Condicionamento operante, você já ouviu falar?

Condicionamento operante, trata-se de um comportamento voluntário. Ex: correr, pular, sentar dentre outros, sendo voluntário, o mesmo não depende de um estímulo antecedente para ocorrer, mas é seguido de consequências futuras sendo assim chamadas de reforçamento. ☝️

Exemplo de reforçamento: Seu gatinho 😻está em um momento tranquilo ao seu lado sentadinho ou deitadinho na caminha dele (comportamento operante) e ganha uma guloseima (petisco). …rs a guloseima que ele ganhou, passa a ser uma consequência futura mediante aquela ação. (reforçamento)

Outro exemplo muito comum☝️🐱:

O seu gatinho começa a miar incansavelmente ao te ver e você na tentativa de ele parar de miar, enche o potinho de comida. Bingo!

Mais um comportamento reforçado, mediante a ação de miar incansavelmente.

A grande questão está em: no primeiro caso pode-se notar que o reforçamento da ação foi em um momento de calma e tranquilidade, já o segundo case o reforçamento foi pela agitação e vocalização excessiva (ansiedade).

E assim sucessivamente, como no segundo caso, vamos reforçando os maus comportamentos dos nossos animais de estimação muitas vezes de forma inconsciente.

Boa parte do comportamento do nosso animal de estimação (sejam eles bons ou maus comportamentos) refletem a forma como eles são condicionado por nós!

Os benefícios de treinarmos nossos amiguinhos de outra espécie por condicionamento operante são inúmeros, tanto para os animais quanto para o manejo.

As sessões de treinamento para os BONS☝️😻 comportamentos são uma excelente forma de estimulação física e mental através de desafios que os nossos amiguinhos animais de outras espécies enfrentam, sempre buscando algo prazeroso nas recompensas recebidas.

Agora me conte, você reforça o seu companheiro sempre que ele tem uma boa ação? rs

Por Fernanda Nogueira – Consultora comportamental de felinos domésticos.

Condicionamento operante, você já ouviu falar?
Foto de Alex Andrews no Pexels

Gostou da nossa matéria “Condicionamento operante, você já ouviu falar?“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 998 outros assinantes

Humanos, eu sou um gato

Ei humanos, ☝️hoje venho aqui como gato falar um pouquinho sobre os meus super poderes (habilidades naturais) de gato que sou😻! Você sabia que eu (gato) possuo uma grande agilidade, equilíbrio e por vezes tenho força acima do nível natural que me permite realizar movimentos rápidos e precisos para atingir minhas presas? Sim, minhas presas, isso porque tenho como minha principal característica ser caçador! 😻

Humanos, eu sou um gato
Humanos, eu sou um gato

Também sou dotado de garras, sabia? Minhas garras são capazes de perfurar superfícies como madeira, dentre outros😼😼além disso, eu tenho uma grande capacidade de saltar e os meus sentidos são bem apurados, tenho uma boa visão no escuro que me permite caçar a noite.

A vida com os humanos me permite socializar e conhecer a espécie de vocês (humanos), mas por outro lado às vezes esqueço-me de quem sou por faltar recursos no ambiente o qual vivo. 😿😿😿😿
Isso acaba me deixando sedentário, muito estressado e deprimido. Muitas vezes não sou compreendido embora eu tente mostrar quando tem alguma coisa errada no meu ambiente.

☝️Ah, minha espécie é territorialista, isso não quer dizer que gosto somente do ambiente, pelo contrário, gosto e preso muito os humanos 😻👧🧑que nele habitam e quero a todo custo viver em harmonia e segurança, por isso marco meu local através da minha caixinha sanitária, arranhaduras e também quando me esfrego. Esta ação demarca minha segurança territorial.

Adoro rotinas, portanto que tal brincarmos de caçar a noite ou ao entardecer? Isso me ajudará a lembrar de que sou um gato dotado de habilidades.🤩

Você humano🧑👧, pode me ajudar a lembrar de que sou um gato🐱? Eu gosto de acessórios que me estimulem a ser o melhor caçador da terra! 🙏

👉Os acessórios humanos (óculos, sapatinhos dentre outros) ou que fazem barulho o dia todo no meu ouvido (gizo o sininho na coleira) podem me fazer esquecer de quem eu SOU. 😿😿

Eu sou um GATO(A) e gosto de ser quem sou😻, só não posso me esquecer disso.

Por Fernanda Nogueira – Técnica em Veterinária, consultora comportamental de felinos domésticos.

Gostou da nossa matéria “Humanos, eu sou um gato“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 998 outros assinantes

Os gatos possuem comportamentos, conheça mais do seu amigo felino!

Os gatos possuem comportamentos bem interessantes e entende-los pode ajudar a avaliar a saúde de seu amigo.

Os felinos não são muito favoráveis a mudanças. Toda situação que desencadeia alteração da sua rotina pode afeta-los e refletir na sua saúde.

Muito se ouve que gatos não gostam das pessoas e sim da casa. O gato, por não gostar de mudanças, está habituado e familiarizado com determinado ambiente. Por isso, é muito comum o relato dos donos que ao mudarem de casa, o gato fugia e regressava ao endereço antigo. Provavelmente, por estar familiarizado e habituado com aquele local.

Mudanças simples na casa como disposição de móveis, local de caixas de areia, dos comedouros e bebedouros ou mesmo as reformas, são situações estressantes para os felinos e que podem desencadear alterações fisiológicas como: distúrbios urinários, automutilação e falta de apetite.

Gatos não gostam de compartilhar as caixas de areia, e também não usam se as mesmas estiverem muito sujas. O ideal é que sempre haja uma caixa a mais que o número de gatos, por exemplo, se você tem 3 gatos, aconselhamos 4 caixas de areia.

Quanto a areia das caixas, evite ficar trocando de marcas, lembre-se gatos não gostam de mudanças. Portanto, ao perceber que determinada areia é adequada ao seu gato tente manter. De fato, você deve trocar a caixa de areia, um ou duas vezes por semana. Sempre retirar os turrões formados pela urina e as fezes diariamente. Fezes quando não recolhidas diariamente podem facilitar a transmissão de doenças, como a toxoplasmose. Você deve lavar semanalmente as caixas de areia. Utilize água e sabão, e em casos de animais com diarreias, a lavagem deve ser diária.

Os gatos possuem comportamentos, fique atento!

Alguns felinos tem dificuldade de beber agua, e muitos optam por agua corrente por ser mais fresquinha. O que muitas vezes é inviável, o uso de fontes de agua é uma alternativa. Se o animal não se adaptar a fontes, a distribuição de potinhos de agua pela casa auxilia. Ademais, gatos comem pouco e várias vezes ao dia. Sendo assim, forneça sempre pequenas porções de ração durante o dia, sempre respeitando o limite diária de consumo.

Opte por rações sem cor e evite comprar a granel. Ração úmida como sache, não fazem mal aos felinos. Gatos tem o hábito de caçar, e o sache tem a constituição semelhante à caça (70% de proteína e 30% de água) e pode ser usada como alimento. Dessa maneira, coloque o sache em comedouros diferente da ração. Contudo, se o animal não comer em até 2 horas, retire, elas estragam facilmente. Após abertos, os saches devem ser armazenados na geladeira.

Para evitar saídas noturnas e passeios, além da castração, recomendamos telar as janelas e áreas abertas de residências. Afinal, por serem curiosos e caçadores, os gatos podem se acidentar ao cair de janelas ou parapeitos.

Gatos têm o habito de se limpar diariamente. Quando seu animal estiver sujo, pelos eriçados ou com queda acentuada, isto pode indicar que seu amigo não está bem. Sempre observe os olhos e as narinas, pois estas devem estar livres de secreções. Além disso, ao notar secreções de coloração amarelada ou esverdeada, leve seu amigo a uma consulta. Às vezes pode indicar um processo infeccioso.

Estas são só algumas dicas para seus gatinhos!!!

Seu gato morde ou arranha ao ser acariciado?

Vamos desmitificar esta dúvida que afeta a maioria dos tutores ou admiradores de felinos domésticos, os gatos.

Gatos são semi sociais, isto significa que os gatos interagem socialmente de modo bem diferente do nosso, não apreciam interações físicas (exemplo clássico carinho na barriga que é uma parte vulnerável) e restritivas (por exemplo, colo por muito tempo). Portanto, evite carinho em excesso.

*Existem algumas exceções de gatos que gostam e permitem carinho demonstrando contentamento em sua expressão corporal (sem sinais de agressividade), nestas exceções não há problema.

No geral, o que determina o quanto o gato aprecia carinho vai depender do seu temperamento que é influenciado pela genética e primeiras experiências de vida (mais apropriadamente falando entre suas primeiras 8 semanas de vida onde o filhote já recebe os primeiros estímulos de sociabilização da mãe e as interações com os irmãos de ninhada).

Exemplos típicos: Um gato, que em algum momento da vida teve experiências traumáticas com humanos ou não até mesmo não teve contato com humano em sua infância, há grandes possibilidades do mesmo ser intolerante a carinhos interrompendo com mordidas e arranhões. Outro exemplo é a separação precoce da mãe e ninhada (antes das primeiras 8 semanas), neste caso o gato pode até ser bem socializado com humanos, porém, como foi tirado precocemente da mãe e irmãos não aprendeu os limites das mordidas e inibição, e este pode vir a reagir com excesso de empolgação seguido de agressividade e fugir nos momentos de carinho.

*Acompanhe a página, no próximo artigo citarei algumas formas de redirecionar este comportamento.

Texto: Fernanda Nogueira – Técnica em veterinária comportamento de felinos domésticos e CatSitter.

Fontes de pesquisa:
GALAXY, J & DELGADO, M. O Encantador de gatos.