Aulas presenciais em Santo André retornam a partir desta segunda

O retorno às aulas presenciais na rede pública terá início nesta segunda-feira (24) em Santo André. Na rede municipal, os alunos do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos serão os primeiros a voltar para as salas de aula, na primeira etapa de um processo que ocorrerá de forma gradual.

“As escolas estão preparadas para esse retorno gradual, que acontecerá de forma responsável e com todas as medidas sendo tomadas. Mas não é obrigatório. Quem optar por não vir pode continuar acompanhando os conteúdos de casa”, destacou o prefeito Paulo Serra, durante vistoria realizada na Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Profª Elaine Cena Chaves Maia, no Jardim Santo Alberto.

O prefeito acrescentou que uma parceria entre a Secretaria de Educação e a empresa Microsoft, sem custo para o município, possibilitará o acesso de todos os alunos e professores da rede à plataforma Teams, desenvolvida especialmente para atender ao universo da Educação.

“Agora a rede tem essa nova ferramenta, que é como uma sala de aula no computador para garantir ainda mais qualidade para a nossa educação. Além disso, em junho vamos entregar 7.192 tablets para os alunos do 4º e 5º ano do ensino fundamental e 293 para os professores, e também 529 para os professores da creche”, acrescentou Paulo Serra. Segundo o prefeito, o retorno é fundamental para a reconstrução do vínculo das crianças e das famílias com as escolas. “O aspecto emocional das crianças é muito importante”, destacou.

Para o retorno, as turmas têm de ser formadas por 35% dos alunos matriculados em cada sala e o revezamento será semanal entre o grupo de alunos que manifestou interesse em retornar presencialmente.

O período de permanência nas escolas também será menor, de 2h30, e haverá escala de horário para a entrada dos alunos na escola, para evitar a concentração de estudantes e familiares nas áreas dedicadas à entrada e à saída dos estudantes. As escolas comunicarão as famílias sobre a data de retorno de cada aluno.

Para receber os estudantes com toda a segurança, as escolas municipais de Santo André adequaram seus espaços para o cumprimento dos protocolos de segurança, como a retirada de carteiras das salas de aula, marcações no chão para o distanciamento dos alunos e colocação de dispositivos com álcool em gel por diversos pontos.

Etapas – Os alunos da educação infantil, com idade entre 4 e 5 anos, retornam no dia 31 de maio. As crianças do primeiro ciclo final das creches (3 e 4 anos), voltam em 7 de junho. O retorno dos alunos do primeiro ciclo inicial das creches (2 e 3 anos) está previsto para 14 de junho.

A semana que antecede a volta é sempre dedicada ao acolhimento das famílias e alunos. O retorno das aulas das escolas estaduais será definido pelo calendário divulgado pelo Governo do Estado de São Paulo.


| Texto: Paola Zanei
| Fotos: Helber Aggio/PSA

Gostou da nossa matéria “Aulas presenciais em Santo André retornam a partir desta segunda“?

Aulas presenciais em Santo André retornam a partir desta segunda

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Vagas para professores em São Paulo, capital

A Escola Mais está com vagas para professores na capital, São Paulo. São oportunidades para professores de Biologia, Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Corpo e Movimento, Filosofia, Física, Geografia, História, Inglês, Maker, Matemática, Português, Química, além de vagas para Atendimento e Coordenadores (Administrativo, Pedagógico e Produção de Conteúdo).

OBS: Apenas divulgamos as vagas, não solicitamos nenhum dado pessoal ou currículo. Nos canais abaixo compartilhamos mais publicações sobre vagas, NUNCA exigimos cadastro no Jornal Grande ABC. Responsabilidade das ofertas é por parte dos contratantes.

Quais os requisitos?

Para todas as vagas de Professores, é necessário ter a Graduação em Licenciatura na área, além de conhecimento de tecnologias de ensino (se referem a computador, plataformas digitais, aplicativos e outros), e será considerado diferencial ter experiência com Metodologias ativas.

Para Atendimento (Agente de Customer Success), é necessário ter facilidade e uso correto da língua portuguesa (escrita e falada), bem como habilidade com sistemas digitais em geral. Formação Superior e experiência em relacionamento com clientes serão diferenciais.

Para Coordenador Administrativo, é requerido a formação superior em Administração de empresas ou áreas afins, experiência em gestão de processos administrativos (ex. gestão financeira, compras, etc), experiência em liderança de equipes e conhecimento do uso de office (Word, Powerpoint, Excel). Experiência prévia em escolar ou em ambientes com grande fluxo de clientes, serão diferenciais considerados.

A vaga de Coordenador Pedagógico é exigido que candidato tenha a formação em Pedagogia ou Licenciatura plena, experiência em gestão escolar (coordenação escolar, orientador educacional, professor orientador e outros semelhantes) e em liderar equipes, além de conhecimento do Office (Word, Power Point e Excel) e de tecnologias de ensino. O domínio do Inglês será considerado diferencial.

E para Coordenação de Produção de Conteúdo, a Escola Mais requer candidatos com o Ensino superior ou especialização em educação (Áreas complementares: Comunicação Social, Produção Editorial ou áreas afins), experiência como editor de materiais didáticos e / ou de livros em geral e experiência em gestão de projetos e equipes multidisciplinares.

Vagas de hoje 18 de março 2021

Pensando em mudar de carreira ou se preparar melhor para entrevistas de emprego? Conheça a RC Locus, referência em Recrutamento & Seleção, em todos os níveis.

Como se candidatar?

Para todas as oportunidades da Escola Mais, acesse https://escolamais.gupy.io. Este é o canal oficial utilizado pela empresa em seu recrutamento na internet. Lembrando, estas oportunidades são apenas através desta forma de recrutamento.

Conheça todos nossos canais (Whatsapp, Telegram, Facebook, Buscador): https://jornalgrandeabc.com/inicio/nossas-redes-sociais/

Vagas de hoje 17 de março 2021

Conheça nossa parceria com o site Lista de Vagas. Visite e confira mais vagas verificadas e reais.

Mais Vagas no Grande ABC

Gostou “Vagas para professores em São Paulo, capital”?

Vagas para professores em São Paulo, capital

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Adele

Denize Amaro é autora de “Adele”.

O artigo de hoje será todo em inglês! Aproveite para treinar sua leitura e também sua
pronúncia, conferindo o áudio no Spotify.

Boa leitura e bons estudos!

I love reading about people who are inspiring. Adele is certainly one of them.

She was born on May 5 th , 1988 in London. Adele is a singer-songwriter who has sold
millions of albums worldwide. She’s won a total of 15 Grammys as well as an Oscar.
With sales of over 120 million records, Adele is one of the world’s best-selling music
artists.

Adele’s voice is one of a kind. Her lovely and emotional performance of “Someone
Like You” at the British Awards on February 15th (2001) led the song to become
number one in the UK.

Making music for her ears

Adele revealed to Rolling Stones that she doesn’t have time to worry about her weight,
and would rather chow down on fine foods than hit the gym.

‘I love seeing Lady Gaga’s boobs and bum. I love seeing Katy Perry’s boobs and bum.
Love it. But that’s not what my music is about. I don’t make music for eyes, I make
music for ears.’ (Rolling Stones, 2011)

Despite all the talking, she may have lost more than 100 pounds over the past couple of years. Adele commented on her weight loss while hosting Saturday Night Live last year.

She keeps on charming people. In person, Adele is unguarded and funny. She talks fast, uses different voices, tells filthy jokes onstage (“What do you call a blonde standing on her head? A brunette with bad breath.”) 

Personal Life

She started dating charity entrepreneur Simon Konecki in 2011. Angelo, their son, was
born the following year. They got married in 2017 but split in 2019. By the way, Adele
and Simon reportedly needed mediators to carve up their £140 million fortune.

Adele was raised by a single parent, her mom Penny. Her father was absent most of her
childhood.

TEACHER DENIZE AMARO
GRADUADA EM LETRAS COM LICENCIATURA EM ESPANHOL, LECIONA
IDIOMAS HÁ 21 ANOS.
PARA AULAS PARTICULARES @denizeteacher

https://www.imdb.com/name/nm2233157/bio
https://en.wikipedia.org/wiki/Adele
https://www.rollingstone.com/music/music-news/adele-opens-up-about-her-inspirations-looks-and-stage-fright-79626/
https://www.hellomagazine.com/tags/adele/
https://www.mirror.co.uk/all-about/adele

Adele

Gostou de “Adele”?

Assine nossa Newsletter, e receba nossas publicações em seu email. Então, aproveite e leia mais sobre Gringuei.

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação

‘Senza pietà’ se passa em Vitória e debate o fracasso e as mazelas da educação.

A clássica questão do fosso entre o ensino público e o privado é a tônica de ‘Senza pietà’, conto do jornalista Maxwell dos Santos disponível para download gratuito em http://bit.ly/contosenzapietapdf (PDF), http://bit.ly/contosenzapietaepub (EPUB) e http://bit.ly/senzapietamobi (MOBI)

Este conto tem o claro objetivo de debater o fracasso escolar na rede particular de ensino e desconstruir o conceito de meritocracia, onde o sucesso e o fracasso dependem exclusivamente do indivíduo, mas no caso é o aluno Rodrigo, que acabara de perder a bolsa de estudos no Michelangelo, o colégio mais caro de Vitória, onde estudam os filhos dos donos do PIB do Espírito Santo e devolvido à escola pública de origem, como se fosse uma experiência que deu certo.

Vindo de escola pública, com o ensino precário e constantes graves, o adolescente não estava preparado para o altamente conteudista e vestibulável currículo daquela escola de elite, tampouco tinha inteligência emocional para suportar as pressões por resultados, entrando em conflito com os alunos.

Espera-se que este opúsculo contribua com os debates sobre a educação no Brasil.

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação
Jornalista e autor Maxwell dos Santos. Foto: Divulgação

Sobre Maxwell dos Santos

Maxwell dos Santos é brasileiro, nasceu em Vitória/ES em 1986 e mora na referida cidade. É jornalista, radialista, designer gráfico e servidor público da Prefeitura de Cariacica desde 2017 e professor de Literatura Brasileira dos cursinhos populares Risoflora e Atitude. É técnico em Multimídia pelo CEET Vasco Coutinho, licenciado em Letras/Português pelo Instituto Federal do Espírito Santo, licenciando em História pelo Centro Universitário Internacional, pós-graduando em Letras: Português e Literatura pela Faculdade de Ciências da Bahia e especialista em Educação Especial com Ênfase em Transtornos Globais do Desenvolvimento e Superdotação pela Faculdade de Educação Paulistana.

Gostou da nossa matéria “Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

WhatsApp para captação de alunos: Tema da live da Persone

Diversos fatores determinam o comportamento do consumidor e, entre eles está a praticidade, um dos motivos que posicionou o aplicativo como instrumento de negócio nos últimos anos. Desenvolvido e utilizado inicialmente para entretenimento e relacionamento, passou a se firmar como o principal canal entre empresas e clientes, desde o último ano, com o impacto da pandemia. O Whatsapp tem sido aplicado às empresas não apenas como um meio de comunicação, mas também como um canal direto para vendas e captação de alunos.

Convencer potenciais alunos a efetivarem suas matrículas é um grande desafio, porém, existem alternativas. Por este motivo, essa manobra tem sido destaque no setor educacional. “O WhatsApp já se tornou o principal canal de conversão, mas cuidado para não se tornar um spammer”, alerta o especialista André Sales, sobre saber abordar e não cruzar a barreira da inconveniência.

“Conversaremos sobre a importância do WhatsApp no processo de captação, seu protagonismo em termos de canal e como fazer uma boa abordagem sem ser invasivo ou chato”, completa o head of sales, da Faculdade Descomplica.

  • Como utilizar o WhatsApp na captação de alunos?
  • O que deu certo e o que deu errado?
  • O WhatsApp é complementar a outros canais de vendas?
  • Como fazer a gestão da qualidade e da produtividade da equipe?
  • O uso da API official.

Esses são alguns dos questionamentos que serão respondidos por André Sales, na live realizada pela Persone Educação, no dia 22 de abril, em seu canal do YouTube (www.persone.com.br/live).

A tecnologia é um braço na conversão de leads e uma ferramenta para gerenciar esse momento de incertezas que tem ganhado destaque é o aplicativo de relacionamento. No início de 2020, o WhatsApp marcou presença em 99% dos smartphones brasileiros, conquistando uma base de mais de 120 milhões de usuários.

O relatório CX Trends 2020, identificou que, até fevereiro, o app já era usado por 57% dos clientes para falar com empresas, tendo na sequência o e-mail, com 47%, site (44%), Facebook (37%) e chat online (33%).

Essa live, que abordará as possibilidades dentro dessa temática, terá duração de até 20 minutos. Durante o bate-papo os participantes podem enviar suas dúvidas, que serão esclarecidas pelo convidado.

Serviço:

Live: WhatsApp para captação de alunos?

Quando: 22 de abril

Horário: às 20h

Onde: YouTube www.persone.com.br/live

Sobre Helen Toyama

Helen Toyama, CEO e fundadora da Persone, tem larga experiência em marketing e vendas. Ao longo de sua carreira passou por grandes players do setor educacional, atuando como Gerente de Marketing, Diretora Administrativa e Consultora em Empresas como Insper e Hoper. Bacharel em Publicidade e Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Gestão de Vendas, pela ESPM.

Em 2013, tomou a decisão de abrir sua própria empresa de soluções em atendimento e vendas para o segmento educacional. Mais de sete anos depois, a Persone é reconhecida pela expertise e qualidade nos processos de atendimento e vendas.

Helen tem participação ativa em processos de reestruturação organizacional e planejamento estratégico, também se destacando por desenvolver parcerias com empresas como Apple, Microsoft, J&J, Embraer, Cisco, SAP.

Sobre a Persone

Empresa de soluções em atendimento e vendas formada por profissionais que atuam há mais de 18 anos nos segmentos de tecnologia e educação, fornece consultoria e outsourcing de processos, sistemas e equipe de vendas.

A Persone dispõe de uma equipe especializada em implantação, gestão e execução de operações de vendas, retenção, relacionamento e atendimento ao cliente.

Utilizando as mais diversas tecnologias – sistemas de CRM, CTI, chat, chatbot, inbound, BI, e-mail marketing, SMS e WhatsApp, a Persone executa o processo de vendas do início ao fim.

Gostou da nossa matéria “WhatsApp para captação de alunos: Tema da live da Persone“?

WhatsApp para captação de alunos: Tema da live da Persone
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual

2020 foi o ano de estabelecer relações de convívio coletivo mais saudáveis e de respeito, cada um em sua casa. Confira o balanço do programa ExploreCarlotas

Em um ano desafiador para a educação brasileira, a empresa Carlotas mostra em vídeo a retrospectiva do programa ExploreCarlotas com o ponto de vista de professores e professoras que enfrentaram a pandemia mostrando dedicação e coragem.

O programa ExploreCarlotas, que cria espaços de diálogo e aprendizagem por meio de oficinas, tem como objetivo levar reflexões sobre diversidade, respeito e empatia de forma lúdica para crianças, jovens e educadores em escolas públicas e instituições de assistência gratuitamente.

O vídeo ilustra os sentimentos e emoções vividos nesse ano de incertezas, além de trazer depoimentos de professoras das escolas públicas. Veja aqui:  https://youtu.be/ESINKOT2QlQ. Em 2020 o Programa ExploreCarlotas focou em acolher e criar vínculos com os professores e professoras de escolas públicas. Os participantes dividiram com Carlotas seus medos, aflições, aprendizados e como foi o ano mais difícil de suas carreiras.

O programa ExploreCarlotas que é financiado com 10% do faturamento da empresa, esteve em 14 escolas públicas. Nestes encontros foram explorados temas tão relevantes quanto atuais como empatia, acolhimento e a importância do olhar para a diversidade com um material inédito: a BOX Carlotas, uma caixa repleta de ferramentas lúdicas focadas em educação emocional para o uso em sala de aula. Nas duas unidades da Fundação Casa, Azaléia e Chiquinha Gonzaga, os relatos de que quem passou pela experiência foi de que os encontros transformaram a maneira como veem o mundo, as pessoas e a si mesmas.

Balanço do programa ExploreCarlotas

Devido à pandemia, os instrumentos de apoio foram apostilas de histórias, atividades lúdicas e jogos para falar sobre as emoções com crianças e jovens. O primeiro Café Virtual foi um encontro remoto para dialogar e organizar as experiências internas com o tema: “Saúde Emocional dos educadores em Tempos de Pandemia.” Com esta atividade a devolutiva de professores, educadores, pais e mães foi muito positiva.

Ao todo 517 educadores participaram de 6 oficinas presenciais e 30 oficinas online onde 6 macrotemas foram abordados: Saúde Emocional, Arteterapia e Saúde, Tempos de Incerteza, o livro Saudade Sabor Chocolate, o Poder Transformador das Histórias e Empatia, Diversidade e Segurança Psicológica.

Um material digital inédito foi construído: uma trilha de aprendizagem em educação emocional adaptado para todas as faixas etárias (de 0 a 17 anos). Respeitando os pilares da UNESCO (aprender a ser, a conhecer, a fazer e aprender a conviver) e fortalecendo as competências socioemocionais da Base Nacional Comum Curricular – BNCC (autoconhecimento, autogestão, amabilidade, relações e tomada de decisão responsável). Com isso, 6 apostilas garantem que educadores e educandos tenham acesso a informações de qualidade. Para mais informações do relatório do Programa ExploreCarlotas clique aqui para fazer o download: http://bit.ly/2020_ExploreCarlotas.

Sobre Carlotas 

Uma empresa com propósito social, localizada no Brasil, nos Estados Unidos e na Alemanha, que busca realçar o potencial da empatia, por meio de uma abordagem única. Carlotas ilustra o diálogo sobre a desconstrução do perfeito e aceitação da diversidade, por meio da arte e do lúdico, encoraja o desenvolvimento das habilidades socioemocionais para melhorar as relações humanas. Para mais informações acesse: https://carlotas.org/

Gostou de “Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Desemprego e pandemia fazem aumentar a busca por cursos online

Com os altos índices de desemprego no país, muitas pessoas passaram a buscar por cursos onlines que os ajudem a se recolocar no mercado de trabalho, durante esta pandemia.

Em meio a pandemia e os altos índices de desemprego no país, a busca por especializações e cursos que façam a diferença no currículo e no desenvolvimento pessoal vêm crescendo. Por sua comodidade, valores mais baixos e acesso mais fácil, os cursos online estão se tornando a opção ideal para o brasileiro.

Buscando por qualificação curricular, muitos acabam optando por cursos no segmento de idiomas, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os cursos de idioma EAD (ensino à distância) cresceram 59% em 2020 e esses dados continuam sendo promissores para 2021. 

Segundo, Anna Carolyna Diniz, fundadora da BeFaster – School of English e criadora do método “Transforme o seu Inglês”, ao levar seu negócio para o online por conta da pandemia, suas aulas tiveram um aumento de busca e de alunos considerável. Hoje, Carolyna já conta com mais de 5 mil alunos em sua plataforma online e o número só cresce. 

“Muitos adultos me procuram buscando por um curso intensivo, no qual ele já consiga se desenvolver no inglês, muitas vezes porque o chefe está exigindo, ou, porque a vaga que ele procura exige o domínio da língua”, conta Carolyna.

De acordo com o IBGE a taxa de desemprego em 2020 chegou a 13,9%, dada a situação econômica do país e a crise por conta da pandemia de covid-19, os números para 2021 não devem ser muito melhores. 

A alta concorrência no mercado de trabalho, faz com que cada vez mais os profissionais busquem meios de se destacar através de cursos e certificações.

Desemprego e pandemia

Sobre Carolyna Diniz:

Fundadora da BeFaster – School of English, instrutora de língua Inglesa desde 2003 e criadora do método “Transforme o seu Inglês”.

Trabalhou em NYC como interprete auxiliando deficientes visuais brasileiros à adquirir cão guia nos Estados Unidos.

Master e Practitioner em PNL pela Sociedade Brasileira de Programação

Neurolinguística. Formada em Hipnose Ericksoniana e coach através da

Sociedade Brasileira de Coaching em 2016.

INSTAGRAM: https://www.instagram.com/carolinadinizsoueu/

YOUTUBE: https://www.youtube.com/results?search_query=carol+diniz

Gostou de “Desemprego e pandemia fazem aumentar a busca por cursos online ?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Especialistas debatem retorno de aulas presenciais em audiência

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados realizou uma audiência pública para debater o retorno às aulas presenciais. O evento aconteceu de forma remota, na manhã desta segunda-feira (29), e contou com a participação de especialistas de diferentes entidades.

Especialistas debatem retorno de aulas presenciais em audiência

Deputados e atores da educação brasileira apresentaram pesquisas e levantamentos a respeito do tema para aumentar o diálogo sobre o ponto polêmico, ressaltando assuntos como a vacinação contra a Covid-19 e protocolos sanitários na pandemia.

A audiência foi um pedido da deputada Professora Rosa Neide (PT-MT), e foi aberta pela presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação no Rio de Janeiro (Undime-RJ), Stella Magaly Salomão Correa. A especialista detalhou relatórios da Undime sobre a situação pedagógica do país na pandemia.

“Encontramos redes que não ofereceram nenhum conteúdo, aguardando um retorno presencial. Temos um trabalho grande nas redes para aproximar professores e alunos com segurança, não só física, mas também biossanitária e emocional”, disse. 

Para Stella Magaly, segundo pesquisas da entidade, o acesso dos estudantes à internet é uma das principais dificuldades das Secretarias de Educação Municipais. “Como estará a educação daqui há cinco anos? Como nós, atores da educação, vamos pensar políticas públicas que possam minimizar, no longo prazo e recuperar a longo prazo esse dano, esse contexto que a pandemia tem trazido?”, questionou.

Outros dados e informações de estudos que acrescentaram o debate foram levados por Ethel Maciel, pós-doutora em Epidemiologia e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Ela levantou pesquisas que mostraram os impactos da volta às aulas em diferentes nações.

“Temos alguns estudos importantes, um deles analisou 41 países para verificar quais medidas impactaram mais a taxa de transmissão. O fechamento de escolas e universidades e o limite de ter dez pessoas ou menos em qualquer atividade foram os que mais impactaram a transmissão da doença. O lockdown com escolas fechadas apresenta uma redução da transmissão bem significativa”, apresentou.

Protocolos e desigualdades

Ethel também lembrou que mesmo estratégias bem definidas não garantem 100% de eficiência contra a disseminação do vírus. “Há muitas crianças com comorbidades, muitas que não apresentam febre. Aquele protocolo de medir a temperatura não é totalmente eficaz. Às vezes os protocolos têm vários itens, mas as crianças não conseguem seguir. E temos diferentes realidades nas escolas.”

Paulino Delmar Rodrigues Pereira, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares no Estado do Maranhão (Sinepe-MA) e diretor-adjunto da Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen), defendeu que “em qualquer período de lockdown, as escolas devem ser as últimas a fecharem e as primeiras a abrirem”, citando um entendimento da Unicef.

Ele afirmou que ouvir especialistas e a comunidade escolar foi fundamental em um exemplo de boa construção de protocolo no estado. “Contratamos uma consultoria de uma médica infectologista e tivemos a discussão de um fórum que foi formado com o Ministério Público do Trabalho, da Educação, e entidades que fizeram duas ou três reuniões para discutir a situação. São 71 itens de exigências. Ele foi muito bem elaborado e discutido, inclusive por professores, pais de alunos e funcionários administrativos”, detalhou.

Centralização de esforços

A avaliação de que o país precisa de uma coordenação central para minimizar as problemáticas do ensino remoto foi citada por quase todos os participantes. O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, abriu a fala dizendo lamentar que o país esteja “desgovernado”. 
 
“Nós, trabalhadores da educação pública, queremos voltar às aulas presenciais, mas com segurança sanitária. Ou seja, estarmos vacinados, com o país com testagem em massa, fazendo rastreamento dos casos de infecção, controle para evitar a disseminação do vírus. Exigimos a plena execução de protocolos, que eles não fiquem só no papel”, ressaltou.

Para o secretário de Educação do Estado da Bahia e representante do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consd), Jerônimo Rodrigues, “a ausência do governo federal faz muita falta”. “Observamos até comportamentos de ‘jogo contrário’. Tivemos recentemente o veto à situação da internet, o Enem, a questão do Fundeb”, pontuou.

Também houve a participação do deputado federal General Peternelli (PSL-SP), que defendeu o debate pensado nos estudantes, professores e envolvidos no sistema de ensino. “Não é o caso de politizar nada, o foco tem que ser nas nossas crianças. Algumas escolas particulares estão voltando às aulas e as públicas não. E os alunos de todas vão fazer o mesmo Enem”, opinou.

Fonte: Brasil 61

Gostou de “Especialistas debatem retorno de aulas presenciais em audiência?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Escola Livre de Dança recebe encontros virtuais

A Escola Livre de Dança (ELD) de Santo André recebe nos próximos dias 22 e 24 de março, às 19h, o projeto Corpos de Fronteira, da T. F. Style Cia. de Dança. Por conta da pandemia, a programação, que terá vivência prática, bate-papo e apresentação da obra ELO, contará com encontros virtuais.

Para participar é necessário preencher o formulário disponível no link: https://forms.gle/KeqvdBXnCVVkxrGUA. Atividade gratuita.

Escola Livre de Dança recebe encontros virtuais

O projeto Corpos de Fronteira foi aprovado pelo edital Programa de Ação Cultural (PROAC) Expresso Lei Aldir Blanc 48/2020, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

De acordo com os idealizadores, o trabalho tem como objetivo atravessar as fronteiras físicas e virtuais e dar a oportunidade de intercâmbio de experiências entre o núcleo e artistas de oito cidades do Estado de São Paulo, entre elas Santo André.

Estas cidades receberão num outro momento a estreia da obra homônima. A atividade é também uma forma de reconhecer o histórico de realização em dança que o núcleo realiza no estado desde 2002 e que teve suas ações comprometidas no período da pandemia.

Em todas as cidades, o projeto contará com a ação Atravessando Fronteiras, com dois encontros virtuais. Em Santo André, no primeiro dia (22), às 19h, será realizada a vivência prática; o segundo dia (24), no mesmo horário, contará com bate-papo com os participantes.

E em seguida a apresentação da obra ELO, uma proposição poética para espaços alternativos que dialoga corpo, arquitetura e público em busca de outro olhar para a cidade. (45 min., livre). A programação num total de cinco horas, visa estimular o intercâmbio de experiências e reflexões.

Num outro momento, dependendo do controle da pandemia, o projeto prevê ainda o momento da Partilha, com a estreia de Corpos de Fronteira, obra inédita que terá duas sessões em cada cidade participante, promovendo o encontro físico e concretizando o atravessamento das fronteiras.

Serviço:

Inscrições para o Projeto Corpos de Fronteira da T. F. Style Cia. de Dança em Santo André

Encontros virtuais, dia 22, 19h, vivência prática, dia 24, 19h, bate-papo e apresentação do espetáculo ELO

Inscrições gratuitas: https://forms.gle/KeqvdBXnCVVkxrGUA

Projeto aprovado pelo edital Programa de Ação Cultural (PROAC) Expresso Lei Aldir Blanc 48/2020, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Mais informações: igorgasp.tf@gmail.com

Gostou de “Escola Livre de Dança recebe encontros virtuais”?

Escola Livre de Dança recebe encontros virtuais

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

São Paulo voltará a oferecer merenda escolar para rede estadual

O governo de São Paulo anunciou que a partir do dia 1º de fevereiro as escolas da rede estadual estarão preparadas e voltará a fornecer merenda escolar a todos alunos que estiverem na escola presencialmente, seguindo o sistema de revezamento por conta da pandemia do coronavírus. Isso quer dizer os mais de três milhões de estudantes poderão se alimentar nestas escolas durante os dias de aulas presenciais. Além disso, a merenda será servida todos os dias para os 770 mil mais vulneráveis. São Paulo voltará a oferecer merenda escolar para rede estadual.

O investimento para garantir essa alimentação é de mais de um bilhão de reais, sendo R$ 900 milhões do governo de São Paulo e o restante por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). O retorno no fornecimento da merenda acontece uma semana antes do início do letivo, marcado para o dia 8 de fevereiro, e tem objetivo de atender os alunos mais vulneráveis. De acordo com o estado, 60% dos alunos das escolas estaduais se alimentam na escola.

Em parceria com Brasil 61

Gostou de “São Paulo voltará a oferecer merenda escolar para rede estadual”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil, e fique por dentro dos principais assuntos do momento.

São Paulo voltará a oferecer merenda escolar para rede estadual

Volta às aulas presenciais em Diadema

A Prefeitura de Diadema definiu as regras de volta às aulas presenciais para o ano letivo de 2021, referentes ao enfrentamento da pandemia de Covid-19. O decreto foi publicado nesta quarta-feira (27/01) e prevê primeiro a volta às aulas de maneira remota em 03 de fevereiro. Durante o mês, a Secretaria de Educação pretende retomar o vínculo entre a escola, os professores, os alunos e os pais. Também no período será realizado o diagnóstico de aprendizagem dos estudantes. 

A partir de 01 de março, a rede pública terá aula presencial de forma híbrida e gradual. As escolas poderão receber diariamente até 35% dos alunos matriculados. Para isso, a Secretaria está se preparando para obedecer os critérios de segurança sanitária como distribuição de máscaras N95 e organização dos ambientes assegurando segurança aos estudantes e profissionais. 

“Além de garantir os protocolos sanitários, também vamos fazer a testagem de todos os cerca de 2,5 mil profissionais da educação, incluindo os bolsistas da frente de trabalho. Essa é uma forma de cuidar de quem vai cuidar dos alunos”, explica Ana Lucia Sanches, secretária de educação de Diadema. Os professores e demais trabalhadores vão participar de um revezamento conforme a realidade de cada escola.

A secretária destaca que o retorno gradual às aulas presenciais foi uma decisão conjunta do Consórcio Intermunicipal Grande ABC e que recebeu parecer favorável do Comitê Intersecretarial de Acompanhamento das Ações para Combate à Covid-19 de Diadema. Além da secretaria de saúde, também fazem parte do comitê a chefia de gabinete, as secretarias de comunicação, de educação, de desenvolvimento econômico, de transportes, de habitação e de defesa social.

Vulnerabilidade social

Ana Lucia também explica que o retorno progressivo das aulas presenciais possui uma particularidade em Diadema devido ao contexto social de acentuadas vulnerabilidades e de comprometimento no desenvolvimento integral dos estudantes. Mais da metade da população economicamente ativa da cidade depende de benefícios sociais, seja Bolsa Família, BPC e ou auxílio emergencial. 

“Nosso desafio é monitorar todas as crianças e identificar as condições pedagógicas e sociais”, diz a secretária. 

Cestas Básicas 

A Secretaria de Educação também entregará cestas básicas a todos os estudantes já a partir de fevereiro.

Gostou de “Volta às aulas presenciais em Diadema”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre Diadema.

Volta às aulas presenciais em Diadema

Fundo de Telecomunicações para universalizar banda larga nas escolas públicas do Brasil

Banda Larga Brasil: Izalci Lucas (PSDB/DF) destaca importância da modernização do Fust para inclusão digital dos estudantes

Apenas 1,2% dos R$ 19,4 bilhões arrecadados entre 2001 e 2015 pelo Fust, o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações, foram usados, de fato, para melhoria do setor em todo o País. É o que aponta um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), de 2017. 
 
Criado em 2000, o Fundo tinha o objetivo de garantir serviços de telefonia fixa em locais que não oferecem lucro para o investimento privado. Além disso, limitação que não atende, segundo especialistas, as necessidades da conectividade atual, liderada pela internet. 
 
Até por isso, o Senado aprovou, em novembro, um projeto de lei que moderniza o Fust, ao ampliar a possibilidade de uso dos recursos do Fundo que, a partir de agora, vão poder ser gastos para expandir e melhorar a qualidade das redes e dos serviços de telecomunicações. Dois dos principais pontos da nova legislação garantem o acesso à internet de banda larga em todas escolas até o fim de 2024 e melhoria da conectividade no campo. 

Aprovação

O Senador Izalci Lucas (PSDB/DF) comemora a aprovação do PL 172/2020, que reconfigura o Fundo. “Desde quando entrei na Câmara Federal, a gente luta para transformar este recurso em inclusão digital nas escolas. Eu sempre dizia, lá atrás, desde 2004, quando fui secretário, que o analfabeto de hoje não é mais quem não sabe ler e escrever; o analfabeto é quem não tem acesso à internet, ao conhecimento – até chamo “analfabyte”, afirma. 

Banda Larga Brasil

O texto aprovado tem, entre as prioridades, prover o acesso à internet às escolas de todo o País com recursos do Fundo. Dados do Censo Escolar 2018, divulgados pelo Inep no ano passado, apontam que 30,4% das escolas de ensino fundamental não têm conexão com a internet. Assim, equivalente a mais de 39 mil estabelecimentos. 

Prioridades da Banda Larga no Brasil

De acordo com o PL 172, no mínimo 18% dos recursos do Fust deverão ser aplicados, obrigatoriamente, para dotar todas as escolas públicas brasileiras, em especial as que ficam na zona rural, de acesso à internet em banda larga, até 2024. A internet em banda larga, de maior velocidade, só está disponível em 57,6% das instituições do fundamental. Ou seja, mais de 54 mil escolas não possuem esse tipo de recurso.
 
Segundo Lucas Rocha, gerente de inovação da Fundação Lemann, a aprovação do uso do Fust para levar banda larga às escolas é um primeiro passo. Acima de tudo, importe para universalização da internet no país. “É quase que um atestado de que a educação é uma prioridade nessa luta pela conectividade. Além disso, uma estratégia para conseguir levar internet para todo o Brasil”, afirma. 
 
A dificuldade que os alunos brasileiros têm em relação à disponibilidade de internet é um dos gargalos para a melhoria da educação nos próximos anos. Fato que ficou escancarado com os efeitos da pandemia da Covid-19. De acordo com levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada), cerca de seis milhões de estudantes — da pré-escola até a pós-graduação — não têm acesso à internet banda larga no Brasil ou 3G/4G para participarem de aulas remotas, alternativa que as escolas encontraram para minimizar o impacto da proibição das atividades presenciais. 

Banda Larga Brasil na Zona Rural

Responsável por 21,4% do PIB brasileiro, com faturamento de R$ 1,55 trilhão em 2019, o agronegócio também deve se beneficiar com o projeto de lei. Isso, porque o texto prevê que os recursos do Fust serão destinados a cobrir projetos para serviços de telecomunicações em zonas rurais ou urbanas com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Além disso, o Fundo poderá financiar políticas para inovação tecnológica de serviços no meio rural, coordenadas pela Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater).
 
O desafio é considerável, já que mais de 70% das propriedades rurais não possuem conexão com a internet, de acordo com o último Censo Agropecuário, de 2017, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Extremamente competitivo em escala global, o agronegócio brasileiro precisa de conectividade para o uso intensivo de sensores, drones e operação das próprias máquinas no campo, por exemplo.
 
“Vivemos em uma sociedade cada vez mais tecnológica em que até a área rural precisa se amoldar a esse formato. Boa parte da produtividade de muitas empresas sediadas na área rural, e fazendas precisa de equipamentos modernos e tecnologia para gerar mais renda, fomentar mais ainda a economia”, acredita Amanda Caroline, especialista em direito civil. 

Conselho Gestor

O Conselho Gestor administrará o Fust, vinculado ao Ministério das Comunicações. As pastas de Ciência, Tecnologia e Inovações; Economia; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Educação; e Saúde terão um representante cada no colegiado. A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) também será representada. Por fim, o Conselho contará, com três representantes da sociedade civil e dois das prestadoras de serviços de telecomunicações.

Fonte: Brasil 61

Escolas de Ribeirão Pires preparam surpresas para estudantes

Os estudantes das escolas municipais de Ribeirão Pires estão participando de atividades que marcam o encerramento do ano letivo de 2020. Na Escola Municipal Fiorindo Roncon, no bairro Roncon, por exemplo, foi feito nesta quinta-feira, dia 10, um ‘drive-thru’. Dessa maneira, houve a entrega de lembranças e certificados elaborados pela equipe da unidade. 

A ação contou com a presença do super-herói “Mister Mão”, personagem que integra a “Turminha do Trânsito”. Durante a atividade, o personagem, que também usa máscara obrigatória de proteção contra a COVID-19, interagiu com alunos e familiares.

Sendo assim, as atividades de encerramento do ano letivo estão sendo programadas pelos gestores das 33 unidades escolares. Cada unidade desenvolve uma ação mais adequada à realidade dos estudantes e suas famílias. O ano letivo na rede municipal terminará no dia 23 de dezembro. As escolas municipais de Ribeirão Pires seguem as recomendações sanitárias, de controle e prevenção da COVID-19.

Nesse ano, como forma de manter as atividades pedagógicas durante a pandemia do coronavírus, os cerca de 7.500 alunos da rede municipal de Ribeirão Pires tiveram acesso a conteúdos por meio de canais digitais. Além disso, a medida faz parte da ação “Aprendendo em Casa”, desenvolvida pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, e que teve início em abril.

Fotos: Divulgação/Prefeitura de Ribeirão Pires

Paulo Serra diz que retomada das aulas será prioridade

A retomada das aulas será uma das prioridades no segundo mandato de Paulo Serra como prefeito de Santo André. O tucano recebeu históricos 76,88% dos votos válidos e vai continuar o trabalho iniciado em 2017. 

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, ele afirmou que um reforço escolar será necessário por causa da pandemia. Segundo Paulo Serra, o reforço escolar será feito de forma remota como complemento do estudo presencial.

A outra prioridade do prefeito reeleito Paulo Serra é a geração de empregos no pós-pandemia. Ele explica um dos projetos de qualificação para incentivo da retomada econômica no município 

Ele promete também que vai continuar com o modelo de gestão que enxuga a máquina pública. Com esse sistema, Santo André diminuiu a dívida municipal de R$ 325 milhões para R$ 75 milhões. 

SP cria 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista

Espaço poderá ser usado para trabalhos de cultura maker, robótica, modelagem 3D, entre outras atividades ‘mão na massa’

O vice-governador Rodrigo Garcia e o Secretário da Educação Rossieli Soares inauguraram nesta quarta-feira (18) o 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista (CIEBP). O espaço funciona no prédio da Escola Estadual Professora Zuleika de Barros Martins Ferreira, na Pompéia, zona Oeste, mas atenderá toda a rede estadual de São Paulo.

A coordenação do CIEBP é de Débora Garofalo que no ano passado foi considerada uma das dez melhores professoras do mundo, no Global Teacher Prize.

“Conforme as escolas têm projetos prontos, os alunos poderão prototipar aqui, fazer a impressão 3D e utilizar outros equipamentos ou, ainda, participar de projetos específicos no contraturno. Teremos capacidade de atender até 1.200 pessoas por dia, circulando em vários turnos”, afirma o Secretário Rossieli Soares.

No CIEBP os alunos poderão idealizar projetos e receber mentoria no hub de inovação; trabalhar com cultura maker, programação e robótica; ou ainda, utilizar a modelagem 3D para fazer protótipos com temas transversais. Para utilizar o local, as escolas terão de agendar.

O objetivo do equipamento é desenvolver o protagonismo dos estudantes no processo de ensino e aprendizagem com atividades “mão na massa”, além de ressignificar os espaços ociosos em escolas.

O CIEBP também integra a tríade de inovação da Seduc, que tem como premissa os novos componentes do programa Inova Educação como Tecnologia e Inovação; cultural, com o Movimento Inova, e de experimentação, com o Centro de Inovação.

“O CIEBP é uma importante ferramenta de inovação para professores e estudantes da rede estadual de ensino de São Paulo, por permitir que no espaço de aula e ou contraturno os estudantes e professores possam potencializar os seus projetos e experimentar novas modalidades e ferramentas de inovação em um formato inédito a educação por termos salas multifuncionais e um hub de inovação propondo soluções a educação”, diz Débora Garofalo.

Infraestrutura

O CIEBP conta com seis salas para atividades com uso de computadores, programação robótica, jogos digitais, pesquisa, ideação de projetos. Também abriga um pequeno estúdio do Centro de Mídias de São Paulo (CMSP) de gravação, locução, sala maker de criatividade visual, prototipagem, fabricação digital, além de um Hub Educacional.

Nove professores formados e preparados por grandes parceiros da área Faz Educação, representante da Apple, Microsoft, Telefonica Vivo farão a mediação dos trabalhos.

Entre os parceiros investidores estão a Microsoft Games, Faz Educação e Tecnologia & Apple, Instituto Palavra Aberta, Fundação Vanzolini, Big Brain Education, Grupo Mais Unidos, Ramadam Engenharia e Empreendimentos, FP Projetos e Empreendimentos, Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, Microbit e Instituto Telefonica Vivo.

MEC pretende elaborar Matriz Nacional Comum de Competências

O documento vai servir para orientar as redes de ensino a empreender perfis adequados para atuar na gestão escolar

Com objetivo de elaborar uma Matriz Nacional Comum de Competências do Diretor Escolar, que vai servir para orientar as redes de ensino a empreender perfis adequados para atuar na gestão escolar, a Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação (MEC) está organizando reuniões técnicas para conversar com as pessoas diretamente envolvidas na gestão escolar nos estados e municípios. As entidades que representam as redes de ensino dos entes subnacionais, que são o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), foram solicitadas a indicar pessoas para participarem das reuniões técnicas de revisão do texto preliminar da Matriz.

O pedido foi de vinte diretores de escolas, sendo quatro diretores de cada uma das regiões do país; e vinte representantes dos secretários de educação, sendo quatro secretários de cada uma das regiões do país. O documento será elaborado de acordo com as normas educacionais nacionais vigentes e ainda contribuirá com os sistemas de ensino para o estabelecimento de processo que leve em conta critérios técnicos de mérito e desempenho na seleção de diretores escolares, conforme prevê o Plano Nacional de Ensino em sua Meta 19.

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Centro de Mídias SP seleciona professores para aulas remotas

Interessados podem se cadastrar no Banco de Talentos da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo

O Centro de Mídias SP (CMSP) continua com chamada aberta para professores que desejem atuar nas aulas remotas que são transmitidas pela plataforma ou revisando os seus conteúdos pedagógicos.

Os docentes escolhidos para ministrar as aulas terão a jornada cumprida integralmente no Centro de Mídias, na capital, e terão direito à gratificação de atividade pedagógica. Já os selecionados para o Banco de Avaliadores poderão continuar exercendo suas funções atuais e serão pagos por lote de conteúdo revisado.

As duas oportunidades e as suas especificações podem ser encontradas no Banco de Talentos da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo. O Banco de Talentos é uma plataforma de gerenciamento de processos de seleção voltados a melhoria da educação paulista.

Jornal Grande ABC

Centro de Mídias SP

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

MEC oferece cursos em técnicas de ensino à distância

No momento, foram disponibilizadas três capacitações: “Como Preparar Videoaulas”, “Mediação em Ensino à Distância” e “Desenho Didático para Ensino Online”

Com a pandemia do novo coronavírus, uma das mudanças mais relevantes que ocorreu no Brasil foi a adoção de aulas remotas para estudantes matriculados nas escolas públicas e privadas. Por esse motivo, o Ministério da Educação (MEC) oferece capacitação para professores que tiverem interesse aprender a elaborar videoaulas e as técnicas de ensino à distância. O conteúdo é ofertado de maneira gratuita.

No momento, foram disponibilizadas três capacitações: “Como Preparar Videoaulas”, “Mediação em Ensino à Distância” e “Desenho Didático para Ensino Online”. A ideia é que em fevereiro do próximo ano outros dois cursos ofertados: “Multimeios em Educação” e “Psicologia na Educação”.

O intuito dessa capacitação é preparar os atuais e futuros professores da educação básica a utilizarem as ferramentas online em sala de aula e dentro de novos ambientes virtuais de ensino e aprendizagem. Para participar do curso basta se inscrever no site eskadauema.com. As inscrições poderão ser feitas até o dia 13 de novembro.

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Educação pode perder até R$ 40 bi em tributos

O estudo leva em consideração o impacto econômico da Covid-19 a partir de um mapeamento de projeções tributárias e análise de dados do Tesouro Nacional

Segundo um levantamento do Instituto Unibanco e Todos Pela Educação, em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Educação, as redes estaduais e municipais de ensino devem perder entre R$ 13 bilhões e R$ 40 bilhões em tributos neste ano. O último relatório da série Covid-19: Impacto Fiscal na Educação Básica leva em consideração os aspectos econômicos da pandemia do novo coronavírus a partir de um mapeamento de projeções tributárias e análise da base de dados do Tesouro Nacional. 

De acordo com o professor e especialista em educação pela Universidade de Brasília (UnB) Raimundo Luiz Silva Araújo, os impactos dessa perda poderão ser sentidos até o final do ano que vem. “A queda na arrecadação puxa para baixo o Fundo Público e o financiamento da Educação Básica. Muitas prefeituras vão ter dificuldades para fechar as contas no final do ano e, como a economia não está se recuperando da forma que o governo anuncia, a previsão é de que esse impacto dure todo o ano de 2021”, avalia. 

Ainda segundo o estudo, somando os 38,3 milhões de estudantes das redes de Educação Básica, a perda desse montante em tributos significaria uma redução média no investimento anual por estudante que pode ficar entre R$ 345, no melhor cenário, e R$ 1.038, no cenário mais pessimista. Hoje, o Brasil investe anualmente cerca de R$ 21.500 por estudante de ensino fundamental. O valor é 2,2 vezes menor que a média dos países participantes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

De acordo com o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e Dirigente Municipal de Educação de Sud Mennucci, Luiz Miguel Martins Garcia, a má previsão deverá obrigar os municípios a estabelecerem soluções de reorganização das verbas para garantir investimentos como a manutenção das escolas, realização de atividades complementares, modelo híbrido, preparação e adequação das instituições para o retorno dos estudantes, entre outros. 

“Tudo que for implicar em novos investimentos, vai ficar comprometido. Isso pode gerar dificuldades para estabelecer essas ações e para o processo de retomada dos direitos de aprendizagem não efetivados nesse momento por falta de recursos, já que o orçamento da educação é bastante apertado. Imagine uma situação de queda e com necessidade de crescimento”, exemplificou. 

Para além dessas estimativas, o relatório das instituições traz um levantamento com 82 redes municipais de Educação, que identificou um conjunto de gastos adicionais que variam de R$ 230 a R$ 490 por estudante matriculado. Esses valores estão relacionados às despesas com ensino remoto, alimentação, comunicação com as famílias, patrocínio de pacotes de dados de internet e compra de materiais de higiene. 

Já nas redes estaduais, estima-se que o gasto total das secretarias de Educação com ações extraordinárias de enfrentamento à pandemia no exercício de 2020 será de no mínimo R$ 2,1 bilhões, podendo chegar até R$ 5,3 bilhões.
 

Fonte: Brasil 61

MEC libera mais R$ 90 milhões para retorno seguro das escolas

A verba será repassada para que cerca de 117 mil escolas públicas estaduais, distritais e municipais para que possam adquirir e contratar serviços e equipamentos necessários para implementar os protocolos de segurança

Para apoiar o retorno presencial seguro às aulas nas escolas do ensino básico, o Ministério da Educação (MEC)  liberou mais R$ 90 milhões por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Os recursos se somam ao repasse de R$ 525 milhões inicialmente previstos, alcançando assim o total de R$ 615 milhões.

A verba será repassada para que cerca de 117 mil escolas públicas estaduais, distritais e municipais para que possam adquirir e contratar serviços e equipamentos necessários para implementar os protocolos de segurança, auxiliando nas adequações necessárias para o retorno às atividades presenciais. 

No último dia 7, o MEC apresentou o Guia de Implementação de Protocolos de Retorno das Atividades Presenciais nas Escolas de Educação Básica. O documento produzido pela Secretaria de Educação Básica (SEB) com o apoio das secretarias de Modalidades Especializadas e de Alfabetização oferece informações para que as redes estaduais e municipais possam se preparar para um retorno seguro. 

O Guia reúne normas técnicas de segurança em saúde e recomendações de ações sociais e pedagógicas. A decisão de retorno às aulas presenciais deve ser tomada por estados e municípios, de acordo com a orientação das autoridades sanitárias locais. 

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Especialistas avaliam que 2020 não foi um ano perdido

Volta às aulas em formato presencial é um momento bastante aguardado pela população brasileira

Durante a pandemia causada pela Covid-19, em que as pessoas precisaram se recolher dentro de casa, um triste cenário se repetiu por todo o país: portões das escolas fechados e alunos distantes das salas de aulas. E não foi apenas uma cena para se gravar na memória, mas um fato que marcou profundamente a história do ensino no Brasil, com consequências que podem demorar alguns anos para serem revertidas.

Por isso, a volta às aulas em formato presencial é um momento bastante aguardado pela população brasileira. Há alguns meses, o Governo Federal, entidades de educação, secretárias estaduais e municipais debatem o assunto para definir a melhor forma de realizar essa retomada às aulas.

Um exemplo de medida adota em favor desse retorno, foi o investimento feito pelo Ministério da Educação para as escolas públicas por todo o país com um valor total de R$ 454 milhões para aquisição de materiais e insumos necessários para prevenir a transmissão da Covid-19 entre estudantes e profissionais da rede básica.

Para Cecilia Motta, que é secretária de Educação do Mato Grosso do Sul e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), ainda há muitos debates e ações a serem desempenhados para que a educação no Brasil possa se reestruturar, uma vez que a pandemia da Covid-19 alargou as desigualdades entre a qualidade de ensino e oportunidade entre os estudantes.

“A diversidade já existe, a pandemia só escancarou isso. Quem não teve tecnologia para estudar, na verdade é porque já não tinha antes mesmo, tinha menos condições. Quer dizer que a desigualdade social, que já existia, aumentou nesse momento. Mas eu gostaria de destacar o esforço dos professores, diretores e coordenadores que nos surpreenderam com sua criatividade e sua garra, fazendo com que o aluno perdesse o mínimo possível, fazendo com que os impactos [da pandemia] fossem o menor possível”, destacou Motta.

Mesmo considerando que os impactos da pandemia de Covid-19 no ensino brasileiro possam perdurar por alguns anos, a reinvenção na forma de ensinar fez com que 2020 não fosse um ano perdido para os mais de 36 milhões de alunos espalhados por quase 117 mil escolas pelo país. E é isso o que afirma o coordenador de projeto do Todos Pela Educação, Ivan Gontijo.

“A gente teve uma mobilização muito grande das secretarias [de educação], dos professores, dos diretores, dos estudantes para a educação não parar, para a gente conseguir migrar para o ensino remoto. Lógico, o ensino remoto não chegou para todo mundo, mas eu acho que a educação não parou. Então, eu não diria que esse foi um ano perdido, mas foi o ano mais difícil da história da educação básica. A questão é que dizer que não foi o ano perdido não significa a gente não reconhecer todos os impactos que esse ano teve”, afirmou Gontijo.

O Todos pela Educação é uma organização sem fins lucrativos suprapartidária e independente, composta por diversos setores da sociedade brasileira com o objetivo de assegurar o direito à educação básica de qualidade para todos os cidadãos até 2022 – ano que se comemora o bicentenário da independência do Brasil.

Já o Conselho Nacional de Secretários de Educação é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, que reúne as Secretarias de Educação dos Estados e do Distrito Federal. Seu objetivo é promover a integração das redes estaduais de educação e intensificar a participação dos estados nos processos decisórios das políticas nacionais, além de promover o regime de colaboração entre as unidades federativas para o desenvolvimento da escola pública.

Fonte: Brasil 61

Aulas on-line

A grade curricular,  em alguns países é deficiente por si presencialmente. Como lidar com a estrutura, a princípio desestruturada que iniciaram essas transmissões on line?!?

Somente Deus para de fato ter piedade de nós. Aulas on-line é um assunto que divide opiniões, por ser maçante, conteúdos que “parecem ser” ministrados as pressas, sem nenhuma organização, crianças perplexas com  olhar vago diante da tela, pais desesperados, sem saber ao certo como auxiliar seus filhos.

E ainda sim, *crianças que ficaram desassistidas* durante uma quarentena que se prolonga a mais de 6 meses …Professores, que se esforçam dia a após dia e que certamente ao final do dia, relembram e se questionam em relação resultados…Aulas on-line, um novo necessário!!!Felizes os que deram continuidade aos conteúdos e parabéns aos professores por se reinventarem!!! 👏👏

ॐ∞