Colunistas

Mulheres Revolucionárias: James Barry

Publicidade Google Ads

Um dos médicos mais famosos do século 19 foi James Barry, mais conhecido como Margaret Ann Bulkley, uma mulher nascida em County Cork, na Irlanda.

Pois é, o médico James na verdade era uma mulher.

Imagem do Google

Antes de entrar para a Universidade de Edimburgo, James Barry nunca existiu. Como naquela época as mulheres eram proibidas de estudar medicina, Margaret orquestrou o plano de se passar por um homem. Depois que terminasse os estudos, iria para a Venezuela, onde seu tio conseguiria um emprego como médica e ela estaria livre para exercer seu cargo como médica, mas antes disso acontecer, seu tio morreu e seu plano virou permanente, pois teve que viver a vida toda ocultando sua verdadeira identidade.

Quando conseguiu ingressar para o exército, onde trabalharia como médico, conseguiu fazer grandes descobertas, como a importância da higiene (já que naquela época isso não era muito comum), e com isso conseguiu salvar a vida de vários pacientes, se destacando na área da medicina.

Podemos dizer que alguns de seus maiores destaques foi deter a expansão da cólera e da lepra no continente africano, duas doenças causadas por bactérias que estavam em alta naquela época. Além de melhorar consideravelmente as condições de soldados feridos da guerra, também foi o primeiro cirurgião a realizar uma cesariana bem sucedida na África, onde mãe e filho conseguiram sobreviver.

Mas tudo isso foi ofuscado quando rumores de seu relacionamento com um homem, o político Charles Somerset, foram divulgados.

Como todos pensavam que James era homem, aquele relacionamento era simplesmente inaceitável para a sociedade da época. A carreira de ambos foi prejudicada por este motivo.

Com o passar dos anos, quando já estava com a saúde debilitada, James voltou para a Inglaterra, onde viria a falecer pouco tempo depois.

Uma enfermeira que cuidava do cadáver do médico ficou chocada quando levantou o lençol e descobriu que James, na verdade era uma mulher. E não apenas uma mulher, pois cicatrizes em seu estômago indicavam que Margaret era mãe.

Este post foi publicado em 4 de novembro de 2020 10:00

Publicidade Google Ads
%%footer%%