Indústria de Ribeirão Pires contratando, saiba mais.

Indústria de Ribeirão Pires está contratando, para vagas para Operador de CNC Júnior, Operador de CNC Pleno e Mecânico de Manutenção. Salários entre R$ 1.766,00 e R$ 3.500,00. Currículos podem ser enviados para [email protected], contato com Thais Flores (11 93331-3950)

Canal de divulgação de vagas no Whatsapp

Canal de divulgação de vagas no Telegram

Relação de Vagas

Operador de CNC Júnior
Salário $ 1.766,00 + benefícios
Horário de trabalho comercial
Local de Trabalho- Ribeirão Pires
Industria Metalúrgica
Interessados encaminhar currículo no [email protected]
11 93331-3950 Thais Flores

Operador de CNC Pleno
Salário $ 2.289,00 + benefícios
Disponibilidade para turnos
Curso de programação de CNC – Comando Fanuc e Siemens
Industria Metalúrgica
Vaga efetiva – Urgente
Interessados encaminhar currículo no [email protected] ou mandar no whatsapp 11 93331-3950 Thais Flores.

Mecânico de Manutenção

Com experiência em montagem de máquinas operatrizes.

Local de trabalho: Ribeirao Pires
Salário $ até 3.500,00 + benefícios
Não é necessário viajar.

Vaga efetiva
Imprescindível curso técnico na área
Vaga Urgente

Interessados encaminhar currículo no [email protected] ou no telefone 11 93331-3950 Thais Flores

Mais Vagas no Grande ABC

Gostou “Indústria de Ribeirão Pires contratando”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email.

Indústria de Ribeirão Pires contratando
Photo by Chevanon Photography on Pexels.com

Ford anuncia encerramento da produção de veículos no Brasil

Decisão é imediata; Ford anuncia encerramento da produção

A montadora Ford anunciou, nesta segunda-feira, que vai encerrar as atividades de manufatura de veículos no Brasil. A empresa pretende manter no país apenas a sede administrativa da empresa na América do Sul, o Centro de Desenvolvimento de Produto e o Campo de Provas.

Atualmente, a Ford mantém três fábricas no país – localizadas em Camaçari, na Bahia; em Taubaté, São Paulo; e a fábrica da Troller em Horizonte, no Ceará. As plantas industriais de Camaçari e Taubaté vão ser desligadas imediatamente, enquanto a fábrica da Troller vai continuar operando até o quarto trimestre deste ano. As informações foram divulgadas em uma nota oficial publicada no site da empresa.

Segundo a nota, o motivo do encerramento da produção de automóveis da Ford no Brasil são as consequências da pandemia de Covid-19 – que, de acordo com a montadora, ampliou a capacidade ociosa da indústria e reduziu o volume de vendas.

Na nota, o presidente da Ford, Jim Farley, disse que “essas são ações muito difíceis, mas necessárias para a criação de um negócio saudável e sustentável”, nas palavras dele.

O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos, Paulo Aparecido Silva Cayres, ressaltou que a Ford, uma empresa rica e multinacional, não precisava tomar uma decisão tão trágica para milhares de trabalhadores em meio à pandemia de Covid-19.

“Não dá pra entender essa estratégia da Ford quando ela sai de um mercado como o brasileiro, que é um mercado gigantesco. Era o mínimo, se esperar, dar uma chance pras pessoas. Porque essas pessoas, em plena pandemia, serem jogadas na rua, e ainda com o fim do auxílio emergencial, aí você imagina o que que vai assolar esses trabalhadores. Além do desemprego, a fome tá rondando aí. Pelo amor de Deus, é super trágico esse momento. Isso aí vai envolver a demissão de milhares de pais de família”.

Após o anúncio da Ford, a Confederação Nacional da Indústria publicou uma nota em que afirma que o fechamento das fábricas da montadora é um “sinal de alerta” sobre a necessidade de se aprovar medidas para a redução do “Custo Brasil”, em especial a reforma tributária.

A Ford anunciou, ainda, que os modelos nacionais fabricados pela empresa vão ter as vendas interrompidas assim que terminarem os estoques. A empresa garante, no entanto, que todos os clientes vão ter a assistência técnica e a manutenção dos veículos garantida.

“Ford anuncia encerramento da produção de veículos no Brasil” é com informações de Agência Brasil

Gostou da matéria “Ford anuncia encerramento da produção de veículos no Brasil”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Leia mais sobre Economia e Trabalho.

Ford anuncia encerramento da produção de veículos no Brasil
Photo by Julissa Helmuth on Pexels.com

Toyota divulga seu plano de ações ambientais no Brasil até 2025

Objetivo é engajar toda a cadeia de valor da empresa em busca de um novo ciclo de desenvolvimento sustentável

A Toyota do Brasil divulgou o seu sétimo Plano de Ação Ambiental, conjunto de compromissos e desafios que visam reduzir o consumo de água e a emissão de resíduos e de emissões, com o início previsto para 2021. A cada cinco anos, a montadora organiza ciclos de metas ambientais por meio dos planos de ação, e a sexta edição – que termina em dezembro deste ano – trouxe, segundo a empresa, uma série de aprendizados e de melhorias que estão refletidas na nova edição.

O primeiro desafio do sétimo Plano de Ação Ambiental é reduzir a emissão de CO2 pelos veículos comercializados pela marca, e para isso, a ideia é ampliar a venda de modelos eletrificados no País e chegar a cerca de 166 mil automóveis híbridos comercializados até 2025. De acordo com a empresa, o aumento desse tipo de veículo vai ajudar a reduzir até 83 mil toneladas de CO2 na atmosfera.

No segundo desafio, a Toyota se compromete a atuar no engajamento de toda a sua cadeia de valor pela sustentabilidade. Hoje, a empresa trabalha para desenvolver novos métodos e ferramentas de avaliação para medir os impactos de concessionárias, fornecedores e demais parceiros. Com esses dados, a ideia é analisar e estabelecer metas para todos os envolvidos a partir do próximo ano.

Reduzir a emissão total de CO2 na produção de automóveis é a meta do terceiro desafio. O cálculo será feito comparando os dados de 2013 até 2025 e, para isso, uma das estratégias é incrementar o uso de eletricidade obtida de fontes 100% renováveis nas quatro fábricas da Toyota no Brasil (São Bernardo do Campo, Indaiatuba, Sorocaba e Porto Feliz).

REDUZIR O CONSUMO DE ÁGUA E RECICLAR

Diminuir o consumo de água é o tema central do quarto desafio, cuja meta é reduzir em 35% a utilização do líquido em cada automóvel produzido, passando dos atuais 2,12 m³ para 1,38m³ até 2025. Já a reciclagem é o tema do quinto desafio do Plano, e para incentivar isso, a Toyota se compromete a entregar um projeto de desmontagem funcional de veículos até 2025, além de trabalhar para reduzir o desperdício de material em até 25%.

Por fim, o sexto desafio do Plano de Ações ambientais é criar uma sociedade em harmonia com a natureza, e para isso, a Toyota prevê estreitar seu relacionamento com as comunidades através de projetos sociais que contribuam com o engajamento e o ensino de práticas socialmente responsáveis.

“Compartilhamos tudo aquilo que consideramos bom para nós com nossa cadeia de valor; queremos buscar a sustentabilidade juntos, buscaremos soluções conjuntas para os dilemas complexos que vivemos”, disse Viviane Mansi, diretora regional de comunicação e sustentabilidade da Toyota.

Toda a crise é uma grande oportunidade de inovação

Na língua chinesa “crise”, é a combinação de dois símbolos. Um significa “perigo” e o outro “oportunidade”. Toda crise traz incerteza, instabilidade, medo, fraqueza na economia, mas também proporciona novas oportunidades de inovação e de negócios.

Não existe oportunidade de inovação e ganhos sem o risco e muitos dos nossos empresários e empreendedores sabem muito bem disso. Em momentos de crises muitos empresários perdem o sono com questões como vou manter a minha empresa funcionando, inovar com recursos escassos?

Estamos vivenciando a pandemia mundial do Covid19 e que acabou de se instalar no Brasil. Hoje estamos de quarentena por orientação dos órgãos de saúde responsáveis, e muita gente em casa. Na economia só algumas atividades estão funcionando normalmente, aquelas que estão na linha de frente de combate a pandemia, as demais pararam ou estão funcionando parcialmente.

O que notamos é que existe os dois lados da moeda os empresários desesperados, o que não está errado e os empresários que estão aproveitando a oportunidade gerada pela crise. Algumas atividades que já existiam passaram a ter uma procura maior como delivery, produtos de higiene, produtos hospitalares, varejo alimentício, medicamentos e outros.

Empresas que não atuam no segmento de saúde, como empresas de perfumes estão produzindo álcool gel, empresa da indústria automobilística está produzindo aparelhos de ventilação mecânica para UTIs. Além de estarem contribuindo para atender a saúde com suas doações, com certeza enxergaram novas oportunidades.

No olho do furacão das oportunidades, estão as empresas de tecnologia com as suas inovações, atendendo as demandas de muitas empresas que precisam para se manter funcionando, relaciono algumas delas:

1-Trabalho home office, disponibilizar infraestrutura de hardware e software

2-Vendas online, está superaquecido, um grande número de empresas está migrando para esta modalidade, para recuperar as suas vendas

3-Reuniões a distância, são disponibilizadas plataformas de vídeo conferencia

4-Robótica: 

   4.1 Robô “Laura” é utilizado em mais de 100 hospitais no Brasil, melhorando a assertividade dos diagnósticos em um menor espaço de tempo, reduzindo os óbitos.

  4.2 Robôs (empresa Dinamarquesa) são utilizados para desinfecção de UTI´s na China, eles reduzem o tempo de execução do trabalho e a ocorrência de infecção das pessoas envolvidas neste trabalho. A Itália já esta implantando esses robôs em suas UTIs.

Vale a pena citarmos oportunidades e inovação que ocorreram no passado da história da humanidade em plena segunda guerra mundial, uma empresa instalada na Alemanha teve proibida a entrada do xarope para produção de determinada bebida.  Neste momento a empresa tinha duas alternativas, encerrava a sua operação no país ou criava um novo produto, optou pela segunda alternativa e nasceu a Fanta.

O outro caso, ocorreu no Brasil em 1930 com uma safra excessiva de café, nesta época ele era o maior produtor de café do mundo e como caíram as demandas os produtores começaram a descartar o café, o governo brasileiro pediu ajuda a Nestle se conseguisse uma forma de conservar o café como conserva o leite em pó, nasceu o Nescafé.

Esta crise é tão ampla que atinge os governos, federal, estadual e municipal que estão sendo ágeis em aprovações no congresso, implantação de novas soluções em semanas. Uma inovação esta sempre associada a uma necessidade e ou oportunidade.

Muitas empresas já estão reavaliando como trabalhavam e como estão trabalhando, quais são as vantagens no processo e econômicas. Teremos muitos desafios e passaremos por muitas dificuldades e com certeza sairemos melhores.

Ao fim da crise da pandemia, nada será como antes, com certeza.

Continue lendo a Parte 2 desta matéria, clique aqui.

Contato:
Tatiana Brito –  (11) 94746 5637 
e-mail – [email protected]

Rogério De Caro – (11) 94777 9496
e-mail – [email protected]