Felicidade é onde o meu cachorro está!

Pedro Döhnert, gerente geral do Doral Guarujá, é autor de “Felicidade é onde o meu cachorro está!”.

Não há como negar que os cachorros nos cativam e se tornam um dos nossos melhores amigos. Essa aliança começou há milhares de anos e, hoje, compartilhamos histórias com os pets que complementam cada aspecto de nossas vidas. Eles lutam ao nosso lado, nos protegem, fazem companhia e, em tempos de home office, até mesmo trabalham com a gente.

Tratados como membros da família, ganharam espaço nas casas dos brasileiros e se adaptam às selvas de pedras. De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 46,1% das residências contam com pelo menos um cachorro. 

Os animais domésticos são constantemente paparicados pelos seus donos. Segundo a Euromonitor International, o Brasil chegou ao ranking do segundo maior mercado de produtos pet, com 6,4% de participação global, pela primeira vez acima do Reino Unido (6,1%), perdendo somente para os Estados Unidos, que têm 50% do mercado.

Os dogs são sinônimo de amizade, lealdade e companheirismo. Durante a pandemia da covid-19, os sentimentos de solidão e isolamento ficaram mais aflorados e, por isso, o número de adoção de pets cresceu. A União Internacional Protetora dos Animais (UIPA) registrou aumento de 400% na procura por cães e gatos neste período. 

E na hotelaria o cenário não foi diferente. As buscas no Google por hotéis com serviços pet friendly cresceram 300% para viagens de março a setembro de 2020. Em pesquisa realizada pela Hoteis.com, foi revelado que 82% dos brasileiros participantes do estudo pretendem viajar com seus animais. O levantamento ainda apresentou que 67% dos entrevistados já levaram seu companheiro de estimação em uma viagem. Em geral, as praias (57%) foram as vencedoras para o turismo pet, seguidas pelas cidades pequenas (53%) e destinos urbanos (52%). 

Hoje, existe uma vasta opção de serviços pet friendly ou dog friendly (estabelecimentos que aceitam apenas cachorros). Cresceram as estratégias de hotéis, restaurantes e espaços para atrair esse perfil de consumidor. 

E para você se dar bem em uma hospedagem com seu amigo de pelos, uma dica  é pesquisar hotéis com selo da Universidade Pet Friendly, criado para ensinar e estruturar os locais para receber da melhor maneira os animais. Outra forma de se sentir confiante na viagem é consultar posts em blogs especializados, matérias em veículos de comunicação confiáveis e publicações de influencers pet nas redes sociais. Certamente, eles trazem as melhores opções! 

Aconselho também que, antes de viajar, você observe a estrutura do hotel, quais as suas regras, se aceitam todos os tipos de raças e tamanhos, o que oferece como kits, quais os espaços dedicados aos pets, se há espaço para ele brincar e, principalmente, se é um ambiente seguro. Analise as restrições da região onde irá se hospedar, ou seja, veja se o estabelecimento fica em um local com atrações para o pet; caso fique em uma área litorânea, verifique se na praia é permitido caminhar com animais; e planeje passeios com experiências únicas direcionadas, como trilhas, cachoeiras e tours de barcos, entre outros.

Mas muita atenção! Veterinários aconselham que antes de levar o seu pet para viajar, repare se a sua carteirinha de vacinação está em dia e se ele está em perfeitas condições de saúde, procure uma clínica veterinária e faça um check-up. 

Por fim, não importa onde vivemos, esses nossos companheiros aperfeiçoaram a arte da amizade sem nem precisar dizer uma única palavra. 

Felicidade é onde o meu cachorro está!
Felicidade é onde o meu cachorro está. Foto de Kat Jayne no Pexels

Gostou da nossa matéria “Felicidade é onde o meu cachorro está!“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e mais vagas de emprego abertas. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.352 outros assinantes

Os gatos possuem comportamentos, conheça mais do seu amigo felino!

Os gatos possuem comportamentos bem interessantes e entende-los pode ajudar a avaliar a saúde de seu amigo.

Os felinos não são muito favoráveis a mudanças. Toda situação que desencadeia alteração da sua rotina pode afeta-los e refletir na sua saúde.

Muito se ouve que gatos não gostam das pessoas e sim da casa. O gato, por não gostar de mudanças, está habituado e familiarizado com determinado ambiente. Por isso, é muito comum o relato dos donos que ao mudarem de casa, o gato fugia e regressava ao endereço antigo. Provavelmente, por estar familiarizado e habituado com aquele local.

Mudanças simples na casa como disposição de móveis, local de caixas de areia, dos comedouros e bebedouros ou mesmo as reformas, são situações estressantes para os felinos e que podem desencadear alterações fisiológicas como: distúrbios urinários, automutilação e falta de apetite.

Gatos não gostam de compartilhar as caixas de areia, e também não usam se as mesmas estiverem muito sujas. O ideal é que sempre haja uma caixa a mais que o número de gatos, por exemplo, se você tem 3 gatos, aconselhamos 4 caixas de areia.

Quanto a areia das caixas, evite ficar trocando de marcas, lembre-se gatos não gostam de mudanças. Portanto, ao perceber que determinada areia é adequada ao seu gato tente manter. De fato, você deve trocar a caixa de areia, um ou duas vezes por semana. Sempre retirar os turrões formados pela urina e as fezes diariamente. Fezes quando não recolhidas diariamente podem facilitar a transmissão de doenças, como a toxoplasmose. Você deve lavar semanalmente as caixas de areia. Utilize água e sabão, e em casos de animais com diarreias, a lavagem deve ser diária.

Os gatos possuem comportamentos, fique atento!

Alguns felinos tem dificuldade de beber agua, e muitos optam por agua corrente por ser mais fresquinha. O que muitas vezes é inviável, o uso de fontes de agua é uma alternativa. Se o animal não se adaptar a fontes, a distribuição de potinhos de agua pela casa auxilia. Ademais, gatos comem pouco e várias vezes ao dia. Sendo assim, forneça sempre pequenas porções de ração durante o dia, sempre respeitando o limite diária de consumo.

Opte por rações sem cor e evite comprar a granel. Ração úmida como sache, não fazem mal aos felinos. Gatos tem o hábito de caçar, e o sache tem a constituição semelhante à caça (70% de proteína e 30% de água) e pode ser usada como alimento. Dessa maneira, coloque o sache em comedouros diferente da ração. Contudo, se o animal não comer em até 2 horas, retire, elas estragam facilmente. Após abertos, os saches devem ser armazenados na geladeira.

Para evitar saídas noturnas e passeios, além da castração, recomendamos telar as janelas e áreas abertas de residências. Afinal, por serem curiosos e caçadores, os gatos podem se acidentar ao cair de janelas ou parapeitos.

Gatos têm o habito de se limpar diariamente. Quando seu animal estiver sujo, pelos eriçados ou com queda acentuada, isto pode indicar que seu amigo não está bem. Sempre observe os olhos e as narinas, pois estas devem estar livres de secreções. Além disso, ao notar secreções de coloração amarelada ou esverdeada, leve seu amigo a uma consulta. Às vezes pode indicar um processo infeccioso.

Estas são só algumas dicas para seus gatinhos!!!

A IMPORTÂNCIA DA CASTRACÃO EM CÃES E GATOS

Será que a castração de cães e gatos traz benefícios, vale a pena fazer? Isto são perguntas frequentes  no consultório veterinário.

Quando falamos sobre castrar, o principal argumento que ouvimos é que a castração evita crias indesejadas e o aumento da população de cães e gatos sem dono. Isto realmente é um dos principais problemas que o procedimento reduz.

Mas temos outros benefícios que devem ser considerados.

As fêmeas felinas e caninas entram no cio até o final da vida.  Uma cachorrinha de 14 anos pode ter cio e pode ter crias. Na maioria das vezes, os animais mais velhos apresentam cio irregular, com intervalos maiores entre eles; os ciclos podem ser mais extensos e intensos (grande quantidade de sangramento por vários dias), em alguns casos isto já é uma indicação de alterações, a idade avançada dificulta  a realização de uma higiene adequada de seus órgãos genitais estando mais propensas a infecções uterinas.

 As infecções uterinas em sua maioria são silenciosas e os sinais clínicos não são claros como: a falta de apetite e episódios de vômitos. Se não diagnosticados a tempo, estas infecções resultam em quadros de septicemia grave levando o animal a óbito. A resolução destas infecções é cirúrgica. E os procedimentos cirúrgicos em animais mais velhos são sempre mais delicados.

O aparecimento de nódulos em mamas pode ser evitado com a castração. Estes nódulos sofrem influencias dos hormônios liberados no cio e por isso são mais frequentes em fêmeas não castradas a partir de 5 a 6 anos de idade

 Doenças reprodutivas e venéreas também são evitadas com a castração. Uma enfermidade comum é o Tumor Venéreo Transmissível (TVT) transmitido durante o acasalamento provocando  lesões nos órgãos genitais (pênis e vagina).

 Nos machos a castração reduz a marcação de território (urinar em todos os lugares) e  a agressividade. Para os felinos, reduz o índice de ferimentos por brigas, evita a transmissão de doenças virais e infecciosas, risco de atropelamentos, fraturas entre outros problemas decorrentes de suas voltinhas.

Com a idade os machos podem desenvolver tumores nos testículos e na próstata. Também apresentam aumento da próstata quando envelhecem, acarretando em dificuldade de urinar, dor, e em alguns casos colaborar para infecções urinarias e formação de cálculos.

A castração é um ato de amor e ajuda a prevenir inúmeras doenças

Fique atento porque câncer de mama pode surgir em seu pet

Foto de capa: Série Amor Animal 2 – 89 : Crédito Gustavo Araújo

Outubro Rosa, mês de conscientização e prevenção do câncer mamário também acomete animais. Vale o alerta aos tutores de pets sobre a prevenção da doença e a importância do diagnóstico precoce.

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), a probabilidade da ocorrência do câncer de mama em cadelas atinge até 50% e, no caso das gatas, podem acometer até 30%. Consultas regulares ao veterinário e atenção aos sinais de inchaço, feridas e até secreção mamária são
condutas preventivas que os tutores devem ter em relação aos seus pets.

De acordo com dados do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), a maior incidência da doença é em fêmeas adultas, entre 4 e 12 anos, mas cerca de 1% a 3% dos casos ocorrem também em machos.

Dr. Bruno Roque, veterinário parceiro da DrogaVET, destaca que cerca de 50% dos tumores mamários em cadelas são malignos e tendem a ter comportamento agressivo ou metastático. Já em felinos, é ainda mais grave a evolução. Segundo o veterinário, diagnosticar o câncer mamário com antecedência é a forma mais eficiente de viabilizar a cura, exatamente como ocorre em humanos.

“A dica é que assim como há o autoexame realizado pelas mulheres, as mamas do animal também devem ser examinadas. Aproveite o momento de interação e carinho na barriga do pet para palpar as mamas e verificar se não há nenhum nódulo. Nos gatos, que geralmente não apreciam o toque na barriga, pode ser um pouco mais difícil, mas o ideal é tentar acostumar o bichano com a palpação. E, ao identificar um volume diferente do habitual, levar o animal imediatamente ao veterinário, principalmente se esses ‘caroços’ aumentarem rapidamente”, explica Roque.

Segundo a Dra Urya Barbosa, médica veterinária da rede Petz/Seres, o diagnóstico precoce é de extrema importância.  “Em muitos dos casos os tumores são malignos, por consequência há chances de metástases e podem acometer pulmão, baço, fígado, por exemplo,” ressalta.

Por se tratar de uma doença com evolução silenciosa, é preciso ficar alerta com o surgimento de possíveis sinais, tais como apatia, vômitos, febre ou mudança no apetite. “O principal sintoma do câncer de mama em cachorro está no crescimento de um nódulo na região mamária”, destaca a Dra. Urya.

Série Amor Animal BH 124 : Crédito Edjane Madza

A orientação da médica veterinária é sempre verificar se a região das mamas está avermelhada, inchada, dilatada, com secreção e/ou odor desagradável e realizar check-ups para identificar qualquer doença ainda no estágio inicial e avançar com o tratamento adequado para ter resultados positivos e evitar o sofrimento do seu pet.

O tratamento para o câncer de mama é a cirurgia, preferencialmente com retirada total de toda a cadeia mamária. “Desta forma é possível prevenir o desenvolvimento de novos tumores nas demais mamas e, caso existam tumores nas duas cadeias mamárias, o indicado é realizar a mastectomia em dois estágios”, explica o Dr. Roque, complementando que a quimioterapia é indicada apenas quando for detectado um tumor mais agressivo, com indício de metástase e comprometimento dos linfonodos.

Seja responsável e crie uma rotina com seu pet para realizar o autoexame e garanta a saúde e qualidade de vida de seu animal de estimação!

Por Soraya Simón
e-mail: soraya3s.ss@gmail.com

Intoxicação por produtos de limpeza

Quando temos um pet uma das preocupações é como manter o ambiente limpo e livre dos odores de urina e fezes. Com o objetivo de manter o local do pet higienizado usamos uma diversidade de produtos de limpeza e com isto podemos provocar intoxicações e alergias em nossos animais. Este ano em especial, com a pandemia de Covid -19, aumentamos o nosso hábito de limpar a casa, e com o objetivo de nos proteger temos intensificado a limpeza da casa e dos ambientes em que estamos.  Muitas vezes, os produtos empregados de forma inadequada acabam prejudicando nossos amigos de quatro patas.

Os animais estão em contato com o chão constantemente e ficam expostos a superfícies que foram limpas.  Alguns pets adoram deitar no chão, principalmente após a limpeza, por ser um local bem mais fresquinho.  Este contato pode fazer com que eles apresentem quadros de intoxicação e alergias.

Casos de intoxicação podem ocorrer pela ingestão do produto presente no chão ou mesmo pelo cheiro intenso no local.  Animais intoxicados apresentam vômitos, salivação excessiva, incoordenação entre outros sintomas. O contato dos produtos com a pele dos pets pode provocar alergias caracterizadas por irritação da pele, lambedura excessiva do local afetado, vermelhidão, coceiras e até feridas.

E o que devemos fazer para manter a casa limpa e sem afetar nossos pets?

Existem no mercado pet inúmeros produtos apropriados para o uso em ambientes com animais, e normalmente com especificações de como devem ser diluídos e aplicados.   Uma boa dica é que sempre após a limpeza com qualquer produto passar um pano úmido com agua, com a finalidade de retirar o excesso dos produtos.

Alvejantes, desinfetantes e sabão em pó devem ser evitados, mas caso sejam empregados devem estar bem diluídos para que não deixe resíduos, e em caso de dúvida usar o pano úmido com agua após a limpeza.

Para quem não quer arriscar uma opção é fazer a limpeza com agua e detergente neutro.

Após os passeios dos pets, a limpeza da patinha pode ser feita com lenços umedecidos sem perfume e sempre secar bem. Formulações contendo álcool 70% não devem ser usadas porque podem provocar irritações intensas.

Uma boa semana a todos !

Como prevenir pulgas, carrapatos nos meus pets?

Muitos tutores sabem da importância de prevenir infestações por pulgas e carrapatos nos seus pets. A grande diversidade de produtos muitas vezes dificulta a escolha.  Aqui seguem algumas dicas.

Quem são estes animais que causam tantos transtornos? 

As pulgas e os carrapatos são denominados de ectoparasitas hematófagos, porque parasitam a parte externa do corpo dos pets e alimentam-se de sangue para concluir seu ciclo de vida. Ao realizar o repasto sanguíneo podem transmitir agentes infecciosos responsáveis por doenças que quando não diagnosticadas e tratadas a tempo podem ser fatais. E quando não transmitem doenças, as infestações por estes indivíduos podem desencadear alergias e lesões na pele que são muito desconfortáveis ao animal.

Estes ectoparasitas são muito mais frequentes em estações quentes como: primavera e verão, já que encontram condições ideais de temperatura e umidade para concluir seu ciclo de vida.

No caso das pulgas vale ressaltar que o que encontramos nos animais representa só 5% do que está no ambiente, por isso prevenir é essencial.

A prevenção a estes ectoparasitas requer o uso de produtos específicos disponíveis em diversas apresentações. O tempo de ação dos mesmos é informado em bula e o produto deve ser repetido após este período para manter seu pet prevenido

Vale lembrar que antipulgas e carrapaticidas não funcionam como repelentes, ou seja, não impedem o contato das pulgas e carrapatos com a pele do seu pet.  Mas ao picarem seu animal elas entraram em contato com o medicamento e morrem, diminuindo também a proliferação dos mesmos.

Os produtos disponíveis no mercado são: – as pipetas (colocadas na nuca do animal), a maioria de uso mensal; – os comprimidos que podem ser de uso mensal ou trimestral de acordo com a bula; – as coleiras com duração variada, mas em média 6 a 8 meses. No caso das coleiras e válido verificar se seu pet não apresenta reações ao produto. Alguns animais não se adaptam e podem ter reações alérgicas.

Talcos, sabonetes e shampoos ajudam a eliminar as pulgas e os carrapatos na hora em que são aplicados, mas não tem efeito residual, ou seja, não protegem. Podendo ser empregados como auxiliar a prevenção.

A aplicação de produtos no ambiente deve ser feita sempre com cautela e com orientação de um médico-veterinário. Alguns produtos podem provocar intoxicações quando inalados ou ingeridos. As intoxicações se manifestam como quadros de vômitos, salivação excessiva, tonturas, incoordenação e em alguns casos até convulsões. 

Para escolher um produto preventivo é valido avaliar o que será mais adequado de realizar no seu pet. Um exemplo: não adianta escolher um antipulgas em comprimido se você não consegue dar.  Assim escolha o que for melhor para vocês.

E como diz o velho ditado: “é melhor prevenir que remediar”

Atenção com seu gato

Pela sua condição natural de caçador e também presa, os gatos possuem receptores na pele que indicam continuamente quando estão sendo tocados, logo, pela sua condição natural, ser sensível ao toque também significa ser sensível a dor. Esta condição lhes permite ter o sentido afiado para estes sinais pois sua fisiologia é tanto caçador quanto presa. Essas células receptoras são chamadas células de Merkel. Esse mecanismo altamente sensível ativa o mecanismo de luta ou fuga quando necessário.

Isso faz com que o excesso de estímulos (carinho) gere desconforto no gato e como consequência surge o comportamento de derrepente o gato parecia que estava gostando do carinho e me mordeu! Quem nunca? ou meu gato é bipolar ou louco e etc…rs

Podem ficar sossegados que é só uma questão de entender e aceitar a condição do seu gatinho e compreender que a mordida significa que já chegou no limite de estímulos✋ e está gerando um desconforto ali😿… não devemos esperar a mordida para parar, um pouco de carinho já é o suficiente para que seja bom para ambos, afinal tudo é uma troca não é mesmo? RS 💕😻

Saiba Mais, clique aqui!

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 1.352 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!