Atenção para a enxaqueca – Maio é o mês de combate a cefaléia

Segundo a OMS, é a sexta doença mais incapacitante do mundo, e a primeira em adultos abaixo dos 50 anos, portanto, tenha atenção para a enxaqueca

Ansiedade, stress, tristeza, rotina inadequada de sono são algumas condições que podem disparar crises de enxaqueca, a dor de cabeça latejante que pode perdurar por até 72 horas1. Gatilhos que podem ter sido intensificados durante o período prolongado de pandemia de COVID-19. Determinados tratamentos podem prevenir e espaçar tais crises, segundo Consenso Latino-Americano de Tratamento.

A enxaqueca é uma doença muito mais comum do que se imagina: segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, cerca de 20% das mulheres e 5% a 10% da população masculina são afetados por esta, que é uma doença de alto custo pessoal, social e econômico 2. É considerada crônica quando a dor de cabeça se manifesta por mais de 15 dias ao mês1. Geralmente pode ser pior de um dos lados da cabeça e pode vir acompanhada de náuseas, sensibilidade à luz, barulhos e odores1.

“Alguns dos principais gatilhos para a enxaqueca se intensificaram no último ano, com a pandemia de Covid-19. O isolamento prolongado, maior carga de trabalho e incertezas gera um estresse crônico que aumenta a frequência e a intensidade das crises de dor de cabeça. E o uso excessivo de analgésicos sem indicação médica é um importante fator para cronificar a enxaqueca”, diz Thais Villa, neurologista chefe do Setor de Cefaleias da UNIFESP

Segundo a OMS, é a sexta doença mais incapacitante do mundo, e a primeira em adultos abaixo dos 50 anos3.

Dia Nacional de Combate à Cefaleia é comemorado em 19 de maio, sendo uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCE). A data tem o intuito de chamar a atenção da população para os diferentes tipos de dores de cabeça. Estima-se que a enxaqueca afeta 15% da população mundial em algum momento da vida e outros 2% sofrem com enxaqueca crônica, uma doença incapacitante, que pode interferir na qualidade de vida do indivíduo. No Brasil, mais de 30 milhões de pessoas sofrem com essa enfermidade.

Enxaqueca Crônica

A frequência, duração e sintomas diferem a enxaqueca crônica das dores de cabeça comuns, tais como vômito, náusea, sensibilidade à luz, barulho, determinados odores e movimentos, persistentes por 15 dias no mês, por mais de três meses (no período de um ano)1. É também uma das principais causas de absenteísmo e diminuição da produtividade no trabalho 4,5, impondo um significativo impacto na economia devido aos altos custos para os pacientes e sociedade.

Tratamentos

Embora a enxaqueca crônica não tenha cura, é possível controlá-la, espaçando a ocorrência de crises e amenizando a intensidade dos sintomas, com medicamentos adequados a cada caso, sob prescrição médica. Segundo o Consenso Latino-Americano para as Diretrizes de Tratamento de Migrânea Crônica e o Consenso da Sociedade Brasileira de Cefaleia sobre o Tratamento da Migrânea Crônica 3,6, os tratamentos podem ter duas abordagens:

  • Tratamento agudo – para reduzir a frequência e intensidade das crises, melhorar os sintomas das crises, a escolha do medicamento será definida por um médico caso a caso, incluindo tratamento hospitalar em pronto-socorro 3
  • Tratamento preventivo – para prevenir a recorrência das crises 3, podem ser utilizados medicamentos orais, como 6neuromoduladores e betabloqueadores, e medicamentos injetáveis 6,7.  Entre os injetáveis, o objetivo é reduzir a percepção da dor pelo sistema nervoso central 3,6; o medicamento é injetado no trajeto dos nervos que inflamados

provocam a dor de cabeça, em pontos específicos da cabeça, do pescoço e na

porção mais alta do tronco.

Atenção para a enxaqueca - Maio é o mês de combate a cefaléia
Atenção para a enxaqueca – Maio é o mês de combate a cefaléia. Foto: Divulgação

Automedicação durante a pandemia: um alerta

O uso indiscriminado de analgésicos pode gerar um efeito rebote, requerendo o

consumo de mais medicamento, com consequente aumento das crises e sua

intensidade. Isso já acontece se utilizados 10 ou mais medicamentos de crise, por um

período de mais de três meses.

“Durante a etapa de distanciamento social e trabalho remoto, muitos pacientes de

enxaqueca crônica trocaram os tratamentos prescritos por medicamentos de fácil

acesso – mas esses medicamentos, em excesso, também podem disparar episódios de

enxaqueca”, diz Dra. Thais Vila.

Hábitos Saudáveis

Como muitos dos gatilho das crises de enxaqueca estão também relacionados aos

hábitos de vida, manter uma rotina de alimentação e atividades físicas equilibradas

favorece a qualidade de vida de quem sofre com a doença 1.

Para mais informação, acesse www.enxaquecacronica.com.br, portal criado com o objetivo de  fornecer informações sobre a condição, sendo a consulta com o profissional de saúde

fundamental e imprescindível para eventual diagnóstico, tratamento e acompanhamento

do paciente.

Referências

enxaquecacronica.com.br

2 Em https://sbcefaleia.com.br/noticias.php?id=2. Acesso em 5 de março de 2021

3 Giacomozzi AR et al. Consenso Latino-Americano para as Diretrizes de Tratamento de

Migrânea Crônica. Headache Medicine 2012;3(4):150-160.Consenso Latino-Americano para as

Diretrizes de Tratamento da Migrânea Crônica (headachemedicine.com.br)

4 Krymchantowski AV, Moreira Filho PF. [Update on migraine prophylactic treatment]. Arq

Neuropsiquiatr. 1999 Jun;57(2B):513-9.

5 Vincent M et al. Prevalência e custos indiretos das cefaleias em uma empresa brasileira. Arq.

Neuro-Psiquiatr. [online]. 1998;56(4):734-743. [Acesso em 2018 ago 27]. Disponível

em: http://www.scielo.br/pdf/anp/v56n4/1625.pdf

6 Kowacs F, Roesler CAP, Piovesan ÉJ, et al. Consensus of the Brazilian Headache Society on

the treatment of chronic migraine [published correction appears in Arq Neuropsiquiatr. 2019 Oct

24;77(10):758]. Arq Neuropsiquiatr. 2019;77(7):509-

  1. https://www.scielo.br/pdf/anp/v77n7/0004-282X-anp-77-7-0509.pdf

7 Sacco S, Bendtsen L, Ashina M, Reuter U, Terwindt G, Mitsikostas DD, Martelletti P.

European headache federation guideline on the use of monoclonal antibodies acting on the

calcitonin gene related peptide or its receptor for migraine prevention. J Headache Pain. 2019

Jan 16;20(1):6.

https://thejournalofheadacheandpain.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s10194-018-0955-y

Gostou da nossa matéria “Atenção para a enxaqueca – Maio é o mês de combate a cefaléia“?

Atenção para a enxaqueca – Maio é o mês de combate a cefaléia. Doutora Thais Villa. Foto: Reprodução

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.031 outros assinantes

Jornada Valor em Saúde: Modelos assistenciais e remuneratórios

Totalmente online e gratuito, o evento é marcado por 4 encontros diferenciados, com palestrantes experientes e conteúdo inéditos

No dia 12 de novembro acontece o segundo encontro da Jornada Valor em Saúde Brasil 2020. Com o tema Modelos assistenciais e remuneratórios que de fato entregam valor em saúde, o evento acontecerá das 18h30 às 20h30, totalmente online e gratuito, e as inscrições já podem ser feitas pelo site www.valorsaudebrasil.com.br.

O evento é promovido pelo Valor em Saúde Brasil, powered by DRG Brasil, e tem o propósito de ir além da teoria ao mostrar de forma concreta o que fazer, como fazer e quais são os resultados de quem pratica a saúde baseada em valor no País.

Neste segundo webinar, a Dra. Tania Grillo, Presidente do Grupo IAG Saúde, fará a abertura, com a Fala da Plataforma sobre o tema “Complexidade assistencial hospitalar brasileira: refinamento dos algoritmos nacionais e como contribui para a jornada do paciente baseada em valor”. O objetivo desta fala é explicar como a estratificação dos pacientes pelo DRG Brasil Refinado contribui para a identificação de populações de maior risco assistencial, viabilizando a construção de linhas de cuidado para a jornada segura e o dimensionamento das necessidades de recursos relativos ao tratamento dos pacientes.

Logo em seguida, Marcelo Nita, Professor do curso Gestão Baseada Valor da Faculdade Unimed e Co-editor da revista Value in Health Regional Issues, da ISPOR Latam, aborda o tema “Gestão de custos e processos na Jornada de Valor em Saúde: transparência para a sustentabilidade”. Nesta fala do Ecossistema, o assunto refere-se à entrega de valor como entrega de resultados assistenciais, com menor custo pelo controle do desperdício garantindo uma melhor experiência para os clientes. Para entregar valor é preciso transformar os processos assistenciais e o gerenciamento de custos. Na apresentação, será mostrada a experiência internacional do professor adaptada às condições do sistema brasilei ro de saúde.

Na Fala da Comunidade de Clientes e Parceiros, o tema será “Diminuindo desperdícios, gerando resultados: uma experiência com DRG em hospital filantrópico”, com a presença de Cristina Rodrigues, Gerente Técnica da Planisa, que realizará as apresentações. O tema central será como a Santa Casa de Campo Grande, uma associação beneficente com o maior centro de alta complexidade de Mato Grosso do Sul mudou seus resultados econômicos e assistenciais pela Governança Clínica baseada em valor.

Lucas Martins (Membro do Conselho de Administração da Unimed BH e Coordenador da Medicina Interna do Hospital Unimed BH Contorno), juntamente com Walter Fonseca (Coordenador Geral Enfermagem e Equipe Multi do Hospital Unimed BH Contorno), abordarão “Remuneração de médicos e governança clínica baseada em valor: uma história de diminuição exponencial do desperdício”. Esta apresentação da Comunidade de Clientes parte de um estudo publicado pelo New England Journal of Medicine, em setembro de 2018, que valida o elevado impacto na entrega de valor pelo compartilhamento do controle de desperdício (shared savings) entre os médicos e os operadores do sistema de saúde. Em nove mbro de 2019, a Unimed BH implantou esse modelo no HU Contorno, com 250 leitos de alta complexidade, comprovando que, no Brasil, o shared savings também funcionou e garantiu resultados assistenciais e melhor remuneração para o médico.

Para falar sobre “Conhecimento inovador, transformador e compartilhado: a produção científica do Ecossistema Valor em Saúde Brasil”, representando a Fala da Comunidade de Ensino, é a vez de Marcelo Miranda, Diretor Acadêmico da Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais. O objetivo é mostrar como o setor de pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais realiza a capacitação de centenas de profissionais de saúde na metodologia DRG do Brasil, gerando o repositório nacional de produção científica do Ecossistema da plataforma de Valor em Saúde Brasil.

Também como Fala da Comunidade de Ensino, Ary Célio de Oliveira, Executivo de Educação da Faculdade Unimed, demonstrará que “A transformação do sistema de saúde brasileiro só é possível através do conhecimento”. Será apresentada a Revista Científica da Faculdade Unimed e o papel da instituição na capacitação do Sistema Unimed para a entrega de valor em saúde. Essa será a apresentação que concluirá o segundo webinar.

Além das apresentações, haverá a discussão com todos os participantes, com a mediação da Dra. Tania Grillo e do Dr. Renato Couto, ambos Presidentes do Grupo IAG Saúde.

Além do Grupo IAG Saúde, são co-realizadores do evento: DRG Brasil, SBAIS, Planisa, MK Saúde, ISEE Consultoria, Trevo Sistemas, Faculdade Unimed, Faculdade de Ciências Médicas de MG, Transforma Saúde e Deloitte.

A Jornada de Valor em Saúde Brasil, totalmente online e gratuita, acontecerá nos dias 5, 12, 19 e 26 de novembro, sempre com programação e conteúdo inéditos. A programação completa e o link para inscrição podem ser acessados em www.valorsaudebrasil.com.br.

Aos “casacos brancos”

Profissão abrangente com muitas especialidades, cada qual com sua particularidade, sua finalidade é cuidar, previnindo doenças, promovendo saúde, bem estar , tanto como físico, mental e social de um indivíduo.

Técnica milenar, usado por todos os povos desde a antiguidade, usando a técnica de observação e tratamento a base de ervas.

A ciência evoluiu, diagnostica, trata e previni, muitos estudos são realizados com muita dedicação dos muitos profissionais da área de saúde em diversos degraus.

A arte da cura, é a compaixão com o próximo, buscando manter viva a vida em um corpo.

Cuidando de suas engrenagens para um bom funcionamento, se fossemos comparados a máquinas, rsrs.

Dedicação extra, uma boa dose de amor.

Ter um olhar de raio x, compreender a olho nu, a causa física, e traçar se está ou não estar atrelada a um estado emocional, parece simples, mas se trata de ter um olhar diferenciado.

É usar um receituário com sabedoria, pois se tratam de vidas, é ter uma palavra sábia ao perceber que não é o corpo que está lesionado e sim a alma.
Quanta responsabilidade!!!

Tenho a sensação que médicos tem uma conexão divina, uma orientação espiritual intensa e constante para cuidar e salvar vidas.

E quem sabe um dia, através da ciência tenhamos a cura para todos os aspectos da humanidade (de dentro pra fora ou vice e versa).

Feliz dia do Médico e a todos os profissionais de saúde que se dedicam a cuidar e salvar vidas por Amor, diria que o verdadeiro amor ao próximo é expressado nesta profissão.

Uma boa semana à todos nós, ॐ∞