Lá vamos nós: Portugal

Dia 29 de janeiro pegava algumas malas, minha família e embarcava no avião com o peito cheio de esperança para um novo recomeço em Portugal.
Após uma longa viagem chegamos no dia seguinte finalmente no aeroporto do Porto e lá alguém nos esperava para nos levar para nossa nova cidade, aonde ali coloquei minha esperança para recomeçar.

Foto: Erika Teles

Chegando em Aveiro foi impossível não se apaixonar, primeiramente o frio que fez toda diferença para tornar o ambiente mais lindo e acolhedor, era quase final de inverno havia folhas caindo.

Foto: Erika Teles

No dia seguinte nossa saga de vida de imigrante deu início, fomos na busca de emprego e procurar uma casa para chamar de nossa, todos os dias andávamos muito e com isso íamos conhecendo a cidade, primeiro lugar que conhecemos foi a Ria de Aveiro lugar encantador, romântico e acolhedor, ali passa as gôndolas fazem o percurso por toda extensão da ria, sim aqui não se chama rio e sim ria. Vocês também vão se acostumar e aprender o português de Portugal

Na ria temos o Fórum é igual a um shopping a céu aberto lugar confortável para passear ou trabalhar, tem várias lojas e restaurantes ao seu redor, na margem tem bancos para sentar se e admirar, lá também tem a famosa ponte da amizade muito famosa pelas fitas amaradas com promessas de amor eterno e também de amizades, ao longo do seu percurso tem o monumento dos famosos e típicos ovos moles, e no outro sentindo da ria encontra se a ponte do laço já na praça do peixe onde tem uma vasta diversidade de restaurantes, bares e lojas.

Aveiro me recebeu de braços abertos e temos um sentimento de voltar pra casa todas as vezes que lá vamos, mais infelizmente não foi lá que conseguimos progredir, pouco tempo após chegarmos o mundo começou a parar, e com isso nosso sonho por pouco virou pesadelo. Mais conhecemos grandes pessoas que foram importantíssimas para que nós não desistíssemos.

Viver uma Pandemia fora do seu país, sem casa, com pouco dinheiro, sem trabalho, sem amigos ou família por perto para ajudar é muito difícil , temos que ter algo pra se agarrar e nós temos nossa fé e nossa família que mesmo do Brasil nunca mediram esforços para nós ajudar financeiramente e psicologicamente.

Quando finalmente conseguimos uma casa já tínhamos nos mudado de alojamento três vezes e seria a quarta mudança para o apartamento que finalmente conseguimos. Enfim mudamos era muito bem localizado de frente ao Parque Infante Dom Pedro . Parque simplesmente magnífico , muita área verde , quadras esportivas escorregas pras crianças, e também com uma arquitetura histórica magnífica.

E por mais que estivéssemos fazendo de lá nossa casa , realmente começamos a criar vínculos não estávamos tendo oportunidades, e então como um último suspiro de esperança decidimos mudar de cidade e viemos recomeçar mais uma vez em Coimbra.

Demos então um até logo a Aveiro após três meses de muitas batalhas, choros, amizades e aprendizados, tire sempre proveito de tudo que acontece na sua vida independente de boa ou ruim, devemos ser fortes e nunca ter medo do novo!