Jander solicita que a Educação busque recursos do novo FUNDEB

Após a aprovação da Lei do Novo FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) o Vereador Professor Jander Lira identificou que há novos recursos disponíveis para os cursos técnicos profissionalizantes, oferecidos pela tradicional Escola Alcina de São Caetano do Sul.

Jander fez uma indicação para que a Secretaria de Educação busque imediatamente esses recursos com o Ministério da Educação, para proporcionar aos alunos da escola mais recursos e equipamentos.

Ao apresentar essa indicação na sessão virtual desta semana, o vereador e professor Jander salientou que a EME Profª Alcina Dantas Feijão já tem uma tradição de mais de 50 anos na área dos cursos técnicos, mas precisa de muitos investimentos, já que não tem atualmente nenhum laboratório operacional.

“Estou muito preocupado quando voltarem às aulas presenciais, pois os alunos não terão como usar os laboratórios, já que os computadores dos laboratórios do Alcina estão todos sucateados”.

A Secretaria de Educação informa que não tem verbas para modernizar os laboratórios do curso técnico e as emendas ao orçamento municipal propostas nos últimos anos pelo Vereador Jander para aumentar os recursos nessa área foram sempre rejeitadas pela maioria da Casa Legislativa.

“Agora há recursos já que o decreto do FUNDEB admitiu o duplo cômputo de matrículas, aumentando o repasse ao município”, falou Jander na tribuna da Câmara dos Vereadores após o encaminhamento de sua indicação.

Gostou da nossa matéria “Jander solicita que a Educação busque recursos do novo FUNDEB“?

Jander solicita que a Educação busque recursos do novo FUNDEB
Vereador Jander, em sessão da câmara. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e sobre as Cidades do Grande ABC. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação

‘Senza pietà’ se passa em Vitória e debate o fracasso e as mazelas da educação.

A clássica questão do fosso entre o ensino público e o privado é a tônica de ‘Senza pietà’, conto do jornalista Maxwell dos Santos disponível para download gratuito em http://bit.ly/contosenzapietapdf (PDF), http://bit.ly/contosenzapietaepub (EPUB) e http://bit.ly/senzapietamobi (MOBI)

Este conto tem o claro objetivo de debater o fracasso escolar na rede particular de ensino e desconstruir o conceito de meritocracia, onde o sucesso e o fracasso dependem exclusivamente do indivíduo, mas no caso é o aluno Rodrigo, que acabara de perder a bolsa de estudos no Michelangelo, o colégio mais caro de Vitória, onde estudam os filhos dos donos do PIB do Espírito Santo e devolvido à escola pública de origem, como se fosse uma experiência que deu certo.

Vindo de escola pública, com o ensino precário e constantes graves, o adolescente não estava preparado para o altamente conteudista e vestibulável currículo daquela escola de elite, tampouco tinha inteligência emocional para suportar as pressões por resultados, entrando em conflito com os alunos.

Espera-se que este opúsculo contribua com os debates sobre a educação no Brasil.

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação
Jornalista e autor Maxwell dos Santos. Foto: Divulgação

Sobre Maxwell dos Santos

Maxwell dos Santos é brasileiro, nasceu em Vitória/ES em 1986 e mora na referida cidade. É jornalista, radialista, designer gráfico e servidor público da Prefeitura de Cariacica desde 2017 e professor de Literatura Brasileira dos cursinhos populares Risoflora e Atitude. É técnico em Multimídia pelo CEET Vasco Coutinho, licenciado em Letras/Português pelo Instituto Federal do Espírito Santo, licenciando em História pelo Centro Universitário Internacional, pós-graduando em Letras: Português e Literatura pela Faculdade de Ciências da Bahia e especialista em Educação Especial com Ênfase em Transtornos Globais do Desenvolvimento e Superdotação pela Faculdade de Educação Paulistana.

Gostou da nossa matéria “Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

WhatsApp para captação de alunos: Tema da live da Persone

Diversos fatores determinam o comportamento do consumidor e, entre eles está a praticidade, um dos motivos que posicionou o aplicativo como instrumento de negócio nos últimos anos. Desenvolvido e utilizado inicialmente para entretenimento e relacionamento, passou a se firmar como o principal canal entre empresas e clientes, desde o último ano, com o impacto da pandemia. O Whatsapp tem sido aplicado às empresas não apenas como um meio de comunicação, mas também como um canal direto para vendas e captação de alunos.

Convencer potenciais alunos a efetivarem suas matrículas é um grande desafio, porém, existem alternativas. Por este motivo, essa manobra tem sido destaque no setor educacional. “O WhatsApp já se tornou o principal canal de conversão, mas cuidado para não se tornar um spammer”, alerta o especialista André Sales, sobre saber abordar e não cruzar a barreira da inconveniência.

“Conversaremos sobre a importância do WhatsApp no processo de captação, seu protagonismo em termos de canal e como fazer uma boa abordagem sem ser invasivo ou chato”, completa o head of sales, da Faculdade Descomplica.

  • Como utilizar o WhatsApp na captação de alunos?
  • O que deu certo e o que deu errado?
  • O WhatsApp é complementar a outros canais de vendas?
  • Como fazer a gestão da qualidade e da produtividade da equipe?
  • O uso da API official.

Esses são alguns dos questionamentos que serão respondidos por André Sales, na live realizada pela Persone Educação, no dia 22 de abril, em seu canal do YouTube (www.persone.com.br/live).

A tecnologia é um braço na conversão de leads e uma ferramenta para gerenciar esse momento de incertezas que tem ganhado destaque é o aplicativo de relacionamento. No início de 2020, o WhatsApp marcou presença em 99% dos smartphones brasileiros, conquistando uma base de mais de 120 milhões de usuários.

O relatório CX Trends 2020, identificou que, até fevereiro, o app já era usado por 57% dos clientes para falar com empresas, tendo na sequência o e-mail, com 47%, site (44%), Facebook (37%) e chat online (33%).

Essa live, que abordará as possibilidades dentro dessa temática, terá duração de até 20 minutos. Durante o bate-papo os participantes podem enviar suas dúvidas, que serão esclarecidas pelo convidado.

Serviço:

Live: WhatsApp para captação de alunos?

Quando: 22 de abril

Horário: às 20h

Onde: YouTube www.persone.com.br/live

Sobre Helen Toyama

Helen Toyama, CEO e fundadora da Persone, tem larga experiência em marketing e vendas. Ao longo de sua carreira passou por grandes players do setor educacional, atuando como Gerente de Marketing, Diretora Administrativa e Consultora em Empresas como Insper e Hoper. Bacharel em Publicidade e Marketing pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e pós-graduada em Gestão de Vendas, pela ESPM.

Em 2013, tomou a decisão de abrir sua própria empresa de soluções em atendimento e vendas para o segmento educacional. Mais de sete anos depois, a Persone é reconhecida pela expertise e qualidade nos processos de atendimento e vendas.

Helen tem participação ativa em processos de reestruturação organizacional e planejamento estratégico, também se destacando por desenvolver parcerias com empresas como Apple, Microsoft, J&J, Embraer, Cisco, SAP.

Sobre a Persone

Empresa de soluções em atendimento e vendas formada por profissionais que atuam há mais de 18 anos nos segmentos de tecnologia e educação, fornece consultoria e outsourcing de processos, sistemas e equipe de vendas.

A Persone dispõe de uma equipe especializada em implantação, gestão e execução de operações de vendas, retenção, relacionamento e atendimento ao cliente.

Utilizando as mais diversas tecnologias – sistemas de CRM, CTI, chat, chatbot, inbound, BI, e-mail marketing, SMS e WhatsApp, a Persone executa o processo de vendas do início ao fim.

Gostou da nossa matéria “WhatsApp para captação de alunos: Tema da live da Persone“?

WhatsApp para captação de alunos: Tema da live da Persone
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

Ensino Remoto: “Meu filho foi alfabetizado durante a pandemia”

O ano de 2020 foi marcado por grandes adaptações na educação. A pandemia causada pela Covid-19 fez com que crianças e adolescentes passassem praticamente 10 meses estudando em suas casas, no modelo de ensino remoto. Algumas famílias encontraram dificuldades no manuseio da tecnologia e, principalmente, na criação de uma rotina de estudo para os filhos. Entretanto, muitos pais e mães conseguiram se habituar com a nova realidade que transformou casas em verdadeiras salas de aula.

Um dos grandes desafios do ensino remoto foi a alfabetização das crianças que estavam só no início da jornada educacional.  É o caso de Darliane da Silva que é mãe do Kaue Henrique Domingues da Silva, de sete anos, e aluno do Colégio Acesso em Almirante Tamandaré. Ela conta que a adaptação ao ensino remoto trouxe muitas dúvidas no início, já que ninguém sabia até quando duraria a pandemia.

“Quando matriculamos o Kaue no Colégio Acesso em 2020, logo veio a pandemia e as aulas presenciais foram suspensas. Cogitamos tirar ele da escola, mas graças à diretora da unidade que nos convenceu a experimentar o modelo remoto, ele aprendeu a ler e a escrever durante as aulas online”, conta a mãe do aluno.

Modelo de educação digital

Um dos setores mais impactados pela pandemia foi o da educação que precisou, de forma emergencial, adaptar o modelo de ensino ao formato online. Mas, de acordo com especialistas, muitas escolas não conseguiram obter sucesso no ensino remoto, uma vez que o método aplicado não era adequado para o online. Eles ainda citam como exemplo situações em que as crianças ficam horas assistindo vídeos no Youtube e no Netflix, mas que não conseguem permanecer por 50 minutos no homescholling.

Segundo a diretora pedagógica do Grupo Acesso, Guida Weber, a tecnologia utilizada somada a metodologia aplicada pelos professores e a dedicação dos pais e alunos foi o que resultou no sucesso do ensino remoto. “Desde o começo sabíamos que somente a didática aplicada nas aulas presenciais não seria eficaz no remoto. Então, criamos um modelo de educação digital que combina uma plataforma tecnológica para o acompanhamento das aulas e progresso do aluno com um método específico para o online”, explica.

Para Darliane da Silva, a metodologia utilizada pelo colégio fez toda a diferença, assim como a orientação dos professores aos pais sobre quando e como ajudar a criança que está aprendendo em casa. “Os professores eram maravilhosos e conseguiam prender a atenção de todos os alunos na tela. O Kaue esperava ansioso pela hora da aula e, depois de alguns dias, já se desenvolvia sozinho e nem precisava do meu auxílio. Aos poucos ele foi aprendendo a reconhecer as letras, depois os sons e então aprendeu a ler e escrever, inclusive, formar frases. Tudo isso durante as aulas online”, relata a mãe do aluno.

Aulas presenciais em 2021

O modelo híbrido de aulas ainda é uma incógnita para 2021. Desde janeiro, muitas cidades e estados liberaram o retorno das aulas presencias em escolas privadas, mas diante do agravamento da pandemia no país, suspenderam diversas vezes o retorno. Com isso, as famílias estão adotando cada vez mais o modelo de ensino 100% remoto, já utilizado em 2020.

Mesmo sabendo da importância pedagógica do ensino presencial e o impacto emocional que o isolamento causa nas crianças, alguns pais estão dispostos a continuar com os filhos estudando em casa. “É nítido que a criança em casa fica mais irritada, mais nervosa, querendo tudo para a mesma hora. Mesmo com as atividades de educação física adaptadas para casa, não há um gasto efetivo de energia e nem de socialização com os colegas. Mas se para garantir a saúde e a segurança do meu filho seja necessário voltarmos com as aulas em casa, já estamos adaptados”, afirma Darliane da Silva.

SOBRE O GRUPO ACESSO

Fundado em 2003, o Grupo Acesso surgiu com o objetivo de preparar alunos para os vestibulares, com qualidade, preço acessível e um grande vínculo com a disciplina e resultados. Atualmente, possui dez unidades espalhadas por Curitiba e Região Metropolitana, formando alunos desde a Educação Infantil, com o Acesso Kids, ao tradicional Pré-Vestibular. Em 2020, o Grupo Acesso recebeu o reconhecimento de ‘Escola com maior eficiência digital’, comparado com outras 34 escolas do Brasil, reafirmando o compromisso com o resultado na formação, aliado a inovação e o acolhimento aos alunos, principalmente durante as aulas remotas, sendo referência em termos de escola completa e humana.

Gostou da nossa matéria “Ensino Remoto: “Meu filho foi alfabetizado durante a pandemia”“?

Ensino Remoto: "Meu filho foi alfabetizado durante a pandemia"
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo

Livro Compreender e acolher, da Dra. Deborah Kerches, especialista em TEA, traz conteúdos específicos voltados a crianças, adolescentes e adultos

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição do neurodesenvolvimento que afeta aspectos ligados à comunicação e ao comportamento de uma pessoa. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 1% a 2% da população mundial está no espectro autista. No Brasil, estima-se mais de 2 milhões de pessoas com essa condição.

No livro “Compreender e acolher”, a partir de muito trabalho clínico e pesquisa, a neuropediatra Deborah Kerches, especialista em autismo, apresenta o espectro autista a todos de uma forma lúdica, empática e com embasamento científico. Seu conteúdo é voltado a crianças, adolescentes e adultos, para que todos possam se informar e conscientizar sobre o espectro autista, possibilitando o reconhecimento dos sinais precoces e a construção de uma sociedade inclusiva.

O livro, lançado pela Literare Books International, vem em um formato “vira-vira”, onde cada lado possui uma abordagem diferente. De um lado, destacam-se informações referentes ao TEA na infância, seguidas de uma história em quadrinhos direcionada ao público infantil; do outro, considerações relevantes sobre o TEA na adolescência e uma nova história em quadrinhos direcionada a adolescentes e jovens.

“Além dos adultos, é essencial que crianças e adolescentes compreendam melhor o que é o autismo e, assim, possam contribuir na construção de uma sociedade mais acolhedora, empática e inclusiva”, afirma a autora e neuropediatra.


Prejuízos persistentes na comunicação e interação social, assim como padrões de comportamentos, interesses e atividades restritos e repetitivos, são as características centrais do TEA. O diagnóstico e intervenções precoces são determinantes para o desenvolvimento e qualidade de vida das pessoas com autismo e também de suas famílias.

Relacionar-se requer colocar-se no lugar do outro e, por meio dessa obra, os leitores – de diferentes faixas etárias – passam a compreender melhor as pessoas com TEA e o quanto podem contribuir e aprender com elas.


Trata-se, assim, de um livro inédito em que diferentes públicos podem se beneficiar das lições da autora, seja pelas páginas com conteúdo escrito, seja por meio da história em quadrinhos.

Sobre a autora

Deborah Kerches – (CRM 102717- SP; RQE 23262-1.) Neurologista da infância e adolescência. Título de Especialista em Neuropediatria e Pediatria. Especialista em Transtorno do Espectro Autista. Coordenadora e professora de pós-graduações do CBI of Miami. Especialização em Preceptoria em Residência Médica no SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês. Membro da Sociedade Brasileira de Neuropediatria. Membro da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil (ABENEPI). Membro da Academia Brasileira de Neurologia. Membro da Associação Francesa La cause des bébés. Membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

Sobre o livro
Compreender e acolher
Autora: Deborah Kerches
Editora: Literare Books International
Formato: 21,5 x 28 cm – 1ªedição – 112 páginas
ISBN: 9786586939996
Instagram: @dradeborahkerches
Loja Literare Books:  http://bit.ly/lojaliterare-compreendereacolher

À venda nas principais livrarias físicas e on-line

Gostou de “Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo?

Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo
Dra. Deborah Kerches. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual

2020 foi o ano de estabelecer relações de convívio coletivo mais saudáveis e de respeito, cada um em sua casa. Confira o balanço do programa ExploreCarlotas

Em um ano desafiador para a educação brasileira, a empresa Carlotas mostra em vídeo a retrospectiva do programa ExploreCarlotas com o ponto de vista de professores e professoras que enfrentaram a pandemia mostrando dedicação e coragem.

O programa ExploreCarlotas, que cria espaços de diálogo e aprendizagem por meio de oficinas, tem como objetivo levar reflexões sobre diversidade, respeito e empatia de forma lúdica para crianças, jovens e educadores em escolas públicas e instituições de assistência gratuitamente.

O vídeo ilustra os sentimentos e emoções vividos nesse ano de incertezas, além de trazer depoimentos de professoras das escolas públicas. Veja aqui:  https://youtu.be/ESINKOT2QlQ. Em 2020 o Programa ExploreCarlotas focou em acolher e criar vínculos com os professores e professoras de escolas públicas. Os participantes dividiram com Carlotas seus medos, aflições, aprendizados e como foi o ano mais difícil de suas carreiras.

O programa ExploreCarlotas que é financiado com 10% do faturamento da empresa, esteve em 14 escolas públicas. Nestes encontros foram explorados temas tão relevantes quanto atuais como empatia, acolhimento e a importância do olhar para a diversidade com um material inédito: a BOX Carlotas, uma caixa repleta de ferramentas lúdicas focadas em educação emocional para o uso em sala de aula. Nas duas unidades da Fundação Casa, Azaléia e Chiquinha Gonzaga, os relatos de que quem passou pela experiência foi de que os encontros transformaram a maneira como veem o mundo, as pessoas e a si mesmas.

Balanço do programa ExploreCarlotas

Devido à pandemia, os instrumentos de apoio foram apostilas de histórias, atividades lúdicas e jogos para falar sobre as emoções com crianças e jovens. O primeiro Café Virtual foi um encontro remoto para dialogar e organizar as experiências internas com o tema: “Saúde Emocional dos educadores em Tempos de Pandemia.” Com esta atividade a devolutiva de professores, educadores, pais e mães foi muito positiva.

Ao todo 517 educadores participaram de 6 oficinas presenciais e 30 oficinas online onde 6 macrotemas foram abordados: Saúde Emocional, Arteterapia e Saúde, Tempos de Incerteza, o livro Saudade Sabor Chocolate, o Poder Transformador das Histórias e Empatia, Diversidade e Segurança Psicológica.

Um material digital inédito foi construído: uma trilha de aprendizagem em educação emocional adaptado para todas as faixas etárias (de 0 a 17 anos). Respeitando os pilares da UNESCO (aprender a ser, a conhecer, a fazer e aprender a conviver) e fortalecendo as competências socioemocionais da Base Nacional Comum Curricular – BNCC (autoconhecimento, autogestão, amabilidade, relações e tomada de decisão responsável). Com isso, 6 apostilas garantem que educadores e educandos tenham acesso a informações de qualidade. Para mais informações do relatório do Programa ExploreCarlotas clique aqui para fazer o download: http://bit.ly/2020_ExploreCarlotas.

Sobre Carlotas 

Uma empresa com propósito social, localizada no Brasil, nos Estados Unidos e na Alemanha, que busca realçar o potencial da empatia, por meio de uma abordagem única. Carlotas ilustra o diálogo sobre a desconstrução do perfeito e aceitação da diversidade, por meio da arte e do lúdico, encoraja o desenvolvimento das habilidades socioemocionais para melhorar as relações humanas. Para mais informações acesse: https://carlotas.org/

Gostou de “Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

Programa de Estágio 2021 da Volkswagen. Saiba mais

O Programa de Estágio 2021 da Volkswagen do Brasil está com inscrições abertas. Ao todo, são 130 vagas para alunos dos ensinos técnico e superior. Os aprovados serão alocados nas unidades de São Bernardo do Campo (SP), Vinhedo (SP), Taubaté (SP), São Carlos (SP) e São José dos Pinhais (PR).

Todo o processo é desenvolvido pelo CIEE, sendo sempre gratuito para os estudantes. O formulário de inscrição é simples e objetivo. Não é necessário criar login antes de preencher a ficha de candidatura.

Canais do Jornal Grande ABC

Grupo de divulgação de vagas no Facebook (clique aqui)
Canal de divulgação de vagas no Whatsapp (clique aqui)
Canal de divulgação de vagas no Telegram (clique aqui)

Os estudantes dos cursos técnicos de Administração, Mecânica, Mecatrônica e Eletrônica estão aptos para inscrição. Além disso, a Volkswagen do Brasil também seleciona universitários das áreas:

  • Administração de Empresas
  • Relações Públicas
  • Direito
  • Marketing
  • Jornalismo
  • Engenharia Civil
  • Engenharia de Produção
  • Engenharia Mecânica
  • Engenharia Mecatrônica
  • Engenharia Automobilística
  • Engenharia de Controle e Automação
  • Engenharia de Materiais
  • Engenharia Elétrica
  • Engenharia Eletrônica
  • Design/Desenho Industrial
  • Publicidade e Propaganda/Comunicação Social
  • Secretariado.

Os candidatos devem cursar o ensino superior ou técnico, com formação prevista para dezembro de 2022. É desejável ter conhecimento de inglês, além de Pacote Office.

Os benefícios do Programa de Estágio 2021 da montadora alemã no Brasil são: bolsa-auxílio, transporte fretado gratuito, ambulatório médico, almoço parcialmente subsidiado, desconto na compra de veículos e gratuidade no estacionamento.

A seleção será 100% online, iniciando com prova de inglês, prova de raciocínio lógico e Fit Cultural (alinhamento dos valores do candidato à cultura da empresa). Em seguida, os candidatos serão encaminhados para dinâmicas e entrevistas.

Como se inscrever no Programa de Estágio 2021 da Volkswagen do Brasil?

As inscrições para o Programa de Estágio 2021 da Volkswagen do Brasil irão até 28 de fevereiro neste link do CIEE. O estágio iniciará a partir de abril, para os aprovados.

Mais Vagas no Grande ABC

Gostou de “Programa de Estágio 2021 da Volkswagen”?

Programa de Estágio 2021 da Volkswagen

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

SP cria 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista

Espaço poderá ser usado para trabalhos de cultura maker, robótica, modelagem 3D, entre outras atividades ‘mão na massa’

O vice-governador Rodrigo Garcia e o Secretário da Educação Rossieli Soares inauguraram nesta quarta-feira (18) o 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista (CIEBP). O espaço funciona no prédio da Escola Estadual Professora Zuleika de Barros Martins Ferreira, na Pompéia, zona Oeste, mas atenderá toda a rede estadual de São Paulo.

A coordenação do CIEBP é de Débora Garofalo que no ano passado foi considerada uma das dez melhores professoras do mundo, no Global Teacher Prize.

“Conforme as escolas têm projetos prontos, os alunos poderão prototipar aqui, fazer a impressão 3D e utilizar outros equipamentos ou, ainda, participar de projetos específicos no contraturno. Teremos capacidade de atender até 1.200 pessoas por dia, circulando em vários turnos”, afirma o Secretário Rossieli Soares.

No CIEBP os alunos poderão idealizar projetos e receber mentoria no hub de inovação; trabalhar com cultura maker, programação e robótica; ou ainda, utilizar a modelagem 3D para fazer protótipos com temas transversais. Para utilizar o local, as escolas terão de agendar.

O objetivo do equipamento é desenvolver o protagonismo dos estudantes no processo de ensino e aprendizagem com atividades “mão na massa”, além de ressignificar os espaços ociosos em escolas.

O CIEBP também integra a tríade de inovação da Seduc, que tem como premissa os novos componentes do programa Inova Educação como Tecnologia e Inovação; cultural, com o Movimento Inova, e de experimentação, com o Centro de Inovação.

“O CIEBP é uma importante ferramenta de inovação para professores e estudantes da rede estadual de ensino de São Paulo, por permitir que no espaço de aula e ou contraturno os estudantes e professores possam potencializar os seus projetos e experimentar novas modalidades e ferramentas de inovação em um formato inédito a educação por termos salas multifuncionais e um hub de inovação propondo soluções a educação”, diz Débora Garofalo.

Infraestrutura

O CIEBP conta com seis salas para atividades com uso de computadores, programação robótica, jogos digitais, pesquisa, ideação de projetos. Também abriga um pequeno estúdio do Centro de Mídias de São Paulo (CMSP) de gravação, locução, sala maker de criatividade visual, prototipagem, fabricação digital, além de um Hub Educacional.

Nove professores formados e preparados por grandes parceiros da área Faz Educação, representante da Apple, Microsoft, Telefonica Vivo farão a mediação dos trabalhos.

Entre os parceiros investidores estão a Microsoft Games, Faz Educação e Tecnologia & Apple, Instituto Palavra Aberta, Fundação Vanzolini, Big Brain Education, Grupo Mais Unidos, Ramadam Engenharia e Empreendimentos, FP Projetos e Empreendimentos, Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, Microbit e Instituto Telefonica Vivo.

MEC pretende elaborar Matriz Nacional Comum de Competências

O documento vai servir para orientar as redes de ensino a empreender perfis adequados para atuar na gestão escolar

Com objetivo de elaborar uma Matriz Nacional Comum de Competências do Diretor Escolar, que vai servir para orientar as redes de ensino a empreender perfis adequados para atuar na gestão escolar, a Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação (MEC) está organizando reuniões técnicas para conversar com as pessoas diretamente envolvidas na gestão escolar nos estados e municípios. As entidades que representam as redes de ensino dos entes subnacionais, que são o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), foram solicitadas a indicar pessoas para participarem das reuniões técnicas de revisão do texto preliminar da Matriz.

O pedido foi de vinte diretores de escolas, sendo quatro diretores de cada uma das regiões do país; e vinte representantes dos secretários de educação, sendo quatro secretários de cada uma das regiões do país. O documento será elaborado de acordo com as normas educacionais nacionais vigentes e ainda contribuirá com os sistemas de ensino para o estabelecimento de processo que leve em conta critérios técnicos de mérito e desempenho na seleção de diretores escolares, conforme prevê o Plano Nacional de Ensino em sua Meta 19.

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Dia Nacional da Alfabetização: poucos avanços na área

Segundo especialistas, o País está longe de alcançar meta de erradicação do analfabetismo em 2024

Neste próximo sábado (14), o Brasil celebra o Dia Nacional da Alfabetização, data comemorada há mais de 50 anos com o objetivo de difundir a importância da leitura e da escrita. Um dia que deveria ser celebrado mas ainda mostra números relevantes de brasileiros analfabetos. Segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Educação, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 11 milhões de cidadãos com 15 anos ou mais ainda não sabem ler e escrever. Entre 2018 e 2019, a taxa de analfabetismo teve uma leve melhora, passando de 6,8% para 6,6%.

Emocionada, Rita Romão de Brito, 54 anos, moradora do Riacho Fundo 2, região administrativa do Distrito Federal, lamenta o fato de não saber ler e escrever. O que mais incomoda a dona de casa é ter que depender de outras pessoas em situações simples, como obter informações no banco. 

“É difícil tenho que depender dos outros. Existe muita maldade. Algumas pessoas te passam para trás. Eu por exemplo, em certas situações, faço a mesma pergunta para mais de uma pessoa”, lamenta. 

Aproximadamente 12 quilômetros de onde vive dona Rita, em Taguatinga, Maria Clara Falcão, 6 anos, vive uma realidade bem diferente. A pequena foi alfabetizada com 5 anos e tomou gosto pela leitura. “Quando aprendi a ler comecei com gibis e outras histórias e fiquei super feliz. É muito legal na escola! Gosto muito de desenhar também!”

Mas, infelizmente, essa não é a realidade de muitos brasileiros e assim como Rita muitas pessoas são analfabetas. Fazendo um recorte por regiões, é possível constatar uma enorme disparidade entre as taxas de analfabetismo em pessoas acima de 15 anos. Nas regiões Sul e no Sudeste, o índice é de 3,3%, o Centro-Oeste aparece em seguida com uma taxa de 4,9% e a região Norte, 7,6%. Já na região Nordeste o percentual é de 13,9%. 

Dia Nacional da Alfabetização

Entre os brasileiros com 60 anos ou mais, os índices de analfabetismo são ainda maiores, alcançando 9,5% na Região Sul; 9,7% no Sudeste; 16,6% no Centro-Oeste; 25,5% no Norte; e 37,2% no Nordeste.

A questão racial também tem grande impacto entre as pessoas que não sabem ler ou escrever.  Enquanto a taxa de analfabetismo entre brasileiros da cor branca com 15 anos ou mais é de 3,6%, na população preta ou parda o índice alcança 8,9%, de acordo com o IBGE.

Segundo o especialista em Educação, Afonso Galvão, a situação da Educação Básica no País ainda é precária. Ele afirma que é preciso um enfrentamento maior contra o analfabetismo. “Não sei se há muito o que comemorar. O que esses dados mostram é uma situação da Educação Básica que ainda é precária em termos de qualidade e que, quantitativamente, não atende a maior parte da população”, explica Galvão.

Meta

Em 2014, foi aprovado o Plano Nacional de Educação (PNE), que tem entre as metas erradicar o analfabetismo a pessoas de 15 anos ou mais até 2024. A iniciativa também tem o objetivo de reduzir à metade a taxa do analfabetismo funcional. 

O presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Luiz Miguel Martins Garcia, defende ações mais integradas do Governo Federal com estados e municípios. Segundo ele, no ritmo em que o problema vem sendo enfrentado, pode demorar mais de um século para que o analfabetismo seja erradicado no Brasil.

“O recuo de 0,2% [entre 2018 e 2019] é um sinalizador que mostra que o País não vai conseguir vencer o analfabetismo mesmo daqui a 100 anos.”

Analfabetismo funcional

Outro gargalo a ser enfrentado pelo poder público brasileiro é reduzir o número de analfabetos funcionais. Segundo o Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf), divulgado em 2018, pesquisa idealizada pelo Instituto Paulo Montenegro e pela ONG Ação Educativa, com apoio do Ibope Inteligência, 30% dos brasileiros integravam esse grupo. São considerados analfabetos funcionais, por exemplo, pessoas com dificuldades em interpretar textos simples ou resolver problemas matemáticos cotidianos. 

Outro lado

A reportagem do portal Brasil61.com entrou em contato com o Ministério da Educação para obter informações sobre investimentos e medidas que estão sendo tomadas para combate ao analfabetismo, porém não obteve resposta.

Fonte: Brasil 61

MEC oferece cursos em técnicas de ensino à distância

No momento, foram disponibilizadas três capacitações: “Como Preparar Videoaulas”, “Mediação em Ensino à Distância” e “Desenho Didático para Ensino Online”

Com a pandemia do novo coronavírus, uma das mudanças mais relevantes que ocorreu no Brasil foi a adoção de aulas remotas para estudantes matriculados nas escolas públicas e privadas. Por esse motivo, o Ministério da Educação (MEC) oferece capacitação para professores que tiverem interesse aprender a elaborar videoaulas e as técnicas de ensino à distância. O conteúdo é ofertado de maneira gratuita.

No momento, foram disponibilizadas três capacitações: “Como Preparar Videoaulas”, “Mediação em Ensino à Distância” e “Desenho Didático para Ensino Online”. A ideia é que em fevereiro do próximo ano outros dois cursos ofertados: “Multimeios em Educação” e “Psicologia na Educação”.

O intuito dessa capacitação é preparar os atuais e futuros professores da educação básica a utilizarem as ferramentas online em sala de aula e dentro de novos ambientes virtuais de ensino e aprendizagem. Para participar do curso basta se inscrever no site eskadauema.com. As inscrições poderão ser feitas até o dia 13 de novembro.

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 1.368 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Especialistas avaliam que 2020 não foi um ano perdido

Volta às aulas em formato presencial é um momento bastante aguardado pela população brasileira

Durante a pandemia causada pela Covid-19, em que as pessoas precisaram se recolher dentro de casa, um triste cenário se repetiu por todo o país: portões das escolas fechados e alunos distantes das salas de aulas. E não foi apenas uma cena para se gravar na memória, mas um fato que marcou profundamente a história do ensino no Brasil, com consequências que podem demorar alguns anos para serem revertidas.

Por isso, a volta às aulas em formato presencial é um momento bastante aguardado pela população brasileira. Há alguns meses, o Governo Federal, entidades de educação, secretárias estaduais e municipais debatem o assunto para definir a melhor forma de realizar essa retomada às aulas.

Um exemplo de medida adota em favor desse retorno, foi o investimento feito pelo Ministério da Educação para as escolas públicas por todo o país com um valor total de R$ 454 milhões para aquisição de materiais e insumos necessários para prevenir a transmissão da Covid-19 entre estudantes e profissionais da rede básica.

Para Cecilia Motta, que é secretária de Educação do Mato Grosso do Sul e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), ainda há muitos debates e ações a serem desempenhados para que a educação no Brasil possa se reestruturar, uma vez que a pandemia da Covid-19 alargou as desigualdades entre a qualidade de ensino e oportunidade entre os estudantes.

“A diversidade já existe, a pandemia só escancarou isso. Quem não teve tecnologia para estudar, na verdade é porque já não tinha antes mesmo, tinha menos condições. Quer dizer que a desigualdade social, que já existia, aumentou nesse momento. Mas eu gostaria de destacar o esforço dos professores, diretores e coordenadores que nos surpreenderam com sua criatividade e sua garra, fazendo com que o aluno perdesse o mínimo possível, fazendo com que os impactos [da pandemia] fossem o menor possível”, destacou Motta.

Mesmo considerando que os impactos da pandemia de Covid-19 no ensino brasileiro possam perdurar por alguns anos, a reinvenção na forma de ensinar fez com que 2020 não fosse um ano perdido para os mais de 36 milhões de alunos espalhados por quase 117 mil escolas pelo país. E é isso o que afirma o coordenador de projeto do Todos Pela Educação, Ivan Gontijo.

“A gente teve uma mobilização muito grande das secretarias [de educação], dos professores, dos diretores, dos estudantes para a educação não parar, para a gente conseguir migrar para o ensino remoto. Lógico, o ensino remoto não chegou para todo mundo, mas eu acho que a educação não parou. Então, eu não diria que esse foi um ano perdido, mas foi o ano mais difícil da história da educação básica. A questão é que dizer que não foi o ano perdido não significa a gente não reconhecer todos os impactos que esse ano teve”, afirmou Gontijo.

O Todos pela Educação é uma organização sem fins lucrativos suprapartidária e independente, composta por diversos setores da sociedade brasileira com o objetivo de assegurar o direito à educação básica de qualidade para todos os cidadãos até 2022 – ano que se comemora o bicentenário da independência do Brasil.

Já o Conselho Nacional de Secretários de Educação é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, que reúne as Secretarias de Educação dos Estados e do Distrito Federal. Seu objetivo é promover a integração das redes estaduais de educação e intensificar a participação dos estados nos processos decisórios das políticas nacionais, além de promover o regime de colaboração entre as unidades federativas para o desenvolvimento da escola pública.

Fonte: Brasil 61

Recordações dos Grandes Mestres

Infância me lembro com riquezas de detalhes, momentos incríveis e outros nem tanto.
Tive grandes Mestres.
Em primeiro lugar Dona Eneida, minha Mãe… Bravíssima, Leoa, sempre protegendo, cuidando, me enchendo de “esporros” , agradeço todos os puxões de orelhas, pelos elogios raramente recebidos, o lema dela , “não pode elogiar muito, senão estraga” .
Muita garra , força e determinação, sua busca para que eu sempre fizesse o meu melhor, nunca estava bom, sempre poderia melhorar, sua insistência me moldou, graças a ela, posso me lapidar dia a dia, dona de uma rigidez exagerada, quando na verdade na medida certa! Reconheço seu comportamento, era extremamente necessário, obrigada.

Guardo boas lembranças
(Usarei somente as iniciais)
Primeiras professoras (Tia Ju e Tia Lu).
Como dizia Tia Ju, “dona de perguntas desconcertantes”.

Tenho uma certa admiração por educadores, o que seríamos sem eles?!?
No ginásio, tive o prazer de conhecer as professoras: AM Maia (História) metodologia incrível era possível visualizar as cenas do passado e ThSilva (Língua Portuguesa), carinhosamente conhecida por Thsinha , sem palavras, grande amiga, mãezona.

Segundo grau, nooossa, tudo novo, adolescência, fase cri cri, rsrs
O time aumentou, falecido professor AL (Língua Portuguesa) e seu trocadilho marcante “Uns tem Fé demais, outros Fé de menos”
MS (História) bela calegrafia, sua aula era um longo bate papo.
MM (Matemática), sério toda vida, controlava o riso pra não criar intimidade com os alunos, ele era bravo.
TBC (Física), não lembro nada, rsrs, mas ele tinha um domínio aplausivo da disciplina.
RD (Eletricidade), que pessoa!, professor de curso de Kumon, raciocínio lógico que nunca compreendi, tentei, ele estimulava isso, suas explicações eram tão claras, estava sempre disposto a ajudar.
ZM (Eletrônica e afins), sem comentários, grande admiração, ele não era carrasco, era na dele , sempre fazia as mesmas perguntas:
-“Estou aqui porque?? -Vocês fazem curso de corte e costura?!?”
Acho que ele sentia prazer na resposta em coro: Nãooooo.

  • Vocês estão aqui pq?!?
    Em coro novamente: -Eletrônica!!!
    JA (Desenho de circuito), torcedor do América, rsrs , muito brincalhão, sempre dizia:
    -“Vou cumprimentar os seres superiores da turma, meninas, agora falarei com os seres inferiores, meninos.” Seu comentário, era sempre motivo de riso.

Não posso esquecer da coordenadora ANL (mãe loira), me “chamava na chincha” dia sim, outro também , por fim ela cansou da minha presença (duvidoooo), havia outras demandas, não podendo me dar atenção, me encaminhou para o Serviço de Orientação Educacional (SOE), nunca vi um lugar tão agradável, fazia teste vocacional, refletia, filosofava com a pedagoga LS, virei freguesa, rsrs
Época boa…

Mais à frente, tive o prazer de conhecer MC (Filosofia) ele falava tanto, a disciplina exigia e eu ficava muito perdida, me mandou pra P3 por 0,5, quando questionei, um trabalhinho, meio pontinho, duramente me respondeu: “-Sei que és capaz, vc anota tudo, leia seu resumo que vc se sairá bem!!”
Senti uma raiva sem igual, muito bolada, me preparei, fiz a prova, qdo saiu o resultado, ele me olhou e disse: “- Sempre soube que vc conseguiria!”

Ah professora ZD, (Psicologia da Educação), dona de um gestual incrível, excelente referência afrodescendente, seus vestidos afros e seus turbantes magníficos, contava muitos “causos” que justificavam as travessuras das crianças e sua incrível terapia do abraço!!!
Suas aulas eram descontraídas e relaxantes.

Vamos aproveitar esse momento e o espaço, convido nossas amigas leitoras a deixarem seu recado para aquele educador(a) que marcou sua vida.
Carinhosamente, ॐ∞

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ESTÁ PROVOCANDO MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS NO AMBIENTE DE TRABALHO

Com ou sem pandemia, cursos de graduação já deveriam preparar os alunos para um mercado totalmente diferente do atual.

O isolamento social, adotado por muitos países para amenizar os impactos da pandemia de coronavírus, fez com que muitos modelos de negócios migrassem totalmente para o ambiente online, além de alavancar o home office.

Apesar de sentirmos o impacto dessas transformações repentinas, a mudança não surpreende, já que muitos desenvolvimentos ou inovações digitais dependiam do desapego de métodos e ações antigas, com as quais as pessoas já estavam acostumadas e representavam suas zonas de conforto. Durante a quarentena, essas pessoas tiveram que quebrar suas resistências e passaram a conviver mais de perto com muitas novas tecnologias digitais.

Algumas dessas novas experiências, inclusive, não irão ser simplesmente descartadas ao final do período de isolamento, pois já representarão uma quebra de paradigma nos métodos antiquados e se mostraram mais eficientes e confiáveis.

Reuniões virtuais, trabalho em home office e compras online ganharam novos status e diferentes dimensões. Empresas que não digitalizarem rapidamente seus negócios, e que resistiram a essa mudança até agora, devem sofrer nos próximos anos com fortes concorrências diversas do mundo online.

E, embora haja a expectativa de curto prazo de que os países se fechem e priorizem o mercado interno logo após a pandemia, as empresas que irão sobreviver serão aquelas que investirem em digitalização e que voltarem a serem globalizadas rapidamente. Não existe mais mercado forte sem considerar o mundo inteiro. Quanto mais tempo um mercado ficar fechado em si próprio, mais ultrapassado vai se tornar.

Os alunos das universidades, independentemente de seus cursos de graduação, já deveriam se preparar para um mercado de trabalho diferente, com ou sem pandemia. O mercado de trabalho foi impactado pelo isolamento, mas ainda vai sofrer mudanças significativas com a entrada cada vez mais contundente da Inteligência Artificial, Robótica, Computação Quântica, nanotecnologia e outras inovações na sociedade e nos meios produtivos.

Deste modo, uma Instituição de ensino preparada para o futuro é aquela que possui uma estrutura dinâmica, fluida, amorfa, que consiga se movimentar junto com o mercado, que permita aos seus alunos desenvolverem suas competências na prática, resolvendo problemas reais e modernos, e com uma visão voltada às megatendências do futuro da sociedade e do mundo.

Prof. Dr. Flavio Tonidadel
Vice-reitor de Extensão e Atividades Comunitárias
Centro Universitário FEI

Fonte: FEI

Alunos de Pedagogia produzem videoaula sobre a cultura indígena

Material foi elaborado em atividades voltadas ao Projeto Integrador; tema é direcionado ao 5º ano do Ensino Fundamental

Os futuros pedagogos Aline Fornaziere, Ester de Carvalho, Giovanna Taglianetti, Hosana do Nascimento, Maria Alice Caporicci, Rosiane Ferreira e Sérgio Wefer, do polo UNICEU Alvarenga, na capital, da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), trabalharam no Projeto Integrador (PI) do segundo semestre de 2019 um tema relevante no resgate da cultura: os povos indígenas.

Com a tutoria de José Luiz Pereira, o grupo apresentou a proposta “Cultura Indígena: desenvolvendo a percepção de espaço e tempo, por meio de videoaula com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental”.

A iniciativa surgiu após os alunos receberem a tarefa de aprimorar o ensino de História e Geografia nos anos iniciais de aprendizado. Após pesquisas e atividades com estudantes de três escolas municipais da zona sul de São Paulo, eles identificaram pouco conhecimento sobre a comunidade indígena e a influência dela na sociedade.

“Concluímos que as crianças precisam ser inseridas no universo da cultura indígena de forma mais profunda. É necessário que conheçam esses povos, mas, acima de tudo, aprendam a valorizar e respeitar sua história, visto que umas das finalidades da escola é formar para a cidadania”, afirmou o grupo no relatório final do PI.

Ferramentas audiovisuais

Para atingir de forma mais eficiente o público-alvo do projeto, a equipe produziu a videoaula “Indígenas do Brasil, ontem, hoje e amanhã: uma viagem no tempo”. De acordo com a turma, os pequenos estudantes são nascidos na era digital e o uso de ferramentas audiovisuais facilita o aprendizado. “Com a comunicação digital, a escola pode se apropriar de novos meios para promover aprendizagem e compartilhar conteúdos”, escreveram os alunos.

Segundo o relatório final do PI, a atividade gerou retorno positivo das professoras das escolas municipais. “Elas identificaram no trabalho potencial para refletir sobre as questões relacionadas ao espaço e tempo, oportunidade para aprofundar os conhecimentos sobre a temática indígena, além da possibilidade de utilizar um material didático de alta aceitação pelos alunos”, citaram os estudantes no documento.

Conheça as melhores escolas municipais de São Bernardo

O Ministério da Educação divulgou nesta terça-feira (15) os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) correspondentes ao ano de 2019, incluindo o desempenho das escolas municipais de São Bernardo do Campo, ou seja, daquelas que abrigam estudantes do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental.

Em uma escala que vai de zero a 10, o IDEB é um índice calculado, a cada dois anos, a partir de dois componentes: taxa de rendimento escolar (aprovação) e médias de desempenho nos exames padronizados e aplicados pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar. As médias de desempenho utilizadas são as da Prova Brasil (para IDEB de escolas e municípios) e do SAEB (no caso do IDEB dos estados e nacional).

Apesar dos inúmeros problemas existentes na educação básica, o Brasil alcançou o índice de 5,8, atingindo a meta proposta para os primeiros anos do ensino fundamental, sendo este o melhor nível desde que o indicador foi criado, em 2007.


DESEMPENHO DE SÃO BERNARDO

São Bernardo ficou acima da média nacional, com IDEB de 6,9, mantendo o mesmo índice individual alcançado no último levantamento, realizado em 2017.

Especialistas alertam que, apesar de ser possível realizar uma comparação de desempenho entre as escolas, vale lembrar que cada uma possui suas próprias metas ou é influenciada por diferentes condições, como localização, investimentos realizados e participação da comunidade.

Nas tabelas abaixo, extraídas a partir dos dados do Ministério da Educação, as escolas municipais de São Bernardo aparecem por ordem de IDEB e, na sequência, por ordem alfabética para facilitar a localização.

As colunas trazem os índices dos últimos três levantamentos (2015, 2017 e 2019). Os resultados destacados em verde mostram que a escola atingiu a meta proposta naquele ano.


ESCOLAS MUNICIPAIS – POR ORDEM DE IDEB


ESCOLAS MUNICIPAIS – ORDEM ALFABÉTICA

Legenda:
* Número de participantes no SAEB insuficiente para que os resultados sejam divulgados;
** Sem média no SAEB: Não participou ou não atendeu os requisitos necessários para ter o desempenho calculado;
*** Solicitação de não divulgação conforme Portaria Inep.

Fonte: SÃOBERNARDO.INFO

Instituto Mauá oferece 59 Bolsas de Estudos no Vestibular 2021

Foi dada a largada para o Processo Seletivo 2021 (maua.br/vestibular) e as informações que trazemos hoje de Bolsas de Estudo e Crédito Educativo próprio são muito valiosas a você, vestibulando(a)!

Antes de iniciarmos, é legal enfatizar que:

  1. A Mauá é uma instituição sem fins lucrativos que oferece ao seu aluno todo o apoio e recursos necessários para o seu desenvolvimento;
  2. Todo o valor investido tem retorno garantido, fazendo de sua vida acadêmica um “portal” para o sucesso profissional!

Prestes a completar 60 anos, a Mauá lançou uma série de vídeos para lhe apresentar 60 Razões de se tornar um(a) membro de nossa comunidade. Clique aqui e assista agora!

Além disso, oferecerá 59 bolsas de estudo integrais aos melhores no Vestibular! Clique aqui e consulte o regulamento
Destas, 48 serão oferecidas para quem realizar a prova on-line; 10 para ingresso com a nota do ENEM; 1 para quem optar pelo ingresso por meio da Certificação Internacional.

Sem mais delongas, vamos às demais opções que darão a você um suporte financeiro para os estudos aqui na Mauá!

CRÉDITO EDUCATIVO PRÓPRIO

O crédito educativo pode ser solicitado por alunos de todos os cursos da Mauá e o contrato é renovável a cada ano, exigindo a indicação de um fiador. Para financiamento de até 50% da mensalidade, o crédito é concedido diretamente pelo Fundo Mauá de Bolsas, já valores acima dessa porcentagem devem ser aprovados pela Superintendência Executiva da Mauá. O valor a ser devolvido não possui juros e é calculado com base na mensalidade na data da restituição.
O pagamento começa até um ano após a formatura do aluno e é feito em números de parcelas e porcentagem da mensalidade iguais aos do crédito utilizado.

BOLSA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO CAETANO DO SUL

Junto com a Prefeitura, a Mauá concede aos alunos de Engenharia, Administração e Design, que vivem em São Caetano do Sul, bolsas de estudo no valor global correspondente a 2% do número de alunos do Instituto. A seleção dos alunos que recebem a bolsa e a porcentagem do valor da bolsa é feita pela própria Prefeitura de São Caetano do Sul.

BOLSA IRMÃOS / CÔNJUGES / PAI E FILHO / EX-ALUNOS

Os alunos que possuem pais, conjugues ou irmãos cursando algum dos cursos do Instituto Mauá de Tecnologia, podem solicitar o desconto de 10% para cada aluno, desde que ambos estejam cursando simultaneamente. A bolsa pode ser solicitada no momento da matrícula.

OPÇÕES DISPONÍVEIS A PARTIR DO SEGUNDO ANO

BOLSA MELHOR ALUNO

O melhor aluno de cada série é premiado com uma bolsa de estudos de 100%. O benefício é concedido a partir da segunda série a todos os cursos oferecidos pelo CEUN.

BOLSA ALUNO MONITOR

O aluno pode solicitar a monitoria a partir do seu segundo ano de curso e deve dedicar 20 horas semanais à monitoria. O valor da bolsa para alunos monitores é de R$876,00 por mês e tem o valor corrigido anualmente pelo índice utilizado para reajuste das mensalidades escolares.

BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – IMT

Concedida aos alunos que desejam desenvolver uma pesquisa de seu interesse, a bolsa tem a duração de 10 meses (março a dezembro) e pode ser solicitada a partir da segundo ano do curso. O valor e critérios de reajuste são os mesmos da Bolsa Aluno Monitor. Se você ficou interessado nessa modalidade de bolsa, envie um e-mail para iniciacaocientifica@maua.com.

BOLSA PARA PARTICIPANTE DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (CNPQ)

Concedida aos alunos que participam de algum projeto ou pesquisa de professores do Instituto Mauá, a bolsa pode ser solicitada por alunos que não estejam trabalhando ou realizando estágios. A bolsa tem duração de 12 meses (julho a agosto) e o valor é de R$ 400,00. Os alunos interessados devem entrar em contato com o professor responsável pelo curso para conferir a disponibilidade de vagas nos projetos.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O VESTIBULAR MAUÁ 2021!

Com 1.210 vagas divididas entre os cursos de Administração, Design e Engenharia (Alimentos, Civil, Computação, Controle de Automação, Elétrica, Eletrônica, Mecânica, Produção e Química), todas para o campus de São Caetano do Sul, a Mauá oferecerá, ainda, 59 (cinquenta e nove) bolsas de estudo integrais para os candidatos que atingirem os melhores resultados no processo seletivo 2021, conforme Edital específico com o regulamento sobre o Programa de Excelência Acadêmica.

Fonte: sejabixo!

NOVOTEC EXPRESSO abre inscrições

Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Estão abertas as inscrições de 09 a 23 de setembro pelo site: www.novotec.sp.gov.br para os cursos do Novotec Expresso.Quem pode se inscrever?Estudantes de Escolas Públicas:- do Ensino Médio;- da EJA;- Concluintes até dois anos.*Duração de 03 meses;*Aulas on-line + Encontros presenciais;*Curso Gratuito e com Certificado;*Previsão de início das aulas em 05/10 e término em 18/12.Confira nossos Cursos!- Recepção e Atendimento ao Cliente- Comunicação e Projeto de Vida para o Mercado de Trabalho (com Instituto Proa)- Princípios do Empreendedorismo- Excel Básico- Informática Básica

Fonte: ETEC de Rio Grande da Serra