Classificação da Frente de Trabalho de Diadema é divulgada

A Prefeitura de Diadema divulga a lista de classificação da nova seleção pública para bolsistas do Programa Frente de Trabalho. As bolsas são de um salário mínimo (R$ 1.100) por mês e serão 200 vagas, 100 para mulheres e 100 para homens. Haverá cotas para pessoas com deficiência, egressos do sistema penitenciário, mulheres vítimas de violência e população de rua.

Quem foi classificado

Os classificados foram aqueles que cumpriram os requisitos: ter de 18 a 74 anos; ser morador de Diadema; estar desempregado e sem receber aposentadoria, pensões ou seguro-desemprego; pertencer à família de baixa renda, cujos membros tenham rendimento bruto mensal per capita igual ou inferior a 50% do salário mínimo; estar com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) regularizado e em dia com as obrigações eleitorais e de alistamento militar. 

Total de inscrições no período compreendido entre 17 a 27 de maio de 2021 = 12.450 e total de desclassificados (as) = 1.872 de acordo com o Capítulo III – Das Inscrições itens 6 e 7 e Capítulo VII – Das Disposições Finais item 2.

Total geral de classificados(as) = 10.478

SITUAÇÃOFEMININOMASCULINO
1-Total de classificados(as)7.3433.135
2 -Total de Egressos do Sistema Penitenciário e Beneficiários dos Regimes Semiaberto e Aberto172421
3- Pessoas em situação de rua e/ou conviventes nos centros de acolhida de Diadema ou CREAS/CENTRO POP140119
4- Pessoas com deficiência11085

ATENÇÃO: SER CLASSIFICADO NÃO GARANTE A CONVOCAÇÃO. 

A lista abaixo mostra todos os 10.478 classificados em ordem de classificação (número à esquerda do nome). Em breve será feita a convocação dos 200 primeiros classificados. A data e local de comparecimento serão publicados aqui nesta página. 

Para facilitar a consulta, ao abrir a lista o(a) candidato(a) poderá digitar as teclas Control (Ctrl) + F e digitar o nome completo no quadro, porém, deverá conferir o Documento de Identidade – RG, tendo em vista que há homônimos.

Acesse a lista em: http://www.diadema.sp.gov.br/segep-frente-de-trabalho 

Frente de Trabalho

O Programa Frente de Trabalho oferece bolsas a moradores de Diadema em situação de vulnerabilidade social. De iniciativa da Secretaria de Gestão de Pessoas, permite que os bolsistas atuem em atividades de limpeza pública, conservação de áreas verdes e praças, manutenção de prédios municipais, entre outras tarefas. O contrato de trabalho tem prazo de 12 meses e pode ser prorrogado por mais um ano. A concessão das bolsas está de acordo com a Lei nº 2.430/05 e não gera vínculo empregatício com a Prefeitura.

Veja mais Notícias do Grande ABC

Gostou “Classificação da Frente de Trabalho de Diadema é divulgada”?

Classificação da Frente de Trabalho de Diadema é divulgada

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias.

Junte-se a 2.253 outros assinantes

Conta de energia em janeiro será em bandeira amarela

A conta de energia em Janeiro terá bandeira amarela. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) mudará a bandeira tarifária, com relação ao mês de Dezembro. Sendo assim, o valor cobrado deixará a bandeira vermelha para amarela, no início de 2021. Portanto, é provável que as contas dos consumidores sejam menores.

Segundo a agência, a previsão de janeiro do aumento da quantidade de água nos principais reservatórios de água. Portanto, maior produção hidrelétrica é esperado, o que diminuirá os custos relacionados ao risco hidrológico, o que permite a redução da tarifa.

Conta de energia em janeiro

Quanto será a conta de energia em janeiro?

A taxa extra será de R$ 1,343 a cada 100kWh consumidos, a partir de 1º de janeiro. Todavia, a taxa na bandeira vermelha patamar 2, utilizada em dezembro, era de R$ 6,243 para cada 100KwH.

O sistema de bandeiras tarifárias esteve suspenso, desde maio, para reduzir as contas dos consumidores. Nesse sentido, uma das medidas de enfrentamento aos efeitos econômicos da crise do coronavírus. Porém, a cobrança da taxa extra retornou agora em dezembro.

A atualização das bandeiras tarifárias são feitas todos os anos. A Aneel leva em conta parâmetros diversos. Por exemplo, estimativas de mercado, inflação, projeção de volume de usinas hidrelétricas, histórico de operação do Sistema Interligado Nacional.

A Aneel criou o sistema de bandeiras em 2015. O intuito original era de ressarcir os custos com as usinas termoelétricas. Esta fonte de energia é mais cara, frente ao gerado nas hidrelétricas. A indicação do valor da tarifa é feito com as cores verde, amarela ou vermelha, na conta de energia.

A variação ocorre, em especial, em épocas com menos chuvas nas bacias dos principais reservatórios do sistema elétrico nacional. Neste cenário, a agência poderá acionar as bandeiras amarela e vermelha. Por outro lado, quando o nível está dentro do esperado e operacional, a bandeira verde é mantida e sem valores adicionais.

Quando chove menos os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais térmicas para garantir o suprimento de energia no país. Nesse caso, a bandeira fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação das termelétricas acionadas.