Balé em Fotos

Nilo Piccoli é Santista, professor de biologia, portuário aposentado, fotógrafo amador membro do ABCclick e autor de “Balé em Fotos”

Ao mostrar minhas fotografias, quero apenas compartilhar com meus amigos e familiares esse gosto e mostrar que o resultado é espelho do desejo de felicidade que tenho com todos.

Minha relação com a fotografia vem das lembranças do passado. Sempre gostei das explicações dadas por minha mãe ao abrir uma caixa de camisa repleta de fotografias em preto e branco e detalhar quem eram as pessoas estampadas naquelas imagens. Contudo, ao passar do tempo, essas fotografias foram se perdendo e quando dei por mim não havia restado uma sequer.

O meu gosto em fotografar só se tornou realidade quando do nascimento da minha filha há 23 anos. Queria deixar para ela uma herança além das lembranças, assim coleciono umas cinco mil fotografias impressas e mais alguns milhares em arquivos digitais.

Fotografava todos e quaisquer momentos em casa, passeios, natação, escola, amigos, festas (passava dos limites). Mas o que mais passei a gostar foi fotografá-la em apresentações de balé.

Na dança é muito importante nitidez e foco. Os primeiros anos de apresentações com uma Sony P200, lógico que foram um fracasso e passei a desejar um equipamento mais eficaz, sempre com o intuito de fotografá-la.

Em 2011 fiz um curso de Fundamentos Básicos da Fotografia, além de pesquisas em livros e internet. Com equipamentos mais adequados, entusiasmei-me com um resultado de melhor qualidade o que me permitiu fotografar alguns espetáculos de dança e balé.

Não me considero um especialista nesse ou em qualquer outro tema, minha única técnica é gostar de fotografar, mas aprendi a sentir a emoção das músicas, dos movimentos e do momento certo dos meus cliques.

O ABCclick através de suas diversas atividades como concursos, exposições e encontros com outros fotógrafos, faz com que, a troca de experiências torne-se fundamental para o desenvolvimento de novos olhares.

Confira mais do FotoClube ABCclick

Gostou da nossa matéria “Balé em Fotos“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias, e também conheça o nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.379 outros assinantes

Santo André abre inscrições para edital emergencial para agentes culturais

A Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Cultura, abriu nesta sexta-feira (7) novo edital emergencial para agentes culturais. O objetivo é auxiliar no enfrentamento da pandemia de Covid-19 no setor. O valor total é de R$ 400 mil e os interessados podem realizar as inscrições até o dia 17 de maio.

Serão contratados até 320 proponentes, que receberão R$ 1.250 cada. Podem participar pessoas físicas que sejam trabalhadoras da cultura há pelo menos dois anos e residam na cidade, dentre outros requisitos.

Os selecionados deverão entregar uma atividade cultural, online e inédita nas modalidades Texto, Gravação e Imagem. As linguagens aceitas incluem artesanato, cultura e comunicação digital, cultura hip hop, culturas tradicionais e/ou populares, gestão cultural, leitura e literatura, patrimônio e memória, gastronomia étnica ou tradicional e artes (artes integradas, circo, dança, música, teatro, artes visuais, audiovisual).

Ampliação – Este é o segundo edital que a Prefeitura de Santo André realiza com recursos próprios no intuito de amparar quem trabalha com cultura na cidade durante a pandemia. Em maio de 2020, ainda no início da fase de isolamento social, a primeira iniciativa foi lançada com valor total de R$ 200 mil.

“Devido ao grande impacto que a pandemia causou no setor cultural, este ano conseguimos dobrar o valor destinado ao Edital Emergencial, aumentando a quantidade de pessoas contempladas e a parcela que cada uma receberá”, explicou a secretária de Cultura, Simone Zárate.

Atendimento online – Para facilitar o entendimento sobre o Edital Emergencial 2021 para Agentes Culturais, a Secretaria de Cultura preparou um calendário de encontros online.

As reuniões de apresentação serão realizadas nos dias 8/5 (sábado), às 18h, 10/5 (segunda-feira), às 19h, 12/5 (quarta-feira), às 16h, e 14/5 (sexta-feira), às 16h, na sala virtual: meet.jit.si/ApresentacaoEditalEmergencial2021.

Já os plantões de dúvidas estarão disponíveis de terça (11/5) a sexta-feira (14/5), das 19h às 21h30, sábado (15/5), das 14h às 17h, e domingo (16/5), das 14h às 20h, na sala virtual: meet.jit.si/PlantaoTiraDuvidasEditalEmergencial2021.

O resultado será divulgado até o dia 31 de maio. As atividades serão veiculadas nas redes sociais dos artistas e no site da agenda ‘Cultura em Casa SA’. O edital completo, ficha de inscrição e calendário de reuniões estão disponíveis em bit.ly/EditalEmergencial2021-CulturaSantoAndre.

Serviço:

Edital emergencial 2021 para agentes culturais

Inscrições: até 17 de maio de 2021.

Mais informações: bit.ly/EditalEmergencial2021-CulturaSantoAndre

| Texto: Daniela Mian
| Fotos: Helber Aggio/PSA

Gostou da nossa matéria “Santo André abre inscrições para edital emergencial para agentes culturais“?

Santo André abre inscrições para edital emergencial para agentes culturais
Foto: Helber Aggio/PSA

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.379 outros assinantes

Teatro Municipal de Santo André celebra 50 anos com série de depoimentos

Para celebrar o cinquentenário do Teatro Municipal de Santo André, Maestro Flavio Florence, completado no último dia 13 de abril, será lançada nesta sexta-feira (30), às 19h, a série ‘Teatro Municipal: Memória e História’, composta por mais de 30 depoimentos de personagens que marcaram estas décadas. Os episódios farão parte da agenda ‘Cultura em Casa SA’ e serão disponibilizados quinzenalmente em uma playlist no canal da Secretaria de Cultura no YouTube.

A série reúne memórias de atores, músicos, dançarinos, produtores e funcionários, recheadas com trechos de imagens da Videoteca de Santo André, fotos do acervo do Museu de Santo André Dr. Octaviano Armando Gaiarsa e registros cedidos pelos participantes.

“Mesmo fechado pela pandemia e pela merecida reforma que está sendo realizada, não poderíamos permitir que este espaço tão grandioso, tão relevante para Santo André, não recebesse a devida homenagem em seu cinquentenário. A série ficará como um registro para a cidade. É uma honra produzi-la e tenho certeza que o público vai adorar”, explica a secretária adjunta de Cultura, Azê Diniz.

Memórias – Entre as recordações do primeiro episódio estão a inesquecível passagem do dançarino e coreógrafo Kazuo Ono durante a 1ª Mostra Internacional de Teatro de Santo André, o sucesso do espetáculo ‘O Brando’, realizado pela primeira turma da Escola Livre de Teatro, e a Ópera Punk, além da construção e da inauguração do Municipal.

“A trama tinha muitos tiros de pólvora seca e o tiroteio fazia com que todo o teatro ficasse com cheiro de pólvora. Assim se deu a inauguração: com muita pólvora! Nós lotamos o teatro por quase dois meses seguidos”, relembra o ator Antonio Petrin sobre a primeira produção a ocupar o palco, “Guerra do Cansa Cavalo”, texto de Osman Lins com produção do Grupo Teatro da Cidade (GTC), em 13 de abril de 1971.

Para o ator e diretor Esdras Domingos, “é um privilégio ter um teatro tão estruturado, profissionalmente falando, que dá uma qualidade artística, técnica e uma segurança para trabalhar incrível. Depois que você passa pelo Teatro Municipal de Santo André, se sente muito seguro para ir para qualquer teatro do Brasil”.

Participam também do primeiro episódio Alexandre Takara, José Armando Pereira, Sônia Varuzza, Augusto Maciel, Celso Frateschi, Sônia Kavantan, Antônio Correa Neto, maestro Abel Rocha, Luis Alberto de Abreu, Sérgio Guizé, entre outros.

Melhorias – No mês em que o teatro completa 50 anos, a Prefeitura de Santo André entregou algumas das melhorias previstas para o espaço. A principal, a restauração das poltronas, foi entregue dia 8, no aniversário de 468 anos da cidade. O restauro resgatou o desenho original das poltronas, elaborado pelo designer-arquiteto Jorge Zalszupin para a empresa L’Atelier.

Outro serviço já executado no importante espaço cultural da cidade foi a troca da cobertura do teatro. Estão previstas ainda outras ações, como a impermeabilização, revitalização do saguão, readequação da bilheteria, revitalização e readequação do sistema de iluminação cênica e sonorização e da iluminação ambiente, além da garantia de acessibilidade total ao público.


| Texto: Daniela Mian e Marcos Imbrizi
| Fotos: Angelo Baima/PSA

Teatro Municipal de Santo André

Gostou da nossa matéria “Teatro Municipal de Santo André celebra 50 anos com série de depoimentos“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.379 outros assinantes

Barracão Teatro leva para a sua casa “Zabobrim, o Rei Vagabundo”

Como transpor para os limites da tela um espetáculo concebido para dialogar com o público? Com o desafio lançado, o Barracão Teatro – importante centro de investigação e pesquisa das artes da cena, localizado em Campinas (SP) – apresenta a adaptação de “Zabobrim, O Rei Vagabundo” (um dos clássicos do repertório do grupo) para os formatos digitais.

Filmado e formatado para a realização de uma série de seis apresentações on-line, gratuitas, nas plataformas sociodigitais do Barracão Teatro, “Zabobrim, O Rei Vagabundo Online” tem sua estreia nesta sexta-feira, 16 de abril, às 20h. A temporada, contemplada pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), com recursos da Lei Aldir Blanc, se estende nos dias 17, 18, 23, 24 e 25 de abril.

A temporada on-line terá uma novidade: o grupo receberá o público,, às 19h40, em uma antessala da plataforma Zoom, para conversar com os participantes. O link de acesso para a noite de estreia, sexta-feira, dia 16, é http://bit.ly/zoom_antessala_estreiazabobrim. Nos outros dias, o link estará disponível no Youtube e Instagram do Barracão Teatro.

Barracão Teatro leva para a sua casa "Zabobrim, o Rei Vagabundo"

Sob nova perspectiva
O espetáculo “Zabobrim, O Rei Vagabundo”, foi concebido, na sua origem, para ser uma obra volátil que dialogasse diretamente com público. Para a adaptação do espetáculo aos formatos digitais, o Barracão Teatro contou com a parceria da produtora de vídeo Mapache Filmes – fundada e dirigida pelo videomaker e cineasta Levi Munhoz.

“Entendemos que essa ressignificação não foi simplesmente o ato de filmar um espetáculo teatral já concebido, mas criar uma adaptação da obra feita exclusivamente para ser vinculada e apresentada nas redes a fim de possibilitar um diálogo presente com o espectador que assiste do outro lado da tela”, destaca a diretora Tiche Vianna.

Transpor uma linguagem para outra sem querer ter perdas é uma tarefa árdua e seria uma “prepotência dizermos que conseguimos fazer isso”, reforça Tiche. Em “Zabobrim, o Rei Vagabundo Online”, a equipe teve, acima de tudo, a possibilidade de estudar, revisitar, desmontar e remontar um espetáculo teatral sob uma nova perspectiva.

Quais os desafios? “A primeira coisa que perderíamos seria a relação interativa com o público e por conta disso, seria necessário modificar a narrativa. Isso diminuiu consideravelmente o tempo de realização das cenas o que favoreceu muito a apresentação através da tela”, afirma.

Segundo ela, “é diferente gravar um espetáculo teatral e reinventar a teatralidade no ‘teatro audiovisual’. Como a câmera se aproxima e às vezes entra na cena, atrizes e atores tiveram que condicionar corpos habituados ao exagero, a não caminhar as distâncias cênicas e recriar seus movimentos: tanto da máscara em si, que pressupõe sutilezas do rosto (coisa que não vemos no teatro por causa da distância), quanto da coluna e transferência de peso, redesenhando seus gestos. Tudo ganhou outra dimensão e é por meio do retorno, que poderemos ter através do público, após as apresentações, que saberemos com mais profundidade como operar essa outra perspectiva de trabalho, que parece ser o que nos moverá nos próximos meses”, reflete.

Do outro lado da tela
Desde sua estreia, em 2015, o espetáculo circulou por diversas cidades, apresentando em festivais, mostras e temporadas. Em cada lugar, e diante de cada público diferente, a peça, na improvisação direta com a plateia, ia se reconfigurando na atualização de piadas, interações e comentários (tudo isso a partir dos acontecimentos atuais e do retorno do espectador).

Agora, sob a nova perspectiva virtual, a diretora é enfática: “Longe de termos uma câmera que captura imagens fiéis ao realismo, temos uma câmera que vasculha alguns ângulos distintos da cena, na busca de uma intimidade que só a presença cênica é capaz de revelar. Ainda temos muito a aprender e o desafio é esse. Quanto mais caminho pela frente, maior a vontade de realizar a possibilidade do agora”, conclui Tiche Vianna com muitas ideias na cabeça e, definitivamente, uma câmera na mão.

Ficha técnica

Dramaturgia
Tiche Vianna – Esio Magalhães

Direção
Tiche Vianna

Atuação
Cintia Birocchi
Esio Magalhães
Fernando Fubá
Kara Ariza
Raissa Guimarães
Rodrigo Nasser
Ulisses Junior

Direção Musical
Marcelo Onofri

Direção de arte (figurinos)
Antonio Apolinário

Designer Gráfico
Ana Muriel

Técnico de Iluminação
Erico Damineli

Produtora Executiva
Cau Vianna

Assistente de Produção
Thomas do Anjos

Sinopse do espetáculo
Na peça, Zabobrim, o palhaço vagabundo remexe o lixo e encontra uma lâmpada mágica. Um gênio lhe concede três pedidos e ele pede para se tornar rei. Seu desejo é realizado e Zabobrim retorna ao passado, quando o fim da monarquia se anuncia e os reis estão perdendo suas cabeças.

Serviço
“Zabobrim, o “Rei Vagabundo On-Line”
Quando: 16, 17 e 18 de abril (sexta a domingo); 23, 24 e 25 de abril (sexta a domingo), sempre às 20h.
Ondehttps://www.youtube.com/barracaoteatro 
Recepção do público: plataforma Zoom, às 19h40. Link de acesso para a estreia, sexta-feira, dia 16, é http://bit.ly/zoom_antessala_estreiazabobrim. Nos outros dias, o link estará disponível no Youtube e Instagram do Barracão Teatro.
Classificação indicativa: 12 anos.

Projeto: Zabobrim, o Rei Vagabundo Online, contemplado pelo Programa de Apoio Cultural Expresso Lei Aldir Blanc nº36 – Produção e temporada de espetáculo de teatro com apresentação on-line, da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Gostou da nossa matéria “Barracão Teatro leva para a sua casa “Zabobrim, o Rei Vagabundo”“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.379 outros assinantes

BAILE DO MENINO DEUS LANÇA FILME NESTA QUARTA

Espetáculo que há 17 anos acontecia no Marco Zero do Recife, se reinventou para garantir que a mensagem do Menino Deus chegue nas casas dos brasileiros. Além disso, pela manutenção de mais de 300 empregos diretos. Saiba mais do Baile do Menino Deus.

Em tempos onde a clausura domiciliar é necessária por conta da pandemia, o Baile do Menino Deus se reinventa para garantir que a alegria, a diversão e toda a sua esperança e ludicidade chegue nas casas dos brasileiros na noite de natal. Produzido pela Relicário Produções/Carla Valença e dirigido por Ronaldo Correia de Brito, o espetáculo que costuma reunir mais de 70 mil de turistas e conterrâneos no Marco Zero do Recife virou um filme que estreia nesta quarta-feira (23), às 20h, para todo Brasil, pelo canal do YouTube do Baile e através do site:  www.bailedomeninodeus.com.br (em formato com libras e audiodescrição). A transmissão ocorre também nos dias 24 e 25 e, no dia 26 de dezembro, às 14h, na Globo Nordeste.

Em um ano desafiador, principalmente para os profissionais da cultura, o Baile do Menino Deus garante além da continuidade de 17 anos de espetáculo, a preservação de mais de 300 empregos diretos, com o seu formato alternativo. Assim, são costureiras, montadores, maquiadores, profissionais de limpeza, cozinheiras, aderecistas, produtores, músicos, fotógrafos, cinegrafistas, artistas e diversos profissionais que vivem diretamente da renda do baile, todos os anos.

Cuidados com a pandemia

Uma equipe coordenada por 6 médicos também foi montada para as gravações do filme. Mais de 100 caixas de máscaras e álcool 70 foram comprados. Além de capacetes, testes, capotes, borrifadores, roupas especiais e todo o aparato necessário para que a saúde dos profissionais fosse preservada.

“Havia uma preocupação grande em não deixar essas pessoas sem trabalho. Nós não tínhamos escolha: ou interrompíamos o ciclo de 17 anos no Marco Zero, não fazendo nada, ou inventávamos outra maneira de apresentar o espetáculo. Topamos o filme. Mas confesso que não foi nada fácil montar o espetáculo a ser filmado, realizar o filme e cumprir os protocolos da Covid. Foi desafiador”, comenta Ronaldo Correia de Brito, criador e diretor do Baile do Menino Deus.

Como muitos, o Baile teve que se reinventar. Para o público que precisa de sua mensagem e por sua equipe. Portanto, a equipe criou um berçário, para que as mamães da equipe não precisassem deixar suas crianças sob os cuidados de outras pessoas. Afinal, não sabiam se estavam se cuidando. Neste berçário, ficou Sereno, filho da atriz Isadora Melo (intérprete de Maria), que com apenas 3 meses ingressou na carreira de ator estreando no Baile como Jesus Cristinho.

“Tivemos de vencer a inércia, o medo e a paralisia que tomaram conta dos trabalhadores de arte. O protocolo da Covid foirigorosamente obedecido. Trabalhamos com uma equipe de 6 médicos, que passaram a acompanhar os artistas e técnicos 45 dias antes das filmagens, num plantão permanente, e 15 dias depois das filmagens, quando todos receberam alta. Não houve um único contágio. Por essa estatística vocês podem avaliar o nível de nossa produção”, revela Ronaldo.

Sobre o projeto

O longa inédito da grande ópera popular nordestina, conta a história mais famosa do mundo – o nascimento de Jesus Cristo. Todavia, resgatando o sotaque, a forma de fazer, de dançar e  de cantar, do brasileiro. Se orientando nas tradições de festas e representações teatrais do ciclo natalino, incorporadas às mais diversas culturas do Brasil.

O projeto preserva várias formas de celebração do Natal, que sobreviveram e se guardaram apenas no Nordeste do Brasil. Por exemplo, do reisado, lapinha, pastoril, cavalo marinho, guerreiro, chegança, boi de reis e outras representações de brincadeiras. Além disso, das tradições que fogem do monotema “congelado” com neve de isopor, pinheiros, renas, trenós e Papai Noel, que reproduzem a cultura americana, do leste europeu e do consumo.

O evento é uma tradição lúdica de final de ano, sendo que a cada nova montagem, são reveladas surpresas. Este ano, por exemplo, o Baile incorporou a tecnologia ao espetáculo. Projeções de um “Céu Divino”, “Paisagens do Sertão” e a “Floresta Amazônica”, são algumas das oito cenas que serão projetadas em um cenário digital, que traz características clássicas e ecléticas da cidade para a apresentação. “O Baile é um espetáculo de rua que se integra com a cidade no espaço do Marco Zero e trazendo o cenário para dentro do teatro a gente quis trazer a cidade como cenário para o fundo do teatro”, conta Sephora Silva, que assina a direção cenográfica do evento.

O que faz o Baile do Menino Deus ser único na cena natalina brasileira é o seu projeto de resgatar várias formas de celebração do Natal. Portanto, estas que sobreviveram e se guardaram apenas no Nordeste do Brasil. Reisado, lapinha, pastoril, cavalo marinho, guerreiro, chegança, boi de reis e outras manifestações.

BAILE DO MENINO DEUS

História do BAILE DO MENINO DEUS

Criado há 36 anos, o texto faz parte da Trilogia das Festas Brasileiras, série de peças que retratam as manifestações populares nordestinas, em que se incluem a Bandeira de São João e o Arlequim de Carnaval. Dessa forma, o Baile do Menino Deus, a dupla de personagens principais, Mateus, é interpretada pelos atores Sóstenes Vidal e Arilson Lopes, que se revezam com Paulo de Pontes e Daniel Barros. Juntos, eles buscam uma forma de abrir a porta da casa onde estão José, Maria e o recém-nascido Jesus, e celebrar a vida em clima de festa.

Uma saga que recorre a sortilégios, brincadeiras, invocação de criaturas fantásticas – como a Burrinha Zabilin, o Jaraguá e o Boi – e muita música e dança. O corpo de baile, composto por onze bailarinos, também está renovado, bem como o figurino e a cenografia. Então, entre os solos da peça, outro destaque também é Silvério Pessoa, que estará em quatro atos, sendo que há 16 anos integra a rede de artistas do Baile. Além disso, o grupo Bongar mistura a cultura africana ao auto de natal.

O telefilme do Baile conta com direção geral de Tuca Siqueira (Amores de Chumbo e Fashion Girl) e direção de fotografia de Pedro Sotero (premiado em Cannes com o filme Bacurau).

Produção e direção Baile do Menino Deus

Produtora, roteirista e diretora de cinema, a pernambucana Tuca Siqueira iniciou sua carreira em 2003. Sua trajetória conta com diversas séries, filmes e documentários premiados. Por exemplo, “Amores de Chumbo”, seu primeiro longa de ficção, considerado uma verdadeira pérola cinematográfica pela crítica.

Diretor de fotografia desde 2006 no Recife, lugar onde desenvolveu uma consistente filmografia de curtas e longas-metragens, Pedro Sotero fotografou filmes que incluem três seleções oficiais no festival Cannes. Por exemplo,  “Aquarius”, “Bacurau” e “O Som ao Redor”. Em 2018, ganhou o prêmio de melhor fotografia no SSIFF, com longa argentino “Rojo” e em 2019,  trabalhou na pesquisa, roteiro e fotografia do filme instalação SWINGUERRA, obra selecionada para representar o Brasil na Bienal de Veneza e finalista do prêmio ABC 2020.

A proposta do espetáculo filme do Baile é encenar a apresentação da mesma forma que ela é todos os anos no Marco Zero. Sendo assim, usando a linguagem do cinema sem perder nenhuma característica própria da montagem, mas trazendo novidades.

O Baile conta com apoio e patrocínio do Ministério do Turismo, através da Lei de Incentivo à Cultura, Governo de Pernambuco, Prefeitura do Recife, Rede do Grupo Itaú, Aché Laboratórios, Sherwin-Williams, Tramontina, STN Nordeste, Inbetta, Copergás e Globo PE.

A produção do Telefilme do Baile é assinada pela REC, produtora recifense com o pensamento voltado para a criação e produção de conteúdo audiovisual, dos sócios Chico Ribeiro e Ofir Figueiredo. Entre as suas principais produções estão Para Quando o Carnaval Chegar, de Marcelo Gomes, Tatuagem, de Hilton Lacerda, Viajo porque Preciso, Volto Porque Te Amo, de Katim Ainouz e Marcelo Gomes, Para Ter Onde Ir, de Jorane Castro e diversos outros longas.

BAILE DO MENINO DEUS

SINOPSE

Inspirado no reisado, brincadeira muito comum no cariri cearense. Então, numa noite de Natal, o Mateus, uma espécie de palhaço, acompanhado de várias crianças, procura a casa onde nasceu um menino para celebrar uma festa. A procura é cheia de acontecimentos e reviravoltas e quando eles acham a casa, ela está com as portas e janelas fechadas. Começam brincadeiras mágicas e peripécias para abrir a porta.

Quando ela se abre, revela-se um menino recém-nascido, com seu pai e sua mãe. A festa parece que vai começar, mas a casa desaparece novamente e se inicia uma nova procura em um auto que nunca termina e se repete todo ano, conforme sugere um dos personagens da brincadeira:

“Senhores donos da casa,

meninos desta folia,

povo inteiro desta sala

que assiste a nossa alegria,

continuemos o baile,

o coração nunca esfria,

quem dança os males espanta

e o peito desanuvia.

Continuemos o baile

agora e em cada dia.

O baile aqui não termina,

o baile aqui principia.

do mesmo tanto que o sol

se renova a cada dia,

da mesma forma que a lua

quatro vezes se recria,

do mesmo tanto que a estrela

repassa a rota e nos guia.

SERVIÇO

Espetáculo filme Baile do Menino Deus 

Transmitido nos 23, 24 e 25 de dezembro pelo www.youtube.com.br/bailedomeninodeus 

E dia 26 de dezembro pela TV Globo

Mais informações: http://www.bailedomeninodeus.com.br/ 

ACESSIBILIDADE: O espetáculo filme terá libras e audiodescrição no site  http://www.bailedomeninodeus.com.br/ 

REDES SOCIAIS

Site – www.bailedomeninodeus.com.br 

Facebook – @bailedomeninodeus

Instagram – @bailedomeninodeusoficialYouTube – www.youtube.com.br/bailedomeninodeus
Fotos das Gravações: https://drive.google.com/drive/u/1/folders/1hDowd2R1Lyjadoi0fXF0utAsaEkkCcY6

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Dessa forma, nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Portanto, nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Sendo assim, nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Então, assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 1.379 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Então, aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Inscrições para o FESTIM estão abertas até 4 de dezembro

O Festival de Teatro Infantil de Mauá (FESTIM), será realizado no período de 16 a 31 de janeiro de 2021 na cidade de Mauá – SP, Brasil, com o intuito de reunir grupos que desenvolvem a temática cênica para crianças, valorizando o trabalho teatral produzido em Mauá e no território brasileiro, promovendo intercâmbio entre artistas e o público. O FESTIM 2020 é um projeto aprovado pelo edital municipal 003/2020 incentivado pelo Programa de Ação Cultural – ProAC Municípios.

O Festival garantirá uma ajuda de custo de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) por participação a cada um dos grupos e companhias selecionados e o espetáculo com maior destaque no FESTIM receberá além da ajuda de custo, certificado e troféu de participação, um prêmio incentivo de mais R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais).

Edital disponível em PDF: CLIQUE AQUI
Anexos editáveis em Word: CLIQUE AQUI
Para maiores informações, nos procurem nas redes sociais do Grupo Artemis de Teatro
Instagram: @grupoartemis
Facebookhttps://www.facebook.com/grupoartemis/

Colaboração de Felipe Rodrigues

FESTIVAL CULTURAL PANGEIA CHEGA A 3° EDIÇÃO TOTALMENTE ONLINE

Recheado de atividades o evento traz como tema “Conexões América e África” trazendo visibilidade às realidades culturais e sociais das periferias de São Paulo

Festival Cultural Pangeia, promovido pelo coletivo MisturArte, acontece de forma totalmente online na edição deste ano, entre os dias 1º e 13 de dezembro. O evento que traz como tema “Conexões Américas e África”, tem como principal objetivo expandir, ultrapassando as barreiras continentais, para mostrar e unir culturas distintas, mas que possuem essências muito parecidas. O festival consiste em promover ações artísticas, culturais e educacionais da periferia para a periferia, com trabalhos de artistas da quebrada, imigrantes e refugiados. “Cruzamos o atlântico para falar da África e todas as suas mazelas e maravilhas que resultam dessa diáspora”, informa o produtor do Festival Manuel Victor.

Por conta da pandemia da Covid-19 a organização abraçou o desafio de transferir todas as atrações para o meio virtual, o que acabou se tornando uma grande oportunidade de expandir o alcance do evento, como conta a diretora do Festival Pauliana Reis. “Tínhamos tudo preparado para o formato tradicional e de repente nos vimos em um grande desafio de mudar completamente, alterar cronogramas e adaptar as apresentações, os cursos, os debates e as exibições dos curtas-metragens. Ao mesmo tempo que foi trabalhoso está sendo muito gratificante ver o empenho de todos para o festival dar certo e o tamanho do alcance das ações”.

Várias atividades paralelas compõem o Festival Cultural Pangeia neste ano. São elas: Feira Mvúka Online, Exposição Origens #3, mesas de debates, apresentações artísticas e a primeira edição do FIC Pangeia (Festival Internacional de Curtas Pangeia). Além de todas essas atrações será lançado em 2021 o documentário.

Feira Cultural Mvúka, que ocorrerá de forma online, tem como proposta aglutinar em uma única plataforma os artistas e principalmente os empreendedores das quebradas de modo que possam oferecer seus trabalhos e serviços para muitas pessoas, inclusive fora do seu círculo de convívio. Os interessados em participar da feira tem até o dia 2 de novembro para se inscreverem através do site https://www.festivalpangeia.com/feira-múvka . Serão 40 empreendedores selecionados que participarão de encontros virtuais, workshops e aulas sobre empreendedorismo e marketing digital. A finalidade é oferecer conhecimentos na divulgação de seus produtos, trabalhos e serviços. “A gente gosta da muvuca de pessoas reunidas, essa é a essência da periferia, e por que não usar isso para promover arte, cultura e empreendedorismo? Neste ano o grande desafio foi transportar tudo para o meio virtual”, informou Priscila Magalhães produtora do Festival.

“A plataforma do Festival servirá como um marketplace para que esses empreendedores ganhem visibilidade”, explica Pauliana.  Toda essa troca de experiências, conhecimentos e ensinamentos acontecerá durante quatro dias, em encontros virtuais com duas horas de duração cada, em dois workshops no mês de novembro preparando os selecionados que irão oferecer seus serviços e produtos. A Feira faz parte das atividades que integram o Festival Pangeia, e acontecerá de 1º a 13 dezembro. Abaixo as datas dos workshops:

  • Dias 12 e 13 de novembro (das 19h30 às 21h30): Aulas de Empreendedorismo com Vera Nunes – Especializada em Gestão de Projetos
  • Dias 16 e 17 de novembro (das 19h30 às 21h30): Aulas de Marketing Digital com Rosyane Silwa – Especializada em Gestão de Projetos

Exposição Origens #3 acontecerá em formato totalmente virtual e contará com 40 obras de 6 artistas que remontam os resultados da diáspora africana nas realidades periféricas em que vivem. Os trabalhos ficarão expostos no site do festival durante todo o festival, com acesso gratuito para todas as pessoas.

Acontecerá uma Mesa de Debate, no dia 10 de dezembro, organizadas pelo coletivo MisturArte, que poderão ser acompanhadas através do Facebook do Festival Cultural Pangeia, que tem como tema: ‘O que alimenta nossas africanidades”.

Vale destacar que, mesmo com a pandemia, o coletivo MisturArte organizou quatro mesas de debate, todas online, durante período de maior restrição de distanciamento social pela saúde e segurança de todos. Os temas debatidos foram: “A Pessoa Preta no Mercado de Trabalho”, “A Influência da Cultura Afrodiaspórica nas Américas do Século XXI”, “A Juventude na Periferia, Formação de Guetos” e “Práticas Assertivas para a Criança no Brasil”, que podem ser assistidas no Facebook e no Youtube

As Apresentações Artísticas, performances e poesias, que irão explorar diversas linguagens da arte, poderão ser acompanhadas no YouTube do festival. 

FIC Pangeia (Festival Internacional de Curtas Pangeia) traz em sua primeira edição obras relacionadas com o tema do festival, que conectam os povos das Américas e África em um mesmo local, mostrando o dia a dia das nações que, mesmo distante, possuem inúmeras coisas em comum. O festival recebeu mais de 130 inscrições de curtas-metragens de vários países da América do Sul e da África, entre documentários, ficção, animação, experimental ou híbridos. As produções possuem no máximo cinco minutos de duração e tratam as dificuldades vividas pelo racismo, desigualdade social, luta por direitos iguais entre outros. Os 10 filmes selecionados pela comissão técnica para integrar o festival serão premiados em três categoria: Voto do Júri, Voto Popular e Menção Honrosa. “Ficamos muito surpresas e felizes com o número de produções inscritas, recebemos filmes de vários países e isso superou nossas expectativas”, conta Priscila.

Todos os curtas-metragens finalistas ficarão disponíveis para o público, de graça, na plataforma Todesplay, o “streaming da quebrada” durante o mês de dezembro.

Sobre o Festival Cultural Pangeia

O nome do festival é uma referência a Pangeia, que era o grande continente, a primeira crosta terrestre que existiu antes da separação que formaram os seis continentes que conhecemos hoje: África, Ásia, Europa, Oceania, América e Antártida. Apesar das divisões continentais, a proposta é a união das culturas, influenciada e construída a partir de intervenções artísticas com diversas atrações e o mapeamento de artistas.

O Festival Cultural Pangeia foi contemplado nos anos de 2016 e 2017 pelo Programa VAI da Secretaria de Cultura de São Paulo. Na atual edição o festival foi contemplado em 2019 no 4º Programa de Fomento a Periferia com o projeto “Conexão Américas e África”, relacionando a influência da cultura Afrodiaspórica nas Américas.

Serviço:
Site: www.festivalpangeia.com.br

Redes Sociais:
Facebook – www.facebook.com/festivalpangeia
Instagram – @festivalpangeia
YouTube – Festival Cultural Pangeia

Escolas Livres de Teatro e de Dança recebem inscrições

Oportunidades são para Terreiros de Estudos da ELT e para o projeto Selfdário da ELD

Santo André, 29 de setembro de 2020 – As Escolas Livres de Teatro e Dança, espaços de formação mantidos pela Secretaria de Cultura de Santo André, estão com inscrições abertas para série de atividades gratuitas. Para os ‘Terreiros de Estudos’ da Escola Livre de Teatro (ELT), as inscrições podem ser feitas até 2 de outubro. E o projeto ‘Selfdário’, laboratório de criação orientada para jovens, da Escola Livre de Dança (ELD), recebe inscrições até 16 de outubro. Os links estão disponíveis na Agenda Cultural (http://www3.santoandre.sp.gov.br/agendacultural/).

Na ELT, o processo seletivo destina-se à composição do quadro de aprendizes para aulas remotas/virtuais. As oportunidades são para oito ‘Terreiros de Estudos’, territórios autônomos de encontro e pesquisa em teatro, que se propõem a criar um espaço de convívio e de socialização do conhecimento, onde seja possível o estudo de outras narrativas de mundo.

Terão duração de cinco encontros no período noturno e podem participar candidatos e candidatas de todo o País. Os temas são: ‘Atuação Cênica e Multinaturalismo Ameríndio: Aproximações, Negociações e Conflito’, com orientação de Antonio Salvador; ‘Memória e Presença de Dramaturgias Trans no Brasil, com Ave Terrena; ‘Lete (O Esquecimento), Aletéia (A Verdade), Mnemósina (A Memória) e Uma Aproximação Do Trágico’, com Jean Pierre Kaletrianos; ‘Sonhando Paraquedas Coloridos – Criação Cênica A Partir da Memória e da Investigação do Sonho Como Simulação de Futuro’, com Cris Rocha; ‘Dramaturgias Estruturais do Teatro Ocidental – Lado B’, com Alex Tenório; ‘Corpo Morada’, com Janette Santiago; ‘Lutas Culturais e Formas Artísticas: Política, Ideologia e Estética’, com Judson Cabral, e ‘Vigiar e Punir: Os Mecanismos de Controle e Interdição da Atividade Teatral no Brasil ou A Censura Ontem e Hoje’, com Felipe de Menezes.

Escola Livre de Dança – Já a Escola Livre de Dança (ELD) disponibiliza vagas para orientações artísticas direcionadas a adolescentes e jovens interessados em produzir criação envolvendo imagem, dança e escrita, a partir do projeto Selfdário.

Selfdário é uma série virtual de dança para adolescência produzida pela equipe pedagógica da ELD e disponível no YouTube, que provoca a criação de um diário imagético sobre esse atípico ano de 2020, onde a vida mudou de forma por conta da quarentena.

Ao longo de 12 episódios, as artistas educadoras Camila Bronizeski e Paula Petreca apresentaram provocações sensíveis e referências artísticas estimulando a criação autoral de um diário de selfies (fotografias, vídeos, textos escritos) que agora ao longo de quatro semanas poderão ser elaborados como um exercício de obra multimídia sob orientação dessas artistas.

Para se inscrever é fundamental assistir primeiro aos 12 vídeos disponíveis na playlist Escola Livre de Dança, no Canal Cultura Santo André, do YouTube. Depois disso, deve-se enviar nome, idade, endereço e obrigatoriamente as quatro propostas de retrato, a partir dos exercícios sugeridos em cada episódio da série, para o email selfdario.eld@gmail.com.

Os que enviarem suas propostas no prazo irão ter quatro encontros com as educadoras, através da plataforma Google Meet nos dias 21 e 28 de outubro e 4 e 11 de novembro, das 14h às 16h, para as orientações artísticas. A série Selfdário está disponível no endereço https://www.youtube.com/playlist?list=PLk73B9e63GO5TdkJc4JOQX9wlDvUCu4T6

Serviço:

Inscrições para atividades nas Escolas Livres de Teatro e Dança

Escola Livre de Teatro – Inscrições para oito Terreiros de Estudos, cada um com duração de cinco encontros virtuais no período noturno.

Informações e inscrições até 2 de outubro

Escola Livre de Dança – Inscrições para o projeto Selfdário.

Informações e inscrições até 16 de outubro

Mais informações e links para inscrições: http://www3.santoandre.sp.gov.br/agendacultural/

| Texto: Marcos Imbrizi
mlimbrizi@santoandre.sp.gov.br / 4433-0142
| Foto: Divulgação/PSA

Fonte: Prefeitura de Santo André