Arquivo da tag: colombia

Foro de São Paulo: Crimes de 30 anos

O Jornal do Commercio de 15 de junho de 1991 trouxe uma tímida notícia sobre uma organização quase desconhecida, chamada Foro de São Paulo. O jornal noticiou que Lula estava no México, na segunda reunião do Foro, em 1991, e publicava a opinião do ex-presidente sobre as eleições. Prometia, inclusive, repetir a experiência popular brasileira nos outros países da América Latina.

Após isso, com a compra de consciências jornalísticas promovida pela mentalidade da esquerda, os próprios não ousaram publicizar a existência das reuniões ou conteúdo das mesmas, de modo que o Foro de São Paulo tornou-se uma organização política “discreta”, quase secreta, que coordenava as políticas de diversos partidos e organizações de esquerda, incluídas aí as FARC – Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o MIR – Movimiento de Izquierda Revolucionária, no Chile. Como alertava Olavo de Carvalho em suas colunas jornalísticas, “As Farc são o principal fornecedor de drogas ao traficante Fernandinho Beira-Mar; enquanto o MIR é o acionista maior da indústria latino-americana de sequestros, que já teve entre suas várias vítimas os brasileiros Washington Olivetto e Abílio Diniz.”

Mas preciso chegar a um ano antes disso. Em 1989 Lula foi visitar Fidel em Cuba, como informado no livro A Vida Secreta de Fidel, de Juan Reinaldo Sanchez. Lá Fidel chamava Lula de “futuro presidente do Brasil”. Realmente, trabalharam arduamente para tomar o poder a todo custo e instaurar na América Latina o que foi perdido no Leste Europeu (palavras do Foro, não minhas).

Vê-se que a classe jornalística como um todo silenciou-se sobre o Foro de São Paulo por anos, e tentou silenciar os poucos falantes também, como José Carlos Graça Wagner, que tinha acesso aos documentos do Foro, e Olavo de Carvalho, amigo de Wagner, que utilizou o material para começar a publicar sobre a existência desta organização “discreta”. O Foro sempre foi uma cabeça, coordenando diversos tentáculos.

         Mas é proibido no Brasil a existência de partidos políticos subordinados a organizações internacionais, como determina a Lei 9.096/1995, que diz em alguns de seus dispositivos: “Art. 5º A ação do partido tem caráter nacional e é exercida de acordo com seu estatuto e programa, sem subordinação a entidades ou governos estrangeiros. […] Art. 28. O Tribunal Superior Eleitoral, após trânsito em julgado de decisão, determina o cancelamento do registro civil e do estatuto do partido contra o qual fique provado: I – ter recebido ou estar recebendo recursos financeiros de procedência estrangeira; II – estar subordinado a entidade ou governo estrangeiros; […] Art. 31. É vedado ao partido receber, direta ou indiretamente, sob qualquer forma ou pretexto, contribuição ou auxílio pecuniário ou estimável em dinheiro, inclusive através de publicidade de qualquer espécie, procedente de: I – entidade ou governo estrangeiros;”.

Em 2006 e 2014 o advogado Luís Carlos Crema, tentando salvar o país através do Judiciário, propôs ações judiciais no Tribunal Superior Eleitoral, ações estas julgadas improcedentes de uma forma ou de outra, alertando para a existência do Foro de São Paulo e sua subordinação estrangeira. Em decisão assinada por Gilmar Mendes, o mesmo disse que o Foro era um grupo de debates ideológicos, e não uma organização hierárquica que comandava, de algum modo, o Partido dos Trabalhadores. Sabemos que isso não era e não é verdade. No entanto, essa foi a decisão à época.

O que temos no país é uma compra de consciências, às vezes com dinheiro, às vezes com ideologia assassina genocida, conhecida como comunismo, que solapa qualquer mínima possibilidade de virtude moral ou vergonha na cara, justificando atitudes absurdas que somente ajudam a destruir os brasileiros.

Gostou de “Foro de São Paulo: Crimes de 30 anos“?

Foro de São Paulo
Foto de Gerhard Lipold no Pexels

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 2.689 outros assinantes

Valid inicia operação de emissão de certificados digitais na Colômbia

A Valid, multinacional brasileira especializada em identificação, avança em sua operação internacional e chega à Colômbia para emitir certificados digitais aos cidadãos e profissionais colombianos.  

Após um processo de dois anos com envolvimento de várias equipes de trabalho e o investimento de importantes recursos, em fevereiro deste ano a Valid conquistou seu credenciamento junto ao Organismo de Acreditação da Colômbia (ONAC), autoridade de confiança que verifica a identidade das pessoas e toma a decisão de emitir um certificado digital. 

German Martinez, vice-presidente de Vendas da América Latina, destaca que na Colômbia a PKI – Public Key Infrastructure não vem do governo, trata-se de uma iniciativa privada de entidades cujo objetivo é o negócio de identificação digital. No entanto, o papel do governo é promover e estruturar um ambiente competitivo e saudável para o desenvolvimento digital no país. 

A ONAC é uma entidade sem fins lucrativos, encarregada de controlar as entidades que desejam ter autoridade de certificação em qualquer setor. O sistema de identificação digital funciona com base nas normas colombianas que controlam estritamente a verificação digital e as entidades de certificação para a prestação de serviços de gerenciamento de identidade.  

Existem muitas formas de oferecer um serviço de verificação de identidade e emissão de assinaturas digitais como, por exemplo, a integração com plataformas existentes de empresas que pretendem gerar os seus fluxos documentais incluindo assinaturas digitais que já possuem uma verificação prévia da identidade de quem o assina. 

Segundo o executivo, os certificados digitais comercializados na Colômbia são para pessoas físicas e jurídicas, mas o target comercial da Valid está dirigido principalmente às empresas, já que existe grande necessidade de ter assinaturas digitais pelo alto volume de uso. “Além disso, está sendo gerada uma tendência promovida pelo governo para que as organizações utilizem as vantagens tecnológicas que o mercado possui”. 

Martinez ressalta que o governo colombiano tem um projeto muito interessante chamado ‘Gobierno en Línea’, que reúne outras iniciativas para melhorar a operação das entidades públicas, tais como a ‘Carpeta Ciudadana’. Nesta última, o governo propõe centralizar a informação de identificação dos cidadãos em uma única base de dados que é consultada pelas entidades públicas de saúde, segurança, polícia, entre outros. “Toda a documentação que esses entes públicos exigem para a emissão aos cidadãos deve ter assinatura digital. Para exemplificar, quando uma pessoa precisa comprovar sua afiliação a uma entidade de saúde, deve ter uma certificação assinada digitalmente”. 

 “Já estamos em outros países como em Honduras e esperamos expandir ainda mais nossa atuação internacional, já que temos a expertise para adaptar os certificados digitais as características e à legislação de cada país”, finaliza Martinez. 

Sobre a Valid Certificadora  

A Valid Certificadora é uma empresa do grupo Valid especializada em serviços digitais de confiança, identificação, acesso, cifragem e autenticação realizando operações criptográficas padronizadas nacional e internacionalmente, de acordo com a regulamentação estabelecida, na identificação de pessoas físicas ou jurídicas para assinatura digital; geração e armazenamento seguro de evidências digitais de uma transação eletrônica e diversas outras soluções. Credenciada pelo ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação) é Autoridade Certificadora emitente dos certificados digitais ICP-Brasil, tais como eCPF, eCNPJ, NFe, CTe, SSL. Entre as áreas de atuação especializadas é PSS – Prestadora de Serviço e Suporte ICP-Brasil, ACT – Autoridade de Carimbo de Tempo, PS EEA – Prestador de Serviço para Entidade Emissora de Atributo, PSC – Prestadora de Serviço de Confiança, PSBio – Prestadora de Serviço Biométrico, Hub de Serviços em Blockchain e Platinum  Partner GlobalSign

para emissões de SSL raiz internacional. Para conhecer mais sobre os serviços Valid em certificação digital, assinatura digital, carimbo do tempo, certificados de atributo e desmaterialização de processos e documentos, visite: www.validcertificadora.com.br ou https://blog.validcertificadora.com.br/podecontar/   

Sobre a Valid 

Vivemos na economia da confiança. Nessa economia, a moeda é a identidade, e identificação é o que dá valor a ela. Para a Valid (B³: VLID3 – ON), identificação é reconhecer algo ou alguém como verdadeiro. Estamos no seu RG, nos seus cartões de banco, nas transações que faz pelo celular e em todos esses lugares, usamos tecnologia de ponta. Somos 6,000 colaboradores em 16 países levando em consideração as particularidades culturais e regionais, para entregar soluções personalizadas e integradas. No Brasil somos a maior empresa em emissão de documentos de identificação, no mundo ocupamos a 5ª posição na produção de SIM Cards e estamos entre os 10 maiores fabricantes de cartão do planeta. Identificação é nossa razão de ser. Para saber mais, acesse www.valid.com  

Gostou da nossa matéria “Valid inicia operação de emissão de certificados digitais na Colômbia “?

Valid inicia operação de emissão de certificados digitais na Colômbia
German Martinez, vice-presidente de vendas da América Latina. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 2.689 outros assinantes