Um mosteiro no caminho dos fotógrafos

Clelgen Luiz Bonetti e Norma Vasconcelos Saldanha Marinho são autores do texto “Um mosteiro no caminho dos fotógrafos” e das fotos neste artigo.

Fé e beleza se encontraram no bairro do Paraíso, em uma cidade do interior paulista a cerca de 300 km, da Capital.

Lá fica o Mosteiro do Paraíso, que segue a ordem beneditina: oração, silêncio e trabalho.

O mosteiro é um cenário fotográfico a céu aberto! Misticismo e beleza integrados pela arquitetura, pelas obras de artes de artistas locais e pela predominância da cor azul.

Foi planejado sob a forma de jardins temáticos abrangendo as principais datas do catolicismo. O suporte do mosteiro é a comunidade do bairro com vocação agrícola, composta de aproximadamente 100 famílias e cujo guia espiritual é o padre Nilton.

Nós, membros do fotoclube ABCclick temos o hábito de passear e fotografar. O fotoclube nos ajuda a desenvolver o nosso olhar e a usar instrumentos (hardwares e softwares) que possibilitam chegarmos através das imagens naquilo que imaginamos dos lugares. O resultado deste treinamento/aprendizado foi um livro de fotografia sobre este mosteiro maravilhoso que descobrimos quando estávamos passando pela região de Piracicaba.

Somos médicos e fotógrafos amadores.

Vista parcial da Capela de São José do Paraíso, de noite.
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Capela de São José do Paraíso, de frente
Formação que deu origem ao nome da cidade de Torrinha.
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Lago com as vias Lucis, Crucis e Sacra.
Jardim do Advento
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Capela do Santo Sepulcro
Entrada da Capela da Figueira
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Uma das dezenas de espécies de aves do mosteiro

Gostou da nossa matéria “Um mosteiro no caminho dos fotógrafos“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias, e também conheça o nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Ataque terrorista do Boko Haram em vilarejo cristão

Na véspera de Natal, ataque terrorista do Boko Haram alvejou moradores de vila na Nigéria.

Os terroristas do Boko Haram atacaram o vilarejo de Pemi (Borno, Nigéria), na véspera do Natal. Além de matar 11 pessoas, o grupo sequestrou outras sete, incluindo um padre. A comunidade é de maioria cristã.

O número de mortos pode aumentar. Os moradores fugiram para o mato durante o ataque e algumas pessoas ainda estão desaparecidas.

Uma organização internacional de jovens cristãos realizava um desfile no vilarejo de Pemi para celebrar o Natal quando o ataque ocorreu. Todavia, agências de segurança alertaram nos últimos dias sobre risco maior de ataque, durante o feriado cristão.

Combatentes jihadistas, em caminhões e motos, invadiram o pequeno vilarejo. Nesse sentido, atiraram indiscriminadamente e incendiando edifícios, disse Abwaku Kabu, líder da milícia.

Além disso, os jihadistas saquearam um hospital e sequestraram um padre, antes de colocar fogo no hospital e na igreja do vilarejo.

O vilarejo de Pemi fica a aproximadamente 20 quilômetros da região onde o Boko Haram sequestrou mais de 200 estudantes há seis anos, em Chibok.

Ataque terrorista do Boko Haram em outros locais

Além do ataque em Pemi, homens armados atacaram outra comunidade cristã em Garkida, no estado vizinho de Adamawa. Eles saquearam drogarias e suprimentos de comida antes de incendiar casas, disseram residentes à AFP.

A agência de segurança da Nigéria, o Departamento de Serviços de Estado, emitiu um alerta na terça-feira sobre os ataques planejados.

Portanto, o DSS pediu aos nigerianos “que sejam mais vigilantes e relatem movimentos estranhos”, garantindo que estava “colaborando com outras agências irmãs para garantir que medidas adequadas sejam postas em prática para a proteção de vidas e propriedades”.

O conflito de uma década no nordeste da Nigéria matou 36.000 pessoas e desalojou cerca de dois milhões de suas casas, de acordo com as Nações Unidas.

Todavia, a violência se espalhou para os vizinhos Níger, Chade e Camarões, levando estes países a formarem uma coalizão militar para combater os grupos jihadistas.

Com informações de AFP.

Ataque terrorista do Boko Haram