Novas lojas no Shopping Praça da Moça

O Shopping Praça da Moça, em Diadema, comemora inaugurações e retomada gradativa do movimento. Em três semanas de funcionamento normalizado, ainda que com horário e capacidade reduzidos, o empreendimento divulga a chegada de novas marcas e lojas para compor seu mix e novidades pelos corredores do Shopping Praça da Moça, em Diadema.

A Chocolateria Xok’s, vinda diretamente da Serra Gaúcha para Diadema, iniciou suas atividades na véspera da Páscoa por delivery e drive-thru e agora abre as portas oficialmente. Outras lojas que inauguraram após reabertura foram a Mobile Co, de acessórios para celular, a Bangalore Tabacaria Shop, com tudo para narguilé e outros itens, o Praça da Moça Café, charmoso ponto de encontro, além da famosa rede KFC, que chega ao empreendimento até o fim de maio.

“O Shopping Praça da Moça se mostrou um empreendimento consolidado e resiliente neste período, muitos esforços foram feitos para auxiliar os lojistas, alternativas para vendas online e utilização de sistema drive-thru, tornando possível que lojistas continuassem com suas vendas e facilitando também para todos os clientes, garantindo a segurança de todos. O saldo foi extremamente positivo, tivemos chegada de novas lojas e grandes marcas, como a rede KFC, ratificando a importância do empreendimento para economia da cidade e da região do Grande ABC”, conta Daniel Lima, gerente de marketing do Shopping Praça da Moça.

Shopping Praça da Moça
Telefone: (11) 4057-8900
WhatsApp: (11) 94709-5754
www.shoppingpracadamoca.com.br
Rua Manoel da Nóbrega, 712 – Centro, Diadema
Estacionamento:  Carros 9 reais até 3 horas + 1 real por hora adicional ou fração / Motos 9 reais a diária

Gostou “Novas lojas no Shopping Praça da Moça”?

Novas lojas no Shopping Praça da Moça
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Acompanhe e leia as últimas notícias e conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Shopping ABC muda horário de atendimento a partir deste fim de semana

O Shopping ABC amplia seu horário para receber o público, e muda de acordo com o último pronunciamento do Governo de SP que autoriza horários estendidos nesta nova fase de transição do Plano SP contra a Covid-19. O aumento de horas de funcionamento é uma ótima oportunidade para quem ainda não garantiu o presente de Dia das Mães.

No Shopping ABC, especialmente neste sábado e domingo, o funcionamento será até as 22h, de acordo com o decreto municipal. De 10 a 23 de maio, os horários são: de segunda a sábado, das 10h às 21h, e domingo e feriados, das 10h às 21h ou das 14h às 20h (opcional). A área de alimentação funciona até às 21h todos os dias.

Também é possível participar até 16 de maio da promoção ‘Compre e Ganhe’ e garantir as bolachinhas deliciosas da Dona do Doce, nas latas decoradas exclusivamente para a campanha. O Balcão de Trocas fica de segunda a sábado, das 10h às 20h, e domingo e feriados, das 12h às 20h.

Para quem optar por pedir delivery das lojas ou pelo sistema drive-thru, ambos estão disponíveis todos os dias das 9h às 20h.

Dia das Mães no Shopping ABC

De 28 de abril a 16 de maio

Balcão de troca – Praça de Eventos, Piso 1

*limitado a 3 latas por CPF

Shopping ABC

Av. Pereira Barreto, 42, Vila Gilda – Santo André – SP

Telefone: (11) 3437-7222

WhatsApp: (11) 95691-0070

Estacionamento visitantes: Carros 10,00 até 3 horas + 2,00 por hora adicional ou fração

Gostou da nossa matéria “Shopping ABC muda horário de atendimento a partir deste fim de semana“?

Shopping ABC muda horário de atendimento a partir deste fim de semana
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Swift contratando atendente de loja no ABC

A Swift, rede de lojas especializadas em congelados, está contratando atendente de loja para unidades nas cidades de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul.

Estas vagas estão disponíveis no recrutamento online da empresa, conforme a mesma informa em seu site oficial. A função é responsável pelo pronto atendimento, movimentação adequada de mercadorias, da entrega de produtos alimentícios e manutenção do ambiente limpo e confortável nas lojas.

Além do salário, há adicional de remuneração variável, vale transporte, vale refeição, vale alimentação, assistência médica e odontológica (opcional), seguro de vida (opcional), descontos em Instituições de Ensino e de Idiomas e Gympass.

Vagas de hoje 18 de março 2021

Pensando em mudar de carreira ou se preparar melhor para entrevistas de emprego? Conheça a RC Locus, referência em Recrutamento & Seleção, em todos os níveis.

Quais os requisitos?

Para as vagas, é necessário que candidatos(as) tenha concluído o Ensino Médio, alguma experiência com atendimento ao público em geral, disponibilidade de horário. Ainda, a empresa afirma que será considerado um diferencial ter conhecimento de funções administrativas e de operação de lojas de varejo.

OBS: Apenas divulgamos as vagas, não solicitamos nenhum dado pessoal ou currículo. Nos canais abaixo compartilhamos mais publicações sobre vagas, NUNCA exigimos cadastro no Jornal Grande ABC. Responsabilidade das ofertas é por parte dos contratantes.

Como se candidatar?

Todas estas vagas, e outras que podem ser incluídas, estão no recrutamento online da Swift, em https://swift.gupy.io. Caso tenha dúvidas sobre como cadastrar seu currículo nesta plataforma, consulte nosso tutorial.

Conheça todos nossos canais (Whatsapp, Telegram, Facebook, Buscador): https://jornalgrandeabc.com/inicio/nossas-redes-sociais/

Mais Vagas no Grande ABC

Vagas de hoje 17 de março 2021

Conheça nossa parceria com o site Lista de Vagas. Visite e confira mais vagas verificadas e reais.

Gostou da nossa matéria “Swift contratando atendente de loja no ABC“?

Swift contratando atendente de loja no ABC
Foto: Reprodução da internet

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Grande ABC cria mais de 8 mil empregos em 2021

O Grande ABC acumula em 2021 a abertura de  8.162 novos postos formais de empregos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). As informações foram divulgadas pelo Ministério da Economia e organizadas pela Diretoria de Programas e Projetos do Consórcio Intermunicipal Grande ABC.

A região registrou saldo negativo no mês de março de 2021, com o fechamento de 180 postos formais de emprego. Ainda assim, o saldo do mês somado ao registrado em janeiro (+2.277) e fevereiro (+6.065) resulta em saldo positivo no ano, no total de 8.162 novos postos em 2021. O último resultado negativo havia sido em dezembro de 2020 (-1.321).

Seguindo a tendência observada desde o início da pandemia, as movimentações de março atingiram homens e mulheres de maneira diferente. No saldo por sexo, no mês, observou-se saldo negativo para as mulheres (-604) e positivo para os homens (+424).
Em relação às faixas etárias o resultado foi positivo para os mais novos, com destaque para a abertura de 764 vagas para jovens entre 18 e 24 anos.

Sobre o grau de instrução, destaca-se o saldo positivo para aqueles e aquelas com pelo menos o ensino médio completo, com perdas de vínculos para quem tinha escolaridade mais baixa. Apenas dois setores apresentaram saldo positivo no mês: Indústria (+163) e Construção (+899). Já a Agropecuária (-3), Comércio (-309) e Serviços (-930) apresentaram saldos negativos. No acumulado março de 2020 até março de 2021, apenas a Construção registra saldo positivo (+3.164).

O presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, afirmou que, mesmo com o saldo positivo acumulado em 2021, a retomada da economia depende de uma melhora na situação da pandemia.

“A reabertura gradual do comércio deve ajudar a melhorar os resultados da nossa região, mas uma retomada mais consistente depende da vacinação em massa”, disse Paulo Serra.
Clique aqui para acessar o boletim.

Gostou da nossa matéria “Grande ABC cria mais de 8 mil empregos em 2021“?

Grande ABC cria mais de 8 mil empregos em 2021

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Vendas caem 30% durante a fase emergencial do plano São Paulo

A fase emergencial do Plano São Paulo iniciou em 15 de março e foi até dia 11 deste mês, com medidas mais restritivas. Durante o período, o comércio permaneceu fechado em todo o estado. De acordo com um levantamento realizado pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), como resultado das recomendações, as vendas caem na fase emergencial do plano São Paulo, em cerca de 30% para o setor.

“A fase emergencial trará impactos significativos para o balanço trimestral do varejo. A queda de 30% no volume de vendas é alarmante. Reforçamos que é preciso manter a economia minimamente ativa, pois sem apoio financeiro, os estabelecimentos não conseguem se manter”, explica o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff.

Segundo o levantamento realizado pela entidade, com a participação das principais CDLs do Estado de São Paulo, além da queda significativa, o comércio de rua foi o mais afetado pela nova fase do Plano São Paulo. Para os lojistas, os estabelecimentos estão mais adaptados à realidade da pandemia, mas ressaltam que, a instabilidade do Plano São Paulo e a falta de planejamento prévio impactam diretamente as vendas do varejo. 

Cenário atual 

Mesmo com baixa expectativa de vendas, cerca de 9 em cada 10 comerciantes participantes da pesquisa, acreditam que o Take away – serviço de retirada do pedido no estabelecimento e o retorno do auxílio emergencial amenizam o impacto negativo no volume de vendas. “Em tempos de total fechamento, é preciso manter a opção de retirada no produto ou pedido no balcão do estabelecimento, isso estimula o consumidor. Esperamos que a volta do auxílio emergencial traga um equilíbrio para esse cenário”, ressalta Stainoff.

No período da fase emergencial, os empresários relatam que o e-commerce apresentou o melhor desempenho. Sem a possibilidade de realizar as compras em lojas físicas, os consumidores optaram por manter o consumo pelo ambiente digital. Além disso, para o varejo, a Páscoa deste ano não apresentou resultados positivos. Apenas supermercados e lojas do segmento de chocolate apresentaram um bom desempenho nas vendas.

Gostou da nossa matéria “Vendas caem 30% durante a fase emergencial do plano São Paulo“?

Vendas caem na fase emergencial
Maurício Stainoff, presidente da FCDLESP
Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Comerciantes do Riacho Grande se unem pela própria sobrevivência

Comerciantes do setor de bares, restaurantes e motéis do Riacho Grande, subdistrito de São Bernardo, estão unidos em prol da própria sobrevivência. O grupo está mobilizado e quer sensibilizar os governantes sobre a difícil situação pela qual estão passando e alertar que se as medidas não forem tomadas, vão falir! Eles alegam que querem apenas trabalhar, adotando todos os protocolos de saúde e segurança, para tentar recuperar os seus estabelecimentos.

O setor foi duramente afetado pelos impactos provocados pela crise em função da pandemia. Além de terem ficado fechados por longo tempo, os que permanecem no mercado ainda estão em fase restritiva de funcionamento e alertam que lhes restam pouco tempo de vida, caso a situação persista. Sem faturamento, os empresários não conseguem manter os custos com aluguel, impostos e funcionários.    

Os estabelecimentos, que estão dentro da área de jurisdição do Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), representam a luta e o alerta que vêm sendo defendidos pelo sindicato patronal. “Já lançamos a campanha Não Somos os Culpados, Queremos Trabalhar para levar ao conhecimento de toda a sociedade a situação desse setor e que também impacta a vida de outras pessoas e famílias, pois se trata de um segmento importante na economia, gera emprego e renda. Não é possível que não seremos ouvidos”, ressalta o presidente do Sehal, Beto Moreira.

Outro fato que dobra a agonia dos empresários locais é o fato de o distrito ser ponto turístico.  Por conta da situação, muitas atrações tiveram que ser fechadas, o que diminuiu o movimento e circulação de pessoas, já que pela tradição, após as visitas, os turistas encerravam o passeio com almoço ou lanche no centro do Riacho.  “Essa ausência de turistas, tanto das cidades vizinhas, quanto de outras localidades e ainda os que estão de passagem, também afeta os motéis, que sentiram o movimento despencar com a crise”, acrescenta Beto.

Por isso, os empresários, a maioria de pequeno porte, tem se reunido frequentemente para buscar saídas. Já fizeram uma carreata até o Paço Municipal de São Bernardo do Campo e agora planejam um novo movimento, previsto para 15 de abril, desta vez incluindo também um panelaço.

Expectativa x realidade – Sandra Lopes, dona do Melos Café e Bistrot, restaurante que fica em um dos principais pontos de passagem no Riacho, na Estrada do Rio Acima, conta que já demitiu quatro funcionários. Antes, eram seis. “Estamos com muitas dificuldades, operando com 5% da capacidade, quase pagando para trabalhar, e sem condições de arcar com todo o orçamento. Temos que reabrir para voltar a trabalhar”, sugere.

Comerciantes do Riacho Grande se unem pela própria sobrevivência
Comerciantes do Riacho Grande: Sandra Lopes. Foto: Davi Bonfim

A empresária, tradicional comerciante de outro ramo de atividade, abriu o estabelecimento em agosto do ano passado, ainda na pandemia. “Tivemos a coragem de investir em um local onde conhecemos, já temos tradição, e na época acreditávamos que a situação iria mudar. Na verdade, fomos enganados com dados camuflados, pois a crise nunca melhorou. Precisamos de ajuda porque não dá para aguentar mais um mês”, revela.

Na atual fase vermelha do Plano São Paulo, medida do Governo do Estado lançada para evitar a propagação do novo coronavírus, voltou a permissão para o take away (retirada no local), sistema que representa o mínimo em vendas no seu estabelecimento, e também o delivery, modalidade em que ela não tinha normalmente. “Tanto um formato quanto o outro não é suficiente”, desabafa.

Quem também revela estar vivendo um pesadelo é Cassia Nascimento, dona do bar Carne e Cachaça, no centro do distrito. Ela e o marido, Fábio Reche, têm na atividade, a principal fonte de renda. “O nosso foco é o horário noturno, antes com música ao vivo e shows, atrações e tipo de atendimento que dependem dos clientes presencialmente. Mas, as pessoas não saem de casa e as vendas por retirada ou delivery são poucas. Na verdade, são amigos e clientes fiéis que estão nos ajudando. Não temos faturamento, já estamos trazendo dinheiro de casa, retirando o pouco que resta da poupança para nos mantermos abertos”, afirma.

Cássia e Fábio tocam o negócio sozinhos. “Tivemos que demitir os únicos dois funcionários”. O jeito foi fazer um malabarismo com as finanças e reorganizar o estoque de mercadorias no ponto comercial, que também é alugado. Segundo Cássia, o bar, que tem expertise em variedade de bebidas nacionais e importadas, agora trabalha com o mínimo em quantidade. “Nossos freezers estão quase vazios porque não temos condições de comprar. Quanto mais compramos aumenta nosso poder de negociação com o fornecedor. Só que não é isso que estamos conseguindo”, lamenta.

Comerciantes do Riacho Grande: Cássia Nascimento. Foto: Davi Bonfim.

Para Cássia, a maior angústia é não ver uma luz no fim do túnel. “Estamos desesperados. Temos uma família e não temos de onde tirar nosso sustento e seguimos empurrando com a barriga sem saber o que ainda vai acontecer. A culpa não é nossa”, afirmou. De acordo com a empresária, a fiscalização, que é frequente nos estabelecimentos locais, deveria ser mais intensa nas proximidades onde atuam os clandestinos. “Somos prejudicados por uns poucos, enquanto nós que trabalhamos corretamente somos impedidos de trabalhar”.

O Sehal segue na luta para ajudar o setor a se reerguer, fornece todas as informações necessárias para os empresários neste momento de dificuldade e de dúvidas sobre como proceder diante de tantas imposições e restrições para o funcionamento dos seus estabelecimentos. Como representante legal da categoria, cobra ações efetivas do poder público. E ainda coloca seu departamento jurídico, formado por profissionais especializados, à disposição dos seus associados.

Inclusive, protocolou ofício na Prefeitura de São Bernardo e no Consórcio Intermunicipal (reúne as sete prefeituras) reivindicando a abertura de bares e restaurantes no horário do almoço, entre 12h e 16h para atendimento, e mais uma hora, até 17h, para a organização, serviços de limpeza e encerramento das atividades. “Ainda estamos aguardando a resposta das prefeituras e esperamos contar com a sensibilidade dos representantes públicos”, finaliza Beto Moreira.

 Sobre o Sehal

Fundado em 12 de julho de 1943, o sindicato é uma entidade sem fins lucrativos e tem como objetivo apoiar os empresários reciclando conhecimento em várias áreas. Representa cerca de oito mil estabelecimentos na Região do Grande ABC. Fornece apoio com profissionais renomados nas áreas jurídicas, sanitária, organizacional, parceria com escolas e faculdades, além de lutar pela simplificação da burocracia nos âmbitos municipal, estadual e federal com redução dos impostos e ainda contribuir para a qualificação dos empresários e trabalhadores.

Oferece ainda cursos gratuitos ou com condições especiais para associados e ministrados por professores altamente qualificados, em salas de aula equipadas com datashow, cozinha completa com utensílios e insumos para as aulas práticas. É também considerado um dos sindicatos patronais mais atuantes do Brasil em razão das diversas conquistas e expansão no número de associados.

Gostou da nossa matéria “Comerciantes do Riacho Grande se unem pela própria sobrevivência“?

Comerciantes do Riacho Grande se unem pela própria sobrevivência
Comerciantes do Riacho Grande: Comércios fechados. Foto: Davi Bonfim

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Santo André intensifica Operação Comércio Responsável

Desde segunda-feira (15/03),as abordagens da Operação Comércio Responsável foram intensificadas em razão do início da nova fase emergencial do Plano São Paulo de combate ao novo coronavírus, de fase emergencial. As equipes da Prefeitura de Santo André, Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) e GCM (Guarda Civil Municipal), com apoio das polícias Militar e Civil.

Santo André intensifica Operação Comércio Responsável

Segunda-feira os agentes percorreram os eixos comerciais do Centro, Santa Teresinha, Camilópolis, Utinga, Vila Lucinda, Parque das Nações, Vila Luzita, Vila Tibiriçá e Jardim Santo André. Durante a ação, 110 estabelecimentos foram orientados sobre as regras e normas vigentes. Não houve necessidade de realizar interdições ou aplicar multas.

A Operação Comércio Responsável foi implementada pela Prefeitura de Santo André em março de 2020, logo após o início da pandemia.

As ações continuaram a ocorrer mesmo durante os períodos de flexibilização. Durante a fase emergencial as abordagens serão diárias, tanto em centros comerciais, quanto em bairros mais afastados e periféricos.

No último final de semana (dias 13 e 14), foram vistoriados 168 estabelecimentos comerciais –  sendo que 30 locais receberam orientação –, assinados quatro termos de compromisso, realizadas duas interdições (no Jardim Ipanema) e emitido um auto de infração ambiental.

Só em 2021, até o momento, foram mais de 1.600 locais vistoriados em 55 bairros da cidade. Durante as ações deste ano, as equipes já flagraram 111 aglomerações e 370 locais que funcionavam sem permissão ou fora do horário permitido.

Além disso, ocorreram 21 interdições, quase 500 orientações a responsáveis em estabelecimentos, 13 advertências ambientais e 18 autos de infração ambiental (multa) referentes a problemas de poluição sonora. Também foram emitidos 41 termos de compromisso.

A fase emergencial é necessária para conter o avanço das contaminações por Covid-19 e, consequentemente, dar fôlego aos sistemas de saúde – que estão operando em capacidade máxima.

Este decreto foi assinado pelo prefeito Paulo Serra e publicado no último sábado (13/03) e elenca as novas regras de funcionamento e operação de diversos serviços e comércios da cidade.

Além disso, também está em vigor o lockdown noturno, das 22h às 4h, e suspensão da circulação de ônibus no mesmo período. Em princípio, as regras da fase emergencial vigoram de 15 a 30 de março.

As denúncias de aglomeração podem ser feitas pelo aplicativo Colab, da Prefeitura de Santo André, ou ainda pelos telefones 153 da GCM e 190 da Polícia Militar. Para denúncias referentes a poluição sonora em estabelecimentos comerciais, o morador pode acionar o Semasa, por meio do site www.semasa.sp.gov.br.

Gostou de “Santo André intensifica Operação Comércio Responsável?

Santo André intensifica Operação Comércio Responsável

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Lojas União e Supermercado D’Avó contratando no ABC

As empresas Lojas União e Supermercado D’Avó estão contratando, nas cidades de São Bernardo do Campo e Santo André. As vagas estão no servidor Empregoligado, no qual após se cadastrar, abrirá um chat com assistente virtual, solicitando seu dados.

O Supermercado D’Avó em questão está no Endereço: Av. Pery Ronchetti, 1800 – Nova Petrópolis, São Bernardo do Campo. E a Lojas União no Endereço: Rua Giovanni Battista Pirelli, 155 (no Atrium Shopping)- Vila Homero Thon, Santo André.

OBS: Apenas divulgamos as vagas, não solicitamos nenhum dado pessoal ou currículo. Nos canais abaixo compartilhamos mais publicações sobre vagas, NUNCA exigimos cadastro no Jornal Grande ABC. Responsabilidade das ofertas é por parte dos contratantes.

Grupo de divulgação de vagas no Facebook (clique aqui)
Canal de divulgação de vagas no Whatsapp (clique aqui)
Canal de divulgação de vagas no Telegram (clique aqui)

Lojas União e Supermercado D’Avó contratando no ABC

Meio Oficial de Cozinha (clique aqui)

Supermercado D’Avó
Vl Nova Petropolis – São Bernardo do Campo – SP

Salário Salário: R$ 1571 a R$ 1650
Jornada e Horário(s) Jornada e Horário(s): 6×1 12:00 – 20:30
Regime de trabalho Regime de trabalho: Efetivo (CLT)
Descrição: Compor o quadro da cozinha industrial (restaurante para colaboradores) dando apoio a cozinheira nos preparos dos pratos. Manipular e temperar alimentos, verificar o estado de conservação dos ingredientes utilizados, para atender as exigências dos pedidos e assegurar o padrão de qualidade. Zelar pela organização, limpeza e cumprimento do cardápio diário.

Agente de Prevenção de Perdas (clique aqui)
Supermercado D’Avó
Vl Nova Petropolis – São Bernardo do Campo – SP

Salário Salário: R$ 1599,47 a R$ 1671,04
Jornada e Horário(s) Jornada e Horário(s): 6×1 14:30 – 22:30
Regime de trabalho Regime de trabalho: Efetivo (CLT)
Descrição: Fiscalizar entrada e saída de clientes, funcionários e mercadorias em lojas. Fiscalizar o atendimento às normas de segurança e procedimentos operacionais. Levar CV atualizado na entrevista.

Açougueiro (clique aqui)
Supermercado D’Avó
Vl Nova Petropolis – São Bernardo do Campo – SP

Salário Salário: R$ 1545,94 a R$ 1627,59
Jornada e Horário(s) Jornada e Horário(s): 6×1 14:30 – 22:30
Regime de trabalho Regime de trabalho: Efetivo (CLT)
Descrição: Atender aos clientes no balcão de Açougue. Realizar os cortes de carnes, conforme procedimentos. Montar bandejas e organizar a exposição dos produtos. Manter o setor, limpo e higienizado. Levar CV atualizado na entrevista.

Assistente Líder (clique aqui)
1A99 Lojas União
Vila Homero Thon – Santo André – SP

Salário Salário: R$ 1105,54 a R$ 1810,15
Jornada e Horário(s) Jornada e Horário(s): 6×1 09:00 – 18:00, 13:30 – 22:30
Regime de trabalho Regime de trabalho: Efetivo (CLT)
Descrição: Responsável pela abertura da Loja; Seu foco é garantir a reposição de mercadorias na Loja; Diariamente deve identificar, relacionar, coletar e embalar todas as perdas de produtos; Deve identificar mercadorias faltantes para reposição; Responsável por organizar o depósito de modo a garantir fácil retirada de mercadorias para Loja, principalmente aquelas de maior rotatividade; Fazer a entrada das mercadorias no estoque e organização do mesmo; Orientar a equipe sobre a reposição considerando os produtos recém chegados; Identificação de oportunidades de melhoria na exposição com foco em aumentar as vendas; Monitoração das campanhas e visual merchandising da Loja; Acompanhamento dos resultados de vendas por categoria e junto com o Encarregado proponha ações para que as vendas estejam dentro dos percentuais médios da empresa; É o responsável pelo cordial atendimento oferecido dentro da Loja por todos os colaboradores, seguindo os padrões de atendimento informados pela empresa; Deve sempre procurar entender quais as necessidades do cliente e com isso realizar ações que facilitem a compra e aumente a permanência do cliente dentro da Loja. Executar a limpeza das gôndolas e da Loja; Acompanhamento do Whatsapp e e-mail; Informar ao Encarregado sobre as mercadorias faltantes.

Auxiliar de Vendas (clique aqui)
1A99 Lojas União
Vila Homero Thon – Santo André – SP

Salário Salário: R$ 1045 a R$ 1489,13
Jornada e Horário(s) Jornada e Horário(s): 6×1 09:00 – 18:00, 13:30 – 22:30
Regime de trabalho Regime de trabalho: Efetivo (CLT)
Descrição: Auxiliar os clientes que necessitam de ajuda; Prestar um bom atendimento aos clientes; Conduzir os clientes até a mercadoria desejada; Fazer a reposição de mercadorias; Executar a limpeza das gôndolas e da Loja; Verificar validade das mercadorias; Recolher mercadorias violadas, fora de lugar ou com validade vencida; Manter as mercadorias com etiqueta de preço; Fazer pedido de mercadoria ao Encarregado.

Mais Vagas no Grande ABC

Gostou de “Lojas União e Supermercado D’Avó contratando no ABC”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Lojas União e Supermercado D'Avó contratando no ABC
Photo by Anna Shvets on Pexels.com

Arezzo e Imperium Calçados estreiam em Mauá

As marcas, inéditas na Cidade, inauguram suas lojas no Mauá Plaza Shopping, deixando o mix do empreendimento ainda mais completo. Outra novidade será a abertura de uma exclusiva loja Petz até o final do ano

Na contramão do atual cenário econômico, o Mauá Plaza Shopping, referência para Mauá e o Grande ABC Paulista, inaugurou as primeiras lojas Arezzo e Imperium Calçados de toda a Cidade. Outra grande novidade é que, até o final do ano, o empreendimento receberá, também com exclusividade, uma moderna loja Petz para os apaixonados por animais de estimação.

“O shopping é reconhecido há anos pela baixa taxa de vacância e percebemos que, mesmo com o atual momento econômico, a procura por novos espaços continua aquecida. A presença de marcas tão importantes no mercado nacional é motivo de orgulho para todos e fortalecerá ainda mais o nosso mix!”, pontua a gerente de Marketing do Mauá Plaza, Ariane Oliveira.

Consolidada no mercado nacional há 48 anos, a Arezzo possui uma enorme variedade em bolsas, sapatos e sandálias com inspirações em diversas culturas e que prometem agradar as clientes mais fashionistas. A marca é a maior do varejo em calçados femininos da América Latina e, atualmente, possui mais de 350 lojas em 180 cidades do País.

“Mesmo com a pandemia continuamos apostando na abertura da loja, pois a Arezzo é uma marca muito querida pelo público, especialmente o feminino. A inauguração foi um sucesso e a receptividade tem nos impressionado! Estamos muito confiantes com a retomada do comércio varejista e acreditamos que as vendas neste final de ano serão positivas!”, comenta a responsável pela loja no empreendimento, Maria Heloisa Matrone.

Outra operação do mesmo segmento e que também já conquistou o público feminino que frequenta o shopping é a Imperium Calçados. A moderna loja conta com botas, sandálias, rasteirinhas, sapatilhas e diversos modelos de sapatos confortáveis para todos os estilos de mulheres.

Petz – Até o final de 2020, o Mauá Plaza irá inaugurar a primeira loja Petz da Cidade e única dentro de um shopping center no Grande ABC. A nova operação contará com aproximadamente 600m2 e ficará próximo a Sodimac Dicico, garantindo que todos os amantes de pets tenham maior comodidade na hora das compras. A rede é uma das maiores de pet shops da América Latina e trabalha com o que há de mais moderno em diversos produtos.


Sobre o Mauá Plaza Shopping
O MAUÁ PLAZA SHOPPING, inaugurado em 2002, é uma referência para Mauá, para o ABC Paulista e ainda para o mercado nacional de shopping centers. Mais de 90 mil pessoas acessam diariamente, o empreendimento. Num mesmo espaço, diversos atrativos e vantagens ao público: um mix com mais de 260 lojas, incluindo as grandes âncoras e empresas satélites, 90% das vagas de estacionamento cobertas – e facilidade de acesso ao Shopping, que conta com localização privilegiada e estilo horizontal. Além disso, no Mauá Plaza os clientes contam com duas praças de alimentação que juntas somam 1.404 lugares e a praça de eventos, sempre com muitas atrações.

O centro de compras é um apoiador cultural e esportivo de projetos da cidade. É também um grande gerador de oportunidades de trabalho para a região.

O Mauá Plaza Shopping fica na Av. Gov. Mário Covas Júnior, 1 – Centro – Mauá – SP.

Mais informações: www.mauaplaza.com.br

Fonte: Mauá Plaza Shopping