Dia Mundial do Empreendedorismo: Como evitar fraudes eletrônicas?

Um dos grandes desafios para os empresários brasileiros atualmente é superar o problema da fraude transacional online, saiba evitar fraudes eletrônicas

Nesta sexta-feira, 16 de abril, é celebrado em todo o planeta o Dia Mundial do Empreendedorismo. Os negócios que surgem globalmente todos os dias têm um impacto significativo em seu próprio universo, mas todos os empreendedores enfrentam grandes desafios em seus respectivos mercados.

De acordo com o Global Entrepreneurship Monitor (GEM), no Brasil apenas 40% das pessoas consideram que é fácil começar um novo negócio; no México essa percepção fica em 50%, na Argentina em 44% e na Colômbia supera por pouco 35%. O Instituto Global de Empreendedorismo e Desenvolvimento (GEDI), que mede a saúde dos sistemas de empreendedorismo por país, coloca o Brasil na 118ª posição, atrás de outros países da América Latina como a Colômbia (na posição 52), México (posição 70) e Argentina (74).

Entre os desafios que os empresários devem superar está o problema da fraude transacional online. É por isso que a Vesta, líder global em prevenção de fraude digital, oferece 5 dicas que os empreendedores de e-commerce podem aplicar para evitar esse tipo de ameaça.

  1. Implementar regras rígidas durante o check-out

Os processadores de pagamento têm um conjunto de regras para lidar com as transações. Entenda as regras do seu provedor e lembre-se de segui-las sempre que você se deparar com uma disputa. Não fazer isso aumenta suas chances de perder a disputa, o que custa ainda mais dinheiro, uma vez que você é responsável por todos os custos.

  1. Usar várias camadas de autorização

Um pagamento autorizado não garante que o dinheiro irá para sua conta bancária comercial. Os clientes ainda podem contestar a transação se não forem eles que fizerem a compra. Portanto, sempre use uma combinação de recursos de autorização para proteger sua página de checkout, de forma que você tenha várias camadas de segurança. A autorização adequada inclui fatores como:

  • Certificar-se de que sua página de pagamento esteja protegida por HTTPS;
  • Certificar-se de que seu processador de pagamento seja totalmente compatível com os padrões PCI DSS;
  • Ter todos os formulários necessários na página de pagamento para verificar as transações;
  • Não armazenar nenhum tipo de detalhes de cartão de cliente em seu banco de dados.
  1. Usar sistemas de verificação eficazes

Os falsos negativos prejudicam empresas e clientes. A capacidade de verificar transações permite evitar rapidamente a aceitação de transações fraudulentas. Uma boa solução de pagamento faz isso reconhecendo automaticamente os padrões e analisando os detalhes da transação; Em segundos, você pode identificar clientes legítimos. Outros recursos são: verificação de impressão digital, verificação de e-mail, verificação de telefone em duas etapas, verificação do número do cartão, entre outros.

  1. Usar controles manuais (com moderação)

Para pedidos grandes, pode valer a pena revisá-los manualmente, embora seja sempre melhor automatizar o processo se você lida regularmente com pedidos de alto valor. Uma forma de verificar manualmente é entrar em contato com o comprador por e-mail ou telefone. Os clientes genuínos são mais propensos a entrar em contato com você, já que a última coisa que um golpista gostaria de fazer é revelar suas informações pessoais. Se sua empresa for B2B, você pode pesquisar no Google o nome do seu comprador ou o site da empresa para saber mais sobre eles. As verificações manuais são adequadas se você só tiver que fazê-las algumas vezes por ano. Qualquer outra coisa é um uso ineficaz do tempo da sua empresa.

  1. Usar a tecnologia certa

Uma grande parte dos casos de fraude de negócios se deve ao uso de tecnologia desatualizada. Isso se deve às limitações do provedor de pagamento ou dos proprietários de negócios que não desejam gastar dinheiro em ferramentas aprimoradas. Os golpistas de hoje são extremamente qualificados e persistentes em explorar as fraquezas da tecnologia desatualizada. Investir em uma solução de pagamento segura e atualizada é um pequeno custo para a segurança que você obtém ao oferecer a seus clientes uma experiência de compra melhor, ao mesmo tempo que protege sua empresa contra fraudes comerciais.

Sobre a Vesta

Vesta é uma plataforma de prevenção de fraude para compras online, confiável por marcas líderes em telecomunicações, e-commerce, viagens, bancos e serviços financeiros. Usando o aprendizado de máquina sustentado por 25 anos de dados transacionais, a Vesta aumenta as aprovações de vendas legítimas para seus clientes, ao mesmo tempo que elimina estornos e outras formas de fraude digital. O Vesta leva o verdadeiro custo da fraude a zero assumindo 100% do custo da fraude para qualquer transação que aprova, para que os clientes possam escalar com confiança e aumentar sua receita sem risco. A empresa está sediada em Portland, OR, com escritórios adicionais em Atlanta, GA, Irlanda, México e Cingapura. Para obter mais informações, visite https://trustvesta.com/.

Gostou da nossa matéria “Dia Mundial do Empreendedorismo: Como evitar fraudes eletrônicas?“?

Dia Mundial do Empreendedorismo: Como evitar fraudes eletrônicas?
Saiba evitar fraudes eletrônicas
Foto: Gerd Altmann / Pixabay

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.366 outros assinantes

Negativismo

Rogério de Caro é autor de “Negativismo”

• Você critica muito os outros?
• É extremamente autocritico?
• Uma nova ideia? Você acha que tudo pode dar errado?
• Você posterga todas as suas ações que podem mudar o seu estilo de vida?
• Fica irritado quando recebe conselhos e ou feedbacks?
• Tem dificuldade em concordar com opiniões contrárias as suas?

Pode acreditar que existem pessoas assim. A origem do negativismo é o julgamento e a crítica de si mesmo você pode pensar, mas eu não sou assim. Se critica os outros, no fundo esta criticando a si mesmo.

Atitudes não construtivas, com comportamentos que expressam pessimismo não
são saudáveis. São pessoas com tendências a ter comportamentos doentios, e se fecham a novas possibilidades que a vida pode trazer. Uma das causas do negativismo é o medo pelo desconhecido e sair da zona de conforto, se tornam pessoas resistentes a mudanças.

Posso afirmar que em todo ambiente de trabalho você vai cruzar com algum colaborador pessimista e ele ou eles podem contaminar o ambiente de trabalho, com o seu mau humor, e negativismo.

Se você é negativista, não tenha medo, se esforce para mudar, na próxima quinta feira darei dicas de como melhorar o negativismo.

Sua carreira pode decolar de forma muito mais rápida e consistente, entre em contato:
Whatsapp: 11 94777 9496
email: rogerio@rogeriodecaro.com.br
Site: www.rogeriodecaro.com.br

Gostou de “Negativismo”?

Negativismo

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal. Então, aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Como motivar-se?

No artigo passado você identificou o que te desmotiva, então vamos partir para a solução, “a motivação”. Saiba como motivar-se.

Se o seu problema é de salário, promoção, benefícios pouco atrativos, impossibilidade de crescimento, aprofunde a sua análise, verifique como a sua empresa trata estes assuntos com outras pessoas e com você.

Você vai identificar se o problema for com a empresa, comece a pensar que será difícil você mudar a política e costumes da empresa. Se os seus problemas estão com a sua chefia, falta de reconhecimento, relacionamento desgastado com ele e equipe de trabalho, metas intangíveis, avalie o grau de gravidade deste problema.

Você pode começar com uma boa conversa com a sua chefia com equilíbrio e ponderação, apresente a sua posição e o que ele pode te ajudar. O resultado desta conversa terá informações para uma tomada de decisão, vale a pena continuar ou bater asas para novos desafios.

Sugestão para se motivar:
• Tenha gratidão por tudo que a vida te oferece e a empresa.
• Comece com metas pequenas, você pode estar sendo ambicioso.
• Mude a sua rotina, crie uma nova rotina, novo hábito.
• Você pode estar olhando só para as coisas ruins, o que fez de bom onde está, não lembra?
• Pergunte se é isto que realmente quer?
• Busque inspiração com pessoas que se deram bem na vida, lendo ou assistindo a um filme.
• Quando alcançar a sua meta/objetivo comemore.
• Nestes momentos de dificuldade, procure ajuda com alguém que você confie.

Pense nos benefícios que esta mudança irá proporcionar, mais energia, mais alegre, e vai concluir que nada é tão ruim assim, depende de como você olha para o problema.
Pode ser a história do copo meio cheio ou meio vazio, é uma questão de perspectiva.

Sua carreira pode decolar de forma muito mais rápida e consistente, entre em contato:
Whatsapp: 11 94777 9496
email: rogerio@rogeriodecaro.com.br
Site: www.rogeriodecaro.com.br

Gostou de “Como motivar-se”?

Como motivar-se

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal. Então, aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Vivendo o medo

Capítulo 2 (Vivendo o medo) de O Medo da Humano. Leia o Capítulo 1

Viver em liberdade significa dominar o próprio medo. O medo de morrer, o medo de ser preso, o medo de não ter o que comer ou beber, o medo de ser humilhado, o medo de não parecer importante, o medo de ser isolado, o medo de não ser aceito.

A luta pela liberdade é uma luta contra o medo. Não que não tenhamos que ter medo. Algum medo é necessário, para que o ser humano não se comporte de modo temerário, arriscando desnecessariamente a própria vida. Mas o medo que ultrapassa o instinto de autopreservação já é, por si só, negativo. Assumir o risco é parte de controlar o medo, e ser, finalmente, adulto.

A maturidade ocorre quando se domina o medo. Cristo dizia para sermos perfeitos como o Pai celeste. Originalmente, no grego, Cristo nos mandou sermos completos em desenvolvimento, ou seja, maduros, adultos, como o Pai celeste é. Esse é o significado do “perfeito” mencionado. Para sermos maduros como Deus, temos que fazer aquilo que Deus faz, ou seja, fazer o que é certo, pensando nas consequências dos atos.

Deus não dá as coisas ao ser humano, mas capacitou-o a fazer o que é correto. Se Deus desse aos seres humanos alimentos diários, vindos do céu, o ser humano jamais seria responsável por si, já que não necessitaria lutar para conseguir suprir suas necessidades a curto prazo, nem de seus dependentes. Assim, o ser humano maduro é consciencioso das consequências de seus atos, agindo corretamente, mas nunca fazendo pelo outro aquilo que o outro pode fazer por si.

Mais uma vez permeia a emoção do medo na relação entre pessoas, já que não se sabe qual será o comportamento alheio. A ausência de confiança gera um novo medo do desconhecido, criando-se barreiras emocionais que impedem um relacionamento de entrega ao outro, para que o outro supra as suas necessidades, e eu, as dele. Aos poucos, o tempo vai provando quem merece um grau maior desta confiança. Mas pelo fato do ser humano ser falho, invariavelmente haverá um novo erro, que quebrará a confiança.

Uma saída adotada por muitos é não esperar nada de bom. Esse “pessimismo” é criado para que a pessoa não sofra por confiar e ter sua confiança quebrada. Se não se deposita a confiança em ninguém, não haverá quebra da mesma. Vivendo num sistema interno de que “todos vão errar, inclusive eu”, não se deposita a confiança em ninguém. Claramente, em algum momento haverá necessidade de confiar, pois mesmo o ser humano mais desconfiado, ao entrar em um supermercado e comprar um quilograma de açúcar, não vai abrir o pacote para provar se é açúcar mesmo. Ele confia que o conteúdo é o que indica na embalagem. Algum grau de confiança haverá sempre.

É nesse momento que o ser humano coloca em Deus a confiança. Por ser Deus (não importa a religião ou filosofia de vida) um ser supremo que não erra, a confiança depositada no mesmo terá a garantia de não ser violada nunca. Se um ser não erra, ele não trai a confiança. Esse é o raciocínio que o ser humano usa para se tranquilizar, já que tem medo disso também.

CONTINUA …

Por Marcio Pinheiro

O MEDO

Todo dia um novo capítulo em nosso Caderno Cultural. Portanto, assine a Newsletter para ser notificado sobre os próximos lançamentos

vivendo o medo