Planos de voo

Lorena Pelais é autora de “Planos de voo”.

Pássaros são simplesmente lindos, livres, seres de beleza encantadora, impressionantes, hipnotiza quem os vê, armadilhas ao seu redor, esplendor prestes a ser trancafiado.

Caçadores por natureza, homens e predadores assustam, anseiam por liberdade de horizontes vespertinos coloridos.

Independência engaiolada, asas cortadas, nova morada é apresentada, casa, comida e “roupa lavada”, descabidas são as táticas exibidas para aprisionar soberana beleza

Manumissão é o lema dos pássaros com suas “obrigações” progressistas polinizar novos frutos, flores semear vida.

Alma determinada, confiança, alforria querem encaixotar toda liberdade.

Aurora redentor
Outrora apreensor

Restam-se lembranças das andanças.
Ascensão ao crepúsculo turvo iminente.

Noutrora, saudosistas são suas experiências cheias de encanto e magia, acompanhar o Sol, descansar assim que a Lua no horizonte surgia, enamorar-se as estrelas, aninhar-se ao infinito.

Chances perdidas, ciclo não cumprido, tivera seu plano de vôo comprometido, trilha interditada, sem prévio aviso, rascunhos e esboços perdidos.

Quefazeres tinham propósitos e desígnios, estranhamente abortados pelos destino.

Enclausurado estais com canto retido , calado, mudo, não responde a estímulos, vive empoleirado em um abrigo , capturado foste , sucumbido pelo egoísmo.

Lorena Pelais ॐ∞

Leia mais em Xicas

Gostou “Planos de voo”?

Foto de Lisa no Pexels

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e veja nosso Caderno Cultural. Veja também as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Qual o sentido da vida?

Lorena Pelais é autora de “Qual o sentido da vida?”?

Eis a questão mais intensa que possuímos …
Só conseguimos compreender com um pouco talvez de exatidão quando atribuímos nossa existência a um conhecimento externo, assim podemos compreender um pouco melhor o porquê e para que estamos aqui …

Todos como seres já passamos por essa dúvida em algum momento, quem sou, o que vim fazer e seus porquês…

Envolver-se com fatos históricos e com auxílio de uma experiência religiosa contribui positivamente, eliminando dúvidas assertivamente aprimora o “achismo” dando mais certeza que temos uma missão a qual devemos cumprir sem saber com exatidão de qual se trata, mas que temos uma função a ser desenvolvida dentro da sociedade e principalmente, não temos tempo para cultivar dúvidas, temos que ser eficaz e eficiente do erro ao acerto para evitar danos estrondosos a nós mesmos e aos que nos cercam.

Embora, achemos que estamos sós, sempre há alguém a procura de algo que assim como nós desconhece.

Um “ciclo vicioso e contínuo”

Isso resumiria a dádiva da vida e toda sua consistência?? Obtendo resultados expressivos de “plenitude existencial“, pós e contras, toda a dúvida que nos cerca e a força de vontade que nos fortalece continuamente nessa jornada que é Viver Costumam dizer : “A vida é uma festa!

Deleite-se, encha a cara e curta a ressaca, rsrs
Geralmente, nos sentimos embriagados em plena lucidez, delicie-se de uma ressaca moral de vez enquanto, é bom pra rever-se no todo em tudo como ser humano.

Repita esse processo quantas vezes for necessário, tire as melhores lições, cresça, evolua, liberte-se , nascemos livres, mas nos permitimos ser acorrentados a pensamentos hipócritas de uma sociedade insana devido ao cansado mental de ideias mal planejadas que são ditadas todos os dias para quem se acha ter o poder.

Somos seres pensantes e temos a obrigatoriedade de fazer adaptações aos termos definidos para que se enquadrem à realidade geral que cada um vive de acordo com os recursos morais, financeiros, culturais, religiosos que herdamos de nosso núcleo familiar, ao invés de, seguir “modinha”, batalhar pelas futilidades sociais que buscam nos entubar que saltam os olhos deslumbrando-se ao desnecessário e evasivo.

Batalhemos por um bom caráter, condições de educação, saúde e profissional dignas para que, assim, possamos reestruturar e moldar os conceitos arcaicos que nos forçam a seguir sem opção de escolha, só nos apresentam como o que é certo a fazer sem orientações específicas de sobrevivência na selva, “somos ovelhas lançadas ao lobo faminto” que nos persegue uma vida inteira, sem que possamos ter espaço e ar fresco para solidificar nossos pensamentos.

Obviamente, os tais ditadores das regras sairiam em desvantagens, uma multidão em prol de uma reforma existencial e quem sabe assim teríamos as amarras cortadas e desfrutaríamos da plenitude da liberdade de Ser e Existir em um mesmo espaço em tempo em uma só conexão extremamente harmoniosa e feliz!!!

Lorena Pelais ॐ∞

Leia mais em Xicas

Gostou “Qual o sentido da vida?”?

Photo by Lucas Pezeta from Pexels

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e veja nosso Caderno Cultural. Veja também as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Desvende-se

Lorena Pelais é autora de “Desvende-se”.

Não tem porque ou por que entender tudo de uma só vez.
Por mais que sempre queiramos saber os porquês de tudo e para que de fato queremos obter em um único momento tantas informações?!?

Saberíamos exatamente como usá-las devidamente?!? Conseguiríamos assim montar e solucionar nosso interminável quebra-cabeça pessoal?

Seríamos de fato, melhores conosco e para o outro?!?Temos sabedoria, empatia e bom senso para lidar com o todo em modo geral?!?

Quem garante que não nos envaideceríamos, esnobaríamos ou seríamos extremamente arrogantes num nível que nem mesmo nós seríamos capazes de suportar.

Sem garantias, sem respostas para muitas perguntas, é assim que é e devemos seguir, ao seu tempo “deciframos” uma nova verdade que dá todo sentido a uma das muitas questões que possuímos, embora a vida seja tão fugaz, apressar as descobertas não contribui tanto quanto exatamente ansiamos.

O dia após dia nos traz a maturidade necessária para fazer bom uso das dádivas, se bem que, sem generalizar idade e maturidade sejam aliadas plenas, porém se aplica bem no contexto em geral, o que seria da vida se não houvessem exceções.

O fundamental é, conhecer bem as “leis da vida”, estar abastecido de informações sólidas, devendar não seria um grande enigma, mas sim, um bom passo dado na “escada” evolutiva a nosso favor, em prol da experiência na Terra e em nosso aperfeiçoamento como ser.

Não importam todos os porquês e “para ques”, se não fizer bom uso, temos o conhecimento necessário no momento exato , a busca incessante amortecem valores primordiais , cega, sem garantias de chegada ao final do túnel.

Vagarosamente também é um bom caminho, as quedas são inevitáveis, porém temos maior tempo de cicatrização entre um tombo e outro, “cair” faz parte do processo , erguer-se dá oportunidade a uma nova etapa , uma nova versão aperfeiçoada com conhecimentos aprimorados. 

A lebre corre e logo se cansa , a tartaruga em seus passos lentos é capaz de viajar o mundo e vive muito mais…

Nada contra viver intensamente, mas hoje em dia percebo que é tenso abraçar o mundo de uma única vez. Aos poucos , de pouco a pouco é possível se conhecer melhor, menos impulsiva, mais razoável diante dos próprios sentimentos, aumentando as chances de acertos, diminuindo os erros e assim caminhar com mais leveza, por mais que a bagagem aparente ser pesada e infinita a certeza dizimará todos os porquês sem espaço e tempo para as dúvidas que conturbavam o dia a dia. 

Dia após dia, ouvirá o coro angelical invadir a mente e a alma enviando a sensação de “missão” realizada com êxito e pronto para a próxima fase com louvor.

“A pressa é inimiga da perfeição”, e de repente quando o coração se acalma tudo se encaixa esplendidamente, revelando o quão fácil sempre foi desde o início, era necessário somente, receber, aceitar, entregar e confiar.

“Para sempre , sempre acaba” assim é tudo que tem que ser, acontece “cedo demais” para uns e no tempo exato para outros de acordo com o nosso merecimento do uso da vida, as escolhas que fazemos, como agimos, todos os nossos aspectos pessoais são observados dos céus, onde nada é oculto, tornamos “ocultos” a nós mesmos pelo fato de ver o que somos e como somos , conheça a ti mesmo e conhecerás o universo e verás sua autotransformação. 

No palco da Vida, Você desempenha muitos papéis seja o melhor que puder ser , acorda-te e verás olho a olho o mundo com clareza.
Lorena Pelais ॐ∞

Leia mais em Xicas

Gostou “Desvende-se”?

Desvende-se

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Mãe, Maravilhosa por natureza

Lorena Pelais é autora de “Mãe, Maravilhosa por natureza”

Maternidade é fantástica, seu corpo dá espaço e abriga um outro novo ser, autossuficiente para produzir alimento, rico em proteínas fundamental à fase inicial da vida.

Mães são imprevisíveis, são os seres mais humanos que podem existir, elas piram, elas surtam, elas podem parecer chatas, porém são incrivelmente encantadoras, suas “obrigações” são inúmeras, suas preocupações incontáveis, são simplesmente loucas, loucas por suas crias.

Tiram forças de onde não tem, superam obstáculos por um amor maior, tornam-se “autoimunes” quando se trata de seus filhos, saúde de ferro, nem parecem que ficam doentes.

Não possuem super poderes, mas são tão fortes para não demonstrarem suas fraquezas, pois no fundo elas são mulheres, moças e até meninas cheias de sonhos, bondosas com muitas expectativas.

São generosas sem limites, partilham suas vidas com os pequenos e de “quebra” com toda a família.

Ser Mãe é muito abrangente, se torna educadora, atua em diversas disciplinas, artes , português, matemática, ciências, história, geografia, etiqueta e boas maneiras, entende dialetos, fala em línguas. É mímica, entende “libras” nas fases iniciais.
É médica, enfermeira, nutricionista, cozinheira, mestre cuca, “queimam a mufa” aspiram ser mais completas a cada dia.

São racionais, mas “viram bichos” quando se tratam de seus filhos, acalentam e os protegem com unhas e dentes.
São meteorologista natas, astrólogas, sensitivas de carteirinha, preveem o futuro, antecipam os fatos do presente e guardam docilmente em boas lembranças o passado.

São escritoras, historiadoras, arquivistas, registram e guardam cada dente. Contadoras de histórias, estatutárias sabem em detalhes de aspectos que as crianças nem imaginam, estimam os percentuais dos prós e revés.
Mãe é super protetora, orienta mas os filhos fazem suas próprias escolhas.
Mãe dá asas, ensina a voar, usar freio de pouso e sinaliza a pista para resguardar seus tesouros.

Mãe é uma fase intermediária, é um estágio desafiador do processo, momento de erros e acertos, sem tempo para avaliações finais , mas sempre com recuperações paralelas diárias talvez, são filósofas, pensadoras, estrategistas, malabaristas.
Mães são “polvos” desdobram-se em muitas, realizam inúmeros feitos em apenas 24h por dia, todos os dias, durante 365 dias do ano e vivem nesse círculo da “caverna do dragão”, a roda gigante mostra a saída, mas o portal se mantém fechado ao compromisso de cuidar da dádiva que foi recebida dos Céus, cultua a Fé para se manter firme, forte e de pé.

Com passar do tempo, se tornam Avós, se tornam humoristas “filhos criados trabalho dobrado” , a generosidade está entranhada nos ossos, pele, na alma, não tem como não ser algo além.
Dividi-se em duas, mãe e avó, atenção diferenciada de acordo com a faixa etária, conselhos constantes às crias e “invenção de moda” com os netinhos transfere parte de sua vivência geralmente em trabalhos manuais, reforça as regras de etiqueta, olha sério pras peripécias, mas já não distribui tantos puxões de orelha (exclusividade reservada).

Bisavós, essas são as mais estilosas, alegres, o tempo pode não ser o melhor aliado “exauriu” suas forças nas etapas anteriores, geralmente, sem forças para saltar e correr, reforça a importância da disciplina, que “esperto demais se atrapalha” relembra seus tempos de menina , fala sobre paciência e das mudanças das últimas décadas vividas, a beleza não é tão aparente, se torna quase irreconhecível, mas deixa sua alma gravada passada com tanta sabedoria.

Mamãe Maravilha desenvolve seus dons e aceitam todas as etapas da vida, se doa, cuida e cresce lado a lado com suas crias.

De geração em geração, etapas e mais etapas ser Mãe é evoluir conscientemente ou inconscientemente dia após dia.

Feliz dia das Mães!!
Lorena Pelais ॐ∞

Gostou da nossa matéria “Mãe, Maravilhosa por natureza.“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Despedida

Lorena Pelais é autora de “Despedida”.

Assustador como derrepente tivemos nossas vidas transformadas.
Pessoas assustadas, “quarentena” interminável, mudanças de hábitos, vidas ceifadas.

Inúmeras perdas em todo canto do mundo deste planeta, o mistério da vida , as crescentes especulações aos enigmas que envolvem a morte, chamada de “vida eterna”, uma viagem sem previsão de reencontro, não resta menor dúvida, os que ficam não conseguem superar com facilidade, é difícil lidar com a ausência e a saudade.

Do riso ao choro, do drama a graça, das desgraças uma comédia da vida urbana na íntegra com riquezas de detalhes, cada aspecto de certa forma tocou diretamente os inúmeros espectadores independente de quais meios de comunicação tenha sido usado, cada um de nós , teve sua história contada com doses exageradas de bom humor, leveza , toda tristeza revertida em uma bela gargalhada.

Em tempos tão difíceis, a doce lembrança de bordões inesquecíveis ficam registradas no coração dos que aqui ficam.

“Borocoxozinha é a sensação de uma nação, sem poder assistir teus córneos show, uma pessoa rica riquíssima de alegria contagiante, de energia além de 220volts sua partida será algo difícil de acreditar e que jamais vai colar a palavra Adeus!”.

Uma passagem brilhante, em cada personagem a transparência da alma a sinceridade do ser humano por trás do papel, presenteou nossos dias com muito amor, risadas e alegrias, se doou, compartilhou sua vida com graciosidade para uma platéia desconhecida, partiu, deixando um pouco de ti marcado em cada um dos que te assitia , se essa era sua missão, caminhe certo que foi belamente cumprida, lamentamos somente porque não estávamos preparados ainda.
Encantou, emanou alegrou, despertou amor com humor transformou vidas , os “pensares”, os “conceitos” , jamais serão os mesmos , fez da própria vida uma “piada” recorde de bilheteria, com glamour, beleza, agradável a ser vivida.

Inacreditável…
Porque os bons morrem jovens??
Já dizia Renato Russo/ Legião Urbana.

No espetáculo da vida, ao fechar das cortinas, apagar as luzes, o mais difícil é dizer: – Vai com Deus!

Meus sinceros sentimentos a todas às famílias vítimas da pandemia!!!

Ao amigo que gostaria de ter conhecido Paulo Gustavo, condolências à família, sempre será lembrado, um ser bem quisto e amado, nos deixa uma dentre muitas lições que rir é um ato de resistência!

Lorena Pelais ॐ∞

Foto de cottonbro no Pexels

Gostou de “Despedida”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Beleza Oculta

Lorena Pelais é a autora de “Beleza Oculta”, confira:

Não se trata de imagens visíveis a olho nu, relaciona-se a sentimentos vindos da alma.
Alegria e tristeza, do medo à superação, da angústia ao refrigério e por aí vai…

Incontável , imensurável, disponível a quem sente.
Empatia, compaixão compartilham parte das sensações que o outro pode sentir, nunca com a mesma intensidade, cada um tem seu jeito próprio e tempo certo para sentir, individualmente, os conceitos, sentimentos que habitam um ser jamais serão os mesmos do outro, possuem semelhanças e com imaginário deduzimos a sensação que o outro possa sentir.

O que fere a uns por tempo, pode durar segundos para o outro, que abstrai e reverte essa energia transformando em uma experiência “positiva” menos dolosa.
Tudo depende do ângulo, ponto de vista.

Relacionar a beleza aos momentos difíceis é a tarefa mais árdua, é justamente quando estamos totalmente envolvidos em algo de corpo e alma , onde tudo parece interminável e insolúvel.

Somos assim em nossa maioria, extremistas , imediatistas e um tanto dramáticos por assim dizer. Quando na verdade, tudo parece perdido , esquecemos que sempre surge uma inesperada luz.

“Quando uma porta se fecha, duas novas se abrirão!”
Momento em que o que aparenta ser impossível se torna possível repleto de novas possibilidades inimagináveis.

Fé, foco e determinação, quem te ampara , não te desampará.

“Não existe vitória sem luta, a luta nos eleva a glória”, não de vencer a guerra, mas sim de derrubar os gigantes que nos habitam, criados pela nossa própria mente, superando-os um a um.

Obter clareza dos fatos vivenciados, com lucidez, maturidade, sabedoria o que for mais conveniente e próximo ao seu ser no momento da experiência.

Não importam, todas as situações existentes te encaminham para algo maior e melhor imperceptível à razão momentânea , que foge nosso conhecimento imediato, mas que lá na frente, bem adiante reconheceremos que tudo era preciso e necessário.

Trabalhe a aceitação em sua vida atual, “tudo que não mata te fortalece”, poderás padecer por alguns intermináveis segundos , mas retomará às rédeas no segundo seguinte , pronta, renovada, revigorada para novos desafios mais à frente.

E, é mais ou menos assim que é..
A vida inicia e finda a cada adormecer na verdade já “nascemos mortos”, temos metas a cumprir até chegada da vida eterna no paraíso.

O céu é o limite e a prova final fazemos aqui!
Observemos o belo que há dentro e em cada um de nós, apreciar a beleza Oculta que carregamos esse é nosso grande e próprio mistério a ser descoberto.

Lorena Pelais ॐ∞.

Foto de Anna Shvets no Pexels

Gostou de “Relações sociais e o fluxo da vida”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Relações sociais e o fluxo da vida

Lorena Pelais é autora de “Relações sociais e o fluxo da vida”

De nada adianta uma vida, sem ter com quem dividi-la.

Bem assim ….
A nossa história depende de outras.
Nossa estrada se cruza com caminhos que nem sempre conhecemos com riqueza de detalhes, mas que fazem parte da nossa jornada.

O medo de se lançar ao que é novo muitas vezes nos consome, se torna maior do que possamos imaginar, enfraquecendo nossa vontade de tentar e se jogar de corpo e alma em novas oportunidades que a vida secretamente nos reserva , mas que de uma forma ou de outra precisam ser completadas para que possamos finalizar ciclos, iniciar outros que por medo muitas vezes aprazamos.

Repetitivo, sei que é….
Mas sinto a necessidade de expor o pensamento que não somos feitos para vivermos sós.
Até nossa chegada, quantas pessoas nos antecederam , o quanto nós esperamos para vir ao mundo e porquê alguns insistem afirmar que a solidão é a melhor experiência da vida?!?

Não vou negar que nos conhecermos o suficiente é imprencidível para amar a convivência com nós mesmos, para sermos “autoalegres” é ter certeza de que somos capazes de sermos felizes de nós conosco mesmos, mais gratificante se torna quando conseguimos doar esse conhecimento, compartilhando uma vida em comum, formando uma família, perpetuando nossa existência com nossos descendentes, participando e atuando seja como for na vida de alguém além de nós mesmos ampliando o significado da vida, explorando o real motivo de estar vivo e viver.

Qual a serventia de nossos feitos e conquistas se não temos com quem dividir os bons e maus momentos que passamos.
E quando tropeçamos é tão reconfortante ter alguém para nos acalentar, ajudar, amparar e se necessário nos pôr de pé novamente, um tropeço pode levar uma queda , o dia a dia pode ser tão exaustivo que renovar o fôlego para dar continuidade sozinho me parece árduo , improvável, mas não impossível.

Por mais que nós queiramos nos sentir autossuficientes , ainda sim , sou muito a favor à interação entre os seres de todas as espécies, com respeito, dedicação e afeto todas as relações são possíveis e terem momentos ternos inesquecíveis que ficaram reservadas no coração e na mente.

Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “Relações sociais e o fluxo da vida”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Universo Paralelo

Lorena Pelais é autora de “Universo Paralelo”.

Embora tenhamos muitas dúvidas sobre o universo e seu funcionamento, nossa relação de existência nesse espaço físico tão grandioso o qual chamamos de casa, o planta Terra, que existem vidas em outros planetas , que a viagem a Marte seja a mais sonhada para alguns, que os seres possuem características similares a nossa, mas sua aparência não é tão “formosa” como a nossa, que os seres extra terrestres possuem “superpoderes” capazes de ler mentes e mover objetos e a mais destacável de todas sua pele geralmente é verde.

Uauuuuu, quantas suposições temos, se já é difícil cuidarmos das nossas próprias vidas, porque nos interessamos tanto a compreender a existência de seres em outros planetas?!?
Porque os consideramos tão grandiosos?!?
Quando na verdade, cada um carrega individualmente um poder consigo.

Não seria muito mais fácil, tentarmos nos compreender primeiramente , saber exatamente para que e como funciona cada parte de nossa mente?

Sei que tudo pode parecer uma grande bobagem, poderia eu estar imergida em meu universo Paralelo nesse momento, onde suponho minha coexistência, onde todas as pesquisas , estudos estejam verdadeiramente certos, ao invés de, estudarmos a mente do povo que aqui habita e tentar aperfeiço-lá para assim tentarmos sanar um pouco das dores causadas pelos desencontros que ocasionamos com a nossa própria existência.

Em sua maioria, em quase sempre todos momentos, partimos contra as leis da criação, não seguimos a risca os mandamentos, outrora questionamos que as escrituras foram registradas por meros homens comuns, questionando inclusive que talvez esteja desatualizada com o avançar dos tempos…

Não sou estudiosa, apenas uma entusiasta, mas percebo que nos deram regras simples e não conseguimos segui-las, seria desvio de caráter, ou por tendências naturais do espírito?!?

Respostas que em sua maioria não a teremos tão facilmente, não existe um órgão de serviço de proteção ao crédito da existência, ou uma sociedade preservadora dos direitos inquestionáveis , nem mesmo um confessionário de respostas celestiais imediato.

Sabe, a criação do universo pode ter sido gerada através de uma grande explosão, onde supostamente ainda não havia Deus e nem mesmo não existia nada.

Somos livres para cremos no que nos faz sentir melhor, mas temos que elevar sim a mente e pensar, se partimos do princípio que antes o universo era escuro e nada havia, houve uma explosão e surgiu Deus , dando início à obra da criação, dias da semana foram criados, a escuridão passou a ser temporária e representada pela lua, indicado o anoitecer, a luz se fez presente, o dia carrega a esperança de um amanhecer melhor , vidas foram criadas.

Que existem vidas em toda parte do universo, sempre será algo contestável.
Que civilizações antigas tinham métodos próprios para contagem do tempo, criações foram desenvolvidas aprimorando métodos que utilizamos e perpetuarão, que somos capazes de ir além do que vemos, chegar a patamares desconhecido, mas sob orientação de “fonte desconhecida”, que brilhantemente nos conduz a um lugar melhor.

Porque nos fechamos tanto a novas informações, acreditando que somos conhecedores de muitos mistérios, onde nossa mente é um grande universo com partes escuras que talvez jamais encontrem a luz ,ou seja, do Sol ou Divina que assim permaneceram as idéias imergidas na finita escuridão interior que habitamos .

Já imaginou que talvez sejamos seres tão primatas que não estejamos preparados para conhecer os “dominadores” dos poderes ocultos da nossa própria mente e por esse motivo não tivemos a devida apresentação.

A vida nos apresenta universos paralelos a todo instante, desde que chegamos o céu e o inferno, o plano que vivemos entre a carne e o espírito é o limiar.

Tantos avanços, tantas tecnologias, tantos conhecimentos e de que forma é associado pela mente?
Como fazemos uso de todas as descobertas o quão evoluímos com elas?

Como nos sentimos diante das regras , das orientações prévias que recebemos?

Falamos sempre o externo, esquecendo de priorizar o íntimo e primordial a mente.

Assim como somos o Universo, todos temos nosso próprio Universo Paralelo, nosso faz de conta, nossos medos, inseguranças, até mesmo vestígios de vidas que aparentemente não vivemos, de tempos que desconhecemos, lembranças saudosistas de imagens, fragrâncias, sabores de experiência que nunca tivemos.

Foto de Rakicevic Nenad no Pexels

Que existe explicação, existe , mas convence a todos o que você ou eu acreditamos que possa ser a “verdade completa” ou apenas uma de todas as faces que podem ser apresentadas, muitas teorias, pouca prática e assim seguimos na dúvida da expansão do universo sem conhecer o universo individual que nos habita .

Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “Universo Paralelo”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Bruma

Lorena Pelais é autora de “Bruma

Ela pregava “felizes para sempre”
Mas no fundo sabia que isso era coisa de menina
Sua mente reflexiva, transitava no passado, futuro e presente
Dormia e acordava
Sorria e chorava
Pensava e escrevia

Sua alma sempre ativa
A cada pulsação seu coração cansado sofria
Sonhava com possibilidades de uma vida que não tinha.

Sonhar não era o erro
Descobrir que viver não era assim tão perfeito
Como sua mente lhe dizia
Amar não era o plano
Liberdade não tinha preço
Da da saudade ao desespero

Desesperada, da saudade de um tempo que sua vivência desconhecia
Sentimentos que atualmente ela nem sabia que existiam

Como é possível??
Sentir saudade do desconhecido (abstrato, aparentemente dito)
Questionava-se, tentando compreender seus porquês.

Foto de Mati Mango no Pexels

Porque a vida parecia ser tão mágica, encantadora e envolvente, saudade de quando assim se sentia
Porque a vida parece uma “guerra fria”?
Combatente, guerreira sentiu-se em uma guerra que na verdade não existia.

Porque amar??
Buscava entender ao menos, o que verdadeiramente sentia.
Saudade do tempo que seu coração parecia gelado e ninguém nele havia.

Saudade e o tempo perfeitamente conectados
Sensações e a vida interligadas profundamente
Sentir-se perdida
Acreditava que o que sentia, era saudade de tudo aquilo que ela nem mesmo viveu, simplesmente desconhecia

E assim segue, vive em busca de descobrir verdadeiramente o que sente
Em meio tantos enigmas que sua mente abruptamente a conduzia

Lorena Pelais, ॐ∞

Gostou de “Bruma”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Dríade da mente

Lorena Pelais é autora de “Dríade da mente”

Sabe aquela sensação, acho que não sou daqui, pois é, eu tenho desde sempre, passeio em mim, não sei vocês, mas é um hábito involuntário, perambular em meus pensamentos.

Saio do presente, passo por ontem, anteontem, outrora, antrolas, dantes, chego a sentir que não pertenço a esse tempo, por sorte não é tão ruim de adaptar por aqui.
Esquisito é se deparar com tantas emoções e sentimentos, sensações que muitas vezes não queremos senti-las, mas que somos forçadas a vivê-las para compreender a essência de tal momento e praticar empatia com o próximo, sentir as mesmas dores e alegrias na carne e ter os nervos saltar sobre a pele.

Nítido e espantoso ver a própria linha do tempo, a infância “meus antepassados”, a adolescência tudo o que eu não deveria ou talvez devesse ser, rsrs, destemida era bom, sem limites nem tanto, a juventude, um diamante em processo de lapidação…
A fase adulta, uma mente em busca de paz.

Atípico, mas necessário “sair da realidade”. Noutrora estamos ligadas “entranhadamente”, entranhas e mente conectadas ao “mundo real”.
O pensamento vagueia, seja bem vinda de volta a realidade, aos problemas, as dificuldades, ao desânimo, a todos os “quiproquós” cotidianos que podem ser incontáveis, somados e ampliados de acordo com a perspectiva do momento.

Sinto vontade de chorar, rir, correr, socar, gritar, xingar, implodir, explodir. Particularmente, às vezes, sinto vontade de morrer por um dia e ressuscitar no dia seguinte, seria uma experiência incrível e assustadora, regressar quando tudo já estivesse mais calmo, porque passar, desaparecer só em conto de fadas como em um passe de mágica.
Mas sim, milagres existem!!
Nossas percepção de tempo na Terra é bem diferente do que os astros relacionam entre si, enfim, estamos aqui, vivendo a agonia do dia após dia, buscando a melhor realidade em cada aurora.

Difícil saber, crescer e ser confrontada que “conto de fadas” não existem , sinceramente, sempre me recuso a acreditar, juro em meu íntimo que eles existem , só não aconteceu pra mim ainda, rsrsrs

Mas se eu parar, pensar bem, revirar minhas lembranças, noto que já houve muitas partes eloquentes.

Seria a junção dos bons momentos, com toda a emoção envolvida, minimizando os dias mais cinzentos, capaz de criar uma narrativa de um bom conto de fadas real?!?

Quem nunca?!?
Quem nunca se encantou com os contos de fadas?!?
A importância que dávamos aos personagens, quem os lia, fazia toda a diferença, a “bruxa má” sempre se destacava, não só pela maldade, mas sim pela risada, a gargalhada é uma variável, de engraçada a assustadora.

Dríade da mente

Aí, me pergunto, seria a entonação atribuída ou meu estado de Espírito naquele momento que fazia da bruxa má engraçada , ora assustadora, o que me influenciava era o narrador ou minha perspectiva?!!

A realidade e conto de fadas não seriam a mesma coisa dependendo do ponto de vista?!?

Costumam dizer que conto de fadas não existem, porque sempre damos mais atenção a frase: “E vivevam felizes para sempre!”

Recentemente, minha caçula, que tem um temperamento mais …. Forte, explosivo, altruísta, sem pavio, chorona, uma bebê que cresce e não sabe lidar bem com as mudanças…. Nem sei bem, conheço alguns traços, mas não todos ainda, me disse:
“- Mamãe, princesas não precisam de príncipes, princesas podem ser rainhas sem reis!”

Woowwwwwwww
Por essa eu não esperava, a primogênita esboçou um sorriso tímido, amante de finais felizes e admiradora de histórias de amor, mas que não recusa presenciar uma boa treta, rsrs arregalou os olhos e calou-se, concordando com a irmã.

Gente, nesse momento percebi que toda a nossa vivência em comum e elas com pensamentos tão “pra frente” me senti ultrapassada, antiguidade que talvez nem mesmo minha finada avó talvez acreditasse , que talvez exista só pra mim ou que possa ser uma realidade para todos?!? Óh, dúvida cruel!!!
A dor nos enraiza somente o “trash” , aniquilando todo o resto.

E os momentos bons, os “anos dourados”, toda a emoção de cada conquista, não daria um bom trecho de um conto?!?

Se tivéssemos nossa história contada por terceiros, ou se criássemos, ao final arrancaria suspiros da mesma forma, independente da estrutura, quantidade de versos, passado, presente ou futuro, os personagens são os mesmos em sua maioria, não mais como antes, algo mais moderno, o que amarra é o desenrolar e o final que temos , como o final até o momento parece incerto, porque não guardar todos os bons e os mais ou menos de todos os momentos , adicionar a doçura de uma rapadura , “doce mas é dura” .
A falta de cifrões é um detalhe, sua ausência aguça todo nosso processo de criação.

Imaginação…
Da realidade a ficção, do mito a utopia, transformando a vida em bela a ser vivida.

Lorena Pelais, ॐ∞

Gostou de “Dríade da mente”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Amor…

Amor… é uma troca de interesse egoísta?!?

É cada coisa que aparece.
Saber que vivemos em um mundo caótico, que temos nossas próprias dificuldades internas e o mundo nos “entuba” uma série de desventuras

Eu te pergunto, porquê e pra que questionar o Amor?!?

Descabido?!?
Não sei.
Dúvida é uma opção humana natural
Mas associar o amor ao egoísmo e troca de interesse, sinceramente acho que é um tanto demais.

Um sentimento sublime, excelsa da natureza e sua criação.

1 Coríntios 13. Paulo fala da excelência da caridade — A caridade, um amor puro, excede e supera quase todas as outras coisas. … 3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria.

Photo by Orlando Allo on Pexels.com

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

Noto que não só porque não o sentimos verdadeiramente, creio que não somos capazes de julgar.

Julgo por mim mesma, jurava ter amado alguém, até o nascimento das minhas crias, e olha que fui avisada que quando os filhos nascem sentimos algo crescer no peito de forma inexplicável, não considerava possível, as retas finais das gestações são variadas e incômodas , verdade seja dita, o processo é legal e tal, tem o lance da curiosidade de conhecer quem te habita mas sentimentos inexplicáveis, como seria isso?!?

Eu pensava medo, é provável, sou inexperiente e tal, novidade, mudanças, alterações de rotinas, choro, alimentação, putz só via os contras.

Óbvio, eu desconhecia o momento da chegada, o choro é sinal de vida e saúde, alimentação ato de amor natural, sem sacrifício, “incômodo” por ser algo novo, parece ser desconfortável, não dura tanto, logo passa a ser prazeroso, gratificante e lindo, momento de intimidade plena e início de laços finitos.

Questionar o amor entre pessoas é realmente necessário?!?

Não vejo serventia alguma….
Quantas vezes sentimos uma imensa vontade de sorrir feitos bocós, que somos invadido por uma alegria sem fundamento, que nos sentimentos felizes tudo junto e misturado ao mesmo tempo.

Uauuuuu, isso não seria Amor?!?
Ver beleza na simplicidade, ser invadida por bons sentimentos, receber e ofertar sorrisos espontâneos, se alegrar em ver a alegria alheia, ter a bondade correndo em suas entranhas inundando a mente e vivenciando momentos de paz.

Isso é Amor?!?
Crer no inesperado
Sentir o impalpável
Não encontrar palavras, figuras, nada para decifrar o quanto tão bem se sente, ainda sim não seria amor.

Inefável é o Amor, egoísta pode ser, por ser imensurável suas formas e ausência de explicações para singelos atos que transformam o ser e a experiência humana dia após dia .

Ame involuntariamente, compulsivamente, descontroladamente, sinta os extremos, se jogue de corpo e alma, amor próprio, amor ao próximo, ame simplesmente por amar, pelo bem que o amor te faz sentir-se com você mesma.

Ou se preferir uma experiência sem solo, “Nunca Ame Ninguém!”

Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de do novo artigo da autora?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

ABC com VC episódio 01; Estamos no ar!

O programa ABC com VC, episódio 01, está disponível na internet, em nosso site e em vários players de músicas e podcasts. Confira nossa página oficial no Anchor: https://anchor.fm/jornal-grande-abc

https://jornalgrandeabc.com/podcast-player/26233/abc-com-vc-episodio-01.mp3

Conheça todos nossos canais (Whatsapp, Telegram, Facebook, Buscador): https://jornalgrandeabc.com/inicio/nossas-redes-sociais/

Conheça nossa parceria com o site Lista de Vagas. Visite e confira mais vagas verificadas e reais.

Destaques do programa de hoje:

Prorrogação da cobrança do ISS, IPTU e demais impostos municipais em Santo André

Plano econômico em SP: Medidas beneficiam bares, restaurantes, academias, salões de beleza e produção de eventos; comércios que faturam até R$ 30 mil mensais têm prioridade…

Regra da Receita reduz tributação no SIMPLES: Afinal, uma boa notícia para o contribuinte! A Receita Federal publicou uma solução de consulta que diminui a base de cálculo do SIMPLES NACIONAL …

Novo sistema de incidência do ISS: Em breve!

Saiba quem foi a revolucionária Mary Kenner: Mary Beatrice Davidson Kenner foi a responsável pelo desenvolvimento do absorvente feminino, porém a discriminação racial impediu que sua invenção fosse levada a sério por 30 anos…

Romances, artigo de Lorena Pelais: Usado muito por jovens, quem nunca ouviu a seguinte frase:“- Um lance é um lance e não um romance!”Hahaha, do nada me surgiu essa frase na mente, pensei bem ….

Do You Speak English?:Levantamentos do British Council em 2019, apontam que apenas 5% dos brasileiros falam inglês. Ainda que 91% considere que o idioma é essencial para garantir um bom emprego, e que inglês é o idioma …

– O que acontece no entretenimento e dicas de diversão: https://www.entreseries.com.br

Mais Vagas no Grande ABC

Pensando em mudar de carreira ou se preparar melhor para entrevistas de emprego? Conheça a RC Locus, referência em Recrutamento & Seleção, em todos os níveis.

Gostou “ABC com VC episódio 01”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

Romances

Lorena Pelais é autora de “Romances”

Usado muito por jovens, quem nunca ouviu a seguinte frase:
“- Um lance é um lance e não um romance!”
Hahaha, do nada me surgiu essa frase na mente, pensei bem ….
Revirei minhas lembranças e constatei: por mais “dura” que uma pessoa aparente ser, em seu íntimo existe o desejo de amar, se apaixonar verdadeiramente por alguém.

Essas experiências afetivas são excelentes, no início são belas como uma linda rosa , mas contêm espinhos que podem perfurar a alma.

Por que o amor é tão bom, mas sempre nos faz chorar?!?

Sentimentos….
O coração é um órgão vital, mas ele tem suas tramas e põe a mente em segundo plano em fração de segundos.

Romances … foto de Pixabay, no Pexels.com

Como é bom se render a um sentimento que te embala de alegria e prazer levando o êxtase por dias e noites, uma sensação interminável que te envolve levando sua mente a lugares desconhecidos por alguns segundos ….

Putz, aí está o grande lance, geralmente a ausência de palavras é bem comuns, o desejo berra desesperadamente e palavras se tornam apenas um detalhe como outro qualquer.

Muitas vezes nada fica claro, não se sabe se é um lance ou se trata de um romance, mas pra que pensar nisso? Afinal o coração está 100% ativo e a mente momentaneamente de férias por assim dizer, definir é apenas um título , ou quem sabe estabelecer regras na maioria das vezes é melhor serem desconhecidas devido experiências anteriores, apreciar os momentos de intensidade faz muito mais sentindo do que “preocupar-se” com detalhes, que seja bom enquanto dure.

O que muitas vezes não levamos em consideração é que um lance pode virar um romance e o romance avançar para relações duradouras sem aviso prévio nenhum e mantido na mesma falta de diálogo inicial, o tempo passa, a companhia é boa, os momentos divididos são bem interessantes e afinal compromissos são planejáveis.

Não que de fato seja bem assim que aconteça, mas de uma maneira ou de outra este suposto início é um início dentro de muitos outros com enredos similares.

Mas o que ninguém assume para si mesmo a imensa vontade e o “inalcançável” desejo de ter alguém, soa como uma besteira ou uma bobagem, pensamento voltado a mulheres pela natureza romântica que nos é “entubada” por meio de conto de fadas, história que nos antecedem e por aí vai…

O lance é que tanto homens como mulheres têm o mesmo pensamento em relação a sentimentos, uns interiorizam outros exteriorizam para ambos os sexos.

Romances … foto de cottonbro, no Pexels.com

Àquela sensação de início é tão cativante e envolvente que logo pensamos, será ótimo passar o resto da minha vida ao lado desta pessoa, imagine todos os nossos dia assim ….
Parece um sonho!!!

Sonho meu, sonho seu, uma grande ilusão, o que não sabemos é que em algum momento a cabeça volta à ação e o coração sai de férias sem explicação é justamente quando nos deparamos com os defeitos, os maus hábitos e somos inundados por uma suposta “frustração” ou com o pensamento de “onde amarrei minha cabra”, “onde eu estava com a cabeça que não vi isso!!” entre outros questionamentos que surgem ao avançar do tempo de convivência.

Ninguém se apresenta com uma carta de recomendação, registrado sua última experiência, suas tendências, seus costumes, sua cultura e crenças, não se trata de uma entrevista de emprego, é sobre duas pessoas que enfatizaram suas afinidades, preferências e “amaram” o tempo que estiveram juntos falando sobre assuntos aleatório, sem fundamento muitas vezes que se permitiram trocar uma ideia e que de repente surgiu uma faísca capaz de causar um grande incêndio.

“O gramado do vizinho sempre é mais bonito” , todas as relações quando vista de fora são muito mais atraentes do que verdadeiramente se apresentam no interior de uma casa com as portas fechadas.
Uma bela fachada pode ser construída, bons recursos implantados, alta tecnologia, reparos que aumentem o bem estar, autoestima , fisicamente a última geração de todos os recursos disponíveis dentro do alcance financeiro, um esteriótipo perfeito, “harmonia”, beleza, fotos de comercial de margarina, pessoas felizes, problemas só os matemáticos.

Aí que está a desilusão humana….
A nossa fragilidade de reconhecer, assumir e identificar nossos próprios sentimentos podem se confundir com quem está ao seu lado, já pensou nisso? Estilo ” eu me agarrava a ela por que eu não tinha mais ninguém!!”

Às vezes, rola uma transferência de sentimento, uma preocupação excessiva, porque afinal queremos bem quem está ao nosso lado como companheiro (a), queremos o bem de nossos amigos e familiares, automaticamente queremos o melhor para quem está conosco dia a dia, assim como nosso bem pessoal, engraçado como “bem pessoal” soa como uma vontade de querer estar bem, mas que pode ser “visto” como “bem material” aguçando um sentimento de posse involuntário e é justamente nesse momento que perdemos as rédeas de toda a situação e surgem as pequenas desavenças infundadas e intermináveis sem motivos aparentes para um, mas fundamentado o bastante na mente do outro que o faz.

Não que seja necessário um acordo para iniciar uma relação, não que haja perguntas estratégicas como se fosse necessário e impressindivel traçar o perfil psicológico a cada encontro, não que seja um talk show com perguntas e respostas rápidas , seria tudo muito mecanizado.

Romances … Foto de Flora Westbrook, no Pexels.com

Mas que as relações fossem mais estreitas e que pudéssemos estar com 50% do coração e da mente juntas em todo o tempo, para não sermos emotivos demais nem racionais excessivos ou de menos, que tenhamos a balança entre a razão e a emoção , com empatia, lucidez, compaixão e paciência, um tônico perfeito para lidar com nós mesmos e com o nosso par nas atitudes mais bizarras sem que saísse do ponto zero ao extremo instantemente e irredutíveis fora da escala e com ouvidos bem abertos para ouvir o outro e a nós mesmos e assim ponderar o todo da situação.

Em todas as relações estamos pré dispostos a ter bons e maus momentos, quando se trata de relações afetivas como: um lance, um romance, namoro ou casamento os dois últimos titulados são regados de anseios, perspectivas, planos e uma dose estupenda de intolerância onde nos tornamos irracionais complicando as coisas mais simples, aprisionando a mente a padrões que muitas vezes não encaixam-se a nós, cada casal, são dois seres distintos que dividem um mesmo “espaço comum”, nem sempre, mas com objetivos pessoais diferentes, não é porque são um casal que devem ser apenas um ser, seremos sempre dois seres com características bem diferentes que precisamos nos entender para compreender a necessidade do outro e assim vivermos o meu, o nosso “felizes para sempre” de acordo com as nossas “regras”, a nossa maneira, com todo amor, respeito e carinho que possa haver neste ou em qualquer outra parte do mundo.

Não ser somente uma bela foto de comercial de margarina, mas viver os belos momentos juntos conhecendo as qualidades e defeitos amando-as como um todo e para sempre.

Amor ….
Condicional ou incondicional
Podemos dividi-lo em inúmeras doses generosas e compartilhá-lo por todo o universo ao invés de trancá-lo e torná-lo restrito a quem supostamente merece, quanto mais doamos, mais recebemos e podem vir de fontes jamais esperada.

Bons sentimentos que sejam imortais na alma e na mente, um encontro perfeito da razão com a emoção, entrelaçadas pelo Amor que sentem um pelo outro, mas sem palavras e ações para assumir, amenizando a possível dor do desencontro interno que nos causam repentinamente devastando nosso ser deixando feridas que nem sempre o tempo ou um novo Amor é capaz de curar.

Um lance, um romance quando avança não foi tolice, foi porque tinha que ser, simples assim!!

Não cobre, não julgue, não condene, não mude, adapte-se para uma excelente convivência, busque qualidade ao invés de críticas, empenhe-se nos bons feitos, permita enxergar o melhor, descarte o que não presta e não guarde ódio nem rancor , não levam a nada.

Romances … foto de Jackson David, no Pexels.com

Dance conforme a música, dance na chuva , viva bem pra você, por você, os riscos são altos, os bons sentimentos são os que verdadeiramente fazem a diferença, capaz de mudar tudo que te cerca , envolver, contagiar, irradiar a todas as relações da “formiguinha ao gigante”.

Tenha um coração bom e uma mente aberta!!
Lorena Pelais, ॐ∞

Gostou de “Romances”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, como esta Romances. Aproveite, leia mais artigos da autora de “Mundo…”, Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.044 outros assinantes

8 de Março

Dia internacional das mulheres, 8 de Março

A luta pelos direitos de igualdades, começou há muito tempo e perpetua até os dias atuais.

Ser mulher, é uma tarefa “árdua”, temos que ser muito fortes pra isso, exige preparo físico e mental, requer muita sabedoria em todos os aspectos, o mais legal que mulheres nascem graduadas e se especializam dia após dia, a Vida nos oferece essa incrível condição sem nem mesmo em alguns casos termos presenciado o ensino tradicional em escolas, sabedoria nata.

Esse é um grande privilégio, ser mulher, ser considerado o “sexo frágil”, quando na verdade somos verdadeiras Mulheres Maravilhas espalhadas pelo mundo inteiro cada uma com sua crença, classe social, cultura e etnia, sensacional fazer parte de um grupo tão autêntico, que tentam nos manter em anonimato subestimado “frágil”, quando na verdade somos “Super Girls”.

Em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres.

Em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o “8 de março” foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

“O 8 de março foi momento marcado , onde retrata todas as mobilizações para a “conquista” de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres.

Não que atualmente vivamos em um verdadeiro mar de rosas, houve melhora, porém existem aspectos que podem ser ampliados , a luta não chegou ao fim e não devemos fechar nossos olhos , devemos manter a luta para que qualidades de vida social e profissional melhorem e impedir que ocorram retrocessos capazes de ameaçarem as melhorias alcançadas em diversos países”, a luta é árdua e será contínua, pois nossa sociedade se diz avançada, porém possuem conceitos retógrados , não podemos abrir do que temos e ainda temos muito mais por vir.

Somos fortes, sábias, praticamente imbatíveis, estamos à frente de muitos projetos diários, somos administradoras natas, demonstramos isso com o cuidado que temos com o nosso lar e com a família, estamos a frente de fogões e damos volta ao mundo como Amelia Earhart nas nuvens observando a imensidão do mar.

Somos Estrelas Além do Tempo

Como Katherine Johnson (matemática) que contribuiu com a primeira volta na órbita da Terra.

Mae Jemisson 1ª astronauta mulher e negra, que afronta hein!!
Super merecido, engenheira química e cursou medicina.

Mamie Phipps Clark, psicóloga social, pai médico, sofreu efeitos de segregação educacional e toda a família sofria discriminação por serem negros onde moravam.

Não podemos esquecer da nossa ilustríssima Chiquinha Gonzaga, muito à frente de seu tempo, casou-se muito cedo , não concordou com os termos em que foi inserida precocemente aos 16 anos em uma vida conjugal, mãe a princípio de 3 filhos, casou novamente e engravidou novamente, pode criar apenas um de seus quatro filhos, sofreu muito preconceito por ser “mãe solteira” e desquitada era uma afronta para a sociedade. Se dedicou à música , regeu a primeira orquestra brasileira e contribuiu com o samba, eternizada por sua marchinha de carnaval.

Minha história não tem nada a ver com a delas, putzzzz!!

Diversas áreas feitos explêndidos, assim como nós, atuamos sem currículo em vários segmentos cotidiano.

Mas não tenho notoriedade em meus feitos, isso é o que menos importa!!!

Todas estamos debaixo de um mega holofote dia e noite, porque somos mulheres!!!

Sabe o que todas nós temos em comum?!?
Um sonho, um objetivo, garra e muita força de vontade!

Independente da história, da estrada , dos feitos , somos poderosas e muito capazes.

8 de março é todo dia, nossas lutas são diárias!!!!
Cada conquista é grandiosa, contudo, merecemos muito mais!!!

Feliz dia da mulher pra você , pra mim, para todas as guerreiras de corpo e alma de “aspirantes” a “brigadeiras”, somos tudo um pouco inclusive doces e sutis capazes de conquistar o mundo e todo universo.

Parabéns para nós!!!
Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “8 de Março”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, como esta Um olhar. Aproveite, leia mais artigos da autora de “Mundo…”, Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Um olhar …

Lorena Pelais é autora de “Um olhar …”

Alegria
Tristeza
Medo
Possibilidades
Oportunidades
Chances

“Um olhar sincero” humano é capaz de reverter o mundo.
Este te possibilita novas oportunidades, temos a chance de realizar algo novo, participar de novas empreitadas, mostrar nossos conhecimentos, compartilhar, doar, interagir, agregar, inúmeras são as possibilidades e oportunidades envolvidas.

Desenvolver-se
Todos passarão a ter novas perspectivas, doses de esperanças são lançadas, expandindo-se mundo a fora.
Emanaremos ainda mais amor, paz, alegria e esperança.

Às vezes, tenho a sensação que as pessoas parecem tão cansadinhas, esgotadas física e mentalmente, o que em alguns momentos comprometem o rendimento pessoal, sem estímulos, em meio o caos e desventuras vividas.
Uma dose de ânimo muda tudo em todo o processo!!!

Nossa sociedade anda tão carente de bons sentimentos, possibilidade é a palavra mais que perfeita para hoje, fôlego para galgar novos objetivos, traçar novas conquistas, aperfeiçoar relações internas aperfeiçoando relações externas, irradiando aos quatros cantos do mundo.

Notam a dimensão?!??

Existem momentos que tudo parece tão ….. esquisito, indiferente, desanimador, tudo parece tão confuso, complexo, irredutível, a dor se faz profunda, sofrimento se fim.

Visão turva no cega, cerrando os olhos para o futuro promissor que cada um de nós temos por direito, mérito pessoal, exclusivo e intransferível….

Isso me lembra a personagem Tristeza do filme infantil Divertidamente

” -Ah, tudo tão triste!!”
Tristeza faz jus ao nome , triste e engraçado ao mesmo tempo, a expressão desanimada, o peso não permite erguer-se, rasteja-se em uma melancolia interminável, realmente tristeza da cabeça aos pés, sem perspectivas, reconhece a importância que a Alegria tem.

Enquanto isso, Alegria em sua euforia sem fim, arrasta a Tristeza por todo canto para reverter a situação e voltarem a sala de comando, Alegria esteve sempre a frente até ali.

Cada uma com sua importância e conhecimentos distintos, dividem o mesmo espaço e cada uma em seu quadrado por assim dizer.

Acho graça, não de rir da tristeza alheia, mas das atitudes comportamentais da Tristeza e por sem querer e ter que reconhecer que a Tristeza tem seu papel importante, assim como, O Medo, O Raiva e A Nojinho, personagens do filme referido.

Nós momentos de tristeza sempre surge uma mão amiga, uma palavra de consolo, um afeto inesperado, uma compaixão jamais vista, um ombro amigo e até um “colo acolhedor”.

Paraaaaa, tristeza tem importância, onde, quando e por quê????

Pirou????
É pireiii!!! E daí???
A Tristeza tem sua importância assim como a Alegria, a tristeza nos aproxima ou afasta de pessoas, sensibilidade, essência, não sei ….
“Mas é na hora da tristeza que conhecemos nos verdadeiros amigos!”

Não nascemos para viver a sós.
Estamos ligados direta e indiretamente a partir do momento que ocupamos a mesma esfera, uns mais próximos, outros distantes até os “confins” do universo (devido longevidade).

São tantas as situações, ninguém está preparado para lidar com tudo e com todas as situações apresentadas pela vida sozinhos, somos pegas desprevenidas, nos deixamos abater, sem margem de dúvida, as reações são as mais diversificadas: gritar, pedir ajuda, afastar , interiorizar.

Quem nunca???

Somos humanos e possíveis conhecer todos os sentimentos na carne ou superficialmente essa experiência facilita conhecer , sentir e dissolver pendências emocionais, precisamos conhecer primeiramente para saber como agir.

Amor
Paz
Alegria
Saúde
Prosperidade
Sucesso

Que sejam infinitas, como tudo de bom tem que ser em nossa vida.

Esteja acessível a receber!!!
Somos envoltos por uma atmosfera tão grandiosa, muita luz no guia, orientando, mostrando novos horizontes, novas descobertas, novidades incontáveis!!

Superar, reverter a tristeza é dar oportunidade para sentimentos alegres façam morada em cada um de nós.

Gratidão da alegria à tristeza ou vice e versa, se bem que a gratidão é notória e óbvia quando sai da tristeza à alegria, essa sim parece ser mais significativa.

Seja sensível para perceber que pessoas, sentimentos, situações cotidianas, cada um tem sua importância, sempre há uma grande lição.

O melhor está sendo preparado para cada um de nós em alguma parte do planeta.

Paz de Espírito para compreender as lições vividas.
O mundo pode parecer cruel, mas esteja receptivo ao melhor que ele tem a nos oferecer.

Photo by Barcelos_fotos on Pexels.com

Amor e alegria para suavizarem a tristeza eliminando a raiva, o medo e tudo que comprometa seu aperfeiçoamento.

Quem acredita sempre alcança.
Tenha Fé e Esperança!!

Busque SER melhor a cada instante, lembre-se sua existência é o seu principal investimento hoje e sempre.
Seja o melhor que somos capazes de SER
Existência com qualidade!!!

Grande abraço
Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “Um olhar”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, como esta Um olhar. Aproveite, leia mais artigos da autora de “Mundo…”, Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Tempestade

Lorena Pelais é autora de “Tempestade”

Dias de calor escaldantes, sensação térmica de vulcão em erupção.
Mas o que vejo é, céu límpido, nuvens azuizinhas e o astro rei radiante no centro.
Onde nuvens cinzentas têm sido afastadas pela força do vento , partículas de água se fazem ausentes, o máximo que surge é uma brisa fresca ao anoitecer.

A vista está turva, não se vê nada com clareza, o dia deu lugar à noite, alegria a tristeza, seguimos ao mar uma longa trajetória, dias, meses e anos podem levar.

Tive uma “visão”, por assim dizer, uma estranha sensação de estar ao relento em alto-mar, em meio uma das piores tempestades de todos os tempos, chuva forte, embarcação instável e tripulação em desânimo total ou sem nenhuma esperança, para ser mais objetiva.

Por outro lado, a cada estiagem tínhamos algo “bom” a compartilhar, tínhamos risadas restritas de momentos de devaneio de um ou outro dos tripulantes, mas em meio a um surto coletivo, conter a risada, parecia o mais sábio a ser feito.

A mesma situação sendo vista por outro ângulo, era atormentadora, parecia o fim, um verdadeiro beco sem saída, a despedida e a chegada inesperada a um porto inseguro e vazio.

De repente, uma luz se fez presente…
Peter Pan, os meninos perdidos e capitão gancho?!? É isso o que vejo?!?
Afinal, história de pescadores tem pouca credibilidade no geral, mesmo que não seja esse o nosso caso, como navegantes estamos receptivos a delírios, encantos e história que todos duvidam.

Se sim ou não, nunca saberemos, Peter Pan e a fada Sininho (Thinker Bell) representavam a natureza e a esperança, não era a toa que suas vestes eram verdes, os meninos perdidos repesentavam todos os sentimentos que descobrimos e não sabíamos ao certo como decifrá-los, Capitão Gancho representava a inveja, o ódio, um rancor sem fim, uma ganância por um tesouro desconhecido e sua tripulação sem saber o que pensar o acompanhava oscilando da maldade a indiferença sem bússola, apenas cumpriam regras que nem mesmo existiam.

Houveram os que em meio a sua própria loucura andaram na prancha voluntariamente, apenas por não saber o que fazer, tomado pelo medo, sofrimento e talvez uma carência afetiva se lançar ao mar parecia a melhor solução, ainda sim fico sem entender, mar revolto, andar na prancha e se lançar, não me parece coerente, fugir ao invés de lutar, não vou questionar ….

Diante das presas de um imenso mostro marinho não se intimidou ao medo, o medo ganhou força, virou coragem, se lançar ao mar soava como uma esperança não se sabe de que , porque esse sim parecia o fim (somos radicais diante de situações que nos aterrorizam).

Laçado como animal desgarrado do rebanho, uma corda na cintura e devolta ao convés, a lucidez demonstra dar as caras e toda história não é só uma aventura assustadora e sim uma grande loucura.

O porto inseguro não existia, foi só uma ilusão , buscávamos terra firme, a tripulação pra ser sincera não era tão grande assim, mas em alguns momentos parecíamos muitos , éramos apenas sete navegantes, todos estavam fragmentados, todas as nossas partes em pequenas partes, estavam presentes querendo mostrar sua face.

A bússola parecia quebrada, mostrava uma direção além do que poderíamos ver, a distância era finita assim como a imensidão do mar, faróis acendiam à noite , mas a forte chuva não nos deixava atravessar para atracar , nosso capitão já estava em memória, o leme vazio, cada um assumia o controle, fazíamos o melhor que podíamos.

Capitão Gancho e seus adeptos sempre surgiam para nos “atrapalhar”….
Se na areia estivéssemos, seríamos como caranguejo mariados andando de lado, um passo a frente dois ou três para trás.

Uma situação que não parecia ter fim, buscávamos um porto seguro e preces eram feitas para a tempestade simplesmente passar .

Feridas, foram criadas, a dor foi sentida, o medo virou monstro, a coragem parecia insana, a bondade, essa sim ainda existia , o carinho se fez presente, afinal até mesmo homens ao mar precisam de um colo, uma palavra amiga, um abraço sincero, um diálogo franco, sem isso nossa tripulação seria dizimada por mais forte que fosse, um coração valente também chora não só em alto-mar.

Passavam flashes da vida, sua própria história foi vista do início até ali.

Família era família mas não agiam bem assim, mais parecia uma selva onde todos eram predadores ou fingiam ser para não serem devorados uns pelos outros , cada história de fazer o queixo cair. Umas apaixonantes outras sombrias que nem piratas conseguiam rir.

Paixões vividas, amizades construídas, outras destruídas , oportunidades perdidas.
E assim foi, a tempestade não dava trégua , o mar oscilava cada vez mais.

Capitão Gancho a essa altura estava sozinho, mas seus fantasmas eram tantos, assim como os fragmentos de nossa tripulação. Despedaçados, exaustos a insolação de dias atrás apresentava seus efeitos colaterais nos próximos dias…

Nosso capitão como em um passe de mágica reaparece ao mastro e nos guia.
O tempo começou a “limpar”, as nuvens se espalham dando espaço ao brilho cintilante das constelações, o porto inseguro se fez seguro para que pudéssemos em breve jogar a âncora e parar.

Entre a ficção e a real, um abismo de informações, uma montoeira de sentimentos, um monte de personagens e as inúmeras sensações, situações similares e distintas ligadas pelo destino ou escolha própria talvez, mesmo que o vento tenha soprado e dito : – “esse não é o caminho!”
A euforia, teimosia, vaidade, assim como o canto da sereia, enfeitiçados pelo momento, acreditou-se que era possível andar sobre os mares, quando tudo se tratava de viver e lutar pela sobrevivência.

Viver é assim, lutas diárias, superações, crises existenciais, aparições de sentimentos, “aventuras” em alto-mar, terra firme.

Sobre encontrar o tesouro, cuidado com o brilho, “nem tudo que reluz e ouro”, pedras preciosas garantem riquezas, mas nada ofusca o bom carácter, do que adianta um tesouro para um ser vazio, não passarão de pedras comuns acumuladas e armazenadas em uma alma sem amor.

Acredite
Confie
Tenha fé

“O que não mata fortalece”
Ao final da viagem não posso garantir nada, mas certamente não serás o mesmo de como era quando tudo começou.

Que sejamos bem conduzidos nas tempestades internas e externas para que não haja naufrágio, e se por acaso for lançado ao mar não desanime, busque forças de suas profundezas, todo sobrevivente tem uma boa história pra contar, boas lições, grandes marcas e marcos ficam na mente, no ser, seja você sua fortaleza seu porto seguro dentro de todas as suas inseguranças.

Que a paz possa nos inundar hoje e sempre.
Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “Tempestade”?

Tempestade

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, como esta Tempestade. Aproveite, leia mais artigos da autora de “Mundo…”, Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Mundo …

Desde que mundo é mundo a existência consiste em nos colocar em “pares”, nunca estamos só….

A criação deu-se:
Deus criou um habitat, do barro Adão foi feito e inserido lá, em seguida de suas costelas eis que surge Eva para lhe fazer companhia, ou seria o início das DR’s (famosas crises conjugais??)

A beleza do lugar parecia suficiente, mas creio que não era o bastante, o “caos queria se instalar” ou seriam as situações adversas?!? Melhor deixar essa questão pra lá…
Adiante o fruto proibido se mostrou encantador e serpente peçonhenta seu veneno “desfibrilou”.

Assim começou o jogo, selecione a melhor opção: play, start ou try again…
Game over, até rola no jogo, na real finda-se a existência, deixando tudo para trás, saudade é o que resta para os que aqui ficam presentes.

Voltando aos pares ….

Somos ímpares e formamos pares , nos tornamos pares que darão origem a conjunto.
Serão eles infinitos, primos, neutros e muitos outros.

Agrupados, uns analíticos outros nem tanto, tudo varia de acordo com a consistência das relações estabelecidas.

Seguimos, dando continuidade a espécie e usufruindo da natureza inicialmente ofertadas e suas novas construções que adaptamos para chamarmos de lar.

O que se refere aos seres, comecei por mim, rsrs, ah tinha que ter um ponto para iniciar, então vamos lá.

Na incansavelmente busca em mim por mim.
E a tal loucura de autoanálise diária a fim de identificar as falhas, desestruturar e reestruturar novas ações, atitudes e pensamentos.

Vaguei ou me deixei influenciar?!?

“Bam!!!”
Bem, aí que entra, sozinho não há evolução, precisamos sim, uns dos outros.

Vejamos a algumas referências que nos auxiliem a nos encontrar, situar, nortear o que melhor for para seu ser momento que a mensagem chegar até você.

“Te tornarás só quem tu sempre foste – o que os deuses te dão, te dão no começo”.
Assim revela Fernando Pessoa.
Cabíveis àquelas tais instruções que recebemos em nosso nascimento.

Minha paixão por ditos populares estão indo além, acredita-se que “conhece a ti mesmo” seja um dito grego, na íntegra é:

“Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os Deuses e o universo”.

A frase do templo de Delfos na Grécia, que não se sabe ao certo quem a criou, usado muito por Sócrates.

A frase se refere a buscar em ti, em suas profundezas todas as respostas para aquelas perguntas existentes em você, autoanálise, autoconhecimento, escolha o que for melhor para si, identifique – se integralmente, vasculhe todas as suas partes, conheça-se intimamente, o dia a dia nos afasta de nós mesmos, o caos cotidiano nos proporciona a auto destruição ou uma singela sabotagem, rsrs se é que, singela e sabotagem possam caminhar juntas por assim dizer.

E assim, voltamos aos pares, conjuntos, tribos, escolha o termo que lhe for mais conveniente, ou insira o seu toque pessoal.

A questão é , solidão opcional, involuntária, até costumam acontecer , mas saiba que é apenas um momento reservado para a reflexão , por que na verdade não nascemos para viver sós.

E com isso precisamos sim ter compaixão , empatia , paciência e um monte de outros bons sentimentos disponíveis e ao nosso alcance, assim podemos compartilhar ou ofertar a quem se aproxima.

Putz, dói só de pensar, é revoltante eu sei, aplicar a bondade quando sempre tem alguém mal intencionado que se aproxima ao ver a beleza de seu coração, mas não se deixe levar, esse ainda sim é o mais necessitado de todos, seja de atenção, bons sentimentos, ou por desconhecer na prática o que, talvez, possa nem ter sido visto na teoria.

“Gentileza, gera gentileza”
Assim dizia o profeta popular.

Somos muitos, diversidade é o que nos define, sugiro que sejamos múltiplos e infinitos quando se trata de bons sentimentos.

Espalhar Amor
Esse é um bom lema!!!
ॐ∞

Gostou de “Mundo …”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite, leia mais artigos da autora de “Mundo…”, Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Photo by Pixabay on Pexels.com
https://jornalgrandeabc.com/wp-content/uploads/2021/02/mundo.mp3

Arrependimento, Ação e suas consequências

Reflexões acerca do arrependimento e a vida

Desta vez, encontrei uma certa dificuldade, mas busquei selecionar bem as palavras e assim possamos montar um enorme quebra cabeça e tirarmos nossas conclusões sobre uma pequena parte das consequências das escolhas que fazemos.

Arrependimento, Ação e suas consequências
Arrependimento, Ação e suas consequências
https://jornalgrandeabc.com/arrependimento-acoes-e-suas-consequencias-1-mp4/
/

A cada dia me surpreendo cada vez mais, como a humanidade se encontra tão cruel e sombria espiritualmente falando

Misericórdia, mas quando me deparo com as situações tão cruéis que são noticiadas e vinculadas aos canais de comunicação, pasma percebo que a humanidade se perde mais em mais, dia após dia.

Se fizéssemos uma retrospectiva, talvez “os carrascos” não fossem de todo tão mau assim, afinal, o sangue que carregavam em suas mãos, uns eram de todo mal, outros recebiam ordens de um “soberano” e afinal, pessoas ruins sempre buscam por pessoas ruins ou se aproveitam de alguma fraqueza para que estes possam realizar o “serviço sujo” por assim dizer.

Sem evidenciar as causas que levavam à morte, pois assim embarcaríamos em uma vastidão (sem fim) e muitas cometidas injustamente, onde sempre tem, “o inocente pagando pelo pecador”.

Com tanta maldade, surge em minha mente o personagem Alexandre (novela A Viagem), trajetória triste em vida e na morte, lembram?!?

Buscando compreender, façamos uma viagem pelas muitas passagens bíblicas, uso uma “adaptação” , a “grosso modo” , ou como se fosse um passo a passo, o que for mais fácil de assimilar, onde o fundamento é:
-Reconheça seus pecados

  • Arrependa-se de todo seu coração
  • Deus vendo seu arrependimento sincero, te permitirá entrada ao reino dos céus.

Voltando ao Alexandre (A Viagem) ao passar para o outro lado, ele para no “umbral”.
De acordo com a Doutrina Espírita na obra “Nosso Lar”, psicografada por Chico Xavier e ditada por André Luiz, Umbral “estado ou lugar transitório por onde passam as pessoas que não souberam aproveitar a oportunidade de evolução em sua vida na Terra”.

O personagem Alexandre, era um espírito rebelde com muita maldade no coração, direcionando ao Umbral ele tinha o livre arbítrio para arrepender-se no pós morte, um tempo para pensar (cantinho do pensamento).

Aos que acreditam em reencarnação, imagine se tivessemos as lembranças nítidas dos erros do passado, ao invés de sermos imergidos no ‘mar do esquecimento”, metáfora para irrecuperável, no momento do processo reencarnatório , ter a memória apagada é um bônus dado por Deus, o que também muitas vezes nos põe em dúvida e a não compreensão, do que viemos fazer, o que estamos fazendo aqui, porque estamos aqui e outros aspectos que no decorrer da caminhada nos surgem.

Ultimamente, tenho a sensação de que as pessoas só mudam, em sua maioria, pois, ainda assim, existem os que se recusam à evolução, que esta só seja possível através da dor sentida na carne, sendo esta capaz de um arrependimento verdadeiro.

Voltando para a “Viagem”, Alexandre
(trevoso sem salvação), gostei e usei, rótulo que uma amiga de uma amiga usa, rsrs, cabível essa percepção, reaproveitei.
Quanto ao personagem vemos claramente que se trata de um obsessor, espírito “maligno” com a “força” de uma legião, fica pelambulando por aí, sussurando aos ouvidos más sugestões, buscando mais seguidores para a prática do mal.

O lance de estarmos vivos é vigiar e orar
Pq tds somos tentados todos os dias a todo instante, mas graça ao bom Deus, nos afastamos desses pensamentos e seguimos buscando o caminho da luz em busca da prática do bem!!!

Espirtualizar-se
É o mínimo que podemos fazer.

Somos imperfeitos, cometemos erros e pecamos com uso de falas vãs, com atitudes impensadas, impulsivas.

Somos ingratos, demonstramos muito isso, não reconhecendo que muitas situações difíceis em nossas vidas são para nosso aprendizado e crescimento espiritual…
E acima de tudo, tem a permissão de Deus.
As vezes inconscientemente e involuntariamente, facilitamos o abuso do obsessor que nos rodeiam, assim como Deus o mal também vive entre nós.

Paciência, precisamos para ouvir nossa mente e coração e não dar abertura para aflições.

Sei bem como é, derrepente aparece tanta gente bizonha para esgotar e testar a nossa paciência, quando a perdemos nós tornamos alvos fáceis.

Alcatraz para os maus sentimentos!!

As brechas são exatamente o que nos causam “angústia” , indignação e tal…
Mas a cada momento que sentimos uma sensação ruim, damos força e servimos como alimento para os desafortunados desencarnados que vagam em nosso plano e nos rodeiam para nós tentar ao mal.

O lance é ser luz!!
Emanar luz!!
Para que as trevas não tenha força pra se levantar contra nós.
E, se isso acontecer , não se abata, após a tempestade, sempre vem a bonança, resista e sairemos mais luminosos (fortes) do que antes.

E assim continuamos firmes, desvie-se do mal e sigamos nossa jornada terrena.

Paz e Luz, ॐ∞

Gostou da matéria “Arrependimento, Ação e suas consequências”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Então, aproveite e leia mais artigos (Arrependimento…) da autora Lorena Pelais.

Photo by Alex Green on Pexels.com

Conheça nossos parceiros Entre Séries, Dica App do Dia, Passa de Fase, Rogério de Caro, Graça Decaro, Amorarica, Excelsior Serviços, Blog PS, DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES e Márcio Pinheiro Advocacia

A Sinceridade

Reflexões e dissertação sobre a sinceridade e nossa relação com ela.

O quão sinceros costumamos ser?!?
Se pararmos para uma reflexão, no entanto, qual seria a pontuação?!?
Será que dá pra pontuar?!?

Sinceramente, tenho minhas dúvidas.
A sinceridade abre muitas portas e fecha outras.
Muitas pessoas não estão dispostas a ouvir. Afinal, a verdade nem sempre é algo que massageia o ego, geralmente é o tapa sem mão que não se vê. Mesmo assim, em alguns casos, é necessário. Dessa forma, existem tantas formas de a expor, é uma questão de escolher bem as palavras que serão usadas.

A sinceridade fortalece laços e cria um ambiente confiável estabelecendo boas relações.
Permitindo conhecer o outro um pouco melhor e seus respectivos sentimentos, (não por completo, mas pelo menos a ideia central), mantendo o elo e criando relações vindouras.

Há muitos anos ouvi a seguinte frase:
“O excesso de sinceridade, se torna falta de educação!!”
De fato, marcante e muito útil.

A vida exige moderação. Desta forma, devemos ter uma cautela a mais, para que não haja ferimentos graves.

A sinceridade é um compromisso interno e pessoal. Portanto, você deve ser meticuloso e pensar, antes de exteriorizar.

Palavras podem ser “duras”, pesadas, ganham força através da entonação que são usadas. Sendo assim, uma opinião pode tornar-se julgamento, sem que essa seja a intenção.

Use as palavras com sinceridade e sabedoria, pense, repense, não se pronuncie em vão.
Como costumam dizer:
“Ouvir é ouro, falar é prata!”
ॐ∞

Leia mais em Xicas