Planeje sua carreira já: Fundamental para o sucesso

Éber Feltrim é o autor de “Planeje sua carreira já: Fundamental para o sucesso

Com um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, jovens precisam se adiantar para fazer a escolha de uma carreira e apressar a escolha de uma vida inteira. Ainda assim, é fundamental se preparar com antecedência para evitar o planejamento tardio e, consequentemente, desgastes por conta da escolha. Devido às mudanças rápidas que estamos acompanhando, a demanda do mercado para profissionais altamente qualificados tem ficado ainda maior e é nesse momento que o planejamento de carreira deve ser adotado pensando em resultados.

O planejamento de carreira não trata somente da profissão escolhida e do mercado em que está inserido. É preciso fazê-lo dentro de um timing ideal, evitando o cedo demais, quando não há experiência ou tarde demais, quando as empresas passam a optar por funcionários mais jovens. Com isso em mente, uma boa opção é ter a ajuda de um mentor ou profissional da área, que pode colaborar com boas ideias durante a elaboração.

Uma das coisas mais importantes dentro desse planejamento é a associação dos objetivos profissionais com os objetivos pessoais, que podem ser completamente diferentes. A partir dessas decisões é necessário ter um plano de ação, que é criado com base em metas simples de pequeno, médio e longo prazos.

Muitos especialistas dão dicas para criar um plano de carreira eficiente, mas no geral, o primeiro passo é conhecer todas as opções e caminhos que determinada profissão pode oferecer, independentemente do setor. A Odontologia, por exemplo, pode oferecer diversas possibilidades, como um consultório próprio, serviço público, acadêmico, franquias, indústrias, entre outras. Isso também ocorre na área do Direito e até mesmo da Hotelaria.

Com base nesse conhecimento, confira algumas dicas para elaborar o Planejamento de Carreira:

  1. Pense em conversar com profissionais que já atuam nas áreas em que você gostaria de cursar;
  2. Pesquise sobre as vantagens e desvantagens dessas profissões, pois os profissionais sempre serão favoráveis às carreiras que escolheram;
  3. Procure entender se você tem de fato as competências para seguir a carreira que deseja;
  4. Separe competência de consciência. Para um plano de carreira dar certo, não basta ter a ideia de que é a melhor profissão, é necessário ter as competências solicitadas para atuar;
  5. Não pense que é simples. Sorte é a junção de preparo com a oportunidade. Dimensione o tempo que você precisa para alcançar o sucesso desejado;
  6. Quanto mais pessoas estiverem envolvidas, maior a chance de sucesso, especialmente quando se trata de pessoas que entendem do assunto, como mentores da área.

Dentro do processo de desenvolvimento pessoal e a busca pela carreira, também há muitos agentes que são responsáveis, além do indivíduo que vai escolher a profissão. Entre eles estão a família e a escola, que são encarregados de auxiliar o jovem em suas escolhas.

Em primeiro lugar, a família tem o papel de incentivar e procurar oferecer o suporte necessário para que o jovem alcance a posição almejada nesse planejamento. Também é importante evitar comentários que possam prejudicar a desenvoltura, pois normalmente não há conhecimento técnico ou mercadológico.

Planeje sua carreira já

Por outro lado, a escola tem uma função que vai além de formar o estudante, mas sim um cidadão e também profissional. Nesse quesito, ela pode oferecer ajuda de diversas formas, como parcerias com instituições e universidades que podem apresentar um universo de possibilidades para esses alunos e aguçar o interesse deles em uma área específica. A ideia do planejamento de carreira deve ter início nesse momento.

Algo que também deve ser levado em consideração atualmente é como a tecnologia pode ser um ponto de virada e qual será o papel dela nesses planos, visto que hoje, por conta da evolução tecnológica, existem profissões que não existiam um ano atrás. É possível perceber as mudanças ocorrendo rapidamente e, com isso, os trabalhos também. Por isso, é ideal ter em mente que a atualização e a migração de carreira também podem ser oportunidades. 

Inicialmente, o grande desafio é vencer a imaturidade natural da idade e o segundo é, num mundo de oportunidades, escolher a profissão que mais faz esse jovem feliz, algo que seja realmente motivador e não selecionado por questões financeiras ou momentâneas. Com todas essas mudanças, pode parecer uma situação difícil, mas é preciso ter clareza com relação a essas escolhas. Quando se trata de estratégia, planejamento é a base do sucesso. Quem planeja tem mais chances e quem não o faz pode estar despreparado e sem as competências e a consciência, itens necessários para estar envolvido em bons negócios.

Sobre Dr. Éber Feltrim

Especialista em gestão de negócios para a área da saúde começou a sua carreira em Assis. Após alguns anos, notou a abertura de um nicho em que as pessoas eram pouco conscientes a respeito, a consultoria de negócios e o marketing para a área da saúde. Com o interesse no assunto, abdicou do trabalho de dentista, sua formação inicial, e fundou a SIS Consultoria, especializada em desenvolvimento e gestão de clínicas.

Sobre a SIS Consultoria

A SIS Consultoria pertence ao grupo SIS, com sede na cidade de Assis/SP. Com grande know-how e eficácia técnica na área de saúde, busca oferecer estratégias de qualidade para as empresas. Há mais de 27 anos no mercado, apresenta hoje significativa expansão e tem sua área de atuação em mais de 140 cidades do nosso país.  A SIS busca, por meio de uma equipe ética e comprometida, promover o diferencial do seu negócio como ferramenta para o sucesso. Para mais informações, acesse https://www.sisconsultoria.net/ ou pelo Instagram @sis.consultoria

Planeje sua carreira já: Fundamental para o sucesso
Planeje sua carreira já

Gostou da nossa matéria “Planeje sua carreira já: Fundamental para o sucesso“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.370 outros assinantes

A pandemia e a insegurança alimentar

Fernando Rizzolo é o autor de “A pandemia e a insegurança alimentar”

Não há nada neste mundo que humilhe e desespere mais uma pessoa do que a percepção da fome se aproximando. Entre todas as tragédias da humanidade, a fome, a miséria e o desalento formam uma tríade que acaba despersonalizando o ideal de sobrevivência, mormente quando o provedor familiar se vê impotente mediante a realidade econômica de prover sua família.

O grande choque ideológico com a chegada da direita, extrema direita ou “liberais” ao poder, no Brasil, foi o pouco alcance de medidas eficazes sobre os efeitos da pandemia na vida dos mais pobres. Do ponto de vista sanitário, tentou-se o negacionismo, bem como as “terapias alternativas” como forma de socorrer os infectados. Uma arriscada medida que se baseou em uma receita dos EUA chancelada pelo ex-presidente Donald Trump e implementada aqui no Brasil, violando e contrariando conceitos científicos que recusavam essa “terapia cloroquínica”.

Tal situação levou o Brasil a um desdobramento da pandemia que foi muito mais mortífero entre pessoas negras do que entre as brancas no estado de São Paulo ao longo de 2020 – até por ser este, do ponto de vista alimentar, um grupo muito mais carente. Morreram 46,7 mil pessoas em decorrência dessa doença no território paulista segundo um estudo da Vital Strategies com apoio do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento.

Isso corrobora aquilo que prevíamos, ou seja, em São Paulo, em que 40% da população é negra (preta ou parda), em virtude de um racismo estrutural, o número de mortes entre essa população aumentou em 25%, enquanto entre a população branca o aumento foi de 11,5%. Muito embora esses dados sirvam apenas para sublinhar um recorte da miséria que assola todas as etnias, afinal, no Brasil, mais de 125,6 milhões de pessoas não se alimentam como deveriam ou já anteriormente avistavam problemas futuros com a pandemia de coronavírus no tocante à segurança alimentar, segundo estudo da Universidade Livre de Berlim, na Alemanha. O estudo também demonstra que 31,7% disseram ter insegurança alimentar leve, 12,7% disseram ter insegurança moderada e 15% demonstraram insegurança grave (fome propriamente dita).

Nesse quadro, o Nordeste apresenta situação mais grave, pois a insegurança alimentar atinge 73,1% das pessoas, a região Norte apresenta com 67,7%, a Centro-Oeste aparece com 54,6% e o Sudeste com 53%. A região com melhor situação é o Sul, com 51,6%, o que tampouco representa um cenário favorável, pois, do ponto de vista estatístico, mais da metade dos lares apresentam insegurança. É interessante notar que todos diminuíram em 44% o consumo de carne e 41% o de frutas.

Isto posto, a condição epidemiológica da população está mais vulnerável, quer por questões não só do aumento da miséria como pelas condições raciais, que se somam ao contexto do desemprego generalizado e das poucas contrapartidas do governo federal no sentido de salvaguardar uma renda mínima digna, e que tampouco foi provedor no auxílio a pequenos e microempresários, que tiveram seus negócios fechados. Hoje o trabalhador tem duas opções: ou fica em casa sofrendo com a fome ou se expõe à procura de um emprego, arriscando-se em aglomerações que muitas vezes o acabam infectando.

O atraso nas demandas de contenção da pandemia por parte do governo federal é mais uma faceta da sombria condição de vulnerabilidade social, em que o fogão a gás foi trocado pelo fogão a lenha, pois pagar R$ 100,00 (cem reais) pelo bujão de gás significa muito para quem está sem condições verdadeiras de levar uma vida digna.

Fernando Rizzolo é advogado, jornalista, mestre em Direitos Fundamentais.

Gostou da nossa matéria “A pandemia e a insegurança alimentar“?

A pandemia e a insegurança alimentar

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.370 outros assinantes

A presença dos prateados nos aplicativos de relacionamento

Layla Vallias é autora de Sexualidade prateada: a presença dos prateados nos aplicativos de relacionamento

Tecnologia e relacionamentos têm tudo a ver com maturidade, aliás, são duas coisas que os maduros gostam e nas quais investem tempo e energia. A pandemia, com todo o contexto de isolamento e distanciamento social, contribuiu muito para o aumento nas buscas por aplicativos de relacionamentos. Confinadas em casa, pessoas de todas as idades passaram a procurar mais por esse recurso para se relacionar com o outro.

De acordo com dados divulgados pelas próprias plataformas, o Happn – aplicativo de paquera no estilo do Tinder –teve um aumento de 18% nas mensagens trocadas; The Inner Circle, também no mesmo estilo, mas com um posicionamento de mercado mais voltado para a qualidade dos matches e não para a quantidade, teve um aumento de 15% nas “curtidas” e 10% nas mensagens enviadas. O Par Perfeito, por sua vez, registrou um crescimento de 70% de novos usuários, além de um ganho de 20% no tempo médio gasto no aplicativo e no site.

Os maduros não ficam fora desses resultados. Parcela da população que ganhou holofotes nesta pandemia por causa da vulnerabilidade diante do vírus, os prateados também estão nesses aplicativos. No Coroa Metade, plataforma focada em pessoas a partir de 40 anos, houve um aumento de 17% nos cadastros entre abril e outubro de 2020 em comparação aos seis meses anteriores à pandemia.

A presença digital dos maduros não me espanta! Quando coordenei a pesquisa Tsunami 60+, em 2018, descobri que esse grupo tem uma presença forte e marcante em tecnologia. Para se ter uma ideia, somente 10% dos entrevistados – em um universo de quase três mil pessoas – disseram não estar em nenhuma rede social. E, uma vez conectados, 81% acessam redes sociais; 80% pesquisam na internet; 66% tiram e gerenciam fotos e vídeos; 64% checam e-mails e 61% assistem a vídeos.

Por isso, gosto de dizer que a internet, para eles, é a janela para o mundo. Nas entrevistas que fizemos, as pessoas afirmaram adorar receber de 50 a 60 “mensagens de bom-dia” a cada manhã. Para esse público, isso é um movimento ­– uma pulsão da existência muito forte nessa fase da vida – quando a pessoa começa a trabalhar menos e ficar mais em casa. O que a internet tem feito é proporcionar que essa movimentação permeie diferentes áreas da vida. E o relacionamento é uma delas. Os maduros são um público que quer viver o agora e não têm mais tempo a perder. Relacionar-se com o outro, na forma de amizade ou amor, é fundamental para que mantenham a qualidade de vida.

No Coroa Metade, 69% dos homens procuram namoro; 54%, amizade; 21%, casamento; e 38%, sexo. Com relação às mulheres, 70% querem namoro; 51%, amizade; 20%, casamento; e 6%, sexo. Isso tem muito a ver com a liberdade que os maduros estão conquistando, seja na forma de procurar o relacionamento, seja na necessidade de não esconder mais a idade e os cabelos brancos. Grande parte dos usuários maduros quer mesmo é mostrar que aos 50, 60, 70 ou 80 anos ainda é possível namorar, ter uma vida sexual ativa, fazer novos amigos e se divertir.

Prova disso é que este público também está em sites de pornografia. Dados de 2019 do Pornhub – maior site de pornografia no mundo – apontam que os visitantes com idade entre 55 e 64 anos têm 83% mais probabilidade de assistir a vídeos na categoria “Vintage” e 65% acessam os da categoria “Maduros”, quando comparados a outras faixas etárias. Para visitantes seniores com mais de 65 anos, a categoria “Closed Captions” ganhou 77% de visualização e os vídeos “Vintage” foram duas vezes mais populares quando comparados aos visitantes mais jovens.

Esses dados revelam que tanto a pornografia quanto os aplicativos são recursos que estão presentes na realidade dos maduros, um grupo que cresce no mundo todo e tem como característica uma curiosidade de entender as novidades que o mundo oferece. Não é à toa que já existem diversas empresas focadas em oferecer encontros a esse público, como Coroa MetadeSolteiros 50 e OurTime Brasil. E, se o caminho para expandir as relações passa pela internet e pelos aplicativos, eles estão lá, curiosos para entender, aprender e utilizar essa ferramenta.

| Layla Vallias – eleita, em 2021, pela Forbes Under 30, uma das jovens brasileiras mais influentes com menos de 30 anos – é cofundadora do Hype50+, consultoria de marketing especializada no consumidor sênior e da Janno – startup agetech que tem como missão apoiar brasileiros 50+ em seu novo plano de vida. Foi coordenadora do Tsunami60+, maior estudo sobre Economia Prateada e Raio-X do público maduro no Brasil, e diretora do Aging2.0 São Paulo, organização de apoio a empreendedores com soluções para o envelhecimento em mais de 20 países. Mercadóloga de formação, com especialização em marketing digital pela Universidade de Nova York, trabalhou com desenvolvimento de produto na Endeavor Brasil.

Gostou de “A presença dos prateados nos aplicativos de relacionamento?

A presença dos prateados nos aplicativos de relacionamento
Layla Vallias, autora de A presença dos prateados nos aplicativos de relacionamento. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.370 outros assinantes

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA

🥦 • ➡️ Siga @rosangelalsnutri para receber mais posts como esse

Quando se trata de alimentação saudável para crianças, muitas são as dificuldades encontradas pelas famílias, como a falta de tempo e até a pouca intimidade com a cozinha. Essas são umas das principais queixas em consultório, visto que a correta nutrição infantil exige tempo, atenção, paciência, persistência e criatividade. Uma alimentação saudável para as crianças é uma alimentação variada, saborosa, colorida, segura, que engloba todos os nutrientes essenciais para promover uma adequada qualidade de vida. Sem contar que cada faixa etária apresenta uma demanda nutricional específica e a oferta de nutrientes é de grande importância para um adequado crescimento e desenvolvimento corporal e neurológico.

Necessidades por faixa etária:

2 a 5 anos: hortaliças e fontes de cálcio (lácteos e folhas verdes), importantes para o crescimento e desenvolvimento dos ossos. Nesta fase a criança já consome os mesmos alimentos que a família e precisa ser estimulada a comer frutas e hortaliças inteiras.

6 a 10 anos: na idade escolar é muito comum o apetite aumentar, mas é necessário que os alimentos consumidos sejam saudáveis para dar energia sem contribuir para o sobrepeso. Ofereça carboidratos saudáveis (batata doce, aipim, inhame, batata baroa, batata inglesa), aveia, frutas, verduras e o tradicional arroz e feijão, esses alimentos devem fazer parte do cardápio ofertado diariamente.

Acima de 11 anos: Fase característica onde os  pré-adolescentes quererem trocar os alimentos por fast foods ricos em sódio, açúcar, gorduras saturadas e trans, podendo trazer um impacto negativo à saúde. É importante limitar o consumo destes alimentos a alguns momentos específicos na semana.Incentive seu filho a ter hábitos alimentares saudáveis, você é  um exemplo para ele.

FESTIVAL BRASILEIRO DISPONIBILIZA 15 ANIMAÇÕES GRATUITAS

Filmes fazem parte do Takorama Brasil – Festival Internacional de Cinema. Entre os destaques da programação está “O Macaco Homem”, que conta a história de um macaco que luta contra o desmatamento da floresta amazônica.

Curtas metragens do calibre de Meu Estranho Avô”, da diretora Dina Velikovskaya (Rússia), “O Emprego”, de Santiago Bou Grasso (Argentina) e “O Complexo do Porco-espinho”, de LISAA (França), são algumas das animações que poderão ser assistidas gratuitamente de casa, durante o final de semana. As exibições fazem parte do Takorama Brasil – Festival Internacional de Cinema, que segue com uma programação inédita até o dia 28 de outubro. Os filmes que costumam ser sucesso entre as crianças, também poderão ser vistos pelos adultos, que são fãs desse tipo de produção, através do site:  www.takorama.com.br.

O objetivo do festival é levar o cinema para as casas das pessoas durante esse momento de isolamento e também conectar a sétima arte com a educação, os pais e professores, permitindo que as crianças e os jovens descubram novos filmes, novas histórias e novos universos visuais.

“Além da educação cinematográfica e artística, o festival permite que as animações sejam não só apenas uma ferramenta de entretenimento, mas também uma ferramenta de comunicação, uma vez que o festival também permite que as crianças, jovens, pais e professores participem do festival de forma interativa, colaborando com a votação das melhores exibições.” comenta Liana Vila Nova, Diretora da Associação Internacional Films pour Enfants, na America Latina.

Além disso, a plataforma do festival oferece um material pedagógico para cada filme a serviço das famílias e educadores, que podem questionar os filmes e desenvolver atividades educativas junto com as crianças. Os professores podem participar do festival com sua turma e incluir uma experiência lúdica e inovadora nas atividades escolares.

Entre os curtas, estão “O Edifício”, de Tomoyoshi Joko (Japão, 2018), que aborda o tema de respeitar as diferenças e a conviver com respeito a partir da história de um grande edifício que salva pequenas casas de uma inundação. “Olá”, de Julio Cesar Velazquez (Argentina, 2014), que apresenta adoráveis personagens em formas geométricas aprendendo a se conhecer e o “O Melhor Brinquedo”, de Gabriel Lin (EUA, 2014), que traz uma corrida, perdida de antemão, onde um menino tentará transformar o seu brinquedo para fazer com que pareça o mais tecnológico dos brinquedos.

A programação de filmes que trazem abordagens sobre tolerância, empatia, amizade, ecologia e cidadania, também conta com títulos como, “O Tubarão do Aquário”, de Ashley Farlow (EUA, 2014), que conta a história de um pobre tubarão em seu aquário pequeno. “O Complexo do Porco-espinho”, de LISAA (França, 2013), que traz uma história para refletir sobre o bullying, o sentimento de rejeição, falta de autoconfiança e as tribulações de uma jovem ouriço, “Você Parece Assustador”, de Xiya Lan (EUA, 2016) , que mostra à tona emoções comuns para as crianças, como por exemplo rir de medo do dentista.

Entre os mais vistos pela faixa etária de 9, 10 e 11 anos, estão “Iguais”, de D.M.Lara & R.C.Mendez (Espanha, 2016), que em uma sociedade conformista e uniforme, um pai tenta colocar o seu filho no caminho certo e leva a questionar se é mesmo o melhor caminho. “O Cão Só”, de Mike A. Smith (EUA, 2014) faz uma homenagem aos desenhos animados dos anos 1940 sobre o sonho de um cachorro em sair de casa e “Meu Estranho Avô”, de Dina Velikovskaya (Rússia, 2011), que exibe uma amizade entre uma menina e o seu avô excêntrico. 

Outros títulos que podem ser acessados são “Vagamundo”, de Pedro Ivo Carvalho (Dinamarca, 2014), que retrata a história de um jovem que para salvar o seu cachorro, embarca em uma busca frenética em um mundo distópico, “Aparência e Realidade”, de E.Rogova & Z. Pavlenho (EUA, 2014) que conta uma pequena história sobre os sentimentos que mostramos ou escondemos e “Antípoda”, de Frodo Kuipers (Bélgica, 2001), onde tudo vai bem no melhor dos mundos possíveis, até o dia em que, do outro lado do espelho, chega um novo habitante e vira o tudo de cabeça para baixo.

Outros três filmes recomendados são “O Macaco Homem”, de J.Tereso & F.Maldonado (Argentina, 2012), que conta história de um macaco muito inteligente, lutando contra o desmatamento da floresta amazônica, “O Emprego”, de Santiago Bou Grasso (Argentina, 2008) que traz uma sátira com homens alienados e reduzidos a mero objetos e “Sr. COK”, de Franck Dion (França, 2014) que em busca de eficiência e lucro, o Sr. Cok fabrica bombas e decide substituir seus trabalhadores por robôs.

PROGRAMAÇÃO

O Edifício, de Tomoyoshi Joko (Japão, 2018)

Olá, de Julio Cesar Velazquez (Argentina, 2014)

O Melhor Brinquedo, de Gabriel Lin (EUA, 2014)

O Tubarão do Aquário, de Ashley Farlow (EUA, 2014)

O Complexo do Porco-espinho, de LISAA (França, 2013)

Você Parece Assustador,de Xiya Lan (EUA, 2016)

Iguais, de D.M.Lara & R.C.Mendez (Espanha, 2016)

O Cão Só, de Mike A. Smith (EUA, 2014)

Meu Estranho Avô, de Dina Velikovskaya (Rússia, 2011)

Vagamundo, de Pedro Ivo Carvalho (Dinamarca, 2014)

Aparência e Realidade, de E.Rogova & Z. Pavlenho (EUA, 2014)

O Macaco Homem, de J.Tereso & F.Maldonado (Argentina, 2012)

O Emprego, de Santiago Bou Grasso (Argentina, 2008)

Sr. COK, de Franck Dion (França, 2014)

SERVIÇO

Takorama Brasil – Festival Internacional de Cinema
Acesso gratuito e ilimitado pelo site www.takorama.com.br
Pré-cadastro pelo site a partir do dia 30 de agosto
Contato para informações: (81) 9 9263.1616 e e-mail: takoramabr@gmail.com
Classificação indicativa: 3 à 17 anos
LINK COM FILMES: http://www.takorama.org/ 
Acompanhe o Takorama nas redes sociais
Instagram: @takoramabr
Facebook: @takorama.br
Canal Youtube: Takorama Festival de Cinema

Inscrições para a 5ª edição do Festival Flink Sampa 2020 terminam nesta quarta (30)

Alunos de todos os ciclos de ensino podem participar do concurso em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares e ONG Afrobras

Secretaria da Educação do Estado, por meio do Centro de Inclusão Educacional e do CRE Mario Covas, realiza em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares e ONG Afrobras a 5ª edição do Festival Afro Minuto (Flink Sampa 2020).

Para participar do concurso, alunos da rede estadual que estejam cursando qualquer ciclo deverão produzir e enviar vídeos que visem valorizar a diversidade e respeitar os processos históricos de resistência negra desencadeada pelos africanos escravizados no Brasil.

O tema deste ano é uma homenagem à vida e obra de Milton Santos. Cada escola deverá inscrever apenas um vídeo por categoria, sendo: Ensino Fundamental Anos Iniciais, Ensino Fundamental Anos Finais, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A produção dos vídeos ficará por conta dos estudantes, sob orientação e acompanhamento do(a) professor(a) orientador(a). O regulamento do concurso pode ser consultado no site do CRE Mário Covas: http://www.escoladeformacao.sp.gov.br/portais/Default.aspx?tabid=9180.

A lista de vencedores será divulgada em novembro, considerando os protocolos sanitários vigentes, a premiação está prevista para ocorrer virtualmente ou em local a ser definido, na segunda quinzena do mesmo mês.

Fonte: Governo de SP

Vacinação contra influenza termina nesta quarta-feira (30/09)

Termina nesta quarta-feira, dia 30, a campanha de vacinação contra a influenza. Moradores estão sendo imunizados contra a doença, independente de idade ou de estarem em grupos de risco. As vacinas são aplicadas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, nas 10 UBSs e USFs da cidade. 

Importante ressaltar que quem já foi vacinado contra a influenza neste ano não deve ser imunizado novamente. Pessoas que integram os grupos prioritários e não receberam a dose da vacina devem procurar uma das unidades de saúde dentro do prazo, para garantir a imunização.

Até a última semana, foram imunizadas contra a influenza 46.510 pessoas no município.

Sarampo – A vacinação contra o sarampo será realizada até 30 de outubro dentro da seguinte estratégia:

– Vacinação intensificada para população de 6 meses a 29 anos, de acordo com a avaliação da situação vacinal e vacinação conforme o calendário vacinal vigente;

– Vacinação indiscriminada (independente da situação vacinal) na faixa etária de 30 a 49 anos, em consonância com o Ministério da Saúde.

Esquema especial de atendimento foi estruturado pelas equipes da Saúde Municipal para receber os moradores nas UBSs e USFs – de forma a evitar aglomerações ou proximidade entre as pessoas. Medidas de higiene foram reforçadas nesses pontos, bem como as orientações e procedimentos de segurança para as equipes contra a COVID-19.

Pontos de Vacinação – segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h:

UBS CENTRAL

Rua Dr. Virgílio Gola, 24 – Centro

UBS CENTRO ALTO

Rua Aurora, 61 – Centro Alto

USF GUANABARA

Rua Fermino G. Pereira, 398 – Vila Gomes

USF JD. LUSO

Rua Julio Prestes, 22 – Jardim Luso

USF JD. VALENTINA

Rua Francisco Tometich, 905 – Jardim Valentina

USF JD. CAÇULA

Rua Fagundes Varela, 08 – Jardim Caçula

USF OURO FINO

Rodovia Índio Tibiriçá s/n, ao lado 2753 – Centro – Ouro Fino Paulista

USF QUARTA DIVISÃO

Estrada da Sondália, 520 – Quarta Divisão

UBS SANTA LUZIA

Rua Prof. Antonio Nunes, 551- Santa Luzia

USF VILA SUELI

Rua Antonio Zampol, 221 – Vila Sueli