Capacitação gratuita com inscrições abertas, oferecida pela ONG Instituto PROA

O objetivo é disseminar e proporcionar aos jovens capacitação profissional e comportamental, e prepará-los para o mercado de trabalho. Confira sobre a capacitação gratuita com inscrições abertas.

O Instituto PROA, uma ONG que acredita e tem o compromisso de criar oportunidades reais de desenvolvimento e empregabilidade para jovens de baixa renda, abre nova turma para a Plataforma PROA. Jovens entre 17 e 22 anos de idade, que concluíram o Ensino Médio em escolas públicas, que residam no Estado de São Paulo e que buscam seu primeiro emprego, terão a oportunidade de capacitação e de se aperfeiçoarem para o mercado de trabalho e se conectarem com vagas de emprego.

A Plataforma PROA de formação on-line levará aos jovens 100 horas de aulas, por meio de um modelo de aprendizagem ativa e por projetos, onde os alunos terão a oportunidade de colocarem a mão na massa e se prepararem para iniciar a carreira profissional, além da possibilidade de seguirem uma trilha técnica com mais 50 horas na carreira de vendas ou análise de dados.

Para formatar o curso, profissionais do Instituto PROA entrevistaram mais de 70 empresas com o objetivo de entender as reais demandas do mercado de trabalho, assim como as competências necessárias para os jovens estarem preparados para o início de carreira. Durante o curso os alunos contarão com orientação e apoio de tutores em encontros semanais ao vivo.

A Plataforma PROA tem como objetivo preparar os jovens para o mercado de trabalho dentro dos seguintes temas: Autoconhecimento (20 horas), Planejamento de Carreira (20 horas), Projeto de Vida (20 horas), Raciocínio Lógico (20 horas), Comunicação (20 horas) e Trilha Técnica (50 horas/opcional). Ao final os alunos que concluírem estarão aptos para participarem de processos seletivos para vagas de posições de início de carreira e primeiro emprego. Todos receberão certificado de conclusão emitido pelo PROA e terão acesso a vagas de emprego disponíveis no mercado.

A jornada de estudos será de 7h30 de estudos por semana, de segunda a  sexta-feira, cerca de 1h30 de dedicação por dia. O jovem poderá estudar e fazer as atividades em qualquer horário do dia, com exceção dos encontros mediados pelos tutores, que acontecerão uma vez por semana, às quartas-feiras, com 1h30 de duração e em diversas opções de horários. Será oferecido aos jovens várias opções de horários para os encontros com os tutores. A participação nos encontros e a conclusão de todas as atividades são fundamentais para o jovem seguir para a empregabilidade.

“Nossa meta é contribuir para que os jovens tenham oportunidades de trabalho e estejam preparados para iniciarem a carreira profissional. Segundo dados divulgados recentes pelo IBGE o desemprego entre os jovens de 18 a 24 anos ficou em 31,4% no 3º trimestre de 2020. É o maior índice já registrado. A falta de experiência e oportunidades de estudo, aliado ao cenário da pandemia faz com que os jovens sofram mais com o desemprego.

Por isso, todo esforço e dedicação para ajudar esse jovem é válido. Acreditamos que quanto mais cedo esse jovem tenha contato com habilidades que ainda não foram desenvolvidas ou que precisam ser aprimoradas, mais chances eles terão de serem bem-sucedidos profissionalmente, independentemente do que eles queiram fazer.”, afirma Alini Dal’Magro, CEO do Instituto PROA.

Para participar do curso o jovem passará por uma avaliação de língua portuguesa e matemática. Independentemente de serem aprovados, receberão acesso à uma trilha de língua portuguesa e matemática após a conclusão das avaliações. Desde que estejam dentro dos critérios de idade, escolaridade e geográfico, os jovens poderão participar do processo seletivo quantas vezes quiserem. 

“O PROA tem se provado, cada vez mais, uma escolha fantástica, pois tanto a Plataforma PROA, quanto as pessoas por trás, nos disponibilizam ajuda e conhecimento que vão desde algo simples a mais complicado. Entrei no PROA com uma base de plano de vida e atualmente, após apenas um mês, já posso dizer que meu projeto de vida está mais estruturado! Com o PROA sinto que estou mais perto de realizar meus sonhos e entrar no mercado de trabalho”, afirma Júlia da Silva Rocha, 17 anos que está cursando a Plataforma PROA.

Outra história de sucesso é da Letícia Vitória Salgado da Silva, de 18 anos. “O curso está agregando muito na minha vida. Estou descobrindo muitas coisas sobre mim, e isso está me ajudando a descobrir o meu caminho. Agora tenho mais certeza da carreira que quero seguir, começando por um curso na faculdade. Me sinto mais segura para o mercado de trabalho, graças a Plataforma PROA. Todos os encontros e atividades têm me amadurecido muito, e acredito que todos deveriam ter uma oportunidade assim.”

Conheça todos nossos canais (Whatsapp, Telegram, Facebook, Buscador): https://jornalgrandeabc.com/inicio/nossas-redes-sociais/

Ellen Souza Casto, 18 anos, está amando o curso! “Em cada missão eu me descubro mais, tanto profissionalmente quanto pessoalmente. As missões são muito importantes pois elas nos estimulam a pensar realmente no que queremos para nosso futuro, às vezes eles nos indagam com possibilidades que eu jamais pensaria no meu dia a dia, e eu espero me aprofundar mais sobre os meus sonhos a cada missão. Só tenho a agradecer ao PROA por me proporcionar esse autoconhecimento.”

Como me inscrever?

As inscrições já estão abertas e terminam no dia 11 de junho. As aulas da próxima turma começam no dia 14 de junho. Não percam essa oportunidade!

As inscrições podem ser feitas pelo site: https://plataforma.proa.org.br/ 

Crédito das fotos: Guto Garrote / Divulgação

Mais Vagas no Grande ABC

Gostou “Capacitação gratuita com inscrições abertas, oferecida pela ONG Instituto PROA”?

Capacitação gratuita com inscrições abertas, oferecida pela ONG Instituto PROA
Capacitação gratuita com inscrições abertas. Foto: Guto Garrote / Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Junte-se a 1.064 outros assinantes

Coletivo do Bem: Mauá Plaza Shopping inaugura loja administrada por ONGs

Juntas, organizações sociais beneficiadas ajudam mais de 500 famílias da região; Confira sobre o Coletivo do Bem

A pandemia de Covid-19 afetou milhares de famílias brasileiras. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) pelo IBGE, divulgada em dezembro/2020, o País tinha a marca assustadora de 14,1 milhões de pessoas desempregadas. Estes dados, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, a pandemia empurrou 22 milhões de pessoas à pobreza.

Diante dessa situação é o momento de empresários e sociedade se unirem. Pensando nisso, o Mauá Plaza Shopping inaugura neste mês, uma ação inédita na região: o Coletivo do Bem, espaço onde Organizações Não Governamentais (ONGs) poderão divulgar seus trabalhos.

“São tempos difíceis que levaram tantas famílias para essa situação de pobreza. O nosso projeto tem o objetivo de aproximar quem quer ajudar, daquele que precisa de ajuda. Tomamos o cuidado de abrir espaço à ONGs com trabalhos respeitados, o que nos dá a certeza de que essas doações chegarão a quem mais precisa”, aponta Ariane Oliveira, gerente de Marketing do Mauá Plaza Shopping.

O Coletivo do Bem vai funcionar com um rodízio de ONGs. A primeira a ocupar a loja disponibilizada pelo Mauá Plaza Shopping será a Instituição Beneficente Irmã Marli, que vai divulgar seus trabalhos até o dia 2/6. A Organização ajuda por dia mais de 400 crianças e adolescentes.

Durante este período, a ONG promoverá no lugar a Roda do Saber, que distribuirá livros para quem se interessar pelo projeto, doar cestas básicas ou os cupons fiscais, sem CPF cadastrados, das compras realizadas no shopping. São títulos para todas as idades e gostos.

“Nosso objetivo além de disseminar cultura, conseguir dobrar a doação de notas fiscais, que é nossa principal forma de manter o projeto. Além disso, esperamos contar com o suporte da sociedade e conseguir arrecadar alimentos para podermos distribuir nas comunidades locais”, diz María José de Sousa Beserra, fundadora da Instituição Beneficente Irmã Marli.

Após, ocuparão o lugar as Ongs: Instituição Associação Estrela Azul, de 5/6 a 20/6 e a Associação de Pais e Amigos dos Surdos de Mauá, de 24/6 a 9/7. Juntas, as organizações sociais beneficiadas ajudam mais de 500 famílias da região “Esperamos que a ação se torne parte do nosso calendário o ano inteiro. O shopping sempre esteve ao lado do cidadão mauaense e neste período queremos nos aproximar ainda mais da nossa comunidade”, completa Ariane.

Quem quiser visitar o shopping e conhecer mais do trabalho destas entidades precisa se atentar ao horário de funcionamento, que é de segunda a sexta-feira, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h.

Sobre o Mauá Plaza Shopping

Inaugurado há 19 anos, o Mauá Plaza Shopping é um empreendimento que possui uma área bruta locável de 50.000 m², consolidando seu modelo de negócio diferenciado, que busca atrair investimentos que reforçam o mix de produtos e serviços com marcas exclusivas e inéditas. Atualmente o shopping possui mais de 250 operações. 

Mais informações: http://www.mauaplaza.com.br/

Gostou da nossa matéria “Coletivo do Bem: Mauá Plaza Shopping inaugura loja administrada por ONGs”?

Coletivo do Bem: Mauá Plaza Shopping inaugura loja administrada por ONGs

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias, e também conheça o nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.064 outros assinantes

Tiroteio em centro para migrantes em Trípoli deixa vítimas

Uma pessoa foi morta e duas ficaram feridas nas primeiras horas desta quinta-feira (08/04), após um tiroteio em um centro de detenção de Trípoli, capital da Líbia, onde refugiados e migrantes são mantidos pelas autoridades do país. Dois adolescentes de 17 e 18 anos com ferimentos a bala foram transferidos para atendimento médico de urgência por uma equipe da organização médica internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF). As tensões já vinham crescendo na instalação de Al-Mabani, já superlotado, na noite do incidente, de acordo com relatórios recebidos por MSF, culminando em tiros indiscriminadamente disparados contra as celas onde os detidos eram mantidos.

Este tiroteio demonstra os graves riscos que as pessoas enfrentam enquanto estão presas nesses centros de detenção por um período indefinido”, disse Ellen van der Velden, gerente operacional de MSF para a Líbia. “Este último ato de violência é uma clara corroboração de que os centros de detenção são lugares perigosos para as pessoas.

Nas últimas semanas, equipes médicas de MSF testemunharam tensões crescentes dentro de centros de detenção na Líbia, onde refugiados e migrantes – incluindo mulheres, crianças e menores desacompanhados – são mantidos involuntária e arbitrariamente em condições deploráveis. Os centros estão cada vez mais superlotados desde o início de fevereiro, quando houve um aumento nas interceptações ativas de migrantes e refugiados que fogem da Líbia por mar pela Guarda Costeira do país africano. Essa atividade é financiada pela União Europeia para deter a entrada de refugiados no continente. MSF aponta que a prática contribuiu para aumento incontrolável no número de pessoas mantidas em centros de detenção em Trípoli (em Al-Mabani em particular) resultando em uma rápida deterioração das condições de vida dentro dessas instalações.

Na primeira semana de fevereiro, o número de pessoas detidas em Al-Mabani aumentou de 300 para mil em poucos dias. Atualmente, o centro abriga cerca de 1,5 mil pessoas.

Como em muitos outros centros de detenção, as pessoas detidas em Al-Mabani têm iluminação e ventilação naturais mínimas, comida e água potável insuficientes e falta de instalações de higiene como banheiros, chuveiros e pias. A superlotação grave – com até três pessoas por metro quadrado – muitas vezes não deixa espaço no chão nem para deitarem. Doenças infecciosas como sarna e tuberculose são comuns pelas condições deploráveis. O distanciamento físico em relação ao COVID-19 é impossível.

Esta não é a primeira vez que refugiados e migrantes detidos são expostos à violência. Tiroteios e mortes foram relatados nos últimos meses, enquanto equipes de MSF testemunharam o uso de força física pela guarda local. Somente em fevereiro, profissionais de MSF trataram 36 detidos por fraturas, traumas contundentes, escoriações, ferimentos nos olhos, ferimentos a bala e fraqueza nos membros em vários centros de detenção. Quinze desses pacientes foram encaminhados por MSF para hospitais. Os ferimentos que apresentavam eram recentes, indicando a violência dentro dos centros de detenção.

As autoridades de Al-Mabani teriam aberto uma investigação sobre o incidente. MSF pede às autoridades que compartilhem o resultado dessa investigação com a comunidade humanitária e responsabilizem os autores.

À luz deste evento, MSF reitera seus apelos para o fim da prática de detenção arbitrária na Líbia, para a libertação imediata de todos os detidos e para o fornecimento de abrigos seguros e acesso a serviços básicos para refugiados e migrantes.

MSF trabalha em centros de detenção na Líbia desde 2016, fornecendo cuidados de saúde e atendimentos psicológicos, além de encaminhamentos de emergência para hospitais, para aliviar o sofrimento de refugiados, requerentes de asilo e migrantes que são detidos arbitrariamente sob condições desumanas de detenção.

Sobre Médicos Sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem nenhum acesso à assistência médica. Oferece ajuda exclusivamente com base na necessidade das populações atendidas, sem discriminação de raça, religião ou convicção política e de forma independente de poderes políticos e econômicos. Também é missão da MSF chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas atendidas em seus projetos. Para saber mais acesse o site de MSF-Brasil.

Gostou de “Tiroteio em centro para migrantes em Trípoli deixa vítimas?

Tiroteio em centro para migrantes em Trípoli deixa vítimas
Foto: Sara Creta / MSF

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais das Últimas Notícias. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.064 outros assinantes

Banho da Esperança leva dignidade à pessoas em situação de rua

Empresas e cidadãos se unem para construir e doar trailes de banho a instituições que se dedicam a cuidar de pessoas em situação de rua. Confira sobre Banho da Esperança

Em 2020, em meio a pandemia, integrantes do Mitzvah Day Brasil aceitaram um desafio – arrecadar fundos para ajudar o projeto assistencial do padre Paulo Leandro da Silva, assessor da Pastoral do Povo de Rua em Guarulhos. O MItzvah Day é um projeto que existe há 11 anos em mais de 40 países e propõe que civis, independente da religião ou crença, ajudem sua comunidade da forma que puderem. Há três anos começou a ser realizado no Brasil.

O projeto Pastoral do Povo de Rua existe há 10 anos e promove ações diárias de doação de alimentos e, a cada dois meses, atendimentos de higiene pessoal como banhos, cabeleireiro, atendimento odontológico, etc, além de doação de roupas e afeto para pessoas em situação de rua. Até o momento, para realizar esta ação, o padre conta com a ajuda de um trailer emprestado.

Foi nesse contexto que surgiu a ONG Banho da Esperança visando captar recursos financeiros para construir e doar um trailer que permita ao padre Paulo executar seu projeto de forma contínua. Para isso, foram realizadas atividades como lives e vaquinhas online, além de contribuições e doações de artistas e da iniciativa pública e privada. Em abril deste ano, a parceria Banho da Esperança – Pastoral do Povo de Rua em Guarulhos comemora seu primeiro feito –  a doação de um trailer novinho com dois chuveiros, água quente, torneiras, espelhos e armários para o projeto.

Ao longo de 2020, juntos, Banho da Esperança e Pastoral buscaram e conseguiram o patrocínio da Bolsa dos Valores e da Quimatic/Tapmatic, além de apoiadores como a Lorenzetti, a CIP (Congregação Israelita Paulista) e civis de todo o País que juntos arrecadaram dinheiro e materiais para a construção do trailer, que já tem data para ser entregue.

No dia 11 de abril de 2021, será feita a entrega para a Pastoral do Povo da Rua em mais uma ação que pretende atender o máximo de pessoas em situação de rua. “É a realização de um sonho. Poder proporcionar aos nossos amigos essa oportunidade toda semana é sem dúvida a melhor notícia que tivemos em meio a tempos tão difíceis”, afirma padre Paulo.

Estarão presentes  Célia Parnes – Secretaria de desenvolvimento social do estado de São Paulo, Rabino Michel Schlesinger da Congregação Israelita Paulista,   Bispo diocesano de Guarulhos Dom Edmilson, Eliane Lorenzetti Bez Chleba – Presidente da Lorenzetti, Diretoria da Quimatic/Tapmatic e Ricardo Cabral – Presidente da Bolsa dos Valores.

Diante do bom resultado de 2020, a ONG Banho da Esperança já iniciou o cadastro de novas instituições que atuam com pessoas em situação de rua. O objetivo é, assim como fez com a pastoral de Guarulhos, contribuir com outros projetos em São Paulo e, em breve, em todo o País.

À frente do Banho da Esperança está a empresária Patricia Strebinger, que coordena todas as iniciativas junto com as diretoras Larissa Lopes e Desirée Suslick. Com o apoio de todos, a ONG pretende levar mais dignidade para a população em situação de rua distribuindo amor e afeto a quem mais precisa. “Queremos devolver à essas pessoas o amor próprio e a autoconfiança. Percebemos que quando eles se olham no espelho limpos e higienizados, conseguem se enxergar e ter mais esperança de dias melhores”, afirma Patricia.

A ONG já está em busca de novos apoiadores e patrocinadores para a construção de mais trailers de banho, com melhorias como a inclusão de baias para banho de pets, pois, afinal dignidade é um direito de todos.

Quer conhecer e contribuir? Acesse: https://www.banhodaesperanca.com.br/

Gostou de “Banho da Esperança leva dignidade à pessoas em situação de rua?

Banho da Esperança

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as Últimas Notícias. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.064 outros assinantes

Bazar Solidário Ong Mãos que Abençoam

Dia 24 de outubro a ONG Mãos que Abençoam realizaria o BAZAR SOLIDÁRIO. Por conta da pandemia do coronavírus, adotamos medidas adicionais para prevenção de todos. Porém, dia 12 de Dezembro será realizado, anote na agenda! Haverá venda de roupas masculinas, femininas e acessórios. Os projetos sociais e assistenciais atendidos pela ONG receberam toda a verba arrecadada.

A data de primeiro de dezembro marca o Dia de Doar. Vamos contribuir para construirmos um mundo melhor, a partir de nosso bairro, cidade, região.

O evento acontecerá respeitando as normas de proteção contra covid-19, com o uso de máscaras, álcool em gel e número limitado de pessoas dentro da tenda.

Onde?

A ONG realizará o Bazar na Alameda São Caetano, no número 1160, Jardim Santa Maria – São Caetano do Sul. Entre 9h e 15h do dia 12 (sábado) de Outubro. Telefone de contato (11) 2311-1118.

Sobre a ONG Mãos que Abençoam

Uma Organização sem fins lucrativos, de promoção ao desenvolvimento social que trabalha desde 2013, na assistência social e humanitária das pessoas em situação de rua.

O trabalho conta com o apoio financeiro de pessoas físicas que contribuem com um valor mensal denominadas associados e com comerciários que nos apoiam com doações.

Missão: Contribuir para que as pessoas em situação de exclusão na cidade de São Caetano do Sul possam recuperar sua cidadania, através de um novo projeto de vida, resgatando valores éticos e morais”.

Visão: Ser um centro de referência no apoio integral a pessoas em situação de exclusão.

Valores:
AMOR ao próximo e a vida
RESPEITO aos direitos humanos
INTEGRIDADE no serviço prestado
TRANSPARÊNCIA na atividade em que atuamos
HOSPITALIDADE no acolhimento dos beneficiários
FÉ na transformação e resgate de vidas

Bazar Solidário Ong Mãos que Abençoam, participem. O mês de Dezembro inicia com o Dia de Doar. Vamos seguir com esta iniciativa por todo o mês, e ajudar e abençoar o próximo.

Certificação socioambiental ‘Selo Verde’ da OSCIP Ecolmeia

O que é?

Programa de certificação socioambiental destinado às organizações dos setores da sociedade, que se comprometem com o desenvolvimento de suas atividades, potencializando a valorização humana e a sustentabilidade.

Valor do Selo Verde

Possui metodologia própria da OSCIP Ecolmeia, patenteada no INPI – Proc. nº 829892117/2011. Revalidado mediante auditoria anual das suas atividades, pelo MJ – Ministério da Justiça (Proc. nª 08071.003651/2012-71).

Certificações

São 164 Organizações certificadas pelo Selo Verde Ecolmeia, que integram a Rede de Certificadas, e se tornaram multiplicadoras de boas práticas socioambientais.

Objetivos do Selo Verde

 Formar Rede de Organizações com comprometimento e responsabilidade socioambiental.

 Orientar as Organizações certificadas para o desenvolvimento de boas práticas sustentáveis.

 Tornar pública as boas práticas socioambientais da Organização perante a Sociedade.

Metodologia

Nossos auditores, capacitados, visitam a empresa e aplicam um roteiro composto por 6 temas: Social, Meio Ambiente, Cultura, Ética, Tecnologia e Economia, priorizando a valorização humana, a sustentabilidade e responsabilidade social.

Visite: https://ecolmeia.org.br/  e https://ecolmeia.org.br/selo-verde/#Apresentação
contato@ecolmeia.org.br
Carolina Estéfano
Educadora e Coordenadora de Projetos Socioambientais e Auditora Selo Verde, na OSCIP Ecolmeia

Natal Solidário A União faz a força

O grupo A União faz a Força conta com sua colaboração para distribuir cerca de 300 sacolinhas de Natal, para crianças carentes da região do pós balsa, em São Bernardo do Campo. Estão solicitando doação de brinquedos usados, que serão preparados para presentear e fazer a alegria de diversas crianças.

Além dos brinquedos, o grupo solicita também doações de fitilho, sacos plásticos transparentes para presente, amaciante e detergente (qualquer marca) para lavar e desembaraçar o cabelo das bonecas e acessórios bonecas. E mais pra frente precisarão de salsicha, molho, pão de hot dog, batata palha e refrigerante pequeno, para montarem os saquinhos de lanche das crianças, para levarem junto com as sacolinhas

Toda arrecadação será distribuída em bairros como Curucutu, Santa Cruz, Porto de Areia, Água Limpa, Capivari, Tatetos entre outros. As crianças cadastradas são de 0 até 11 anos. Em meio a crise, provocada em especial pela pandemia, estas crianças contam com assistência para complementar o Natal de cada uma delas. Sua doação fará a felicidade de várias famílias.

Sobre A União Faz a Força

Formado por amigos solidários, o grupo vem arrecadando brinquedos, mantimentos, roupas e fraldas. Estes vem sendo distribuídos para famílias carentes da região do ABC. No início deste ano, o grupo entregou dezenas de mochilas para crianças utilizarem na escola.

Como doar?

Se puder colaborar com doação, faça contato com o grupo União Faz a Força para eles retirarem a doação.
Conheça o grupo no Facebook, clique aqui.

Bruna (Parque João Ramalho – Santo André) 11 993971651
Aline (Palmares – Santo André) 11 959552949
Lene (Planalto – São Bernardo do Campo) 11 981773529
Mayara (Rudge Ramos – São Bernardo do Campo) 11 975477985
Ana Paula (Rio Grande da Serra) 11 947440954

Bazar Solidário da Ong Mãos que Abençoam

Dia 24 de outubro a ONG Mãos que Abençoam realizará o BAZAR SOLIDARIO. Haverá venda de roupas masculinas, femininas e acessórios. Toda a verba será destinada aos projetos sociais assistenciais atendidos pela ONG.

O evento acontecerá respeitando as normas de proteção contra covid-19, com o uso de máscaras, álcool em gel e número limitado de pessoas dentro da tenda.

Onde?

Acontecerá na Alameda São Caetano 1160, Jardim Santa Maria – São Caetano do Sul. Entre 9h e 15h do dia 24 (sábado) de Outubro.

bazar solidario sao caetano

Sobre a ONG Mãos que Abençoam

Uma Organização sem fins lucrativos, de promoção ao desenvolvimento social que trabalha desde 2013, na assistência social e humanitária das pessoas em situação de rua.

O trabalho conta com o apoio financeiro de pessoas físicas que contribuem com um valor mensal denominadas associados e com comerciários que nos apoiam com doações.

Missão: Contribuir para que as pessoas em situação de exclusão na cidade de São Caetano do Sul possam recuperar sua cidadania através de um novo projeto de vida, resgatando valores éticos e morais”.

Visão: Ser um centro de referência no apoio integral a    pessoas em situação de exclusão.

Valores:
AMOR ao próximo e a vida
RESPEITO aos direitos humanos
INTEGRIDADE no serviço prestado
TRANSPARÊNCIA na atividade em que atuamos
HOSPITALIDADE no acolhimento dos beneficiários
FÉ na transformação e resgate de vidas

Inscrições para a 5ª edição do Festival Flink Sampa 2020 terminam nesta quarta (30)

Alunos de todos os ciclos de ensino podem participar do concurso em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares e ONG Afrobras

Secretaria da Educação do Estado, por meio do Centro de Inclusão Educacional e do CRE Mario Covas, realiza em parceria com a Faculdade Zumbi dos Palmares e ONG Afrobras a 5ª edição do Festival Afro Minuto (Flink Sampa 2020).

Para participar do concurso, alunos da rede estadual que estejam cursando qualquer ciclo deverão produzir e enviar vídeos que visem valorizar a diversidade e respeitar os processos históricos de resistência negra desencadeada pelos africanos escravizados no Brasil.

O tema deste ano é uma homenagem à vida e obra de Milton Santos. Cada escola deverá inscrever apenas um vídeo por categoria, sendo: Ensino Fundamental Anos Iniciais, Ensino Fundamental Anos Finais, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A produção dos vídeos ficará por conta dos estudantes, sob orientação e acompanhamento do(a) professor(a) orientador(a). O regulamento do concurso pode ser consultado no site do CRE Mário Covas: http://www.escoladeformacao.sp.gov.br/portais/Default.aspx?tabid=9180.

A lista de vencedores será divulgada em novembro, considerando os protocolos sanitários vigentes, a premiação está prevista para ocorrer virtualmente ou em local a ser definido, na segunda quinzena do mesmo mês.

Fonte: Governo de SP

Projeto Mães da Favela quer conectar à internet 2 milhões

Programa se expandirá por todo o país

Depois de ser lançado ontem (24) na Favela de Heliópolis, em São Paulo, o projeto Mães da Favela ON será inaugurado hoje (25) na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, numa ação conjunta da Central Única das Favelas (Cufa), Comunidade Door e Alô Social.

Segundo os organizadores, o programa é o maior projeto de conectividade em favelas já feito no Brasil e pretende levar internet gratuita para dois milhões de pessoas até julho de 2021. 

Trata-se de uma continuidade da iniciativa Mães da Favela, lançada em abril, após o início da pandemia de covid-19 no país. No Mães de Favela, é feita a distribuição de cestas básicas, físicas e digitais, nas mais de cinco mil favelas brasileiras onde a Cufa tem atuação. A seleção das mães é feita pelas lideranças regionais da instituição, de acordo com a priorização por necessidade.

Depois do Rio, o programa se expandirá por todo o Brasil. Segundo a organização, para que a plataforma seja aproveitada como uma ferramenta de retomada econômica e educacional, o projeto terá como foco o acesso aos conteúdos voltados à educação e ao empreendedorismo. 

A ação vai disponibilizar conexão aberta à internet em diversos pontos de 150 complexos de favelas nos 26 estados e no Distrito Federal, além da distribuição de chips da empresa Alô Social, em parceria com a TIM, para as 500 mil mães previamente cadastradas.

Dificuldades corriqueiras 

De acordo com o fundador da Cufa, Celso Athayde, a iniciativa nasceu a partir do relato de mães atendidas que, além das dificuldades corriqueiras e as impostas pela crise da covid-19, veem seus filhos sem a opção de se adequarem ao ensino remoto imposto pelo isolamento social por não terem os equipamentos necessários ou internet disponível para as aulas.

“É claro que eu penso muito na educação das crianças, mas quem conhece esta realidade de perto sabe que, muitas vezes, enquanto a mãe do asfalto está preocupada com o reinício das aulas, as mães da favela estão tentando salvar a vida dos filhos naquele dia. Manter as famílias conectadas é uma necessidade de sobrevivência”, disse Athayde, em nota.

A instalação dos pontos de wifi livre ficará a cargo da Comunidade Door. A coordenação da curadoria e chancela do projeto fica por conta da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que apoia o Mães da Favela desde a sua criação com patrocínio do Instituto Unibanco.

Fonte: Agência Brasil