Insumos para fabricar CoronaVac chegam nesta semana

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais nessa segunda-feira para informar que, de acordo com a Embaixada da China, o país asiático liberou para o Brasil o envio de 5,4 mil litros de IFA, Ingrediente Farmacêutico Ativo, necessários para a fabricação de aproximadamente 8,5 milhões de doses da CoronaVac, no Instituto Butantan. Insumos para fabricar CoronaVac chegam nesta semana.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que o IFA chega ainda nesta semana.

Para dar continuidade à produção de mais 27 milhões de doses da CoronaVac esperadas para esta primeira etapa da vacinação, o Butantan ainda depende de novos carregamentos de IFA.

Sobre a matéria-prima para a vacina produzida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Fiocruz, Bolsonaro informou que o processo de liberação está acelerado. Na postagem, o presidente agradeceu a sensibilidade do governo chinês.

Pouco depois, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, também se manifestou nas redes sociais. Disse que “a China está junto com o Brasil na luta contra a pandemia e continuará a ajudar o Brasil neste combate dentro do seu alcance”. E concluiu que “a união e a solidariedade são os caminhos corretos para vencer a pandemia”.

Também nessa segunda-feira, a Anvisa fez uma nova reunião com a farmacêutica União Química, responsável no Brasil pela vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia.

A equipe técnica da Anvisa detalhou para a empresa quais informações devem ser apresentadas para a análise do pedido de estudos de fase 3 no Brasil. O principal ponto da reunião foram os dados técnicos que precisam constar no Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamentos. Todas as quatro vacinas em pesquisa no Brasil já passaram por essa etapa.

Em resposta, a União Química indicou que deve começar o envio dos documentos para a Anvisa.

A agência reguladora também tem feito reuniões com órgãos semelhantes. Nessa segunda, a equipe da Anvisa se reuniu com a Agência Nacional de Medicamentos, Alimentos e Tecnologia Médica da Argentina.

Com informações de Agência Brasil.

Gostou de “Insumos para fabricar CoronaVac chegam nesta semana”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre a Vacinação no Brasil.

Insumos para fabricar CoronaVac chegam nesta semana
Foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG

Gratuidade do Bom Prato até 30/04 para moradores de rua

Além disso, a gratuidade do Bom Prato para jantares e refeições aos finais de semana e feriados serão servidos pela rede até 28 de fevereiro

O Governador de SP determinou a prorrogação da gratuidade das refeições oferecidas na Rede Bom Prato. Os moradores em situação de rua terão direito a gratuidade até o dia 30 de abril. A decisão publicada nesta quarta-feira (30) no Diário Oficial passa a valer a partir de hoje.

“A prorrogação da gratuidade nas refeições é uma das nossas ações de proteção social para amparar as pessoas em situação de maior vulnerabilidade social”, diz a Secretária de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, Célia Parnes.

A gratuidade nas refeições da Rede Bom Prato para pessoas em situação de rua teve início em junho, mediante cadastramento das Prefeituras e apresentação do cartão com QR Code pelos beneficiários.

Desde o início da pandemia da COVID-19, os 59 restaurantes Bom Prato adaptaram o atendimento. Portanto, passando a servir três refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar) em embalagens descartáveis e para retirada, inclusive aos finais de semana. Por mês, mais de 3 milhões de refeições servidas na rede. Desde então, ao todo mais de 23 milhões de refeições servidas. Além disso, mais de 500 mil servidas gratuitamente para a população em situação de rua cadastrada.

Gratuidade do Bom Prato
Foto: Divulgação

Gratuidade do Bom Prato jantares e finais de semana

Além disso, o Governo de São Paulo prorrogou também a oferta de jantares e refeições nos finais de semana e feriados. A Rede Bom Prato servirá nestes dias até 28 de fevereiro. Critérios técnicos determinarão em quais unidades haverá implantação da medida. Nesse sentido, a demanda e local definirão as escolhas.

O site da Secretaria de Desenvolvimento Social divulgará a relação das unidades e horários de funcionamento

Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo

Até 31/01 será aceito o Bilhete do Idoso, para abaixo de 65 anos

O Bilhete Único Especial da Pessoa Idosa (conhecido como Bilhete do Idoso) será aceito pela SPTrans, até o final de janeiro. Esta confirmação vem após medidas extinguindo o benefício para a faixa etária, em comum acordo entre João Doria e Bruno Covas. A publicação se deu em 23 de dezembro.

No intuito de suspender a gratuidade nos transportes municipais para idosos, Bruno Covas revogou lei 15.912 de 2013. Portanto, esta determinava a isenção de pagamento da tarifa nas linhas urbanas de ônibus, para pessoas com idade igual ou maior que 60 anos.

Por outro lado, João Doria revogou decreto 15.187 de 2013, dispondo sobre a gratuidade destas pessoas nos demais meios de transporte. Por exemplo, Metrô, trens da CPTM e os ônibus intermunicipais (EMTU), da Grande São Paulo.

Bilhete do Idoso e informações da SPTrans

Andréa Compri, superintendente de Receita e Remuneração da SPTrans, divulgou esta informação na reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito.

bilhete do idoso
Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas

Perguntada sobre a possibilidade de bloqueio do bilhete do idoso no dia primeiro de janeiro de 2021, Andréa afirmou: “não, ele não trava. Ele vai travar no final do mês de janeiro, depois de finalizar o período de transição, depois de ser feita toda a transição e todo o treinamento quanto à troca do bilhete”.

Estimativas para 2021

A reunião se deu por meio virtual. A previsão de redução em 5,8% no custo por passageiro de ônibus na capital paulista. Nesse sentido, com o fim da gratuidade para idosos entre 60 e 65 anos, segundo a SPTrans. Como resultado, o valor representa recuo de R$ 0,44.

Nesse sentido, a expectativa da prefeitura de São Paulo é reduzir gradualmente os subsídios para o transporte. Ao passo que alcançaram R$ 3,29 bilhões do início do ano até 21 de dezembro de 2021.

Assine nossa Newsletter, e receba em primeira mão as novas publicações, como esta sobre o Bilhete do Idoso.

SP: PIB do estado sobe e se aproxima de mesmo nível do período pré-pandemia

Segundo o governador João Doria, “o desempenho da economia de São Paulo é substancialmente melhor do que o desempenho do PIB do Brasil”

O Produto Interno Bruto (PIB) do estado de São Paulo atingiu níveis semelhantes aos do início do ano, quando a pandemia do novo coronavírus ainda não tinha causado impactos negativos na economia. A informação foi dada pelo governador João Doria. 

O crescimento projetado do indicador foi de 2,1% no mês de julho. Nos meses de maio e junho, os índices foram de 4,5% e de 5,5%, respectivamente. Com esses resultados, o PIB da Unidade da Federação chegou a 103,2 pontos. Em janeiro, o PIB atingiu 103,4 pontos.

Segundo Doria, “o desempenho da economia de São Paulo é substancialmente melhor do que o desempenho do PIB do Brasil”. Ele avalia que tal desempenho se deve a um plano de investimentos do governo local para a retomada econômica até 2022, além das medidas de desoneração dos cofres públicos.

Os dados fazem parte do novo indicador PIB+30, desenvolvido pela Fundação Seade e utilizado pelo governo de São Paulo como apoio para tomada das decisões, principalmente na área econômica.

Fonte: Brasil 61

Se houver riscos, volta às aulas presenciais em SP pode ser revista, diz Doria

Fonte: CNN em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta terça-feira (8) em entrevista à CNN, que, caso haja riscos para alunos e funcionários, a data prevista para a retomada das aulas presenciais poderá ser revista. 

“Se houver qualquer risco à população de crianças, jovens, professores, gestores e fornecedores das escolas, esta decisão poderá ser revista, não há dúvidas nesse sentido”, afirmou, dizendo que a decisão não é dele, mas amparada nas secretarias de Saúde e Educação.

A volta às aulas está prevista para 7 de outubro. Nesta terça, alunos paulistas de 128 cidades puderam ir às escolas pela primeira vez desde março para atividades de recreação e reforço.

“Pode ser revisto, sim, mas a priori, em 7 de outubro as aulas poderão ser retomadas nas cidades que assim entenderem, Vamos respeitar a decisão dos prefeitos para que tenham autonomia nesse assunto. Por enquanto, está mantido”, disse. 

Coronavac

Sobre o andamento dos testes da vacina Coronavac, Doria negou que ela tenha efeito reduzido na população idosa. 

“Não há situação que distingua pessoas com mais de 60 anos e menos de 60 anos na aplicação da vacina”, disse. “Em idosos, [a Coronavac] teve 98% de eficácia, considerado pelo protocolo internacional como altíssima eficiência. Os idosos não terão nenhum risco ao serem imunizados pela Coronavac”. 

Ele informou que, desde o início da terceira fase de testes da vacina, há mais de 30 dias, não houve qualquer ocorrência que possa merecer mais estudo ou análise. “Informes indicam dores de cabeça, dor onde se aplica a vacina, o que é entendido por cientistas como dentro da normalidade.

Para ele, somente com a imunização será possível o retorno à vida normal. “Até lá, cautela”‘, recomendou. “Não é hora de festejar nada, haverá momento para isso após a imunização”. 

O governador declarou também que acredita que a vacinação contra Covid-19 deve ser mandatória e criticou o presidente Jair Bolsonaro pela revogação do decreto que estabelecia essa obrigatoriedade.

“Uma pessoa não vacinada pode ser contaminada e contaminar outras pessoas. Não é razoável fazer a opção de não se proteger. Não consigo compreender o direito à morte”, disse.

“Lamento que o presidente Bolsonaro tenha revogado o decreto que ele mesmo assinou e peço que reveja a posição em nome da saúde e vida dos brasileiros”. 

A relação com o Ministério da Saúde, no entanto, vai bem. Doria informou que a primeira parcela de recursos federais ao Insituto Butantan deve ser liberada nesta semana. “Até aqui, estamos convictos que o comportamento do Ministério da Saúde prosseguirá nesse sentido”. 

Aglomeração no litoral

O governador classificou as aglomerações vistas nos últimos dias no litoral paulista como “preocupantes”, mas disse que a revisão das normas fica a critério dos prefeitos. 

“O que o governo recomenda é obediência aos códigos sanitários e à legislação estadual que obriga o uso de máscara. A decisão de ocupar faixas de areia, o uso do mar, calçadões, parques e praças pertence ao município”, disse. 

Ele ressaltou, no entanto, a importância do cuidado individual. “Cada um tem grau de responsabilidade, independentemente do governo estadual, municipal e até federal”, disse.

“Fico triste em verificar essa parcela da população que não compreende a importância de se resguardar. Entendo que seis meses de isolamento atordoam as pessoas, querem liberdade e sair. Mas sair para encontrar a morte não é um bom caminho”.