Obras selecionadas do 9º Salão expostas na Linha de Cultura do Metrô SP

O Metrô de São Paulo apresenta a partir de hoje, 11 de maio, a exposição virtual Cenários, com fotos selecionadas do 9º Salão Nacional de Arte Fotográfica ABCclick, publicada na Linha da Cultura da Biblioteca Neli Siqueira, página na internet do Metrô de SP dedicada às artes.

Nessa primeira mostra foram selecionadas pela Diretoria Executiva do Fotoclube ABCclick 27 imagens que trazem perspectivas visuais com três pilares na narrativa: humanos, animais e a natureza, dentro de cenários variados mas sempre com uma conexão entre eles.

Para o Diretor de Fotografia do ABCclick, Clelgen Luiz Bonetti, “uma foto tem que revelar uma história que sensibilize o observador” como podemos perceber nesta exposição. “Não basta apenas a beleza visual, que por si só é incompleta”.

Todas as 27 fotos são em preto e branco, e com uma grande potência emocional, fazem parte das 100 fotografias classificadas e premiadas do 9º Salão Nacional de Arte Fotográfica do Fotoclube ABCclick realizado no começo deste ano. As demais fotos serão apresentadas nos próximos meses.

Fazem parte deste mostra as obras dos fotógrafos e fotógrafas Andreza Cunha, Antônio Ferreira, Cezar Magalhães, Cleusa Migliorini, Deborah Dias, Ederaldo Veronese, Elias Rosal, Gutemberg Ostemberg, Helder Fontenele, Ivan Cavas, Leny Fontenelle, Luís Carlos Martinelli, Magali Maschi, Patricia Marcondes, Peterson Azevedo, Raoni Frizzo, Régis Santos, Ricardo Fernandes, Ricardo Takamura, Roberto Soares Gomes, Thais Andressa, Thelmå Gatuz o e Valdeci de Oliveira.

A linha de Cultura pode ser acessada nesse link: https://biblioteca.metrosp.com.br/index.php/ptbr/359-linha-visuais/957-abcclick

O 9º Salão Nacional de Arte Fotográfica ABCclick foi um projeto aprovado e financiado pela Lei Aldir Blanc, através da Secretaria Municipal de Cultura de São Caetano do Sul, sendo realizado pelo Fotoclube ABCclick.

Serviço:
9º Salão Nacional de Arte Fotográfica ABCclick
Realização: Fotoclube ABCclick ( www.abcclick.com.br)
Parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de São Caetano do Sul
Projeto aprovado e financiado pela Lei Aldir Blanc
Supervisão da Confederação Brasileira de Fotografia (CONFOTO)
Mais informações pelo site www.abcclick.com.br/9salao

Obras selecionadas do 9º Salão expostas na Linha de Cultura do Metrô SP

Gostou da nossa matéria “Obras selecionadas do 9º Salão expostas na Linha de Cultura do Metrô SP“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Semana de Moda Sustentável de Diadema começa nesta segunda

A Semana de Moda Sustentável de Diadema (SMSD), primeira do gênero na região, surgiu para aproximar a Cultura da Moda da população em geral, abordando temas como proteção ao meio ambiente, faça-você-mesmo e geração de renda. A abertura será nesta segunda, dia 10, às 20h, em www.instagram.com/chesllerloja

“Um dos desafios foi pensar em um evento que pudesse acontecer com as restrições da pandemia e que, ainda assim, contasse com a participação das pessoas,” explica o estilista Chesller Moreira. “Trabalhamos então com ensino à distância, bate-papos virtuais, desfiles online e até mesmo quem participar dos cursos e quiser exibir sua peça pronta terá a chance de fazer o seu desfile.”

Interessados nos cursos devem preencher o formulário em https://forms.gle/nJhYZqFhWag9q5ry8 e garantir sua vaga – as aulas começam já na segunda de manhã e serão gratuitas. Todo o evento foi contemplado com recursos da Lei Aldir Blanc de Diadema. 

Participantes poderão desfilar suas criações

As oficinas de customização ocorrerão de segunda a sexta (10 a 14/05), de manhã e à tarde. Ao longo da semana, os participantes poderão enviar as peças produzidas nos cursos para o grande desfile de encerramento da Semana, no sábado (15).

Lei Aldir Blanc

A Lei Aldir Blanc foi sancionada em junho de 2020 para que o setor cultural brasileiro recebesse ajuda emergencial por terem suas atividades paralisadas pela pandemia. Em Diadema, cerca de R$ 1,9 milhão foram repassados aos artistas habilitados ao benefício. As produções podem ser encontradas pelas hashtags #LeiAldirBlancDiadema e #EmergenciaCulturalDiadema.

Serviço

1ª SEMANA DE MODA SUSTENTÁVEL DE DIADEMA – 10 a 15 de maio
Evento transmitido online pelo instagram @chesllerloja

PROGRAMAÇÃO COMPLETA


SEGUNDA, 10 de maio

Curso de TIE DYE
2 Turmas: das 9h às 12 e das 14h às 17h
Tie Dye é uma técnica de tingimento que é uma das mais antigas formas de customização de roupas e acessórios. Neste curso, vamos explorar diversas técnicas de tingimento e de descoloração – e até outras técnicas similares, como o Dip Dye. 

Live de Abertura: MODA SUSTENTÁVEL

Às 20h

Bate-papo com Fagner Vittório (@fagnervittorio), personal stylist e apresentador do programa Estações da Beleza.

TERÇA, 11 de maio

CURSO DE BORDADO
2 Turmas: das 9h às 12 e das 14h às 17h
A técnica do bordado oferece um toque especial para a peça, mesmo feito à mão. Diversos materiais como lantejoula, pérola e pedrarias dão um toque sofisticado à peça e são bem fáceis de fazer.

DESFILE PROJETO TRANS.FORMA

Às 20h

Desfile do projeto social @projeto.trans.forma, idealizado por Tarcisio Campelo, Designer de Moda Sustentável e Produtor de Moda

QUARTA, 12 de maio

CURSO DE PINTURA
2 Turmas: das 9h às 12 e das 14h às 17h
A Pintura em tecido é uma técnica muito utilizada na customização. Você pode criar um desenho com canetas específicas para tecido ou simplesmente fazer um desenho com lápis e pintar com tinta de tecido. No curso, vamos explorar essas e outras técnicas que não necessariamente necessitam de dons artísticos ou conhecimento em desenho para serem realizadas.

Live MODA SUSTENTÁVEL & MÍDIAS SOCIAIS

Às 20h

Bate-papo com Edhie Colucci, blogueiro e influencer digital, fundador da marca @colucciconcept

QUINTA, 13 de maio

CURSO DE APLICAÇÃO
2 Turmas: das 9h às 12 e das 14h às 17h
Se você tem alguma peça muito simples ou mesmo sem graça na qual gostaria de dar um “up”, a técnica de aplicação pode ser a solução. Serão utilizados diversos materiais, como miçangas, pérolas, pedaços de tecidos, flores, figuras, enfim, uma infinidade de opções. Basta ter criatividade. Também apresentaremos uma técnica inovadora na customização: os stampers.

DESFILE FKAWALLYS

Às 20h

Desfile da genial grife de Fábio Gurjão (@kawallyspunkcouture), artista de estética punk e ultraconectado com a cultura pop.

SEXTA, 14 de maio

CURSO DE ACESSÓRIOS
2 Turmas: das 9h às 12 e das 14h às 17h
A customização não se aplica apenas a peças de roupa. Podemos trabalhar também com os acessórios, itens essenciais para deixar seu look mais despojado e com o seu estilo. Cintos, bolsas, adereços para cabelo, chapéus e bonés, sapatos e sandálias – tudo pode receber um toque diferente e criativo.

LIVE MODA SUSTENTÁVEL & GERAÇÃO DE RENDA

Às 20h

Bate-papo com Jane Sousa (@jane_sousa84), fundadora do brechó online Reuse Fashion (@reusefashion_brechoo), com o qual busca o equilíbrio entre criar moda e criar um negócio, por meio do garimpo de roupas.

SÁBADO, 15 de maio

DESFILE DE ENCERRAMENTO

Às 20h

Desfile da marca CHESLLER (@chesllerloja), de customização, upcycling e moda sustentável, e desfile das peças produzidas pelos participantes dos cursos, sob mentoria e curadoria do estilista e professor Chesller Moreira (@chesller.estilista)

INFORMAÇÕES E ENTREVISTAS:

Chesller Moreira – estilista

Tel: 11 98900-0920

Email: chesller@gmail.com

Instagram: @chesllerloja

Gostou da nossa matéria “Semana de Moda Sustentável de Diadema começa nesta segunda“?

Semana de Moda Sustentável de Diadema começa nesta segunda
Estilista Chesller Moreira

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Santo André abre inscrições para edital emergencial para agentes culturais

A Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Cultura, abriu nesta sexta-feira (7) novo edital emergencial para agentes culturais. O objetivo é auxiliar no enfrentamento da pandemia de Covid-19 no setor. O valor total é de R$ 400 mil e os interessados podem realizar as inscrições até o dia 17 de maio.

Serão contratados até 320 proponentes, que receberão R$ 1.250 cada. Podem participar pessoas físicas que sejam trabalhadoras da cultura há pelo menos dois anos e residam na cidade, dentre outros requisitos.

Os selecionados deverão entregar uma atividade cultural, online e inédita nas modalidades Texto, Gravação e Imagem. As linguagens aceitas incluem artesanato, cultura e comunicação digital, cultura hip hop, culturas tradicionais e/ou populares, gestão cultural, leitura e literatura, patrimônio e memória, gastronomia étnica ou tradicional e artes (artes integradas, circo, dança, música, teatro, artes visuais, audiovisual).

Ampliação – Este é o segundo edital que a Prefeitura de Santo André realiza com recursos próprios no intuito de amparar quem trabalha com cultura na cidade durante a pandemia. Em maio de 2020, ainda no início da fase de isolamento social, a primeira iniciativa foi lançada com valor total de R$ 200 mil.

“Devido ao grande impacto que a pandemia causou no setor cultural, este ano conseguimos dobrar o valor destinado ao Edital Emergencial, aumentando a quantidade de pessoas contempladas e a parcela que cada uma receberá”, explicou a secretária de Cultura, Simone Zárate.

Atendimento online – Para facilitar o entendimento sobre o Edital Emergencial 2021 para Agentes Culturais, a Secretaria de Cultura preparou um calendário de encontros online.

As reuniões de apresentação serão realizadas nos dias 8/5 (sábado), às 18h, 10/5 (segunda-feira), às 19h, 12/5 (quarta-feira), às 16h, e 14/5 (sexta-feira), às 16h, na sala virtual: meet.jit.si/ApresentacaoEditalEmergencial2021.

Já os plantões de dúvidas estarão disponíveis de terça (11/5) a sexta-feira (14/5), das 19h às 21h30, sábado (15/5), das 14h às 17h, e domingo (16/5), das 14h às 20h, na sala virtual: meet.jit.si/PlantaoTiraDuvidasEditalEmergencial2021.

O resultado será divulgado até o dia 31 de maio. As atividades serão veiculadas nas redes sociais dos artistas e no site da agenda ‘Cultura em Casa SA’. O edital completo, ficha de inscrição e calendário de reuniões estão disponíveis em bit.ly/EditalEmergencial2021-CulturaSantoAndre.

Serviço:

Edital emergencial 2021 para agentes culturais

Inscrições: até 17 de maio de 2021.

Mais informações: bit.ly/EditalEmergencial2021-CulturaSantoAndre

| Texto: Daniela Mian
| Fotos: Helber Aggio/PSA

Gostou da nossa matéria “Santo André abre inscrições para edital emergencial para agentes culturais“?

Santo André abre inscrições para edital emergencial para agentes culturais
Foto: Helber Aggio/PSA

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Projeto Colhendo Livros espalha livros para serem “colhidos” pelos visitantes dos Centros Culturais

Iniciativa de doação do Projeto Colhendo livros, da Secretaria Municipal de Cultura acontece, em maio nos centros culturais da Penha, Vila Formosa e da Diversidade

Pensando em incentivar a circulação de livros e estimular a leitura, a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) apresenta o projeto de doação de livros Colhendo Livros. Por meio de uma proposta lúdica e descontraída de instalação, na qual os títulos são dispostos através de suspensão pelo espaço, cria-se um ambiente onde o público possa transitar, observar e então colher a história mais compatível com seus interesses e levar para casa. Em maio, a ação chega ao Centro Cultural da Penha, Centro Cultural Vila Formosa e Centro Cultural da Diversidade – em junho, ela continua em outros espaços da SMC.

Tendo em vista o atual cenário de distanciamento social e as normas de segurança e de prevenção à Covid-19, todos os materiais usados no projeto serão devidamente higienizados. Os livros disponíveis na “colheita” estarão expostos em embalagens plásticas para que se mantenham protegidos. A ideia é “plantar” por volta de 40 livros e, ao longo da semana de instalação, serem feitas reposições com novos títulos, a depender do fluxo de colheita. As obras selecionadas são escolhidas de acordo com o estilo do espaço cultural onde acontece a ação e todas são fruto de doações de livros feitas pelas bibliotecas dos próprios centros culturais.

A semente do projeto foi plantada em 2019, quando uma edição piloto aconteceu no Centro Cultural Penha, a partir da ideia das produtoras culturais do espaço Rafaela Ribas e Victória Alves. Uma das motivações fundamentais da ideia era a circulação dos livros que eram doados às bibliotecas pelo público. Através das observações dos Jovens Monitores do espaço, dispor os livros com um aviso de que estavam disponíveis para doação nem sempre conseguia instigar o público a se aproximar, mas sempre que havia alguma ação mais descontraída que, de alguma forma, quebrasse a relação de formalidade com o espaço, constatou-se que os visitantes se engajavam mais.

Programação Maio

Colhendo Livros

Centro Cultural Penha

formato: presencial com 20% da capacidade

Data: De 09/05 a 16/05

horário: 14h00

classificação indicativa: Livre

duração: 120 minutos

sinopse: Colhendo Livros, uma proposta lúdica de intervenção literária, onde os livros são dispostos através de suspensão pelo espaço, criando um ambiente onde o público possa transitar, observar e então colher a sua história.

Colhendo Livros
Centro Cultural Vila Formosa
formato: presencial com 25% da capacidade
data: De 17 a 23/05
horário: 14h
classificação indicativa: Livre
duração: 120 minutos
sinopse: Colhendo Livros, uma proposta lúdica de intervenção literária, onde os livros são dispostos através de suspensão pelo espaço, criando um ambiente onde o público possa transitar, observar e então colher a sua história.

Colhendo Livros

Centro Cultural da Diversidade

formato da apresentação: presencial com 25% da capacidade

data: 25/05 no CCJ

horário: 14h

classificação indicativa: Livre

duração: 120 minutos

sinopse: Colhendo Livros, uma proposta lúdica de intervenção literária, onde os livros são dispostos através de suspensão pelo espaço, criando um ambiente onde o público possa transitar, observar e então colher a sua história.

Programação Junho

O projeto Colhendo Livros acontecerá no Centro Cultural Grajaú de 2 a 6/06, no Centro Cultural da Diversidade de 10 a 19/06 e no Centro de Culturas Negras de 20 a 27/06.

Gostou de “Projeto Colhendo Livros espalha livros para serem “colhidos” pelos visitantes dos Centros Culturais“?

Projeto Colhendo Livros espalha livros para serem "colhidos" pelos visitantes dos Centros Culturais

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Abertas inscrições para edição gratuita do curso Na Rima, com Antonio Nóbrega

Como parte do projeto Velhas Rimas Novas, que tem entre os seus propósitos fomentar a leitura e a prática da poesia rimada brasileira, o artista Antonio Nóbrega fará uma edição gratuita do seu já tradicional curso Na Rima, oferecido na programação regular do Instituto Brincante.

As inscrições para a atividade seguem abertas até 14/05 por meio do link http://bit.ly/NaRimaPROAC. O resultado será publicado no site www.antonionobrega.com.br dia 21/05 – professores da rede pública e jovens artistas terão prioridade nas 25 vagas disponíveis. 

O curso será composto por 10 aulas com Antonio Nóbrega via zoom, uma por semana, em que os alunos irão trabalhar a escrita e improviso de versos da poesia rimada popular brasileira: quadras, sextilhas, setilhas, quadrões, carretilha de embolada, décimas de sete, de dez e de onze sílabas, entre outras. O último encontro será um sarau virtual com os alunos e convidados.

Com este projeto, que traz ainda três palestras e um podcast, abertos e gratuitos, Nóbrega quer dar maior conhecimento e visibilidade a essas estruturas e formas, seja incentivando a sua prática lúdica nas atividades educativas, seja difundindo-as entre os artistas da palavra do país. “Nosso objetivo é dar uma função e significado mais amplos a esses gêneros e modalidades poéticas que, assim como o Rap e o Slam – tão em voga na atualidade – também têm vigor e substância para reivindicar  um mundo melhor, um mundo mais de todos e para todos”, explica o multiartista pernambucano.

A série de atividades Velhas Rimas Novas foi contemplada pelo PROAC (Programa de Ação Cultural) do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Edital de Ações de Incentivo à leitura no estado de São Paulo.Para acompanhar o projeto, siga @brincantenobrega no Facebook, Instagram, Twitter ou YouTube. Ou inscreva-se para receber as informações por e-mail ou Whatsapp: http://bit.ly/MailingVelhasRimas Novas

Gostou da nossa matéria “Abertas inscrições para edição gratuita do curso Na Rima, com Antonio Nóbrega“?

Abertas inscrições para edição gratuita do curso Na Rima, com Antonio Nóbrega
Foto: Silvia Machado

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Teatro Municipal de Santo André celebra 50 anos com série de depoimentos

Para celebrar o cinquentenário do Teatro Municipal de Santo André, Maestro Flavio Florence, completado no último dia 13 de abril, será lançada nesta sexta-feira (30), às 19h, a série ‘Teatro Municipal: Memória e História’, composta por mais de 30 depoimentos de personagens que marcaram estas décadas. Os episódios farão parte da agenda ‘Cultura em Casa SA’ e serão disponibilizados quinzenalmente em uma playlist no canal da Secretaria de Cultura no YouTube.

A série reúne memórias de atores, músicos, dançarinos, produtores e funcionários, recheadas com trechos de imagens da Videoteca de Santo André, fotos do acervo do Museu de Santo André Dr. Octaviano Armando Gaiarsa e registros cedidos pelos participantes.

“Mesmo fechado pela pandemia e pela merecida reforma que está sendo realizada, não poderíamos permitir que este espaço tão grandioso, tão relevante para Santo André, não recebesse a devida homenagem em seu cinquentenário. A série ficará como um registro para a cidade. É uma honra produzi-la e tenho certeza que o público vai adorar”, explica a secretária adjunta de Cultura, Azê Diniz.

Memórias – Entre as recordações do primeiro episódio estão a inesquecível passagem do dançarino e coreógrafo Kazuo Ono durante a 1ª Mostra Internacional de Teatro de Santo André, o sucesso do espetáculo ‘O Brando’, realizado pela primeira turma da Escola Livre de Teatro, e a Ópera Punk, além da construção e da inauguração do Municipal.

“A trama tinha muitos tiros de pólvora seca e o tiroteio fazia com que todo o teatro ficasse com cheiro de pólvora. Assim se deu a inauguração: com muita pólvora! Nós lotamos o teatro por quase dois meses seguidos”, relembra o ator Antonio Petrin sobre a primeira produção a ocupar o palco, “Guerra do Cansa Cavalo”, texto de Osman Lins com produção do Grupo Teatro da Cidade (GTC), em 13 de abril de 1971.

Para o ator e diretor Esdras Domingos, “é um privilégio ter um teatro tão estruturado, profissionalmente falando, que dá uma qualidade artística, técnica e uma segurança para trabalhar incrível. Depois que você passa pelo Teatro Municipal de Santo André, se sente muito seguro para ir para qualquer teatro do Brasil”.

Participam também do primeiro episódio Alexandre Takara, José Armando Pereira, Sônia Varuzza, Augusto Maciel, Celso Frateschi, Sônia Kavantan, Antônio Correa Neto, maestro Abel Rocha, Luis Alberto de Abreu, Sérgio Guizé, entre outros.

Melhorias – No mês em que o teatro completa 50 anos, a Prefeitura de Santo André entregou algumas das melhorias previstas para o espaço. A principal, a restauração das poltronas, foi entregue dia 8, no aniversário de 468 anos da cidade. O restauro resgatou o desenho original das poltronas, elaborado pelo designer-arquiteto Jorge Zalszupin para a empresa L’Atelier.

Outro serviço já executado no importante espaço cultural da cidade foi a troca da cobertura do teatro. Estão previstas ainda outras ações, como a impermeabilização, revitalização do saguão, readequação da bilheteria, revitalização e readequação do sistema de iluminação cênica e sonorização e da iluminação ambiente, além da garantia de acessibilidade total ao público.


| Texto: Daniela Mian e Marcos Imbrizi
| Fotos: Angelo Baima/PSA

Teatro Municipal de Santo André

Gostou da nossa matéria “Teatro Municipal de Santo André celebra 50 anos com série de depoimentos“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

FOTOGRAFIA, ALÉM DE UMA PROFISSÃO É UMA ARTETERAPIA

Autoria de Sueli Mozeika, Médica Psiquiatra e amante da fotografia, “FOTOGRAFIA, ALÉM DE UMA PROFISSÃO É UMA ARTETERAPIA”.

A palavra fotografia, do grego phosgraphein, significa registrar, desenhar na luz.

Nestas poucas palavras vou me ater, não na profissão fotógrafo, mas na fotografia como um registro biográfico do tempo, da história, um registro da nossa vida, de nossos sentimentos e emoções e, principalmente, como um instrumento terapêutico.

A fotografia, o registro de uma simples imagem, nos remete à história de uma época, de uma cultura, de um momento alegre ou triste, registra a vida como ela é, repleta de emoções.

A fotografia é uma memória visual e como tal pode ser utilizada como arteterapia, um tratamento coadjuvante na recuperação e preservação da memória em pacientes que sofreram traumas neurológicos ou que estão entrando num processo demencial.

Vou utilizar minha experiência pessoal para relatar como a fotografia pode ser um forte elemento terapêutico, eliminador do estresse e da depressão.

Não sou fotógrafa profissional, mas sempre gostei de fotografia, uma herança paterna de registrar momentos familiares, hoje gosto de registrar a natureza.

Há cerca de uns dez a doze anos, filiei-me no Fotoclube ABCclick e me deliciava com as saídas fotográficas, eram momentos que me desligava das tensões e exigências do dia a dia e me conectava com a natureza e recarregava minha bateria com uma energia agradável e saudável.

Em função da doença da minha mãe tive que ir diminuindo as minhas saídas, mas registrava o que tinha em casa, meus cachorros, minhas plantinhas e isto manteve a chama da vida dentro de mim, até que em um dado momento tive que parar completamente com meu lazer.

Quando comecei a retornar as minhas atividades e reingressei no Fotoclube ABCclick, em meio a pandemia, que nos aprisiona dentro de casa, encontrei no grupo a conexão que estimula a nossa criatividade mantém a chama de continuarmos escrevendo a nossa história, na luz.

Como disse, não sou fotógrafa mas, vou deixar aqui algumas fotos que registrei dentro de casa, durante esta pandemia. O ato de fotografar, de fazer o “tratamento” na imagem nos desvia de uma realidade dura, limitante e nos transporta para um momento aonde nos conectamos com a nossa essência e podemos ver a beleza da vida, mesmo quando ela insiste em nos mostrar a sua “feiúra”.

A fotografia pode ser uma arteterapia onde podemos fazer uma ressignificação da nossa vida e de nossa história.

ARTETERAPIA
ARTETERAPIA
ARTETERAPIA
ARTETERAPIA

Gostou da nossa matéria “FOTOGRAFIA, ALÉM DE UMA PROFISSÃO É UMA ARTETERAPIA“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Dia do Livro: Como escrever e onde publicar sua obra gratuitamente?

Durante a pandemia, a mudança de comportamento entre leitores e escritores fez com que o Clube de Autores, maior plataforma de autopublicação da América Latina, aumentasse exponencialmente sua comunidade de autores. Fundada em 2009, a plataforma surgiu no intuito de facilitar a vida dos escritores que sonham com a publicação de seus livros. Além disso, é possível colocar as obras à venda em grandes livrarias, tudo isso sem custo algum. Hoje, ela representa cerca de 27% de todos livros publicados no País e lança cerca de mil novos títulos por mês. Confira mais dicas sobre o Dia do Livro.

“Eu escrevo desde adolescente e, pra mim, não fazia sentido algum viver em uma era hiperconectada e tecnológica sem a possibilidade de publicar um livro gratuitamente, sem a necessidade de imprimir tiragens gigantescas, que poderiam acabar mofando na minha própria prateleira ao invés de chegar ao leitor”, explica Ricardo Almeida, CEO do Clube de Autores.

Para celebrar o Dia Mundial do Livro, comemorado nesta sexta-feira, 23 de abril  e estimular ainda mais os novos escritores, Ricardo Almeida elaborou um passo a passo essencial para quem deseja escrever seu primeiro livro e faz o convite: “Nunca, em nenhum momento da história da humanidade, publicar um livro foi tão acessível quanto hoje. Aproveite”. 

Passo 1: Claro, é ter uma história para escrever;

Passo 2: Leitura crítica: deve ser feita por um profissional que pode ser contratado e que levante pontos que devam ser retrabalhados ou ajustados na obra;

Passo 3: Revisão ortográfica-gramatical: fundamental para que o livro seja bem recebido pela comunidade de leitores;

Passo 4: Projeto gráfico e capa;

Passo 5: Conversão para formato EPub: é o formato ideal para a versão eletrônica do livro;

Passo 6: Registro de ISBN: essencial para que livrarias revendam o título;

Passo 7: Organização de campanha de lançamento: esse é o tipo de trabalho fundamental que precisa ser encabeçado pelo próprio autor. 

Passo 8: Lançamento em plataformas de autopublicação digital: No caso do Clube de Autores, o site funciona de maneira bem intuitiva e simples para a autopublicação. Todo o processo é feito rapidamente e é o próprio autor quem define cada característica do seu livro, determina quanto quer ganhar de direitos autorais e decide se quer ou não distribuir sua obra, física e digital, pelos maiores e-commerce do mundo. É possível ainda acompanhar suas vendas com total transparência. 

Para finalizar, o CEO da maior plataforma de autopublicação da América Latina, ainda deu algumas dicas. Confira:

Não precisa gastar muito

“Se o autor conseguir negociar com amigos as tarefas necessárias para finalizar sua obra (como revisão, capa etc.), ele consegue publicar gastando um valor ínfimo”, diz o CEO do Clube de Autores.

Invista em uma boa capa

“Há a máxima de que livros são escolhidos pelas suas capas. E, gostemos ou não, isso é verdade. Se a capa for pouco atrativa, as chances de sucesso de um livro despencam. Temos um dado prático aqui: ao publicar um livro no Clube de Autores, o escritor pode escolher entre subir a sua própria capa ou montar uma a partir do nosso banco, utilizando modelos padrão. Pois bem: livros com capas não padronizadas, bem trabalhadas, vendem, em média, 82% a mais. É um argumento forte esse, não?”, questiona Ricardo Almeida.

Promova seu Livro

“Há diversas maneiras de se divulgar um livro, mas o mais importante é ter em mente que o papel de divulgação do livro é do autor: é ele que precisa formar sua audiência. Na plataforma do Clube de Autores tem disponível um manual para divulgação”, explica.

Não ache que o trabalho termina ao publicar o livro

“Ele precisa ter em mente que, hoje, o escritor que não assume o papel de empresário de si mesmo, cuidando da divulgação de seu livro, dificilmente terá sucesso. Sendo assim, nossa recomendação é que mergulhem na Internet, achem o mundo de conteúdo que já está disponível para ajudá-los nessa missão, arregacem as mangas e trabalhem.” finaliza Ricardo.

Sobre o Clube de Autores
Clube de Autores é a maior plataforma de autopublicação da América Latina. Hoje, a plataforma on demand representa cerca de 27% de todos os livros publicados no Brasil no último ano. Além disso, oferece uma gama de serviços profissionais para os autores independentes que pretendem crescer e se desenvolver no mercado de literatura.

Dia do Livro: Como escrever e onde publicar sua obra gratuitamente?
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

Gostou da nossa matéria “Dia do Livro: Como escrever e onde publicar sua obra gratuitamente?“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e mais vagas de emprego abertas. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

SP oferece linha de crédito emergencial para setor cultural

Para apoiar as micro e pequenas empresas dos setores mais afetados pela pandemia, o Governo do Estado de São Paulo anunciou diversas ações e parcerias em prol dos empreendedores. Entre as medidas está a linha emergencial com condições especiais pelo Banco do Povo, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado. Entre beneficiados com crédito emergencial está o setor Cultural, além da Economia Criativa.

Estão disponíveis R$ 50 milhões em microcrédito para capital de giro com taxas de juros de 0% a 0,35% ao mês, com carência de seis meses e prazo de pagamento de até 36 meses.

“A pandemia de coronavírus deve causar uma perda de R$34,5 bilhões para o setor cultural e criativo de São Paulo, impactando cerca de 500 mil postos de trabalho. Com essas ações do governador João Doria para mitigar a crise e estimular o setor, acreditamos que a recuperação se dê a partir do próximo ano”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão.

Linha emergencial
A linha emergencial atende diversos setores compostos de empreendedores formais (inclusive MEI, ME, EPP, LTDA e EIRELI), que não tenham restrições de crédito junto ao SERASA e que realizaram cursos dos programas Empreenda Rápido ou Empreenda Mulher. Não é necessário apresentar avalista.

Os empreendedores podem solicitar as linhas de crédito de forma totalmente online pelo site www.bancodopovo.sp.gov.br e da Desenvolve SP:www.desenvolvesp.com.br, onde é possível verificar mais detalhes.

Gostou da nossa matéria “SP oferece linha de crédito emergencial para setor cultural“?

SP oferece linha de crédito emergencial para setor cultural
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Barracão Teatro leva para a sua casa “Zabobrim, o Rei Vagabundo”

Como transpor para os limites da tela um espetáculo concebido para dialogar com o público? Com o desafio lançado, o Barracão Teatro – importante centro de investigação e pesquisa das artes da cena, localizado em Campinas (SP) – apresenta a adaptação de “Zabobrim, O Rei Vagabundo” (um dos clássicos do repertório do grupo) para os formatos digitais.

Filmado e formatado para a realização de uma série de seis apresentações on-line, gratuitas, nas plataformas sociodigitais do Barracão Teatro, “Zabobrim, O Rei Vagabundo Online” tem sua estreia nesta sexta-feira, 16 de abril, às 20h. A temporada, contemplada pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), com recursos da Lei Aldir Blanc, se estende nos dias 17, 18, 23, 24 e 25 de abril.

A temporada on-line terá uma novidade: o grupo receberá o público,, às 19h40, em uma antessala da plataforma Zoom, para conversar com os participantes. O link de acesso para a noite de estreia, sexta-feira, dia 16, é http://bit.ly/zoom_antessala_estreiazabobrim. Nos outros dias, o link estará disponível no Youtube e Instagram do Barracão Teatro.

Barracão Teatro leva para a sua casa "Zabobrim, o Rei Vagabundo"

Sob nova perspectiva
O espetáculo “Zabobrim, O Rei Vagabundo”, foi concebido, na sua origem, para ser uma obra volátil que dialogasse diretamente com público. Para a adaptação do espetáculo aos formatos digitais, o Barracão Teatro contou com a parceria da produtora de vídeo Mapache Filmes – fundada e dirigida pelo videomaker e cineasta Levi Munhoz.

“Entendemos que essa ressignificação não foi simplesmente o ato de filmar um espetáculo teatral já concebido, mas criar uma adaptação da obra feita exclusivamente para ser vinculada e apresentada nas redes a fim de possibilitar um diálogo presente com o espectador que assiste do outro lado da tela”, destaca a diretora Tiche Vianna.

Transpor uma linguagem para outra sem querer ter perdas é uma tarefa árdua e seria uma “prepotência dizermos que conseguimos fazer isso”, reforça Tiche. Em “Zabobrim, o Rei Vagabundo Online”, a equipe teve, acima de tudo, a possibilidade de estudar, revisitar, desmontar e remontar um espetáculo teatral sob uma nova perspectiva.

Quais os desafios? “A primeira coisa que perderíamos seria a relação interativa com o público e por conta disso, seria necessário modificar a narrativa. Isso diminuiu consideravelmente o tempo de realização das cenas o que favoreceu muito a apresentação através da tela”, afirma.

Segundo ela, “é diferente gravar um espetáculo teatral e reinventar a teatralidade no ‘teatro audiovisual’. Como a câmera se aproxima e às vezes entra na cena, atrizes e atores tiveram que condicionar corpos habituados ao exagero, a não caminhar as distâncias cênicas e recriar seus movimentos: tanto da máscara em si, que pressupõe sutilezas do rosto (coisa que não vemos no teatro por causa da distância), quanto da coluna e transferência de peso, redesenhando seus gestos. Tudo ganhou outra dimensão e é por meio do retorno, que poderemos ter através do público, após as apresentações, que saberemos com mais profundidade como operar essa outra perspectiva de trabalho, que parece ser o que nos moverá nos próximos meses”, reflete.

Do outro lado da tela
Desde sua estreia, em 2015, o espetáculo circulou por diversas cidades, apresentando em festivais, mostras e temporadas. Em cada lugar, e diante de cada público diferente, a peça, na improvisação direta com a plateia, ia se reconfigurando na atualização de piadas, interações e comentários (tudo isso a partir dos acontecimentos atuais e do retorno do espectador).

Agora, sob a nova perspectiva virtual, a diretora é enfática: “Longe de termos uma câmera que captura imagens fiéis ao realismo, temos uma câmera que vasculha alguns ângulos distintos da cena, na busca de uma intimidade que só a presença cênica é capaz de revelar. Ainda temos muito a aprender e o desafio é esse. Quanto mais caminho pela frente, maior a vontade de realizar a possibilidade do agora”, conclui Tiche Vianna com muitas ideias na cabeça e, definitivamente, uma câmera na mão.

Ficha técnica

Dramaturgia
Tiche Vianna – Esio Magalhães

Direção
Tiche Vianna

Atuação
Cintia Birocchi
Esio Magalhães
Fernando Fubá
Kara Ariza
Raissa Guimarães
Rodrigo Nasser
Ulisses Junior

Direção Musical
Marcelo Onofri

Direção de arte (figurinos)
Antonio Apolinário

Designer Gráfico
Ana Muriel

Técnico de Iluminação
Erico Damineli

Produtora Executiva
Cau Vianna

Assistente de Produção
Thomas do Anjos

Sinopse do espetáculo
Na peça, Zabobrim, o palhaço vagabundo remexe o lixo e encontra uma lâmpada mágica. Um gênio lhe concede três pedidos e ele pede para se tornar rei. Seu desejo é realizado e Zabobrim retorna ao passado, quando o fim da monarquia se anuncia e os reis estão perdendo suas cabeças.

Serviço
“Zabobrim, o “Rei Vagabundo On-Line”
Quando: 16, 17 e 18 de abril (sexta a domingo); 23, 24 e 25 de abril (sexta a domingo), sempre às 20h.
Ondehttps://www.youtube.com/barracaoteatro 
Recepção do público: plataforma Zoom, às 19h40. Link de acesso para a estreia, sexta-feira, dia 16, é http://bit.ly/zoom_antessala_estreiazabobrim. Nos outros dias, o link estará disponível no Youtube e Instagram do Barracão Teatro.
Classificação indicativa: 12 anos.

Projeto: Zabobrim, o Rei Vagabundo Online, contemplado pelo Programa de Apoio Cultural Expresso Lei Aldir Blanc nº36 – Produção e temporada de espetáculo de teatro com apresentação on-line, da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Gostou da nossa matéria “Barracão Teatro leva para a sua casa “Zabobrim, o Rei Vagabundo”“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Museu das Minas e do Metal: Programação Cultural em debate

Dando sequência a programação digital diversa e gratuita, o Museu das Minas e do Metal oferece nesta quinta, a partir das 19h, um bate-papo com o tema “Programação, ainda é possível?”, reunindo 4 programadoras de espaços dedicados à fruição cultural.

O setor cultural foi certamente um dos mais impactados com o avanço da pandemia e as medidas de isolamento social. Museus, teatros, casas de shows e espaços destinados à cultura foram fechados e a arte precisou de adaptar à nova realidade para continuar chegando até as pessoas. Em contrapartida, o público pode perceber o quão essencial deve ser este convívio com as manifestações culturais, contribuindo para a nossa saúde mental, além de provocar reflexões no ser humano.  

O MM Gerdau promove nesta quinta o segundo encontro virtual da programação de abril. A partir das 19h, 4 convidadas irão debater sobre o tema “Programação, ainda é possível?”, elaborado a partir de questionamentos levantados pelo programador cultural António Pinto Ribeiro em seu livro “Questões Permanentes: ensaios escolhidos sobre cultura contemporânea”, que traz a pergunta: “Programar em nome de quê? Ainda do Humano?”.

Assim, o Museu lançou um convite às diretoras, curadoras, gestoras e programadoras culturais de diversos espaços localizados em cidades distintas como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Itabirito(MG), para uma conversa conjunta e reflexões sobre os desafios de criação e desenvolvimento de programações culturais para múltiplos espaços. Participam deste encontro: Clarisse Marinho (diretora de Extensão das Artes da Secretaria de Patrimônio Cultural e Turismo de Itabirito-MG), Karla Bittar Silveira (gerente de Cultura do SESI-Cultura), Keyna Eleison (diretora Artística do MAM – Museu de Arte Moderna-RJ) e Milena Lago (gerente de Programação da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes e Serraria Souza Pinto). A ação terá transmissão ao vivo no canal do Youtube do museu, incluindo  tradução em LIBRAS.

A atividade é uma oportunidade de reflexão e troca de experiências entre importantes profissionais do mercado cultural, contribuindo para esclarecer e mapear os principais desafios na condução e na curadoria de programação dos espaços culturais no país.

:: SOBRE O MM GERDAU O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal ::

 |@mmgerdau |  

MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências.

O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau.  O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, é de Marcello Dantas.

O Museu funciona de terça a domingo, das 12 às 18h, e na quinta, das 12 às 22h, entrada franca. Para além da exposição permanente, o MM Gerdau oferece uma programação diversa e para todas as idades. Todas as atividades são gratuitas.

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal é patrocinado pela Gerdau, via lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

PROGRAMAÇÃO e INFORMAÇÕES COMPLETAS: @mmgerdau

Instagram: @mmgerdau

Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=Qv9wh8j6hqM

Serviço:

08/04 – quinta-feira

Bate-papo “Programação, ainda é possível?”, com Clarisse Marinho (diretora de Extensão das Artes da Secretaria de Patrimônio Cultural e Turismo de Itabirito-MG), Karla Bittar Silveira (gerente de Cultura do SESI-Cultura), Keyna Eleison (diretora Artística do MAM – Museu de Arte Moderna-RJ) e Milena Lago (gerente de Programação da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes e Serraria Souza Pinto

Horário: 19h

Transmissão ao vivo pelo YouTube – MM Gerdau, incluindo tradução em libras

Gostou de “Museu das Minas e do Metal: Programação Cultural em debate?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.338 outros assinantes

Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de Santo André faz 120 anos

No próximo dia 20 de setembro, a Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de Santo André completará 120 anos, um período marcado por muitas histórias e recordações que tiveram início como Società Italiana di Mutuo Soccorso Savoia, em 1900. Coincidentemente, 20 de setembro foi a data da reunificação da Itália, no ano de 1870 e protagonizada por Giuseppe Garibaldi, Giuseppe Mazzini e a casa dos Savoia, cujo reinado só foi interrompido com a proclamação da República em 1946.

Em 1939, durante a Segunda Guerra Mundial, o nome Itália teve que ser suprimido e passou a denominar-se Società di Mutuo Soccorso di Santo André, suprimindo-se também o nome Savoia. Em 1950 passou a se chamar Sociedade Beneficente e Recreativa Santo André e, finalmente em setembro de 1962, Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de Santo André.

A sociedade surgiu da necessidade de amparo ao imigrante italiano da região do Grande ABC que, assim como os demais cidadãos, não encontravam nos poderes públicos qualquer tipo de assistência e nessa época, a região passava a se desenvolver de maneira rápida com a colaboração dos imigrantes que para cá vieram, mas enfrentando muitas dificuldades.

Influenciados pelas fundações de sociedades de mútuo socorro, tanto em São Bernardo do Campo como em São Caetano do Sul, surgiu a sociedade da qual Giuseppe Nasossi foi um grande entusiasta. “Obviamente muitos outros participaram dessa iniciativa e tiveram influência, não só na história da nossa sociedade como na história de Santo André, que na época vinha se despontando como um polo industrial e econômico importante dentro do Estado de São Paulo”, destaca o presidente Wilson Roberto Davanzo.

Hoje, com 190 sócios ativos, a entidade tem como objetivo congregar sócios que participam de atividades culturais e eventos ligados à tradição italiana, como a comemoração da República Italiana, Dia do Imigrante Italiano e outras que lembram costumes e hábitos de seus ancestrais, tanto na cultura, culinária como na arte. Afinal, o Brasil tem a maior população de descendentes italianos fora da Itália, algo em torno de 30 milhões. Existe, ainda, uma cidade irmã na Itália – Sesto de San Giovanni – localizada na Lombardia, firmada através de um acordo de Gemellaggio, em 1997.

“Nossas instalações, localizadas na Rua Airó, 69 – Vila Gilda, em Santo André, propiciam local adequado para eventos, com amplo salão para festas, auditório confortável e equipado, além de um amplo estacionamento. Temos ainda a parceria com uma tradicional escola de língua italiana, que apesar de independente, é nossa grande parceira. Outro tesouro da Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de Santo André é o seu Coral, que há 20 anos integra o patrimônio cultural de nossa entidade, sendo reconhecido e respeitado como um dos melhores do Estado”, acrescenta Davanzo.

Toda essa tradição é mantida por meio de trabalho de toda uma diretoria que se empenha de maneira intensa para manter viva uma sociedade centenária, respeitada e ciente do seu papel dentro da história da região do Grande ABC e na manutenção da tradição dos seus ancestrais italianos.

Fonte: MP & Rossi