ACREDITANDO EM VOCÊ E NO QUE FAZ

Rogério de Caro é autor desta coluna e da matéria “ACREDITANDO EM VOCÊ E NO QUE FAZ”.

Em um dos meus trabalhos de mentoria, o mentorado é um executivo bem ponderado e discreto na forma de pensar e agir. O que não tem nada de errado é uma qualidade. Tem o seu tempo para tomar decisão e isso também é bom. Um dia ele me surpreendeu e veio dizendo vou viajar para o exterior, OK vou ver o que precisa ser feito.

Quando retornei para minha casa vinha pensando, ele já sabe o quer, ele já definiu o que deve ser feito e fará. Sabe o que está acontecendo, “rompendo o lacre do potencial”, pensar, acreditar e agir.

Não sei se é medo ou receio, quando temos essa emoção, ela de alguma forma inibe ou posterga o que vamos fazer, tanto na vida pessoal como profissional.

Romper o lacre do potencial é quando você acredita no que faz e não tem medo de se desafiar a fazer algo que nunca fez, a sua crença é uma fé inabalável e quando isso ocorre você é conduzido para aquilo que quer, o sucesso.

Somos capazes de tudo, basta querer fazer a coisa acontecer da forma certa e acreditar com fé (acreditar com fé é inabalável sob qualquer adversidade).

Sua carreira pode decolar de forma muito mais rápida e consistente, entre em contato:
Whatsapp: 11 94777 9496
email: rogerio@rogeriodecaro.com.br
Site: www.rogeriodecaro.com.br

Gostou da nossa matéria “ACREDITANDO EM VOCÊ E NO QUE FAZ”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Junte-se a 2.727 outros assinantes

Mercado em expectativa, após decisão do STF

Com a decisão do Plenário do STF, mantendo a posição de excluir o ICMS na base de cálculo do PIS/COFINS, fica esclarecido que a parcela a ser excluída corresponde ao imposto destacado e modula os efeitos da decisão a partir de 15/03/2017. No julgamento, retomado após anos de espera, o Plenário do STF fixou a tese de que “o ICMS não compõe a base de cálculo para fins de incidência do PIS e da COFINS.” . Com exclusão do ICMS na base de cálculo do PIS/COFINS pelo STF, mercado tem expectativa pelos próximos capítulos.

Segundo o especialista André Alves de Melo, sócio na área de Tributário do Cescon Barrieu, o julgamento trouxe um cenário de segurança jurídica em relação à tese, e não uma reviravolta, e de certa maneira, com ressalva à posição adotada, não surpreendeu em relação à modulação dos efeitos, quando assegurado o direito daqueles que possuíam ações em curso à época do julgamento. Com isso, a expectativa geral em torno da decisão do STF se concretizou.

“Ainda que a conclusão do julgamento contribua para reduzir a insegurança que girava em torno do tema, os reflexos da decisão devem ser apurados caso a caso. Aspectos como a recuperação dos valores pagos no passado, efeitos nos PER/DCOMP já transmitidos e autos de infração em curso ou em fase de rediscussão no judiciário, impactos nos processos judiciais existentes, cumprimento de obrigações acessórias, divulgação de informações societárias e apuração dos tributos incidentes sobre o indébito devem ser objeto de análise. É provável que a RFB se manifeste oficialmente sobre o tema, sendo preciso acompanhar os próximos capítulos”, explica o advogado.

“Outros pontos interessantes do desfecho dado é que teremos a corrida pelo julgamento da tese de exclusão do ISS da base de cálculo do PIS e da COFINS, uma tese já em fase avançada no STF (tema 118), com o reconhecimento pela própria Fazenda Nacional quanto à similitude dos argumentos jurídicos da tese, sendo que uma vez reafirmados ontem pelo STF, a expectativa será pelo julgamento também favorável aos contribuintes. Somados esses julgamentos a reforma tributária, ainda que particularizada para PIS e COFINS, ganha um reforço”, acrescenta.

Ainda segundo o especialista, uma situação, ainda que em menor escala, que irá perdura é a do contribuinte que ajuizou a ação judicial após março/17 (marco temporal do STF) e obteve o trânsito em julgado antes do desfecho de ontem. “Aqui teremos um debate sobre coisa julgada x modulação”.

Da decisão

Na sessão, a Ministra Carmen Lúcia acolheu parcialmente os Embargos de Declaração opostos pela Fazenda Nacional apenas para modular os efeitos da decisão, cuja produção de efeitos deverá ocorrer a partir de 15/03/2017, quando fixada a tese acima, resguardando-se o direito dos contribuintes com ações judiciais ajuizadas e procedimentos administrativos formalizados até aquela data, sendo seguida pela maioria dos Ministros. Assertiva quanto à inexistência de contradição, omissão ou obscuridade, a Relatora afirmou ainda que todo o ICMS dever ser excluído da base de cálculo do PIS/COFINS, citou passagens do voto no sentido de que essa parcela corresponde ao imposto destacado e reforçou o conceito adotado pelo STF de que apenas o ingresso efetivamente incorporado ao patrimônio do contribuinte constitui receita apta a servir de base de cálculo das aludidas contribuições. 

Sobre a modulação dos efeitos da decisão, a Ministra promoveu uma recapitulação da jurisprudência, destacando que no passado o STF não reconheceu o caráter constitucional da discussão e que a jurisprudência, ainda que inter partes, prevalecia no sentido de admitir a inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS/COFINS, de modo que a mudança de cenário justificava a atribuição de efeitos prospectivos, ressalvados os casos de ações e processos administrativos inaugurados até 15/03/2017, data da sessão do julgamento do RE nº 574.706/PR. Nenhum dos Ministros atribuiu efeitos infringentes aos Embargos de Declaração, restando mantida a tese que “o ICMS não compõe a base de cálculo para fins de incidência do PIS e da COFINS.

Por André Alves de Melo, sócio na área de Tributário do Cescon Barrieu.

Gostou de “Mercado em expectativa, após decisão do STF“?

Mercado em expectativa, após decisão do STF. Foto de energepic.com no Pexels

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 2.727 outros assinantes

Visão Estratégica do Negócio

Visão estratégica do negócio é o principal conceito abordado no mundo corporativo, é fundamental para a prosperidade do negócio. Trocando em miúdos é o planejamento futuro da empresa, busca definir os objetivos e o que deve ser feito para alcança-los.

Considero que a visão estratégica do negócio é algo muito importante, ele define o rumo que a empresa vai tomar, e para isso é importante pensar fora da caixa o que
não é muito fácil quando se envolve com o dia a dia operacional do negócio.

Estrategista é uma qualidade que poucos tem, sabe lidar com crises, conflitos, problemas de futuro, tendências de mercado, o que não é nada fácil. Como esses caras estão trabalhando nos dias atuais, com a COVID, trabalho home office, vendas online e soluções digitais. Não falta trabalho e grandes desafios para eles.

Uma empresa não deve cometer o erro de apenas pensar no seu faturamento, vendas mensais, trimestral, anual, o grande desafio é como ela estará daqui cinco anos e o que estará vendendo e quem são os seus clientes e concorrentes.

Uma empresa que tem uma visão estratégica clara do seu negócio, ela tem um diferencial competitivo, ela sabe para onde vai, o que entrega ao seu cliente, e planeja o seu futuro, nada mais é que se preparar para perpetuar.

Muitos empresários podem não ter esta habilidade, mas com certeza eles são bons em outras coisas e como fazer ter uma visão estratégica do negócio, pode contratar um profissional e ele desenvolve este trabalho para a sua empresa e você pode se preparar melhor.

No próximo artigo vamos falar sobre isso.

Sua carreira pode decolar de forma muito mais rápida e consistente, entre em contato:
11 94777 9496
rogerio@rogeriodecaro.com.br
www.rogeriodecaro.com.br

Gostou de “Visão Estratégica do Negócio”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal. Então, aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ESTÁ PROVOCANDO MUDANÇAS SIGNIFICATIVAS NO AMBIENTE DE TRABALHO

Com ou sem pandemia, cursos de graduação já deveriam preparar os alunos para um mercado totalmente diferente do atual.

O isolamento social, adotado por muitos países para amenizar os impactos da pandemia de coronavírus, fez com que muitos modelos de negócios migrassem totalmente para o ambiente online, além de alavancar o home office.

Apesar de sentirmos o impacto dessas transformações repentinas, a mudança não surpreende, já que muitos desenvolvimentos ou inovações digitais dependiam do desapego de métodos e ações antigas, com as quais as pessoas já estavam acostumadas e representavam suas zonas de conforto. Durante a quarentena, essas pessoas tiveram que quebrar suas resistências e passaram a conviver mais de perto com muitas novas tecnologias digitais.

Algumas dessas novas experiências, inclusive, não irão ser simplesmente descartadas ao final do período de isolamento, pois já representarão uma quebra de paradigma nos métodos antiquados e se mostraram mais eficientes e confiáveis.

Reuniões virtuais, trabalho em home office e compras online ganharam novos status e diferentes dimensões. Empresas que não digitalizarem rapidamente seus negócios, e que resistiram a essa mudança até agora, devem sofrer nos próximos anos com fortes concorrências diversas do mundo online.

E, embora haja a expectativa de curto prazo de que os países se fechem e priorizem o mercado interno logo após a pandemia, as empresas que irão sobreviver serão aquelas que investirem em digitalização e que voltarem a serem globalizadas rapidamente. Não existe mais mercado forte sem considerar o mundo inteiro. Quanto mais tempo um mercado ficar fechado em si próprio, mais ultrapassado vai se tornar.

Os alunos das universidades, independentemente de seus cursos de graduação, já deveriam se preparar para um mercado de trabalho diferente, com ou sem pandemia. O mercado de trabalho foi impactado pelo isolamento, mas ainda vai sofrer mudanças significativas com a entrada cada vez mais contundente da Inteligência Artificial, Robótica, Computação Quântica, nanotecnologia e outras inovações na sociedade e nos meios produtivos.

Deste modo, uma Instituição de ensino preparada para o futuro é aquela que possui uma estrutura dinâmica, fluida, amorfa, que consiga se movimentar junto com o mercado, que permita aos seus alunos desenvolverem suas competências na prática, resolvendo problemas reais e modernos, e com uma visão voltada às megatendências do futuro da sociedade e do mundo. 

Prof. Dr. Flavio Tonidadel
Vice-reitor de Extensão e Atividades Comunitárias
Centro Universitário FEI

Fonte: FEI

Toda a crise é uma grande oportunidade de inovação

Na língua chinesa “crise”, é a combinação de dois símbolos. Um significa “perigo” e o outro “oportunidade”. Toda crise traz incerteza, instabilidade, medo, fraqueza na economia, mas também proporciona novas oportunidades de inovação e de negócios.

Não existe oportunidade de inovação e ganhos sem o risco e muitos dos nossos empresários e empreendedores sabem muito bem disso. Em momentos de crises muitos empresários perdem o sono com questões como vou manter a minha empresa funcionando, inovar com recursos escassos?

Estamos vivenciando a pandemia mundial do Covid19 e que acabou de se instalar no Brasil. Hoje estamos de quarentena por orientação dos órgãos de saúde responsáveis, e muita gente em casa. Na economia só algumas atividades estão funcionando normalmente, aquelas que estão na linha de frente de combate a pandemia, as demais pararam ou estão funcionando parcialmente.

O que notamos é que existe os dois lados da moeda os empresários desesperados, o que não está errado e os empresários que estão aproveitando a oportunidade gerada pela crise. Algumas atividades que já existiam passaram a ter uma procura maior como delivery, produtos de higiene, produtos hospitalares, varejo alimentício, medicamentos e outros.

Empresas que não atuam no segmento de saúde, como empresas de perfumes estão produzindo álcool gel, empresa da indústria automobilística está produzindo aparelhos de ventilação mecânica para UTIs. Além de estarem contribuindo para atender a saúde com suas doações, com certeza enxergaram novas oportunidades.

No olho do furacão das oportunidades, estão as empresas de tecnologia com as suas inovações, atendendo as demandas de muitas empresas que precisam para se manter funcionando, relaciono algumas delas:

1-Trabalho home office, disponibilizar infraestrutura de hardware e software

2-Vendas online, está superaquecido, um grande número de empresas está migrando para esta modalidade, para recuperar as suas vendas

3-Reuniões a distância, são disponibilizadas plataformas de vídeo conferencia

4-Robótica: 

   4.1 Robô “Laura” é utilizado em mais de 100 hospitais no Brasil, melhorando a assertividade dos diagnósticos em um menor espaço de tempo, reduzindo os óbitos.

  4.2 Robôs (empresa Dinamarquesa) são utilizados para desinfecção de UTI´s na China, eles reduzem o tempo de execução do trabalho e a ocorrência de infecção das pessoas envolvidas neste trabalho. A Itália já esta implantando esses robôs em suas UTIs.

Vale a pena citarmos oportunidades e inovação que ocorreram no passado da história da humanidade em plena segunda guerra mundial, uma empresa instalada na Alemanha teve proibida a entrada do xarope para produção de determinada bebida.  Neste momento a empresa tinha duas alternativas, encerrava a sua operação no país ou criava um novo produto, optou pela segunda alternativa e nasceu a Fanta.

O outro caso, ocorreu no Brasil em 1930 com uma safra excessiva de café, nesta época ele era o maior produtor de café do mundo e como caíram as demandas os produtores começaram a descartar o café, o governo brasileiro pediu ajuda a Nestle se conseguisse uma forma de conservar o café como conserva o leite em pó, nasceu o Nescafé.

Esta crise é tão ampla que atinge os governos, federal, estadual e municipal que estão sendo ágeis em aprovações no congresso, implantação de novas soluções em semanas. Uma inovação esta sempre associada a uma necessidade e ou oportunidade.

Muitas empresas já estão reavaliando como trabalhavam e como estão trabalhando, quais são as vantagens no processo e econômicas. Teremos muitos desafios e passaremos por muitas dificuldades e com certeza sairemos melhores.

Ao fim da crise da pandemia, nada será como antes, com certeza.

Continue lendo a Parte 2 desta matéria, clique aqui.

Contato:
Tatiana Brito –  (11) 94746 5637 
e-mail – tatiana.brito@rogeriodecaro.com.br

Rogério De Caro – (11) 94777 9496
e-mail – rogerio@rogeriodecaro.com.br

EMPRESÁRIAS REALIZAM RODADA PARA ALAVANCAR NEGÓCIOS

Em busca de novas oportunidades para promover negócios e network, o NME – Núcleo de Mulheres Empreendedoras da ACISA – Associação Comercial e Industrial de Santo André está com inscrições abertas para a sua tradicional Rodada de Negócios, que neste ano ganhou a versão online.

O evento está agendado para o dia 23 de setembro (quarta-feira) às 19h30 e limitado a 49 empresas, sendo permitida a participação de até duas do mesmo segmento. Cada representante terá dois minutos para apresentar seu produto ou serviço.

O valor da inscrição é de R$ 30,00 para associados da ACISA e 40,00 para não associados e parte do valor será revertida para a FEASA – Federação das Entidades Assistenciais de Santo André, por meio do projeto ACISA Solidária. Os interessados podem solicitar ficha de inscrição ou mais informações através do e-mail eventos@acisa.com.br.

O NME faz parte do Projeto Empreender da ACISA, que tem a finalidade de prestar apoio operacional, gerencial e incentivar o associativismo entre micro e pequenas empresas do mesmo segmento, visando o seu crescimento. Atualmente, também integram o projeto os núcleos de Pet Shop, Ciclismo, Escolas Infantis Particulares e Jovens Empreendedores.

Com mais de 4 mil associados e considerada como uma das associações comerciais mais antigas do Estado de São Paulo e 82 anos de fundação, a ACISA está localizada na avenida XV de Novembro, 442 – Centro – Santo André, com estacionamento no local.

Fonte: ACISA