Hora do empresário pegar seu dinheiro de volta do Estado

O Supremo Tribunal Federal, em julgamento da ADC 49/RN, reconheceu que não é devido ICMS para deslocamento de materiais entre estabelecimentos do mesmo titular, mesmo que em Municípios ou Estados diferentes.

A Lei Complementar 87/1996, conhecida como “Lei Kandir”, tem alguns artigos que afirmam que o Estado poderá cobrar ICMS no deslocamento de mercadorias entre estabelecimentos do próprio titular. Com o julgamento, ficou decidido que não é possível, pois a circulação de mercadorias, no caso do imposto, é ligada à operação financeira entre pessoas (por exemplo, um contrato de compra e venda), e não o mero deslocamento.

A circulação de mercadorias apta a desencadear a tributação pelo ICMS demanda a existência de negócio jurídico a envolver a transferência da propriedade da mercadoria. A transferência não pode ser apenas física e econômica, também deve ser jurídica. Em outras palavras, a hipótese de incidência do ICMS é a operação jurídica praticada por comerciante que acarrete circulação de mercadoria e transmissão de sua titularidade ao consumidor final. Logo, é irrelevante que os estabelecimentos do contribuinte estejam em estados federados diferentes. Por não gerar circulação jurídica, o simples deslocamento de mercadorias não gera obrigação tributária.

Ainda que algumas transferências entre estabelecimentos de idêntica titularidade possam gerar reflexos tributários, é inconstitucional a interpretação de que a circulação meramente física ou econômica de mercadorias gera obrigação tributária.

A decisão é obrigatória para todo o Poder Judiciário e todo o Poder Executivo, sendo que todas as decisões envolvendo esse tema precisam seguir a decisão do Supremo Tribunal Federal.

É hora do empresário processar o Estado que cobrou ICMS e reaver esse dinheiro pago indevidamente nos últimos cinco anos!

______

Em caso de dúvidas, consultas, cobranças, pedidos e requerimentos, entre em contato!

Supremo Tribunal Federal Hora do empresário pegar seu dinheiro de volta do Estado

Márcio Pinheiro
Advocacia Tributária
(21) 97278-4345 fito.marcio@gmail.com Site Márcio Pinheiro Advocacia

Gostou de “Supremo Tribunal Federal: Hora do empresário pegar seu dinheiro de volta do Estado“?

Então, assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu e-mail. Não deixe de comentar logo abaixo também.

Junte-se a 2.196 outros assinantes

13º salário mais cedo para aposentados do INSS

O décimo terceiro salário de aposentados e pensionistas deverá ser novamente antecipado este ano. 13º salário mais cedo, em parte, confira.

Com o fim do auxílio emergencial, o Ministério da Economia pretende liberar parte do abono ainda no primeiro trimestre, para estimular o consumo.

Em 2020, os beneficiários receberam a primeira parcela na folha de abril e a segunda na de maio, como medida de enfrentamento à pandemia.

De acordo com a coluna de Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo, em 2021 o pagamento pode começar entre fevereiro e março.

Os recursos já estavam previstos no orçamento deste ano, apenas serão desembolsados com antecedência.

Outras medidas em estudo pela equipe econômica são reformular ou ampliar o Bolsa Família e tentar aprovar a Carteira Verde e Amarela, que reduz o custo de contratação de funcionários jovens.

“13º salário mais cedo para aposentados do INSS” com informações de Rádio2.

Gostou da matéria “13º salário mais cedo para aposentados do INSS”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Então, aproveite e leia mais sobre INSS.

13º salário mais cedo para aposentados do INSS