No que empreender em 2022? Confira 5 tendências de negócios

O Brasil enfrentou e enfrenta uma crise econômica, instabilidade política e pandemia, mas os brasileiros ainda demonstram a vontade de empreender em 2022. O mercado de trabalho sofreu um forte impacto com essas turbulências, forçando muitos cidadãos a experimentarem o empreendedorismo, conhecido também como “Empreendedorismo por necessidade”.  

O SEBRAE divulgou que, no primeiro semestre de 2021, houve um aumento recorde de abertura de micro e pequenas empresas no país, o número mais alto registrado desde 2015. Nos seis primeiros meses foram cerca de 2,1 milhões de novos negócios, um crescimento de 35% em comparação ao mesmo período em 2020.

Para mergulhar nesse universo, é preciso se atentar a algumas habilidades específicas, sobretudo em um mundo cada vez mais híbrido, que transita entre o online e offline. “É preciso não ter medo de testar, correr o risco de experimentar e não ter medo de errar, pois errar faz parte do risco natural de todo projeto. No entanto, é imprescindível executar ajustes de maneira rápida”, pontua o autor do livro “Resiliência Ágil: Aprenda As Práticas Ágeis (SCRUM) para transformar seus projetos pessoais e profissionais”, Carlos Coutinho. 

O livro também argumenta sobre a liderança ágil, e como desenvolver um mindset voltado para criação de equipes multifuncionais e emocionalmente preparadas  para resolver problemas em momentos desafiadores e instáveis, tanto de forma macro, como a que estamos vivendo em todo o mundo, quanto mais específica. 

Confira abaixo cinco nichos de mercado que podem ser excelentes alternativas para quem quer empreender em 2022 com o menor risco possível e boas chances de prosperar.

No que empreender em 2022?

Infoprodutos

Apostilas, cursos online, videoaulas, e-books, livros, músicas, pinturas, desenhos, aplicativos, audiobooks, infográficos, entre outros, são cada vez mais procurados pelo público interessado.

 “As pessoas estão buscando mais conhecimento. Se você é realmente bom em alguma área do conhecimento este é o nicho perfeito para empreender sem sustos, já que os custos fixos no mercado digital são infinitamente menores do que no uso de um escritório físico, por exemplo. Você pode terceirizar quase toda a produção do material, focado em vendas e no conteúdo. “, menciona Coutinho. 

Alimentos

É a última coisa que as pessoas cortam em momentos de crise. Afinal de contas, todos precisam comer e cada vez mais as pessoas não têm tempo ou disposição para cozinhar. Trabalhar com alimentação é uma tendência sempre em alta.

Trabalhar com comida exige higiene, capricho e muito carinho na manipulação da matéria prima. Uma dica bastante importante é olhar com carinho para os nichos de confeitaria, vegetarianismo/veganismo e congelados. São tendências com viés de alta e possibilidade de lucros maiores. 

Fornecer para o comércio local – bares, restaurantes e lanchonetes do entorno – e pequenos mercados também pode ser uma excelente opção.

Produtos artesanais

Depois de um longo período onde o que era industrializado era visto como mais valorizado, atualmente o produto artesanal passa a ser mais desejado. Reflexo de tempos onde personalização, exclusividade e busca por compras mais sustentáveis estão na ordem do dia.

Artes plásticas, costura, customização de roupas e acessórios, confecção de brinquedos, enfeites, material promocional como convites e cartazes, bijuterias, ourivesaria, produtos de higiene pessoal e cosméticos… As possibilidades são infinitas e com investimento inicial acessível, na maioria das vezes. 

Conheça todos nossos canais (Whatsapp, Telegram, Facebook, Buscador): https://jornalgrandeabc.com/redes-sociais/

Pet

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o Brasil possui a segunda maior população de cães, gatos e aves canoras e ornamentais do mundo, além de ser o terceiro em população total de pets.

Isso impulsiona a demanda por itens de cuidados com os animais, como alimentação, vestuário, brinquedos, comedouros, bebedouros, caminhas e outras tantas opções que compõem uma gama cada vez maior. Produtos personalizados e exclusivos tendem a ganhar a atenção do público. 

Estética

No mapa mundi da beleza o Brasil está constantemente entre os três países que mais gastam dinheiro com tratamentos estéticos, sejam eles caseiros, feitos com a aquisição de cremes, loções e tinturas, ou os tratamentos com profissionais especializados que se utilizam das mais variadas técnicas para que os clientes se sintam belos como nunca.

Em 2022 o setor segue muito em alta, inclusive com a presença cada vez mais expressiva do público masculino nessa faixa de mercado. 


Carlos Coutinho, Doutor em Engenharia Química, Professor no curso de Pós-graduação em Engenharia  na PUCPR, Consultor de melhoria contínua e Coach para desenvolvimento de competências técnicas e comportamentais. Autor do livro “A Tríade da Competência” e da  obra “Resiliência Ágil”, possui mais de 25 anos de atuação na área fabril com experiência comprovada em setores como alimentício, agronegócio, petroquímico e serviços. O profissional possui o título de “Master Black Belt” orientador de mais de 200 projetos Lean six sigma, desde 2004. Experiência internacional em melhoria de processo e avaliações técnicas na Argentina, Oriente Médio, Turquia, África do Sul e China. 

Conheça nossa parceria com o Meu Emprego Novo, com mais informações sobre empresas contratando.

Mais Vagas no Grande ABC

Gostou “No que empreender em 2022? Confira 5 tendências de negócios”?

No que empreender em 2022? Confira 5 tendências de negócios
Foto: Scott Graham/Unsplash

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias. Conheça nosso site para o Rio de Janeiro, o Jornal Grande Rio.

Junte-se a 3.787 outros assinantes

O que muda para clientes e profissionais do Mercado Financeiro?

Meses após a declaração do estado de pandemia mundial, em 2020, a Deloitte e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgaram a Pesquisa de Tecnologia Bancária que apontou uma mudança de comportamento do consumidor, que cada vez mais prioriza os meios digitais para realizar transações bancárias. No comparativo entre os anos de 2019 e 2020, considerando ambientes de mobile banking, houve aumento de 105% na consulta de investimentos, 61% na contratação de crédito, 33% nos pagamentos e 24% nas transferências. Os clientes estão mais seguros para usar as plataformas digitais e as instituições financeiras estão dispostas a investir em inovação e talentos profissionais para lidar com a alta competitividade no novo mercado financeiro.

Neste contexto, novas oportunidades surgem para clientes (no que diz respeito a liberdade e possibilidades de atendimento) e profissionais que atuam no setor, que agora vislumbram um horizonte promissor no âmbito do plano de carreira fora dos bancos tradicionais.

Na avaliação de Ronaldo Cerqueira, integrante da comissão especial do Linkedin Global para o desenvolvimento de profissionais, muitos candidatos se limitam a buscar vagas apenas nos bancos líderes – e isso pode ser um equívoco. “Com o avanço da digitalização e movimentos como open banking e banking as a service, nunca fez tanto sentido a frase ‘o grande emprego não necessariamente vem do grande empregador’. Bancos de varejo, atacado, investimentos, digitais, fintechs, FIDCs, cooperativas, corretoras, seguradoras, researches e financeiras estão de olho em recursos humanos para alavancar suas operações”, pontua o consultor especialista em carreiras no mercado financeiro.

Sobre o relacionamento dos clientes com as instituições financeiras, o relatório Pace Pulse Brasil (realizado pela FIS em conjunto com o instituto Ipsos) ouviu 2 mil pessoas adultas, com e sem conta bancária e pertencentes a diferentes classes sociais, sobre como a pandemia mudou as formas de pagamento e de atendimento. As carteiras digitais já foram adotadas por 76% dos jovens adultos (24 a 28 anos) e adultos (29 a 39 anos). Ainda de acordo com a pesquisa, a pandemia fez com que 82% dos consumidores mudassem a forma de se comunicar com o banco, o que mostra que as agências físicas estão perdendo espaço para os serviços bancários on-line.

“A geração Y e Z mudou radicalmente a relação de consumo de serviços financeiros e força uma saudável mudança. Agora os grandes players bancários têm bancos digitais, fintechs, corretoras e cooperativas, entre outros, como adversários na busca pela relação íntima com o cliente, seja ele pessoa física ou jurídica”, analisa Ronaldo Cerqueira.

Tendência é de abertura de novas instituições financeiras

De acordo com dados do Bacen de março de 2021, existem 1.940 instituições financeiras em operação no Brasil. Ronaldo Cerqueira afirma que o open banking motivará o crescimento deste número, sobretudo com o surgimento de novas instituições ligadas ao varejo impulsionadas pelo conceito de banking as a service (conjunto de soluções que permitem uma empresa criar e ofertar soluções financeiras) e pelo potencial de mercado representado pelos 40 milhões de brasileiros desbancarizados (fonte: Americas Market Intelligence/Mastercard, outubro de 2020).

“Cerca de 40 milhões de brasileiros não têm relacionamento com bancos, sequer de conta corrente, mesmo após uma imensa ação da Caixa Econômica Federal como canal distribuidor do auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal. Existe um mar inexplorado e cheio de oportunidades para novos e antigos players na indústria financeira. No novo mercado financeiro o cliente tem independência e autonomia sobre seus dados e tem disponível, na palma da mão, uma ampla oferta de produtos e serviços aderentes à sua realidade. Quem souber conectar as novas necessidades do consumidor ao maior valor agregado na prestação de serviço terá vantagem competitiva”, conclui o consultor especialista em mercado financeiro.

Gostou da nossa matéria “O que muda para clientes e profissionais do Mercado Financeiro?“?

O que muda para clientes e profissionais do Mercado Financeiro?
Ronaldo Cerqueira Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e mais vagas de emprego abertas. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.787 outros assinantes