Coluna – Rede de memórias

Projeto no Facebook compartilha fotos e relatos sobre paradesporto

Nesta terça-feira (22) se comemora o Dia Nacional do Atleta Paralímpico. Instituída em 2012, a data é a mesma do aniversário do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) e vem na sequência do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado na última segunda (21). As duas ocasiões têm como objetivo a conscientização sobre a inclusão na sociedade de pessoas com qualquer tipo de deficiência, e reforçar a importância de se desenvolver meios para que isso ocorra de fato. O esporte é, talvez, o mais relevante deles.

O Brasil é uma das forças do paradesporto mundial. Nas últimas três Paralimpíadas, a delegação verde e amarela ficou entre as dez primeiras colocadas no quadro de medalhas. Dar luz àqueles que fizeram e fazem parte da trajetória brasileira nesse movimento é o mote do projeto Memória Paralímpica, iniciado no Facebook pelo ex-diretor técnico e secretário geral do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Antonio João Menescal Conde.

“Não é só no esporte, mas como em tudo no Brasil, temos pouca memória recente e de um passado mais distante. Sabemos que foi esse passado que nos trouxe ao dia de hoje. Senti necessidade do registro, de mostrar honra e gratidão a figuras importantes na história do esporte paralímpico no mundo e no Brasil”, explica o ex-dirigente, que também foi professor do Instituto Benjamin Constant (IBC), no Rio de Janeiro (RJ); diretor técnico da delegação brasileira na Paralimpíada de Seul (Coreia do Sul), em 1988; e chefe da equipe nacional nos Jogos de Barcelona (Espanha), quatro anos depois.

Delegação paralímpica do Brasil em Seul, em 1988 - Divulgação Projeto Memória Paralímpica Brasileira
Delegação paralímpica do Brasil em Seul, em 1988 –  Divulgação Projeto Memória Paralímpica Brasileira

“O paradesporto no Brasil está absolutamente consolidado, e isso é muito importante e gratificante de ver para quem começou lá atrás. Hoje, você tem o repasse de recursos da lei Agnelo-Piva, das loterias e tem um grande centro de treinamento, em São Paulo, que eu nunca pensei que veria um dia. Dos anos 80 para cá, o movimento evoluiu de maneira extraordinária. É mais um motivo para resgatar as pessoas que vivenciaram o esporte paralímpico no Brasil antes dessa época, que deram os passos mais difíceis, como também os gestores atuais e mais modernos, que contribuíram muito para que o Brasil chegasse onde chegou”, completa Conde.

Coleta virtual

O projeto começou em 2013, com participação da ex-presidente da Associação Brasileira de Desportos em Cadeira de Rodas (Abradecar), Beatriz Pinto Monteiro (já falecida), do designer Roberto Tostes e do jornalista João Menescal, filho de Conde. Para coleta das memórias, foi usado o Facebook. Além do perfil, há um grupo na rede social com 4,2 mil pessoas, que trocam informações, relatos e imagens. “Temos mais de 10 mil fotos. São fotos diferentes porque não estão presas à prática do paradesporto. Elas pegam a parte do dia a dia das delegações, o convívio com outros países e culturas e dentro das próprias delegações, mostrando que o esporte é muito mais do que se vê nas quadras e pistas”, descreve Conde.

“As [memórias] que mais me gratificaram foram as resgatadas de pessoas que não estão mais conosco, mas tiveram papel fundamental no esporte paralímpico, como Robson Sampaio [fundador do Clube do Otimismo, no Rio de Janeiro ] e Sérgio Seraphin Del Grande [criador do Clube dos Paraplégicos de São Paulo], os precursores [do paradesporto no Brasil, nos anos 50]; José Gomes Blanco, Aldo Micollis e tantos outros, entre atletas, técnicos e dirigentes. Resgatei as memórias por depoimentos meus, que convivi com a maioria deles, ou de pessoas que conviveram com eles”, acrescenta.

No papel

O próximo objetivo do projeto é transformar as memórias em livro publicado. A obra, por enquanto, está disponível de forma digital. “O marco inicial é a Revolução Industrial, em meados do século 18, que deu início ao movimento corporativista das pessoas com deficiência, na medida que elas sentiram necessidade de juntar forças para reivindicar os direitos. O marco final é a Paralimpíada de Pequim [China], em 2008, por ser a minha última participação no esporte paralímpico. É muito difícil falar de memórias, mesmo de organizá-las, se você não vivenciou o período”, diz o idealizador do Memória Paralímpica.

Abertura dos Jogos Olímpicos em Stoke Mandeville, em 1984 - Divulgação Projeto Memória Paralímpica Brasileira
Abertura dos Jogos Paralímpicos em Stoke Mandeville (Inglaterra), em 1984 – Divulgação Projeto Memória Paralímpica Brasileira

“Outro aspecto que me fez limitar [as memórias até 2008] é que os justos holofotes aos atletas de ponta de hoje me fazem perceber que é muito mais importante resgatar aqueles que, em suas épocas, não tinham visibilidade, não tinham nada de imprensa que os divulgasse. O livro contempla tudo isso e foi finalizado com apoio do CPB. Contudo, o Comitê, em um determinado momento, não me passou o motivo, parece que se desinteressou pela publicação, então, ele [livro] ainda é inédito”, revelou Antonio. À Agência Brasil, a entidade explicou que as informações que constam na obra estão em checagem.

Fonte: Agência Brasil

SP celebra Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência com programação especial

Entre 21 e 26 de setembro, diversas ações ocorrem com foco na data, que busca dar visibilidade à luta e inclusão desse grupo

Em celebração ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, comemorado nesta segunda-feira (21), a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência preparou uma semana de atividades para dar visibilidade e força à luta da pessoa com deficiência.

Além de ser marcado por uma data tão importante, todo o mês de setembro é considerado especial para a inclusão das pessoas com deficiência. Desde 2015, celebra-se o “Setembro Verde”, que visa à conscientização sobre a população com deficiência e seus direitos.

De lives a cursos, passando por websérie e podcast, a programação de atividades acessíveis realizadas pela Secretaria tem como foco dar luz ao tema e levantar a questão da acessibilidade e inclusão.

Banda de Seguranças do Metrô

Iniciando a programação, nesta segunda-feira (21), às 19h, acontecerá a transmissão acessível com o apoio da apresentação da Banda de Seguranças do Metrô. O evento, em parceria com a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e Memorial da América Latina, será transmitido via Facebook do InclusãoSP e Metrô e contará com a participação do rapper Billy Saga e da cantora Iara Wonder, além de depoimentos de autoridades políticas e da sociedade civil.

Curso EaD de Libras

Nesta terça-feira (22), a Secretaria inicia as aulas do curso de educação à distância (EaD) de Libras em municípios do litoral e interior do estado de São Paulo. Estão contemplados Itanhaém, Jundiaí e Campinas. O objeto é especializar ouvintes na Língua Brasileira de Sinais, principalmente aqueles que realizam atendimento ao público.

Leitura Acessível

Ainda nesta terça-feira (22), às 10h, acontecerá o anúncio da disponibilização de mais livros acessíveis com os recursos de libras, legenda, áudio, imagem e leitura simples. Por meio da live, transmitida pelas redes do Governo de São Paulo, o evento contará com a presença do Secretário de Estado da Educação, Rossieli Soares, Secretário de Estado da Cultura, Sergio Sá Leitão, Coordenadora Geral da ONG Mais Diferenças, Carla Mauch mediadora pela Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão

Dia Nacional do Atleta Paralímpico

Celebrando o Dia Nacional do Atleta Paralímpico, nesta quarta-feira (23), às 15h, será transmitida uma live, nas redes sociais do Governo do Estado, com o atleta paralímpico Daniel Dias. O objetivo é falar sobre a importância do esporte para as pessoas com deficiência e dar visibilidade aos atletas paralímpicos.

Semana Nacional do Trânsito

Em marco pela Semana Nacional do Trânsito, durante toda a semana será disponibilizada uma websérie nas redes sociais da Secretaria com pacientes reabilitados da Rede de Reabilitação Lucy Montoro. Em cada capítulo, uma história será contada em primeira pessoa, com detalhes sobre o acidente e a vida após ele.

Também como parte integrante das ações, um podcast com a Secretária Célia Leão será divulgado no último dia da campanha, trazendo reflexões acerca do tema e do programa Respeito à Vida.

Dia Nacional do Surdo

Em celebração ao Dia Nacional do Surdo, a Secretaria realizará uma série de ações para as redes sociais. Lançando os primeiros vídeos no Tik Tok, sobre sinalário e outras temáticas que envolvam a comunidade com deficiência auditiva, além de um vídeo sobre todas as ações realizadas com vistas à comunidade surda pela Secretaria.

Fonte: Governo de SP

Comitê Paralímpico lança galeria em museu virtual

A mostra tem audiodescrição em língua de sinais na página do museu

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) lançou hoje (21) uma galeria virtual em 3D no eMuseu do Esporte. A exposição traz as conquistas dos atletas brasileiros desde os Jogos Paralímpicos Rio 2016. A mostra é acessível, com audiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras). A plataforma pode ser acessada na página do museu.

“Servirá para registrar os feitos atletas paralímpicos. Atletas paralímpicos nem sempre têm o espaço ao qual fazem jus. O eMuseu certamente preencherá uma lacuna importante”, comemorou o presidente do CPB, Mizael Conrado, durante a transmissão que marcou o lançamento.

O nadador Daniel Dias, que acumula 24 medalhas em jogos paralímpicos, falou da importância do esporte na sua vida. “O esporte me mostrou que não devo colocar limites de realização e de capacitação na minha vida. O esporte me mostrou que não importa se temos braços ou não, isso não me define”, disse, durante a cerimônia virtual.

Esse foi o primeiro dos eventos que o CPB realiza nesta semana para comemorar o Dia do Atleta Paralímpico – 22 de setembro. Amanhã (22), será feito um evento com atletas e influenciadores digitais, transmitido pelos canais do comitê no Facebook e no Youtube.

Os debates ao vivo vão ocorrer em dois horários, às 15h e às 18h. Entre os atletas que participam das conversas estão: a parataekwondista Débora Menezes, os velocistas Fabrício Ferreira, Verônica Hipólito e Yohansson Nascimento e os nadadores Roberto Alcalde e Susana Schnarndorf. O youtuber Bruno Carneiro Nunes, o Fred do canal Desimpedidos também é um dos convidados.

Fonte: Agencia Brasil