Noites mal dormidas impactam de na saúde e qualidade de vida

Noites mal dormidas, dificuldade para despertar, cansaço logo ao acordar, sonolência diurna e problemas para manter o foco na escola, trabalho ou até mesmo em atividades esportivas.

Esses são alguns dos principais indicativos de que você não está dormindo tão bem como deveria.

Noites mal dormidas impactam de forma direta na saúde e qualidade de vida, como explica o doutor em engenharia de computação pela Unicamp, Carlos Azevedo.

Com a falta de sono, aumentamos o risco de diabetes, hipertensão, obesidade gerada pelo desequilíbrio da grelina e leptina, que nos leva a consumir alimentos mais gordurosos, além de alteração nos níveis de colesterol. A privação de sono leva também à diminuição da memória, então reduz a velocidade de raciocínio e produz a lentidão dos pensamentos.

Também ocorre aumento de irritabilidade, com perda de paciência nos eventos mais triviais do nosso cotidiano. E a ciência vem evoluindo também na descoberta de uma relação cada vez mais próxima entre envelhecimento, demência e Alzheimer e está diretamente ligada à má qualidade e à pouca quantidade de sono.

Segundo Azevedo, que também é diretor de Ciência de Dados na Coteminas, empresa do ramo têxtil que está à frente de uma pesquisa recém realizada sobre o sono do brasileiro, o tão necessário dormir bem pode ser alcançado com uma série de bons hábitos e cuidados básicos, o que os especialistas chamam de ‘higiene do sono’.

Manter o horário de dormir e de acordar. Então, especialistas concorda que, dentre todas as práticas, essa é a recomendação mais importante: deitar e acordar sempre na mesma hora, todos os dias. Depois, procurar ter uma exposição correta à luz do dia. A luz é essencial pra regular o padrão de sono diário. O ideal é ficar exposto à luz por, pelo menos, meia hora ao dia. Fazer exercícios físicos com regularidade, mas evitar a prática muto tarde da noite, próximo da hora de dormir.

Tirar cochilos por no máximo 30 minutos e somente até às 14h. Evitar o uso de estimulantes, como cafeína e nicotina, após às 14h.  Evitar o uso de bebidas alcoólicas. Evitar refeições pesadas e de difícil digestão antes de dormir. Limitar o uso de equipamento eletrônicos que emitam luz pelo menos 2h antes de dormir. Televisor, celular, tablet, computador, tudo isso deve ser evitado.

Manter o quarto completamente escuro e com máximo de silêncio possível também é recomendado.

Além disso, criar um ambiente confortável para o sono é super importante, então, se possível, invista em colchão apropriado e em travesseiro confortável.

Se nada disso funcionar, talvez seja a hora de procurar ajuda especializada.

Em parceria com Rádio2.

Gostou de “Noites mal dormidas impactam de na saúde e qualidade de vida“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Noites mal dormidas impactam de na saúde e qualidade de vida