Governo federal regulamenta turismo de trilhas no Brasil

A RedeTrilhas conecta pontos do patrimônio cultural e natural

O governo federal definiu os critérios para a adesão de novos trajetos nacionais e regionais à Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (RedeTrilhas). A portaria conjunta dos ministérios do Turismo e do Meio Ambiente (MMA) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) foi publicada nesta semana no Diário Oficial da União.

A RedeTrilhas conecta pontos de interesse do patrimônio cultural e natural brasileiro, estruturando e promovendo o ecoturismo no país. As trilhas de longo curso também funcionam como ferramentas de conservação, interligando biomas e impedindo a fragmentação das unidades preservadas.

As propostas de adesão deverão ser apresentadas à Secretaria de Ecoturismo do ministério por entidades e órgãos públicos, organizações da sociedade civil ou entes privados. Novas trilhas e trechos adicionais deverão seguir padrões de mapeamento, identificação visual, acesso a serviços, indicação de pontos de apoio, pernoite e de interesse turístico, a fim de proporcionar mais segurança aos visitantes.

As informações detalhadas dos percursos estão disponíveis no site da RedeTrilhas, que já conta com 74 trilhas em 3,5 mil quilômetros sinalizados. O projeto de estruturação da iniciativa se baseia em experiências internacionais, como o Caminho de Santigo, no nordeste da Espanha.

A rede reúne grandes trilhas nacionais e regionais, uma acabando onde começa a outra, podendo ser percorridas em variados espaços de tempo e atendendo a diferentes perfis de visitantes. Nesse contexto, cada Trilha de Longo Curso Nacional é o resultado da adição de uma série de trilhas regionais.

O Caminho dos Goyazes, em Goiás, por exemplo, é composto pela soma de três trilhas regionais, cujo primeiro trecho, o Caminho de Cora Coralina, com 302 km entre Goiás Velho e Corumbá de Goiás já foi totalmente implementado e já começa a gerar emprego e renda, com hospedagem, transporte e alimentação. O Caminho do Planalto Central  e o Caminho dos Veadeiros.

Fonte: Agência Brasil

Parques temáticos poderão reabrir a partir de 23/09

Atividades de parques ao ar livre podem ser retomadas em regiões que estiverem há 28 dias na fase amarela do Plano São Paulo.

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (16) a autorização para reabertura dos parques temáticos ao público a partir de 23 de setembro. O aval vale para parques instalados em municípios que estão na fase amarela do Plano São Paulo por 28 dias consecutivos.

“São Paulo concentra, de longe, a maior quantidade de parques e atrações temáticas do país. Também é a maior concentração da América Latina”, afirmou o Governador, em referência ao segmento dos parques temáticos.

A autorização libera a retomada de mais de cem operações, que geram 26 mil empregos diretos e indiretos. Os parques são âncoras do turismo de lazer familiar no interior, como nas cidades de Vinhedo e Itupeva, onde ficam o Hopi Hari e o Wet´n Wild, e Olímpia, que se destaca pelas atrações aquáticas, além de uma concentração natural de atividades na Grande São Paulo.

Os parques poderão operar ao longo de oito horas diárias com 40% da capacidade de público. Os protocolos gerais e específicos continuam valendo: uso obrigatório de máscaras, medição de temperatura, ingressos vendidos antecipadamente e controle de acesso. A fiscalização fica a cargo das prefeituras.

“Os protocolos foram acordados com o próprio setor e seguem os mesmos adotados internacionalmente. A retomada segura substitui viagens ao exterior e internas até que as coisas se normalizam no mundo”, afirmou o Secretário do Turismo, Vinicius Lummertz. Ele ressaltou a importância do setor como propulsor do turismo, que havia, em 2019, sido o maior gerador de empregos em São Paulo. “Foram mais de 50 mil empregos, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).”

Ranking de visitação

O ranking 2019 da organização internacional Themed Entertainment Association aponta que o Termas dos Laranjais, de Olímpia, com 1,84 milhão de visitantes anuais, é o quinto parque aquático mais visitado do mundo e único brasileiro entre os dez mais visitados.

Segundo o levantamento, quatro dos dez parques aquáticos mais visitados da América Latina estão em São Paulo. Além do Termas dos Laranjais, que lidera o ranking regional, aparecem o Magic City Water Park, de Suzano, com 681 mil visitantes, o Thermas Water Park, de São Pedro, com 641 mil, e o Hot Beach, também de Olímpia, com 608 mil — os três tiveram um crescimento acima de 30% no número de visitantes na comparação entre 2019 e 2018.

Sehal comemora abertura dos buffets em Santo André

O Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC) considera um avanço a publicação de decreto em Santo André permitindo a abertura de buffets. O sindicato patronal esteve à frente da mobilização organizada pelos empresários da categoria, que ficaram com os estabelecimentos fechados desde 3 março por conta da pandemia, provocada pelo coronavírus, e que exigiu o distanciamento social. O decreto municipal 17.479 foi publicado quarta-feira, 9 de setembro, e vale a partir de hoje (10)

“Somos gratos ao poder público municipal, especialmente ao prefeito Paulo Serra que se mostrou sensibilizado com a situação dos empresários desse setor e também acompanhou a luta para a reabertura, tão necessária depois de tanto tempo que permaneceram fechados”, afirma Wilson Bianchi, presidente em exercício do Sehal.

Por outro lado, os processos judiciais seguem para que os direitos sejam estendidos a todos os estabelecimentos do Grande ABC. O Sehal disparou uma série de ações contra prefeituras e contra o Estado, e seguirá insistindo até conseguir o funcionamento de todos os estabelecimentos que representa.

No último dia 4 de setembro, o Sehal ingressou com mais um Mandado de Segurança contra o Governo do Estado de São Paulo, desta vez para permitir a abertura de buffets em toda a Região. “Todos os recursos jurídicos necessários para viabilizar o tratamento igualitário entre os estabelecimentos serão usados”, explicam os advogados do Sehal, João Manoel Pinto Neto e Denize Tonelotto.

Para permitir a retomada segura, o Sehal criou um protocolo de abertura em parceria com o Grupo Betel Segurança de Alimentos. O documento possui todos os procedimentos a serem adotados para os cuidados com colaboradores e clientes. Além das orientações determinadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como distanciamento, disponibilização de álcool gel e uso de máscara, há normas específicas a serem seguidas pelos buffets.  Entre as regras estão incluídas a higienização de todo ambiente e equipamentos, antes e depois, da realização de cada evento. A capacidade de pessoas será limitada a 40% da ocupação e distanciamento mínimo de um metro e meio entre as pessoas e mesas com capacidade máxima de até seis pessoas, além de outras exigências contidas no decreto, inclusive a suspensão do serviço de Valet.

O Grande ABC conta com 693 buffets, dos quais 225 em Santo André, conforme o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas). Enquanto os estabelecimentos de Santo André estão autorizados a funcionar a partir desta quinta-feira, os demais municípios deverão esperar o resultado das ações judiciais propostas pelo Sehal.

Sobre o Sehal

Fundado em 12 de julho de 1943, o sindicato é uma entidade sem fins lucrativos e tem como objetivo apoiar os empresários reciclando conhecimento em várias áreas. Representa cerca de nove mil estabelecimentos na Região do Grande ABC Paulista. Fornece apoio com profissionais renomados nas áreas jurídicas, sanitária, organizacional, parceria com escolas e faculdades, além de lutar pela simplificação da burocracia nos âmbitos municipal, estadual e federal com redução dos impostos e ainda contribuir para a qualificação dos empresários e trabalhadores.

Oferece ainda cursos gratuitos ou com condições especiais para associados e ministrados por professores altamente qualificados, em salas de aula equipadas com data show, cozinha completa com utensílios e insumos para as aulas práticas. É também considerado um dos sindicatos patronais mais atuantes do Brasil em razão das diversas conquistas e expansão no número de associados.

Fonte: Sehal