Mackenzie cresce na modalidade a distância e destaque para o presencial

Chat e WhatsApp, utilizados pela primeira vez pela instituição na captação, foram responsáveis pela melhoria do relacionamento em toda a jornada do potencial aluno, Mackenzie cresce na modalidade a distância.

Na contramão do atual cenário do setor de educação superior, conseguindo atingir a mesma meta de 2020 na captação de novos alunos para a graduação presencial, o Mackenzie comemora a estabilidade do momento. Para que obtivesse esses resultados, a Instituição contou com os serviços da Persone Educação (https://persone.com.br/), birô de vendas especializado em conversões de matrículas.

A performance do setor em 2021 sente as consequências da pandemia do novo coronavírus, que atingiu o mundo há mais de um ano. O cenário atual é de queda no índice de alunos ingressantes em faculdades particulares, com uma redução estimada em 13%, comparado ao ano passado, segundo dados do Semesp, divulgados no final de março.

Diante do cenário, a instituição conseguiu não só manter a estabilidade para os cursos de graduação presencial, mas também se destacar nos cursos de pós-graduação a distância. “Entendemos que o fato de mantermos a conversão para graduação presencial, muito parecida com a do ano passado, foi uma grande conquista. A atuação da Persone com as ferramentas de Chat, WhatsApp e telefonia, bem como a gestão dos processos e indicadores utilizando as tecnologias adquiridas pela instituição, contribuíram para que o Mackenzie não só mantivesse, mas melhorasse, a performance na captação de novos alunos”, conta Mariana Alves de Miranda, coordenadora de marketing do Mackenzie.

“Ainda estamos trabalhando junto com o time do Mackenzie para finalizar a automação dos processos que estão suportados pelo CRM, adquirido pela instituição, porém, já é possível identificar uma significativa melhora na gestão dos dados e processos, o que permite o aumento da produtividade, eficiência e controle. E, acima de tudo, procuramos proporcionar aos candidatos uma experiência de atendimento diferenciada, com uma equipe de vendas que atua com uma abordagem consultiva, o que gera engajamento e fortalece o relacionamento com os potenciais alunos”, explica Helen Toyama, CEO e fundadora da Persone Educação, sobre os resultados obtidos.

A tecnologia é um dos pilares na automação e conversão de leads, fundamental para otimizar o processo de captação de novos alunos. Paralelo a isso, é importante ressaltar que a tecnologia é suportada pela definição e implantação de processos, bem como um time qualificado e treinado para utilizá-la.

Em uma comparação com o cenário antes da pandemia, a coordenadora de marketing explica os ganhos com a parceria. “Expandimos a atuação e atenção despendida ao lead, assim como o retorno às necessidades apresentadas por meio das ferramentas de Chat, WhatsApp e formulários, melhorando o relacionamento e o acompanhamento do potencial aluno em toda a sua jornada”.

Além do investimento em tecnologia e aposta em uma empresa que não só fizesse o atendimento aos futuros alunos, mas também que agregasse valor ao negócio, o Mackenzie também teve que traçar rotas e dar andamento a algumas estratégias no que tange ao ensino, como: adquirir plataformas digitais altamente preparadas para as aulas de graduação e pós-graduação, para fornecer aulas on-line ao vivo, com diversas possibilidades de interação, também aumentou a capacidade dos servidores e capacitou o corpo docente, para melhor utilização da tecnologia, além de outras iniciativas.

Sobre o Mackenzie

O Mackenzie é uma instituição centenária construída sobre os pilares da educação, da confessionalidade e da filantropia. Nascido em 1870, já se baseava no ensino de qualidade, sem fazer distinção entre as pessoas e suas origens, investindo no ser humano de maneira integral.

Sua visão cristã reformada permite educar e cuidar das pessoas, criadas à imagem de Deus, para o exercício pleno da cidadania. Voltado para as ciências humanas e divinas, o Mackenzie está comprometido com a responsabilidade social, ambiental, e em constante busca da excelência acadêmica e de gestão.

Hoje, o Mackenzie atua em cinco estados brasileiros e conta com uma infraestrutura crescente, que atende pessoas desde a educação básica até o ensino superior, atuando também na área da Saúde, por meio de hospitais, na Agropecuária e ensino profissionalizante, por meio de suas escolas técnicas e fazenda-escola.

Para cumprir sua missão de cuidado e educação integral, o Mackenzie sempre teve o esporte como uma de suas bases, carregando desde sua origem nomes de destaque em diversas modalidades, e expandindo ano a ano os investimentos em atletas olímpicos e paralímpicos. O esporte é parte da história do Mackenzie, e o Mackenzie é, sem dúvida alguma, um protagonista na história do esporte.

Em seu projeto estratégico de expansão, a Instituição traçou novos rumos, que permitiram ao Mackenzie alcançar novas cidades e estados brasileiros, contando agora com dois hospitais, uma faculdade de medicina, além das escolas técnicas e fazenda-escola, reforçando ainda mais sua atuação na área da Saúde, Agropecuária e Educação. Para além do preparo de profissionais, o Mackenzie se preocupa integralmente com pessoas.

Sobre a Persone

Empresa de soluções em atendimento e vendas, formada por profissionais que atuam há mais de 18 anos nos segmentos de Tecnologia e Educação, fornece consultoria e outsourcing de processos, sistemas e equipe de vendas.

A Persone dispõe de uma equipe especializada em implantação, gestão e execução de operações de vendas, retenção, relacionamento e atendimento ao cliente.

Utilizando as mais diversas tecnologias – sistemas de CRM, CTI, chat, chatbot, inbound, BI, e-mail marketing, SMS e WhatsApp, a Persone executa o processo de vendas do início ao fim.

Gostou da nossa matéria “Mackenzie cresce na modalidade a distância e destaque para o presencial“?

Mackenzie cresce na modalidade a distância e destaque para o presencial
Mackenzie cresce na modalidade a distância e destaque para o presencial. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau

Principal destaque da programação do mês, que será realizada nos dias 19, 20 e 21 de maio, O Museu É Nerd integra as atividades propostas pelo MM Gerdau para a 19ª Semana Nacional de Museus pelo Ibram.  A proposta é reverberar a temática nerd em diálogo com o recorte curatorial do museu por meio de atividades como bate-papos, workshop, exposições, concurso de cosplay, K-pop, RPG, Games, HQs, além de um inédito e inovador Artist’s Alley virtual

A cada atividade cultural proposta pelo MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, o espaço busca, ao máximo, promover discussões teóricas e atividades práticas a fim de pensar o museu que se virtualiza e cria novas relações com outros campos e esferas. É a partir desta premissa que o MM Gerdau realiza o Museu É Nerd – iniciativa que integra a programação do museu desde 2017 – nos próximos dias 19, 20 e 21 de maio. Este ano a ação faz parte da 19º Semana Nacional de Museus pelo Ibram, que, em 2021,dialoga com o tema geral proposto: “O futuro dos museus – recuperar e reimaginar”.

Agora, em maio de 2021, a intenção é incentivar a discussão e a troca (por meio de atividades como apresentações de cosplay, K-pop, RPG, games, HQs, feira, espaço para jogos, bate-papo, workshops, exposições, etc) entre um universo que já nasce imerso no imaginário science fiction (sci-fi),  e espaços museológicos, já que, na suspensão de atividades físicas, o tecnológico, o digital e o ficcional, passam a ser também uma expansão de olhares para as constituições dos museus.

As conversações propõem, também, um paralelo interessante entre o surgimento do universo nerd no fim dos anos 30 – com a criação de Superman (1938) e Batman (1939) para os quadrinhos – e sua relação com o contexto pós-Revolução Industrial, da mesmo forma como, em 2021, a digitalização e a virtualização da vida se tornaram as questões temporais que imergem o mundo geek em um futurismo centenário de temas como universos ampliados e estendidos, NFT – arte digital e cryptoart, preload de games e animação, The GDMC Competition.

Todos estes temas e recortes serão discutidos e condutores para as atividades que contam com nomes como Carlos Fraiha, animador brasileiro indicado ao Oscar de animação com o filme “Os Guardiões da Galáxia” com os criadores do game brasileiro “Lampião Verde – A maldição da botija”, de Campina Grande, com o professor Claus Aranha da Universidade de Tsukuba, no Japão, e com o professor Gabriel Menotti, da Queen’s University, Canadá. Esses são alguns dos convidados para a construção de diálogos entre o universo nerd e o futuro dos museus.

Todas as atividades são gratuitas e serão realizadas de forma 100% online, uma vez que o museu segue com todas as ações em âmbito virtual como medida de combate à pandemia do COVID-19.

PROGRAMAÇÃO / O MUSEU É NERD:

Trilha: “Universos estendidos e ampliados” – 19/05

– 19/05, às 10h: “The GDMC Competition – A Inteligência Artificial e a experiência Minecraf” com Prof. Claus Aranha | Universidade Tsukuba (JP)

O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau - Museu das Minas
MM Gerdau/Divulgação Claus Aranha – Universidade Tsukuba – O Museu é Nerd!

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Mediação: Rangel Soares

Sinopse da atividade: Entre 2020 e 2021, o mundo mergulhou no metaverso; saímos dos encontros presenciais para encontros virtuais; a Realidade Estendida (XR-Extended Reality) passou a fazer parte de nossos dias; os vários lugares de uma realidade ficcional nos provocou a intensificação dos usos da tecnologia para a vivência em experiências com interfaces computacionais baseadas em Realidade Aumentada (AR-Augmented Reality), Realidade Virtual (VR-Virtual Reality) e Realidade Mista (MR-Mix Reality). É provável que, se você fez uma visita aos museus nos últimos anos, óculos de Realidade Virtual estiveram presentes para garantir sua imersão na obra. Quantos filtros AR você usou no Instagram? Já parou para pensar? As conferências de tecnologia ou os megas shows de música trouxeram a AR para a sala da sua casa, podendo, em um futuro próximo, acelerar a possibilidade de outras experiências coletivas – da arte à ciência. A trilha Universos estendidos e ampliados se inicia com a apresentação do professor da Universidade de Tsukuba – Japão, o maranhense Claus Aranha, que orienta alunos sobre o uso da Inteligência Artificial na competição de Design Generativo no Minecraft – The GDMC Competition (Generative Design Competition in Minecraft). O design generativo tem na tecnologia a relação de criação conjunta, e, através de algoritmos, a capacidade criativa é expandida. A competição tem auxiliado no desenvolvimento de novas possibilidades para se pensar o planejamento urbano, e o jogo Minecraft é a base para a criação.

Convidado: Claus Aranha | Universidade Tsukuba (JP)

Claus Aranha se formou na UNICAMP e hoje é professor na Universidade de Tsukuba, Japão. Sua pesquisa é focada em Vida Artificial, Evolução Computacional e Inteligência Artificial para jogos como Lobisomem e Minecraft. Nas horas vagas, gosta de participar de Game Jams.

Mediação: Rangel Sales | Docente UNI-BH e Doutorando na Escola de Design – UEMG (BR)

Docente no Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH desde 2010, atua profissionalmente nas áreas de design gráfico e editorial. Seus interesses acadêmicos são comunicação, educação e museologia. Tem experiência profissional em coordenação acadêmica, docência e pesquisa em design. É graduado em Comunicação Social, especializado em Projetos Editoriais e é Mestre em Educação Tecnológica. Atualmente, dedica-se à pesquisa, para doutoramento em Design, intitulada: “Do imaginário ao representativo: a atuação do design emocional na concepção dos espaços museais da hipermodernidade” no programa de Pós-Graduação em Design da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG, sob orientação da Profa. Dra .Marcelina das Graças de Almeida.

14:30   Visita Virtual Mediada – “Entre Blocos e Picaretas: uma visita craftada”

(ação educativa do MM Gerdau por meio das plataformas Zoom ou Meeting, traduzida em LIBRAS)

“Entre Blocos e Picaretas: uma visita craftada” é um convite para uma aventura virtual pelo Museu, inspirada nos modelos de mundo aberto à maneira de alguns jogos contemporâneos e, mais especificamente, ao Minecraft, criado por Markus Persson. Enquanto estiverem “logados” conosco, os visitantes serão estimulados a explorar o ambiente, conhecer suas características e a descobrir minerais presentes na produção tecnológica. Ao longo dessa jornada o visitante poderá refletir sobre as potencialidades dos jogos virtuais e suas conexões entre diferentes mundos.

Inscrições individuais:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfdSZ-ZgVVYxN9HC_mDmO2TRUrz66aAa0gMf6UbRDufFh32Jg/viewform

Inscrições para grupos pelo e-maileducativomm@mmgerdau.org.br

– 19/05, às 19h: “Museu sem Paredes”, com Prof. Gabriel Menotti | Queen’s University (CA)

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Hervan Rossi Gabriel Menotti / Queen’s University – O Museu é Nerd!

Mediação: Karla Danitza

Sinopse da atividade: Na mesma trilha, professor assistente em curadoria e imagem em movimento na Queen’s University, em Ontário, Gabriel Menotti, antecipa as conexões da semana: ele apresenta o projeto “Museus sem Paredes” realizado em parceria com o Museu de Artes do Espírito Santo – MAES, com o apoio do Social Sciences and Humanities Research Council do Canadá e da Agnes Etherington Art Centre, Canadá. O encontro é um convite para se pensar que futuro há no presente da virtualização das realidades.

Convidado: Prof. Gabriel Menotti | Universidade Federal do Espírito Santo (BR)

Gabriel Menotti é pesquisador e curador independente, atuando em diversas formas de cinema. Atualmente trabalha como professor assistente em curadoria e imagem em movimento na Queen’s University, em Ontário. É autor e organizador de diversas publicações sobre imagem e tecnologia lançadas no Brasil e no exterior. Seu livro mais recente é “Practices of Projection: Histories and Technologies” (Oxford University Press, 2020), co-editado com Virginia Crisp. Coordena a rede de pesquisa e festival Besides the Screen.

– 19/05, às 20h /  “NFTs e CryptoArt, a Arte em um universo intangível e não fungível”, com Mônica Rizzoli e Shima Hirokazu Shimabukuro (BR)

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e na Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Acervo pessoal Shima Hirokazu Shimabukuro – O Museu é Nerd!

Mediação: Shima Hirokazu

Sinopse da atividade: Os debates do dia se encerram com a mais recente discussão sobre mercados, propriedade intelectual e autenticidade na produção artística arquivada no digital: o NFT – Non-Fungible Tokens, tokens não fungíveis ou bens de dados únicos. NFTs e cryptoart ganharam força nos últimos meses e têm provocado controvérsias sobre sua efetividade como geração de recursos, visto que usa criptomoedas, como a Ethereum ou a mais conhecida, a Bitcoin, para compra e venda de obras de arte no universo intangível e, agora, não fungível do digital.

Convidada: Mônica Rizzoli | Artista Plástica (BR)

Monica Rizzolli é artista-programadora, estudou no Instituto de Artes da UNESP e na Kunsthochschule Kassel (Alemanha). Participou de projetos internacionais como MAK Center Artists and Architects (EUA), Creatives in Residence (China), Sweet Home (Espanha) e A.I.R. DRAWinternational (França). Recebeu o prêmio MAK Schindler, do MAK – Museum of Applied Arts Vienna. É co-fundadora da Noite de Processing e co-organizadora do Processing Community Day São Paulo de 2019, evento anual da Processing Foundation. É sócia da type foundry Just in Type e do estúdio de design Contrast – programação, tipografia e design.

Mediador: Shima Hirokazu Shimabukuro (BR)

Shima (São Paulo, 1978), vive e trabalha em Belo Horizonte/MG. É artista, pesquisador e professor em artes visuais formado em Desenho Industrial e pós-graduado em Gestão Cultural Contemporânea. Sua produção artística envolve performances, instalações, intervenções urbanas, audiovisuais, pinturas, desenhos e fotografias. Coordena o Espaço Efêmero, em Carrancas/MG e orienta artistas na construção de ferramentas para gestionar a carreira. É chef executivo no bistrô A Casa da Agnes e Designer na Agência New Friends on the Block, voltado para o mercado de Blockchains. Recentemente ingressou no mercado das NFT e participa da criação da comunidade CryptoArtBr e da 1ª Exposição Brasileira de CryptoArt. http://www.shima.art.br

– 21h / “Streaming Games – Among us com Canal RZero, GM Station Oficial, Capitão Serket (BR)”

Onde: Na Twitch TV do MM Gerdau

Mediação: Organizadoras do Museu é Nerd

Streamers Convidados:

– canal_rzero: Raphael Zero, carioca que mora em SP, ótimo em piadas ruins e fazer rimas aleatórias. Fã de JRPGs, RPGs Táticos, Roguelikes, Metroidvanias, indies e jogos de aventura.

– gmstation: George, cosplayer, editor de vídeo, criador de conteúdo e streamer na GM Station. Paulistano de nascimento, atualmente mora em BH. Curte jogos de RPG, de aventura, mundo aberto e plataforma. Gosta de focar na exploração do enredo e aproveita a aventura para conhecer mais sobre a obra, suas ligações e referências.

– capitaoserket: Felipe Cássio, conhecido como Serket, é streamer e cosplayer, especializado em Legends of Runeterra, Magic e League of legends. Aos 27, é atualmente o maior streamer de Legends of Runeterra do Brasil.

Organizadoras e apresentadoras do Museu é Nerd:

– Melânya Fiaux (Mel) é professora de inglês, tradutora, atriz e dubladora. É cosplayer desde 2006 e trabalha apresentando eventos em Belo Horizonte e região desde 2013. Melânya faz parte da equipe organizadora do “Museu é Nerd” desde sua primeira edição.

– RachAsakawa: Rachel é cosplayer desde 1999, apresentadora de palcos desde 2004, assim como juíza e organizadora de concursos em diversos eventos pelo país. Também conhecida por seu trabalho de cosplay e fotografia junto de sua esposa Rizzy, formando o time Praia de Concreto, nome também do canal de streaming da dupla.

– Rayara Eckhardt, ou Rizzy, como é conhecida nas redes sociais, é fotógrafa e cosplayer há aproximadamente 8 anos. Já participou e venceu diversos concursos cosplays e hoje é organizadora/jurada de concursos cosplays.

– Vitória Barros, conhecida também como Vii Princess, se dedica há 11 anos à divulgação da moda japonesa como coordenadora do grupo Moda Harajuku MG. Nesse tempo, já passou por Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba representando o grupo e palestrando sobre o estilo de Harajuku. Antes disso foi cosplayer desde os 13 anos de idade, e desde os 18 participa da organização de eventos dedicados à cultura pop japonesa no estado de Minas Gerais. 

Trilha: Universos Nerd – 20/05

Sinopse da atividade: Já em sua 5ª edição, o Museu é Nerd tem a intenção de aproximar o público nerd do Museu das Minas e do Metal. Ele compõe a trilha que traz workshop, concurso e feira. Do universo recente do K-pop à feira no estilo Artist’s Alley dos grande eventos nerd, quatro garotas nerds, Mel, Rach, Ray e Vic fazem um convite aos cosplayers, gamers, streamers, dubladores e um professor de língua japonesa para a exibição de uma programação diversa. Entre os convidados estão a campeã nacional e jurada da CCXP – Comic Con Experience, Thais Yuki, Júlio Shirou – vencedor da CCXP 2019 e Nando Grey, representante do Brasil no Mundial de Cosplay WCS (World Cosplay Summit).

O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau - Museu das Minas
Thais Yuki /Divulgação Cosplay Mulher Gato – Thais Yuki – O Museu é Nerd!

– 20/05, às 15h: Workshop – K-Pop com Giulia Chan (BR)

Duração: 1h

Canal: Zoom

Quantidade de participantes: 20

Faixa Etária: livre

Inscrições pelo Sympla

Sinopse da atividade: O k-pop se popularizou nos últimos anos, puxados pela popularidade de ídolos que alcançaram fama internacional como Psy – Gangnam Style, Black Pink e BTS. As coreografias elaboradas fazem sucesso com o público. Oficina de introdução aos passos de dança K-Pop.

Professora: Giulia Chan é professora de Kpop há 4 anos e acompanha o estilo musical desde 2014!  Se dedica à dança há aproximadamente 9 anos, tendo feito aulas de jazz e danças urbanas. Atualmente faz parte de um grupo cover de Kpop chamado B&W Dance Crew.

Acervo pessoal Giulia Chan

– 20/05, às 16h: Workshop – Cosplay com Thaís Yuki (BR)

Duração: 1h

Quantidade de participantes: 20

Faixa Etária: 16+

Canal: Zoom
Inscrições pelo Sympla

Sinopse da atividade: A campeã nacional e jurada da CCXP Thais Yuki ministra uma oficina de cosplay ao vivo, ensinando técnicas de construção de acessórios com a oficina de elaboração de circuito de LED para iluminar armaduras e outros props.

Sobre Thaís Jussimmais conhecida como Yuki Lefay, é uma referência do cosplay nacional. Durante anos venceu diversos concursos em todo o país, e foi  representante brasileira no WCS Japão. Cenógrafa, figurinista, maquiadora profissional e produtora atuante principalmente no mercado publicitário e de eventos, também é sócia da Cosplay Art, empresa responsável pela organização e curadoria das atividades de cosplay dos maiores eventos do país. Frequentemente convidada a participar e julgar concursos em grandes eventos por todo o mundo, Yuki conta com mais de 70 cosplays realizados, e diversos títulos acumulados. Por sua vasta experiência e conhecimento nas mais diversas áreas do cosplay, é jurada de concurso de cosplay e consultora em eventos como CCXP, BGS, GameXP, Geek City, entre outros.

– 20/05, às 18h: Bate Papo – Dublagem em filmes, games e animações com Melânya Fiaux e Luciano Vivacqua (BR)

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividadeA dublagem é umas das principais profissões ligadas ao entretenimento e que desperta muita curiosidade entre os fãs de jogos, filmes e animações. Na live, os dubladores profissionais Melânya Fiaux e Luciano Vivacqua contam mais sobre a profissão, como se tornar um dublador e técnicas de dublagem.

Convidados:

– Luciano Vivacqua é Bacharel em Literatura pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP, 2003) e Ator pelo Centro de Formação Artístico e Tecnológico (CEFART, 2006). Dublador e diretor de dublagem há mais de dez anos, Luciano tem seus trabalhos como dublador e voice over exibidos em canais como SBT, HBO, AMC, Netflix, Paramount, Studio Universal, National Geografic, entre outros. Como diretor de dublagem, já contabilizou mais de uma centena de filmes dirigidos em versão brasileira, desde voice over, passando por desenhos animados, séries, longas e curtas metragens. 

– Melânya Fiaux (Mel) é professora de inglês, tradutora, atriz e dubladora. É cosplayer desde 2006 e trabalha apresentando eventos em Belo Horizonte e região desde 2013. Melânya faz parte da equipe organizadora do “Museu é Nerd” desde sua primeira edição.

– 20/05, às 19h30 – Premiação – Concurso Cosplay (BR)

Informações sobre regras de participação e premiação serão informadas no Instagram do MM Gerdau – Em breve

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Jurados: Paula Kamei (jurada do WCS Belo Horizonte), Júlio Shirou (vencedor da CCXP 2019) e Nando Grey (representante do Brasil no Mundial de Cosplay WCS).

Bios jurados:

– Júlio Shirou (BR): Júlio César, cosplayer mineiro, conhecido no meio cosplay como “Shirou” e praticante do hobby desde 2007. A parte que mais gosto do cosplay é o play (performance), representar uma cena em palco retratando meus personagens favoritos. Sou também apaixonado pela criação artística de props para cosplay das mais diversas técnicas, formas e materiais. Os trabalhos que mais me inspiram estão diante do cenário competitivo pois posso atrelar o amor ao cos e ao play de maneira completa.

– Nando Grey (BR): Cosplayer desde 2010, 4 vezes finalista do world cosplay summit Brasil, e campeão brasileiro em 2014, representando o Brasil no Japão em 2015. Além de competidor, também atua como jurado desde 2014, tendo integrado o júri de dezenas de concursos em diversos estados brasileiros.

– Paula Kamei (BR): Olá, sou Kamei, sou cosplayer e frequento eventos geek desde 2008. Com o passar dos anos aprendi a produzir meus cosplays, costurar, fazer props, estilizar perucas, maquiagem e muito mais. O hobby me ajudou tanto pessoalmente como profissionalmente, trabalhei em muitos eventos e ações como cosplayer. Fico muito feliz de ser novamente convidada pelo O Museu é Nerd para ser júri do concurso cosplay!

Trilha: Preload – 21/05

Recorte curatorial: Em jogos, o game preloading é a possibilidade de se realizar a descarga/download dos jogos antes de eles estarem disponíveis. No Preload da Semana Nacional de Museus,  jogo e animação são partes da reflexão sobre o futuro dos museus. Em um universo de realidades estendidas e ampliadas, a virtualização e a digitalização são também a gamificação das artes, das ciências e da vida? Há mais de oitenta anos o historiador Johan Huizinga escreveu sobre o homem e o jogo. Em seu livro Homo ludens: o jogo como elemento da cultura (1938), ele fala sobre o homem que transcende o sapiens, o faber e passa a ser ludens. Para o historiador “é no jogo e pelo jogo que a civilização surge e se desenvolve”.

– 21/05, às 14h30: Workshop – Japonês com Tsuyoshi (BR)

Sinopse da atividade: O professor do Centro de Língua Japonesa de BH, Tsuyoshi, apresenta uma aula online em que ensina o básico da língua japonesa para os participantes. Exibição de trechos curtos, de menos de 20 segundos, de animações japonesas e páginas de quadrinhos para contextualização da aula.

Duração: 1h

Canal: Zoom

Quantidade de participantes: 20

Faixa Etária: 13+

Inscrições pelo Sympla

Professor: Renato Tsuyoshi é professor de língua japonesa há 12 anos, tendo atuado na escola modelo de língua japonesa de Minas Gerais e é um dos fundadores do Centro de Língua Japonesa de Belo Horizonte. Em 2014 foi para o Japão como bolsista do programa JICA para formação de professores de japonês. Suas aulas tem como foco a cultura japonesa associada ao aprendizado da língua.

– 21/05, às 16h – Ceci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca, com Carlos Fraiha (CA)

Mediação: Karla Danitza

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividadeCeci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca, traz um bate papo sobre a animação que conta o percurso do belo-horizontino Carlos Fraiha, animador profissional desde 2008. Ceci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca talvez seja uma aventura sobre o imaginário nos museus. Carlos integrou a equipe vencedora do Oscar de efeitos especiais de 2017, por Mogli: o menino lobo. Em 2021 concorre ao Oscar com A Caminho da Lua como melhor longa de animação.

ConvidadoCarlos Fraiha é animador profissional desde 2008, com passagem por alguns dos principais estúdios do mundo na área, como a Industrial Light & Magic e Weta Digital. Atualmente faz parte da equipe de animação da Sony Pictures Imageworks, no Canadá. Entre seus trabalhos estão os filmes Guardiões da Galáxia, Vingadores: Guerra Infinita, Mogli, O Hobbit, Planeta dos Macacos: A Guerra, Jurassic World: Fallen Kingdom, e o longa de animação A Caminho da Lua.

– 21/05, às 18h – Mundo acessível com Christian Bernauer | AbleGamers (BR) + Lucas Ramon | Educativo MM Gerdau

Mediação: Mateus Nogueira

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividade: Em preload, a acessibilidade e a inclusão são discutidas em colaboração com a AbleGamers, que trata especificamente do desenvolvimento de suportes para atendimento às diversidades das Pessoas com Deficiências. Nesse encontro, o museu lança o seu Librário Digital, um jogo de libras que ensina a todos a Língua Brasileira de Sinais – LIbras.

ConvidadoChristian Bernauer | AbleGamers (BR) | Representante da AbleGamers no Brasil, instituição que há mais de 15 anos atua para tornar videogames mais acessíveis para pessoas com deficiência (PcD). Desde 2017 organizando eventos para arrecadar fundos para a AbleGamers e discutindo o tema de acessibilidade em videogames. Ex-apresentador do Xbox Drops e Sextou Xbox, programas do canal oficial de Xbox Brasil no Youtube. Ex-redator no blog Nós Nerds. Idealizador da campanha Rod In Brazil, que mobilizou a comunidade de Xbox para trazer Rod Fergusson, diretor da franquia Gears of War para a BGS 2018.

ConvidadoLucas Ramon – Educativo MM Gerdau | Lucas Ramon é cartunista e surdo brasileiro. Apresentou desenhos no Festival Internacional de  Quadrinhos em 2015 sobre os Três Patetas Surdos. Após este evento passou a ministrar palestra em quase todos os estados no Brasil com o mesmo tema. Aos 25 anos de idade, se profissionalizou em desenho, curso ofertado pela Casa dos Quadrinhos, em Belo Horizonte, onde conheceu o mundo das histórias em quadrinho e animação Cartoon Network, onde se apaixonou. O livro “Três Patetas Surdos” foi lançado no Bienal Minas Gerais em 2016. Lucas também fez exposição de seus desenhos na Gibiteca de Curitiba; deu entrevistas para emissoras de TVS Rede Minas, Record e outras; foi convidado para participar do dia dos quadrinhos em Belo Horizonte-MG (2016, 2017 e 2018), e lançou o livro “Os Dinossauros Sobrevivem”, que até 2021 já alcançou 1720 unidades vendidas.

– 21/05, às 19h – Sertão Profundo e o game brasileiro “Lampião Verde – A maldição da botija” com Rubem Medeiros

Mediação: Luciano Jorge

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividade: Nascido em Campina Grande, na Paraíba – “Lampião Verde – A maldição da botija” é um jogo brasileiro inspirado no herói Lanterna Verde. O game é um passeio pelas culturas nordestinas do sertão e os imaginários nas histórias de Lampião. Em um pequeno trecho sobre o desenvolvimento, que a turma do Narsvera mantém updates sobre o processo de criação, há indicações dos caminhos do que veremos no game. Já Sertão Profundo é um jogo de ação e aventura ambientado num universo fantástico inspirado no imaginário da cultura nordestina. Com jogabilidade que conta com exploração, combates e puzzles, o jogo conta a história de um Lampião moribundo que vai entrar nesse novo mundo e tentar refazer seu bando enquanto lida com seu passado de terror.

Convidados:

– Rubem Medeiros | Sertão Profundo (BR) | Rubem Medeiros é graduado e mestre em Engenharia Elétrica, tendo também cursado Composição Musical. Além de professor na área de Computação e presidente da Associação Paraibana de Games, atua principalmente como diretor no estúdio Narsvera, desenvolvendo jogos e aplicações interativas com viés mais artístico e cultural.

  • Luciano Jorge (BR) | Professor da rede pública de Belo Horizonte e do Estado de Minas Gerais. Luciano também é membro do Observatório da Discriminação racial no Futebol e contribui com o Jornal Empoderado. Seus trabalhos passam pelo Ensino da Educação Física, mundo nerd, futebol e questões raciais e temas correlatos

AGENDA – SEMANA NACIONAL DOS MUSEUS – O MUSEU É NERD

TRILHAS

Universos estendidos e ampliados

Quarta-feira, dia 19 de maio

10:00  The GDMC Competition – A Inteligência Artificial e a experiência Minecraf  – Prof. Claus

Aranha | Universidade Tsukuba (JP) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

14:30   Visita Virtual Mediada com o Educativo – Entre Blocos e Picaretas: uma visita craftada – Plataformas Zoom ou Meeting, com tradução em LIBRAS.

19:00  Museu sem Paredes – Prof. Gabriel Menotti | UFES (BR-CA) –  Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

20:00  NFTs e CryptoArt, a Arte em um universo intangível e não fungível – Mônica Rizzoli e Shima Hirokazu Shimabukuro (BR) –Transmissão ao vivo no canal do YouTube e na Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

21:00  Streaming Games – Among us com Canal RZero, GM Station Oficial, Capitão Serket (BR) – Na Twitch TV do MM Gerdau

Universo Nerd e cosplays

Quinta-feira, dia 20 de maio

15:00  Workshop – K-Pop com Giulia Chan (BR) – Plataforma Zoom

Inscrições:https://www.sympla.com.br/workshop—k-pop-com-giulia-chan-br__1211101

16:00  Workshop – Cosplay com Thaís Yuki (BR)- Plataforma Zoom

Inscriçõeshttps://www.sympla.com.br/workshop—cosplay-com-thais-yuki-br__1211140 

18:00  Bate-papo – Dublagem em filmes, games e animações com Melânya Fiaux e Luciano

Vivacqua (BR) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

19:30  Premiação – Concurso Cosplay (BR) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Preload

Sexta-feira, dia 21 de maio

14:30  Workshop – Japonês com Tsuyoshi (BR) –  Plataforma Zoom

Inscrições: https://www.sympla.com.br/workshop—japones-com-tsuyoshi-br__1211165 

16:00  Ceci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca com Carlos Fraiha (CA) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

18:00  Mundo acessível com Christian Bernauer | AbleGamers (BR) + Lucas Ramon – Educativo

MM Gerdau – Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

19:00  Sertão Profundo e o game brasileiro “Lampião Verde – A maldição da botija” com Rubem Medeiros – Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

:: SOBRE O MM GERDAU O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal ::

 |@mmgerdau |  

MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências.

O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau.  O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, foi de autoria de Marcello Dantas.

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal é patrocinado pela Gerdau, via lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

Gostou da nossa matéria “O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau – Museu das Minas“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

Roubo de criptomoedas: como se defender?

Os ciberataques envolvendo roubo de criptomoedas – como as bitcoins, a mais famosa delas – se tornaram mais recorrentes durante a pandemia de Covid-19 e devem estar no foco das atenções de corporações de segurança cibernética, governos e sociedade em 2021. O primeiro passo é compreender o modus operandi desse tipo de investida, para saber como se prevenir e se defender.

Com mais de 25 anos de experiência em cibersegurança, Sandro Süffert ressalta que o problema ocorre em escala global, e o Brasil não está imune. Süffert é fundador e CEO da Apura, empresa brasileira especializada em prevenção, monitoramento e combate a ciberataques. A equipe de especialistas da Apura elaborou uma lista com as formas mais comuns de ocorrências envolvendo as criptomoedas:

1. Phishing, a forma preferida

A forma mais comum continua sendo o phishing, ataque em que o criminoso envia um e-mail, SMS ou mensagem em rede social contendo um link malicioso que, quando clicado, leva a vítima para um site falso. Assim, toda negociação de criptomoedas que essa pessoa realizar no site será enviada para a carteira do criminoso. Portanto, muito cuidado com mensagens que receber. Antes de clicar em qualquer link, certifique-se da veracidade.

2. Perfis falsos

Outra modalidade que tem se tornado bastante comum é a de perfis falsos em redes sociais, se passando por pessoas de destaque no mundo da negociação de criptomoeda. Esses perfis oferecem falsas oportunidades. Um exemplo recorrente: se a vítima depositar certa quantia em criptomoedas na carteira do suposto negociador, receberá o valor dobrado em determinados dias. A pessoa que fizer o depósito, obviamente, jamais receberá a quantia e ainda terá perdido o valor depositado. Caso seja contactado por ofertas assim, não efetue depósito algum.

3. Aplicativos falsos

Há também aplicativos falsos, para dispositivos móveis, que remetem a lojas alternativas de aplicativos. Esses aplicativos falsos se passam pelos legítimos de empresas respeitáveis no ramo das criptomoedas. Porém, quando a vítima instala um deles em seu dispositivo, todas as negociações realizadas por meio do aplicativo falso serão desviadas para o criminoso responsável. Às vezes, até mesmo um aplicativo com todos os requisitos de legitimidade é usado para desviar recursos. Em março, um aplicativo encontrado na App Store da Apple, que supostamente deveria ser utilizado para checar o saldo de contas em Bitcoins em dispositivos da empresa Trezor, foi utilizado para desviar mais de 600 mil dólares de um investidor que baixou o aplicativo acreditando estar seguro. A orientação é baixar aplicativos sempre a partir de lojas oficiais, ou dos sites da própria fornecedora do aplicativo. E mesmo aplicativos de procedência certa só devem ser baixados quando se tiver a certeza da idoneidade dos desenvolvedores, pois muitas vezes eles fazem uso de brechas para enviar aplicativos maliciosos para as lojas oficiais.

4. Uso de malwares

Existem ainda ataques mais sofisticados que envolvem o uso de malwares para realizar o roubo das criptomoedas. Estes malwares são desenvolvidos exclusivamente com esse objetivo. Eles podem atuar de diversas formas: substituindo páginas legítimas que a vítima acessa por versões falsas controladas pelos criminosos; podem trocar endereços para transação copiados de alguma página para a área de transferência por endereços definidos pelos atores; roubar as chaves de acesso das vítimas às carteiras de criptomoedas; podem, inclusive, desviar recursos computacionais do sistema da vítima para minerar criptomoedas sem que ela tenha conhecimento disso.

Um malware recém-descoberto pela empresa Avast foi o HackBoss, que acredita-se já ter faturado mais de 600 mil dólares com o roubo de criptomoedas. Quando o HackBoss é executado, ele busca por endereços de carteiras digitais com criptomoedas. O endereço dessas carteiras é copiado para a área de transferência e quando o malware detecta o endereço de uma outra carteira, substitui, desviando estes recursos para os criminosos. Para evitar cair nessa armadilha, confirme a veracidade de sites e e-mails, desconfiando de mensagens propondo vantagens ou supostamente amigáveis. Em casos suspeitos, nunca forneça senhas e nem outros dados. Ferramentas de proteção em seu dispositivo também ajudam na prevenção.

5. Sequestro de dados

Além do roubo de criptomoedas, outra frente de ataques envolvendo moedas digitais ocorre quando o criminoso exige o pagamento de dados sequestrados por meio de criptomoedas propriamente ditas. Segundo a equipe da Apura, a exigência de pagamento de resgate de dados sequestrados por meio de criptomoedas é uma estratégia para evitar a rastreabilidade e, por consequência, dificultar a identificação dos promotores dos ciberataques.

Sandro Süffert ressalva que o fato de as criptomoedas figurarem como ferramenta ou alvo cada vez mais preferidos por cibercriminosos não significa que as moedas digitais sejam, por natureza, vulneráveis. O que ocorre é o constante movimento de sofisticação dos ciberataques – os criminosos regularmente procuram alternativas para pôr em prática suas investidas.

O especialista cita o exemplo do Pix, sistema adotado pelo Banco Central do Brasil, de reconhecida segurança e eficiência. Justamente pela confiabilidade, atrai usuários e, por tabela, faz os cibercriminosos identificarem um nicho potencial para suas ações.

Por isso, reforça Süffert, a segurança cibernética deve envolver participação, cooperação e envolvimento de vários atores sociais – governos, empresas e sociedade de uma forma geral. “Precisamos desenvolver uma cultura de cibersegurança”, assinala.

MAIS INFORMAÇÕES

Gostou de “Roubo de criptomoedas: como se defender?“?

Roubo de criptomoedas: como se defender?
Sandro Suffert, da Apura S/A. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

VMware capacita trabalho remoto

A forma como trabalhamos mudou para sempre. Agora que as empresas constataram os benefícios do trabalho remoto, querem fazer mais do que apenas apoiá-lo. Querem tornar-se organizações verdadeiramente distribuídas e que possam trabalhar em qualquer lugar. Para lidar com essa mudança, a VMware (NYSE: VMW) anuncia o VMware Anywhere Workspace, uma solução projetada para ajudar as companhias a oferecerem experiências melhores e mais seguras para seus funcionários, não importa onde eles estejam no mundo.

“Trabalho é o que você faz, não onde você o faz. À medida que as empresas reinventam onde e como as equipes colaboram e inovam, elas devem fazer mais do que transformar: devem mudar sua mentalidade para criar uma cultura digital que prioriza a experiência do funcionário”, aponta Sanjay Poonen, COO de operações de clientes da VMwaree. “Desenvolvemos o VMware Anywhere Workspace com essa nova maneira de trabalhar em mente. A solução vai desempenhar um papel importante na criação de empresas mais fortes, mais focadas e mais resilientes.”

Apresentando o VMware Anywhere Workspace

O VMware Anywhere Workspace capacita a força de trabalho atual em qualquer lugar, acabando com o atrito que pode existir entre os sistemas de TI e os funcionários. Isso cria melhores experiências e uma segurança mais ampla e eficaz. Tudo com menor custo e sobrecarga operacional.

O VMware Anywhere Workspace estabelece a base e a visão de como possibilitar o futuro do trabalho. A solução ajuda os clientes a:

  • Gerenciar a experiência multimodal do funcionário em qualquer lugar para que eles possam trabalhar de maneira mais inteligente e produtiva. Para isso, eles têm acesso a uma ótima experiência do usuário e desempenho consistente em qualquer dispositivo, de qualquer local, em qualquer rede. Além disso, a solução melhora a maneira como a TI pode fornecer serviços aos usuários;
  • Garantir a edge distribuída com segurança mais ampla e eficaz. Isso permite que qualquer usuário acesse qualquer aplicativo de qualquer dispositivo. A abordagem Zero Trust da VMware combina segurança de rede até a edge com gerenciamento e segurança de endpoint;
  • Automatizar o espaço de trabalho para que a TI não seja apenas mais simples, ágil e eficiente, mas também mais moderna. Isso permite que as empresas se concentrem nos resultados que desejam, em vez das tarefas que precisam realizar. Tudo impulsionado pelo gerenciamento inteligente de fluxos de trabalho, conformidade e desempenho.

A tecnologia do Anywhere Workspace

O VMware Anywhere Workspace já está disponível e reúne os benefícios de três soluções inovadoras:

  • O VMware Workspace ONE entrega gerenciamento unificado de endpoint, virtualização de desktop e aplicações e uma variedade de soluções relacionadas a experiência, produtividade e segurança dos funcionários;O VMware Carbon Black Cloud traz endpoints nativos da nuvem e proteção de cargas de trabalho;
  • O VMware SASE combina recursos SD-WAN com funções de segurança fornecidas pela nuvem, incluindo segurança da web na cloud e acesso à rede Zero Trust e firewall. Esses recursos serão fornecidos como serviço a partir de uma rede global de pontos de presença.

O VMware Anywhere Workspace apresenta pontos de integração exclusivos entre as soluções, com maior planejamento ao longo do tempo. Por exemplo:

  • Integração entre o Carbon Black Cloud e o Workspace ONE para reunir recursos de segurança e gerenciamento de endpoint físico e virtual
  • Integração entre os serviços Workspace ONE e SASE (VMware SD-WAN, rede Work from Home, VMware Secure Access) para fornecer acesso de rede Zero Trust (ZTNA) em pontos de presença implantados globalmente.

“Uma força de trabalho verdadeiramente híbrida é aquela que nos habilita a trabalhar de qualquer local, em qualquer rede e dispositivo, e sem compensações quando se trata da produtividade do funcionário. No entanto, alcançar esse ideal tem se mostrado desafiador para empresas que muitas vezes contam com um conjunto complexo de práticas e tecnologias de segurança legadas”, afirma Adam Holtby, diretor analista da Omdia. “São necessárias novas soluções e práticas de segurança, gerenciamento e produtividade dos funcionários, se as companhias desejam habilitar e proteger de forma otimizada uma força de trabalho mais híbrida em qualquer lugar. Essa proposta de valor está no centro da nova solução da VMware e tem grande potencial para ajudá-la a se tornar um parceiro importante para empresas que buscam abraçar o futuro do trabalho.”

Como é o futuro do trabalho para os clientes da VMware

A AMTI é uma fornecedora de soluções e sistemas de tecnologia com sede nas Filipinas. Josefino Paloma, vice-presidente executivo e gerente geral de Soluções de ICT e Geoexpansões, diz: “Nosso programa de trabalho remoto começou há dois anos para lidar com a piora do tráfego na área metropolitana de Manila. A COVID acelerou essa iniciativa e as tecnologias do Anywhere Workspace nos permitiram oferecer um ambiente de trabalho produtivo para nossos funcionários. Nunca mais voltaremos a ter todos trabalhando no escritório e as tecnologias Anywhere Workspace desempenham um papel crítico no suporte a uma força de trabalho híbrida.”

A Angel MedFlight é uma empresa de transporte médico aéreo. Paul Green, diretor de desenvolvimento, diz: “o que fazemos como organização depende das conexões que temos com nossos pacientes, nossos gerentes de caso e familiares. Estou orgulhoso de como continuamos a fornecer cuidados excepcionais mesmo fora de um ambiente de escritório tradicional. Daqui em diante, não vamos apenas voltar para o escritório como se nada tivesse acontecido. Vamos manter nosso programa de trabalho remoto funcionando – não por necessidade, como no ano passado, mas como um programa contínuo. Estamos trabalhando com a VMware e implementando as tecnologias Anywhere Workspace para garantir que nossos funcionários estejam preparados para prosperar, independentemente de onde escolherem trabalhar.”

O Brisbane Catholic Education abrange mais de 140 escolas e oferece ensino e aprendizagem de qualidade para alunos do 12º ano. Paul Saltmarsh, diretor sênior de TI, diz: “O lockdown em todo o país nos forçou a mudar a forma como usamos a tecnologia. Agora que estamos de volta à sala de aula, para minha alegria, professores, funcionários e alunos continuam a usar a tecnologia para aprimorar o aprendizado e a experiência de trabalho. A abordagem ‘giz e fala’ não é mais uma opção. O VMware Anywhere Workspace permitirá que nossa equipe gerencie e proteja melhor as dezenas de milhares de dispositivos que agora apoiam o ensino em sala de aula.”

A Deutsche Telekom é uma empresa alemã de consultoria e serviços globais de TI. Florian Mösch, gerente sênior de programa executivo, comenta: “Não espero ver uma mudança dramática na atual situação de trabalho distribuído, mas sim ajustes nela. Por exemplo, não é provável que os funcionários voltem ao escritório cinco dias por semana, mas talvez uma vez por semana ou quinzenalmente. Soluções como o VMware Anywhere Workspace tornarão mais fácil para as organizações oferecer suporte à escolha dos colaboradores, mantendo a produtividade e preservando sua cultura colaborativa.”

O Osceola County Sherriff’s Office fornece serviços profissionais de aplicação da lei a seus cidadãos e visitantes. Daniel Caban, CIO, comenta: “Quando se trabalha na aplicação da lei, a segurança é o maior requisito de conformidade para nós. Como os dispositivos dos delegados e funcionários estão se conectando à nossa rede, precisamos garantir que a conexão seja criptografada e segura. A tecnologia do Anywhere Workspace nos ajuda a proteger melhor os vários dispositivos que estão sendo usados no campo e que se conectam à nossa rede.”

Com sede em Munique, a OSRAM Continental desenvolve sistemas de iluminação automotiva. Michael Schoeberl, CIO, diz: “A pandemia nos forçou a repensar como trabalhamos e muitas das novas práticas que criamos serão levadas para o futuro. A contratação e o onboarding, por exemplo, são duas áreas nas quais não vejo a gente voltar ao jeito antigo. O Anywhere Workspace nos dá as ferramentas que precisamos para atender os candidatos virtualmente, estender uma oferta e fornecer-lhes acesso aos aplicativos e recursos para integração – tudo sem nunca pisar em um escritório.”

A Rentokil Initial oferece serviços de controle de pragas. Chris Gill, chefe do grupo de Workplace Services, comenta: “A área de suporte de TI mudou a ponto de ficar, de certa forma, irreconhecível. Apesar de estarmos resolvendo problemas semelhantes – consertando computadores, colocando novos dispositivos nas mãos dos funcionários, etc. – a forma como concluímos o trabalho mudou. As tecnologias do Anywhere Workspace estão nos ajudando a acelerar certos processos, como o provisionamento de dispositivos prontos para uso, para reduzir o esforço e o tempo que a TI precisa despender nessas solicitações de rotina.”

O Twitter é um serviço aberto que abriga um mundo de pessoas, perspectivas, ideias e informações. Andrew Sopko, chefe de TI do Twitter, diz: “Testamos outras plataformas para gerenciamento de dispositivos e usamos uma variedade de aplicações de segurança diferentes, mas, em última análise, esta solução da VMware está nos ajudando a resolver vários desafios de negócios, ao mesmo tempo que fornece visibilidade para manter nosso ambiente de endpoints mais seguro. O Anywhere Workspace ajudará o Twitter a permitir um futuro em que milhares de funcionários continuem trabalhando remotamente.”

O United States Senate Federal Credit Union fornece serviços financeiros às comunidades do Senado dos Estados Unidos e do Capitólio. Mark Fournier, CIO, diz: “Antes da pandemia, havíamos adquirido e começado a reforma de um novo espaço para nossa sede. Nossa experiência de trabalhar como uma força de trabalho remota durante a pandemia nos fez repensar como utilizamos o espaço e fornecemos experiências móveis e de desktop para nossos funcionários. Fornecer uma experiência consistente e oferecer flexibilidade aos funcionários quando eles retornarem ao escritório será possível através da adoção de uma abordagem Anywhere Workspace.”

Junte-se a nós nos dias 5 e 6 de maio para saber mais

Nos dias 5 e 6 de maio, a VMware fará um evento online gratuito – Liderando a mudança: Construa confiança com o Anywhere Workspace – onde os líderes discutirão como as organizações podem abraçar o novo normal e se transformar em empresas seguras e em qualquer lugar. O evento contará com uma palestra em 5 de maio às 10:00 CEST na região EMEA; 9h00 PDT nas Américas; e 11h00 SGT em 6 de maio em Ásia-Pacífico, além de:

  • Trilhas técnicas e de negócios com diferentes palestrantes em cada região;Mais de uma dúzia de sessões sob demanda sobre tecnologia, abrangendo: VMware Workspace ONE e VMware Horizon, VMware SD-WAN e VMware SASE e VMware Carbon Black Cloud;
  • Uma ampla variedade de palestrantes, incluindo executivos da VMware e especialistas no assunto, clientes e membros da comunidade. Veja a lista completa de palestrantes.

Inscreva-se em www.vmware.com/anywhere-workspace-event.

Sobre a VMware

Os softwares da VMware capacitam a complexa infraestrutura digital do mundo. As ofertas de nuvem, rede, segurança e espaço de trabalho digital da empresa fornecem uma base digital dinâmica e eficiente para mais de 500 mil clientes globalmente, auxiliada por um ecossistema de 75 mil parceiros. Com sede em Palo Alto, Califórnia, a VMware está comprometida em ser uma força positiva, desde suas inovações revolucionárias até o seu impacto global. Para mais informações, acesse: https://www.vmware.com/company.html.

Gostou da nossa matéria “VMware capacita trabalho remoto“?

VMware capacita trabalho remoto
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

Lojistas Brasileiros: Como resolver as principais dificuldades

As principais dificuldades dos lojistas brasileiros em 2020 (e como resolvê-las em 2021) 

Por Henrique Carbonell *  

Não há dúvida de que o ano de 2020 foi desafiador para os lojistas brasileiros. Entretanto, falar que a pandemia da Covid-19 foi o principal problema do varejo chega a ser redundante. Claro, tanto o avanço de uma doença global quanto a necessidade de quarentena e isolamento social foram complicadores – mas esse problema afetou a todos, grandes e pequenos, independentemente da região ou segmento. O que cada empresário fez a partir disso é que determinou o sucesso, ou o fracasso, em 2020. Por conta disso, confira as principais dificuldades dos varejistas brasileiros no ano passado e saiba como evitá-las em 2021:

1 – Transformação digital  

A digitalização dos processos em si não é um problema – de fato, pode ser considerada a solução para muitas dificuldades. Porém, poucos varejistas estavam aptos para se movimentarem de uma hora para outra com a chegada do novo coronavírus. De repente, tudo aquilo que ele fazia de forma manual e/ou física precisou migrar para o ambiente virtual por meio de softwares, sistemas e dispositivos. A transformação digital é um processo sem volta no Brasil, e os empreendedores precisam se preparar para realizá-la de forma segura. A melhor dica é encontrar fornecedores que possam orientar e auxiliar as empresas a encontrarem soluções que realmente façam sentido ao negócio.  

2 – Omnichannel 

Simultaneamente à transformação digital iniciada às pressas a partir de março de 2020, os varejistas brasileiros também tiveram que lidar com o aspecto omnichannel do consumidor, tanto no relacionamento com a marca quanto nas relações de compra e venda. Até então, havia mais teoria do que prática no dia a dia do negócio, mas foi preciso incorporar (e integrar) diferentes canais utilizados pelas pessoas, como e-commerce, aplicativos de mensagens, redes sociais, entre tantos outros. Foi uma dificuldade manter a comunicação sem ruído com o cliente, mas a adoção de tecnologias já desenvolvidas nesse preceito e que potencializam a integração de canais pode reduzir qualquer risco.  

3 – Gestão de vendas  

De repente as lojas físicas também precisaram vender pela internet. O WhatsApp passou a ser um importante aliado dos vendedores para conversar com os clientes e até para ofertar produtos. Mas como organizar esse fluxo e estipular metas em um novo contexto? A gestão de vendas do varejo precisou se adaptar a essa realidade, seja na adoção de novas técnicas, seja na estrutura do trabalho a ser desenvolvido. Dessa forma, foi preciso capacitar os colaboradores durante a pandemia, corrigindo em tempo real possíveis questões que surgiam no dia a dia. Para evitar novos problemas, a saída é contar com uma plataforma integrada de gestão empresarial e financeira, capaz de extrair relatórios de vendas para análise dos gestores.  

4 – Logística  

Outro problema decorrente da digitalização imposta pela pandemia da Covid-19 é a logística de entrega dos produtos. Quem já estava acostumado a vender pela internet possuía o know-how necessário para dar conta de todas as demandas. Mas e os varejistas que precisaram montar às pressas seus canais de vendas? A grande maioria sofreu para conseguir entregar os pedidos nos prazos e nas condições desejadas pelos consumidores. Aqui, mais do que encontrar a melhor solução tecnológica voltada à logística, o recomendado é garantir que esse recurso esteja integrado às ferramentas de gestão, permitindo que todo o processo seja automatizado, da confirmação do pedido ao envio da mercadoria.  

5 – Conciliação de cartões  

Por fim, fazer a conciliação financeira das transações de cartões tornou-se uma missão ainda mais primordial para a gestão do pequeno e médio varejista. A prática é essencial por conferir os valores envolvidos em cada transação, incluindo o valor pago nas taxas de administração das máquinas e demais custos envolvidos. Sem um detalhamento específico, é comum a loja pagar mais do que deve. É como um conta-gotas: no mês nem se percebe a diferença, mas depois de um ano há um rombo considerável nas finanças. As melhores plataformas de gestão financeira completam essa tarefa de forma automática, permitindo até mesmo a recuperação dos valores pagos a mais.  

* Henrique Carbonell é sócio-fundador da F360°, empresa especializada em sistema de gestão financeira com conciliação automática de vendas por cartão para o pequeno e médio varejowww.f360.com.br– e-mail:f360@nbpress.com  

Sobre a F360° 

A F360° é uma startup com a missão de transformar a gestão de varejo de franquias e do pequeno e do médio varejista desenvolvendo a melhor ferramenta de gestão do Brasil. O objetivo é gerar eficiência operacional, evitar perdas financeiras aos seus usuários e potencializar as vendas. Desenvolvida por – e para – o varejista, a plataforma oferece, em uma única ferramenta, integração de todos os processos de gestão de uma franquia ou de pequeno e médio varejo. A empresa faz parte da HiPartners, um ecossistema de investimentos focado em empresas inovadoras e com alto potencial de crescimento dentro do conceito de New Retail. Para saber mais, acesse https://www.f360.com.br/.  

Gostou da nossa matéria “Lojistas Brasileiros: Como resolver as principais dificuldades”?

Lojistas Brasileiros: Como resolver as principais dificuldades
Lojistas Brasileiros: soluções

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Junte-se a 730 outros assinantes

Não basta parecer, é preciso ser Digital!

Isadora Kimura é autora de “Não basta parecer, é preciso ser Digital!”. Sócia da Nilo Saúde, startup de solução de cuidado digital, que oferece ferramentas e profissionais para serviços de atenção primária especializada em todo o Brasil

A telemedicina virou parte do dia a dia do brasileiro. E, assim, a tecnologia, que sempre dividiu opiniões quando ligada à área da saúde, consolidou-se como principal aliada em um momento de pandemia. Foi a responsável por proporcionar cuidado e conexão em um momento de isolamento físico.

Enquanto as pessoas precisavam ficar em casa, foi através do celular ou do computador que elas chegavam à consulta médica, tiravam dúvidas de uma prescrição de remédio, compravam o que precisavam. Quem diria que aquela que ameaçava o contato físico, tão necessário em uma avaliação do corpo humano, seria a peça-chave para preservar a saúde física e mental de tanta gente.

Ao longo do último ano, no entanto, o que mais vimos foram empresas se dizendo digitais. Acontece que, enquanto todas parecem digitais, poucas, de fato, são. Atrás das câmeras, o cenário quase que geral é de ambientes corporativos analógicos. Uma realidade que precisa mudar. Até porque estudos recentes da Global Market Insights apontam que o mercado mundial de telemedicina deve expandir para US$ 131 bilhões até 2025.

Ou seja, será difícil sustentar uma falsa imagem de digital por tanto tempo. A realidade exige a digitalização dos dados, a integração das informações, o acesso remoto a laudos e exames, o atendimento preventivo e o cuidado individualizado. E as operadoras, corretoras, hospitais e clínicas, deverão seguir nessa direção. É o único jeito de se manter saudável e vivo em um setor que só tem visto doença e morte.

A digitalização da saúde permite encurtar jornadas e, mais do que isso, acessar especialistas que podem estar distantes com mais informações em mãos para oferecer o cuidado adequado. Ignorar esse ganho é fechar os olhos para o que está à nossa frente. Mas assim como o cuidado sozinho não teve força sem a tecnologia, a tecnologia não vai a lugar algum sem o cuidado. Por isso, ganha quem consegue usar a tecnologia de forma humanizada. Ganha o fornecedor, ganha o cliente. Ganha a sociedade.

Gostou de “Não basta parecer, é preciso ser Digital!?

Não basta parecer, é preciso ser Digital!
Isadora Kimura.
Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais das últimas notícias. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

Edição virtual da Feira de Paranapiacaba prossegue neste fim de semana

A versão virtual da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba prossegue neste fim de semana com várias atrações. Na programação, de sexta-feira a domingo, sarau, música, teatro infantil e oficina de ginástica, sempre pelas redes sociais. O público pode conferir ainda os artigos de 43 expositores. A feira, realizada com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc do Estado de São Paulo, conta com apoio da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Santo André.

Edição virtual da Feira de Paranapiacaba prossegue neste fim de semana

Nesta semana a programação terá início nesta sexta-feira (9), às 20h, com a cantora e pianista Anette Camargo, que apresentará duas canções de seu trabalho autoral.

A oficina de ginástica brincante para a família, com Leo Dias, abre o sábado (10), às 11h. Com jogos recreativos, música, corpo e movimento, a atividade é destinada a pais e mães para se exercitarem com os filhos. E às 20h, a atração será o Sarau Algumas Coisas P[O]R[A] Dizer. Parece que algumas vezes deixamos coisas por dizer… e dizemos tantas outras que por algum tempo ficaram nos rondam. É dessa maneira que os artistas Edu Guerra, Marcos Lemes e Paulo Dantas se encontram nesse Sarau: prontos para dizer, cantar, ler, tantas coisas que fazem parte do seu universo artístico/estético.

E no domingo (11), às 15h, a Cia. Furunfufum apresentará o a peça de teatro infantil ‘Os 3 Porquinhos’. Dividido em duas partes, o espetáculo se mantém fiel à história original. A primeira parte terá canções e histórias musicais tradicionais com acompanhamento instrumental ao vivo. E a segunda, representará, com bonecos, a história dos Três Porquinhos. A novidade está no ritmo vertiginoso da encenação, que utiliza amplamente o improviso e convida a plateia a interagir com os personagens. Recomendado para crianças a partir de dois anos, com duração de 50 minutos. E às 19h, a cantora Juliana Lima apresentará a música autoral ‘Pode Ser o Dom’.

Esta edição virtual da Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba contou com recursos provenientes da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc do Estado de São Paulo, que tornaram possível a ampliação da programação e a contratação de mais de 220 artistas de diversas áreas. Além de muita música, teatro, circo e saraus, a feira terá um total de 130 eventos, até 30 de abril. Todas as atividades poderão ser conferidas no site https://www.fparanapiacaba.com/, no Facebook (@feiraparanapiacaba), no Instagram (@fparanapiacaba) e no canal do YouTube da feira.

História – A Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba é realizada desde 2015 com expositores da Região Metropolitana de São Paulo, inclusive com moradores da Vila de Paranapiacaba. Entre as artes, há o tradicional artesanato em tecidos, linhas e pedras e antiquários. A feira também tem parceria com grupos que buscam novas formas de interagir com o mercado de trabalho de forma coletiva, como a Associação Fibras da Serra e o Coletivo FOOP.

Nesta edição a produção executiva e a curadoria são de Anita Carvalho e Leonete Accetto e a proponente do projeto foi a empresa Ba Rocco Produções.

Serviço:

Feira de Artes e Artesanato de Paranapiacaba – edição virtual

Além de 43 expositores, participação de artistas visuais, além de apresentações musicais, saraus, teatro e circo, entre outros, num total de 130 eventos. Até 30 de abril.

Confira a programação em www.fparanapiacaba.com

Transmissão pelo site www.fparanapiacaba.com/, Facebook (@feiraparanapiacaba), Instagram (@fparanapiacaba) e canal do YouTube da feira.

O projeto contou com o apoio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Santo André.

Atividades gratuitas.

Gostou de “Edição virtual da Feira de Paranapiacaba prossegue neste fim de semana?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 730 outros assinantes

Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual

2020 foi o ano de estabelecer relações de convívio coletivo mais saudáveis e de respeito, cada um em sua casa. Confira o balanço do programa ExploreCarlotas

Em um ano desafiador para a educação brasileira, a empresa Carlotas mostra em vídeo a retrospectiva do programa ExploreCarlotas com o ponto de vista de professores e professoras que enfrentaram a pandemia mostrando dedicação e coragem.

O programa ExploreCarlotas, que cria espaços de diálogo e aprendizagem por meio de oficinas, tem como objetivo levar reflexões sobre diversidade, respeito e empatia de forma lúdica para crianças, jovens e educadores em escolas públicas e instituições de assistência gratuitamente.

O vídeo ilustra os sentimentos e emoções vividos nesse ano de incertezas, além de trazer depoimentos de professoras das escolas públicas. Veja aqui:  https://youtu.be/ESINKOT2QlQ. Em 2020 o Programa ExploreCarlotas focou em acolher e criar vínculos com os professores e professoras de escolas públicas. Os participantes dividiram com Carlotas seus medos, aflições, aprendizados e como foi o ano mais difícil de suas carreiras.

O programa ExploreCarlotas que é financiado com 10% do faturamento da empresa, esteve em 14 escolas públicas. Nestes encontros foram explorados temas tão relevantes quanto atuais como empatia, acolhimento e a importância do olhar para a diversidade com um material inédito: a BOX Carlotas, uma caixa repleta de ferramentas lúdicas focadas em educação emocional para o uso em sala de aula. Nas duas unidades da Fundação Casa, Azaléia e Chiquinha Gonzaga, os relatos de que quem passou pela experiência foi de que os encontros transformaram a maneira como veem o mundo, as pessoas e a si mesmas.

Balanço do programa ExploreCarlotas

Devido à pandemia, os instrumentos de apoio foram apostilas de histórias, atividades lúdicas e jogos para falar sobre as emoções com crianças e jovens. O primeiro Café Virtual foi um encontro remoto para dialogar e organizar as experiências internas com o tema: “Saúde Emocional dos educadores em Tempos de Pandemia.” Com esta atividade a devolutiva de professores, educadores, pais e mães foi muito positiva.

Ao todo 517 educadores participaram de 6 oficinas presenciais e 30 oficinas online onde 6 macrotemas foram abordados: Saúde Emocional, Arteterapia e Saúde, Tempos de Incerteza, o livro Saudade Sabor Chocolate, o Poder Transformador das Histórias e Empatia, Diversidade e Segurança Psicológica.

Um material digital inédito foi construído: uma trilha de aprendizagem em educação emocional adaptado para todas as faixas etárias (de 0 a 17 anos). Respeitando os pilares da UNESCO (aprender a ser, a conhecer, a fazer e aprender a conviver) e fortalecendo as competências socioemocionais da Base Nacional Comum Curricular – BNCC (autoconhecimento, autogestão, amabilidade, relações e tomada de decisão responsável). Com isso, 6 apostilas garantem que educadores e educandos tenham acesso a informações de qualidade. Para mais informações do relatório do Programa ExploreCarlotas clique aqui para fazer o download: http://bit.ly/2020_ExploreCarlotas.

Sobre Carlotas 

Uma empresa com propósito social, localizada no Brasil, nos Estados Unidos e na Alemanha, que busca realçar o potencial da empatia, por meio de uma abordagem única. Carlotas ilustra o diálogo sobre a desconstrução do perfeito e aceitação da diversidade, por meio da arte e do lúdico, encoraja o desenvolvimento das habilidades socioemocionais para melhorar as relações humanas. Para mais informações acesse: https://carlotas.org/

Gostou de “Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

Desemprego e pandemia fazem aumentar a busca por cursos online

Com os altos índices de desemprego no país, muitas pessoas passaram a buscar por cursos onlines que os ajudem a se recolocar no mercado de trabalho, durante esta pandemia.

Em meio a pandemia e os altos índices de desemprego no país, a busca por especializações e cursos que façam a diferença no currículo e no desenvolvimento pessoal vêm crescendo. Por sua comodidade, valores mais baixos e acesso mais fácil, os cursos online estão se tornando a opção ideal para o brasileiro.

Buscando por qualificação curricular, muitos acabam optando por cursos no segmento de idiomas, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os cursos de idioma EAD (ensino à distância) cresceram 59% em 2020 e esses dados continuam sendo promissores para 2021. 

Segundo, Anna Carolyna Diniz, fundadora da BeFaster – School of English e criadora do método “Transforme o seu Inglês”, ao levar seu negócio para o online por conta da pandemia, suas aulas tiveram um aumento de busca e de alunos considerável. Hoje, Carolyna já conta com mais de 5 mil alunos em sua plataforma online e o número só cresce. 

“Muitos adultos me procuram buscando por um curso intensivo, no qual ele já consiga se desenvolver no inglês, muitas vezes porque o chefe está exigindo, ou, porque a vaga que ele procura exige o domínio da língua”, conta Carolyna.

De acordo com o IBGE a taxa de desemprego em 2020 chegou a 13,9%, dada a situação econômica do país e a crise por conta da pandemia de covid-19, os números para 2021 não devem ser muito melhores. 

A alta concorrência no mercado de trabalho, faz com que cada vez mais os profissionais busquem meios de se destacar através de cursos e certificações.

Desemprego e pandemia

Sobre Carolyna Diniz:

Fundadora da BeFaster – School of English, instrutora de língua Inglesa desde 2003 e criadora do método “Transforme o seu Inglês”.

Trabalhou em NYC como interprete auxiliando deficientes visuais brasileiros à adquirir cão guia nos Estados Unidos.

Master e Practitioner em PNL pela Sociedade Brasileira de Programação

Neurolinguística. Formada em Hipnose Ericksoniana e coach através da

Sociedade Brasileira de Coaching em 2016.

INSTAGRAM: https://www.instagram.com/carolinadinizsoueu/

YOUTUBE: https://www.youtube.com/results?search_query=carol+diniz

Gostou de “Desemprego e pandemia fazem aumentar a busca por cursos online ?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

Confira os impactos do lockdown nos processos seletivos

Diferente de concursos e exames de certificação, processos não sofrerão congelamentos como em 2020 na avaliação do consultor Ronaldo Cerqueira; confira os impactos do lockdown nas seleções

Com o avanço do novo coronavírus e o colapso no sistema de saúde em diversos estados do Brasil, novos decretos de lockdown e toques de recolher estão sendo publicados com o objetivo de restringir a circulação de pessoas e conter os casos de Covid-19. Em consequência disso, empresas que oferecem serviços não essenciais precisam adequar suas operações e as estratégias de contratação de novos colaboradores.

A suspensão de concursos públicos, como os da Polícia Civil nos estados do Paraná e do Rio Grande do Norte, e das provas das certificações financeiras CPA-10, CPA-20, CEA e CGA, que seriam aplicadas pela Anbima em março, deixaram candidatos e profissionais em busca de novas oportunidades no mercado de trabalho em estado de alerta.

Na avaliação de Ronaldo Cerqueira, consultor especialista em carreiras no mercado financeiro, as novas restrições terão um impacto menor sobre os processos seletivos do que tiveram no início da pandemia.

“Em 2020 vimos o congelamento de muitos processos seletivos, mas a tendência não deve se repetir perante os novos decretos publicados por Estados e Municípios. Tive conversas recentes com recrutadores e gestores de RH, e existe um consenso de que os processos em andamento ou programados para o primeiro semestre serão pouco influenciados”, diz o especialista.

Cerqueira acredita que a duração dos decretos que restringem a circulação de pessoas será menor do que a praticada entre os meses de março e agosto do ano passado e conta que não há previsão de cancelamentos de contratações. “Intensifiquei o contato com empresas que estão com vagas abertas, sobretudo as do mercado financeiro, e não há previsão de cancelamentos. O que pode ocorrer é o adiamento de processos seletivos que estão em vias de abertura, mas nada que vá arrefecer as oportunidades de contratação para quem vislumbra um trabalho no setor”.

A orientação do consultor para quem se interessou ou se candidatou a vagas recentemente é que entre em contato com o recrutador para se informar se haverá alguma interferência no processo por conta dos novos decretos de lockdown e toques de recolher.

“Este alinhamento é importante para garantir a transparência do processo e dar visibilidade aos candidatos quanto a possíveis alterações no prazo para aplicação à vaga, canal por onde será realizada a entrevista e quando a empresa dará o feedback sobre a contratação. A comunicação é essencial para que todos se sintam seguros em tempos de tantas incertezas”, indica Ronaldo Cerqueira.

LinkedIn em alta

A divulgação de vagas e seletivas de candidatos on-line se mostram como tendências que ganharam força durante a pandemia e que vieram para ficar. Se por um lado as vagas são anunciadas para um número maior de pessoas, por outro a competição entre os candidatos nunca esteve tão acirrada.

“Candidatos capacitados, bem-informados e imersos em suas áreas de interesse se destacam e têm mais chances de contratação, promoção e migração de carreira. Hoje a internet educa, prospecta e lança luz sobre os profissionais mais preparados”, ilustra Cerqueira.  

Sobre a divulgação de vagas, o especialista reforça o importante papel do LinkedIn e estimula que as pessoas priorizem a plataforma como canal para encontrar vagas e ampliar o networking. “Estabelecer contato com usuários que trabalham nas empresas de interesse e criar filtros para se aproximar das vagas desejadas são possibilidades de uso do LinkedIn, ampliam a visibilidade e as chances de colocação no mercado”, conclui.

Sobre Ronaldo Cerqueira

Confira os impactos do lockdown nos processos seletivos
Ronaldo Cerqueira Foto: Divulgação

Ronaldo Cerqueira é consultor especialista em carreiras no mercado financeiro e sócio da startup Eu Me Banco. Presta assessoria estratégica e personalizada para adequar profissionais ao perfil desejado pelo mercado, com vistas para melhor capacitação profissional e ascensão do plano de carreira.

Adquiriu amplo know-how nos 12 anos de trabalho nas áreas de projetos, produtos, compliance, atendimento e gestão comercial em instituições como os bancos Votorantin, Bradesco, Santander Itaú e Safra – onde seu último cargo foi como gerente de investimentos.

Com mais de 122 mil seguidores nas redes sociais (LinkedIn e Instagram), Ronaldo Cerqueira já impactou a carreira de mais de 10 mil assessorados, compartilhando seu conhecimento com clientes individuais e corporativos em mentorias, palestras, treinamentos e programas de formação. 


É graduado em Publicidade e Propaganda e Gestão Financeira, pós- graduado em Marketing e Comunicação Organizacional pela PUC-SP, MBA em Gestão de Projetos pela USP, formado em coaching pelo IBC – Instituto Brasileiro de Coaching, e coautor do livro “Carreiras no segmento financeiro: Como alcançar o tão sonhado emprego, desenvolver uma carreira de sucesso, se preparar para o futuro cada vez mais digital e competitivo”, ao lado da esposa, a bancária Fabiana Cerqueira, que desde 2006 atua em áreas estratégicas no Santander.

Gostou de “Confira os impactos do lockdown nos processos seletivos?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 730 outros assinantes

Workshop e palestras do festival Virtuosi

Seguindo até o dia 28 de março de forma online, a programação formativa do XXIII Virtuosi Virtual reserva momentos de reflexão e conversas a respeito da música de câmara e de aspectos de interpretação e composição musical. Com acesso gratuito e possível de se assistir pelo Facebook e pelo Zoom. O evento também contará com recursos de tradução em LIBRAS, para a série Virtuosi Diálogos Virtuais, nas Palestras “O Quarteto de Cordas” com Marcelo Jaffé e “A Interpretação Musical e a Subjetividade” com Marisa Rezende.

A programação do evento é completamente gratuita e ao longo dos dias, em qualquer lugar do mundo, o público poderá conferir uma rica programação de concertos e recitais exclusivos em suas casas, através do: www.virtuosi.com.br.

Ministrado pelo professor Sérgio Barza, o Virtuosi Diálogos Virtuais apresenta elementos gerais de como compositores buscam criar ordem e inteligibilidade em suas obras no decorrer da história da música. Até a quarta-feira (18), o workshop apresenta repertórios musicais variados através de um modelo tripartite baseado na ideia musical, projeto composicional, no material e na técnica composicional.

Com um profundo conhecimento musical, o violista Marcelo Jaffé que comanda o programa “O Prazer da Música” desde 2010 na Rádio Cultura FM, fala a respeito dos Quartetos de Cordas na história, na próxima segunda-feira (22). Na terça (23), a compositora e pianista Marisa Rezende apresenta relatos sobre suas obras buscando vínculos entre decisões subjetivas e as tarefas da interpretação musical no momento da performance.

A programação do evento foi aprovada pela Lei Aldir Blanc e Sistema de incentivo à Cultura da Prefeitura do Recife.

Link para as palestras: https://us02web.zoom.us/j/85271075209?pwd=U08yc2dWV0VZVWdhT1IxVFRHNVJOdz09

SERVIÇO:

INCLUSIVO: WORKSHOP E PALESTRAS DO FESTIVAL VIRTUOSI CONTAM COM RECURSOS DE ACESSIBILIDADE

Até o dia 28 de março

Gratuito

Inscrições:  www.virtuosi.com.br

Apresentação: Lei Aldir Blanc, Fundarpe, Secretaria de Cultura, Governo de Pernambuco; Prefeitura do Recife

Incentivo: pelo Sistema de Incentivo à cultura, da Prefeitura Municipal do Recife

Patrocínio: STN , Excelsior Seguros, Uninassau

Produção: CODA

Realização: Virtuosi, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal.

Informações: 3203 6023

www.virtuosi.com.br

Assessoria de Imprensa:

Mexe Mexe Comunicação

Luma Araujo – (81) 9 8532.6635 / lumali.araujo@gmail.com

Gostou de “Workshop e palestras do festival Virtuosi?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 730 outros assinantes

Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba terá edição virtual

A tradicional Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba agora vai ter uma nova edição a partir desta sexta-feira (12/03). Devido a pandemia do coronavírus a atividade acontecerá pelas redes sociais.

A novidade é que a programação virtual se estenderá até 30 de abril. Além de 43 expositores, a programação terá a participação de artistas visuais, além de apresentações de música, teatro e circo, saraus, entre outros, num total de 130 eventos.

Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba terá edição virtual

Segundo os organizadores, os recursos provenientes da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc do Estado de São Paulo tornaram possível a ampliação da programação e a contratação de mais de 220 artistas de diversas áreas.

Os destaques são o Sarau da Floresta, com poemas que contam histórias indígenas e da Mata Atlântica e o Sarau Paranapiacaba: afetos e memórias com histórias da vila ferroviária de Santo André. O público poderá conferir ainda grupos como: Irmandade do Blues, Serial Funkers, Os Desconhecidos, O Bardo e o Banjo, Fanta Konatê e Trupe Djembedon, Cia. Corpo Mágico e Irmãos Becker.

Já os grupos infantis farão, entre outros espetáculos, releituras de grandes clássicos como Três Porquinhos, Pinóquio e o Flautista de Hamelin. Entre os músicos participarão Ellen Oléria, Kleber Albuquerque, Graça Cunha, Rodrigo Régis, Marquinho do Pandeiro e Adriano Grineberg. Nas artes visuais, destaque para Valdo Rechelo, Milton Toller, Edu Guimarães, Elton Hipólito e Croma. Todas as atividades poderão ser conferidas no site

https://www.fparanapiacaba.com/, no Facebook (@feiraparanapiacaba), no Instagram (@fparanapiacaba) e no canal do YouTube da feira.

História – A Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba é realizada desde 2015 com expositores da Região Metropolitana de São Paulo, inclusive com moradores da vila de Paranapiacaba. Entre as artes, há o tradicional artesanato em tecidos, linhas e pedras e antiquários. A feira também tem parceria com grupos que buscam novas formas de interagir com o mercado de trabalho de forma coletiva, como a Associação Fibras da Serra e o Coletivo FOOP.

Nesta edição a produção executiva e a curadoria são de Anita Carvalho e Leonete Accetto e a proponente do projeto foi a empresa Ba Rocco Produções.

Serviço:

Feira de Artes e Artesanato de Paranapiacaba – edição virtual

Além de 43 expositores, participação de artistas visuais, além de apresentações musicais, saraus, teatro e circo, entre outros, num total de 130 eventos.

Confira a programação em: https://www.fparanapiacaba.com/

De 12 de março a 30 de abril.

Transmissão pelo site: https://www.fparanapiacaba.com/, Facebook (@feiraparanapiacaba), Instagram (@fparanapiacaba) e canal do YouTube da feira.

O projeto contou com o apoio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc do Estado de São Paulo.

Atividades gratuitas.

Gostou de “Feira de Artes e Antiguidades de Paranapiacaba terá edição virtual?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 730 outros assinantes

Patrulha Maria da Penha em Diadema ganha formatura virtual

Para mostrar que hoje, Dia Internacional da Mulher, é uma data importante para fortalecer o combate à violência contra as mulheres, a Prefeitura de Diadema realizou a formatura da Patrulha Maria da Penha. O evento foi virtual devido a pandemia da Covid-19.

Ela foi criada para garantir que o cumprimento das medidas protetivas fosse levado a sério e para evitar casos de feminicídio.

O projeto foi criado em janeiro, pelo Decreto nº 7.866/2021, e foi uma das primeiras medidas da nova gestão do município. O pelotão formado por 15 guardas civis municipais, sendo 10 mulheres e cinco homens, passou por curso de 40 horas de capacitação.

Agora, as mulheres com direito a medidas protetivas definidas pela Justiça passam a ter maior apoio e proteção da GCM.

Durante o encontro foi assinado oficialmente o Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura de Diadema e a Polícia Civil, representada pela Delegacia Seccional da cidade. Pela parceria, os setores responsáveis pela execução técnica dos trabalhos serão a Secretaria Municipal de Defesa Social e a Delegacia de Defesa da Mulher.

A cerimônia virtual, mediada e organizada pelo secretário de Defesa Social, Benedito Domingos Mariano, e transmitida pelas redes sociais da Prefeitura, contou com a participação do prefeito de Diadema, José de Filippi Júnior; da vice-prefeita e secretaria de Assistência Social e Cidadania, Patty Ferreira; do Comandante da Guarda Civil Municipal (GCM), Antonio Soares Fonseca; e do presidente da Câmara Municipal, vereador Josa Queiroz.

Representando a Polícia Civil, participaram do evento o delegado Seccional, Guerdson Ferreira, e a delegada de Defesa da Mulher, Renata Andrade Cruppi, que também atuou como instrutora no curso de formação da nova patrulha.

O prefeito José de Filippi reafirmou, em seu pronunciamento, o compromisso da sua gestão, que conta com sete secretárias municipais, em priorizar projetos e ações que valorizem os direitos das mulheres e o combate à violência que elas sofrem.

“Além de avançar em convênios com a Polícia Civil e outros órgãos, quero que esse trabalho de proteção e valorização da mulher seja reforçado também pela Casa Beth Lobo, a Educação, a Cultura, o Esporte e Lazer e outras áreas da Prefeitura”, disse o prefeito.

Segundo o secretário de Defesa Social de Diadema, Benedito Mariano, instituir esta patrulha é uma das medidas da Prefeitura para reforçar a cultura de paz e a prevenção à violência contra a mulher, agravada durante a pandemia.

“Para isso, o trabalho será em parceria direta com a Casa Beth Lobo e a secretaria municipal de Assistência Social e Cidadania”, explicou o secretário.

Mês da Mulher

Com o tema “Pelo Direito de Ser – Mês de Igualdade das Mulheres”, a Prefeitura de Diadema está homenageando as mulheres durante todo o mês de março.

Mostra apoio da Coordenadoria Municipal de Mulheres, e a programação também conta com o participação de todas as secretarias municipais.

Devido as restrições de combate à Covid-19, os eventos serão virtuais e divulgados pelo site e redes sociais da Prefeitura.

Serviço:

– Casa Beth Lobo – rua das Turmalinas, 35 – Centro – tel. 4043-0737

– GCM: ligue 153

Gostou de “Patrulha Maria da Penha em Diadema ganha formatura virtual”?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

USP oferece cursos gratuitos e on-line

A Universidade de São Paulo (USP) oferece cursos gratuitos disponíveis para todos os públicos, sem exigência de formação específica. Os conteúdos estão disponíveis on-line, na plataforma coursera, e são de diferentes áreas do conhecimento, desde ciências de dados, tecnologia, negócios e mais.

Grupo de divulgação de vagas no Facebook (clique aqui)
Canal de divulgação de vagas no Whatsapp (clique aqui)
Canal de divulgação de vagas no Telegram (clique aqui)

Entre as aulas dos cursos, o aluno terá conteúdo sobre vários temas, como gestão de projetos, estatística, marketing digital, estrutura jurídica e financeira, marketing e vendas, criação de startups.

No momento, são 15 cursos publicados desenvolvidos por professores da USP para quem busca ampliar os conhecimentos e aperfeiçoar o currículo.

  • Marketing Digital
    Aprenda a desenvolver a estratégia de marketing digital para a sua empresa ou startup, nesse curso você irá aprender sobre os principais pontos do Marketing como ROI, SEO, SEM, Testes AB e como gerenciar o funil de conversão e também como usar plataformas como Google adwords e Analytics, Facebook Ads e Email Marketing.

  • Introdução aos Princípios e Práticas da Gestão De Projetos
    esta série de cursos e atividades práticas proporciona as habilidades para que seus projetos sejam executados e os resultados esperados entregues conforme o cronograma e o orçamento. Você vai adquirir sólidos fundamentos da gestão de projetos que poderão ser aplicados em seu trabalho.

  • Econometria Básica Aplicada
    Buscaremos introduzir aos alunos métodos de estimação de modelos lineares que relacionam variáveis econômicas. Espera-se que o aluno seja capaz de entender modelos simples e testar hipóteses sobre os modelos de interesse.

  • Criação de Startups: Como desenvolver negócios inovadores
    Ao final desse curso, esperamos que você esteja familiarizado com os principais conceitos e metodologias de criação de startups. Para melhorar o seu aprendizado, trabalhe com uma ideia ou um projeto e tente trabalhar nas entregas opcionais ao final de cada módulo.

  • Mapas conceituais para aprender e colaborar
    Você aprenderá a fazer bons mapas conceituais, ou seja, mapas que representam com fidelidade o seu entendimento sobre o tema mapeado – revelando o que você sabe e o que você não sabe!

  • Introdução à Análise Macroeconômica
    Neste curso de introdução à análise macroeconômica, objetivamos apresentar a estrutura lógica (modelos) da macroeconomia moderna, de maneira simples e com auxílio de gráficos básicos e intuitivos.

  • Origens da Vida no Contexto Cósmico
    É um curso com formato multidisciplinar que o levará a compreender melhor os aspectos envolvidos no surgimento de vida na Terra e no possível surgimento de vida em outros planetas.

  • Introdução ao Teste de Software
    Ao completar o curso, os estudantes serão capazes de planejar e aplicar as principais técnicas, critérios e ferramentas de teste em variados domínios e tipos de software.

  • Marketing e vendas B2B: Fechando novos negócios
    Aprenda a aumentar as vendas em negócios B2B com técnicas e estratégias de Marketing. Este curso introdutório oferece conteúdos teóricos e práticos dados pelos profissionais das maiores startups brasileiras, como Lean Survey, looqbox, Colaboradores, entre outras.

  • UX / UI: Fundamentos para o design de interface
    Aprenda com uma das maiores startups do Brasil, a Taqtile sobre com criar a melhor experiência para o seu usuário, formas de gerar ideias, princípios básicos de design e como desenvolver interfaces de aplicativos e sites, esse curso introdutório é composto de aulas teóricas com exemplos práticos de aplicação de cada assunto abordado.

  • Compreendendo o Zika e doenças emergentes
    Através deste curso você vai saber porque tantas doenças que surgiram atualmente (doenças emergentes) são causadas por vírus, como elas surgem e se espalham. Veremos como vírus causadores de doenças entram em contato com o ser humano e como se espalham, principalmente aqueles transmitidos por mosquitos, como os vírus da Dengue e Zika. Você será capaz de identificar como e onde o Zika vírus começou a causar a atual pandemia, entenderá como ele circula e quais os sintomas que causa nas pessoas em geral e em gestantes e particular, com ênfase na microcefalia.

  • Consolidando empresas: Estrutura jurídica e financeira
    Ao final desse curso, esperamos que você esteja familiarizado com os principais conceitos, ferramentas e princípios de como regulamentar a sua empresa, como geri-la financeiramente, como encontrar o seu modelo de negócio e como lidar com investimentos e investidores.

Gostou de “USP oferece cursos gratuitos”?

USP oferece cursos gratuitos
USP oferece cursos gratuitos

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro.

Escolas privadas de SP começam 2021 com sistema híbrido

As escolas particulares de São Paulo começaram o ano letivo de 2021 nessa segunda-feira, com atividades presenciais. As escolas privadas de SP começam 2021 com sistema híbrido de ensino.

Mas, por enquanto, as aulas vão funcionar em sistema híbrido, com parte das atividades presenciais e parte por internet.

Isso porque todas as regiões do estado estão classificadas ou na fase laranja ou na fase vermelha, as fases mais restritivas do Plano São Paulo, que orienta as medidas de combate à pandemia do novo coronavírus.

Com isso, as escolas vão ter que organizar grupos de estudantes que se revezam ao longo da semana, mantendo máximo de 35% da ocupação.

Apesar das restrições, o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo, Benjamim Ribeiro da Silva, avaliou que o retorno às atividades presenciais foi positivo.

Ele calcula que mais de 95% das escolas particulares do estado abriram as portas nessa segunda-feira.

Já os professores não ficaram felizes. Na verdade, estão preocupados. Para o presidente do Sindicato dos Professores de São Paulo, Luiz Antonio Barbagli, o protocolo de segurança que está sendo exigido, como uso de máscaras e álcool gel, é o mesmo que vem sendo adotado nos estabelecimentos comerciais, como as padarias, realidade diferente das salas de aula.

Na próxima semana, dia 8, está prevista a retomada das aulas presenciais das escolas públicas estaduais, e no dia 15 de fevereiro nas escolas públicas municipais.

Em parceria com Agência Brasil.

Gostou de “Escolas privadas de SP começam 2021 com sistema híbrido”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais notícias do Brasil.

Escolas privadas de SP começam 2021 com sistema híbrido
Photo by Pixabay on Pexels.com

Festival promove série de lives sobre cultura e saúde coletiva

Levar cultura e noções de saúde coletiva, além de ajudar economicamente os afetados pela pandemia. Com essa proposta, o Festival Coro na Quarentena promove uma série de lives, de sexta-feira à domingo, pelo Instagram.

Com duração de uma hora cada, as apresentações acontecerão diariamente, das 9h às 23h, de forma seguida, sendo algumas com tradução em libras.

A primeira edição do evento, vai oferecer quarenta e duas lives, entre performances, espetáculos, shows, coreografias, filmes e leituras, além de entrevistas e conversas com profissionais de diferentes áreas, entre elas, nutrição, enfermagem, psicanálise, psicologia e solução de conflitos, como explica a idealizadora do Festival Coro na Quarentena, Natasha Corbelino.

O Festival vai reunir nomes como o da atriz Mel Lisboa, a poeta e montadora de cinema Maria Rezende, a ginecologista e obstetra especialista em parto humanizado, Ana Fialho, e a ativista e comunicadora comunitária, do Complexo da Maré no Rio, Gizele Martins.

As lives serão realizadas pelo Instagram do Festival CORO na Quarentena. A programação é gratuita, mas o projeto pede a colaboração dos espectadores por meio de doação, que pode variar entre 10 e 200 reais. As contribuições podem ser feitas pelo site symplacomipsilon.com.br.

Patrocinado pelo governo do estado do Rio de Janeiro, o festival é uma produção do Coletivo Coro na Quarentena.

Com informações de Agência Brasil.

Gostou de “Festival promove série de lives sobre cultura e saúde coletiva”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, assim que estiverem online. Aproveite e leia mais as notícias do Brasil.

Festival promove série de lives

Expansão de supermercados gera empregos e cursos especializados

Capacitação oferecida pela Associação de Supermercados do Estado do Rio – ASSERJ, em parceria com a UFRJ, não exige formação superior; Expansão de supermercados gera empregos.

Aprender na prática, com aulas dinâmicas e experiências de situações do cotidiano dos supermercados é o objetivo do curso online de extensão Gestão Estratégica de Supermercados que inicia em 02 de fevereiro.

O curso é realizado pela Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), em parceria com o Instituto Coppead de Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro, escola de negócios reconhecida globalmente pela sua excelência.

São aplicados métodos ativos de aprendizagem, desenvolvidos em Harvard, e utilizados por business schools de todo o mundo. São discutidos problemas vivenciados por empresas muitas vezes reais, debatendo lentes teóricas, práticas e especificidades relacionadas aos supermercados. Os materiais são disponibilizados antecipadamente, na plataforma digital de acesso exclusivo da turma.

Com aulas 100% online e ao vivo, o curso de extensão é focado na gestão de supermercados e não exige formação superior. Os alunos, de qualquer lugar do mundo, vão ter acesso a um conteúdo inovador, visando a capacitação para uma gestão mais assertiva. São dois encontros por semana, às terças e quintas-feiras, com 3 horas de duração cada encontro.

A capacitação visa atender a demanda de profissionais que enxergam o crescimento do setor que projeta, para 2021, a abertura de pelo menos 30 novas lojas no estado do Rio de Janeiro e o crescimento das vendas em mais de 4,5%. O aumento se deve ao período da quarentena, em que os supermercados, como serviços essenciais, tiveram grande procura pela população.

No último ano, as redes associadas da ASSERJ tiveram um crescimento nas vendas de mais de 3,98% comparado ao ano de 2019. O setor supermercadista foi um dos que mais contratou em 2020, tanto por empregos fixos quanto por temporários, totalizando mais de 3.800 oportunidade de emprego no estado, somente no ano passado.

Expansão de supermercados gera empregos no setor

Para o presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz, o consumidor está cada vez mais exigente e os interessados no curso terão a oportunidade de aprender como lidar com esse novo perfil, além de crescer na carreira. “As empresas precisam estar cada vez mais preparadas. O consumidor de hoje quer um atendimento diferenciado. Com o crescimento do setor e a possibilidade de novas vagas é fundamental a capacitação que vai tratar as dores desse segmento tão importante para a população e a economia”, garante Fábio Queiróz.

As inscrições estão abertas para o curso Gestão Estratégica de Supermercados no site:

GESTÃO ESTRATÉGICA DE SUPERMERCADOS – COPPEAD E ASSERJ

Programa Avançado para Executivos de Supermercados

Início: 02 de Fevereiro de 2021

Carga Horária: 90 horas de curso, com aulas 100% online e ao vivo, duas vezes por semana.

Vagas limitadas! Associado ASSERJ tem 15% de desconto

Sobre a ASSERJ

Criada em 1969, a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro tem como objetivo unir, servir e representar o segmento supermercadista nos cenários político, econômico e social, promovendo a interação entre os players e o desenvolvimento da qualidade da gestão. Hoje comandada pelo executivo Fábio Queiróz, eleito presidente em 2015, a ASSERJ representa os interesses de 300 grupos supermercadistas do Estado do Rio de Janeiro e oferece a seus associados diversos benefícios, como cursos de aperfeiçoamento, palestras, consultoria e assessoria na área jurídica. https://asserj.com.br

Expansão de supermercados gera empregos e cursos especializados
Photo by Mehrad Vosoughi on Pexels.com

Jornada Valor em Saúde Brasil 2020 supera expectativas

 Com 4 webinares realizados às quintas-feiras de novembro, o evento apresentou conteúdo exclusivo e casos de sucesso de entrega de valor em saúde Jornada Valor em Saúde Brasil

A Jornada Valor em Saúde Brasil 2020, formada por 4 webinares inéditos e ao vivo, bateu recorde de público com mais de 1.400 inscritos em todo o país. Realizado desde 2016 e já consolidado no mercado, o evento tem o propósito de ser um espaço para compartilhamento de experiências, melhores práticas, cases de sucesso e resultados conquistados entre as organizações e profissionais de saúde brasileiros.

Totalmente online e gratuito, um dos grandes diferenciais competitivos da Jornada foi o fato das organizações de saúde terem mostrado o que fazer, como estão fazendo e quais resultados estão atingindo com as ações de saúde baseada em valor através do uso da plataforma DRG Brasil. Elas revelaram quais estratégias estão usando para oferecer os melhores resultados assistenciais com a máxima eficiência e controle de desperdício, propiciando ao paciente uma experiência positiva. Este é o conceito de valor.

Promovido pela Valor em Saúde Brasil, powered by DRG Brasil, o evento marcou a transição, conceito e posicionamento da marca, que antes era conhecida somente por DRG Brasil, e passou a ser denominada Valor em Saúde Brasil. Os hosts desta edição foram Renato Couto, Tania Grillo e Breno Duarte — alta direção do Grupo IAG Saúde, empresa co-realizadora da Jornada.

“Foi uma satisfação muito grande ter ouvido palestrantes comprometidos com resultados exitosos de saúde baseada em valor. O público participante também contribuiu bastante para o sucesso do evento, com perguntas e debates enriquecedores. Nossa meta inicial era receber até 1.000 participantes e esse número superou em mais de 40%. Eu e Tania estamos muito satisfeitos e já pensando na próxima edição, que acontecerá em 2021”, declara o Dr. Renato Couto, presidente do Grupo IAG Saúde.

A programação do evento contou com a participação de palestrantes nacionais e internacionais, que debateram assuntos diferenciados. O primeiro webinar tratou sobre “Um círculo virtuoso de entrega de valor em saúde no Brasil’, o segundo abordou o tema “Modelos assistenciais e remuneratórios que de fato entregam valor em saúde”, o terceiro falou sobre “Saúde baseada em valor: papel de todos nós para a centralidade no paciente”, e para finalizar, “O futuro: Saúde baseada em valor e os caminhos para a sustentabilidade do setor” foi o assunto do último webinar.    

Em cada webinar, um time de especialistas e profissionais do setor trouxeram temas totalmente atuais, inclusive sobre a pandemia, crise econômica e sanitária mundial, como redução do desperdício, uso de tecnologia, valorização dos profissionais e construção coletiva de conhecimento.

Jornada Valor em Saúde Brasil

O objetivo da Jornada foi trazer exemplos de como um sistema de saúde baseado em valor é bom para todos: promove mais segurança para o paciente, maior acesso aos serviços pela população, entrega de uma assistência de qualidade a um menor custo e com compartilhamento de ganhos entre as partes da cadeia produtiva.

Outro ponto importante do evento foi o destaque para a nova ocupação de Analista de Informação em Saúde, que acabou de ser reconhecida e incluída na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) e trará como benefícios valorização profissional, reconhecimento no mercado e no setor saúde, além da análise das atividades da profissão como fundamental no exercício da função.

Além do Grupo IAG Saúde, foram co-realizadores do evento: DRG Brasil, SBAIS, Planisa, MK Saúde, ISEE Consultoria, Trevo Sistemas, Faculdade Unimed, Faculdade de Ciências Médicas de MG, Transforma Saúde e Deloitte. Como apoiadores da Jornada Valor em Saúde Brasil estiveram as marcas Carefy, SigQuali, CGQ Consultoria, IAG Gestão, Econsad, SCORE Rede e Eficiência Hospitalista.

SP cria 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista

Espaço poderá ser usado para trabalhos de cultura maker, robótica, modelagem 3D, entre outras atividades ‘mão na massa’

O vice-governador Rodrigo Garcia e o Secretário da Educação Rossieli Soares inauguraram nesta quarta-feira (18) o 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista (CIEBP). O espaço funciona no prédio da Escola Estadual Professora Zuleika de Barros Martins Ferreira, na Pompéia, zona Oeste, mas atenderá toda a rede estadual de São Paulo.

A coordenação do CIEBP é de Débora Garofalo que no ano passado foi considerada uma das dez melhores professoras do mundo, no Global Teacher Prize.

“Conforme as escolas têm projetos prontos, os alunos poderão prototipar aqui, fazer a impressão 3D e utilizar outros equipamentos ou, ainda, participar de projetos específicos no contraturno. Teremos capacidade de atender até 1.200 pessoas por dia, circulando em vários turnos”, afirma o Secretário Rossieli Soares.

No CIEBP os alunos poderão idealizar projetos e receber mentoria no hub de inovação; trabalhar com cultura maker, programação e robótica; ou ainda, utilizar a modelagem 3D para fazer protótipos com temas transversais. Para utilizar o local, as escolas terão de agendar.

O objetivo do equipamento é desenvolver o protagonismo dos estudantes no processo de ensino e aprendizagem com atividades “mão na massa”, além de ressignificar os espaços ociosos em escolas.

O CIEBP também integra a tríade de inovação da Seduc, que tem como premissa os novos componentes do programa Inova Educação como Tecnologia e Inovação; cultural, com o Movimento Inova, e de experimentação, com o Centro de Inovação.

“O CIEBP é uma importante ferramenta de inovação para professores e estudantes da rede estadual de ensino de São Paulo, por permitir que no espaço de aula e ou contraturno os estudantes e professores possam potencializar os seus projetos e experimentar novas modalidades e ferramentas de inovação em um formato inédito a educação por termos salas multifuncionais e um hub de inovação propondo soluções a educação”, diz Débora Garofalo.

Infraestrutura

O CIEBP conta com seis salas para atividades com uso de computadores, programação robótica, jogos digitais, pesquisa, ideação de projetos. Também abriga um pequeno estúdio do Centro de Mídias de São Paulo (CMSP) de gravação, locução, sala maker de criatividade visual, prototipagem, fabricação digital, além de um Hub Educacional.

Nove professores formados e preparados por grandes parceiros da área Faz Educação, representante da Apple, Microsoft, Telefonica Vivo farão a mediação dos trabalhos.

Entre os parceiros investidores estão a Microsoft Games, Faz Educação e Tecnologia & Apple, Instituto Palavra Aberta, Fundação Vanzolini, Big Brain Education, Grupo Mais Unidos, Ramadam Engenharia e Empreendimentos, FP Projetos e Empreendimentos, Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, Microbit e Instituto Telefonica Vivo.

Centro de Mídias SP seleciona professores para aulas remotas

Interessados podem se cadastrar no Banco de Talentos da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo

O Centro de Mídias SP (CMSP) continua com chamada aberta para professores que desejem atuar nas aulas remotas que são transmitidas pela plataforma ou revisando os seus conteúdos pedagógicos.

Os docentes escolhidos para ministrar as aulas terão a jornada cumprida integralmente no Centro de Mídias, na capital, e terão direito à gratificação de atividade pedagógica. Já os selecionados para o Banco de Avaliadores poderão continuar exercendo suas funções atuais e serão pagos por lote de conteúdo revisado.

As duas oportunidades e as suas especificações podem ser encontradas no Banco de Talentos da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo. O Banco de Talentos é uma plataforma de gerenciamento de processos de seleção voltados a melhoria da educação paulista.

Jornal Grande ABC

Centro de Mídias SP

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 730 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Educação pode perder até R$ 40 bi em tributos

O estudo leva em consideração o impacto econômico da Covid-19 a partir de um mapeamento de projeções tributárias e análise de dados do Tesouro Nacional

Segundo um levantamento do Instituto Unibanco e Todos Pela Educação, em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Educação, as redes estaduais e municipais de ensino devem perder entre R$ 13 bilhões e R$ 40 bilhões em tributos neste ano. O último relatório da série Covid-19: Impacto Fiscal na Educação Básica leva em consideração os aspectos econômicos da pandemia do novo coronavírus a partir de um mapeamento de projeções tributárias e análise da base de dados do Tesouro Nacional.

De acordo com o professor e especialista em educação pela Universidade de Brasília (UnB) Raimundo Luiz Silva Araújo, os impactos dessa perda poderão ser sentidos até o final do ano que vem. “A queda na arrecadação puxa para baixo o Fundo Público e o financiamento da Educação Básica. Muitas prefeituras vão ter dificuldades para fechar as contas no final do ano e, como a economia não está se recuperando da forma que o governo anuncia, a previsão é de que esse impacto dure todo o ano de 2021”, avalia.

Ainda segundo o estudo, somando os 38,3 milhões de estudantes das redes de Educação Básica, a perda desse montante em tributos significaria uma redução média no investimento anual por estudante que pode ficar entre R$ 345, no melhor cenário, e R$ 1.038, no cenário mais pessimista. Hoje, o Brasil investe anualmente cerca de R$ 21.500 por estudante de ensino fundamental. O valor é 2,2 vezes menor que a média dos países participantes da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

De acordo com o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e Dirigente Municipal de Educação de Sud Mennucci, Luiz Miguel Martins Garcia, a má previsão deverá obrigar os municípios a estabelecerem soluções de reorganização das verbas para garantir investimentos como a manutenção das escolas, realização de atividades complementares, modelo híbrido, preparação e adequação das instituições para o retorno dos estudantes, entre outros. 

“Tudo que for implicar em novos investimentos, vai ficar comprometido. Isso pode gerar dificuldades para estabelecer essas ações e para o processo de retomada dos direitos de aprendizagem não efetivados nesse momento por falta de recursos, já que o orçamento da educação é bastante apertado. Imagine uma situação de queda e com necessidade de crescimento”, exemplificou. 

Para além dessas estimativas, o relatório das instituições traz um levantamento com 82 redes municipais de Educação, que identificou um conjunto de gastos adicionais que variam de R$ 230 a R$ 490 por estudante matriculado. Esses valores estão relacionados às despesas com ensino remoto, alimentação, comunicação com as famílias, patrocínio de pacotes de dados de internet e compra de materiais de higiene. 

Já nas redes estaduais, estima-se que o gasto total das secretarias de Educação com ações extraordinárias de enfrentamento à pandemia no exercício de 2020 será de no mínimo R$ 2,1 bilhões, podendo chegar até R$ 5,3 bilhões.
 

Fonte: Brasil 61

PESQUISA: As 7 preocupações em relação ao impacto da COVID-19

Duas das situações mais estressantes na vida de uma pessoa são ter uma lesão ou doença grave e perder o emprego. Nas últimas semanas, a COVID-19 seguiu avançando em todo o mundo, causando mudanças profundas no nosso dia a dia. Em um estudo realizado pelo Indeed com 1.035 pessoas nos EUA, 68% relataram que fizeram algum ajuste no trabalho, emprego ou turno de trabalho devido ao coronavírus.

Esses desafios podem causar estresse, confusão e uma pressão significativa em milhões de pessoas. Mais da metade dos entrevistados na pesquisa disse que as melhores palavras para descrever como se sentiam em relação ao surto do vírus eram “preocupado”, “cauteloso” e “apreensivo”, entre outras.

Diante das circunstâncias, é natural buscar informações e tomar medidas para proteger a nós mesmos e a todos ao nosso redor. Neste artigo, vamos analisar como as pessoas estão se sentindo em diversas situações e oferecer maneiras de ajudar e dicas sobre como lidar com as mudanças na sua vida durante a COVID-19.

Lidando com o impacto da COVID-19

Na nossa pesquisa recente, 81% dos entrevistados disseram que acompanham notícias sobre a COVID-19 no mínimo diariamente, e 73% consideraram que o coronavírus é uma ameaça real. Muitas países estão adotando o distanciamento social e a quarentena e criando regras sobre como essas medidas devem ser adotadas.

A principal preocupação relacionada à COVID-19 é sofrer um abalo financeiro (35%). Entre outras, estão:

  • Cuidar de entes queridos (27%);
  • Contrair a COVID-19 no local de trabalho (26%);
  • Ser demitido (26%);
  • Disseminar a COVID-19 no local de trabalho (25%);
  • Manter a saúde mental (22%);
  • Desafios de trabalhar em casa (19%);
  • Conseguir cuidar dos filhos (16%).

Considerando todas essas circunstâncias no contexto da Hierarquia de necessidades de Maslow, estamos vivenciando uma mudança significativa na forma como gastamos nosso tempo e energia para fazer o que é melhor para a nossa saúde e segurança, assim como a de nossa família. Essa mudança de prioridades é normal e saudável. A pergunta que surge é: quais são as melhores atitudes a tomar para lidar com essas questões?

Abaixo, vamos abordar alguns desses tópicos, incluindo dicas e formas de ajudar outras pessoas que você conhece e que podem estar passando por alguma dessas situações.

Se você teve alguma perda de trabalho

Uma perda de trabalho pode incluir ser demitido, ter suas horas ou turnos reduzidos ou precisar tirar alguns dias de folga não remunerados devido ao próprio coronavírus ou ao impacto causado por ele (como filhos fora da escola, por exemplo). Quando questionadas sobre o impacto do coronavírus, 36% das pessoas disseram que teria um efeito muito ou um tanto negativo no trabalho, e 75% disseram que sentiam que os impactos do vírus durariam até seis meses para elas. Os participantes da pesquisa disseram que o impacto mais preocupante está relacionado às questões financeiras (salários reduzidos, menos trabalho por contrato, menor número de dias de folga remunerados).

Perda de trabalho pode ser extremamente desgastante, especialmente em um momento no qual as empresas estão avaliando a situação financeira em que se encontram e podem estar pensando nas contratações de forma mais cautelosa. Embora algumas coisas possam estar fora do seu controle, certamente existem medidas que você pode adotar nessa situação. Veja o que você pode fazer:

  • Solicitar os benefícios para desempregados. Informe-se sobre como solicitar esse benefício se ele já estiver disponível. Além disso, o governo federal está adotando medidas para oferecer auxílios emergenciais relacionados à COVID-19 para trabalhadores formais e informais.
  • Procurar recursos para trabalhadores. Muitas organizações e governos locais estão oferecendo recursos para pessoas que sofreram algum prejuízo no trabalho relacionado à COVID-19.
  • Falar com sua rede de contatos. Use suas conexões, incluindo amigos, familiares, empresas onde já trabalhou, mentores e plataformas de networking profissionais, para verificar que tipos de oportunidade existem. Nunca se sabe o que as pessoas podem oferecer.
  • Reservar um tempo para fazer pesquisas de emprego. Além de você ter várias outras responsabilidades durante este período, procurar um emprego por si só pode parecer um trabalho em tempo integral. Programe um horário para sua busca de emprego e tente minimizar as distrações durante esse tempo.
  • Definir objetivos para as inscrições em vagas. Estabelecer metas de inscrição diárias ou semanais pode ajudar a manter sua motivação. Celebre de alguma forma quando atingir o número de inscrições em vagas estabelecido. Durante este período, pode ser útil complementar com algum trabalho remoto em tempo integral ou de meio período.
  • Procurar vagas abertas no momento em função da COVID-19. O avanço do coronavírus também causou ou revelou a escassez de determinados talentos, especialmente em trabalhos como almoxarifados, entrega de pedidos, compras de mercado ou comida, atendentes de mercado e profissionais da saúde (enfermeiros, especificamente).

Se você já estiver em busca de emprego ou quiser mudar de emprego

  • Prepare-se para uma entrevista virtual. Muitas empresas continuam contratando, mas provavelmente marcarão uma entrevista virtual ou por telefone em vez de uma entrevista presencial.
  • Seja paciente. Se você não estiver obtendo respostas das empresas, não desista e continue se candidatando. Lembre-se de adaptar seu currículo e carta de apresentação a cada vaga e candidatar-se a cargos alinhados à sua experiência e conhecimento.
  • Considere complementar sua renda com um trabalho remoto. Buscar trabalhos secundários feitos em casa poderá ajudar nisso caso leve mais tempo do que o esperado até você encontrar o emprego certo.

Se você estiver trabalhando em casa

Cerca de 36% dos participantes da nossa pesquisa disseram que podem ou talvez consigam trabalhar em casa neste período. Embora existam vários benefícios, pode ser difícil se adaptar a trabalhar em casa. Para se manter produtivo, tente:

  • Organizar um espaço de trabalho definido, de preferência em um local silencioso com o mínimo de distrações;
  • Estabelecer limites com as pessoas que moram com você, informando seus horários e períodos de “não perturbe”;
  • Fazer pausas programadas regularmente e desligar o computador em um horário determinado todos os dias;
  • Informar o horário de trabalho ao chefe e aos colegas, bem como definir expectativas em relação a prazos estipulados, de acordo com a sua situação.

No total, 54% dos participantes da nossa pesquisa afirmaram ter filhos, e 36% disseram que podem ou talvez consigam trabalhar em casa. Como várias escolas fecharam ou passaram a dar aulas virtuais em função do coronavírus, agora há muitas pessoas que precisam trabalhar em casa e cuidar dos filhos ao mesmo tempo. Para obter dicas sobre como trabalhar em casa nesse cenário, visite Guia para os pais sobre como trabalhar em casa com os filhos.

Se você não puder trabalhar em casa

Dos participantes da nossa pesquisa, aproximadamente 46% disseram que não podem trabalhar em casa. Há muitos trabalhos essenciais que precisam ser feitos, especialmente agora, por pessoas que não podem realizá-los em casa. Isso pode incluir balconistas de mercado, profissionais de restaurante, atendentes de loja, mecânicos de oficina e profissionais da saúde, entre outros.

Se você não puder trabalhar em casa, converse com seu chefe para determinar as melhores opções para que você possa manter sua saúde caso necessite interagir com outras pessoas. Verifique a política do seu trabalho em relação à licença médica e fale com a sua empresa sobre mudanças nessa política em função da COVID-19.

Como ajudar outras pessoas

Quando questionados se sentiam que o surto de coronavírus estava unindo mais as pessoas, o total de 42% dos participantes concordaram. Reservar um tempo para praticar a paciência e a empatia conosco e com aqueles à nossa volta ajudará a enfrentar a COVID-19 e a viver melhor. As pessoas podem estar passando por inúmeras situações. Por isso, é importante que façamos o nosso melhor para cuidar de nós mesmos e da nossa comunidade.

A atitude mais útil e eficaz que você pode ter é pôr em prática o distanciamento social e outras regras de prevenção definidas pelos governos local e federal. Fazer isso diminuirá o avanço da COVID-19 e reduzirá o impacto dela em todos os aspectos.

Para ajudar de outras formas, se possível, considere:

  • Fazer doações para organizações que estão arrecadando fundos para setores altamente impactados, como hospitalidade e serviço de alimentação.
  • Fazer doações para bancos de alimentos locais.
  • Compartilhar oportunidades de trabalho com as pessoas da sua rede de contatos que foram afetadas.
  • Conectar-se virtualmente com sua família e amigos através de chamadas de vídeo, discussões em grupo e outros fóruns online. Essas são formas de oferecer apoio um ao outro mesmo quando não é possível estar junto fisicamente.

Especialistas avaliam que 2020 não foi um ano perdido

Volta às aulas em formato presencial é um momento bastante aguardado pela população brasileira

Durante a pandemia causada pela Covid-19, em que as pessoas precisaram se recolher dentro de casa, um triste cenário se repetiu por todo o país: portões das escolas fechados e alunos distantes das salas de aulas. E não foi apenas uma cena para se gravar na memória, mas um fato que marcou profundamente a história do ensino no Brasil, com consequências que podem demorar alguns anos para serem revertidas.

Por isso, a volta às aulas em formato presencial é um momento bastante aguardado pela população brasileira. Há alguns meses, o Governo Federal, entidades de educação, secretárias estaduais e municipais debatem o assunto para definir a melhor forma de realizar essa retomada às aulas.

Um exemplo de medida adota em favor desse retorno, foi o investimento feito pelo Ministério da Educação para as escolas públicas por todo o país com um valor total de R$ 454 milhões para aquisição de materiais e insumos necessários para prevenir a transmissão da Covid-19 entre estudantes e profissionais da rede básica.

Para Cecilia Motta, que é secretária de Educação do Mato Grosso do Sul e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), ainda há muitos debates e ações a serem desempenhados para que a educação no Brasil possa se reestruturar, uma vez que a pandemia da Covid-19 alargou as desigualdades entre a qualidade de ensino e oportunidade entre os estudantes.

“A diversidade já existe, a pandemia só escancarou isso. Quem não teve tecnologia para estudar, na verdade é porque já não tinha antes mesmo, tinha menos condições. Quer dizer que a desigualdade social, que já existia, aumentou nesse momento. Mas eu gostaria de destacar o esforço dos professores, diretores e coordenadores que nos surpreenderam com sua criatividade e sua garra, fazendo com que o aluno perdesse o mínimo possível, fazendo com que os impactos [da pandemia] fossem o menor possível”, destacou Motta.

Mesmo considerando que os impactos da pandemia de Covid-19 no ensino brasileiro possam perdurar por alguns anos, a reinvenção na forma de ensinar fez com que 2020 não fosse um ano perdido para os mais de 36 milhões de alunos espalhados por quase 117 mil escolas pelo país. E é isso o que afirma o coordenador de projeto do Todos Pela Educação, Ivan Gontijo.

“A gente teve uma mobilização muito grande das secretarias [de educação], dos professores, dos diretores, dos estudantes para a educação não parar, para a gente conseguir migrar para o ensino remoto. Lógico, o ensino remoto não chegou para todo mundo, mas eu acho que a educação não parou. Então, eu não diria que esse foi um ano perdido, mas foi o ano mais difícil da história da educação básica. A questão é que dizer que não foi o ano perdido não significa a gente não reconhecer todos os impactos que esse ano teve”, afirmou Gontijo.

O Todos pela Educação é uma organização sem fins lucrativos suprapartidária e independente, composta por diversos setores da sociedade brasileira com o objetivo de assegurar o direito à educação básica de qualidade para todos os cidadãos até 2022 – ano que se comemora o bicentenário da independência do Brasil.

Já o Conselho Nacional de Secretários de Educação é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, que reúne as Secretarias de Educação dos Estados e do Distrito Federal. Seu objetivo é promover a integração das redes estaduais de educação e intensificar a participação dos estados nos processos decisórios das políticas nacionais, além de promover o regime de colaboração entre as unidades federativas para o desenvolvimento da escola pública.

Fonte: Brasil 61

Mudança na CLT propõe mesma regra do presencial e home office

De acordo com as regras atuais, a jornada de oito horas e o descanso mínimo de 11 horas entre duas jornadas não se aplicam ao trabalho remoto

Um Projeto de Lei apresentado na Câmara dos Deputados prevê que a jornada de trabalho no regime de home office atenda às mesmas normas do trabalho presencial, preconizadas pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). De acordo com as regras atuais, a jornada de oito horas e o descanso mínimo de 11 horas entre duas jornadas não se aplicam ao trabalho remoto. 

O PL 4831/20, que tem autoria do deputado João Daniel (PT/SE), também acrescenta novos dispositivos à legislação atual, como permitir as atividades durante o intervalo entre jornadas. Mas para isso será necessário um acordo entre o empregador e o empregado. As atividades seriam computadas como tempo de serviço, com garantia de hora-extra. 

Em outro ponto que alteraria o artigo 75-C da CLT, o texto propõe que a comunicação entre o trabalhador e o empregador por meio de quaisquer plataformas, programas, aplicativos ou redes sociais para tratar de trabalho e em horário fora da jornada, deverá, também, ser computada como tempo de serviço, com garantia de hora-extra. 

O deputado justificou a apresentação do projeto apontando “ampliação não apenas da intensidade de trabalho”, como “aumento da jornada informal”. Além disso, o parlamentar diz que “instrumentos particulares, como redes sociais e aplicativos de uso exclusivo pessoal viraram extensão do trabalho, sem respeito à privacidade, jornada ou garantias trabalhistas.”

Para o advogado trabalhista Fábio Ferraz dos Passos, o projeto traz algumas falhas. “Ele me parece um pouco inócuo e tem pouca serventia. A aplicação da limitação da jornada de trabalho conforme a presencial já é prevista na Constituição, que limita a jornada em oito horas de trabalho e que tudo o que passar esse limite deve ser compensado devidamente”, critica. 

Arte: Brasil 61

Custos

O projeto de lei também estabelece que os empregadores passam a ser responsáveis pela aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do trabalho remoto e pelo reembolso de despesas com as quais o funcionário arcou para trabalhar. De acordo com a CLT, a responsabilidade sobre os custos da infraestrutura necessária para o teletrabalho deve estar prevista em contrato de trabalho. 

Passos também acredita que a proposta poderia ser mais abrangente e que deixa de especificar pontos importantes, como a fiscalização. “Quem é que vai fiscalizar o ambiente de trabalho? O ambiente em que o teletrabalho é realizado é adequado, a cadeira é ergonômica, a mesa é interessante, a conexão é boa ou trabalha em péssimas condições? Tudo isso não foi abordado, infelizmente”, avalia.   

Luís Otávio Camargo Pinto, presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades, avalia que os custos com despesas por causa do teletrabalho para os funcionários são compensados, em parte, pela economia com o deslocamento casa-trabalho que era feito. No entanto, ele entende que as empresas devem buscar acordos para equilibrar essa relação.  

“Se o colaborador, tinha uma despesa isso passou a crescer com o home office, o bom senso pede que as empresas estabeleçam junto com seus funcionários, custeando parte desse acréscimo, seja na utilização do telefone, da banda larga ou conta de luz”, exemplifica. 

Benefícios

Para Camargo Pinto, este tipo de regime de trabalho veio para ficar definitivamente. A expectativa dele é de que o número de trabalhadores em home office no país salte para cerca de 20 milhões nos próximos anos. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), até a primeira semana de setembro, esse número era de 8,3 milhões. 

Ele acredita que além da economia do governo e das empresas privadas com a adoção do teletrabalho, há muitas outras vantagens para todos os envolvidos. “O teletrabalho é uma forma de atrair e reter talentos. Pesquisas também estão demonstrando a melhoria da produtividade. Outro benefício é a qualidade de vida, porque profissionais que antes demandavam até três horas [para se deslocar ao trabalho], esse benefício veio para ficar. E mais um benefício, para o meio ambiente, com menos carros nas ruas e menos emissão de CO2”, elenca. 

Uma pesquisa do DataSenado apontou que 41% dos entrevistados que trabalham em casa relataram maior produtividade do que no modelo laboral tradicional, de ida a um escritório, por exemplo. Outros 38% alegaram que o desempenho não se alterou, ante 19% que sentiram queda no rendimento. 

Economia

Um dos grandes pontos apontados pelos defensores do teletrabalho é a economia que isso gera aos cofres públicos e ao caixa das empresas. O Governo Federal, por exemplo, divulgou que, entre abril e setembro, economizou cerca de R$ 1 bilhão graças ao home office. A redução de custos mais significativa ocorreu com diárias, passagens e despesas com locomoção, cerca de R$ 471 milhões. 

Outro Executivo que publicou um balanço da economia com o teletrabalho foi o governo de Goiás. Ao todo, o estado conseguiu economizar mais de R$ 83 milhões com despesas de custeio entre abril e agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. 

Fonte: Brasil 61

Curso dedicado a embalagem para transporte e distribuição é oferecido no formato online

Serão dois dias de capacitação do Ital; vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, instituto é referência na área

Referência nacional em desenvolvimento e avaliação de sistemas de embalagem para transporte e distribuição, o Centro de Tecnologia de Embalagem (Cetea) do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, oferece capacitação na área pela primeira vez no formato online nesta semana, terça (22) e quarta-feira (23), ainda com vagas disponíveis.

“Pretendemos melhorar compreensão dos motivos que levam às perdas durante o transporte, mostrar as possibilidade de redução dessas perdas, controlar a qualidade dos materiais utilizados e otimizar custos, o que viabiliza maior competitividade”, destaca o coordenador técnico do evento, o pesquisador Maurício Bordin.

O curso Desenvolvimento de Embalagens para Transporte e Distribuição está na sexta edição, sendo oferecido a cada dois anos pelo Ital, com o objetivo de melhorar a aplicação de conceitos na execução do trabalho, não havendo capacitação similar no mercado.

“Buscamos aplicar os conceitos básicos de modo que qualquer profissional atuante na área de embalagem de transporte possa acompanhar, mas pessoas com formação técnica têm mais facilidade de compreensão, uma vez que são apresentados conceitos de Física”, esclarece Bordin, que também é instrutor ao lado dos pesquisadores Leandro Konatu e Tiago Dantas, atual diretor do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) do Ital.

A programação inclui os principais conceitos aplicados a projeto e avaliação de desempenho, correlação de fatores presentes nos ambientes de distribuição com a necessidade de proteção de cada produto, elaboração de planos de avaliação baseados em normas internacionais e ações necessárias para adequação de produtos para novos mercados e exportação, incluindo as tendências do e-commerce.

Sobre o Ital

Localizado em Campinas, no interior de São Paulo, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) realiza pesquisa, desenvolvimento, assistência tecnológica e difusão do conhecimento nas áreas de embalagem e de processamento, conservação e segurança de alimentos e bebidas.

Fundado em 1963, vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, o Ital possui unidades técnicas especializadas em carnes, produtos de panificação, cereais, chocolates, balas, confeitos, laticínios, frutas, hortaliças e embalagens, sendo certificado na ISO 9001 com parte dos ensaios acreditados na ISO/IEC 17025.

Por meio do Centro de Inovação em Proteína Vegetal, do Núcleo de Inovação Tecnológica e da Plataforma de Inovação Tecnológica, o Ital estimula alianças estratégicas para inovação e projetos de cooperação. Possui ainda Programa de Pós-Graduação aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Outras informações estão disponíveis no site http://www.ital.agricultura.sp.gov.br.

Fonte: Governo de SP

Planetários de todo o país terão exibição online terça-feira

Data marcará chegada da primavera

Planetários de todo o país se unirão, nesta terça-feira (22), em uma sessão virtual exclusiva que marcará a chegada da primavera. A transmissão será pelo Youtube e, após a exibição de vídeo editado especialmente para esta apresentação, astrônomos e especialistas responderão perguntas e explicarão o que acontece com o planeta Terra no chamado equinócio da primavera. 

“Quando você vai ao planetário, geralmente você vê [vídeos] sobre o céu da sua cidade. [Nessa sessão], vamos ver o céu do Brasil”, disse o presidente da Associação Brasileira de Planetários (ABP), José Roberto de Vasconcelos, em entrevista à Agência Brasil

A sessão começa às 10h, no horário de Brasília. A exibição dura 30 minutos, terminando exatamente no horário que marca o início da primavera, às 10h31. A conversa segue até as 11h. A exibição poderá ser acessada gratuitamente pela internet.

Planetários são espécies de cinema. Ao invés de observarem uma tela plana, os espectadores sentam-se em poltronas reclináveis, possibilitando que observem uma cúpula, onde são projetados conteúdos sobre astronomia e sobre ciência. Os vídeos são produzidos pelos próprios planetários. 

“É como se estivesse ao ar livre olhando para o céu. A função do planetário – embora ele possa apresentar vários tipos de conteúdos diferentes nessa tela em formato de domo – a principal finalidade é fazer um simulação do céu”, explicou Vasconcelos. 

Com mais de 100 planetários fixos e itinerantes, o Brasil é, de acordo com o presidente da ABP, o país com o maior número deles em todo o Hemisfério Sul.

Na América, fica atrás apenas dos Estados Unidos. Esses espaços, disse Vasconcelos, ajudam as pessoas a despertar o gosto pela ciência: “Vivemos em uma sociedade altamente dependente de ciência e tecnologia, mas que poucos entendem o fazer da ciência, como ela funciona. Então, o planetário tem esse papel importante”. 

Agência Brasil conversou com Vasconcelos sobre o equinócio de primavera, planetários, educação e a importância da ciência. Leia a seguir os principais trechos da entrevista: 

Agência Brasil: Por que foi escolhida a data 22 de setembro para esta exibição? 

José Roberto de Vasconcelos: A ideia surgiu porque os planetários, assim como os cinemas e outros espaços em que há aglomerações de pessoas, ficaram bastante afetados durante a pandemia, os planetários inclusive ainda permanecem fechados. Nós, que trabalhamos nesses ambientes, os chamados planetaristas, estávamos com uma saudade enorme de atender as pessoas, de mostrar nosso conteúdo. Nos planetários, a gente produz o nosso próprio conteúdo. São espaços voltados para a educação. Surgiu uma ideia de fazer algo virtual de planetário só para matar a saudade. Decidimos aproveitar que nesse mês de setembro tem o equinócio de primavera, dia 22, e, por meio da ABP, reunir planetaristas do Brasil todo. Quando você vai ao planetário, geralmente você vê [vídeos] sobre o céu da sua cidade. [Nessa sessão], vamos ver o céu do Brasil. Dependendo da região que você está, você vê uma constelação mais alta, outra mais baixa. 

Agência Brasil: Como será essa sessão?

Vasconcelos: Vamos tentar emular um pouco do que acontece dentro de um planetário. O planetário é um simulador do céu. Ele lembra uma sala de cinema, mas a projeção, ao invés de ser em uma tela plana, que fica na sua frente, acontece em uma cúpula, em um domo, que fica acima de você. Quando você vai a um planetário, você senta em uma poltrona reclinável e olha para cima. É como se estivesse ao ar livre olhando para o céu. A função do planetário, embora ele possa apresentar vários tipos de conteúdos diferentes nessa tela em formato de domo, a principal função dele é fazer uma simulação do céu. Então, constelações, planetas, viagens espaciais, essas são as especialidade do planetário. O que a gente vai fazer nesse dia 22 é uma simulação de planetário que vai acontecer no computador, no celular, no meio que a pessoa quiser assistir. Vamos falar sobre constelações, estações do ano, o que é o equinócio e o que é esse fenômeno que marca o início da primavera. E sobre os céus do Brasil. 

Agência Brasil: O que é o equinócio de primavera, esse fenômeno que vai acontecer às 10h31 do dia 22? 

Vasconcelos: Equinócio é um ponto da órbita do nosso planeta que marca o início de uma estação do ano. No ano, você tem quatro estações, que são mudanças climáticas que acontecem por conta da posição do nosso planeta em relação ao Sol. São quatro pontos de interesse nessa órbita, nessa trajetória que a Terra faz em torno do Sol. O que a gente chama de ano é uma volta completa da Terra em volta do Sol. E tem quatro pontos de interesse, são dois pontos chamados equinócios e dois solstícios, os do equinócio, marcam o início da primavera e do outono e os solstícios, do verão e do inverno.

Agência Brasil: Qual é a situação dos planetários no Brasil e de forma eles foram impactados pela pandemia do coronavírus?   

Vasconcelos: O que me incomoda é que a distribuição dos planetários é desigual. Ainda temos muito mais planetários nas regiões Sul e Sudeste que no Norte e Nordeste. Mas, somos uma comunidade numerosa, temos mais de 100 planetários no Brasil, entre unidade fixas e móveis. Esse número de planetários, mais de 100, faz com que a nossa comunidade planetária seja a segunda das Américas, só perde para os Estados Unidos, e seja a maior de todo o Hemisfério Sul. No Hemisfério Sul não tem uma quantidade de planetários em um único país tão grande quanto no Brasil. Em termos de número, eles estão bem e estavam abertos. Agora estão nessa pausa. Quem está sofrendo mais são os pequenos, os planetários móveis, porque muitas vezes são da iniciativa privada ou de uma associação. A parte dos planetários públicos, os federais, estaduais e municipais, eles estão em stand by. A grande maioria deles está ativa, no sentido de que, quando terminar essa pandemia, eles retornam, sim.

Agência Brasil: Esta semana tivemos uma notícia importante, a possível descoberta de vida em Vênus. Como isso foi visto pelos planetaristas?

Vasconcelos: Se a gente estivesse recebendo o público nesse momento, esse seria um assunto que todo planetarista ia conversar com os visitantes. Já estaria tudo preparado para mostrar a eles, estaríamos com sessão, com programa sobre o planeta Vênus. O planetário está sempre muito conectado [com a atualidade], em termos de ciência, de astronomia em particular, de ciência em geral, e com a importância que isso tem para a nossa sociedade. Vivemos em uma sociedade que é altamente dependente de ciência e tecnologia, como afirma o astrônomo Carl Sagan. Estamos conversando por celular, vamos fazer a live no computador, pela internet. A vacina que está sendo desenvolvida contra covid-19 é ciência, tudo isso é ciência. Mas, as pessoas não têm muito contato com a ciência. Vivemos em uma sociedade altamente dependente de ciência e tecnologia, mas que poucas pessoas entendem, compreendem o fazer da ciência, como ela funciona. Então, o planetário tem esse papel importante de fazer esse gancho, de resgatar, de dizer “olha como a sociedade precisa da ciência”.

Fonte: Agência Brasil

Bienal do Livro de São Paulo terá a primeira edição virtual

Por causa da pandemia, este ano promoção será de 7 a 13 de dezembro

A Bienal do Livro de São Paulo terá este ano a primeira edição virtual. Em junho, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) havia anunciado o cancelamento da 26ª edição do evento em 2020, previsto para outubro, por conta da pandemia do novo coronavírus. A previsão é que a feira física seja realizada em 2022. A versão virtual será este ano de 7 a 13 de dezembro em uma plataforma digital.

Com o tema Conectando Pessoas e Livros, a proposta é reunir leitores, escritores, parceiros, editores, distribuidores e livrarias em uma semana de discussões e negócios.

A plataforma vai oferecer palestras online e a possibilidade de comprar livros, além de interação entre os diversos atores do mercado editorial.

Segundo o presidente da CBL, Vitor Tavares, a expectativa é reunir 150 expositores e atrair mais de um milhão de visitantes para a plataforma. 

“Pela primeira vez, pessoas de todos os lugares do Brasil e do mundo poderão participar dessa grande festa, conhecendo as novidades, fazendo bons negócios e aproveitando as palestras que jamais estariam disponíveis de outra forma”, disse Tavares.

Serão promovidas, ainda, rodadas de negócios entre companhias brasileiras e empresas estrangeiras para discutir a situação atual do setor editorial no Brasil e no mundo.

Esses eventos serão exclusivos para as empresas apoiadas pelo Brazilian Publishers – projeto que apoia a internacionalização do conteúdo editorial brasileiro feito em parceria da CBL com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Fonte: Agência Brasil

Exposição: ‘Na Contramão dos Preconceitos Estéticos’ até 12/10

Selo Cultural 100 Rostos é lançado com exposição virtual

Secretaria da Cultura de Santo André é parceira na primeira mostra virtual produzida por Prila Maria e Ana Beatriz Ursinha

Após o sucesso da exposição 100 Rostos do Underground – mais de cem retratos pintados pela artista Prila Maria com o intuito de catalogar a cena da contracultura -, o projeto cresceu. Em parceria com a também escritora de rua, Ana Beatriz Ursinha, a 100 Rostos agora é um Selo Cultural. O projeto nasce com o intuito de promover os segmentos graffiti e escrita de rua, vertentes da Arte Urbana, buscando proporcionar as mesmas oportunidades nos espaços culturais.

Para comemorar a novidade, as artistas assinam a primeira produção conjunta: a mostra virtual “Na Contramão dos Preconceitos Estéticos”. A iniciativa contempla obras produzidas por TEDIO, SUKI, PIMENTA E RND que, pela primeira vez juntos, participam de uma exposição que coloca os holofotes na estética da escrita de rua e desnuda seus estigmas. São cinco artes de cada um dos convidados, além das narrativas contadas por eles sobre suas trajetórias no que tange a escrita de rua.

“A escrita de rua, como já diz no nome, dedica-se à construção estética da tipografia, prática que ainda caminha a passos lentos no diálogo em busca da compreensão perante o imaginário coletivo”, explicar Prila Maria.

A exposição é o primeiro projeto em formato virtual apresentado pela Casa da Palavra, adequando-se à proposta da “nova normalidade”. “Contar com o apoio da Casa da Palavra Mário Quintana e da Secretaria da Cultura de Santo André é algo muito importante. A cultura segue atravessando a pandemia com muita dificuldade e ainda em busca de caminhos que viabilize a fomentação da cultura brasileira por aparelhos públicos de modo geral”, explica Prila Maria.

Quem quiser vivenciar a experiência, poderá acessar o conteúdo na plataforma digital desenvolvida pela Secretaria de Cultura de Santo André para abrigar o projeto.

Artistas: PIMENTA, RND, SUKI e TÉDIO
Curadoria: Ana Beatriz Ursinha e Prila Maria
Produção: 100 rostos do underground
No ar de: 12/08 a 12/10

Acesse a exposição AQUI

Casa Brasileira participa da 14ª Primavera dos Museus

Com atividades virtuais, evento será realizado entre os dias 21 e 27 de setembro; Museu da Casa Brasileira participa da ação

O Museu da Casa Brasileira participa da 14ª edição da Primavera dos Museus com o tema “Mundo Digital: Museus em Transformação”. O evento, uma iniciativa do IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus), tem o objetivo de promover os museus brasileiros durante uma semana, em torno de atividades para todos os públicos. A programação especial, desta edição, acontece entre os dias 21 e 27 de setembro.

A primeira atividade do MCB será a roda de conversa virtual com Giancarlo Latorraca (diretor técnico do MCB) e Ana Heloísa Santiago (arquiteta e gerente do núcleo de mostras do MCB) sobre o tema ‘Expografias no MCB – design de exposições temporárias e de acervo’, no dia 23/09, quarta-feira, às 19h, com transmissão ao vivo pelo YouTube do Museu.

Além disso, o Educativo MCB promove no dia 26 (sábado), às 10h, a oficina online de desenho ‘Que Objeto é Esse?’ com o tema ‘fogão’. Ainda no fim de semana, domingo, o artista Rafa Castro realiza uma live, às 20h. O show reúne obras do seu CD mais recente ‘Teletransportar’ e clássicos da música popular brasileira (MPB). A apresentação será realizada diretamente do acervo do Museu da Casa Brasileira e o público poderá conferir pelo Instagram do músico.

serviço

Roda de conversa virtual | Expografias no MCB – Design de exposições temporárias e de acervo
Com Giancarlo Latorraca e Ana Heloísa Santiago
Data: 23 de setembro de 2020
Horário: A partir das 19h
Transmissão: Canal do Museu no Youtube

Oficina online de desenho | Que objeto é esse? – Fogão
Nessa oficina promovida pelo Educativo do MCB, há debate acerca de objetos e suas histórias e muita mão na massa. Afinal, aqui, a imaginação é livre e a criação do seu desenho também.
Data: 26 de setembro, sábado
Horário: Das 10h às 12h
Inscrições: site do MCB

MCB Recomenda | Live Rafa Castro
Apresentação do CD ‘Teletransportar’ e clássicos da MPB
Data: 27 de setembro, domingo
Horário: A partir das 20h
Transmissão: Instagram oficial de Rafa Castro (@rafacastrooficial)