Modelo de cidade inteligente lançada na Espanha

A ACCIONA e a Câmara Municipal da cidade de Toro, localizada na província de Zamora (Espanha), implementaram modelo de cidade inteligente, um sistema de sensorização e monitorização em tempo real dos principais serviços urbanos em andamento na cidade. Essa ação transforma a região em uma das cidades inteligentes mais avançadas da Europa.

O sistema consiste em 200 sensores sem fio, de baixo consumo, conectados a uma rede que coleta dados da iluminação urbana em tempo real, além do ciclo integral da água, da coleta de lixo, da gestão de parques e jardins municipais e também de veículos de manutenção urbana.

Esses dispositivos de monitoramento capturam dados relevantes de cada um desses serviços que são analisados usando a tecnologia de Big Data para tomar decisões de gerenciamento em tempo real, capazes de afetar alguns serviços. São eles:

Iluminação: os sensores determinam a necessidade ou não de acender os pontos de luz públicos, pois permitem ajustar a iluminação à luz real que existe em todos os momentos (não só com base no tempo, mas também nas condições meteorológicas, etc.).

Lixo e reciclagem: foram instalados sensores de enchimento e temperatura para determinar de forma dinâmica as rotas de coleta de lixo, evitando acúmulos ocasionais de resíduos e odores, bem como os deslocamentos desnecessários. Desta forma, o serviço ao cidadão é melhorado, ao mesmo tempo em que se economiza em emissões de CO2 e em custos operacionais.

Veículos de serviço urbano (manutenção e obras municipais) e jardinagem: os sensores monitoram a posição desses veículos para minimizar o tempo de resposta em caso de incidentes e otimizar as rotas.

Gestão da água: são monitoradas as informações dos hidrômetros – aparelhos que medem o consumo da água – além da instalação de sensores Ad-Hoc. Isso protege o meio ambiente, reduz possíveis perdas de água e também evita problemas de faturamento excessivo devido a vazamentos não detectados. Além disso, ao facilitar a solução de problemas, as falhas de água são minimizadas.

Nesse sentido, além dos sensores, o projeto, denominado “Smart Water Lights”, prevê a implantação de uma rede de comunicação sem fio de baixo consumo, que permite a transmissão de dados por longas distâncias.

Esta tecnologia tem a vantagem de reduzir o consumo de bateria para que os sensores instalados tenham uma longa autonomia de funcionamento – essencial para a viabilidade e escalabilidade do sistema. Desta forma, mostra-se como uma ótima alternativa para equilibrar o poder de coleta e processamento de dados, com a vida útil da bateria e necessidades de manutenção.

A ACCIONA gere o serviço urbano de água da cidade de Toro desde 2001, tanto o abastecimento como o saneamento e purificação da água, através de uma concessão de 25 anos. O contrato inclui a gestão de assinantes, leitura de contadores, controle de qualidade da água, reparação de avarias, realização de novas redes e ligações, manutenção de captações e D.A.R., entre outros.

Sobre a ACCIONA

A ACCIONA é uma empresa global, líder no fornecimento de soluções regenerativas para uma economia descarbonizada. Seus serviços abrangem energia renovável, tratamento e gestão de água, transporte ecoeficiente e sistemas de mobilidade, infraestruturas resilientes, entre outros. A empresa, que está presente em mais de 60 países, é neutra em carbono desde 2016. Em 2020, a ACCIONA registrou faturamento de € 6,4 bilhões.

Mais informações: www.acciona.com.br / Instagram/Facebook/LinkedIn: @acciona

Gostou de “Modelo de cidade inteligente lançada na Espanha“?

Modelo de cidade inteligente lançada na Espanha
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.031 outros assinantes

Grupo Flash Courier planeja ampliar 50% o número de franquias até 2022

O modelo de franchising é uma estratégia utilizada na administração e gestão de empresas que tem como objetivo criar um sistema de venda de licenças. Nessa forma de contrato, o detentor da marca cede aos franqueados o direito de utilização de patentes, infraestruturas, know-how e direitos de distribuição de produtos e serviços. O grupo Flash Courier, do qual a operadora logística Moove+ faz parte, utiliza esse modelo desde sua fundação e tem nas franquias um dos motores de seu desenvolvimento.

Atualmente, o grupo Flash Courier trabalha com 240 franqueados, três filiais da operadora logística Moove+ e dois HUBs, além dos cinco que estão em processo de abertura. Unidos, eles formam um sistema capaz de atender todo o território nacional. O grupo tem como objetivo aumentar o número de franquias em 50% até o primeiro semestre de 2022.

O gerente de franchising da Moove+, Bruno Garcia, que atua no segmento logístico há oito anos, explica que o processo de ampliação da malha e expansão da marca está acontecendo a todo vapor: “Buscamos cada vez mais por parceiros que atendam a 100% das regiões brasileiras com rapidez e eficácia. Atualmente, atendemos 2.198 cidades, e a previsão é aumentar muito esse número”. 

De acordo com Bruno, as franquias trazem diversos benefícios para os franqueadores, desde a expansão da marca até a agilidade nas entregas, além de proporcionar um conhecimento único sobre as microrregiões. O franqueado também vê vantagens nesse modelo: “Quem utiliza a marca de uma empresa bem construída recebe um selo de qualidade que fará com que ele atinja novos clientes. Fora isso, o franqueado recebe todo o suporte nas vendas, marketing, sistemas, diversas formas de ganhos com remunerações e bonificações, além de eventos corporativos e premiações”, diz o gerente.

Devido aos processos de inovação e melhoria desenvolvidos ao longo do tempo, a empresa recebe há 14 anos o Selo Excelência em Franchising da Associação Brasileira de Franchising (ABF). “Começamos a receber o selo em 2006, e não queremos parar por aqui. Por isso, o planejamento de expansão da marca e da malha da nossa companhia tem sempre se apoiado no bom desenvolvimento e no aprimoramento de nossos serviços”, afirma o CEO do grupo Flash Courier, Guilherme Juliani.

O executivo conta que a marca recentemente expandiu suas atividades para Portugal, e estão iniciando as operações na Espanha. “Temos planos para continuar ampliando a malha Flash Courier e Moove+, com o objetivo de aprimorar a nossa velocidade de entrega, bem como fazer com que alcancemos novos destinos”, finaliza o CEO.

Sobre a Moove+

A Moove+ faz parte do grupo Flash Courier, presente no mercado há mais de 25 anos e referência em logística no Brasil. Sediada em São Bernardo, no ABC Paulista, opera em um espaço de mais de 20.000 m². Líder no setor bancário, sua carteira de clientes é composta por agências financeiras, bancos, empresas de ingresso, gestoras de benefícios como vale alimentação, refeição e transporte, planos de saúde, entre outros segmentos. Para se ter uma ideia da proporção da operação, atualmente, sua malha de distribuição realiza cerca de 9 milhões de entregas por mês.

Nos últimos anos, a Moove+ investiu pesado em tecnologia e inovação – como robótica, mobile, big data, automação e sharing economy – e no processo de adaptação às novas exigências do governo, em especial as obrigações de CT-e, MDF-e e SPED, que de maneira geral, têm o objetivo de garantir a transparência e a segurança durante o transporte. Além disso, a empresa está licenciada para operar no mercado de logística e distribuição de produtos certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), segmento que tem impulsionado ainda mais o crescimento da empresa. Mais informações: http://www.moovemais.com.br

Gostou da nossa matéria “Grupo Flash Courier planeja ampliar 50% o número de franquias até 2022“?

Grupo Flash Courier planeja ampliar 50% o número de franquias até 2022
Guilherme Juliani, CEO da Moove+. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e mais vagas de emprego abertas. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.031 outros assinantes

Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos

A Justiça suspendeu a liminar que garantia a manutenção da gratuidade no transporte público para idosos com mais de 60 e menos de 65 anos na cidade de São Paulo. Porém, sindicato recorrerá por transporte grátis.

Segundo o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Geraldo Pinheiro Franco, a definição de tarifas de transporte é competência do Poder Executivo, e o Judiciário não deve interferir no assunto.

Na última quinta-feira, dia 7, o juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Luis Manuel Pires, concedeu uma liminar que foi derrubada agora, e que proibia cobrança.

A ação foi movida pelo Sindicato Nacional dos Aposentados e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas. O vice-presidente do Sindicato dos aposentados, Plínio Sarti, prometeu entrar com recurso.

Por enquanto, o que vale é que a partir do dia 1º de fevereiro, os idosos de até 65 anos voltam a pagar pelo transporte público na região metropolitana.

A estimativa da SPTrans é que cerca de 186 mil passageiros nessa faixa etária usem diariamente a gratuidade do transporte. É o caso do mecânico de manutenção aposentado Juarez Martelozo, Ele tem 63 anos e faz bicos como motorista para complementar a aposentadoria de 2 salários mínimos.

A gratuidade para idosos com mais de 65 anos está prevista na Constituição Federal e vale para todo o país. Mas a isenção da tarifa nos trens, metrô e ônibus da capital paulista para quem tem entre 60 e 64 anos foi autorizada pelo ex-prefeito Fernando Haddad, do PT, e estava em vigor desde 2014.

A decisão de suspender o benefício foi anunciada no final do ano passado pelo prefeito Bruno Covas e pelo governador João Doria, os dois do PSDB.

Já os prefeitos das sete cidades da região do ABC, na Grande São Paulo, decidiram nesta terça-feira que, por enquanto, vão manter a gratuidade no transporte municipal.

“Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos” é com informações de Agência Brasil

Gostou da matéria “Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Então, aproveite e leia mais sobre a Gratuidade do Bilhete do Idoso.

Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos
Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas

QR Code no Metrô e CPTM

Passageiros de transporte sobre trilhos poderão adquirir o Bilhete Digital QR Code (Metrô e CPTM) por meio de aplicativo de celular e máquinas de autoatendimento nas estações

O Governo do Estado de São Paulo lançou nesta sexta-feira o TOP, novo Bilhete Digital QR Code para embarque nas estações da CPTM e do Metrô. A novidade, que já passava por um teste piloto em algumas estações desde o ano passado, chega para substituir, a médio prazo, o bilhete unitário tradicional (conhecido como Edmonson). Desta forma, trazendo mais rapidez e comodidade para quem utiliza o transporte sobre trilhos. A cerimônia de lançamento, na Estação da Luz, contou com a presença do Governador João Doria e do Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

O novo Bilhete Digital QR Code tem o mesmo valor que o anterior, R﹩ 4,40 por passagem. Além disso, conta com a praticidade de poder ser comprado e utilizado direto pelo celular, por meio do aplicativo TOP, disponível para celulares Android e IOS. “Essa é a modernidade. Um sistema digital é um sistema mais rápido, mais eficiente, de menor custo e que também impede a fraude. Coloca o Estado dentro do patamar das principais regiões do mundo. Sobretudo na Ásia, onde o sistema já é utilizado para facilitar o ingresso às estações de transporte”, afirmou Doria.

Como usar o QR Code no Metrô e CPTM

O uso do QR Code em versão mobile para pagamento de tarifas torna-se um aliado para uma mobilidade mais segura, sem contato físico ou manuseio de dinheiro, uma vez que o pagamento é feito por cartão de débito ou crédito. Pelo aplicativo TOP, o cliente pode adquirir, diariamente, até 10 bilhetes que ficam disponíveis no app para quando ele precisar usar, sem prazo para expirar.”Essa tecnologia visa facilitar a vida dos cidadãos no dia a dia. Esse meio é usado para substituir ao bilhete físico usado atualmente e complementa os demais bilhetes”, disse o secretário Alexandre Baldy.

Além do aplicativo TOP, o passageiro também poderá comprar o Bilhete Digital QR Code nas máquinas de autoatendimento (ATM). Estas, localizadas dentro das estações, com cartão de débito, e, muito em breve, em estabelecimentos comerciais parceiros. O bilhete é então impresso para que a pessoa use nas catracas. Mesmo sem ter uma data de validade, no caso do Bilhete Digital QR Code impresso, a recomendação é de que ele seja utilizado em até 72 horas após a emissão para evitar que a impressão do código sofra danos. Para garantir o melhor uso na sua versão em impressa, também é recomendado que não o amasse, dobre, rasgue ou molhe. Inclusive com álcool em gel, para evitar que o QR Code seja inutilizado, e que, após o uso, o papel seja descartado na lixeira mais próxima.

Onde encontrar?

Os Bilhetes Digitais QR Code poderão ser utilizados nas catracas sinalizadas e preparadas com a tecnologia, impresso ou digital direto da tela do celular. Basta aproximar o código do leitor indicado. Neste período de transição, haverá a presença de profissionais identificados nas estações para auxiliar os usuários no uso das máquinas ATMs e oferecer suporte nos leitores instalados nas catracas. Os clientes do TOP também contarão com atendimento por WhatsApp, pelo telefone (11) 3888-2200, 24 horas por dia, todos os dias da semana.

QR Code, sigla para Quick Response Code (Código de Resposta Rápida) é uma tendência nos meios de pagamento e a implantação dessa tecnologia significa um passo inovador para o transporte coletivo, pois, além de melhorar a experiência do usuário, proporciona mais controle e gestão de dados. Outra vantagem é a redução de custos operacionais, facilitando a logística, distribuição e armazenamento dos bilhetes unitários.

Para mais informações sobre o TOP: http://www.boradetop.com.br

Redes:

Facebook:http://www.facebook.com/boradetop

Instagram:http://www.instagram.com/boradetop/

Twitter:http://twitter.com/boradetop

Lojas de apps:

Google Play:http://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.autopass.top

Apple Store:http://apps.apple.com/app/id1542664234

Plantão STM: (11) 97150-4932

Operação Fim de Ano já está em vigor em Santo André

O Departamento de Engenharia de Tráfego (DET) de Santo André iniciou nesta sexta-feira (27) a Operação Fim de Ano, visando melhorar as condições de circulação para veículos e pedestres em toda a região central nas semanas que antecedem o Natal. A ação, que contará com o monitoramento por agentes de trânsito e câmeras, reprogramação semafórica e reforço da sinalização horizontal e vertical, seguirá até o dia 24 de dezembro, de segunda a sábado, das 7h às 20h.

A Central de Monitoramento de Tráfego (CMT) do DET, localizada no Centro de Operações Integradas (COI), da Prefeitura, vai gerar as imagens dos principais pontos da região central e contará com a atuação de agentes de trânsito que vão realizar ação especial de orientação e organização do tráfego nos trechos de maior movimento. A área de abrangência da Operação Fim de Ano inclui as avenidas Queirós dos Santos e Quinze de Novembro, Santos Dumont, José Caballero e as ruas Itambé, General Glicério, Figueiras e Cel. Alfredo Flaquer.

Os agentes do DET serão destacados para atuar ainda em pontos fixos, no cruzamento da avenida Bernardino de Campos com General Glicério e com as ruas Dr. Carlos de Campos e Campos Sales. A avenida Quinze de Novembro será monitorada também no cruzamento com a rua General Glicério e na baia de embarque e desembarque da rua Itambé, em frente à estação da CPTM Prefeito Celso Daniel.

Os agentes também farão monitoramento de rotas fixas com motos percorrendo as áreas de abrangência da região central e que compreende ainda as ruas Itambé, Cel. Oliveira Lima, General Glicério, Bernardino de Campos, Monte Casseros, Álvares de Azevedo, e as avenidas Queirós dos Santos e Ramiro Colleoni. Outras regiões comerciais com demanda de vistoria serão contempladas, como as áreas comercias da Vila Luzita, do bairro Santa Terezinha, na rua Carijós, avenida Martim Francisco, no entorno dos shoppings, no Parque das Nações e na Vila Pires.

O Departamento de Engenharia de Tráfego disponibiliza um telefone para que os motoristas solicitem e informem sobre a necessidade de apoio pelo 0800-7703194. Além do destacamento dos agentes de trânsito do DET, bem como o monitoramento por câmeras da CMT, serão feitas adequações na sinalização horizontal e vertical, reprogramação semafórica para otimização dos tempos de verde, de acordo com o aumento de demanda do período.

Essa medida será executada na avenida Quinze de Novembro com a rua General Glicério e avenida Portugal com a avenida José Caballero, além da rua Prefeito Justino Paixão com a rua Dona Elisa Flaquer e rua Delfim Moreira.

Para garantir a fluidez no tráfego e não permitir o represamento de veículos, o DET fará ainda a restrição do estacionamento no lado direto na rua Monte Casseros aos sábados, e nas ruas Presidente Carlos de Campos e Campos Sales, entre a avenida Quinze de Novembro e o calçadão da rua Coronel Oliveira Lima.

Consórcio ABC recebe 76ª Reunião do Fórum Paulista de Mobilidade

Evento será realizado de forma virtual em 25 de novembro e terá o Consórcio ABC como anfitrião

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC será o anfitrião da 76ª Reunião do Fórum Paulista de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade, marcada para 25 de novembro. O evento será realizado por meio de videoconferência e vai reunir secretários municipais, técnicos e especialistas, além de empresas privadas do setor.

O encontro é organizado pela secretaria executiva do Fórum Paulista e pela Organizadora de Eventos para Mobilidade Urbana, tendo o Consórcio ABC como parceiro na realização e apoio da Secretaria Estadual de Logística e Transporte.

A reunião terá como pauta a apresentação do processo “Modelagem de informação da construção”. Trata-se de uma tecnologia 3D inteligente, baseada em um modelo que equipa os profissionais de arquitetura, engenharia e construção com informações e ferramentas para planejar, projetar, construir e gerenciar edificações e infraestrutura. A iniciativa permite mais eficiência e otimização de recursos financeiros.

As inscrições são gratuitas. Clique aqui para se inscrever.

Guia de transporte público deve orientar eleitos deste ano

Objetivo da publicação é oferecer diretrizes para a implementação de melhorias do setor

Entidades de transporte público, ONGs, especialistas e empresas privadas divulgaram uma publicação para orientar os políticos eleitos nas eleições municipais deste ano com ações referentes ao setor. O documento possui propostas ligadas ao transporte coletivo e foi dividido em oito temas, tais como: transparência, infraestrutura, financiamento, ações emergenciais, entre outros. 

O guia intitulado “Como ter um transporte público eficiente, barato e com qualidade na sua cidade”, já está disponível na internet aos postulantes no pleito deste ano. Segundo os autores da publicação, as sugestões contidas no documento podem ser implementadas entre 2021 a 2024, período do mandato dos políticos eleitos neste ano.

Rodrigo Tortoriello, presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, uma das entidades signatárias do documento, e secretário extraordinário de Mobilidade Urbana de Porto Alegre, afirma que um dos objetivos do guia é fornecer aos gestores públicos propostas de fácil implementação. 

“Melhorar o transporte público não necessariamente exige grandes somas de dinheiro. O próprio guia mostra isso, expondo medidas que podem ser implementadas rapidamente e de baixo custo e que trazem resultados positivos à sociedade”, explica. 

O principal direcionamento do guia refere-se a ações de melhoria dos ônibus urbanos, que respondem a 85,7% dos deslocamentos de pessoas em transporte público nos municípios brasileiros.  O documento aponta soluções para a falta de recursos e linhas de crédito que impedem ou retardam as melhorias na infraestrutura urbana.

A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) também contribuiu com as propostas. Otávio Cunha, presidente-executivo da entidade, afirma que um dos entraves para a melhoria do setor é a forma de seu financiamento, que é sustentado pelos passageiros. De acordo com ele, uma das soluções para o problema seria toda a população pagar tarifas públicas de transporte, independente de usá-lo ou não, seguindo exemplos de países mais ricos. 

“No Brasil, apenas o passageiro sustenta o serviço. O transporte de qualidade tem custo elevado. Essa tarifa que a população acha que está cara, possui um valor elevado para quem paga e insuficiente para a prestação de um serviço de boa qualidade.”

Pandemia

Os impactos financeiros no setor por conta da pandemia do novo coronavírus também estão presentes na publicação. Os autores alegam que as medidas implementadas em várias cidades foram cruciais para minimizar os efeitos da doença e que, em alguns municípios, ações econômicas ainda serão necessárias em 2021.

Fonte: Brasil 61

ANTT aprova estudos para nova concessão da Dutra

Projeto vai injetar R$ 14,5 bilhões em investimento e também contempla a concessão de trecho da BR-101

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou o projeto da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) para a nova concessão da rodovia Presidente Dutra, que liga as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A proposta vai injetar R$ 14,5 bilhões em investimento e também contempla a concessão de um trecho da BR-101, entre os municípios do Rio de Janeiro, no bairro de Campo Grande, e Ubatuba (SP).

Os estudos seguem para o Ministério da Infraestrutura, que irá submeter os documentos de licitação ao Tribunal de Contas da União (TCU). A aprovação do TCU é a última etapa antes da publicação do edital de concessão. O governo federal estima que o leilão seja feito dentro dos seis primeiros meses do ano que vem. O novo operador administrará os trechos pelos próximos 30 anos. 

Pela BR-116 e BR-101, circulam milhões de veículos diariamente. As rodovias fazem parte da rota em direção aos principais pontos de distribuição de bens e mercadorias, como o porto de Santos, aeroporto de Guarulhos, as regiões Sul, Nordeste e Centro-Oeste.

Fonte: Brasil 61

Linha 15-Prata opera com problemas na tarde desta segunda-feira (05)

Uma interferência na via deixa a linha inteira operando com velocidade reduzida

Os passageiros que utilizam o monotrilho da Linha 15-Prata, na capital paulista, encontram problemas desde às 15h45 desta segunda-feira, 05 de outubro de 2020.

De acordo com o Metrô de São Paulo, a operação é realizada com velocidade reduzida e maior tempo de parada nas estações devido interferência de via na estação Vila União.

Técnicos atuam para solucionar a falha e regularizar a operação.

Fonte: Diário do Transporte

Consórcio ABC apresenta projeto do Centro de Controle Regional

Encontro dos fóruns paulista e nacional de secretários e dirigentes do setor terminou nesta quarta-feira (30/9)

O evento conjunto da 75ª Reunião do Fórum Paulista e da 97ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana, reuniu nesta quarta-feira (30/9), por meio de videoconferência, mais de 120 participantes, incluindo representantes de vários estados brasileiros. Iniciado na terça-feira, o encontro teve o Consórcio Intermunicipal Grande ABC como anfitrião.

Participaram da abertura do evento os presidentes do Fórum Nacional, Rodrigo Tortoriello, e do Fórum Paulista, Atílio Pereira. A mediação do encontro foi realizada por Paulo Roberto Guimarães, secretário de Mobilidade Urbana de São José dos Campos.

Em seguida, o Consórcio ABC apresentou o projeto do Centro de Controle Regional de Mobilidade Urbana do Grande ABC, desenvolvido pela entidade regional. A iniciativa foi detalhada pelo secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, e por Antonio Carlos Junqueira, representante da empresa contratada para elaboração do projeto.

“Somos uma região com 2,8 milhões de habitantes, com sete cidades muito interligadas e praticamente sem divisas. Por isso, o Centro de Controle é muito importante e, como já está com seu projeto concluído, não é mais um sonho“, afirmou Brandão.

A coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) Mobilidade Urbana do Consórcio ABC, Andrea Brisida, explicou que, finalizado o projeto, o objetivo da entidade regional é buscar recursos para sua implementação, inclusive no exterior. 

Entre os demais palestrantes do dia, o diretor-presidente do Detran-SP, Ernesto Mascellani Neto, falou sobre as principais ações desenvolvidas em conjunto com o Poupatempo e ressaltou os benefícios da articulação com as prefeituras.

“A aproximação com os municípios é muito importante, por isso estamos abertos para ouvir as necessidades de todos. Tenham o Detran como um grande parceiro que tem como objetivo proporcionar melhores serviços para os cidadãos”, afirmou Mascellani.

Dulce Lutfalla, conselheira do  Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo (Cetran-SP), abordou a revisão do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) por meio do Projeto de Lei (PL) 3267/2019, que aguarda sanção presidencial.

O encontro também contou com a apresentação da iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito, realizada por Hannah Arcuschin Machado, coordenadora de Desenho Urbano e Mobilidade pela Vital Strategies, e Paula dos Santos, gerente de Mobilidade Ativa da WRI.

Participaram ainda do encontro o diretor de Mobilidade da Digicon, Hélgio Trindade Filho; o diretor de Tecnologia da Associação Brasileira das Empresas de Engenharia de Trânsito (Abeetrans), Newman Marques; o diretor da Estapar,  Adélcio Antonini; Antônio Carlos Munhoz, especialista em Acessibilidade; Renato Campestrini, especialista em Trânsito; e Célio Freitas Bouzada, presidente da Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans); o assessor especial do secretário estadual de Logística e Transporte, Luiz Alberto Fioravante; e o vice-presidente do Fórum Paulista, Jorge Akira Kobayaski.

Foto: Divulgação/Consórcio ABC

Rodolfo Albiero
Assessoria de Comunicação

Consórcio Intermunicipal Grande ABC
Av. Ramiro Colleoni, 5 – Centro
Santo André – São Paulo
Tel: 4435-3575 

www.consorcioabc.sp.gov.br 

Mobilidade urbana tem cerca de R$ 1,7 bi de investimentos

Recursos foram alocados para o Programa Avançar Cidades, do Ministério do Desenvolvimento Regional

Em pouco mais de um ano, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) liberou aproximadamente R$ 1,7 bilhão para projetos de mobilidade urbana por meio do Programa Avançar Cidades. Segundo o governo federal, os recursos foram encaminhados a 179 cidades brasileiras das cinco regiões do país. Os investimentos contemplam cidades da Bahia, Ceará, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Maranhão, Minas Gerais, entre outros estados. 

Os repasses foram utilizados em obras de pavimentação asfáltica, construção de terminais e corredores de ônibus, Instalação de sinalização viária e calçadas com acessibilidade e elaboração de estudos e projetos.

Criado em 2017, o Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana tem o objetivo de melhorar a circulação das pessoas nos ambientes urbanos por intermédio do financiamento de projetos por parte do governo federal. 

Fonte: Brasil 61

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 1.031 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Dia Mundial sem Carro chama atenção para bicicleta

Data chama atenção para debates sobre mobilidade urbana

Hoje (22) é comemorado o Dia Mundial Sem Carro. A data é usada por entidades envolvidas com o debate sobre mobilidade urbana para chamar a atenção para alternativas a veículos individuais motorizados, como a bicicleta.

Este é o meio de transporte de Marcelo Santos. Aposentado, ele se desloca pedalando e tem um projeto com alunos de jornalismo da Universidade Federal Fluminense sobre o tema. Até se aposentar, ia da casa para o trabalho em um trajeto de 14 quilômetros diários de pedalada.  

“Eu usava transporte público, mas encontrava dificuldade. Andei muito de bicicleta até meus 26 anos e voltei a andar há quatro anos. A opção foi por achar mais fácil me movimentar entre meu trabalho e minha casa sem transtorno de engarrafamento e outros obstáculos”, conta.

Não há dados muito consolidados sobre a realidade de pessoas como Marcelo no Brasil. De acordo com o relatório mais atual sobre os ciclistas, denominada Perfil do Ciclista 2018, da Parceria Nacional pela Mobilidade por Bicicleta, 75,8% utilizavam o meio de transporte para ir ao trabalho, 61,9% para o lazer, 55,7% para fazer compras e 25,4% para ir à faculdade.

Dos ouvidos, 82,5% pedalavam mais de cinco vezes por semana, 59% usavam há mais de cinco anos, 55% levavam entre 10 minutos e 30 minutos em suas viagens, 40,3% têm renda entre 1 e 2 salários e 25.7% têm entre 25 e 34 anos de idade.

As principais motivações para pedalar são rapidez e praticidade (34,8%), saúde (25,8%) e custo (22%). Os principais problemas enfrentados são segurança no trânsito (40,8%), a infraestrutura (37,9%), segurança pública (7,9%) e sinalização (6,9%).

A diretora-presidente da União de Ciclistas do Brasil, Ana Carboni, destaca que apesar da presença quantitativa das bicicletas no país, ela ainda é pouco valorizada como meio de transporte tanto entre as pessoas quanto no planejamento das cidades e das estruturas de mobilidade.

“A frota de bicicleta é maior do que a de automóveis. Contudo, o Brasil continua priorizando os veículos individuais motorizados. 80% da infraestrutura viária nas cidades é dedicada ao carro e à moto, que transporta menos de 30% da população. Existe um desequilíbrio muito grande. A maioria das pessoas se locomove a pé, de bicicleta ou de transporte público”, pondera.

Ana Carboni defende que é preciso repensar as cidades considerando novos modelos de mobilidade. A dificuldade posta nas distâncias de grandes centros urbanos está diretamente relacionada às desigualdades e como elas se colocam nos territórios. Mas ela acredita que as duas rodas podem ser uma alternativa real, não somente sozinhas como em combinação com outros modais, como metrô.

“A bicicleta tem potencial de intermodalidade, mas o transporte público precisa melhorar. Precisa haver investimento em infraestrutura, em bicicletários, bicicletas compartilhadas, e a bicicleta pode ser usada como primeira ou última perna”, defende. Ela cita como exemplo a cidade de Fortaleza, onde é possível usar o bilhete de ônibus para pegar bicicletas compartilhadas e fazer parte do trajeto.

Ciclismo e pandemia

A União dos Ciclistas do Brasil lançou um documento com sugestões de adaptação das vias e estruturas de mobilidade no contexto da pandemia. Como o transporte público se tornou um vetor de transmissão do vírus e parte expressiva da população não conta com a possibilidade do transporte por carro, as bicicletas se tornaram uma alternativa de mobilidade.

As bicicletas também passam a ser empregadas crescentemente na logística. Os entregadores de aplicativo são um exemplo dessa tendência e forma de deslocamento.  

“O transporte por bicicleta não polui o ar, evita contato físico direto e promove saúde e bem-estar. Além dos benefícios ambientais, há também benefícios socioeconômicos: trata-se de um veículo de baixo custo e acessível, sendo a ciclomobilidade a aposta de muitos países para recuperar a economia”, defendem os autores.

Uma série de cidades em todo o mundo, como Berlim (Alemanha), Bogotá (Colômbia) e Vancouver (Canadá) adotaram medidas emergenciais, como a construção de ciclovias temporárias (com sinalização ou com reserva de faixas com cones, por exemplo).

A construção dessas ciclofaixas pode ser feita a baixo custo, com sinalização. O documento sugere cores como amarelo e vermelho para remeter ao sinal de alerta e trazer maior contraste com o pavimento. São sugeridas também barreiras móveis para reforçar a demarcação e evitar acidentes causados por motoristas.

Outra alternativa é a ampliação de espaços para pessoas. Em Brasília, isso foi feito na pandemia em algumas vias. Mas, de acordo com os autores, ainda de forma limitada por ocorrer em alguns dias. Eles advogam pelo uso deste recurso de forma mais perene, com o objetivo de incentivar o deslocamento ativo.

Marcelo Santos destaca que várias cidades estão vendo o novo normal com a necessidade de incentivar a mobilidade ativa. “Sabe-se que no Brasil 70% das viagens são de no máximo 8 km, é uma distância viável para qualquer um pedalar. O desafio maior é da sociedade entender que esse é um momento de retornar diferentes”, opina.

Fonte: Agência Brasil