Consórcio ABC entrega insumos hospitalares para Rio Grande da Serra

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC realizou a entrega nesta segunda-feira (3/5) 76 mil insumos hospitalares a Rio Grande da Serra. A ajuda ao município, em caráter emergencial devido à pandemia, foi aprovada em assembleia extraordinária do colegiado de prefeitos.

Os insumos incluem testes rápidos de Covid-19, tubos para coleta, máscaras cirúrgicas com tripla camada e máscaras modelo N95, além de luvas de procedimentos, totalizando aproximadamente R$ 100 mil.

Representando o presidente do Consórcio ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, o secretário-executivo da entidade regional, Acacio Miranda, acompanhou a entrega dos insumos ao prefeito de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira, na UBS Central.

“Há mais de um ano, desde o início da pandemia, o Consórcio ABC tem atuado para planejar e desenvolver estratégias conjuntas com as sete prefeituras no enfrentamento do coronavírus. É um trabalho que ressalta a importância da regionalidade no Grande ABC”, afirmou Acacio Miranda.

O prefeito Claudinho agradeceu o Consórcio ABC pela viabilização da iniciativa. “Esses insumos chegam em boa hora para nossa Saúde e serão de grande valia no combate à pandemia, reforçando nossas UBS, UPA 24 e demais unidades de saúde. Hoje, que é coincidentemente aniversário de nossa cidade, nossa população ganha mais esse grande presente”, celebrou o prefeito.

Fotos: Divulgação/PMRGS

Gostou da nossa matéria “Consórcio ABC entrega insumos hospitalares para Rio Grande da Serra“?

Consórcio ABC entrega insumos hospitalares para Rio Grande da Serra
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 674 outros assinantes

Ocupação de UTIs caiu no Grande ABC após medidas de restrição

A taxa de ocupação de leitos de unidade de tratamento intensivo (UTIs) destinados ao atendimento da Covid-19 no Grande ABC caiu para menos de 90% pela primeira vez em quase um mês, na sequência das medidas de restrição tomadas pelas sete cidades.

A ocupação de leitos de UTI no Grande ABC atingiu 89,6% na última terça-feira (6/4) e caiu para 88,6% na quarta-feira (7/4), após 24 dias acima de 90%, segundo dados da Fundação Seade.

Entre 24 de março e terça-feira, a média móvel de casos recuou 15%, de 873 para 742, e a média móvel de internações diárias diminuiu 30%, de 340 para 240.
O presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, afirmou que o resultado reflete a série de ações tomadas pelas prefeituras para reduzir a circulação das pessoas e conter a aceleração da pandemia do novo coronavírus.

“Iniciativas como lockdown noturno e a antecipação de feriados, que foram tomadas visando à proteção da vida da população, reduziram significativamente a circulação de pessoas nas ruas e no transporte público. Mesmo diante da melhora nos números, a situação ainda exige que continuemos tomando todos os cuidados, seguindo as medidas de higiene e com o uso correto de máscaras”, disse Paulo Serra.

Gostou de “Ocupação de UTIs caiu no Grande ABC após medidas de restrição?

Ocupação de UTIs caiu no Grande ABC após medidas de restrição
Foto: Angelo Baima/PSA

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 674 outros assinantes

ONA lança livro gratuito “Jornada da Acreditação”

E-book Jornada da Acreditação está dividido em 11 capítulos e conta com a contribuição de diversos autores. O conteúdo é um guia para organizações de saúde que buscam iniciar ou aperfeiçoar seus processos ligados à promoção da segurança do paciente.

A Organização Nacional de Acreditação (ONA) lança o livro “Jornada da Acreditação”, disponível em formato digital e gratuito. Para contribuir com a obra, foram convidados especialistas brasileiros de diferentes áreas.

“No mês de abril, em que comemoramos o Dia Mundial da Saúde e o aniversário do Programa Nacional de Segurança do Paciente, este é um presente para todos os profissionais e colegas que queiram iniciar, aprimorar ou continuar no processo de acreditação”, afirma Gilvane Lolato, gerente de Educação da ONA.

A publicação faz parte da campanha “A ONA acredita na sua saúde”, lançada no dia 5 de abril, na mesma semana em que é celebrado o Dia Mundial da Saúde, e que segue até o dia 17 de setembro, Dia Mundial da Segurança do Paciente. O objetivo é compartilhar mais informações sobre os padrões de Qualidade e Segurança do Paciente com todos os públicos – pacientes e familiares, cuidadores e profissionais de saúde.

Entre as ações da campanha, também estão previstos outros conteúdos educativos, como vídeos, cursos gratuitos, webinars e posts para sensibilização nas redes sociais. Os materiais serão disponibilizados ao longo dos próximos meses no portal e nas redes sociais da ONA.

Capítulos do livro
Capítulo 1 – Sistema Brasileiro de Acreditação (SBA)
Capítulo 2 – Gestão de qualidade
Capítulo 3 – Gestão e avaliação dos processos
Capítulo 4 – Gestão de resultados dos processos
Capítulo 5 – Gestão de riscos em saúde
Capítulo 6 – Núcleo de Segurança do Paciente e fluxo de notificação
Capítulo 7 – Ferramentas de gestão da qualidade
Capítulo 8 – Como ser um líder propulsor da cultura de segurança do paciente
Capítulo 9 – Melhoria contínua de processos
Capítulo 10 – O papel da liderança na gestão estratégica de pessoas, pilar de sustentação da Acreditação Hospitalar
Capítulo 11 – Comunicação como ferramenta para a qualidade de segurança do paciente

Informações técnicas
Ano: 2021
Número de Págs.:  178
Formato: Digital  
Distribuição: Gratuita

Autores
Adriana V. Torres de A. Fernandes, farmacêutica e especialista em Farmácia Clinica.
Aline Bevidqua, enfermeira e MBA em Gestão de Saúde, Auditora e Acreditação Hospitalar.
Ana Paula Gonçalves Stutzel, especialista em Ciência da Melhoria e MBA Gestão em Saúde.
Andréa Prestes, formada em administração e mestranda em Gestão de Saúde, MBA em Gestão Hospitalar e especialista em Qualidade nos Serviços de Saúde.
Audrey Rippel, mestre Qualidade e Segurança do Paciente, MBA executivo em Saúde, especialista em Administração Hospitalar e graduada em enfermagem.
Camila Deister, enfermeira, especialista em Cardiologia.
Cassia Monfredini, formada em administração, tecnóloga em Gestão e Qualidade e em Gestão da Informação.
Daniela Siccardi Menezes, Ginecologista Obstétrica, mestre em Saúde Pública e doutora de Ciências Medicas. 
Fabiana Rigolo, enfermeira, pós-graduada em Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente.
Fabrízio Rosso, administrador, especialista em Didática do Ensino Superior, Dinâmica Organizacional, Liderança e Motivação, mestre em RH.
Gilvane Lolato, administradora, MBA Gestão em Saúde e Controle de Infecção, especialista em Qualidade e Segurança do Paciente, mestranda em Gestão e Metodologias da Qualidade e Segurança da Atenção em Saúde.
José Antônio Ferreira Cirino, comunicólogo, doutor em Comunicação e Sociabilidade, pós-graduado em Comunicação e Cultura, mestre em Comunicação, especialista em Gestão de Projetos.
Péricles Góes da Cruz, médico, pós-graduado em Administração Hospitalar e em Gerência Hospitalar.
Renata Michele Guimarães Pereira Macedo, enfermeira, especialista em Saúde Pública e Terapia Intensiva, MBA em cursos em escolas de negócios.
Rubria Coutinho, mestre em Administração de Empresas, possui especializações em escola de negócios

jornada da acreditação
Faça o download com o QR Code

Sobre a ONA

A Organização Nacional de Acreditação (ONA – www.ona.org.br) é responsável pelo desenvolvimento e gestão dos padrões brasileiros de qualidade e segurança em saúde. Hoje mais de 80% das instituições acreditadas no Brasil adotam o padrão ONA. Além de referência nacional, os padrões ONA são reconhecidos no exterior. A ONA é membro da International Society for Quality in Health Care (ISQua), atuando ao lado de instituições que promovem a qualidade de saúde em diversos países do mundo.

Gostou de “ONA lança livro gratuito “Jornada da Acreditação”?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 674 outros assinantes

Concentradores de oxigênio serão doados por grandes empresas

Concentradores de oxigênio serão utilizados para o tratamento de pacientes com Covid-19 em suas próprias localidades, evitando o deslocamento e sobrecarga de hospitais; a iniciativa atende a uma chamada pública da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia em apoio ao Ministério da Saúde, a logística dos itens ficará sob responsabilidade do SUS.

Um grupo de 12 empresas se uniu em uma ação coletiva para viabilizar a doação de mais de 5.000 concentradores de oxigênio, que serão utilizados para o tratamento de pacientes com Covid-19 em suas próprias localidades, evitando deslocamentos para outras cidades e, consequentemente, a sobrecarga de hospitais. O concentrador de oxigênio é um equipamento que separa o oxigênio do ar e o fornece ao paciente em um fluxo direto e contínuo, contribuindo para a melhora de sua capacidade respiratória, uma das áreas mais afetadas pelas consequências da Covid-19.

Participam desta iniciativa as seguintes empresas: Bradesco, BRF, B3, Embraer, Gerdau, Grupo Ultra, Itaú Unibanco, Magazine Luiza, Marfrig, Natura & Co, Suzano e Unipar. O Grupo atendeu a uma chamada pública feita pela Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, em apoio ao Ministério da Saúde, para a aquisição de concentradores de oxigênio. A Air Liquide Brasil, líder mundial em gases, tecnologias e serviços para a indústria e saúde, fez a cotação geral para a importação dos equipamentos, ao custo total de R$ 35 milhões.

O uso dos concentradores doados nesta ação terá papel fundamental no combate à pandemia e consequente desafogamento do sistema hospitalar. Considerando que o tempo médio de uso do aparelho por paciente pode variar entre uma ou duas semanas, a expectativa é de que os mais de 5 mil concentradores atendam, mensalmente, entre 10 mil e 20 mil pacientes.

Cada concentrador substitui, em média, 21 cilindros de oxigênio. Juntos, os equipamentos doados suprirão o equivalente a uma produção mensal de 1.100.000 metros cúbicos do insumo, volume que demandaria mais de 108 mil cilindros por mês para ser armazenado. A quantidade de oxigênio fornecida por meio dos concentradores contribuirá ainda para evitar a sobrecarga na capacidade produtiva da indústria de gases.

A praticidade no manuseio é outra característica de destaque no uso dos concentradores. Cada equipamento pesa aproximadamente 15 quilos e necessita apenas de energia elétrica para funcionar. Essas condições facilitam o transporte e uso, inclusive, nas regiões mais remotas do País. A durabilidade também é um diferencial destes equipamentos. Os concentradores doados têm uma vida útil estimada em sete anos.

Os mais de 5 mil concentradores de oxigênio adquiridos nesta ação serão entregues ao Ministério da Saúde, a quem caberá a responsabilidade de fazer a logística de distribuição dos equipamentos. A expectativa é que os aparelhos sejam enviados aos seus locais de destino no decorrer do mês de abril.

Com essa iniciativa coletiva, as empresas somam seus esforços no enfrentamento à pandemia de Covid-19, em um de seus momentos mais agudos no Brasil. As companhias participantes desta ação estão comprometidas com os esforços da sociedade para salvar vidas e com o apoio ao Poder Público, em suas diferentes esferas, nas ações de superação à crise sanitária.

Gostou de “Concentradores de oxigênio serão doados por grandes empresas?

Concentradores de oxigênio
Concentradores de oxigênio. Foto: Divulgação/Internet

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece nas cidades do Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 674 outros assinantes

Pacientes do Amazonas devem ser transferidos para outros estados

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou, nesta terça-feira, que o governo federal espera transferir do Amazonas para outros estados cerca de 1,5 mil pacientes infectados pelo novo coronavírus. Pacientes do Amazonas devem ser transferidos em breve.

Segundo ele, até agora cerca de 300 pessoas já foram transportadas em aviões da Força Aérea Brasileira para 11 estados.

Ao lado do governador do Amazonas, Wilson Lima, Pazuello também anunciou a abertura de 30 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19 em Manaus.

Os leitos foram abertos no Hospital Nilton Lins e estão equipados com concentradores de oxigênio. Uma alternativa para os cilindros, os concentradores são aparelhos elétricos que filtram o ar, fornecendo oxigênio em maior concentração que na atmosfera. E podem ser portáteis.

Em uma cerimônia rápida, Pazuello disse que a crise de abastecimento de oxigênio na cidade já foi resolvida e ressaltou que trabalha no apoio dos governos do estado e do município.

O ministro também disse que problemas como falta de leitos, oxigênio e profissionais na cidade de Manaus são conhecidos há décadas, mas foram agravados pela pandemia.

A explicação de Pazuello veio um dia depois do Ministro Ricardo Lewandowski, do STF, autorizar a abertura de inquérito para apurar a conduta do ministro em relação à falta de oxigênio e leitos para atender pacientes com Covid-19 em Manaus.

Na semana passada, o ministro afirmou que soube da possibilidade de falta de oxigênio no dia 8 de janeiro, uma semana antes do período mais grave de mortes por asfixia no estado.

Pazuello deixou a coletiva sem responder às perguntas dos jornalistas.

Nesta quarta-feira, o ministro participa de uma nova inauguração na cidade. A abertura de uma Enfermaria de Campanha, ligada ao Hospital estadual Delphina Aziz, também em Manaus.

Com informações de Agência Brasil.

Gostou de “Pacientes do Amazonas devem ser transferidos para outros estados”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre Desenvolvimento Sustentável.

Pacientes do Amazonas devem ser transferidos
Primeiro embarque de pacientes com covid-19 do Amazonas que serão transferidos para outros estados