Busca ativa de tuberculose: 18 mil pessoas abordadas em Diadema

Durante a Campanha de Busca Ativa de Sintomáticos Respiratórios, realizada em março deste ano pelas equipes de saúde das 20 Unidades Básicas de Saúde (UBS), foram abordados 18.965 moradores da cidade, quanto a tuberculose, de acordo com dados divulgados pela Coordenadoria de Vigilância à Saúde de Diadema em abril.

Dentre as pessoas abordadas, 115 tinham sintomas respiratórios característicos de tuberculose (TB) e, dessas, 101 realizaram baciloscopia (teste de escarro). Apenas dois moradores positivaram para o doença e deram início ao tratamento.

A busca ativa é uma atividade de rotina nas UBSs, com dois momentos de intensificação, em março e setembro. “Considero que a campanha de busca ativa de sintomáticos respiratórios foi muito positiva, pois apesar da situação atual imposta pela pandemia, com esforços voltados para atendimento dos casos de covid-19, praticamente todas as UBSs fizeram atividades de busca de possíveis casos de TB e dois casos foram diagnosticados”, explicou a coordenadora do Programa de Tuberculose em Diadema, dra Iriane Maria Sammarone Henriques.

Atualmente, aproximadamente 100 moradores estão em tratamento de TB. O tempo e a dose dos medicamentos podem variar de acordo com o tipo e a gravidade da doença. A técnica de enfermagem da UBS Inamar, Rosana dos Santos Francelino, garante que a adesão ao tratamento é fundamental para a cura.

“Procuro me aproximar do paciente e falar a mesma língua, para que se sinta à vontade para pedir ajuda e seguir o tratamento. Muitas vezes, o paciente fica cansado por causa da tuberculose, emagrece, tem febres. Depois de 30 dias, o paciente já responde super bem, pode ter a impressão que está curado e querer abandonar o tratamento. Procuramos deixar bem claro que, embora tenham tido melhora, não estão curados. Se não realizarem o tratamento completo, a doença pode voltar muito mais forte”, finaliza a técnica de enfermagem.

Referência

Pelas políticas públicas adotadas pelo município ao longo dos anos, Diadema recebeu, pela 15ª vez consecutiva, o Prêmio “Qualidade nas Ações de Controle da Tuberculose”, por apresentar índice de cura maior que 85% dos casos diagnosticados em 2019.

O Programa Municipal de Tuberculose inclui tratamento supervisionado com entrega de incentivos aos pacientes, exames de diagnóstico e controle, medicamentos gratuitos e avaliação dos comunicantes de casos de tuberculose. O atendimento de casos descentralizados em todas as UBSs, as equipes comprometidas e o suporte da coordenação são pontos positivos do programa.

Doença

A tuberculose é causada por uma infecção pelo Bacilo de Koch (BK) e atinge, principalmente, o pulmão. Entretanto, ossos, rins e meninges podem ser prejudicados pela doença. Os sintomas mais comuns na tuberculose são tosse prolongada, geralmente por mais de três semanas, com secreção e acompanhada por febre vespertina, sudorese noturna e emagrecimento.

Gostou da nossa matéria “Busca ativa de tuberculose: 18 mil pessoas abordadas em Diadema“?

Busca ativa de tuberculose: 18 mil pessoas abordadas em Diadema
Foto: Vanessa Dino Santos

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e mais vagas de emprego abertas. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.002 outros assinantes

Diadema inicia busca ativa de tuberculose em 15 de março

Receber o diagnóstico cedo e correto pode ser o diferencial no tratamento e na cura da tuberculose. Para detectar e tratar essa população que ainda não está em acompanhamento, a Prefeitura de Diadema inicia, a partir desta segunda-feira (15/03), a Busca Ativa de Sintomáticos Respiratórios.

Até dia 29 de março, as 20 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) realizarão a campanha.

A partir do diagnóstico, o paciente é encaminhado para tratamento. O tempo e a dose dos medicamentos podem variar de acordo com o tipo e a gravidade da doença.

“A tuberculose continua prevalente nos dias de hoje, pois é uma doença de transmissão respiratória que afeta qualquer pessoa, contudo está associada a fatores como má nutrição, condições de moradia inadequadas com casas mal ventiladas e com grande número de pessoas, alcoolismo, drogadição e doenças imunossupressoras.” afirmou a coordenadora do Programa de Tuberculose em Diadema, dra Iriane Maria Sammarone Henriques.

“Há também fatores ligados ao controle da doença como diagnóstico tardio e altas taxas de abandono do tratamento, que infelizmente estão ocorrendo em porcentagem crescente nos últimos anos, e principalmente no ano de 2020 devido à pandemia da covid-19” disse Iriane.

A técnica de radiologia Vanessa de Jesus Bezerra da Silva foi diagnosticada com tuberculose em agosto de 2019. Os primeiros sintomas como cansaço, falta de ar e febre ao final do dia tiveram início em abril, porém demorou para procurar ajuda médica. Ela ficou internada devido à infiltração no pulmão e depois de alguns exames veio o diagnóstico. “Eu fiquei assustada quando o médico do convênio me falou que era tuberculose pleural (na membrana que envolve o pulmão), mas ele me encaminhou para a UBS. Lá me explicaram tudo e comecei o tratamento, o remédio só é fornecido na rede pública”. Foram seis meses de tratamento supervisionado, quando o paciente toma a medicação na Unidade. Em 2019, 63% dos pacientes aderiram a esse modalidade de acompanhamento. “Todos da equipe foram excepcionais, muito atenciosos e dedicados. Também tive apoio muito bom da minha família, principalmente da minha sogra”, elogiou.

Durante o tratamento supervisionado, o profissional de saúde pode avaliar o paciente diariamente e ouvir possíveis queixas de reações adversas ou dificuldade na adesão ao tratamento. Atualmente, 105 moradores estão em tratamento de TB.

Pelas políticas públicas adotadas pelo município ao longo dos anos, Diadema recebeu, pela 15ª vez consecutiva, o Prêmio “Qualidade nas Ações de Controle da Tuberculose”, por apresentar índice de cura maior que 85% dos casos diagnosticados em 2019.

Além da busca ativa, o Programa Municipal de Tuberculose inclui tratamento supervisionado com entrega de incentivos aos pacientes, exames de diagnóstico e controle, medicamentos gratuitos e avaliação dos comunicantes de casos de tuberculose. O atendimento de casos descentralizados em todas as UBSs, as equipes comprometidas e o suporte da coordenação são pontos positivos do programa.

Doença

A tuberculose é causada por uma infecção pelo Bacilo de Koch (BK) e atinge, principalmente, o pulmão. Entretanto, ossos, rins e meninges podem ser prejudicados pela doença.” A tosse na tuberculose é prolongada, geralmente por mais de três semanas, com secreção e acompanhada por febre vespertina, sudorese noturna e emagrecimento. Já na covid-19, o quadro é agudo, com tosse seca, febre alta, cansaço importante e perda de olfato e paladar”, explicou Iriane.

Pandemia

Devido à pandemia da COVID 19, em 2020, observou-se diminuição nas notificações de TB devido a fatores como diminuição da procura por atendimento médico por parte dos pacientes receosos do contato com possíveis casos de covid-19 nos serviços de saúde.

“Com a campanha de busca ativa de sintomáticos respiratórios entre 15 e 29 de março, esperamos identificar os casos de TB que porventura deixaram de ser diagnosticados em 2020”, finaliza Iriane.

Gostou de “Diadema inicia busca ativa de tuberculose em 15 de março?

Diadema inicia busca ativa de tuberculose em 15 de março

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 1.002 outros assinantes