com qualquer nível de capacitação e têm aulas que acompanham sua evolução de forma flexível. Em menos de um mês, com peças e produtos produzidos nas aulas, é possível começar a ganhar dinheiro entre os vizinhos, amigos e familiares”, finaliza.

Este foi o caso da Flávia Cezar, uma microempreendedora que, ao perceber a escassez das oportunidades na área administrativa, tirou o sonho de aprender costura criativa do papel e inscreveu-se no curso da Escola de Moda Sigbol, adaptou seu negócio, o ateliê Giz de Algodão, em um cômodo de sua casa.

“Produzo necessaires, máscaras e até artigos para animais de estimação. Tenho sempre uma encomenda para fazer”, declara Flávia.

O bom momento vivido pelo segmento têxtil não se restringe à região do ABC. Em âmbito nacional, foram 3.359 milhões de empresas abertas no Brasil ao longo de 2020, ante 1.044 milhão fechadas, terminando o ano com saldo positivo de 2.315 milhões. Desses, cerca de 200 mil foram no segmento têxtil de vestuário e acessórios, uma alta de mais de 11% em relação ao ano anterior.

A Sigbol possui mais de 52 anos de atuação e é responsável pela capacitação de cerca de 130 mil pessoas em todo o país.

Sobre a Sigbol

A Sigbol oferece cursos especializados em moda. A rede concentra 30 unidades no estado de São Paulo e Goiás. A marca foi a primeira a oferecer esse tipo de curso no país, com início em 1969. Nos 52 anos de atuação, a Sigbol já formou mais de 130 mil alunos. Os cursos variam de aprendizados básicos em corte e costura a cursos de criação e design, como moda pet, moda praia, e desenho técnico. Recentemente, a rede lançou o curso de Corte e Costura completamente online, uma forma de driblar a pandemia e alcançar novos mercados.

Gostou de “Cursos de moda podem ser saída para a crise econômica?

Alunos em aula na Escola de Moda Sigbol. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Rede fecha parceria com iFood para reduzir efeitos a franqueados

Estratégia da rede Calzoon Sucos e Calzones garante taxas menores e posição de destaque para as unidades da marca. Confira sobre a rede fecha parceria com aplicativo iFood.

Diante das novas medidas anunciadas para barrar a propagação da COVID-19 que vedam o atendimento presencial de restaurantes e impedem até mesmo que o cliente retire alimentos no local, grandes redes do segmento de alimentação buscam alternativas para minimizar os efeitos das restrições junto a seus franqueados. Dentre as estratégias adotadas pelas marcas está o fortalecimento de parcerias com players digitais.

Esse é o caso da Calzoon Sucos e Calzones, rede de fast food que comercializa mais de 15 opções da massa italiana recheada, que fechou um contrato de exclusividade o iFood. A medida é mais do que necessária, afinal o último trimestre de 2020 registrou impacto negativo de 3,9% no número de franquias abertas no setor. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), foram criadas 10,8 mil novas unidades, ante 12,2 mil no mesmo período de 2019. 

A ação visa garantir benefícios para os franqueados e, assim, favorecer o funcionamento das lojas e o atendimento de clientes durante o período crucial de lockdown que alguns estados brasileiros estão enfrentando.

“Essa parceria posiciona as unidades da marca em espaço de destaque na vitrine do aplicativo, uma vantagem aos franqueados em relação aos concorrentes que utilizam o iFood sem qualquer vínculo contratual”, explica o CEO e Gestor da Calzoon, Bruno Jerke. Os franqueados também contam com taxas menores e ferramentas de relatórios de vendas, planejamento e gestão de ações e promoções.

Sobre a Calzoon Sucos e Calzones
A Calzoon Sucos e Calzones, é uma rede de franquias especializada em calzones, sucos e açaí, que tem o objetivo de popularizar o calzone por todo o Brasil. Com um crescimento de 800% em contratos fechados no segundo semestre de 2019, a rede catarinense prevê a abertura de mais 150 novas unidades em todo o país até o final de 2020.

Além de ser prático para o consumo, o calzone também oferece vantagens para quem vai operar a franquia. O produto chega na loja pronto e congelado, e o franqueado deve focar apenas em assar o calzone no forno e no atendimento ao cliente. Essa facilidade de operação tem atraído diversos investidores que desejam entrar para o segmento mais forte do franchising, mas evitam franquias que exigem alta manipulação e preparo dos alimentos.

Criada em 1999, e sob nova gestão desde 2018, o investimento inicial em uma franquia da Calzoon Sucos e Calzones é a partir de R$ 162 mil, com previsão média de retorno em 24 meses e faturamento médio de até R$ 120 mil.

Gostou de “Rede fecha parceria com iFood para reduzir efeitos a franqueados?

Bruno Jerke, CEO da Calzoon Sucos e Calzones. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Quais empresas estão cuidando da saúde mental dos colaboradores

Pandemia intensificou insônias, bruxismo, pânico e burnout e executivos contam estratégias e preocupações com saúde mental dos colaboradores para evitar esses problemas

A adesão ao home office desde o início da pandemia, trouxe diversos benefícios para as empresas, como redução de gastos dentro do escritório e mais tempo para a família, casa e hobbies, há muitos inclusive que afirmam que seus rendimentos e criatividade melhoraram com o trabalho remoto. No entanto, muitas pessoas moram sozinhas e sentem falta de um contato interpessoal, ou então, acabam trabalhando mais do que deveriam, por não ter compromisso de bater ponto ou chegar ao transporte público a tempo, e o motivo principal e que afeta a todos: quando isso tudo vai passar?

São inúmeros os motivos que têm elevado crises de ansiedade, problemas com sono, depressão, entre outros. Preocupados com a situação e buscando evitar esses transtornos, algumas empresas contam o que estão fazendo para melhorar a qualidade de vida de seus colaboradores durante esse período de afastamento social. Segundo com Ingrid Cancela, psicóloga na TopMed, para quem atua em cargos de gestão, ser emocionalmente saudável e exercer inteligência emocional pode facilitar o desempenho do papel de liderança, estimular a proatividade, a percepção e a confiança para tomar as decisões necessárias.

De acordo com levantamento realizado pelo Zenklub, maior plataforma de saúde emocional e desenvolvimento pessoal do País, o número de companhias que contrataram os serviços da healthtech aos seus funcionários aumentou 183% nos primeiros dois meses de 2021 ante o mesmo período do ano passado. Nas sessões em 2020, as menções aos temas carreira, procrastinação e produtividade aumentaram, respectivamente, 6349%, 347% e 75%.”Nosso papel é mostrar que o cuidado com o profissional não deve ser só de maneira reativa mas, sobretudo, preventiva”, destaca o CEO do Zenklub, Rui Brandão. 

Confira o que 10 empresas estão fazendo em relação à saúde mental dos colaboradores, além de dicas de CEOs:

Tembici

Para Maurício Villar, COO e co-fundador da Tembici, líder em micromobilidade na América Latina, a administração do tempo é fundamental para a qualidade de vida, especialmente durante a pandemia: “Meus horários estão muito mais rígidos que antes da pandemia. Reservei na agenda 1 hora por dia para leitura de livros variados, não apenas de negócios e 2 horas por dia para ficar com a família, tenho uma filha de 1 ano e é primordial o tempo que passo com ela. Vejo como muito importante a separação clara dos momentos para as frentes profissional e pessoal. Como a divisão de espaço foi quebrada, por conta da pandemia, é importante reforçar a administração do tempo. Outro conselho que dou é para, se possível, buscar ajuda profissional. Faço terapia há mais de 4 anos e esse acompanhamento tem sido fundamental nesse momento tão desafiador”, conta o executivo. A Tembici também disponibiliza aos colaboradores o “Tem Apoio”, um auxílio psicológico, financeiro, jurídico e assistência social.

EmCasa

Gustavo Vaz, CEO da EmCasa, startup de compra e venda de imóveis, revela que durante a pandemia começou a treinar para o Ironman 70.3, que é uma prova de triathlon com 1,9km de natação, 90km de bicicleta e 21km de corrida. A alta rotina de treinos, que demanda de 15 a 20 horas por semana, ajuda o executivo a manter a mente saudável, principalmente, nesse cenário e com tantas coisas que geram estresse ao longo do dia.  A alimentação vegetariana e a disciplina de dormir 8 horas por dia também colaboram bastante para manter a mente e o corpo em equilíbrio.

LemoneyWay 

Sérgio Ferrari, CEO da LemoneyWay, holding especializada em gerar soluções em cashback para empresas, aposta em meditação pela manhã, de 30 minutos, diariamente. Além disso, exercícios físicos em casa como spinning, por exemplo, cinco vezes por semana, completam a rotina aeróbica do faixa preta de jiu-jitsu, que está afastado do tatame durante a pandemia. “Ter um tempo para minha família também é uma forma de manter minha saúde mental. Então, todos os dias, separo uma hora para brincar e curtir eles”, conta. O especialista em cashback aposta em ferramentas online para se organizar. Para ele, esta é a melhor maneira de identificar suas prioridades e, assim, concluir suas tarefas.  

Pravaler

Carlos Furlan, CEO do Pravaler, maior plataforma de soluções financeiras para educação do país, combina a prática de atividade física diária com uma boa noite de sono. Todos os dias, ele dorme 7 horas por noite e antes de iniciar o trabalho, faz 45 minutos de exercício. Além disso, entre 12h30 e 14h não marca nenhuma reunião. “Ter um tempo para cuidar da saúde é fundamental para manter o equilíbrio dessa nova rotina de trabalho em casa. Escolhas como almoçar no mesmo horário e ter alguns espaços na agenda, para mim, fazem muita diferença, principalmente nos dias mais agitados”, explica.

mLabs

A maior plataforma de gerenciamento de mídias sociais do Brasil conta com o #juntosnaquarentena, um canal interno para o time conversar sobre a quarentena, trocar experiências e se apoiar. Paralelo a isso, os colaboradores têm uma psicóloga 100% disponível para acolher, ouvir, direcionar e conversar com eles. A mLabs também promove palestra, workshop, bate-papo, live coding e debates sobre diversos assuntos, além de celebrar, via online, datas comemorativas como carnaval(concurso de melhor fantasia), dia das mães, Páscoa(envio de cartão e ovos de chocolate), Festa Junina, Orgulho LGBTQ+, entre outras. E proporcionando cada vez mais equilíbrio entre corpo e mente, a mLabs disponibiliza, semanalmente, aulas online de ginástica laboral, com atividades físicas alinhadas à necessidade do time. 

vhsys

A empresa de tecnologia que desenvolve sistema descomplicado para micro e pequenos negócios tem proporcionado lives com humoristas, psicólogos, festividades online, para minimizar os efeitos do distanciamento social. Além disso, a empresa tem realizado pesquisa periódica para saber como estão os colaboradores e como a empresa pode melhorar para ajudá-los e, ainda, disponibiliza uma escala de humor. Por meio dela, é possível o colaborador, caso queira, dizer se está triste ou feliz no dia. Essas avaliações de humor, que são feitas através de uma ferramenta contratada pela vhsys, são recebidas e acompanhadas online pelos gestores diretos e também pelo RH, para que possam entrar em ação quando preciso. A vhsys também disponibiliza como benefício um serviço de terapias online gratuitas através da plataforma Zenklub, onde além de contar com terapeutas via online, há uma série de conteúdos sobre bem estar. E unindo saúde física e mental aos colaboradores, a startup proporciona ainda benefício por meio da Gympass, em que é possível fazer aulas de atividades físicas online e também fazer modalidades de academias com descontos quando esse tipo de atividade está liberada presencialmente. 

Intuit QuickBooks

Desde o começo da pandemia, o bem estar dos funcionários segue sendo a maior preocupação da Intuit QuickBooks. A fintech, que desenvolve sistemas de gestão para contadores e pequenas empresas, foi uma das primeiras a estabelecer o home office no Brasil. A Intuit também liberou recursos para os funcionários comprarem móveis e equipamentos para montar estações de trabalho funcionais e confortáveis. A lista de preocupações incluiu, ainda, licença remunerada para cuidar de filhos e parentes próximos e incentivo para deixar, ao menos, um dia da semana livre de reuniões para focar no desenvolvimento de projetos e na execução de tarefas diárias. Já faz alguns meses que a Intuit estabeleceu que o trabalho presencial não seria retomado antes de agosto e seria feito gradativamente na medida em que os colaboradores se sentissem seguros e confortáveis para isso. A empresa levou em conta uma pesquisa global com os funcionários para optar por uma jornada de trabalho híbrida. 90% deles valorizavam não ter que se deslocar até a empresa e ter mais tempo para trabalhar sem interrupções e 75% reportaram sentir falta das conexões humanas ao longo do dia.

“Vamos abraçar este momento com o objetivo de aprender, entender, receber feedback e mudar a rota, caso seja necessário. Colocando a saúde dos nossos colaboradores em primeiro lugar, avançaremos com o modelo híbrido na medida em que o cenário externo permitir a segurança do nosso time e suas famílias”, destaca a head de Recursos Humanos da Intuit, Flávia Molina. 

EF English Live

EF English Live, maior escola de inglês online do mundo, completou um ano com todo o time trabalhando em home office. Desde o início, a empresa promoveu ações como aulas de dança, culinária, exercícios respiratórios, happy hour online, estreitando dessa forma a integração, visando trazer mais leveza. A empresa também desenvolveu uma cartilha sobre saúde mental para os colaboradores e o programa Mão Amiga, oferecendo atendimento psicológico gratuito para os funcionários. Foram disponibilizados equipamentos como desktop e cadeiras para quem não possuía e a empresa também flexibilizou os benefícios pensando neste novo modelo, conforme a necessidade de cada colaborador. A escola decidiu retornar somente quando a situação da pandemia estiver controlada e segura para todos. 

“Aprendemos muito no último ano, descobrimos um novo modelo de trabalho e nossa maior preocupação durante esse período sempre foi trazer mais leveza para a rotina dos nossos colaboradores, promovendo ações em que eles pudessem se desconectar e se sentir acolhidos, destaca Wagner Domingues, gerente de RH Brasil e Latam da EF English Live. “Entendemos que a saúde mental de cada funcionário é essencial para o desenvolvimento pessoal e profissional de cada um”. 

Fashion Masks 

Brenno Faro, CEO da Fashion Masks, startup de moda criada em meio a pandemia, pratica yoga três vezes por semana, medita com aplicativos e utiliza a academia do prédio onde mora com horário marcado. Além disso, para manter a saúde mental em dia, o jovem manteve um hábito antigo: fazer terapia toda semana. “Não abro mão da terapia, nesses tempos de pandemia, faço online”, conta Brenno. O CEO também ressalta a importância de se manter próximo às pessoas que ama. “Ligo muito para os meus amigos e família, converso bastante sobre as preocupações. Acho que isso me mantém tranquilo para tomar boas decisões”. 

OiMenu

Isaac Paes, CEO do OiMenu, startup de autoatendimento para bares e restaurantes, revela que aproveitou a quarentena para colocar os livros em dia, passar mais tempo com a família e brincar com o filho, além de voltar a praticar culinária. Como já foi proprietário de restaurantes, Isaac agora aproveita o tempo para voltar a praticar técnicas gastronômicas dentro de casa – tanto as mais complexas, quanto simplesmente fazer pratos comuns para compartilhar com a família. Para ele, a cozinha é um hobbie que acalma a mente e distrai os pensamentos – tudo com a ajuda dos aromas e sabores que são a sua paixão.  Outro hábito incorporado pelo CEO foi a meditação, que o ajuda a se manter no presente e reduzir a ansiedade diária.

Gostou de “Quais empresas estão cuidando da saúde mental dos colaboradores?

Burnout e saúde mental dos colaboradores. Foto de Nataliya Vaitkevich no Pexels

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Apenas 5% das startups são fundadas por mulheres, aponta pesquisa

Dados da Pesquisa Female Founders Report, conduzida pelo Distrito, na qual aborda startups fundadas por mulheres, será pauta do painel “Diversidade e Impacto Social: Oportunidades financeiras e de transformação social”, no Fintouch, maior evento da ABFintechs

Segundo pesquisa realizada pelo Distrito em parceria com a B2MAMY e Endevor, 4,7% das startups são fundadas exclusivamente por mulheres, enquanto 5,1% são co-fundadas por mulheres (fundação mista entre mulheres e homens). Do outro lado, o número de empresas com apenas fundadores homens é quase 20 vezes maior – mais de 90% das startups no Brasil ainda são fundadas apenas por homens. Ao olhar especificamente para o número de mulheres negras nesse ecossistema, o dado é ainda menor, apenas 19%.

A urgência do debate será pautada durante o Fintouch, maior evento no calendário da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs) e o maior do Brasil focado em fintechs. O painel “Diversidade e Impacto Social: Oportunidades financeiras e de transformação social” será liderado por Fernanda Ribeiro, Líder de Diversidade na AbFintech, Presidente na Afrobusiness Brasil e Co-fundadora da Conta Black, além de Lilian Natal, do  Distrito, Dani Junco, da B2MAMY e Anita Fiori , do BID. 

“Precisamos bater na tecla da diversidade como inclusão social e estratégia de negócios. Afinal, ao não investirem em negócios liderados por mulheres, em especial, as negras, todos perdem a chance de ter um portfólio diverso e com altíssimo potencial de ganhos, inovação e sustentabilidade”, aponta Fernanda Ribeiro. 

Negócios de impacto social são repletos de inovação, escalabilidade e lucratividade. Um exemplo disto está na própria Conta Black, fundada pela executiva, que é uma comunidade financeira que se propõe em resolver o desafio da desbancarização e consequentemente a exclusão financeira. Ambas responsáveis pela desigualdade social.

“Precisamos iniciar de imediato uma jornada de inclusão, a partir da diversificação de investimentos e inclusão de mulheres em boardings e conselhos. Tenho esperança de que o atual momento possibilite uma reflexão mais profunda, que leve por fim, a uma transformação desse cenário”, reforça. 

Fintouch

Com o tema “Vamos encontrar juntos as respostas para os desafios das fintechs em 2021 e 2022?”, a programação do Fintouch 2021 contará com a participação de nomes de referência nacionais e internacionais do ecossistema de inovação e serviços financeiros. O encontro, marcado para os dias 15 e 16 de abril, das 9h às 18h, e acontecerá pela primeira vez de forma totalmente online. 

Mantendo a excelência dos conteúdos, o evento abordará assuntos para além do painel sobre “Diversidade e Impacto Social: Oportunidades financeiras e de transformação social”, tais como Tokenização de Ativos; CBDC, Stablecoins e Corporate Coins; Open Finance; Identidade Digital para Fintechs; Serviços e Produtos para Desbancarizados; AgFintechs: Regulação, Crédito de Carbono, Empresas ESGs; Regulação; Como se conectar com Organizações Internacionais para captar investimentos e Parcerias fora do Brasil; dentre outros. Para saber mais acesse: https://www.abfintechs.com.br/fintouch.

Sobre a ABFintechs

A Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), fundada em 2016 por empreendedores de quatro fintechs, possui cerca de 400 associadas e tem como missão garantir que o maior número possível de Fintechs se tornem realidade como negócio, além de fazer do Brasil uma referência em inovação no setor financeiro, passando a ser um fornecedor para o mundo de inovação disruptiva em finanças.

Com importante papel no desenvolvimento de questões regulatórias, a Associação realiza um trabalho próximo a Agências Reguladoras e Autarquias como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Banco Central do Brasil (BCB), Superintendência de Seguros Privados (Susep), Ministério da Economia, dentre outras, com importantes conquistas alcançadas até o momento como a Instrução CVM 588Resolução 4656 do BC e Sandbox regulatório. Conta com representantes no Comitê Nacional de Iniciativas de Apoio a Startups, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, foi indicado como órgão oficial na estrutura de governança do Open Banking no Banco Central.

Gostou de “Apenas 5% das startups são fundadas por mulheres, aponta pesquisa?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Rede cresce 100% em 2020 e lança modelo de negócio em contêiner

Aposta em um modelo de negócio em contêiner, mais acessível financeiramente e com maior mobilidade de deslocamento, deve levar Campinas Celulares a novos territórios pelo País

Enquanto alguns setores do comércio tentam se recuperar do baque que foi 2020, há quem projete um sólido crescimento para 2021, sobretudo depois dos resultados conquistados no ano passado.

Aqueles considerados essenciais, como alimentação, logística, abastecimento e serviços gerais mantiveram as portas abertas e, alguns, viram os seus negócios crescerem e se expandirem de forma exponencial. Quem figura nessa lista é a Campinas Celulares, uma rede de assistência técnica que atende as principais marcas, como Apple, Samsung, LG, Motorola, Xiaomi e Asus.

Fundada no interior de São Paulo em 2009, a rede soube aproveitar as condições atípicas do último ano e dobrou o faturamento e a quantidade de lojas. Os R$ 2 milhões conquistados em 2019 se transformaram em R$ 4,5 milhões em 2020 e oito novas lojas foram inauguradas nos últimos 12 meses, chegando a 15 unidades, que estão localizadas além dos limites da cidade e região metropolitana de Campinas. Para 2021, a rede começa o ano com uma novidade que deve impulsionar os planos de expansão: o lançamento do modelo em formato contêiner. 

A formatação desse negócio surgiu de uma demanda que um novo franqueado sentiu quando, com dificuldade de achar um ponto vago num shopping em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte, percebeu que, se não havia espaço para alocar dentro do mall, era possível, então, instalar a loja na área externa, como no pátio do estacionamento.

Foi nesta sacada que as três partes do negócio se beneficiaram: o franqueado, que instalou a primeira unidade da Campinas Celulares fora do estado de São Paulo; o estabelecimento, que deu nova utilidade para um espaço vago e passou a oferecer mais opções de lojas para o consumidor; e a rede, que viu ali uma oportunidade de desenvolver um novo formato que, em tempos de crise e instabilidades, como a que se desenha para 2021 em virtude dos efeitos de 2020, tem potencial ainda maior de impulsionar os planos de expansão. 

Oportunidade e demanda, a criação de um novo modelo

Considerado serviço essencial a partir da segunda quinzena de abril, redes de lavanderia, limpeza, manutenção e assistência técnica foram autorizadas a funcionar no estado de São Paulo e, com as portas abertas, as lojas da Campinas Celulares viram o faturamento crescer em mais de 30% durante toda a pandemia.

A justificativa é simples: na incerteza do futuro e na dependência dos aparelhos eletrônicos para as mais diversas atividades cotidianas, de trabalho e estudo às compras no supermercado e videochamadas com pais e amigos, a opção mais segura foi investir no reparo ao invés de comprar novos equipamentos. E se as lojas de rua conseguiram se manter bem, as de shopping centers sentiram um pouco mais o impacto com os estabelecimentos fechados e foi preciso driblar a crise indo atender nos estacionamentos. 

Foi assim, diante de um contexto pandêmico que se desenrolou ao longo de todo o ano de 2020, somado à ideia do novo franqueado, que Clayton Mangulin, CEO e fundador da rede, percebeu que o contêiner vinha bem a calhar para o modelo de negócio. De fácil implantação e mobilidade, o contêiner pode ser instalado em espaços abertos e estacionamentos de shoppings e supermercados, garantindo, assim, a rentabilidade dos investidores.

A primeira unidade, instalada em Nova Lima, marca, a partir de agora, um novo momento para a rede, que visa expandir os negócios para outras regiões do país além do entorno de Campinas. Os planos, apenas para este formato, é finalizar 2021 com mais 36 unidades, que deverão ser alocadas em cidades do interior do estado e regiões metropolitanas.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura

A trajetória do empreendedor por trás desse negócio rentável e próspero é Clayton Mangulin. Em 2003, aos 19 anos, colocou na cabeça uma ideia e traçou uma meta: ele teria sua própria assistência técnica de celulares. O estopim dessa vontade foi o primeiro emprego registrado que teve, como auxiliar de vendas numa loja do ramo num shopping center da região.

Idealizando o negócio e ciente dos esforços que tinha pela frente, passou a chegar todos os dias no trabalho 1h30 antes do expediente começar, só para, nesse período, aprender com o técnico da loja a arte de recuperar os aparelhos. Não foram poucas as brincadeiras que ouviu dos colegas, que os apelidaram de ‘caxias’, mas, para o jovem, isso não importava. A meta estava traçada. 

Oito meses depois, o técnico responsável se desligou da empresa e Clayton teve, então, a oportunidade de dar o primeiro grande passo: ele foi convidado a assumir o cargo do antigo colega. Foi assim que conseguiu aperfeiçoar seus conhecimentos e, em 2009, já em outro emprego e cursando o quinto semestre de uma faculdade de engenharia, resolveu largar tudo e se aventurar no negócio próprio. Com o valor da rescisão mais a economia de seis anos, investiu R$ 100 mil na primeira loja, no centro de Campinas, interior de São Paulo. Com um crescimento contínuo e duas unidades abertas, no final de 2014 Clayton formatou seu sonho em franquias e começou, então, uma tímida expansão. 

Em 2016 inaugurou a primeira loja fora da cidade natal, no centro de Indaiatuba e, no ano seguinte, em Sorocaba, em um shopping center. Crescendo de forma sólida e orgânica nos anos que se seguiram, em 2020 viu o boom acontecer: diante da imprevisibilidade de uma crise causada por um vírus, o setor, que permanecia de portas abertas e faturava em um ramo que foi responsável por manter as pessoas conectadas, o número de lojas saltou e a franquia abriu uma nova frente: quiosques dentro de supermercados e centro atacadistas. Hoje, com 15 unidades em funcionamento, aposta no modelo contêiner, que será instalado em locais de fácil acesso e de pouco uso nos estabelecimentos comerciais. Para quem começou o negócio apenas assistindo e hoje emprega mais de 60 pessoas, o futuro parece ser bem promissor. 

Gostou de “Rede cresce 100% em 2020 e lança modelo de negócio em contêiner?

Modelo de negócio em contêiner da Campinas Celulares

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Fique por dentro das novidades no mundo da tecnologia. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Consórcio ABC e Sebrae fecham parceria para Programa Travessia

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e as secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico das sete cidades da região estão lançando o Travessia Grande ABC – Fase 2. A iniciativa é um amplo programa para apoio aos empreendedores informais, MEIs e micro e pequenas empresas, com centenas de horas de qualificação e mentorias e consultorias nos mais diversos temas, visando apoiar os pequenos empreendedores da região na superação dos efeitos econômicos impostos pela pandemia.



Segundo o Sebrae, o Grande ABC possui mais de 280 mil pequenos empreendimentos, em sua maioria gravemente afetados pelos efeitos da pandemia, colocando em risco os aproximadamente 625 mil postos de trabalho gerados por estas empresas.

Desta forma, a parceria regional foca no fornecimento de soluções e apoio consultivo aos empreendedores dos setores mais afetados, tanto para o atual momento da fase emergencial com foco específico em controle de despesas e manutenção de faturamento através de vendas na internet, quanto para as aguardadas fases menos restritivas, em que muitas atividades terão que se reinventar e se adaptar à nova realidade.

Os setores contemplados pelo Travessia para o primeiro semestre foram indicados pelas Secretarias de Desenvolvimento das sete cidades do Grande ABC. Os setores inicialmente atendidos serão o da Alimentação (barracas, foodtrucks, restaurantes e similares), Beleza (manicures, cabeleireiros e similares), Varejo (lojas, vestuários, acessórios e similares), Confecção e Costura, Escolas (infantis, regulamentadas e cursos em geral), Turismo (guias, monitores, agências e similares) e o setor do Artesanato.

Outros setores também serão completados ainda neste ano, sendo o planejamento de novas turmas, a operação do programa e a medição dos resultados coordenados pelo Grupo de Trabalho (GT) Desenvolvimento Econômico do Consórcio ABC.

O momento é de união das cidades em apoio às atividades que sustentam o emprego e a renda no Grande ABC, destacou o coordenador do GT de Desenvolvimento Econômico, Fernando Cunha.

“Graças ao engajamento de cada secretaria municipal e do GT, conseguimos costurar e operacionalizar junto ao Sebrae este importante acordo, com 100% dos custos subsidiados pelo Sebrae, em benefício de centenas de empreendedores. Esta iniciativa se soma aos enormes esforços empregados por cada prefeito do Grande ABC no apoio às suas economias, para que não cheguemos a um cenário de verdadeiro colapso social pela falta de oportunidades de renda em nossa região”, disse Cunha.

O gerente regional do Sebrae Grande ABC, Paulo Cereda, ressaltou que, diante de mais um momento difícil da economia brasileira, a iniciativa vem ao auxílio de micro e pequenos empreendedores.

“A Fase 2 do Travessia Grande ABC é hoje o principal programa da Regional Sebrae, no oferecimento de um um verdadeiro socorro aos empreendedores da região para este grave momento”, disse Cereda.

Segundo pesquisa com empresários no Estado de São Paulo que participaram de programas similares do Sebrae, 78% desse público manteve ou aumentou seu faturamento, 93,9% das empresas atendidas permaneceram abertas e 93,3% mantiveram seus empregos. “Estes são os números que pretendem alcançar na região”, afirmou Cereda.

A primeira turma do Travessia Grande ABC – Fase 2 será direcionada para todos os setores econômicos e terá início em 15 de abril, com foco na travessia da atual fase emergencial. A partir de maio serão iniciadas as turmas estruturadas por setores econômicos.

A programação completa e as inscrições para todas as turmas deverão ser realizadas na página da Escola de Governo do Consórcio ABC. Dúvidas e mais informações também poderão ser esclarecidas por meio do Whatsapp no número (11) 4433-4278.

Gostou de “Consórcio ABC e Sebrae fecham parceria para Programa Travessia?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 600 outros assinantes

Como ser um bom vendedor? Especialista dá dicas

Mauricio Patrocinio, especialista em venda direta e marketing de relacionamento e CEO da NewAge Brasil, lista os principais diferenciais que o profissional da área tem que ter para se dar bem na carreira. Confira como ser um bom vendedor.

Vender é uma missão complicada e que exige uma série de habilidades, além de dinamismo e paciência. Não é preciso nascer com um dom. Para aqueles que querem se tornar um bom vendedor, tais características podem – e devem – ser desenvolvidas com o tempo, basta que se dediquem a certas competências e técnicas a serem adotadas para a boa conduta dessa profissão, que se tornou um grande diferencial competitivo para as empresas. Um bom vendedor, quando bem preparado e qualificado, faz muita diferença na hora vender um produto ou serviço. 

“Um bom vendedor é aquela pessoa ativa, incansável, que ama se relacionar com as pessoas. Uma venda é a consequência de um bom relacionamento e, sobretudo, da confiança. Então, para ter sucesso nessa profissão, é preciso saber ouvir e se relacionar, além de ser positivo, humilde, persistente e perseverante. Alegria e amor pelas pessoas e pelo o que faz são indispensáveis”, explica Mauricio Patrocinio, empreendedor, especialista, há 27 anos, em venda direta e marketing de relacionamento, autor do livro “Relacionamentos enriquecem” e CEO da NewAge Brasil, que trabalha com consultores especializados em todo o Brasil, dando a oportunidade de pessoas abrirem seu próprio negócio e criarem independência financeira em tempos de crise.

Saiba escutar mais e falar menos – demonstre interesse verdadeiro

O simples vendedor empurra, promete, é inconveniente e não respeita o seu cliente. Um dos hábitos principais a serem adotados por um excelente vendedor é demonstrar interesse verdadeiro por ele também de maneira pessoal, perguntar sobre a vida dele e, principalmente, escutá-lo, a fim de criar um vínculo com ele. “Mande uma mensagem, faça uma ligação, o convide para um café ou almoço… esteja sempre por perto. Se interesse mais com a satisfação de seu cliente do que com o dinheiro que você pode ganhar com ele. O dinheiro será consequência”, comenta Mauricio. 

Não chegue ao não definitivo – Não insista, saiba a hora de puxar uma venda e a hora de esperar

Além de saber ouvir o cliente e se relacionar com ele, é necessário que o vendedor tenha também paciência, disciplina e organização na hora de vender. “O excelente vendedor é aquele que age e espera o tempo do cliente até agir de novo. Mesmo que o cliente não faça nada. Saiba sempre que nem todos desejarão seus produtos ou serviços na hora que você quiser. Mas um ‘não’ hoje pode ser um ‘sim’ duradouro depois. Portanto, respeite o tempo dos clientes e consumidores. Hoje, eles querem estar no controle e não se sentir acuados com a pressão e insistência de um vendedor”, aconselha o empresário.

Promover treinamentos e prezar pelo bem-estar são fundamentais para formar bons vendedores

As empresas as quais os vendedores trabalham também devem adotar práticas para incentivá-los como profissionais e para que busquem oferecer o melhor tratamento para os clientes, com amor e alegria pelo o que fazem. Essa prática é adotada e muito valorizada pelo CEO da New Age Brasil, que trabalha com consultores de venda direta especializados em todo o Brasil. “Ao entrarem no negócio, todos os consultores ganham o meu livro, ‘Relacionamentos Enriquecem’, e participam de treinamentos intensos para saber como entender os clientes, além de, é claro, conhecer os produtos. Mas, para nós, mais importante do que conhecer os produtos é conhecer os clientes. Além disso, semanalmente, fazemos mentorias coletivas e, diariamente, mentorias individuais, a fim de auxiliarmos cada consultor a romper suas barreiras e se superar”, explica.

Além disso, Mauricio também dá prioridade à saúde e ao bem-estar de todos os seus consultores, para que, de fato, ofereçam um serviço de excelência e qualidade para os clientes. “Os excelentes vendedores também têm seus dias tristes e irritados. E, nestes dias, o melhor é ficar em casa, ir ao parque, se distrair, entender o que está acontecendo, digerir e recarregar. Quando a força for retomada, aí sim é hora de sair para a rua novamente e brilhar”, comenta o empreendedor. 

Por fim, Patrocinio, que também é especialista em felicidade e relacionamentos interpessoais, afirma que é preciso alimentar a mente com positividade e alegria para exercer a profissão de maneira assertiva e prazerosa, tanto para o vendedor, como para o cliente.  “A nossa energia deve ser bem alimentada igual nosso corpo. Se a gente come mal, nosso organismo não funciona direito, correto? O mesmo acontece se não alimentarmos nossa mente e nossa energia”, explica. “Ler livros positivos, ouvir áudios edificantes, exercitar a espiritualidade e a fé – independente da crença -, meditar, ouvir músicas relaxantes nos momentos de relaxar e músicas motivadoras no momento da ação são práticas que fazem toda a diferença. E, sobretudo, exercitar o amor-próprio e a autoestima, saber que você é merecedor do sucesso e que tudo é uma questão de números e de melhorias constantes. Quanto mais fizer, mais sucesso terá, é um funil”, finaliza.

O especialista Maurício Patrocinio. Foto: Divulgação

Sobre Mauricio Patrocinio

Empresário, palestrante e escritor dos livros “Por que as pessoas não são felizes?” e “Relacionamentos enriquecem”. É especialista em felicidade e ajuda pessoas a encontrarem o caminho dela, por meio de planejamento personalizado. Além disso, é especialista há 27 anos em venda direta e marketing de relacionamento, CEO da NewAge Brasil, que trabalha com consultores especializados em todo o Brasil, dando a oportunidade de pessoas abrirem seu próprio negócio e criarem independência financeira em tempos de crise.

Gostou de “Como ser um bom vendedor? Especialista dá dicas?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Quatro dicas para se livrar das dívidas em 2021

Rodrigo Cohen, investidor profissional (CNPI-T) e co-fundador da Escola da Investimentos, é quem explica como acabar com o endividamento e aumentar o seu patrimônio a longo prazo; Confira quatro dicas para se livrar das dívidas.

Rodrigo Cohen. Quatro dicas para se livrar das dívidas em 2021. Foto: Divulgação

O endividamento é um problema recorrente na vida de muitas pessoas e inúmeras são as causas que levam as pessoas a contraírem dívidas, como o consumo excessivo, falta de renda,  empréstimos e má administração financeira. E, uma vez endividado, o mais difícil é sair dessa situação e controlar as finanças. De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o percentual de famílias endividadas no Brasil alcançou 67,3% do total em março deste ano, uma alta de 0,6 ponto percentual em relação a fevereiro e de 1,1 ponto em comparação a março de 2020. Mas, afinal, o que fazer para se livrar do endividamento?

Pensando em como ajudar os brasileiros a se livrarem das dívidas em 2021, Rodrigo Cohen, investidor profissional (CNPI-T) e co-fundador da Escola de Investimentos – instituição online lançada com o objetivo de democratizar o conhecimento do assunto e torná-lo acessível para todos -, aponta, a seguir, algumas dicas para que elas acabem com esse problema e consigam gastar seu dinheiro de maneira mais assertiva:

1. Compre sempre à vista

De acordo com Rodrigo, uma das coisas mais importantes para evitar o endividamento é comprar, sempre que possível, à vista. “A melhor forma de você não se endividar é comprando o que você pode, o que está dentro da sua realidade e não parcelar”, explica. “As parcelas de diversas compras podem se acumular de mês em mês e, com isso, gerar uma dívida significativa, impossibilitando assim, a conquista de novas mercadorias e novos produtos”, completa.

2. Busque aprender mais sobre Educação Financeira

A educação financeira tem um papel fundamental para ajudar as pessoas a evitarem o endividamento e, de acordo com o investidor, existem dois caminhos muito importantes a serem dados nesse sentido. “O primeiro é gastar menos do que você ganha e, para isso, se faz muito importante ter um controle financeiro e fazer um planejamento mensal, com números reais, com quanto é o seu salário e quanto você está gastando ao longo do mês”, comenta Cohen. O segundo passo, de acordo com o especialista, é o turning point, ou seja, a virada de jogo. “Isso acontece quando elas se capacitam e ganham cada vez mais, saem da zona de conforto e buscam um ganho proporcional ao que elas querem gastar ou ao que elas precisam gastar”, explica.

3. Guarde dinheiro e tenha uma reserva de emergência 

Rodrigo ressalta que, em paralelo a esses dois pontos citados acima, as pessoas também precisam guardar uma parte de seu dinheiro todo mês. “É muito importante fazer uma reserva de emergência e separar um dinheiro para investir, seja na compra de carteira de ações, gradativamente, em um fundo de investimentos ou até em tesouro direto, entre outras opções”, completa.

4. Caso contraia as dívidas, renegocie

Outra forma de se livrar das dívidas, uma vez que elas forem contraídas, é a renegociação. E, na hora de negociar, é fundamental saber quais taxas estão cobrando e ficar atento ao número de parcelas proposto. “É importante que você coloque suas dívidas maiores em parcelas menores, para que você consiga pagar logo. Nesse momento, você não poderá comprar nada novo, não poderá gastar com nada a mais. Porém, em compensação, quando acabar, você vai ter aprendido a não se endividar novamente e a comprar só o que você realmente pode e consegue pagar”, afirma o co-fundador da Escola de Investimentos.

O especialista ressalta que, seguindo essas dicas, é possível acabar com o endividamento e, ainda, se tornar um investidor. “O importante é você conseguir tirar da sua frente essas dívidas e ter uma visão a longo prazo, para que possa se tornar, também, um investidor e construir seu patrimônio a partir disso, evitando gastar com besteira e, com isso, ter uma vida boa, feliz e plena. Ter uma visão de futuro é aumentar, cada vez mais, seu patrimônio para você e sua família”,  finaliza. 

Para mais informações sobre educação financeira ou inscrições nos cursos da Escola de Investimentos, basta entrar no site da instituição ou seguir o perfil de Rodrigo (@rodrigocohenoficial) e da escola no Instagram (@escoladeinvestimentosoficial).

Sobre Rodrigo Cohen

Formado em engenharia elétrica/computação, Rodrigo Cohen virou trader em tempo integral em 2013, quando tirou seu certificado de analista técnico de investimentos e entrou para o mercado financeiro em 2000. Idealizador da Escola de Investimentos e criador do método O Grande Plano, é responsável pela transformação de mais de 28 mil pessoas comuns em investidores nesse mercado. Atualmente, suas redes sociais (Youtube e Instagram) já somam mais de 730 mil seguidores e mais de 23 milhões de visualizações em 2020, com conteúdo prático que já gerou resultados gratuitamente para milhares de pessoas. Rodrigo trabalhou como analista na XP Investimentos e teve passagens pelo Portal do Trader e Rico Investimentos.

Gostou de “Quatro dicas para se livrar das dívidas em 2021?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece nas cidades do Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Companhias com melhor reputação 2020: McDonald’s é destaque

A rede de alimentação alcançou a 32ª posição no ranking de companhias com melhor reputação 2020 publicado pela MERCO

O McDonald’s é a única empresa do setor alimentício no ranking anual divulgado pelo Monitor Empresarial de Reputação Corporativa (MERCO). A pesquisa avalia as 100 empresas e os 100 líderes com melhor imagem no Brasil, levando em conta tanto resultados econômicos e financeiros como o compromisso com a ética e responsabilidade corporativa, além de outros valores.

A marca, operada pela Divisão Brasil da Arcos Dorados, alcançou o 32ª lugar entre as empresas melhor avaliadas do ranking, subindo três posições em relação aos resultados do ano passado. O CEO da rede, Paulo Camargo, marcou presença no Top 30 dos líderes empresariais com a melhor reputação, ocupando a 25ª posição do ranking.

Paulo Camargo é Presidente do McDonald’s no Brasil

Em 2020, o desafio para as empresas foi ainda maior pelo cenário e desafios impostos pela pandemia. A pesquisa apontou as companhias e líderes que conseguiram manter os seus negócios funcionando sem deixar de lado a sua responsabilidade social em meio à crise da COVID-19.

“A trajetória em 2020 foi ainda mais desafiadora que o usual. O cenário que a pandemia impôs a toda a sociedade exigiu uma adaptação rápida do nosso trabalho, priorizando ainda mais o cuidado às nossas pessoas e aumentando o rigor dos protocolos de segurança e higiene em nossos restaurantes. Além de focarmos nossa operação nos serviços de Drive-Thru e McDelivery, que se mostraram fundamentais para a continuidade dos negócios nos momentos de maior restrição de circulação, contribuímos positivamente com as comunidades onde estamos presentes, organizando a entrega de toneladas de alimentos in natura para instituições que combatem a fome e doando 100 mil refeições para profissionais da linha de frente no combate à COVID-19″, comenta David Grinberg, VP de Comunicação Corporativa da Arcos Dorados.

Além da preocupação em entregar para os clientes finais produtos saborosos e de alta qualidade e com o equilíbrio nutricional necessário, a empresa tem focado, nos últimos anos, suas estratégias e comunicação em temas que geram confiança e empatia por parte de seus públicos.

“Conscientes de nossa responsabilidade, desenvolvemos uma plataforma de compromisso social e desenvolvimento sustentável chamada Receita do Futuro, que nos orienta sobre compromissos relacionados à geração do primeiro emprego formal a milhares de jovens, à Reciclagem, Mudanças Climáticas, Abastecimento Sustentável, entre outros. Esse conjunto de fatores, aliado a um trabalho dedicado de fazer comunicação de forma consistente e transparente, nos rendeu o crescimento no ranking”, conclui o executivo.

Sobre a Arcos Dorados

A Arcos Dorados é a maior franquia independente do McDonald’s do mundo e a maior rede de serviço rápido de alimentação da América Latina e Caribe. A companhia conta com direitos exclusivos de possuir, operar e conceder franquias locais de restaurantes McDonald’s em 20 países e territórios dessas regiões. Atualmente, a rede possui mais de 2.200 restaurantes, entre unidades próprias e de seus subfranqueados, que juntos empregam mais de 100.000 funcionários (dados de 31/12/2020).

A empresa também mantém um sólido compromisso com o desenvolvimento das comunidades nas quais está presente e com a geração de primeiro emprego formal para jovens, além de utilizar sua escala para impactar de maneira positiva o meio-ambiente. A Arcos Dorados está listada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE: ARCO). Para saber mais sobre a Companhia por favor visite o nosso site: www.arcosdorados.com

Gostou de “Companhias com melhor reputação 2020: McDonald’s é destaque?

O McDonald’s é a única empresa do setor alimentício no ranking anual divulgado pelo Monitor Empresarial de Reputação Corporativa (MERCO). Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece nas cidades do Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Como manter a empregabilidade em tempos de crise covid-19?

Andrea Deis é autora de “Como manter a empregabilidade em tempos de crise covid-19?”.

Falar de empregabilidade em tempos de crise não é uma missão fácil, porém o que tenho presenciado e vivido aqui com meus clientes me fez ter vontade de contribuir ainda mais com a sociedade, com as pessoas, com você que agora se vê perdido..

Comportamentos importantes para Crise:

Esteja consciente, separe a emoção da razão; Esteja atento e informado, cuidado com Fake News; Cuide dos seus pensamentos, eles podem te levar ao pânico; Faça um plano de contingência, o que é necessário e o que imprescindível para o momento; Viabilize novos recursos para entrega trabalho; Se isole geograficamente e se aproxime tecnologicamente. 

Utilize o “home-office” como uma oportunidade, para isto, cumpra seu horário, planeje seu dia, reserve seu espaço, esteja pronto para as reuniões “on-line”, esteja vestido adequadamente, e em espaço silencioso. 

Seu medo, suas crenças, e seu estado de espírito e energia podem te paralisar em um momento que você precisará de muita coragem. Portanto cuide de quem terá que cuidar. 

Sim, tudo vai passar, e se cada um fizer sua parte, tiver maturidade para passar por este momento estabilizaremos o ponto “A” com danos menores pessoais e sociais. 

A responsabilidade é de todos. 

Se cada um assumir seu papel, tendo  autonomia e consciência pelas suas decisões, pensando no TODO e não só  em si, trocar o “não é possível” pelo “o que podemos fazer”… buscando uma solução “para o sistema” e não para “sua família”, poderemos criar uma corrente de apoio para uma fase desafiadora e critica na qual estamos vivendo. 

Demitir ou realocar processos?

Home Office com entrega ou funcionários em pânico?

Fechar seu negócio ou viabilizar uma solução à distância?

São muitos os questionamentos e medos , porém sem diálogo, renúncia e negociação a situação ainda será muito pior. 

Podemos contribuir com nossas atitudes. 

Contribuir com a economia, mantendo nossas operações e com a “crise” a qual estamos passando, “covid-19”, cada um fazendo seu possível.

Será importante se reinventar, para isto será necessário reprogramar o que pensamos, interpretamos, sentimos e fazemos. 

O tempo ainda é indefinido, portanto a readequação é uma oportunidade de contornar o problema. 

Aqui deixo algumas sugestões:

1º) Trabalhe na sua área de vocação.

Quem tem atuado na sua área de talento, com um menor esforço tem obtido maiores resultados.

2º.) Desenvolva suas competências .

Atue fortemente potencializando suas forças, coloque-as em pratica e neutralize suas fraquezas, para isto o primeiro passo é identifica-las.

3º) Seja integro.

Sua integridade não deve ser questionada, portanto a preserve, viva pelos seus valores, mas não se esqueça que os outros também os tem.

4º) Seja relacionável.

Não basta ter uma rede de relacionamentos, promova sua rede, promova encontros e deixe claro o que você faz e seus sonhos.

Sirva também, doa-se. Só recebe quem doa.

5º) Promova seu Bem-estar.

Ninguém quer contratar ou ter um colaborador que não tenha uma boa saúde física e mental. Faça seu checkup, atue na prevenção e desenvolva sua inteligência emocional.

6º.) Tenha fontes alternativas

Idealize seu plano B, C, D …. Distribua suas receitas, seja criativo e inovador.

Não seja suicida, nem pego de surpresa. Viva o hoje sem se esquecer de projetar o amanhã.

7º.) Promova sua segurança

Não arrisque tudo, tenha uma reserva financeira

8º.) Autoconfiança

Não deseje só o que o vizinho tem ou o que é, acredite em você e faça seu melhor.

9º.) Inove

Faça coisas diferentes, se reinvente todos os dias. As frustrações e decepções não deixarão de existir mas se você mudar o prisma aumentará sua visão e encontrará outros caminhos.

Não busque culpados ou justificativas, aja com sabedoria e coragem.

10) Escolha pela vida.

O mundo é para todos, mas nem todos ocupam seu lugar. Viva em harmonia com seus princípios, com seu propósito, com seus talentos que os resultados certamente virão.

Olhe para dentro de você, você tem que conhecer os riscos externos, mas só os vencerá se desmistificar seu espelho.

é indefinido, portanto a readequação é uma oportunidade de contornar o problema. 

Para meus alunos, vamos criar uma subcultura de trabalho no COMO criando novos comportamentos, usando novos símbolos e processos, juntos . Cooperando e usando nossa criatividade e vontade.

Eu estou criando novas rotas, e você?

Sobre Andrea Deis:

Mestra em Administração do Desenvolvimento de Negócios pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Gestora Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Master Coach com mais de 18 mil horas de atendimento. Possui certificação na área pelo Behavioral Coaching Institute (BCI) e International Coaching Council (ICC), é especialista em Assessment Training DISC, NeuroCoaching e PNL (Programação NeuroLinquística; Pedagoga com foco em Orientação Educacional e Vocacional, palestrante e escritora. Atualmente, dedica-se ao desenvolvimento de empresas e pessoas, no que diz respeito ao planejamento  e acompanhamento estratégico, tático e operacional para o desenvolvimento  de organizações, times e indivíduos. Premiada em 2019 no Congresso SemeAd: 1o lugar na Categoria. Semead2019, Renovação na gestão, artigo aplicado -FEAUSP.

Gostou de “Como manter a empregabilidade em tempos de crise covid-19??

Como manter a empregabilidade em tempos de crise covid-19? Foto de olia danilevich no Pexels

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 600 outros assinantes

Veja as inscrições do curso de capacitação para exportação

O curso gratuito da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, gerido pela InvestSP, é focado em Micro, Pequenas e Médias empresas de Ribeirão Pires que tenham interesse em receber treinamento para acessar o mercado internacional. As inscrições vão até dia 2 de abril para se inscrever.

Serão selecionados 200 empresários e o cadastro deve ser efetuado através do site da InvestSP.



O Exporta SP é o maior programa de capacitação para exportações já executado no Estado de São Paulo, e tem o diferencial de incluir em seu escopo de atuação startups e empresas do setor de serviços. Ele visa descentralizar as ações de apoio à exportação, sendo realizado totalmente por meio de plataformas online.

“Considerando todas as dificuldades que todos os setores estão enfrentando neste cenário atual, o Investe São Paulo traz a oportunidade para todos os empresários movimentarem não apenas o desenvolvimento local, mas também exportar.” explicou a secretária de Desenvolvimento Econômico e Relações Internacionais, Marli Silva.

“Não é nenhum bicho de sete cabeças. Nossa Pasta está à disposição daqueles que tiverem dificuldade com o idioma”, finalizou Silva.

Gostou de “Veja as inscrições do curso de capacitação para exportação?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 600 outros assinantes

Governo lança novos programas de empreendedorismo para mulheres

Em anuncio feito nesta segunda-feira (08/03), o Governador João Doria lança três novos programas de empreendedorismo, geração de renda e qualificação profissional, voltados exclusivamente para mulheres.

Durante a coletiva de imprensa, no Dia Internacional da Mulher, Doria também homenageou aquelas que se destacaram no combate ao coronavírus.

programas de empreendedorismo para mulheres

Empreenda Mulher

O “Empreenda Mulher” oferece mais de 60 mil vagas gratuitas em cursos de qualificação em diversas áreas e a liberação de R$ 50 milhões em microcrédito pelo Banco do Povo, exclusivos para mulheres domiciliadas no Estado de São Paulo. O objetivo do programa é incentivar a autonomia das mulheres, possibilitando acesso a crédito e oferta de cursos de qualificação empreendedora, tecnológica, entre outras áreas. As informações sobre os cursos e a linha especial do Banco do Povo podem ser consultadas no site www.desenvolvimentoeconomico.sp.gov.br/empreendamulher.

Prospera Mulher

A primeira fase do “Prospera Mulher” irá beneficiar 12 mil famílias em todo o Estado. Seu público-alvo são as chefes de famílias monoparentais, com crianças de 0 a 6 anos, e que estejam em situação de extrema pobreza (ou seja, que sobrevivem mensalmente com até R$ 89 por pessoa), devidamente cadastradas no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais), preferencialmente, atendidas por programas e serviços destinados à primeira infância.

A sua premissa é de inclusão produtiva, estimulando a geração de renda através do acesso ao trabalho, empreendedorismo, capacitações e oportunidades de ofício atrelado a plano de futuro, combinando aspirações pessoais, profissionais, sociais e financeiras; e o incentivo a bancarização e cultura de poupança, com a transferência de recursos.

TODAS in-Rede

O “TODAS in-Rede” visa o empoderamento e a autonomia das mulheres com deficiência do Estado. De acordo com a Base de Dados dos Direitos da Pessoa com Deficiência, atualmente vivem mais de 1,7 milhão de mulheres com deficiência em São Paulo.

Por meio de ações de formação profissional, disseminação de informações e criação de uma rede virtual acessível às mulheres com deficiência, o programa busca o protagonismo desse público, onde são trabalhados temas como acesso à informação, trabalho, renda e autonomia financeira, exercício dos direitos afetivos, sexuais e reprodutivos, prevenção à violência e autoestima e liderança. Para se cadastrar na Rede Virtual e ficar por dentro de todas as novidades do programa TODAS in-Rede basta acessar: www.todasinrede.sp.gov.br.

Mulheres que se destacaram no combate ao coronavírus

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o Governador João Doria ressaltou o trabalho de 11 mulheres que se destacaram no combate ao coronavírus no Estado de São Paulo. “Elas representam milhões de mulheres, mães, avós, cidadãs e brasileiras que, ao longo destes 14 meses, têm defendido a vida, a saúde, a existência, a verdade e a transparência.

A cada uma dessas mulheres, a cada uma dessas mães, filhas, netas, cidadãs brasileiras, não importa a cor, a idade, onde vivam: a nossa homenagem”, declarou Doria.

As nossas homenageadas são:

Esther Sabino e Jaqueline Goes – cientistas que lideraram o mapeamento do genoma do novo coronavírus.
Eloisa Bonfá – médica, diretora do Hospital das Clínicas, que coordena o maior complexo hospitalar da América Latina no combate à Covid-19.
Rosangela Soares dos Santos – enfermeira que atua na linha de frente do hospital Emílio Ribas.
Suzel da Silva Neves – auxiliar de enfermagem que trabalha na linha de frente do hospital de Vila Nova Penteado, na periferia da cidade de São Paulo.
Lia Porto – Procuradora Geral do Estado de São Paulo, que garantiu, através de uma ação no STF, o financiamento de leitos de UTI no Estado.
Regiane de Paula – coordenadora do Programa Estadual de Vacinação de São Paulo.
Regina Esteves – presidente e CEO da Comunitas, organização sem fins lucrativos que gerenciou a captação de R$ 185 milhões da iniciativa privada para a construção da nova fábrica de vacinas do Butantan.
Helena Sato – pediatra e integrante do Centro de Contingência de Combate à Covid-19 do Estado de São Paulo.
Cintia Lucci – diretora de projetos estratégicos do Instituto Butantan.
Cristina Megid – diretora da Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo.
Hélia Araujo – jornalista e coordenadora de imprensa da Secretaria de Comunicação do Estado de São Paulo.


Gostou de “Governo lança novos programas de empreendedorismo para mulheres”?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Os benefícios do Certificado Digital no seu Imposto de Renda

Em 2021 a Receita Federal tem novas regras para a entrega do Imposto de Renda Pessoa Física. A dica dos especialistas da Valid é transformar essa tarefa em algo bem mais simples e tranquilo, já que os contribuintes que tiverem Certificado Digital Pessoa Física (eCPF) podem preencher sua declaração, de maneira online, diretamente no site da Receita Federal e sem a necessidade de baixar o sistema. 

O certificado digital pode ser usado tanto por quem declara pelo modelo completo quanto na opção simplificada.

A ferramenta é importante para pessoas físicas e jurídicas já que garante a integridade, a autenticidade, a confidencialidade e o não repúdio de todas as operações realizadas no ambiente virtual.  

O uso do Certificado Digital na entrega da Declaração do Imposto de Renda pode te trazer maior agilidade, comodidade, redução de custos e mais segurança para as pessoas. 

Com a assinatura digital, as informações e o documento entregue têm validade jurídica, o que garante a integridade e a autenticidade das informações transmitidas no ambiente virtual.  

Para os contribuintes, os benefícios são vários, tais como preenchimento online no site da Receita, mais rapidez e facilidade na retificação dos dados e, claro, mais segurança na transmissão da declaração. 

Com o Certificado Digital também é possível acompanhar em tempo real a declaração, desde o processo de entrega até a restituição. 

Outra facilidade é usar a opção de Declaração pré-preenchida, que já traz o histórico da última versão com dados de rendimentos, deduções, bens e dívidas. 

A vantagem está na possibilidade de corrigir pequenos erros de digitação no preenchimento, mesmo após o envio da declaração, reduzindo as chances de retenção da declaração na base da Receita Federal. 

A Receita Federal traz como novidade a ampliação desta opção de declaração pré-preenchida para o uso de cidadãos que já tenham acesso ao portal Gov.BR nos níveis mais rígidos de segurança.

O contribuinte deverá acessar a declaração pré-preenchida dentro do serviço Meu Imposto de Renda no e-CAC, Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte. A previsão é que a funcionalidade esteja disponível no final de março. 

Sobre a Valid Certificadora  

A Valid Certificadora é uma empresa do grupo Valid especializada em serviços digitais de confiança, identificação, acesso, cifragem e autenticação realizando operações criptográficas padronizadas nacional e internacionalmente, de acordo com a regulamentação estabelecida, na identificação de pessoas físicas ou jurídicas para assinatura digital; geração e armazenamento seguro de evidências digitais de uma transação eletrônica e diversas outras soluções.

Credenciada pelo ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação) é Autoridade Certificadora emitente dos certificados digitais ICP-Brasil, tais como eCPF, eCNPJ, NFe, CTe, SSL. Entre as áreas de atuação especializadas é PSS – Prestadora de Serviço e Suporte ICP-Brasil, ACT – Autoridade de Carimbo de Tempo, PS EEA – Prestador de Serviço para Entidade Emissora de Atributo, PSC – Prestadora de Serviço de Confiança, PSBio – Prestadora de Serviço Biométrico, Hub de Serviços em Blockchain e Platinum Partner GlobalSign para emissões de SSL raiz internacional.

Para conhecer mais sobre os serviços Valid em certificação digital, assinatura digital, carimbo do tempo, certificados de atributo e desmaterialização de processos e documentos, visite: www.validcertificadora.com.br ou https://blog.validcertificadora.com.br/podecontar/   

Sobre a Valid 

Vivemos na economia da confiança. Nessa economia, a moeda é a identidade, e identificação é o que dá valor a ela. Para a Valid (B³: VLID3 – ON), identificação é reconhecer algo ou alguém como verdadeiro.

Estamos no seu RG, nos seus cartões de banco, nas transações que faz pelo celular e em todos esses lugares, usamos tecnologia de ponta. Somos 6,000 colaboradores em 16 países levando em consideração as particularidades culturais e regionais, para entregar soluções personalizadas e integradas. 

No Brasil somos a maior empresa em emissão de documentos de identificação, no mundo ocupamos a 5ª posição na produção de SIM Cards e estamos entre os 10 maiores fabricantes de cartão do planeta. Identificação é nossa razão de ser. Para saber mais, acesse www.valid.com  

Gostou de “Os benefícios do Certificado Digital no seu Imposto de Renda”?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no mundo dos Negócios todo dia no Grande ABC.

Por que investir no comércio local em 2021?

Descubra as tendências de negócio para este ano e saiba por que investir no comércio com o seu dinheiro

As consequências de tudo o que aconteceu em 2020, sobre a Covid-19, ainda deverão ser sentidos em vários aspectos da sociedade, principalmente no mundo dos negócios. 

Diversas empresas adaptaram seu planejamento e áreas de atuação, além de ajustar suas visões de mercado, comercialização e transações econômicas. 

Quando o assunto é investir, agora mais do que nunca é preciso colocar em prática o balanceamento entre a cautela e o ato de apostar em um negócio inovador e criativo.

Quem nunca ouviu a frase “toda crise tem suas oportunidades”? O cenário pode ser complexo para negócios que necessitam da presença física dos seus clientes, por outro lado, o ambiente online cresce exponencialmente e amplia o leque de investimento e as possibilidades de empreendedorismo. 

Dados do Ministério da Economia indicaram que 782 mil negócios foram abertos em território nacional entre maio e agosto de 2020, sendo o principal motivo para investir em comércios locais em 2021. 

As possibilidades são muitas e vale a pena ficar de olho no cenário nacional e internacional para optar por investimentos promissores e seguros. 

Dê uma olhada nas principais tendências de negócio para 2021 a seguir:

Principais tendências de negócio para 2021

1. E-commerce de informática

A Webshoppers nº 42 publicou um estudo recentemente em que indica que o maior segmento de e-commerce do último ano foi o de produtos de informática. 

As lojas online deste gênero de comercialização tiveram um aumento de 50% no valor médio de compras por cliente e se compararmos o faturamento do primeiro e do segundo trimestre de 2020, o crescimento foi de mais de 100%! 

Os produtos em destaque são notebooks, computadores e seus acessórios. Além de ter um grande avanço nas solicitações de profissionais que realizam a montagem de computadores sob encomenda. 

As empresas que se destacam costumam ter certificados de qualidade, garantia de serviços competentes e investimento na produção de conteúdo online a respeito do assunto.

2. Clube de assinatura

Dados divulgados pela Betalabs demonstram que a chamada economia de recorrência está em alta em 2021. Esse tipo de economia está relacionada ao modelo de assinatura de serviços. 

Os clubes de assinatura cresceram 12% no último ano, com mais 4 mil opções diferentes de clubes que movimentam mais de R$1 bilhão só em 2019. 

As possibilidades de negócio são grandes, podendo contemplar produtos como acessórios para pets, kit de maquiagem, produtos naturais, cápsulas de café e qualquer outro tipo de produto considerado de utilização rotativa.

Nesta pesquisa foram divulgados os principais itens do mercado:

  • livros (27%); 
  • bebidas (18%); 
  • alimentos (17%); 
  • cuidados pessoais (12%); 
  • acessórios para pet (11%);
  • outros (15%). 

O foco dos clubes de assinatura está no oferecimento de opções criativas, diferentes e surpreendentes de produtos que são utilizados no dia a dia. 

A seleção precisa ser meticulosa e condizente com as demandas da sociedade, focando em produtos naturais, na sustentabilidade e na inovação.

3. Desenvolvimento de games

O segmento dos games está em grande crescimento na última década e a pandemia foi um agente catalisador para a procura de games focados no celular. 

O faturamento do mercado foi recorde em 2020, R$851 bilhões e só o segmento mobile faturou R$402,5 bilhões desta quantia. 

Com estes números, o desenvolvimento de games para celular se torna um dos principais negócios em crescimento nos próximos anos, já que o fácil acesso à celulares torna este tipo de entretenimento muito acessível para boa parte da população.

Além da acessibilidade, a facilidade do compartilhamento das criações também impulsiona o segmento. 

Os jogos podem ser divulgados pelo Google Play, App Store e Windows Phone Store, bastando um rápido cadastro como pessoa física ou jurídica e o pagamento de uma taxa única para o compartilhamento do aplicativo nas plataformas. 

A criatividade também é um diferencial, criando inúmeras possibilidades de negócio. 

4. Vegetarianismo e veganismo

Mais um tipo de segmento que já vinha crescendo nos últimos anos e que o isolamento social serviu como potencializador. 

Segundo um estudo realizado pelo G1 em 2018, 14% da população brasileira já se auto declarava vegetariana. Pode ser pouco em porcentagem, mas em números absolutos estes 14% representam 30 milhões de pessoas! 

E as pesquisas não param por aí. 55% dos brasileiros consumiriam mais produtos veganos se as embalagens indicassem esta categoria.

Até as famosas empresas de comidas feitas com proteína animal (Seara, Sadia, Perdigão, McDonald’s e SubWay, por exemplo) se renderam a forte tendência do veganismo e vegetarianismo criando linhas especiais para esta parcela da população. 

Além do mais, o veganismo não acontece apenas na alimentação. As empresas de cosméticos são a prova de que este estilo de vida veio para ficar! 

Pesquise por ideias empreendedoras que levem a tendência em consideração e não tenha medo de investir.

5. Cosméticos naturais 

Seguindo a linha do item anterior, os cosméticos naturais produzidos de maneira sustentável garantiram seu espaço no consumo dos brasileiros. 

Em 2020 a plataforma Teads publicou um estudo apontando que 62% dos brasileiros pensam que a indústria dos cosméticos deveria ser desenvolvida com base em ingredientes naturais e orgânicos. Opinião que acaba por pautar suas decisões de compra.

Apostar em fabricantes de produtos de maquiagem, xampus e condicionadores que não possuam adição de elementos nocivos à natureza, que não sejam testados em animais e não incluam ingredientes sintéticos na sua composição trará lucros certos em 2021. 

Aposte também em xampus e condicionadores sólidos, por exemplo, que além de naturais, ainda diminuem o descarte de plástico no meio ambiente.

Cursos online

Um investimento bem feito leva um tempo para entender do negócio escolhido, de empreendedorismo e de administração. 

Administração de empresas, administração contábil e estatística são alguns exemplos de cursos online com certificado que podem oferecer uma boa base de estudos e conhecimento para escolher o melhor tipo de investimento e administrar o dinheiro investido. 

Afinal, os cursos aumentam a relevância do seu currículo, melhoram a percepção do mercado e aumentam as chances de realizar investimentos embasados. 

Gostou de “Por que investir no comércio local em 2021?”?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Prazo de 8 meses para Reforma Tributária, definem Câmara e Senado

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, definiram um prazo de até 8 meses para aprovação da Reforma Tributária.

Contudo, eles ainda não têm previsão de data para a conclusão da Reforma administrativa.

O prazo para aprovar as alterações no Sistema Tributário Brasileiro foi divulgado após uma reunião com o presidente da Comissão da Reforma Tributária, senador Roberto Rocha, do PSDB do Maranhão, e com o relator do texto, o deputado Aguinaldo Ribeiro, do PP paraibano.

Segundo o senador Rodrigo Pacheco, a expectativa é que até o final de fevereiro a Comissão Mista aprove o relatório e encaminhe para os plenários.

Os presidentes das duas Casas ainda discutiram nesta quinta-feira (04), a tramitação da Reforma Administrativa e da PEC Emergencial, a Proposta de Emenda à Constituição que cria mecanismos de ajuste fiscal no país, com redução de gastos em todas as esferas de poder, federal, estadual ou municipal.

Porém, elas ainda não têm prazo fixado para aprovação, como destacou o presidente da Câmara, o deputado Arthur Lira.

Sobre a Comissão Mista do Orçamento, os presidentes das duas Casas afirmaram que esperam instalar o Colegiado na próxima terça-feira (09), a depender do acordo entre os líderes.

Com Agência Brasil.

Gostou de “Prazo de 8 meses para Reforma Tributária, definem Câmara e Senado“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Brasil formaliza oferta de abertura de licitações a estrangeiros

Brasil formaliza a oferta de abertura de licitações públicas a empresas internacionais. A lista de órgãos, bens e serviços, que poderão entrar no contrato de compras governamentais, foi apresentada à Organização Mundial do Comércio (OMC).

Segundo o Ministério da Economia e das Relações Exteriores, a medida abre o acesso a um mercado de R$ 1,7 trilhão por ano e acelera a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Atualmente, 48 países integram o acordo da OMC, o que dá isonomia a empresas nacionais e internacionais nas concorrências públicas. A principal mudança é que as empresas estrangerias estão dispensadas de ter um representante legal no Brasil, para participar das licitações. A exigência só será obrigatória se a empresa vencer a disputa.

Ainda de acordo com os ministérios, a medida poderá aumentar as exportações brasileiras, ao abrir o acesso de empresas do Brasil a licitações de outros países. 

Em parceria com Brasil 61.

Gostou de “Brasil formaliza oferta de abertura de licitações a estrangeiros“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Banco Central inicia primeira fase do open banking

Começa a ser implementado hoje o chamado Open Banking, que é o compartilhamento de dados bancários para melhorar a oferta de serviços financeiros. O Banco Central inicia esta primeira fase.

A partir da troca de dados entre os bancos, os clientes terão acesso às informações levantadas pelas instituições financeiras; e poderão buscar outros bancos por serviços e crédito mais barato e de melhor qualidade. Essa é a ideia do Open Banking.

A implementação vai acontecer em quatro etapas. A segunda fase está prevista para 15 de julho; a terceira em 30 de agosto; e a quarta e última fase em 15 de dezembro.

Na etapa final, os bancos poderão trocar informações entre si para oferecer produtos personalizados a cada cliente.

Inicialmente, o programa estava previsto para começar no fim de novembro do ano passado, mas foi adiado a pedido das próprias instituições financeiras. Alegaram o aumento dos serviços tecnológicos por causa da pandemia de covid-19, como as transações eletrônicas, o pagamento do auxílio emergencial e a implementação do Pix.

Para o consultor do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central, Mardilson Fernandes Queiroz, o Open banking vai mudar o funcionamento do sistema financeiro.

E a mudança tem várias vantagens: a oferta de produtos com juros mais adequados a cada cliente; o aumento da concorrência; e a inclusão de brasileiros no sistema bancário.

Com informações de Agência Brasil.

Gostou de “Banco Central inicia primeira fase do open banking”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Pagamento de tributos do Simples é prorrogado para 26/02

O prazo para pagamento de tributos do Simples Nacional foi prorrogado. A data limite para pagamento, referente ao período de janeiro de 2021, passou de 20 de fevereiro para 26 de fevereiro. 

A resolução vale para micro e pequenas empresas, que têm faturamento anual de até R$ 4,8 milhões. O Simples Nacional é um programa compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos, que permite o pagamento de impostos em um único documento. A prorrogação do prazo foi publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira (29), após aprovação do Comitê Gestor do Simples Nacional. 

A medida atende contribuintes que fizeram a opção pelo Simples Nacional até o último dia útil de janeiro, para regularizar as pendências. Na avaliação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o programa é essencial por reduzir a carga tributária, auxiliando principalmente empresas que têm faturamento mais baixo, e ainda por unificar oito tributos. 

O Simples Nacional abrange: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ); Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL); PIS/Pasep; Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins); Imposto sobre Produto Industrializado (IPI); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre Serviços (ISS); e a Contribuição Patronal Previdenciária (CPP).

Em parceria com Brasil 61.

Gostou de “Pagamento de tributos do Simples é prorrogado para 26/02”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Venda de máquinas e equipamentos sobe 5,1%, em 2020

Venda de máquinas e equipamentos sobe 5,1%, em 2020, e atinge R$ 144,5 bilhões. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Só em dezembro do ano passado, as vendas tiveram alta de 36,7%, na comparação com o mesmo mês de 2019, alcançando R$ 13,4 bilhões em faturamento.

Os segmentos que mais contribuíram com o resultado são máquinas para bens de consumo, em especial, máquinas para madeiras, alimentos e refrigeração. A Abimaq estima aumentar as vendas em 7%, em 2021.

No entanto, a exportação do setor diminuiu 23,7% em 2020, se comparado a 2019, somando R$ 7,3 bilhões em equipamentos.

A geração de empregos no setor de máquinas aumentou em 2020, em relação ao ano anterior. Em dezembro, foram registrados 326,5 mil postos de trabalho – cerca de 24 mil a mais que o observado em 2019.

Em parceria com Brasil 61

Gostou de “Venda de máquinas e equipamentos sobe 5,1%, em 2020”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

País registrou 2,6 milhões de novos MEIs em 2020

Brasil tem cerca de onze milhões e 300 mil empreendedores individuais, os MEIs. Apenas em 2020, o país registrou 2,6 milhões novos MEIs.

O programa foi criado para permitir que pequenos empresários saiam da informalidade e abrange mais de 460 atividades.

O profissional recebe o CNPJ MEI e pode cadastrar uma atividade principal e até 15 secundárias.

Em 2020, o País registrou dois milhões e 600 mil novos microempreendedores individuais, a maior adesão dos últimos cinco anos.

O número foi levantado pelo Serviço de Apoio à Pequena e Média Empresa, o Sebrae, com base nos dados da Receita Federal.

Em entrevista ao G1, o analista de Gestão Estratégica do Sebrae, Thomaz Carrijo, diz que em tempos de recessão é comum que os brasileiros recorram ao empreendedorismo como alternativa de ocupação e renda.

De acordo com o especialista, a tendência foi verificada entre 2014 e 2016, período em que o Brasil passou por uma crise econômica.

Uma das exigências para se tornar MEI é ter faturamento de no máximo 81 mil reais por ano.

O empreendedor paga todos os impostos pelo Documento de Arrecadação do Simples Nacional, o DAS, e o valor pode variar entre 55 reais e 61 reais por mês.

Em parceria com Rádio2.

Gostou de “País registrou 2,6 milhões de novos MEIs em 2020”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Micro e pequenas empresas têm até sexta para adesão no Simples

Micro e pequenas empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões têm até a próxima sexta-feira (29) para se inscreverem no Simples Nacional. Até essa data, os empresários com dívidas nos fiscos estaduais, municipais ou do Distrito Federal devem regularizar as pendências para adesão no Simples.

O Simples Nacional é um regime de arrecadação, cobrança e fiscalização voltado a micro e pequenos empresários, com a inclusão dos principais tributos federais, estaduais e municipais. Ele abrange, entre outras cobranças, o Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e a Contribuição Patronal Previdenciária (CPP).

Segundo o advogado tributarista Bruno Teixeira, o regime tem como principal objetivo facilitar o pagamento de tributos desembolsados pelos contribuintes. “O Simples Nacional agrega tudo isso em apenas uma guia para recolhimento. Por meio dele, é feita uma apuração sobre o faturamento da empresa, em que é averiguado se ela se enquadra na lei. Com isso, o recolhimento dos tributos é feito de acordo com a receita da empresa”, explica.

Pendências

Para regularizar as pendências com órgãos estaduais, municipais e do DF, os contribuintes precisam procurar a administração tributária responsável pelas dívidas. No caso de pendências com a Receita Federal ou com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, os empresários podem regularizá-las pelo site da Receita Federal.

No momento da adesão do Simples Nacional, que também é feita na página da Receita Federal, o contribuinte é informado sobre eventuais pendências com os fiscos.

Teixeira reforça a importância da regularização de dívidas com tributos para que o nome do contribuinte não entre na dívida ativa da União e de estados e municípios. 

“A inadimplência de tributos pode acarretar na inscrição da dívida ativa, com cobrança por parte da Receita Federal. Com isso, é concedido um prazo para que a obrigação seja regularizada e, após isso, caso ela não seja resolvida, há a inscrição na dívida ativa e o ajuizamento de execução fiscal por parte da Procuradoria da Fazenda.”

Também poderão aderir ao Simples Nacional empresas que estavam nos regimes tributários de Lucro Presumido ou Lucro Real e tiveram queda no faturamento no ano passado por conta da pandemia. 

Balanço

De acordo com a Receita Federal, até as 11h do dia 25 de janeiro foram realizadas 206.140 solicitações de ingresso no Simples Nacional, sendo deferidas 69.360. O órgão afirma que 126.870 pedidos ainda dependem do contribuinte regularizar as pendências com um ou mais entes federados, o que representa 61,5% do total de requerimentos. 

Em parceria com Brasil 61

Gostou de “Micro e pequenas empresas têm até sexta para adesão no Simples”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Crédito com juros baixos e sem garantias para pequenas empresas

Micro e pequenas empresas paulistas podem obter financiamentos com agilidade e crédito com juros mais baixos que os de mercado.

A Associação Comercial de São Paulo criou a plataforma ACCredito que realiza todo o processo de forma digital.

Os recursos são destinados a pessoas jurídicas com faturamento anual de até quatro milhões e 800 mil reais.

O presidente da ACCrédito, Milton Luiz de Melo Santos, diz que uma das modalidades oferecidas é o capital de giro:

Outra linha de crédito é destinada ao empresário que quer investir, como explica Milton Luiz de Melo Santos:

Um dos diferenciais da ACCrédito é que o empresário consegue o financiamento sem precisar apresentar garantias:

A operação é toda feita pela palataforma: accreditodigital.com.br e pode ser concluída em poucos minutos.

A fintech opera 24 horas, todos os dias da semana, inclusive aos domingos.

Com informações de Rádio2.

Gostou de “Crédito com juros baixos e sem garantias para pequenas empresas”

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre dicas o ENEM 2020.

Atraso na LDO deve prejudicar pequenos municípios brasileiros

Atraso na aprovação da LDO poderá causar prejuízos no país

No último dia do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021. Esse é um planejamento com as metas e prioridades do governo para o ano seguinte, orienta a elaboração da lei orçamentária anual e fixa limites para os orçamentos dos poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público.

A lei foi aprovada pelo Congresso Nacional no dia 16 de dezembro de 2020 e desde 2015 o orçamento não é votado extrapolando o prazo previsto pela Constituição Federal (até o final da sessão legislativa na qual foi enviado o PLN pelo Poder Executivo), por coincidência primeiro ano de eficácia da emenda constitucional 86/2015 que consignou na Constituição Federal as emendas impositivas.

E é importante, nesta reportagem, falarmos sobre o atraso da aprovação mesmo a lei já estando aprovada porque esses recursos têm impacto direto na economia dos 26 estados e do Distrito Federal – principalmente na vida das pessoas que moram nos menores municípios do País.

Apesar de todos os municípios contarem com suas arrecadações de impostos e tributos para ter orçamento próprio, em muitos casos, os recursos enviados pela União são a diferença na gestão dessas localidades.

Impacto nas Emendas Parlamentares e o atraso na LDO

Com o atraso na aprovação da Lei Orçamentária de 2021, os municípios beneficiados receberão os recursos destinados por emendas parlamentares impositivas somente no segundo semestre de 2021.

Após o advento da Emenda Constitucional 105 de 2019 temos dois tipos de emendas parlamentares individuais impositivas: as de “finalidade definida” e as “transferências especiais”.

A emendas de finalidade definida são transferidas aos beneficiários finais (estados, municípios, entidades filantrópicas etc.) através de convênios, contrato de repasse, e demais instrumentos congêneres, os quais implicam em uma certa burocracia por dependerem de projetos executivos, de engenharia, cronogramas de execução e uma série de documentos que compõem o CAUC – Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias.

O problema é que muitas prefeituras não conseguem preencher todas as exigências necessárias para o recebimento dos recursos, o que por vezes faz com que estes demorem muito a chegar ou mesmo nem se consiga a sua execução com o beneficiário pretendido. Esses convênios podem ter objetos diversos, desde o asfaltamento de uma rua, a construção de uma feira ou praça, até a compra de equipamentos e maquinários, como tratores, pás carregadeiras, tomógrafos etc.

As emendas da modalidade Transferências Especiais são recursos financeiros repassados aos entes. Não necessitam de nenhum instrumento de transferência, e possui poucas limitações: utilizar no máximo 30% dos recursos para despesas de custeio; não pagar despesas com pessoal ou dívida do ente. Esses recursos não podem ser transferidos para entidades filantrópicas. No caso o ente beneficiado recebe o recurso financeiro e o utiliza para executar as dotações previstas em sua lei orçamentária, obedecendo as limitações já relatadas.

As emendas impositivas de bancadas estaduais são geralmente utilizadas em grandes obras nos estados, e possuem a obrigação de dar continuidade às mesmas até sua finalização, ou seja, se uma obra foi iniciada por meio de uma emenda de bancada estadual, a bancada se obriga a repeti-la até que a obra esteja terminada.

“Atraso na LDO deve prejudicar pequenos municípios brasileiros” é com informações de Brasil 61

Gostou da matéria?

Então, assine nossa Newsletter. Não deixe de comentar logo abaixo também. Leia mais sobre o Congresso Nacional.

Isenção do ICMS: prazo para declarar e receber recursos até 13/01

Prazo para declarar e receber recursos de compensação da Lei Kandir vai até 13 de janeiro. A norma determina a isenção do ICMS de produtos destinados à exportação, o que onera os entes estaduais e municipais. Para garantir os repasses da Lei Complementar 176/2020, os gestores precisam assinar a renúncia do direito de ações contra a União, que cobravam as perdas. 

O doutor José Marilson Dantas, professor de Contabilidade de Governança da Universidade de Brasília (UnB), explica as vantagens da Lei Complementar.

“A grande vantagem é poder contar com uma previsão de receita até 2037. Outra vantagem é resolver o problema legal que causa insegurança das contas públicas, no qual o governo federal poderia ter que desembolsar de um momento para o outro, um volume considerável de recursos, que poderia estar fora da sua capacidade de pagamento”, explica.

Isenção do ICMS e base jurídica

A advogada especialista em direito público, Amanda Caroline, cita o benefício jurídico da Lei Complementar. “Há décadas, havia muitas demandas judiciais tratando sobre a compensação que a União deveria repassar aos entes, em relação às perdas tributárias. Com a publicação, agora é possível encerrar diversos processos”, comenta. 

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) publicou uma Nota Técnica sobre o tratamento contábil dos recursos da compensação. De acordo com o texto, os valores da LC 176/2020 são livres de alocação e, portanto, não fazem parte das bases de cálculo do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), da Manutenção e Desenvolvimento do Ensino (MDE) e das Ações e Serviços Públicos em Saúde (ASPS).

O doutor José Marilson Dantas aponta como os gestores podem usar os valores da isenção do icms.

“A livre alocação significa uma certa liberdade dos gestores para poder escolher onde usar, de forma mais eficiente, esses recursos. Como exemplo, a aplicação em saúde, com o intuito de responder melhor a demanda decorrente da Covid-19”, afirma.

O analista técnico da área de contabilidade da CNM, Marcus Cunha, afirma que a livre alocação dos recursos é benéfica para os municípios. “Essa é uma bandeira antiga da CNM, que coloca cada vez mais, na mão de gestores, a capacidade de alocar os recursos nas necessidades da cidade e no que o cidadão precisa”, comenta.

No entanto, os recursos da LC 176/2020 integrarão a Receita Corrente Líquida (RCL) e, portanto, vão se submeter aos limites previstos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, como explica o doutor José Marilson Dantas: “Não podia ser diferente. Além disso, a aplicação dentro dos limites de responsabilidade fiscal é uma obrigação de todo gestor público, mesmo quando os recursos oferecem uma certa liberdade de escolha em sua utilização”, explica.

Benefícios da isenção do ICMS

O analista da CNM, Marcus Cunha, aponta benefícios na medida. “Os recursos da LC 176/2020 foram benéficos, porque compõe a RCL. Nesse caso, os municípios terão um pouco mais de margem para garantir os seus limites fiscais, como, por exemplo, dívida total com pessoal – que neste momento se limita a 54% da RCL. Ou seja, quanto mais receita tiver, mais poderá gastar com despesa de pessoal”, explica.

Em relação aos recursos que financiam o Poder Legislativo – chamados de duodécimos – o doutor José Marilson Dantas explica que parte dos valores da LC 176/2020 também deveriam compor essa base de cálculo, já que integram a RCL. No entanto, uma Nota Técnica da Secretaria do Tesouro Nacional (órgão regulador central) não traz nenhuma definição nesse sentido. Portanto, a CNM recomenda que os gestores aguardem uma posição do órgão.

A advogada Amanda Caroline afirma que a Lei Complementar também é omissa quanto ao aporte de seus recursos para base de cálculos do duodécimo. 

“Até o momento, os órgãos que se manifestaram entendem que os recursos dessa Lei Complementar não têm como característica a transferência de recursos para a União. E aguardam maiores esclarecimentos. Mas até o momento, entende-se que não devem compor essas verbas para fazer o duodécimo”, explica.

Em sua página na internet, a CNM celebra a aprovação da Lei Complementar 176/2020, como uma conquista histórica do esforço municipalista, em buscar diálogo com as esferas do poder público e destaca a importância de fazer ajustes no Pacto Federativo (PEC 188/19) para resolver o desequilíbrio financeiro e de responsabilidades, que prejudica os Entes locais. 

Com informações de Brasil 61

Gostou de da matéria?

Então, assine nossa Newsletter. Não deixe de comentar logo abaixo também. Leia também mais sobre o Economia.

Inflação em produtos na fábrica caiu em novembro de 2020

O IPP – Índice de Preços ao Produtor, que mede a inflação dos produtos na fábrica, sem impostos ou frete, recuou para 1,39% em novembro de 2020, na comparação com outubro, mês em que foi registrada a maior alta, de 3,41%, da série histórica do indicador, iniciada em janeiro de 2014.

De acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (05) pelo IBGE, a inflação na indústria em novembro foi a menor observada em 5 meses, mas o indicador já registra 16 altas consecutivas e elevações históricas nos acumulados do ano e dos últimos 12 meses.

Das 24 atividades analisadas, 19 apresentaram variações positivas em novembro na comparação com outubro.  A alta do setor de alimentos foi a maior responsável pela composição da taxa.

Aumento da inflação em produtos na fábrica

O gerente do IPP, Manuel Souza Neto, explicou que este é o 5º aumento consecutivo de preços dos alimentos. Segundo ele, mesmo com o recuo do dólar em novembro, o mercado externo continuou impactando os preços do setor, que tiveram, também a influência de fatores atrelados ao mercado interno.

E, citou como exemplo, o caso do leite, em que a oferta nas bacias leiteiras foi muito instável, em um ano no qual o clima não foi propício, e a demanda também se manteve instável por conta do isolamento social.

Outras atividades que tiveram grande influência no resultado do índice de novembro foram as de refino de petróleo e produtos de álcool, metalurgia e de borracha e plástico.

Com informações de Agência Brasil

Gostou da matéria?

Então, assine nossa Newsletter. Não deixe de comentar logo abaixo também.

Leia mais sobre Inflação.

Confiança empresarial tem pessimismo moderado para 2021

Confiança empresarial tem pessimismo moderado para o primeiro semestre de 2021. O Índice recuou 0,4 ponto em dezembro, após uma sequência de altas registradas a partir de julho de 2020. Os dados são da Fundação Getúlio Vargas. No fechamento do ano, o Índice de Confiança Empresarial (ICE) ficou em 95,2 pontos.

O superintendente de estatísticas do Instituto Brasileiro de Economia, da FGV, Aloisio Campelo Júnior, afirma que o indicador em dezembro mostra um pessimismo moderado dos empresários brasileiros, diante da grande incerteza sobre os rumos da economia do País, nos próximos meses. Segundo ele, o cenário é influenciado pela volta do agravamento da pandemia da Covid-19 e pelo fim do Auxílio Emergencial.

Ainda de acordo com levantamento da FGV, o indicador que mede o otimismo, em relação às demandas nos próximos três meses, avançou 0,9 pontos em dezembro. O indicador de Emprego Previsto subiu para 1,7 pontos. A confiança da indústria cresceu 1,8 ponto; do setor de serviços aumentou 0,8 ponto; da construção civil quase não mudou, com variação positiva de 0,1 ponto; e a do comércio teve a terceira queda consecutiva, de 1,8 ponto, em dezembro.

Com informações de Agência Brasil

Gostou de “Confiança empresarial tem pessimismo moderado para 2021“?

Então, assine nossa Newsletter. Não deixe de comentar logo abaixo também.

Leia também sobre Mercado.

Exportação brasileira superou R$ 51 bilhões as importações

Em 2020, os brasileiros venderam para outros países quase US$ 51 bilhões a mais do que importaram. Esse é o resultado da balança comercial, que, no ano passado, registrou alta de 6,2% em relação a 2019. Os dados sobre exportação brasileira foram divulgados nessa segunda-feira pelo Ministério da Economia.

De acordo com a Pasta, o aumento do superávit é consequência da queda de consumo provocada pela pandemia de Covid-19, que reduziu as importações em ritmo mais acelerado do que as exportações. E também da desvalorização do Real diante do Dólar. O ano de 2020 terminou com o dólar valendo 30% a mais do que quando começou.

O resultado do comércio exterior reverteu a tendência de queda, observada nos dois anos anteriores. Em 2017, a balança comercial brasileira bateu recorde quando as exportações ficaram quase US$ 67 bilhões maiores que as importações. Em 2018, essa vantagem caiu para US$ 58 bilhões e, em 2019, caiu novamente para US$ 48 bilhões. No ano passado, o resultado alcançou US$ 50,9 bilhões.

Com informações de Agência Brasil

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Portanto, nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Gostou de “Exportação brasileira”?

Então, quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Investidores poderão pagar boleto usando conta em corretora

Investidores poderão pagar boletos com o dinheiro que possuem na conta de corretoras. A medida, aprovada no fim de novembro pelo Conselho Monetário Nacional, começou a valer nesta segunda-feira para corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários.

Pelas novas regras, será colocado em prática o uso das contas de pagamento, que permitem fazer transações como saques, transferências e o pagamento de boletos.

O Banco Central afirma que, com essa medida, haverá uma concorrência entre prestadores de serviços de pagamento, o que pode render alguma vantagem para consumidores e investidores. Além disso, poderá ampliar as fontes de receitas dessas instituições, também chamadas de sociedades de intermediação.

Para impedir que o dinheiro destinado ao pagamento de boletos tenha outra destinação, a resolução determina que o saldo mantido na conta do cliente e não usado deverá ser aplicado em títulos públicos federais ou ser disponibilizado para que o cliente possa sacar.

Com informações de Agência Brasil

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Gostou da matéria “Investidores poderão pagar boleto usando conta em corretora”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido.

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Municípios de SP receberão 13,6 mi para desenvolvimento rural

Cidades foram contempladas no âmbito do programa “Cidadania no Campo – Município Agro”, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, voltado para o desenvolvimento rural.

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo vai premiar 316 municípios com recursos que totalizam R$ 13,6 milhões para executar ações de desenvolvimento rural. 

Desenvolvimento rural em SP

Ao todo, 400 cidades se inscreveram no programa “Cidadania no Campo – Município Agro”, mas a secretaria selecionou os municípios que atenderam os requisitos e obtiveram melhor pontuação. O programa visa orientar os municípios no planejamento de suas atividades nas áreas rurais, ao fomentar uma agenda baseada nas diretrizes da política pública Cidadania no Campo. 

Além de receber recursos, os 24 primeiros municípios do ranking vão obter uma certificação. Os valores que cada um dos municípios vai embolsar variam de R$ 20 mil a R$ 300 mil.  

Com informações de Brasil 61

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Então, assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

MP libera R$ 10,1 bi em linha de crédito para o Pronampe

De acordo com o governo federal, o programa já disponibilizou R$ 32,9 bilhões em crédito para o Pronampe, focados nas micro e pequenas empresas

Uma Medida Provisória publicada no Diário Oficial da União na última terça-feira (29) vai liberar cerca de R$ 10,1 bilhões. O crédito extraordinário será usado para viabilizar a integralização de cotas no Fundo Garantidor de Operações (FGO) para o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). 

Um projeto de lei do senador Jorginho Mello (PL/SC) criou a terceira fase do Pronampe, com recursos oriundos do Programa Emergencial de Suporte a Empregos, o Pese. De acordo com o governo federal, o Pronampe já disponibilizou R$ 32,9 bilhões em crédito para micro e pequenas empresas, totalizando 450 mil contratos. A taxa de juros é a Selic, hoje em 2%, acrescida de 1,25% ao ano. 

Crédito para o Pronampe

Com os recursos, as empresas podem pagar funcionários, contas de luz e água, aluguel, compra de matérias-primas e mercadorias, por exemplo. O crédito também pode ser usado para reformas e investimentos, como compra de máquinas e equipamentos.

Indústrias

Com informações de Brasil 61

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 600 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Confira algumas das medidas aprovadas para salvar as empresas

Regularização de dívidas tributárias, crédito para pagamento da folha de salários e regras para recuperação judicial estão entre as principais decisões para salvar as empresas

A Medida Provisória 899/19, aprovada pela Câmara este ano, vai ajudar a reforçar os cofres da União. O texto que regulamenta a negociação de dívidas tributárias deve regularizar a situação de 1,9 milhão de contribuintes, os quais devem cerca de R$ 1,4 trilhão ao governo. 

A MP, que se converteu em Lei, prevê desconto de até 70% para pessoas físicas, pequenas e microempresas, santas casas e instituições de ensino, entre outras organizações. Esses contribuintes vão ter até 145 meses para pagar suas dívidas, exceto aquelas envolvendo contribuição previdenciária, cujo prazo será de 60 meses. 

Medidas para salvar as empresas

Ao longo de 2020, o Congresso Nacional aprovou, também, uma lei para que pequenas e médias empresas pudessem contar com uma linha de crédito especial para pagamento de salários durante a pandemia da Covid-19. O empréstimo permitiu o financiamento dos salários e verbas trabalhistas durante quatro meses. 

Ainda em análise no Senado, o PL 1397/20, aprovado pelos deputados, criou regras transitórias para empresas em recuperação judicial e, também, para tentar evitar que outras empresas em dificuldade cheguem a este ponto. 

Parceria com Brasil 61

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 600 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Munícipios de SP recebem R$ 1,2 bi em quarto repasse de ICMS

Depósito do quarto repasse do ICMS reforça caixa das prefeituras; Municípios já receberam R$ 1,43 bilhão ao longo de dezembro

O governo do Estado de São Paulo transfere nesta terça-feira (29) R$ 1,2 bilhão em mais um repasse de ICMS, aos 645 municípios paulistas. A Sefaz efetua o depósito, e é referente ao total arrecadado entre 21 a 24 de dezembro.

Dessa forma, os valores correspondem a 25% da arrecadação do imposto. O Índice de Participação dos Municípios (IPM) é utilizado na distribuição do recurso para as prefeituras.

Os municípios já haviam recebido R$ 1,43 bilhão nos repasses anteriores, realizados em 8/12, 15/12 e 22/12, relativos à arrecadação dos períodos de 30/11 a 4/12, 7/12 a 11/12 e 14/12 a 18/12, respectivamente. Portanto, com os depósitos efetuados hoje, o valor acumulado distribuído às prefeituras em dezembro é de R$ 2,63 bilhão.

De acordo com a Lei Complementar nº 63 de 11/01/1990, até o segundo dia útil de cada semana são feitos os depósitos semanais. Além disso, as consultas dos valores podem ser feitas no site da Fazenda, através do link Acesso à Informação > Transferências de Recursos > Transferências Constitucionais a Municípios.

Agenda Tributária

No ano de 2020, a Secretaria da Fazenda e Planejamento depositou R$ 29,4 bilhões aos municípios paulistas.

Os valores semanais transferidos aos municípios paulistas variam em função dos prazos de pagamento do imposto fixados no regulamento do ICMS. Dependendo do mês, pode haver até cinco datas de repasses.

As variações destes depósitos oscilam conforme o calendário mensal, os prazos de recolhimento e o volume dos recursos arrecadados. A agenda de pagamentos está concentrada em até cinco períodos diferentes no mês, além de outros recolhimentos diários, como por exemplo, os relativos à liberação das operações com importações.

Índice de Participação dos Municípios e repasse de ICMS

Segundo determina a Constituição Federal, de acordo com seus IPM, os repasses para os municípios tem liberação. Em seu artigo 158, inciso IV está estabelecido que 25% do produto da arrecadação de ICMS pertencem aos municípios, e 25% do montante transferido pela União ao Estado, referente ao Fundo de Exportação (artigo 159, inciso II e § 3º).

Anualmente, há a apuração dos índices de participação dos municípios. A aplicação é feita exercício seguinte, observando os critérios estabelecidos pela Lei Estadual nº 3.201, de 23/12/81, com alterações introduzidas pela Lei Estadual nº 8.510, de 29/12/93.

Alterações na Nova Lei do gás podem impedir crescimento do setor

Paulo Pedrosa, presidente da ABRACE, acredita que as alterações do texto da Nova Lei do gás pelos senadores desfazem a ideia inicial, que era de dinamizar ao mercado de gás

São Paulo é um dos estados mais beneficiados com a aprovação da Nova Lei do Gás, em tramitação no Congresso Nacional. Afinal, são mais de 14 milhões de metros cúbicos diariamente distribuídos em SP. Segundo o senador Major Olimpio (PSL-SP), a medida é essencial para baratear o produto, assim como para a geração de emprego nas indústrias que atuam no setor.

“A proposta vai permitir a exploração por parceiros privados que, naturalmente vão investir. Não é atividade filantrópica, elas, evidentemente, vão ganhar, mas vai gerar uma diminuição significativa, ao longo do tempo, nos custos, tendo em vista deslocamentos menores, com a logística mais eficiente. E, por consequência, o barateamento do produto em todo o Brasil”, defende.

Os deputados analisarão novamente o (PL 4.476/2020), após ser aprovado pelos senadores, na última semana. Todavia, representantes do setor criticaram algumas das alterações feitas pelos senadores. O presidente da Abrace, Paulo Pedrosa, acredita que as alterações desconfiguram a ideia inicial de dar mais dinamismo ao mercado de gás.

“A pressão de segmentos que não querem um mercado de grandes volumes e preços competitivos voltaram para obrigar a localização de grandes termelétricas em determinados lugares e comprar a energia cara dessas termelétricas. Isso interrompe a expansão da energia renovável no Brasil, e gerando subsídios nas contas de energia elétrica, já que hoje, mais da metade do que se paga já são impostos, taxas, subsídios e distorções”, afirma.

foto externa Palácio do Congresso Nacional foto Rodolfo Stuckert 08.06.09

Nova Lei do gás no Senado

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) afirmou que o Executivo prefere o texto aprovado na Câmara, sem as alterações feitas pelos senadores. O governo trabalhará pelo texto original, quando os deputados analisarem novamente a matéria, segundo o senador.

A Nova Lei do Gás estabelece mecanismos para viabilizar o monopólio do mercado de gás, no qual a Petrobras participa com mais de 90%, de acordo com dados da ANP.  

A agência deve acompanhar o mercado com o intuito de estimular a competitividade. Sendo assim, a ANP usará alguns mecanismos. Por exemplo, a cessão compulsória de capacidade de transporte, escoamento da produção e processamento; obrigação de venda, em leilão, de parte dos volumes de comercialização detidos por empresas com elevada participação no mercado, por exemplo.

Mudanças no texto

O senador Eduardo Braga (MDB-AM), relator da matéria, acatou quatro emendas, de forma total ou parcial. Baseada em sugestão do senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), a proposta passou a permitir o acesso do biometano à rede de gasodutos. Dessa forma, favorecendo a produção e o consumo de gás produzido a partir de resíduos orgânicos.

Braga também acatou emenda da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES). A sugestão da congressista é de nos municípios produtores instalarem unidades de processamento de gás natural.

Por fim, a emenda do senador Rogério Carvalho (PT-SE) também foi aceita. A sugestão era de reservar aos estados o serviço local de gás. Outra emenda, do senador Weverton (PDT-MA), também foi acatada. A parceria público privada (PPP) é prevista para o transporte de gás, segundo o texto.

Fonte: Brasil 61

Ibovespa em queda, mutação do coronavírus no Reino Unido e mais.

O Ibovespa opera em queda na abertura, descida acentuada de -2,79% aos 114.730 pontos. A semana começa com atenção às notícias sobre a mutação do coronavírus na Inglaterra. Portanto, pode impactar na recuperação da economia global, elevando as preocupações da eficiência das vacinas.

As bolsas europeias também operam em queda, refletindo a preocupação com o coronavírus. O Stoxx 600 estava com -2,78%, o FTSE MIB com -3,40% e o DAX com -3,00%, às 8h35 de Brasília.

Neste domingo, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson impôs um novo lockdown de nível 4, similar ao que ocorreu em março no país. Dessa forma, a política fez com que países vizinhos fechassem as fronteiras com o Reino Unido e a população suspendesse as viagens entre os países.

Ibovespa em queda, apesar de estímulo nos EUA

Ainda que o do Congresso dos EUA tenha chegado a um acordo para o pacote de estímulos (US$ 900 bilhões) destinado a fornecer ajuda à economia e às famílias afetadas pela pandemia, os papéis em Wall Street também trabalham em forte queda após as notícias no Reino Unido.

O dólar dispara mais de 2%, em uma forte alta contra o real na manhã de hoje, superando a marca de R$ 5,20 reais depois que o Reino Unido anunciou um novo lockdown em meio a uma nova mutação do coronavírus e o crescimento de casos no país. A moeda é negociada a R$ 5,10, às 10h19 de Brasília.

Contudo, os futuros ligados ao Dow Jones estavam a -1,88%, ao S&P 500 a -2,10% e ao Nasdaq a -1,32%, às 8h35. Mesmo com a aprovação do Congresso, os ativos refletem as notícias do coronavírus emergindo da Inglaterra.

Hoje, as ações da China fecharam em alta, com investidores comemorando um apoio monetário de Pequim de sustentação à economia prejudicada pelo Coronavírus. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,9%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,8%.

Segundo a agência de notícias Xinhua, na última sexta (18), os líderes chineses informaram que vão manter o apoio para a recuperação econômica, evitando uma mudança repentina para ajudar a manter o crescimento econômico dentro de uma faixa razoável em 2021.

Perto do horário de almoço, o índice IBOVESPA apresenta recuperação, porém ainda em queda, -1,49% e 116.266 pontos.

SEHAL: Nota de Repúdio ao Governo de SP

Ao ato do Governador de São Paulo sobre o fechamento de restaurantes e pizzarias até às 22 horas

O Sehal, Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC, e a AETHAL, Associação das Empresas de Turismo, Hospedagem e Alimentação do Estado de São Paulo, por seu presidente, vem externar sua INDIGNAÇÃO com a postura  do Governo do Estado de São Paulo que, ao decretar o retorno do Estado de São Paulo para a fase amarela, o fez sem qualquer análise  das dificuldades econômicas que os empresários de nossa categoria estão enfrentando e, mais uma vez,  desatrelado de qualquer análise científica.

A maior gravidade está no fato de que a categoria não foi chamada para propor sugestões e alternativas que lhes permitissem continuar funcionando dentro dos critérios sanitários legais.

A determinação para encerramento das atividades às 22 horas, além de absurda, prejudica gravemente o comércio, restaurantes, buffets, pizzarias e similares.

Não vemos qualquer sentido em determinar que um cliente, que esteja jantando com familiares e amigos, deixe o estabelecimento às 22 horas, posto que sua permanência até as 23 horas em nada prejudicaria ou contribuiria para disseminação do vírus.

Fato é que estamos em dezembro. Historicamente, esperamos por dezembro para melhorar o faturamento, já que pagamos muitos encargos em dobro e que precisamos trabalhar para estancar um pouco nossas dívidas.

Além disso, dezembro é mês de encontros, de confraternização, de jantares, de Natal e Ano Novo.  A economia se aquece e a roda gira.

Mas, sem qualquer justificativa, o governador fechou até mesmo os restaurantes, pizzarias, buffets e similares, obrigando-os a encerrar suas atividades às 22 horas.

Será que uma hora a mais no funcionamento do restaurante e pizzaria, com pessoas sentadas e dentro das regras, impactaria em propagação de vírus?

Enfim, vivemos em um País de demagogias, onde o transporte público vive abarrotado contaminando aqueles trabalhadores que dependem do mesmo para ir e vir. E, para isso, o governo fecha os olhos!

A hipocrisia governamental é tão latente que deixaram transcorrer livremente as eleições com encontros, comícios e etc, sem qualquer impedimento para, tão logo apuradas as urnas, viessem em rede nacional anunciar o agravamento da pandemia.

Colocar a responsabilidade da contaminação nos restaurantes, pizzarias, buffets e similares e punir os empresários impedindo-os de trabalhar é inaceitável. Não podemos ver os empresários serem tratados como culpados por todas as mazelas da sociedade.

Se querem buscar culpados, busquem nas baladas clandestinas e nos lugares onde pessoas, sem qualquer controle, se aglomeram de forma irresponsável. Intensifiquem a fiscalização e punam os culpados! Deixem quem trabalha corretamente continuar trabalhando!

Os estabelecimentos de nossa base, na grande maioria, estão preparados para o enfrentamento do vírus, com medidas e protocolos que estão seguindo desde o início da pandemia.

Estamos cansados de ver nosso governador ignorar a importância de nossa categoria para a economia do Estado!

Não vamos nos calar! Pedimos socorro aos prefeitos dos municípios que representamos (São Bernardo, São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires, Diadema e Rio Grande da Serra) para que nos permitam trabalhar em dias normais ao menos até as 23 horas e em véspera de Natal (dia 24/12) bem como no ano novo (31/12). Que possamos receber clientes até a 1h00, realizando jantares com pessoas sentadas, com a capacidade de lotação de 60%, música ambiente e respeitadas as regras sanitárias já vigentes.

Carlos Roberto Moreira
Presidente do SEHAL / AETHAL

Empréstimos às pequenas empresas: ACISBEC faz parceria para facilitar

A ACCrédito é uma instituição financeira autorizada pelo Banco Central com o propósito de apoiar microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas. Facilitação de empréstimos às pequenas empresas.

Com a perspectiva de retomada da economia após o período da pandemia, provocada pela covid-19, a ACISBEC (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo do Campo), em parceria com a ACCrédito, oferece aos associados e empreendedores uma plataforma digital para acessar vários benefícios.

A ACCrédito é uma instituição financeira, que oferece empréstimos para micro e pequenas empresas, associadas a Federação de Associações Comerciais do Estado de São Paulo (FACESP) com taxas e prazos diferenciados e carência para pagar, com rapidez e sem burocracia. A instituição é autorizada pelo Banco Central e tem a finalidade de apoiar o desenvolvimento e crescimento de microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas, oferecendo linhas de crédito com condições exclusivas.

De acordo com o presidente da ACISBEC, Valter Moura, trata-se de um serviço a mais disponível para o associado. “A nossa preocupação é fomentar o comércio e oferecer produtos e serviços que auxiliem os associados na gestão eficiente de seus negócios”, explica.

Outras informações podem ser acessadas pelo https://www.accreditodigital.com.br.

Sobre a ACISBEC

Instituição com mais de sete décadas de existência, foi fundada em 27 de setembro de 1944 e tem como presidente Valter Moura. Instalada em sede própria com área de quatro mil metros construídos, dispõe de ampla estrutura distribuída em seis pavimentos com auditório para 400 pessoas, salas de reunião, salão de exposição para feiras e fóruns de negócios, cursos e palestras, entre outros.

Ao longo dos anos, a ACISBEC implantou serviços, projetos, realizou convênios e parcerias em benefício dos associados e comunidade. Entre os atendimentos prestados estão consulta Pessoa Física e Pessoa Jurídica; Cadastro Positivo; Certificado Digital; Certificado de Origem; ACISBEC Mobile; Cursos e Eventos e dispõe de locação de salas.

ParkShopping São Caetano passa a funcionar em novo horário

Desde ontem, 3 de dezembro, o ParkShopping São Caetano passou a funcionar das 12h às 22h, de segunda a domingo, com capacidade de 40% de público, respeitando o decreto municipal que reclassifica a cidade para a Fase Amarela do Plano São Paulo. O rigoroso protocolo de higienização e segurança implantado desde a reabertura continua em vigor para preservar a saúde e bem-estar de clientes, lojistas e colaboradores. ParkShopping São Caetano passa a funcionar em novo horário

Todas as lojas, restaurantes e praça de alimentação funcionarão no horário das 12h às 22h diariamente. Nesta fase, Cinema, HotZone e YouPlaySpace permanecerão fechados.

Os serviços de Delivery e Drive-thru continuam operando no horário de funcionamento do shopping. Confira a lista de lojas participantes no site www.parkshoppingsaocaetano.com.br.

O protocolo de higienização e segurança desenvolvido pela Multiplan se enquadra nas medidas propostas a todos os shopping centers pela Abrasce, que teve o seu protocolo validado pelo Hospital Sírio Libanês. Foi adotada uma intensa rotina de assepsia em todas as dependências, aferição de temperatura nas entradas do shopping, uso obrigatório de máscaras para todos e ampliação de pontos com dispensers de álcool em gel.

Além disso, demarcações no piso para orientar o distanciamento mínimo entre as pessoas e também faz parte do protocolo de segurança, respeitando todas as determinações que foram estabelecidas pelo município.

Serviço – novo horário:
Segunda a domingo: das 12h às 22h

ParkShopping São Caetano passa a funcionar em novo horário

Endereço: Alameda Terracota, 545, Espaço Cerâmica, São Caetano do Sul – SP
Informações: 4003-4174 e www.parkshoppingsaocaetano.com.br
Facebook e Twitter /pssaocaetano
Instagram /parkshoppingsaocaetano

Sobre o ParkShopping São Caetano
Inaugurado no final de 2011, o ParkShopping São Caetano foi construído no novo bairro da cidade de São Caetano do Sul, o Espaço Cerâmica: um complexo multiúso com edifícios residenciais e comerciais em uma área de 300 mil m². O shopping possui 218 lojas, sendo 15 âncoras e megalojas distribuídas em dois pisos (São Caetano e São Paulo). Com foco nos públicos das classes A e B, o ParkShopping São Caetano atende não só as cidades do Grande ABC como também a bairros de São Paulo localizados em seu entorno, como Ipiranga, Nova Saúde, Mooca, Vila Prudente, entre outros. O empreendimento, portanto, tem a característica de ser regional e, para isso, há a preocupação constante em aperfeiçoar o seu mix de lojas para ser o mais completo nas áreas de moda, serviços, lazer e alimentação da região. Outra preocupação é sempre trazer ao consumidor da região novas operações até então inéditas em shoppings do ABC. O ParkShopping São Caetano conta ainda com o Supermercado St Marche.

Sobre a Multiplan

A Multiplan possui atualmente 19 shopping centers em operação e é uma das maiores empresas do setor no Brasil. A companhia também atua estrategicamente no desenvolvimento de imóveis comerciais e residenciais, com projetos multiúso que geram sinergias para as operações de shopping centers, oferecem conveniência e comodidade aos usuários, e geram valor a seus ativos. Fundada em 1974 como empresa full service, é responsável pelo planejamento, desenvolvimento, propriedade e administração de um dos melhores portfólios de empreendimentos imobiliários do país. O ParkJacarepaguá, em construção no Rio de Janeiro, será o 20º shopping da companhia.

Os shopping centers da Multiplan totalizam mais de 5.800 lojas, tráfego anual estimado em 190 milhões de visitas e área bruta locável (ABL) de 834.871 m². Adicionalmente, a Companhia detém dois complexos corporativos com ABL de 50.640 m², que somados aos shopping centers resultam em ABL de 885.511 m². Mais informações em www.multiplan.com.br.

ACISBEC faz apelo aos comerciantes para que todos cumpram protocolos de segurança

Em LIVE da ACISBEC, Valter Moura Júnior reforçou a importância das medidas para evitar a propagação do contágio pelo novo coronavírus ACISBEC faz apelo aos comerciantes

O vice-presidente da ACISBEC (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo do Campo), Valter Moura Júnior, fez um apelo aos comerciantes, empreendedores e empresários em geral para que todos tenham consciência e reforcem os novos protocolos de segurança e higiene para evitar que a situação da pandemia piore e que outras medidas mais severas tenham que ser adotadas.

O alerta foi feito durante a LIVE da ACISBEC com o objetivo de levar informações e conscientizar todos os setores da sociedade sobre a gravidade da situação causada pelo novo coronavírus, especialmente agora, em que a taxa de transmissão da doença vem aumentando significativamente.

“As pessoas têm que tomar as devidas medidas de proteção contra o coronavírus, que é evitar aglomerações, utilizar a máscara, lavar as mãos utilizando água e sabão e também o uso do álcool gel. Isso é muito importante para que possamos evitar a propagação das transmissões”, explicou.

Além das recomendações básicas, Moura Júnior destacou a importância de o comércio seguir os novos protocolos. Para ajudar a conter uma possível segunda onda do novo coronavírus, a Prefeitura de São Bernardo publicou nos órgãos oficiais Decreto 21.374/20 que estabelece novas regras para funcionamento das atividades comerciais.

 “Essas ações estão adequadas com a fase amarela do Plano São Paulo e amplia as restrições ao horário de funcionamento do comércio, a capacidade máxima de ocupação dos estabelecimentos, e determina o reforço da fiscalização. O comércio não vai fechar, a vacina deve chegar em março e, por enquanto, devemos tomar o máximo de cuidado”, acrescentou.

Novas regras: ACISBEC faz apelo aos comerciantes

– bares, restaurantes e buffets poderão ficar abertos por, no máximo, 10 horas diárias, sendo permitido a entrada de clientes até as 21h e devendo os serviços encerrarem até as 22h. A capacidade máxima será de 40% da ocupação, com até seis pessoas por mesa, sendo proibido clientes em pé, bem como o atendimento em balcão, e música ao vivo.

 – shoppings, comércio em geral e lojas de conveniência, o horário de trabalho permitido será de até 10 horas diárias, limitado até às 22h. A capacidade de atendimento é de até 40% do declarado no Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) e, nas praças de alimentação, a ocupação permitida é de até 6 pessoas sentadas por mesa.

– academias de esportes, o funcionamento fica limitado a 10 horas diárias, até as 22h. Neste caso, a capacidade de ocupação deve ser de, no máximo, 30%. No mais, seguem proibidas as atividades coletivas e uso de piscinas, bem como a utilização de vestiários e chuveiros.

– estúdios de dança e ballet e os clubes sociais e esportivos poderão funcionar por até 10 horas diárias, até as 22h, no entanto, com capacidade máxima de até 40% da ocupação. Também segue proibido a utilização de vestiários e chuveiros e de danças com contato físico.

– salões de beleza, podologia e centros de estética, o funcionamento fica limitado a 10 horas diárias, até as 22h, com capacidade de ocupação de até 40% do declarado no AVCB. O Departamento de Vigilância Sanitária do Município, a Secretaria de Serviços Urbanos, a Secretaria de Obras e Planejamento Estratégico e a Guarda Civil Municipal (GCM) irão intensificar as medidas de fiscalização, com autorização para – em ações conjuntas ou separadas – aplicarem multas e, se necessário, interditar de imediato os estabelecimentos, caso descumpram os protocolos sanitários vigentes.

– intensificação da fiscalização com multas e, se necessário, interditar de imediato os estabelecimentos, caso descumpram os protocolos sanitários vigentes.

– obrigatoriedade de aferição de temperatura, uso de máscaras, distanciamento entre postos de trabalho e pessoas, disponibilização de álcool em gel 70% e higienização do ambiente e equipamentos.

Sobre a ACISBEC

Instituição com mais de sete décadas de existência, foi fundada em 27 de setembro de 1944 e tem como presidente Valter Moura. Instalada em sede própria com área de quatro mil metros construídos, dispõe de ampla estrutura distribuída em seis pavimentos com auditório para 400 pessoas, salas de reunião, salão de exposição para feiras e fóruns de negócios, cursos e palestras, entre outros.

Ao longo dos anos, a ACISBEC implantou serviços, projetos, realizou convênios e parcerias em benefício dos associados e comunidade. Entre os atendimentos prestados estão consulta Pessoa Física e Pessoa Jurídica; Cadastro Positivo; Certificado Digital; Certificado de Origem; ACISBEC Mobile; Cursos e Eventos e dispõe de locação de salas.

Procon SP e Black Friday: Espaço exclusivo para reclamações

Procon SP e Black Friday: Após registro do consumidor, fornecedores terão até dez dias para apresentar solução; dia de descontos acontece nesta sexta-feira (27)

O Procon-SP disponibiliza no seu site a partir de hoje (25) um espaço específico para quem tiver problemas durante a Black Friday, evento de descontos e promoções que acontece na próxima sexta-feira (27). A reclamação registrada no botão Black Friday será enviada imediatamente para o fornecedor, que terá até dez dias para dar uma solução ao consumidor.

No espaço, que fica acessível na página inicial do site, é possível informar problemas específicos do evento. Por exemplo: site intermitente ou congestionado, maquiagem de desconto, mudança de preço ao finalizar a compra, pagamento com boleto bancário indisponível, desconto ao mudar a compra e pedido cancelado após a finalização da compra. Além dos casos de não entrega, demora na entrega e produto/serviço entregue com defeito.

“A defesa do consumidor terá prioridade total. Tome cuidado, siga nossas dicas e denuncie. Estamos atentos e as empresas que tentarem transformar essa data promocional em uma dor de cabeça para o consumidor serão punidas exemplarmente”, avisa Fernando Capez, diretor executivo do Procon-SP.

Essa é mais uma medida que o Procon-SP traz para o consumidor aproveitar a data sem problemas. Grandes fornecedores que participarão do evento reuniram-se com a instituição, apresentaram seus planejamentos e assumiram compromisso de transparência e reforço no atendimento. Procon-SP seguirá monitorando e casos de desrespeito à legislação serão multados.

Redes Sociais: Procon SP e Black Friday

Nos casos em que o consumidor não tiver interesse em comprar o produto ou serviço, mas quiser fazer uma denúncia contra a empresa, ele poderá acionar as redes sociais do Procon-SP. Os nossos perfis oficiais são: @proconsp (facebook e instagram) e @proconspoficial (twitter); e o site é o procon.sp.gov.br.

É importante que o consumidor indique o endereço da loja. Além disso, apresente os prints das telas demonstrando o que ocorreu de errado com a compra.

Verificar qual preço está sendo praticado no mercado nos próximos dias, pesquisar em mais de um estabelecimento, fazer prints das telas com os preços oferecidos pelas lojas, usar aplicativos e sites de comparação de preços ajudam a avaliar se o valor é de fato promocional.

Recomenda-se fazer uma lista do produto ou serviço que precisa ou deseja e estipular um limite de gasto. Assim, evitando gastar mais do que o previsto e prejudicar o orçamento. Além disso, é interessante pesquisar previamente sobre o produto que pretende comprar, como suas características, funções, locais em que está à venda, entre outros.

Observar o prazo de entrega e informar-se antecipadamente sobre a política de troca da empresa são atitudes que ajudam a evitar problemas.

Black Week Atrium Shopping: Amigo secreto pode se dar bem!

Black Week Atrium Shopping separa dicas de presentes a partir de 34,90

Quem garantir o presente do amigo secreto entre os dias 21 e 29 de novembro, Black Week do Atrium Shopping, pode fazer a brincadeira ainda mais vantajosa para o presenteado. Com descontos de até 70% fica mais fácil manter a faixa de preços combinada e comprar aquele mimo especial.

O empreendimento separou uma lista de produtos de diversos segmentos em promoção, que podem garantir a alegria do amigo secreto. Veja abaixo:

O Boticário

  • Malbec Desodorante Colônia (100ml) – De 147,90 por 124,90
  • Batom Make B – De 46,90 por 36,90

FN Games

  • Jogo Resident Evil 3 para Xbox One – De 249,90 por 179,90
  • Watch Dogs Legion para PS4 – De 279,90 por 230

Fatto a Mano

  • Camisa de 179,90 por 79,90
  • Relógio de 219,90 por 149,90
  • Sapatenis de 219,90 por 149,90

& Technology Store

  • Fone de Ouvido Awei Magnético – De 99,90 por 59,90
  • Carregador Veicular Universal – De 54,90 por 34,90

H Deccor

  • Conjunto de Copos com 6 un. 350 mil. Vidro Transparente. Disponível em 3 modelos. De 89,90 por 49,90
  • Conjunto de taças em Cristal Bohemia Azul Turquesa 580 ml – De 299,90 por 199,90
  • Vaso em Porcelana Importada 35 cm de altura – De 299,90 por 199,90

Di Gaspi

  • Diversas bolsas por 69,99

Para deixar mais divertido, o diferencial do empreendimento será uma roleta de prêmios, disponível sexta-feira, 27, e sábado, 28, das 13h às 17h, no Piso Térreo. Cada cliente pode brincar e girar uma vez a roleta para ganhar desde descontos especiais, até brindes, ingressos para o Fantasy Park, Pista de Kart, tickets para o cinema, guloseimas e muitos outros mimos. A participação é gratuita.

Atrium Shopping
Rua Giovanni Battista Pirelli, 155 – Vila Homero Thon, Santo André
Telefone: (11) 3135-4500
Estacionamento visitantes:
De segunda-feira a sábado e feriados: 9 reais até 2 horas + 2 reais cada 2 horas adicionais. Aos domingos, 50% de desconto.

ACISBEC antecipa campanha de Natal com ações para lojistas

Workshop gratuito visa ajudar lojistas a venderem mais em dezembro, considerada a melhor época para o setor – acisbec campanha natal

A ACISBEC (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo do Campo) antecipou e lançou a campanha de Natal para os comerciantes com ações estratégicas para a época mais importante em vendas para o setor. A associação programou três dias de workshop digital gratuito para os lojistas com o tema Natal Digital. A programação será realizada pela diretoria regional do Sebrae no Grande ABC, de 24 a 26 de novembro, das 19h30 às 21h30.

“O consumidor está mais otimista com a retomada da economia e é preciso aproveitar essa época. Por isso, lançamos essas ações de apoio e incentivo para os lojistas usarem as melhores ferramentas e estratégicas neste fim de ano”, disse Valter Mouta, presidente da ACISBEC.

Os consultores do Sebrae, Caio Ito e Rosiane Moreira vão destacar no workshop Marketing Digital e Vendas que essas são áreas importantes para o sucesso dos negócios, especialmente em vendas. De acordo com eles, os negócios sem visibilidade não têm chances de sobreviver e, aliado a isso, a presença digital pode trazer mais benefícios para a empresa.

No dia 24 os analistas vão dar dicas de como criar uma conta empresarial no Facebook e anunciar nessa página e no Instagram. Na quinta-feira (25), o curso revela Tendências do Varejo e dicas de vídeo que vendem. No último dia (26), a programação ensina Como Configurar o Google Meu Negócio e criar uma conta empresarial no Instagram.

Informações e inscrições podem ser feitas pelos telefones (11) 4433-4270 e 4433-4271.

Sobre a ACISBEC

Instituição com mais de sete décadas de existência, foi fundada em 27 de setembro de 1944 e tem como presidente Valter Moura. Instalada em sede própria com área de quatro mil metros construídos, dispõe de ampla estrutura distribuída em seis pavimentos com auditório para 400 pessoas, salas de reunião, salão de exposição para feiras e fóruns de negócios, cursos e palestras, entre outros.

Ao longo dos anos, a ACISBEC implantou serviços, projetos, realizou convênios e parcerias em benefício dos associados e comunidade. Entre os atendimentos prestados estão consulta Pessoa Física e Pessoa Jurídica; Cadastro Positivo; Certificado Digital; Certificado de Origem; ACISBEC Mobile; Cursos e Eventos e dispõe de locação de salas.

Comerciantes se preparam para Black Friday na próxima sexta-feira

Data movimenta comércio eletrônico, mas atinge também as lojas físicas

O movimento da Black Friday neste ano, na próxima sexta-feira, (27) deve alcançar crescimento de 5% nas vendas. Para a ACISBEC (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo do Campo), o comércio virtual não terá tanto apelo como nos anos anteriores. “Em função da pandemia, os consumidores adotaram maior hábito pela compra via internet e deixou de ser a grande novidade. O comércio, por sua vez, vai lançar as promoções seguindo a tradição norte-americana na última sexta-feira do mês de novembro”, explica Valter Moura, presidente da ACISBEC.

Apesar de a ação ser voltada para o comércio eletrônico, as lojas físicas passaram a adotar a promoção, apesar da pandemia. De acordo com pesquisas de entidades do setor, o segmento de eletroeletrônicos e utilidades domésticas deverá ser o principal destaque entre os setores.

A ACISBEC orienta e dá dicas para os comerciantes aproveitarem a data:
-preparar o estabelecimento para o aumento da demanda
-investir em divulgação on line
-planejar a campanha
-oferecer promoções atrativas para fidelizar o cliente

A Black Friday ocorre sempre na última sexta-feira de novembro, sendo considerada a quinta data mais importante para o setor, atrás de Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças e Dia dos Pais.

Sobre a ACISBEC

Instituição com mais de sete décadas de existência, foi fundada em 27 de setembro de 1944 e tem como presidente Valter Moura. Instalada em sede própria com área de quatro mil metros construídos, dispõe de ampla estrutura distribuída em seis pavimentos com auditório para 400 pessoas, salas de reunião, salão de exposição para feiras e fóruns de negócios, cursos e palestras, entre outros.

Ao longo dos anos, a ACISBEC implantou serviços, projetos, realizou convênios e parcerias em benefício dos associados e comunidade. Entre os atendimentos prestados estão consulta Pessoa Física e Pessoa Jurídica; Cadastro Positivo; Certificado Digital; Certificado de Origem; ACISBEC Mobile; Cursos e Eventos e dispõe de locação de salas.

Shopping promove Maratona Black Friday no superapp Multi

Aplicativo vai apresentar ofertas especiais do Lápis Vermelho com até 70% de desconto para comprar nos shoppings da rede ou receber em casa no mesmo dia

Os Shoppings Anália Franco, MorumbiShopping, Vila Olímpia e ParkShopping São Caetano promovem, a partir do dia 23 de novembro, a Maratona Black Friday: uma semana inteira de ofertas do Lápis Vermelho com descontos de até 70% nas categorias de eletroportáteis, beleza e cosméticos, roupas e acessórios, eletrônicos, decoração, cama e mesa. Por meio do superapp Multi, os shoppings irão oferecer uma seleção de ofertas para que o cliente possa planejar as compras antes de sair de casa ou adquirir pelo próprio aplicativo, com entrega em até 24 horas. O Multi também vai oferecer cupons de desconto para compras nas lojas físicas.

Com o posicionamento “A gente corre por você”, a campanha de Black Friday da Multiplan aposta em curadoria e comodidade para os consumidores: o Multi terá uma página especial que funcionará como um agregador das ofertas, facilitando a vida dos clientes e permitindo que pesquisem as melhores promoções a qualquer hora, de onde estiverem. Também será possível comprar diretamente no aplicativo e receber os produtos no mesmo dia, em um raio de até 10 km dos shoppings.

Para quem preferir fazer compras por drive thru, o Multi oferece ainda um canal de venda direta que facilita a experiência: ao clicar na opção “combine seu pedido diretamente com a loja”, o aplicativo leva o consumidor ao WhatsApp do lojista para escolher seus produtos e combinar a retirada. Esse canal, que agrega contatos de centenas de lojas, também está disponível nos sites de todos os shoppings da Multiplan. 

“Nessa Black Friday vamos oferecer comodidade aos clientes, que querem aproveitar boas ofertas com segurança e otimizando seu tempo”, afirma Rodrigo Peres, Co-Head de Marketing, Inovação e Negócios Digitais (MIND) da Multiplan. “Nosso aplicativo realiza a curadoria e apresenta as melhores ofertas, usando a marca forte do Lápis Vermelho. E, para quem quiser aproveitar os melhores preços sem sair de casa, o Multi também oferece um serviço personalizado com shoppers que vão às lojas realizar a compra de qualquer produto escolhido pelos clientes, com entrega em um dos menores prazos do mercado”, completa. 

No site da Liquidação do Lápis Vermelho (www.liquidacaolapisvermelho.com.br) será possível consultar promoções da Black Friday e, ao acessar cada oferta, o cliente também pode entrar em contato com as lojas por WhatsApp ao clicar no botão “comprar”. As redes sociais do Lápis Vermelho (@lapisvermelho no Instagram e @LiquidacaoLapisVermelho no Facebook) também vão divulgar descontos especiais ao longo da semana.  

Frete grátis 

Entre os dias 23 e 26 e 28 e 30 de novembro, uma categoria de produtos terá destaque a cada dia no aplicativo. Na landing page da campanha (https://paginas.meumulti.com.br/black-friday/), onde já é possível se cadastrar para receber informações sobre a Maratona Black Friday, também será possível acompanhar as categorias selecionadas para cada dia. De segunda a quinta-feira, as entregas terão frete grátis.  Na sexta-feira, 27 de novembro, serão oferecidos cupons de desconto para serem usados em produtos e alimentação diretamente no shopping. 

Os Shoppings Anália Franco, MorumbiShopping, Vila Olímpia e ParkShopping São Caetano seguem um rigoroso protocolo de higienização e segurança elaborado por infectologistas, além de cumprir as normas estabelecidas pelas autoridades locais.

A Multiplan chega à Black Friday 2020 com 16 dos seus 18 shoppings integrados à funcionalidade de marketplace do Multi e mais de 44 mil produtos de diferentes segmentos disponíveis para compra pelo superapp.  

O superapp Multi está disponível para download no Google Play e Apple Store.

Sobre o MorumbiShopping

Desde 1982, o MorumbiShopping atua na vida e na moda do paulistano com um espaço democrático e um mix de lojas atual, moderno e variado. São, ao todo, 483 lojas dos mais diversos segmentos, como a Apple, Forever 21, Sephora, Coach, New Balance, Ricardo Almeida, FIT, Animale, as âncoras C&A, Renner, Zara e Riachuelo. Grande variedade de lojas para atender a todas as necessidades de seus clientes. A criação da Ala Morumbi Fashion, em 1984, e do GourmetShopping, em 1989, frisam o pioneirismo no DNA do MorumbiShopping. Foi o primeiro Shopping a criar uma área exclusiva de moda, com marcas nacionais e internacionais, e reúne, em um espaço reservado, 23 dos restaurantes mais prestigiados de São Paulo, como Pobre Juan, Zucco, Pirajá, entre outros. Premiado pelos principais veículos de São Paulo como o shopping mais completo, o MorumbiShopping posicionou-se como referência na cidade como um espaço democrático, que tem tudo para todos.

Sobre o ParkShopping São Caetano

Inaugurado no final de 2011, o ParkShopping São Caetano foi construído no novo bairro da cidade de São Caetano do Sul, o Espaço Cerâmica: um complexo multiúso com edifícios residenciais e comerciais em uma área de 300 mil m². O shopping possui 218 lojas, sendo 15 âncoras e megalojas distribuídas em dois pisos (São Caetano e São Paulo). Com foco nos públicos das classes A e B, o ParkShopping São Caetano atende não só as cidades do Grande ABC como também a bairros de São Paulo localizados em seu entorno, como Ipiranga, Nova Saúde, Mooca, Vila Prudente, entre outros. O empreendimento, portanto, tem a característica de ser regional e, para isso, há a preocupação constante em aperfeiçoar o seu mix de lojas para ser o mais completo nas áreas de moda, serviços, lazer e alimentação da região. Outra preocupação é sempre trazer ao consumidor da região novas operações até então inéditas em shoppings do ABC.  O ParkShopping São Caetano conta ainda com o Supermercado St Marche e com o Hot Zone, o mais moderno e completo Parque Indoor do país que ocupa 1.500 m² com mais de 200 atrações para adultos e crianças.

Sobre o Shopping Anália Franco

O Shopping Anália Franco é referência em moda, estilo e sofisticação na Zona Leste de São Paulo. Foi inaugurado em novembro de 1999, sendo o segundo shopping da Multiplan localizado na cidade de São Paulo, e contribuiu para a valorização da região. Desde então o empreendimento faz parte da vida dos moradores, sendo uma opção completa para compras, serviços e entretenimento para a família, garantindo praticidade e conforto. A concepção arquitetônica e o cuidado com a ambientação, por meio de paisagismo, iluminação natural, corredores largos e pé direito alto, também são fortes atrativos. Atualmente, o Shopping Anália Franco possui 403 lojas. Entre a variedade de serviços e lazer estão redes como Companhia Athletica, Laboratório Fleury, Tok&Stok e UCI Cinemas, com nove salas, sendo uma delas IMAX e uma 4DX. Ainda possui relevantes marcas nacionais e internacionais como Swarovski, Nespresso, Sephora, MAC, Osklen, Calvin Klein, Lacoste, Pandora, Le Lis Blanc e Ricardo Almeida. Na gastronomia, estão os restaurantes Abbraccio, Almanara, America, Frutaria SP, Madero, Nahoe Sushi, Outback SteakHouse e The Fifties. Completam a lista, 21 opções de fast-food instaladas na praça de alimentação, além de cafés e doçarias.

Sobre o Shopping Vila Olímpia

Inaugurado em novembro de 2009, o Shopping Vila Olímpia possui 191 lojas, um piso todo dedicado à alimentação, boliche com as 12 pistas mais modernas do País e sete salas de cinema Kinoplex, entre elas as duas primeiras salas Platinum do grupo Severiano Ribeiro. Desde 2014, o  empreendimento também conta com o Teatro Claro (antigo Theatro Net São Paulo), resultado da parceria da Brain Mais e a CLARO, que reúne conforto e tecnologia, com 2.300 m², capacidade de 799 lugares e estrutura para receber grandes espetáculos. O Shopping Vila Olímpia é uma opção para os consumidores das regiões que compreendem sua área de abrangência, tanto aqueles provenientes dos edifícios comerciais, como os moradores do entorno. Possui um mix de lojas variado, que alia marcas como Richards, VR, Forever 21, Renner e Riachuelo; uma forte oferta de serviços, estética e beleza, assim como diversas opções de gastronomia, com destaque para Madero, Outback, Pecorino, a 1ª operação do Abbraccio no Brasil, e novidades como Coco Bambu Conceito e Bullguer.

Sobre a Multiplan

A Multiplan possui atualmente 19 shopping centers em operação e é uma das maiores empresas do setor no Brasil. A companhia também atua estrategicamente no desenvolvimento de imóveis comerciais e residenciais, com projetos multiúso que geram sinergias para as operações de shopping centers, oferecem conveniência e comodidade aos usuários, e geram valor a seus ativos. Fundada em 1974 como empresa full service, é responsável pelo planejamento, desenvolvimento, propriedade e administração de um dos melhores portfólios de empreendimentos imobiliários do país. O ParkJacarepaguá, em construção no Rio de Janeiro, será o 20º shopping da companhia.

Os shopping centers da Multiplan totalizam mais de 5.800 lojas, tráfego anual estimado em 190 milhões de visitas e área bruta locável (ABL) de 835 mil m². Ao final do segundo trimestre de 2020, a Multiplan também detinha dois conjuntos de torres comerciais que somados à ABL de shopping centers resultam em ABL total de 922 mil m². Mais informações em www.multiplan.com.br.

Shopping Multiplan promovem Maratona Black Friday superapp Multi

Aplicativo vai apresentar ofertas especiais do Lápis Vermelho com até 70% de desconto para comprar nos shoppings da rede ou receber em casa no mesmo dia

Os Shoppings Anália Franco, MorumbiShopping, Vila Olímpia e ParkShopping São Caetano promovem, a partir do dia 23 de novembro, a Maratona Black Friday: uma semana inteira de ofertas do Lápis Vermelho com descontos de até 70% nas categorias de eletroportáteis, beleza e cosméticos, roupas e acessórios, eletrônicos, decoração, cama e mesa. Por meio do superapp Multi, os shoppings irão oferecer uma seleção de ofertas para que o cliente possa planejar as compras antes de sair de casa ou adquirir pelo próprio aplicativo, com entrega em até 24 horas. O Multi também vai oferecer cupons de desconto para compras nas lojas físicas.

Com o posicionamento “A gente corre por você”, a campanha de Black Friday da Multiplan aposta em curadoria e comodidade para os consumidores: o Multi terá uma página especial que funcionará como um agregador das ofertas, facilitando a vida dos clientes e permitindo que pesquisem as melhores promoções a qualquer hora, de onde estiverem. Também será possível comprar diretamente no aplicativo e receber os produtos no mesmo dia, em um raio de até 10 km dos shoppings.

Para quem preferir fazer compras por drive thru, o Multi oferece ainda um canal de venda direta que facilita a experiência: ao clicar na opção “combine seu pedido diretamente com a loja”, o aplicativo leva o consumidor ao WhatsApp do lojista para escolher seus produtos e combinar a retirada. Esse canal, que agrega contatos de centenas de lojas, também está disponível nos sites de todos os shoppings da Multiplan. 

“Nessa Black Friday vamos oferecer comodidade aos clientes, que querem aproveitar boas ofertas com segurança e otimizando seu tempo”, afirma Rodrigo Peres, Co-Head de Marketing, Inovação e Negócios Digitais (MIND) da Multiplan. “Nosso aplicativo realiza a curadoria e apresenta as melhores ofertas, usando a marca forte do Lápis Vermelho. E, para quem quiser aproveitar os melhores preços sem sair de casa, o Multi também oferece um serviço personalizado com shoppers que vão às lojas realizar a compra de qualquer produto escolhido pelos clientes, com entrega em um dos menores prazos do mercado”, completa. 

No site da Liquidação do Lápis Vermelho (www.liquidacaolapisvermelho.com.br) será possível consultar promoções da Black Friday e, ao acessar cada oferta, o cliente também pode entrar em contato com as lojas por WhatsApp ao clicar no botão “comprar”. As redes sociais do Lápis Vermelho (@lapisvermelho no Instagram e @LiquidacaoLapisVermelho no Facebook) também vão divulgar descontos especiais ao longo da semana.  

Frete grátis 

Entre os dias 23 e 26 e 28 e 30 de novembro, uma categoria de produtos terá destaque a cada dia no aplicativo. Na landing page da campanha (https://paginas.meumulti.com.br/black-friday/), onde já é possível se cadastrar para receber informações sobre a Maratona Black Friday, também será possível acompanhar as categorias selecionadas para cada dia. De segunda a quinta-feira, as entregas terão frete grátis.  Na sexta-feira, 27 de novembro, serão oferecidos cupons de desconto para serem usados em produtos e alimentação diretamente no shopping. 

Os Shoppings Anália Franco, MorumbiShopping, Vila Olímpia e ParkShopping São Caetano seguem um rigoroso protocolo de higienização e segurança elaborado por infectologistas, além de cumprir as normas estabelecidas pelas autoridades locais.

A Multiplan chega à Black Friday 2020 com 16 dos seus 18 shoppings integrados à funcionalidade de marketplace do Multi e mais de 44 mil produtos de diferentes segmentos disponíveis para compra pelo superapp.  

O superapp Multi está disponível para download no Google Play e Apple Store.

Sobre o MorumbiShopping

Desde 1982, o MorumbiShopping atua na vida e na moda do paulistano com um espaço democrático e um mix de lojas atual, moderno e variado. São, ao todo, 483 lojas dos mais diversos segmentos, como a Apple, Forever 21, Sephora, Coach, New Balance, Ricardo Almeida, FIT, Animale, as âncoras C&A, Renner, Zara e Riachuelo. Grande variedade de lojas para atender a todas as necessidades de seus clientes. A criação da Ala Morumbi Fashion, em 1984, e do GourmetShopping, em 1989, frisam o pioneirismo no DNA do MorumbiShopping. Foi o primeiro Shopping a criar uma área exclusiva de moda, com marcas nacionais e internacionais, e reúne, em um espaço reservado, 23 dos restaurantes mais prestigiados de São Paulo, como Pobre Juan, Zucco, Pirajá, entre outros. Premiado pelos principais veículos de São Paulo como o shopping mais completo, o MorumbiShopping posicionou-se como referência na cidade como um espaço democrático, que tem tudo para todos.

Sobre o ParkShopping São Caetano

Inaugurado no final de 2011, o ParkShopping São Caetano foi construído no novo bairro da cidade de São Caetano do Sul, o Espaço Cerâmica: um complexo multiúso com edifícios residenciais e comerciais em uma área de 300 mil m². O shopping possui 218 lojas, sendo 15 âncoras e megalojas distribuídas em dois pisos (São Caetano e São Paulo). Com foco nos públicos das classes A e B, o ParkShopping São Caetano atende não só as cidades do Grande ABC como também a bairros de São Paulo localizados em seu entorno, como Ipiranga, Nova Saúde, Mooca, Vila Prudente, entre outros. O empreendimento, portanto, tem a característica de ser regional e, para isso, há a preocupação constante em aperfeiçoar o seu mix de lojas para ser o mais completo nas áreas de moda, serviços, lazer e alimentação da região. Outra preocupação é sempre trazer ao consumidor da região novas operações até então inéditas em shoppings do ABC.  O ParkShopping São Caetano conta ainda com o Supermercado St Marche e com o Hot Zone, o mais moderno e completo Parque Indoor do país que ocupa 1.500 m² com mais de 200 atrações para adultos e crianças.

Sobre o Shopping Anália Franco

O Shopping Anália Franco é referência em moda, estilo e sofisticação na Zona Leste de São Paulo. Foi inaugurado em novembro de 1999, sendo o segundo shopping da Multiplan localizado na cidade de São Paulo, e contribuiu para a valorização da região. Desde então o empreendimento faz parte da vida dos moradores, sendo uma opção completa para compras, serviços e entretenimento para a família, garantindo praticidade e conforto. A concepção arquitetônica e o cuidado com a ambientação, por meio de paisagismo, iluminação natural, corredores largos e pé direito alto, também são fortes atrativos. Atualmente, o Shopping Anália Franco possui 403 lojas. Entre a variedade de serviços e lazer estão redes como Companhia Athletica, Laboratório Fleury, Tok&Stok e UCI Cinemas, com nove salas, sendo uma delas IMAX e uma 4DX. Ainda possui relevantes marcas nacionais e internacionais como Swarovski, Nespresso, Sephora, MAC, Osklen, Calvin Klein, Lacoste, Pandora, Le Lis Blanc e Ricardo Almeida. Na gastronomia, estão os restaurantes Abbraccio, Almanara, America, Frutaria SP, Madero, Nahoe Sushi, Outback SteakHouse e The Fifties. Completam a lista, 21 opções de fast-food instaladas na praça de alimentação, além de cafés e doçarias.

Sobre o Shopping Vila Olímpia

Inaugurado em novembro de 2009, o Shopping Vila Olímpia possui 191 lojas, um piso todo dedicado à alimentação, boliche com as 12 pistas mais modernas do País e sete salas de cinema Kinoplex, entre elas as duas primeiras salas Platinum do grupo Severiano Ribeiro. Desde 2014, o  empreendimento também conta com o Teatro Claro (antigo Theatro Net São Paulo), resultado da parceria da Brain Mais e a CLARO, que reúne conforto e tecnologia, com 2.300 m², capacidade de 799 lugares e estrutura para receber grandes espetáculos. O Shopping Vila Olímpia é uma opção para os consumidores das regiões que compreendem sua área de abrangência, tanto aqueles provenientes dos edifícios comerciais, como os moradores do entorno. Possui um mix de lojas variado, que alia marcas como Richards, VR, Forever 21, Renner e Riachuelo; uma forte oferta de serviços, estética e beleza, assim como diversas opções de gastronomia, com destaque para Madero, Outback, Pecorino, a 1ª operação do Abbraccio no Brasil, e novidades como Coco Bambu Conceito e Bullguer.

Sobre a Multiplan

A Multiplan possui atualmente 19 shopping centers em operação e é uma das maiores empresas do setor no Brasil. A companhia também atua estrategicamente no desenvolvimento de imóveis comerciais e residenciais, com projetos multiúso que geram sinergias para as operações de shopping centers, oferecem conveniência e comodidade aos usuários, e geram valor a seus ativos. Fundada em 1974 como empresa full service, é responsável pelo planejamento, desenvolvimento, propriedade e administração de um dos melhores portfólios de empreendimentos imobiliários do país. O ParkJacarepaguá, em construção no Rio de Janeiro, será o 20º shopping da companhia.

Os shopping centers da Multiplan totalizam mais de 5.800 lojas, tráfego anual estimado em 190 milhões de visitas e área bruta locável (ABL) de 835 mil m². Ao final do segundo trimestre de 2020, a Multiplan também detinha dois conjuntos de torres comerciais que somados à ABL de shopping centers resultam em ABL total de 922 mil m². Mais informações em www.multiplan.com.br.

Assessoria de imprensa 

MktMix Assessoria de Comunicação
Ana Claudia Gomes – anaclaudia.gomes@mktmix.com.br
Virgínia Ribeiro – virginia@mktmix.com.br
Luís Dolci – luisdolci@mktmix.com.br
Whatsapp (11) 96327-8417

Em setembro, volume de serviços cresceu 1,8%

Em setembro de 2020, o volume de serviços no Brasil avançou 1,8% frente a agosto, na série com ajuste sazonal. Foi a quarta taxa positiva seguida, acumulando alta de 13,4% no período. Esse resultado sucedeu uma sequência de quatro taxas negativas, entre fevereiro e maio, com perda acumulada de 19,8%.

Na série sem ajuste sazonal, frente a setembro de 2019, o volume de serviços recuou 7,2%, sua sétima taxa negativa seguida nessa comparação. O acumulado no ano caiu 8,8% frente ao mesmo período de 2019.

A taxa dos últimos 12 meses recuou 6,0% em setembro de 2020, mantendo a trajetória descendente iniciada em janeiro de 2020 e chegando ao resultado negativo mais intenso da série deste indicador, iniciada em dezembro de 2012.

PeríodoVariação (%)
VolumeReceita Nominal
Setembro 20 / Agosto 20*1,82,0
Setembro 20 / Setembro 19-7,2-7,5
Acumulado Janeiro-Setembro-8,8-8,1
Acumulado nos Últimos 12 Meses-6,0-4,7
    *série com ajuste sazonal  

alta de 1,8% do volume de serviços, de agosto para setembro de 2020, foi acompanhada por quatro das cinco atividades investigadas, com destaque para serviços de informação e comunicação que, ao avançarem 2,0% neste mês, acumularam um ganho de 7,0% no período junho-setembro, após terem recuado 8,9% entre janeiro e maio de 2020.

Os demais avanços vieram dos serviços prestados às famílias (9,0%), de outros serviços (4,8%) e dos transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (1,1%). O primeiro setor registrou a segunda taxa positiva seguida e já acumula ganho de 71,0% entre maio e setembro, mas ainda precisa crescer 55,9% para retornar ao patamar de fevereiro, mês que antecedeu a pandemia da COVID-19.

Os outros serviços avançaram 18,6% nos últimos quatro meses, especialmente, em função dos ganhos de receita vindos dos segmentos de serviços financeiros auxiliares. Com isso, o setor ultrapassou o nível de fevereiro, anterior à pandemia, e atingiu, em setembro, o patamar mais elevado desde outubro de 2014.

Os transportes tiveram o quinto resultado positivo seguido e acumularam ganho de 20,3% entre maio e setembro, mas ainda precisam avançar 11,1% para atingir o nível de fevereiro.

O único resultado negativo do mês ficou com os serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,6%), que eliminaram pequena parte do ganho de 5,8% observado no período de junho a agosto.

média móvel trimestral cresceu 2,5% no trimestre encerrado em setembro, mantendo a trajetória ascendente iniciada em julho último.

Todas as cinco atividades mostraram resultados positivos em setembro, com destaque para serviços prestados às famílias (9,9%), seguido pelos outros serviços (3,1%), transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,4%), serviços profissionais, administrativos e complementares (1,1%) e informação e comunicação (1,0%).

Frente a setembro de 2019, o volume dos serviços caiu 7,2%, sua sétima taxa negativa seguida para esta comparação. Houve queda em quatro das cinco atividades e crescimento em pouco mais de um terço (36,7%) dos 166 tipos de serviços investigados.

Entre os setores, os serviços profissionais, administrativos e complementares (-13,6%), os serviços prestados às famílias (-36,4%) e os transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-6,3%) exerceram as principais influências negativas sobre o volume total de serviços.

O transporte rodoviário de carga voltou a mostrar crescimento em setembro, frente a igual mês do ano anterior, algo que não acontecia desde março último. A recuperação deste segmento está atrelada à melhora recente observada nos setores industrial e comercial, que vêm demonstrando uma recuperação econômica mais robusta que a do setor de serviços.

Também em queda frente a setembro de 2019, mas com menor impacto no índice geral, os serviços de informação e comunicação (-1,0%) mostraram perda de receita nos ramos de telecomunicações; programadoras e atividades relacionadas à televisão por assinatura; desenvolvimento e licenciamento de softwares; atividades de exibição cinematográfica; e operadoras de TV por assinatura por satélite.

A única contribuição positiva nesse mês veio de outros serviços (13,2%), impulsionado, sobretudo, pelo aumento de receita das empresas pertencentes aos ramos de administração de fundos por contrato ou comissão; administração de bolsas e mercados de balcão organizados; corretoras de títulos e valores mobiliários; atividades de pós-colheita; e recuperação de materiais plásticos.

Indicadores do Volume de Serviços, segundo as atividades de divulgaçãoSetembro 2020 – Variação (%)
Atividades de DivulgaçãoMês/Mês anterior (1)Mensal (2)Acumulado no ano (3)Últimos 12 meses (4)
JULAGOSETJULAGOSETJAN-JULJAN-AGOJAN-SETAté JULAté AGOAté SET
Volume de Serviços – Brasil2,72,91,8-12,0-10,0-7,2-8,9-9,0-8,8-4,5-5,3-6,0
1. Serviços prestados às famílias-11,235,19,0-55,0-43,9-36,4-38,2-38,9-38,6-21,9-25,5-28,4
1.1 Serviços de alojamento e alimentação-12,539,59,1-57,2-45,4-38,4-39,7-40,4-40,2-22,6-26,3-29,4
1.2 Outros serviços prestados às famílias4,07,210,9-42,6-35,3-25,2-29,9-30,6-30,0-18,1-20,9-23,1
2. Serviços de informação e comunicação1,9-1,02,0-2,5-4,0-1,0-2,6-2,7-2,50,1-0,6-0,9
2.1 Serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC)1,2-1,31,40,9-1,11,3-0,2-0,3-0,11,30,80,7
2.1.1 Telecomunicações0,30,20,3-3,7-3,0-2,8-3,9-3,8-3,7-2,8-2,9-3,1
2.1.2 Serviços de tecnologia da informação6,1-4,03,29,52,38,86,86,26,59,17,87,7
2.2 Serviços audiovisuais6,23,45,6-26,1-24,3-17,7-19,4-20,1-19,8-8,0-10,3-11,8
3. Serviços profissionais, administrativos e complementares2,51,4-0,6-14,7-14,1-13,6-11,2-11,6-11,8-5,6-6,6-8,0
3.1 Serviços técnico-profissionais9,10,9-1,9-5,3-1,4-7,8-6,8-6,2-6,3-0,8-0,8-2,0
3.2 Serviços administrativos e complementares0,70,71,1-17,9-18,5-15,7-12,7-13,4-13,7-7,3-8,6-10,1
4. Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio2,23,91,1-11,6-8,4-6,3-9,0-8,9-8,6-6,2-6,2-6,6
4.1 Transporte terrestre6,34,42,3-15,7-12,6-8,2-13,8-13,6-13,0-9,4-9,9-10,4
4.2 Transporte aquaviário1,3-1,73,16,32,610,912,611,211,28,38,19,2
4.3 Transporte aéreo20,615,819,2-51,4-39,5-35,5-37,7-37,9-37,6-22,9-24,3-27,1
4.4 Armazenagem, serviços auxiliares aos transportes e correio0,92,6-2,92,54,21,52,02,32,20,71,61,8
5. Outros serviços3,71,04,84,57,113,24,95,26,16,16,36,5
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria    (1) Base: mês imediatamente anterior – com ajuste sazonal;  (2) Base: igual mês do ano anterior;  (3) Base: igual período do ano anterior;  (4) Base: 12 meses anteriores

No acumulado do ano, frente a igual período de 2019, o setor de serviços recuou 8,8%, com queda em quatro das cinco atividades de divulgação e com expansão em apenas 25,3% dos 166 tipos de serviços investigados.

Entre os setores, os serviços prestados às famílias (-38,6%) exerceram a influência negativa mais relevante, pressionados, especialmente, pela queda nas receitas de restaurantes; hotéis; e de catering, bufê e outros serviços de comida preparada. Esse setor ainda retoma lentamente suas atividades, em função do caráter presencial de seus serviços, do impedimento legal de funcionamento à plena capacidade para evitar aglomerações e do receio da população quanto à suscetibilidade de contágio.

Outras pressões negativas vieram de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-8,6%) e de serviços profissionais, administrativos e complementares (-11,8%), explicados, principalmente, pela redução na receita das empresas de transporte aéreo de passageiros; rodoviário coletivo de passageiros; rodoviário de cargas; correio nacional; e metroferroviário de passageiros, no primeiro ramo; e de gestão de ativos intangíveis; administração de programas de fidelidade; soluções de pagamentos eletrônicos; limpeza geral; agências de viagens; organização, promoção e gestão de feiras, congressos e convenções; aluguel de máquinas e equipamentos; e vigilância e segurança privadas, no último.

Com menor impacto no índice geral, comparativamente às demais atividades, os serviços de informação e comunicação (-2,5%) apresentaram perdas de receita especialmente nos segmentos de telecomunicações; programadoras e atividades relacionadas à televisão por assinatura; atividades de exibição cinematográfica; consultoria em tecnologia da informação; e operadoras de TV por satélite.

A única contribuição positiva no acumulado de janeiro a setembro de 2020, frente a igual período de 2019, ficou com o setor de outros serviços (6,1%), impulsionado, em grande parte, pelo aumento das receitas nos segmentos de corretoras de títulos, valores mobiliários e mercadorias; administração de bolsas e mercados de balcão organizados; atividades de administração de fundos por contrato ou comissão; e coleta de resíduos não perigosos de origem doméstica, urbana ou industrial.

Serviços cresceram em 25 das 27 Unidades da Federação

Regionalmente, 25 das 27 unidades da federação tiveram expansão no volume de serviços em setembro, frente a agosto, acompanhando o avanço (1,8%) observado nacionalmente.

Entre os locais que apontaram resultados positivos nesse mês, São Paulo (1,6%) exerceu o impacto positivo mais importante. Outras contribuições positivas relevantes vieram do Rio Grande do Sul (4,0%), Santa Catarina (4,9%) e do Paraná (2,6%).

Em contrapartida, o Rio de Janeiro (-0,5%) registrou a única retração em termos regionais, pressionado pela queda na receita de empresas que atuam em serviços vinculados à cadeia do petróleo, tais como: logística, investigação sísmica e transporte dutoviário. Por sua vez, o Tocantins (0,0%) apontou estabilidade na comparação com agosto.

Frente a setembro de 2019, o recuo do volume de serviços no Brasil (-7,2%) foi acompanhado por 20 das 27 unidades da federação. A principal influência negativa ficou com São Paulo (-7,4%), seguido por Rio de Janeiro (-10,4%), Bahia (-16,7%), Rio Grande do Sul (-10,5%) e Paraná (-8,1%). Por outro lado, Santa Catarina (3,7%), Amazonas (8,4%) e Mato Grosso (3,3%) assinalaram os resultados positivos mais relevantes.

Já no acumulado de 2020, frente a igual período do ano anterior, a queda do volume de serviços no Brasil (-8,8%) se deu de forma disseminada entre os locais investigados, já que 26 das 27 unidades da federação também mostraram retração na receita real de serviços.

O principal impacto negativo em termos regionais veio de São Paulo (-8,3%), seguido por Rio de Janeiro (-7,3%), Rio Grande do Sul (-14,0%) e Minas Gerais (-7,9%). Por outro lado, a única contribuição positiva no índice nacional veio de Rondônia (3,4%).

Índice de atividades turísticas cresce 11,5% em setembro

Em setembro de 2020, o índice de atividades turísticas cresceu 11,5% frente a agosto, quinta taxa positiva seguida, período em que acumulou ganho de 88,8%. O segmento de turismo ainda necessita avançar 66,1% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020 (mês que antecedeu aos efeitos da pandemia). As medidas contra a COVID-19 (como o estímulo ao isolamento social) atingiram de forma mais intensa e imediata boa parte das atividades turísticas, principalmente ao transporte aéreo de passageiros, restaurantes e hotéis.

Todas as 12 unidades da federação onde o indicador é investigado acompanharam este movimento de expansão, com destaque para São Paulo (6,0%), seguido por Rio de Janeiro (7,9%), Bahia (33,7%) e Distrito Federal (26,2%).

Frente a setembro de 2019, o índice de volume de atividades turísticas no Brasil caiu 38,7%, sétima taxa negativa seguida, pressionado, principalmente, pela queda na receita de empresas que atuam nos ramos de transporte aéreo; restaurantes; hotéis; serviços de bufê; rodoviário coletivo de passageiros; agências de viagens; e locação de automóveis.

Em termos regionais, todas as 12 unidades da federação investigadas mostraram recuo nos serviços voltados ao turismo, com destaque para São Paulo (-43,8%), seguido por Rio de Janeiro (-31,3%), Minas Gerais (-36,7%), Bahia (-44,5%), Rio Grande do Sul (-46,4%) e Pernambuco (-47,5%).

No acumulado do ano, o agregado especial de atividades turísticas caiu 38,8% frente a igual período de 2019, pressionado, sobretudo, pelos ramos de restaurantes; transporte aéreo; hotéis; rodoviário coletivo de passageiros; catering, bufê e outros serviços de comida preparada; e agências de viagens.

Em setembro, vendas no varejo sobem 0,6%

Em setembro de 2020, o comércio varejista nacional cresceu 0,6% frente a agosto, na série com ajuste sazonal, quinta alta consecutiva desde maio de 2020. A média móvel trimestral foi de 2,8%. Na série sem ajuste sazonal, em relação a setembro de 2019, o comércio cresceu 7,3%, quarta taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o varejo registra estabilidade (0,0%), após cinco meses no campo negativo. Já o acumulado nos últimos 12 meses aumentou 0,9%.

No varejo ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas cresceu 1,2% em relação a agosto de 2020, quinta variação positiva consecutiva. A média móvel subiu 4,0% reduzindo o ritmo de crescimento das vendas, comparada à média móvel nos trimestres encerrados em agosto (7,4%) e julho (11,1%). Em relação a setembro de 2019, o comércio varejista ampliado cresceu 7,4%, sua terceira taxa positiva consecutiva.

PeríodoVarejo (%)Varejo Ampliado (%)
Volume de vendasReceita nominalVolume de vendasReceita nominal
Setembro / Agosto*0,62,11,22,2
Média móvel trimestral*2,83,74,04,9
Setembro 2020 / Setembro 20197,313,47,413,1
Acumulado 20200,03,6-3,6-0,1
Acumulado 12 meses0,94,2-1,41,6
*Série COM ajuste sazonal    Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria  

Em setembro, o volume de vendas no varejo subiu 0,6% em relação a agosto e segue trajetória ascendente desde maio de 2020, após o momento de maior queda devido à pandemia de Covid-19. Foi a quinta alta consecutiva, embora com menor magnitude que as anteriores. Com isso, o patamar do comércio varejista, que já havia atingido seu nível recorde no mês de agosto, continua em crescimento. Chama a atenção a recuperação de alguns setores que, nos meses anteriores acumulavam perdas, como Veículos, motos, partes e peças e Tecidos, vestuário e calçados.

Na série com ajuste sazonal, setembro teve predominância de taxas positivas, atingindo cinco das oito atividades pesquisadas. Houve resultados positivos em 13 das 27 UFs, com destaque para: Piauí (5,7%), São Paulo (2,1%) e Espírito Santo (1,8%).

No confronto com setembro de 2019, na série sem ajuste sazonal, as vendas do varejo subiram 7,3% em setembro de 2020, quarta taxa positiva consecutiva. Com isso, o varejo registra estabilidade (0,0%) no acumulado do ano, após seis meses no campo negativo. O acumulado nos últimos doze meses mostra aumento no ritmo das vendas pelo terceiro mês consecutivo, ao passar de 0,5% em agosto para 0,9% em setembro.

comércio varejista ampliado, frente a setembro de 2019, cresceu 7,4% contra aumento de 3,8% em agosto de 2020, terceira taxa positiva consecutiva. A variação acumulada de janeiro a setembro recuou 3,6% ante queda de 5,0% apontada até agosto. O indicador dos últimos doze meses, ao passar de -1,7% até agosto para -1,4% até setembro, mostra redução na intensidade de perda pelo terceiro mês consecutivo.

Cinco das oito atividades pesquisadas tiveram altas

Na série com ajuste sazonal, na passagem de agosto para setembro de 2020, houve alta em cinco das oito atividades pesquisadas: Livros, jornais, revistas e artigos de papelaria (8,9%); Combustíveis e lubrificantes (3,1%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (2,1%); Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (1,1%) e Móveis e eletrodomésticos (1,0%).

Por outro lado, pressionando negativamente, figuraram três setores: Tecidos, vestuário e calçados (-2,4%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,6%); e Hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0.4%).

No comércio varejista ampliado, na passagem de agosto para setembro, o setor de Veículos, motos, partes e peças registrou crescimento de 5,2% enquanto em Material de construção, o aumento foi 2,6%, ambos, respectivamente, após avanços de 8,3% e 3,6% registrados no mês anterior.

Tabela 1 – BRASIL INDICADORES DO VOLUME DE VENDAS NO COMÉRCIO VAREJISTA E COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO COMPOSIÇÃO DA TAXA MENSAL DO COMÉRCIO VAREJISTA, POR ATIVIDADES
Setembro 2020
AtividadesCOMÉRCIO VAREJISTA COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO
Taxa de variação (%)Composição absoluta da taxa (p.p.)Taxa de variação (%)Composição absoluta da taxa (p.p.)
Taxa Global7,37,37,47,4
1 – Combustíveis e lubrificantes-5,1-0,5-5,1-0,4
2 – Hiper, supermercados, prods.  alimentícios, bebidas e fumo4,42,14,41,4
3 – Tecidos, vest. e calçados-7,2-0,6-7,2-0,4
4 – Móveis e eletrodomésticos28,72,828,71,9
5 – Artigos farmaceuticos, med., ortop. e de perfumaria13,71,313,70,9
6 – Livros, jornais, rev. e papelaria-36,0-0,1-36,0-0,1
7 – Equip. e mat. para escritório informatica e comunicação-7,1-0,1-7,1-0,1
8 – Outros arts. de uso pessoal e doméstico18,92,418,91,6
9 – Veículos e motos, partes e peças  -1,5-0,4
10- Material de construção  31,32,9
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.    Nota: A composição da taxa mensal corresponde à participação dos resultados setoriais na formação da taxa global. 

Vendas avançam 6,3% frente ao mesmo trimestre de 2019

O trimestre encerrado em setembro de 2020, para o comércio varejista, na comparação com o mesmo período do ano anterior, apresentou ganho de 6,3%, maior variação positiva para este indicador desde o quarto trimestre de 2012, quando havia registrado 7,3%.

Houve variação positiva em quatro das oito atividades pesquisadas: Móveis e eletrodomésticos (30,4%); Outros artigos de uso pessoal e doméstico (15,6%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (12,0%) e Hiper e supermercados, produtos alimentícios e bebidas (5,7%).

Por outro lado, quatro atividades fecharam o trimestre no campo negativo: Livros, jornais, revistas e artigos de papelaria (-34,6%); Tecidos, vestuário e calçados (-15,4%); Combustíveis e lubrificantes (-8,3%) e Equipamentos e materiais para escritório e informática (-8,3%),

Ainda na comparação com o trimestre do ano anterior, o comércio varejista ampliado teve alta de 4,2%, influenciado, também, pela atividade de Material de construção, com aumento de 26,0%, recorde histórico da série.

Principais atividades:

Móveis e eletrodomésticos mostrou crescimento de 28,7% no volume de vendas em relação a setembro de 2019, quarto mês consecutivo de avanço. O setor exerceu o maior impacto positivo sobre a taxa do comércio varejista em setembro. Na comparação com agosto, na série com ajuste sazonal, o indicador de setembro ficou em 1,0%, quinta taxa positiva após dois meses de queda. No ano, o setor acumula 9,4% de aumento, no campo positivo pelo terceiro mês consecutivo. No indicador nos últimos 12 meses também houve aumento no ritmo de vendas, saindo de 1,1% em maio para 9,8% em setembro.

Outros artigos de uso pessoal e doméstico, que engloba lojas de departamentos, óticas, joalherias, artigos esportivos, brinquedos, etc., com 18,9% no volume de vendas em relação a setembro de 2019, mostrou estabilidade no ritmo de vendas em relação ao resultado de agosto (18,8%), exercendo a segunda maior contribuição positiva ao resultado geral do varejo. Em relação a agosto, houve queda de 0,6%, primeira variação negativa após quatro meses de crescimento. O acumulado no ano, até setembro (-1,5%), comparado ao mês anterior (-4,2%), mostrou redução de queda, enquanto o indicador dos últimos 12 meses registrou 1,3%, com ganho de 0,9 p.p. em relação ao resultado de agosto (0,4%).

Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com crescimento de 4,4% frente a setembro de 2019, registrou a oitava taxa positiva consecutiva nessa comparação, com ganho de ritmo em relação ao resultado de agosto (3,0%). O segmento representou o terceiro maior impacto positivo na formação da taxa global do varejo. Em relação a agosto, houve redução de 0,4%, terceiro mês consecutivo de queda no volume de vendas. O acumulado no ano, até setembro (5,5%), comparado ao mês anterior (5,6%), mostrou estabilidade no ritmo. No acumulado nos últimos 12 meses, ao registrar 4,2% em setembro, mantém-se em trajetória de crescimento desde março de 2020 (1,6%).

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria, apresentou aumento de 13,7% nas vendas frente a setembro de 2019, quarta variação positiva consecutiva, na comparação com igual mês do ano anterior. Na comparação com o mês imediatamente anterior, o setor apresentou aumento de 2,1%, revertendo taxa de -1,2% registrada em agosto. No acumulado no ano, ao passar de 5,6% até agosto para 6,5% no mês de referência, o setor mostra ganho de ritmo. No acumulado nos últimos 12 meses o setor passa de 6,2% até agosto para 6,8% até setembro.

Tecidos, vestuário e calçados, registrou recuo de 7,2% em relação a setembro de 2019, sétima taxa negativa nessa comparação. A atividade apresentou o maior impacto negativo na formação da taxa global do varejo. Na comparação com o mês anterior, o setor teve queda de 2,4%, após quatro meses de crescimento. Com isso, o acumulado no ano, ao passar de -33,4% em agosto para -30,6% em setembro mostra leve recuperação. O indicador acumulado nos últimos 12 meses, ao passar de -20,0% em agosto para -20,4% em setembro, fica praticamente estável.

Combustíveis e lubrificantes, com queda de 5,1% no volume de vendas em relação a setembro de 2019, exerceu a segunda maior contribuição negativa para o resultado total do varejo. Em relação a agosto de 2020, o setor registrou aumento de 3,1%, quinta alta consecutiva na série dessazonalizada. Com isso, no acumulado no ano, ao passar de -11,7% até agosto para -11,0% até setembro, mostra redução na intensidade de perda. Por outro lado, o indicador acumulado nos últimos 12 meses, apresenta intensificação na perda de ritmo (-7,9%) em relação ao mês anterior (-7,5%).

Livros, jornais, revistas e papelaria recuou 36,0% frente a setembro de 2019. Em relação a agosto, o setor teve variação positiva de 8,9%, após queda de 21,1% no mês anterior. No acumulado no ano, ao passar de -30,0% até agosto para -30,5% até setembro, o setor apresenta estabilidade. Já o acumulado nos últimos 12 meses intensifica ritmo de queda, ao passar de -22,9% em agosto para -24,3% em setembro.

Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação teve queda de 7,1% em relação a setembro de 2019, enquanto a variação em relação a agosto de 2020 foi de 1,1%, quinta taxa positiva. No acumulado no ano, o setor passa de -19,5% até agosto para -18,2% até setembro, mostrando aumento no ritmo de vendas, apesar de estar no campo negativo durante todo o ano de 2020. O acumulado nos últimos 12 meses é de -12,1%, reduzindo ritmo de queda em relação a agosto (-11,6%).

Varejo ampliado

Veículos, motos, partes e peças, ao cair 1,5% em relação a setembro de 2019, assinalou a sétima taxa negativa seguida, exercendo a contribuição negativa mais intensa no mês para o varejo ampliado. Na comparação com o mês imediatamente anterior, o setor registra a quinta taxa positiva consecutiva (5,2% em setembro). No acumulado no ano até setembro (-18,1%) houve ganho de ritmo frente a agosto (-20,2%), embora esse indicador esteja negativo desde março. O acumulado nos últimos 12 meses (-11,6%) até setembro perdeu ritmo em relação ao acumulado até agosto (-10,7%).

Material de Construção, com alta de 31,3% em relação a setembro de 2019, o setor contabiliza a quarta taxa positiva consecutiva e a variação de maior magnitude da série histórica iniciada em janeiro de 2004. O setor foi um dos que apresentou recuperação, registrando sua quinta alta consecutiva no volume de vendas, quando da comparação com o mês imediatamente anterior, na série ajustada sazonalmente. O acumulado no ano mostra aumento de ritmo nas vendas (7,9%), comparado ao mês de agosto (4,9%). O acumulado nos últimos 12 meses, ao passar de 5,0% em agosto para 7,2% em setembro, manteve trajetória de ascensão iniciado em junho de 2020.

Vendas do comércio crescem em 13 das 27 Unidades da Federação

Em setembro, na série com ajuste sazonal, houve resultados positivos em 13 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Piauí (5,7%), São Paulo (2,1%) e Espírito Santo (1,8%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram 14 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Maranhão (-5,9%), Amapá (-5,5%) e Ceará (-4,4%).

Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, a variação entre agosto e setembro foi de 1,2%, com predomínio de resultados positivos em 14 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Roraima (3,7%), Bahia (3,2%) e Espírito Santo (3,1%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram 13 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Maranhão (-3,9), Ceará (-3,7) e Paraíba (-3,3%).

Na série sem ajuste sazonal, frente a setembro de 2019, houve resultados resultados positivos em todas das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Piauí (23,9%), Maranhão (21,6%) e Acre (19,9%). Quanto à participação na composição da taxa do varejo, os destaques foram: São Paulo (5,8%), Minas Gerais (12,6%) e Santa Catarina (5,7%).

Considerando o comércio varejista, o varejo ampliado, no confronto com setembro de 2019, teve resultados positivos todas as 27 Unidades da Federação, com destaque para: Acre (24,5%), Maranhão (23,4%) e Amapá (22,9%). Quanto à participação na composição da taxa do varejo ampliado, destacaram-se São Paulo (3,9%), Minas Gerais (11,3%) e Santa Catarina (11,5%).

Shopping ABC aposta em semana de ofertas e estende Black Friday

Lojas do empreendimento se organizam para a última semana do mês com descontos de até 70%

De 21 a 29 de novembro acontece no Shopping ABC uma semana inteira de promoções para marcar a tão esperada Black Friday, data tradicional de descontos e promoções no comércio mundial. Para este ano, as lojas do empreendimento trazem preços bastante diferenciados em todos os setores.

“Preparamos uma seção especial na nossa Vitrine Virtual, onde o cliente pode conferir ofertas e escolher à distância. As redes sociais do empreendimento também vão expor os melhores preços. Além disso, todas as lojas estão trabalhando com delivery e drive-thru”, explica Flávia Tegão, gerente de marketing do Shopping ABC.

Presencialmente as ofertas também prometem surpreender, além de proporcionar momentos especiais para a família toda com a decoração do Natal Mágico e a interação com o Papai Noel Holográfico. “Estamos bastante otimistas com os números de vendas desta época, já que todas as lojas vêm em uma crescente de movimento”, comenta Tegão.

Outra vantagem da data é a troca das notas fiscais por números da sorte para participar da Campanha de Natal e concorrer a um VW Nivus 0km. Quem realizar o cadastro na sexta-feira, 27, ganha 4 vezes mais números.

Black Week no Shopping ABC
De 21 a 29 de novembro
Descontos a partir de 70%

Shopping ABC
Av. Pereira Barreto, 42, Vila Gilda – Santo André – SP
Telefone: (11) 3437-7222
Estacionamento visitantes:  Carros 10,00 até 3 horas + 2,00 por hora adicional ou fração

Mídia e entretenimento no Brasil deve chegar a US$ 43,7 bilhões

Uma das maiores plataformas de transmissão do Brasil, Acesso Ingresso viabiliza o crescimento do segmento com nova modalidade de levar diversão  e arte em nível nacional e internacional.

Em razão da atual realidade, o mercado de eventos precisou inovar e transformar a sua forma de levar música, diversão e entretenimento. A inovação aliada à tecnologia permitiu que esses artistas continuassem atuando com seu público, mas sem deixar de levar alegria e a leveza de um ritmo musical que sempre contagia.

A nova forma de consumir entretenimento veio para ficar. De acordo com a 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017-2021, da PwC, o mercado global de mídia e entretenimento crescerá a uma média anual de 4,2% nos próximos cinco anos e, em 2021, chegará a US$ 2,23 trilhões. No Brasil, o faturamento do setor de mídia e entretenimento deve chegar a US$ 43,7 bilhões, em 2021.

Acompanhando a tendência e o novo modelo de consumo de entretenimento, a Acesso Ingresso, uma das maiores plataformas de transmissão do Brasil, inovou e viabiliza a realização de shows online permitindo um maior poder de participação social. Bandas renomadas de todo o Brasil se adequam e levam uma experiência do palco direto para as telas de Tv e dispositivos mobiles, para uma transmissão em nível nacional e internacional. É o caso da banda de São Paulo, a Turma do Pagode de Convidados, que realiza show no próximo dia 21 de novembro, a partir das 21h30.

“O evento tem a finalidade de levar ao fã uma experiência única de prestigiar seu artista favorito, de forma segura, confortável e sem perder a emoção de compartilhar o show ao vivo no conforto de casa, podendo também interagir no camarim de forma exclusiva com o artista”, garante um dos integrantes do grupo, Thiago Luís.  Com um repertório baseado na trajetória de 20 anos e algumas regravações de alguns artistas renomados, a Turma do Pagode promete um verdadeiro pagode, alto astral e muita alegria.

Os amantes de um bom pagode podem adquirir seu ingresso pelo link: www.acessoingresso.com.br, por um valor de R$10,00 acrescido de taxa de serviços.

Serviço: Setor de mídia e entretenimento no Brasil deve chegar a US$ 43,7 bilhões, em 2021
Data: 21 de novembro de 2020
Horário: 21h30 às 23h
Valor: R$ 10,00
Vendas: www.acessoingresso.com.br

Assessoria de imprensa:
GA Comunicação
Contato: (61) 99662 686
Email: greicejornalistamds@gmail.com

Sebrae lança série educativa para orientar empresários

As peças são formadas por um compilado de instruções de segurança elaboradas a partir de informações de entidades setoriais e de especialistas em saúde, portanto Sebrae lança série educativa para reabertura.

Ainda que com a necessidade de tomar cuidados essenciais para evitar novos picos de contágio pela Covid-19, aos poucos, o Brasil começa a retomar as atividades econômicas. Até o momento, de acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae, cerca de 83% dos empreendimentos de pequeno porte no país já voltaram a funcionar. Além disso, segundo os últimos dados apresentados pelo IBGE, os serviços apresentaram crescimento de 2,6% em julho. Foi o segundo mês consecutivo de alta no setor.

Diante desse apontamento para reabertura de empresas e, consequentemente, o aumento de circulação de pessoas que saem para consumir, o próprio Sebrae se preocupou em orientar donos de pequenas empresas para uma retomada segura das atividades. Inicialmente, as informações foram fornecidas por meio de releases, por exemplo. A novidade é a disponibilidade das orientações em formato de infográficos.

A ideia é que os empreendedores possam imprimir esses materiais e utilizar no trabalho de instrução de seus funcionários, bem como afixá-los nos seus estabelecimentos. O conteúdo completo é uma série de 35 ilustrações educativas, detalhadas, com orientações para os donos dos estabelecimentos de diversos segmentos, como por exemplo, restaurantes, bares, academias, agências de turismo, entre outras.

Segundo o analista da Unidade de Competitividade do Sebrae, Rafael Moreira, nesse processo de reabertura dos negócios, as atenções se voltam aos protocolos de saúde e higiene, que também estão entre as principais preocupações dos empresários.

“A gente percebe que a situação deve seguir melhorando, dando alívio para o pequeno empresário. Então, é muito importante seguir os protocolos para reduzir o risco de contágio da Covid-19. Eles também devem pedir para seus funcionários e clientes respeitem as recomendações sanitárias. Quem passar mais segurança para o consumidor tende a se sair melhor”, avalia Rafael Moreira.

Instruções de segurança

Os documentos estão disponíveis para download na página do Sebrae, na internet. As peças são formadas por um compilado de instruções de segurança elaboradas a partir de informações de entidades setoriais e de especialistas em saúde.

Para o advogado Rodrigo Figueiredo, que também é proprietário do Start Bar & Music, localizado em Brasília, esta iniciativa do Sebrae é importante neste momento, principalmente para os empresários que desejam reabrir seus negócios, mas não sabem muito bem que providências sanitárias tomar.

“Eu vejo que essa atitude tomada pelo Sebrae foi, de maneira geral, muito positiva, porque corta um caminho para o empresário que, às vezes, está perdido em relação a como se posicionar dentro da sua própria empresa para proporcionar segurança para os empregados e clientes, além de já entregar todo o procedimento que precisa ser adotado pelo empreendedor no estabelecimento”, opina.

Na avaliação do presidente nacional do Sebrae, Carlos Melles, os protocolos de retomada têm sido muito utilizados no processo de orientação para que as empresas consigam receber novamente os clientes e oferecer os produtos e serviços de forma presencial. “Os documentos são muito relevantes para que o empresário, juntamente com seus colaboradores, fornecedores e clientes consigam, de fato, superar esta fase”, destaca.  
 

Fonte: Brasil 61

PIX começa a valer a partir de 16 de novembro

Em entrevista exclusiva ao portal Brasil61.com, Mayara Yano, assessora no Banco Central, tira todas as dúvidas sobre o Pix, sistema que promete funcionar 24 por dia, 7 dias por semana

Você certamente já ouviu falar do Pix, o novo meio de pagamento instantâneo criado pelo Banco Central (BC). De acordo com a própria entidade, a promessa é de transferência de recursos entre contas de qualquer banco em poucos segundos, a qualquer hora e dia. Entre os objetivos do novo sistema, estão o de alavancar a competitividade e a eficiência do mercado, promover a inclusão financeira e preencher uma série de lacunas existentes nos instrumentos de pagamentos disponíveis hoje para a população. 

Até dia 15 de novembro, o sistema vai funcionar de forma restrita e em esquema de teste para alguns clientes. Mas a partir de segunda-feira (16), todo mundo vai poder testar a novidade. 

“O Pix veio para facilitar a vida dos nossos pagamentos do dia a dia. Ele é um novo jeito de fazer pagamento e transferências criado pelo Banco Central, em conjunto com a indústria”, adianta a assessora no Departamento de Competição e Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Mayara Yano. 

O sistema é totalmente digital e instantâneo. “Você pode fazer transferências inclusive nos fins de semana, de madrugada e é muito prático”, garante Mayara, em entrevista exclusiva para o portal Brasil61.com. Segundo ela, basta acessar a conta pelo aplicativo no celular que vai estar disponível a opção de pagamento ou transferência de dinheiro pelo Pix. “E ele é muito seguro, aberto e acessível. Ele conecta praticamente em todas as contas, independentemente de onde a outra parte tem conta.” 

A assessora do Banco Central avisa que o Pix não é obrigatório, e sim mais uma opção disponível. “Quem escolhe se vai usá-lo como meio de pagamento é quem está realizando a transação. A pessoa pode usar cartão, boleto, TED, DOC ou o Pix. Ele veio para agregar e somar como mais uma opção”, reforça. 

Na prática, vai funcionar assim: você acessa sua própria conta bancária, a que você já tem – seja num banco ou numa fintech. Essa conta pode ser corrente, poupança ou de pagamento pré-pago e no próprio menu do aplicativo do celular ou pelo internet banking vai aparecer a opção Pix. “Dentro disso vai ter a opção de pagar com Pix, que pode ser feito a partir da leitura de um QR code ou usando a chave, que nada mais é que uma forma muito simples de identificar a conta de quem vai receber o recurso”, explica Mayara Yano. 

Sobre a chave, ela detalha. “Primeiro, é importante frisar que ela não é obrigatória, não é necessário você ter o cadastro dessa chave para poder usar o Pix. Ela só é uma forma mais simples de identificar a sua conta. Então, quando você quiser receber um pagamento ou transferência, por exemplo, em vez de passar nome do banco, agência, conta, CPF, você simplesmente passa a sua chave Pix cadastrada e a transação ocorre de forma muito mais rápida. É muito mais simples para quem está pagando”, sinaliza. 

Municípios sem agências 

De acordo com levantamento do próprio Banco Central, cerca de 2,3 mil municípios ainda não possuem agências bancárias. “O Pix veio justamente para facilitar a vida dessas pessoas. Ainda há muitas transações que usam dinheiro em espécie e os municípios sem agência têm essa dificuldade, porque as pessoas têm que se dirigir para outras localidades para fazer o depósito ou para sacar, por exemplo. Com o Pix, essas transações passam a ser eletrônicas e é um meio totalmente seguro. Tendo acesso à internet, a pessoa consegue fazer os pagamentos, transferências, compras sem a necessidade de se locomover até uma agência bancária”, ressalta Mayara.

Para o futuro, a assessora do Banco Central adianta que haverá uma opção de saque no varejo. “Isso vai facilitar muito a capilaridade desse serviço de saque, mas é uma novidade que vem só mais para frente para facilitar a vida desses municípios.” 

Confira agora a entrevista exclusiva com a assessora no Departamento de Competição e Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Mayara Yano. 

Fonte: Brasil 61

Produção de grãos da safra 2020/21 deve alcançar novo recorde

São esperadas 268,9 milhões de toneladas, valor 4,6% maior em comparação com a temporada 2019/2020

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) afirmou que o Brasil deve alcançar quase 270 milhões de toneladas de grãos na safra 2020/21, valor 4,6% superior em comparação com a temporada 2019/20. Em relação ao volume estimado no mês passado, houve aumento de 269 mil toneladas. Segundo a Conab, com esse resultado, o Brasil deve bater recorde de produção.

A estimativa considera a recuperação da produtividade das culturas da soja e do milho. As duas foram prejudicadas pela estiagem no ano passado, em especial no Rio Grande do Sul. Além disso, aumento na área plantada também contribui para o valor recorde. Em 2020, 67,1 milhões de hectares devem ser cultivados, 1,8% a mais do que na safra passada.

A produção de soja deve alcançar 135 milhões de toneladas, confirmando o Brasil como o maior produtor mundial da oleaginosa. De acordo com a Conab, a safra total de milho também deverá ser a maior da história, com produção estimada em 104,9 milhões de toneladas.

Fonte: Brasil 61

Dicas sobre compra de produtos na Black Friday

O primeiro passo é obter informações sobre a loja ou empresa que está realizando a venda, inclusive, na venda online

Com a proximidade da Black Friday, diversas empresas têm divulgado promoções dos seus produtos. Para evitar contratempos nas compras, o Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, divulga dicas importantes para o consumidor.

O primeiro passo é obter informações sobre a loja ou empresa que está realizando a venda, inclusive, na venda online.

É importante o consumidor ficar atento nos detalhes do produto, principalmente, brinquedos, eletrodomésticos e produtos têxteis.

Os brinquedos devem ostentar o Selo do Inmetro e a escolha adequada do produto por faixa etária. Esse tipo de medida evita acidentes. Não compre artigos infantis em comércio informal, pois não há garantia de procedência. Produtos falsificados ou fabricados em indústrias clandestinas podem não atender às condições mínimas de segurança, especialmente em relação à toxicidade do material usado na fabricação, conter partes pequenas e bordas cortantes

Selecione o brinquedo considerando a idade, o interesse e o nível de habilidade da criança. A faixa etária a que ele se destina – avaliada de acordo com o desenvolvimento motor, cognitivo e comportamental da criança – deve constar na embalagem, assim como informações sobre o conteúdo, instruções de uso, de montagem e eventuais riscos associados à criança, além do CNPJ e do endereço do fabricante. As informações obrigatórias na embalagem demonstram a responsabilidade do fabricante ou importador.

CONTINUE LENDO NA PRÓXIMA PÁGINA ABAIXO ▼

10 milhões de pessoas podem quitar dívidas por apenas R$ 50

A ação faz parte do 26º Feirão Limpa Nome, realizado pela Serasa, que permite renegociar dívidas atrasadas com até 99% de desconto

Cerca de 10 milhões de consumidores terão a oportunidade de quitar dívidas por apenas R$ 50. A ação faz parte do 26º Feirão Limpa Nome, realizado pela Serasa, que permite renegociar dívidas atrasadas com até 99% de desconto. O feirão, que começou semana passada, vai até o dia 30 deste mês.

Participam da iniciativa mais de 50 empresas de diversos segmentos, como lojas de departamento, companhias telefônicas, bancos e faculdades. Segundo a Serasa, a estimativa é que as ações podem dar a possibilidade de que 64 milhões de consumidores com dívidas em atraso regularizarem sua situação. 

Nesta edição, a negociação poderá ser feita em mais de 7 mil agências dos Correios em todo o país. A ação permitirá ainda que, após a quitação da dívida, o consumidor tenha sua pontuação aumentada e assim obtenha melhores condições de crédito nas próximas compras.

Para participar, o consumidor pode acessar um dos canais digitais da Serasa: site do Serasa Limpa Nome, WhatsApp (11 99575-2096) e aplicativo.

Fonte: Brasil 61

Pequenas empresas tem acesso online gratuito a curso sobre LGPD

O curso tem duração de 2 horas e ensina como funciona a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, quais são as diretrizes e os impactos na implementação da nova legislação nas empresas

Com a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), todas as empresas instaladas no país, independentemente do porte, terão que se submeter à nova legislação. As novas regras dizem respeito ao regulamento da coleta, tratamento, armazenamento e o compartilhamento de dados pessoais gerenciados por empresas.

Com o objetivo de orientar os donos de pequenos negócios, até mesmo os microempreendedores individuais (MEI), nesse propósito, o Sebrae passou a oferecer um curso online e gratuito, denominado “LGPD: a sua empresa está preparada?”. Para se inscrever, os interessados devem acessar o Portal do Sebrae.

O gerente da Unidade de Soluções do Sebrae, Diego Demétrio, afirma que o curso foi desenvolvido com a ideia de apresentar uma visão geral e simplificada da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Com isso, o objetivo é atender as principais dúvidas dos donos de pequenos empreendimentos.  

O curso tem duração de 2 horas e ensina como funciona a LGPD, quais são as diretrizes e os impactos na implementação da nova legislação nas empresas. Além disso, o conteúdo aborda boas práticas no uso de dados pessoais de clientes e fornecedores.

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 600 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Projeto sobre compensação de perdas da Lei Kandir aguarda sanção

De acordo com o projeto, a primeira parcela do total devido pela União aos estados, Distrito Federal e municípios será paga ainda em 2020

Aprovado nesta semana pelo Senado Federal, o PLN 18/2020, que dá início ao cumprimento do acordo para compensação das perdas dos entes federados com a Lei Kandir, aguarda sanção do presidente da República. De acordo com o projeto, a primeira parcela do total devido pela União aos estados, Distrito Federal e municípios será paga ainda em 2020.

A proposta modifica a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) em vigor e estabelece que o Poder Executivo não se submeta à apresentação de medidas compensatórias, como por exemplo, aumento de impostos, devido à transferência.

Sendo assim, o acordo prevê normas para a União compensar os entes federados pelas perdas com a desoneração de ICMS nas exportações, ou seja, a desoneração prevista na Lei Kandir. Neste caso, estados, Distrito Federal e municípios devem receber R$ 58 bilhões. O valor será dividido em parcelas que devem seguir até 2037.

Também estão previstos dois repasses extras da União. Um deles está relacionado à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição do Pacto Federativo (PEC 188/2019), e o total chega a R$ 3,6 bilhões. Já o segundo, que totaliza R$ 4 bilhões, depende do futuro leilão de petróleo dos blocos de Atapu e Sépia.

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 600 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Natal no Shopping ABC preserva tradição com um toque de magia

Papai Noel holográfico conta história para as crianças e completa o encantamento

O Natal chega ao Shopping ABC a partir de sábado, dia 7, e recebe um toque de tecnologia para encantar a todas as idades. Com o tema “Natal Mágico”, a decoração, mais contemplativa, é repleta de elementos tradicionais trazendo a essência desta comemoração para a realidade da nova geração.

O Bom Velhinho este ano aparece exclusivamente por meio de efeitos holográficos, dentro de uma gigante caixa mágica de presentes. Com tamanho real de 1,80m de altura, o Papai Noel surge quando a criança aciona um pedal, daí ele conta uma história lúdica de Natal, além de conferir a lista de nomes para ver se todos ali vão ganhar presentes, incentivando a participação dos pequenos. Depois vai embora como mágica, entre incríveis efeitos de fumaça, som e luzes.

“Encontramos uma forma de manter esse encontro mágico com a figura mais tradicional do Natal com toda a segurança que o momento atual pede. Este ano o nosso cliente merece uma comemoração ainda mais especial com as pessoas que ama”, comenta Flávia Tegão, gerente de marketing do Shopping ABC.

Para compor o maravilhoso cenário natalino, além das árvores tradicionais repletas de muitas luzes e enfeites encantadores, quem passa pelo empreendimento mergulha na magia com brinquedos antigos, como o soldadinho de chumbo, cavalinhos de madeira e outros elementos lúdicos para que a família toda entre da fantasia.

Assinada pela Go! Comunicação, a campanha deste Natal é baseada no conceito “um ano difícil de acreditar merece um Natal incrível!” e valoriza de forma especial a importância do Natal, de sua magia e dos sentimentos que o cercam, numa espécie de contraponto aos episódios ruins que aconteceram neste ano. Com o mote “O Natal com tudo o que você merece está aqui”, as peças darão destaque principal à promoção, que sorteará um VW Nivus.

Promoção Compre, Ganhe e Concorra Shopping ABC

A campanha promocional de final de ano do Shopping ABC começa neste sábado, dia 7, e traz o sorteio do carro do ano da Volkswagen, o Nivus Highline 200 em sua edição mais completa, cheia de interatividade e acessórios de última geração. Além disso, o cliente que participar ganha uma garrafa de 750ml do Espumante Nocturno Brut.

No período de 7 de novembro a 3 de janeiro, a cada 300 reais em compras, o cliente pode trocar suas notas fiscais por um número da sorte, além de ganhar o espumante. Este ano, quem tiver cartão ELO leva uma garrafa a mais de presente e números da sorte em dobro durante todo o período. As trocas feitas na Black Friday, dia 27 de novembro, valem quatro vezes mais. O cadastramento pode ser feito através do aplicativo do Shopping ABC ou no Balcão de Trocas, localizado no Piso 2.

Shopping ABC
Av. Pereira Barreto, 42, Vila Gilda – Santo André – SP
Telefone: (11) 3437-7222
Estacionamento visitantes: Carros 10,00 até 3 horas + 2,00 por hora adicional ou fração

MAPA e Centro de Telecomunicações levam tecnologia ao campo

O objetivo é favorecer pequenos e médios produtores rurais e segmentos economicamente mais vulneráveis, para torná-los competitivos no mercado local, nacional e internacional

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) assinaram um acordo de cooperação técnica destinado a promover o desenvolvimento de iniciativas que contribuam para o aumento e a disseminação do uso de tecnologias digitais no agronegócio brasileiro. 

O objetivo é favorecer especialmente, mas não exclusivamente, pequenos e médios produtores rurais e segmentos economicamente mais vulneráveis, propiciando ganhos de produtividade e de qualidade na produção, de modo a torná-los competitivos no mercado local, nacional e internacional.

Para isso, o acordo prevê a construção e validação de arquiteturas, sistemas e modelos de sustentação econômica capazes de viabilizar a transformação digital no campo. O foco são as tecnologias, principalmente nas áreas de conectividade (4G e 5G), Internet das Coisas (IoT) e plataformas que permitem levar conhecimento e inovação ao agronegócio. 

Fonte: Brasil 61

Coop renova marca e prepara 6 novos supermercados

Cooperativa também está ampliando sua rede de drogarias

Atualmente com 32 lojas no ABC Paulista e interior do estado de SP, a Coop pretende inaugurar mais 6 supermercados em 2021, todos eles com drogarias. Já se sabe que uma das novas unidades será na cidade de São Caetano do Sul. Trata-se de um ponto de venda que deveria abrir as portas neste ano mas que teve seu cronograma de obras postergado em razão da pandemia.

Antes disso, nos dois últimos meses de 2020 a Coop deve inaugurar 17 drogarias, das quais 3 estão em fase final de construção e 14 são unidades nas galerias comerciais de lojas do Grupo Big, conforme acordo firmado meses atrás . Para 2021, outras 8 drogarias adquiridas abrirão ao público e mais 6 serão construídas pela  maior cooperativa de consumo da América Latina. Atualmente a cooperativa opera 57 lojas do canal farma.  

Revitalização da marca

A Coop também está revitalizando sua marca, como resultado de estudo de branding desenvolvido por sua área de Marketing em conjunto com a consultoria global  Interbrand . O foco do trabalho foi na necessidade de desmembrar e dar identidade aos atuais negócios –  supermercado e drogaria –, com redesenho do logo e alterações nas cores para melhor identificação de cada um. Outro intuito importante é reforçar que a Coop é uma rede de varejo colaborativo que ajuda seu cooperado e cliente a resolverem tudo num só lugar, transformando sua vida e da comunidade

A partir de agora, os principais atributos que sustentam o posicionamento da Coop estão concentrados nos pilares dos  3 C’s: Convivência, ou seja, sua forma calorosa e acolhedora de construir relações próximas e de fazer as coisas juntos; Conveniência, variedade de produtos e soluções disponibilizadas em todos os pontos de contato e que ajudam os cooperados e clientes a resolverem tudo num único lugar e Consciência, o que significa contribuir para que as pessoas consumam de forma mais consciente, sem esquecer que as iniciativas sociais da Coop já contribuem para a transformação das comunidades onde atua.

Segundo Marcio Valle, presidente executivo, as mudanças implantadas proporcionam maior transparência e coerência na forma de expressar e apresentar o Jeito de ser e fazer da Coop junto aos cooperados e clientes. “Queremos deixar clara a nossa proposta de valor e raízes, além de ressaltar os princípios cooperativistas num formato contemporâneo e nunca esquecendo da promessa de que cooperar transforma”, explica o executivo.

Micro e pequenas geraram 13 milhões de empregos

Micro e pequenos negócios e microempreendedores individuais representam, hoje, 30% da riqueza do País; Lei Geral pode abrir ainda mais o mercado para esse setor

No ano passado, os micro e pequenos negócios foram responsáveis pela geração de mais de 730 mil empregos formais no Brasil, 22% a mais do que no ano anterior. O bom resultado foi na contramão de empresas de maior porte, que no mesmo período fecharam cerca de 88 mil postos de trabalho. Entre 2007 e 2019, as pequenas empresas brasileiras criaram quase 13 milhões de empregos com carteira assinada. 

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), compilados pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), apontam para um cenário cada vez mais positivo para esse setor no Brasil: o de gerador de emprego e renda e de esperança na retomada econômica em meio à pandemia do novo coronavírus. 

“A micro e pequena empresa é a teia que sustenta qualquer país. É a padaria, a loja de roupa, todos os segmentos da sociedade. O Brasil vem aperfeiçoando esse ambiente de melhoria de convivência com esse setor”, garante o presidente do Sebrae, Carlos Melles. 

Por ser um setor que gera, hoje, 30% da riqueza do Brasil e 55% de empregos formais, Melles acredita que é preciso condições cada vez mais viáveis para que essas empresas sobrevivam em meio ao ambiente de negócios competitivo no País. 

“Na década de 1990, tínhamos só o Simples Nacional, que era a união de impostos federais. Depois veio a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, aproveitando o regime tributário especial que foi dado a esse público. Essa lei geral, que é uma das mais bem elaboradas do mundo, talvez, é muito complementar. Vai de quem faz a roupa, quem corta a roupa, quem prega o botão, quem embala, quem distribui, essa é uma cadeia que não tem nenhum imposto, você paga só no final. Ou seja, há um cooperativismo intrínseco”, pontua Melles. 

Empresas podem pedir restituição da multa de 10% do FGTS

De acordo com as decisões do Supremo Tribunal Federal (RE 627.543 e ADI 4.033), as empresas que pagam seus tributos pelo Simples Nacional podem requerer restituição da multa de 10% do FGTS, pagas à União Federal quando realizaram a demissão de algum empregado.

Outro benefício é que a empresa optante pelo Simples Nacional pode entrar com o processo no Juizado Especial Federal, que não tem custas processuais até a sentença.

É necessário entrar com a ação judicial com todos os valores exatos, ou seja, comprovante de pagamento das multas de 10% do FGTS em cada demissão realizada nos últimos cinco anos. Dependendo da empresa, são valores expressivos.

No mesmo processo é requerido que a empresa não pague mais, futuramente, a multa.

Este procedimento também é utilizado para restituição (e não pagamentos futuros) das contribuições para as entidades privadas de serviço social e de formação profissional vinculadas ao sistema sindical, de que trata o artigo 240 da Constituição Federal, e demais entidades de serviço social autônomo (artigo 13, § 1º, VIII da LC 123/06), pois o optante do Simples Nacional não pode ser compelido a pagar tributos fora do sistema Simples Nacional.

Em caso de dúvidas, consultas, cobranças, pedidos e requerimentos, entre em contato!
Márcio Pinheiro Advocacia Tributária – Entre em contato

SPPI e BID oferecem curso gratuito

A Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (SPPI), em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e com apoio da CAIXA e do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), está oferecendo o curso “PPP para o Desenvolvimento 2.0: Implementando Soluções no Brasil, América Latina e Caribe”.

O objetivo é capacitar servidores e colaboradores do governo federal, estados, municípios, consórcios intermunicipais, CAIXA e BNDES que atuam diretamente na preparação, apoio, estruturação e acompanhamento de Parcerias Público-Privadas (PPP).

O curso se realizará em formato MOOC (Massive Open Online Course) na plataforma de educação à distância do BID (IDBx). Disponível em português, terá início em 3 de novembro de 2020 e duração de seis semanas.

Infraestrutura, saúde, educação

No curso, serão compartilhadas experiências de instituições internacionais com a finalidade de ajudar a reduzir lacunas de conhecimento na utilização efetiva das PPPs, oferecendo ideias, soluções e lições aprendidas para lidar com os desafios ou restrições às capacidades técnicas e administrativas do setor público da região.

As lições se aplicam a diferentes setores como infraestrutura, saúde, educação, banda larga e setor fiscal, levando em conta contextos nacionais de vários países da região, incluindo Brasil, Peru, México e Colômbia.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas até 30 de outubro deste ano por meio do formulário.

O curso será considerado pré-requisito para capacitação que será disponibilizada pelo BID, em parceria com a SPPI/ME, a ser realizada no primeiro semestre de 2021, que abordará a adoção de PPPs a partir da realidade institucional brasileira.

Dúvidas podem ser encaminhadas pelo email institucional: capacitacaoppi@economia.gov.br.

Consórcio ABC acompanha edital de chamamento público de SP

Objetivo da iniciativa é o fomento aos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e aos Polos de Desenvolvimento

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC acompanhou nesta quinta-feira (8/10) o lançamento do edital de chamamento público do Governo de Estado para o fomento aos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e aos Polos de Desenvolvimento.

Transmitido por videoconferência, o lançamento ocorreu no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual, com presença do vice-governador,
Rodrigo Garcia, da secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, e do diretor do Sebrae de São Paulo, Wilson Poit. O edital prevê R$ 3 milhões em investimentos. O prazo definido é de 30 dias para a entrega das propostas.

O vice-governador ressaltou que os APLs garantem a geração de uma rede estratégica e regionalizada de infraestrutura para um melhor funcionamento das cadeias produtivas. “Os APLs facilitam o acesso de micro, pequenas e médias empresas a programas de gestão empresarial, mercado, processo, produtos e linhas de financiamento, para o seu fortalecimento no mercado interno e acesso ao mercado externo”, afirmou Garcia.


O secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, ressaltou que iniciativa pode beneficiar a região. “Dos 57 APLs, dois estão na nossa região. Essa é uma oportunidade para estimular o desenvolvimento regional e a descentralização do desenvolvimento produtivo”, afirmou Brandão. O evento também marcou o lançamento da plataforma Negócios do Bem, com o objetivo de conectar fornecedores e produtores e estimular a geração de emprego e renda.

Foto:
Divulgação/Consórcio ABC

Entenda o uso do certificado digital para acesso ao Siscomex

A Gainholder é uma fornecedora global em Comércio Exterior, e parceria da Valid Certificadora, destaca a obrigatoriedade do uso de certificado digital para atividades de comércio exterior. Qualquer empresa que deseje importar ou exportar produtos precisa de habilitação junto ao Sistema Integrado de Comércio Exterior da Receita Federal – Siscomex. É por meio desse sistema que é realizado todo o controle de Comércio Exterior – COMEX.

Segundo Cauê Mattos, da Gainholder, essa habilitação no sistema dever ser realizada pelo representante legal da empresa que precisa obrigatoriamente de um certificado digital eCPF. “Especificamente o certificado digital de pessoa jurídica (eCNPJ) não pode ser utilizado, além do representante legal, todo funcionário que utilize o Siscomex precisará de um certificado digital eCPF”, ressalta.

Entre as funcionalidades do sistema estão o cadastro de entradas (importações) e saídas (exportações) de mercadorias, estatísticas e desempenho que permite a consulta da situação das cargas, liberações, deferimentos e dados sobre as operações em tempo real, o contato com a Receita Federal para comunicar aos fiscais qualquer problema ou solicitar suporte, e o histórico das operações da empresa que pode ser consultado futuramente.

Há sempre dúvidas sobre qual certificado digital usar para o acesso ao Siscomex e o executivo esclarece que deve ser utilizado sempre o eCPF, podendo ser no modelo A1 – instalado na máquina -, ou o A3 – cartão ou token -, mas destaca que esse certificado digital deve ser em nome do responsável legal da empresa.

“Caso seja necessária a representação da companhia por um terceiro no sistema, deverá ser feita uma procuração de poderes e o eCPF terá que ser em nome do representante. Para evitar problemas, sempre é recomendado que a habilitação da empresa junto ao Siscomex seja realizada por uma empresa especializada em comércio exterior para ter o processo mais transparente e rápido”, avalia o executivo.

Para finalizar, Cauê destaca que o certificado digital está vinculado ao Siscomex e deve seguir os padrões e normas internacionais. “O módulo de sistema integrado de comércio exterior com o canal eletrônico que simplifica e agiliza o despacho aduaneiro de remessas postais ou expressas internacionais, permite que todo o processo fique mais ágil. É a tecnologia simplificando a vida de empresas e cidadãos”, finaliza.

Sobre a Valid Certificadora 

A Valid Certificadora é uma empresa do grupo Valid especializada em serviços digitais de confiança, identificação, acesso, cifragem e autenticação realizando operações criptográficas padronizadas nacional e internacionalmente, de acordo com a regulamentação estabelecida, na identificação de pessoas físicas ou jurídicas para assinatura digital; geração e armazenamento seguro de evidências digitais de uma transação eletrônica e diversas outras soluções. Credenciada pelo ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação) é Autoridade Certificadora emitente dos certificados digitais ICP-Brasil, tais como eCPF, eCNPJ, NFe, CTe, SSL. Entre as áreas de atuação especializadas é PSS – Prestadora de Serviço e Suporte ICP-Brasil, ACT – Autoridade de Carimbo de Tempo, PS EEA – Prestador de Serviço para Entidade Emissora de Atributo, PSC – Prestadora de Serviço de Confiança, PSBio – Prestadora de Serviço Biométrico, Hub de Serviços em Blockchain e Platinum Partner GlobalSign para emissões de SSL raiz internacional. Para conhecer mais sobre os serviços Valid em certificação digital, assinatura digital, carimbo do tempo, certificados de atributo e desmaterialização de processos e documentos, visite: www.validcertificadora.com.br ou https://blog.validcertificadora.com.br/podecontar/  

Sobre a Valid

Vivemos na economia da confiança. Nessa economia, a moeda é a identidade, e identificação é o que dá valor a ela. Para a Valid (B³: VLID3 – ON), identificação é reconhecer algo ou alguém como verdadeiro. Estamos no seu RG, nos seus cartões de banco, nas transações que faz pelo celular e em todos esses lugares, usamos tecnologia de ponta. Somos 6,000 colaboradores em 16 países levando em consideração as particularidades culturais e regionais, para entregar soluções personalizadas e integradas. No Brasil somos a maior empresa em emissão de documentos de identificação, no mundo ocupamos a 5ª posição na produção de SIM Cards e estamos entre os 10 maiores fabricantes de cartão do planeta. Identificação é nossa razão de ser. Para saber mais, acesse www.valid.com 

Informações para Imprensa:

Jornalista Responsável: Andréa Pires MTB 25.696
Divulgação: Soraya Simón
Email: ssimon@acpcomunicacao.com.br
Tel/Fax: (11) 99329-3306

MBigucci sobre a capacidade de transformação na construção civil

Tema foi debatido na LIVE da ACISBEC comandada por Valter Moura Júnior

A pandemia pelo novo coronavírus trouxe desafios até então inéditos e que exigiram senso de liderança, criatividade, coragem, inovação e um olhar para o futuro. A experiência não foi diferente para o setor da construção civil. Durante LIVE realizada pela ACISBEC (Associação Comercial e Industrial de São Bernardo do Campo), Milton Bigucci Júnior, presidente da ACIGABC (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC) e diretor técnico da Construtora MBigucci, falou sobre as tendências e da capacidade de transformação pelo setor.

Apresentada pelo vice-presidente da ACISBEC, Valter Moura Júnior, a LIVE é uma recente iniciativa da entidade para debater diversos temas, levar mais informações e discutir assuntos relevantes aos associados e empreendedores em geral.

Durante esse período, a construção civil foi considerada serviço essencial, o setor não paralisou as atividades por decreto, mas sofreu reflexos da crise, as vendas despencaram e foi necessário se adaptar. No entanto, a reação já chegou forte e a retomada já traz outra realidade. “Agosto foi o melhor mês dos últimos dois anos para nós, e a construção civil teve uma revés surpreendente. Juntou o fato de a demanda ter ficado reprimida, os juros baixos e a necessidade de as pessoas ficarem em casa e precisarem ter seus imóveis. Tudo isso aumentou a procura”, revelou. 

O empresário disse que logo após o grande susto no início da pandemia foi necessário rever o sistema de trabalho e criar oportunidade. Várias medidas foram adotadas: entrega de lançamento imobiliário e reuniões on line com engenheiros, e corretor virtual

“Muita coisa mudou e será adotada como processo, porém, métodos tradicionais vão persistir. As entregas, por exemplo, são muito melhores presenciais, os clientes querem ver pessoalmente onde vão morar. No entanto, as reuniões presenciais que antes exigiam que os profissionais deixassem os locais de trabalho nas obras não vão mais acontecer”, disse o empresário.

Novas empresas – A pandemia trouxe experiências e novidades no Grupo MBigucci, “Inauguramos a Next Coworking, um espaço compartilhado com recursos de escritório para atender profissionais e empreendedores. Essa necessidade surgiu com a pandemia porque as pessoas não voltaram para os seus locais de trabalho, não tinham uma estrutura adequada em casa, mas precisavam manter a atividade”, explicou.

A empresa foi inaugurada no Jardim da Saúde, mas já há projetos para lançar em São Bernardo, no Rudge Ramos, com 30 estações de trabalho.

Moura Júnior aproveitou o debate para falar também a respeito dos investimentos em São Bernardo. “Sim, gostamos muito de investir na cidade, de onde originalmente é a nossa empresa. O nosso maior empreendimento é o Marco Zero, que fica em São Bernardo, entre tantos outros. Vale lembrar o nosso centro logístico, o MBigucci Business Park, na avenida Caminho do Mar, empreendimento que está gerando atualmente mais de 700 empregos. E vamos continuar apostando e investindo em São Bernardo”, anunciou.

Por fim, o empresário falou sobre as ações de responsabilidade social e ambiental da empresa. “Temos um Pacto Global, um relatório sobre sustentabilidade, que encaminhamos para a ONU e somos a primeira empresa construtora da América do Sul a fazer isso”. O Grupo MBigucci também vai lançar em cerca de um mês uma empresa de energia limpa no MBigucci Park Diadema. E a mais recente novidade foi divulgada durante a LIVE. “Valtinho (Valter Moura Júnior), estou trazendo pra você e para os internautas, uma notícia em primeira mão: acabamos de receber, mais precisamente há uns 40 minutos, o alvará de aprovação para construir o MBigucci Business Park em Santo André, que terá 65 mil m² de área logística”, contou.

Sobre a ACISBEC

Instituição com mais de sete décadas de existência, foi fundada em 27 de setembro de 1944 e tem como presidente Valter Moura. Instalada em sede própria com área de quatro mil metros construídos, dispõe de ampla estrutura distribuída em seis pavimentos com auditório para 400 pessoas, salas de reunião, salão de exposição para feiras e fóruns de negócios, cursos e palestras, entre outros.

Ao longo dos anos, a ACISBEC implantou serviços, projetos, realizou convênios e parcerias em benefício dos associados e comunidade. Entre os atendimentos prestados estão consulta Pessoa Física e Pessoa Jurídica; Cadastro Positivo; Certificado Digital; Certificado de Origem; ACISBEC Mobile; Cursos e Eventos e dispõe de locação de salas.

ATUAL IMAGEM COMUNICAÇÃO
Fale Conosco | (11) 4332-9697
contato@atualimagemcomunicacao.com.br

Atendimento à Imprensa
Niceia Freitas | (11) 99849-1965
niceia.climaco@gmail.com

Isadora Climaco | (11) 97354-8532
isadoraclimaco@gmail.com

Santo André: Obras da Coca-Cola são iniciadas

Com investimento de R$ 100 milhões, espaço deverá gerar aproximadamente 400 empregos na cidade

Santo André, 1º de outubro de 2020 – Cada vez mais atrativa para receber investimentos, Santo André terá a instalação de mais uma grande empresa. Nesta quarta-feira (30), começaram as obras do centro de distribuição da Coca-Cola FEMSA, com valor de investimento na casa dos R$ 100 milhões e expectativa de geração de 400 empregos diretos na cidade.

A unidade está sendo construída em um terreno localizado na avenida dos Estados, e ocupará uma área de aproximadamente 90 mil metros quadrados. O projeto foi aprovado na última sexta-feira (25) de maneira célere por meio da plataforma Acto, e as obras deverão ficar prontas em até oito meses.

A instalação da empresa em Santo André visa facilitar a distribuição dos produtos da marca em toda região do ABC, além de parte das zonas Sul e Leste de São Paulo e da Baixada Santista.

“A nossa Secretaria tem se pautado em três pilares fundamentais, que são melhoria no ambiente de negócio, competitividade das empresas e qualificação e capacitação da mão de obra local. Seguimos firmes no caminho de desburocratizar, simplificar e agilizar esses novos projetos e investimentos para a cidade, que além de tudo também gera emprego, o que é essencial neste momento pós-pandemia”, afirmou o secretário Desenvolvimento e Geração de Emprego, Evandro Banzato.