Arquivo da categoria: Mobilidade

bilhete do idoso

Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos

A Justiça suspendeu a liminar que garantia a manutenção da gratuidade no transporte público para idosos com mais de 60 e menos de 65 anos na cidade de São Paulo. Porém, sindicato recorrerá por transporte grátis.

Segundo o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Geraldo Pinheiro Franco, a definição de tarifas de transporte é competência do Poder Executivo, e o Judiciário não deve interferir no assunto.

Na última quinta-feira, dia 7, o juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Luis Manuel Pires, concedeu uma liminar que foi derrubada agora, e que proibia cobrança.

A ação foi movida pelo Sindicato Nacional dos Aposentados e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas. O vice-presidente do Sindicato dos aposentados, Plínio Sarti, prometeu entrar com recurso.

Por enquanto, o que vale é que a partir do dia 1º de fevereiro, os idosos de até 65 anos voltam a pagar pelo transporte público na região metropolitana.

A estimativa da SPTrans é que cerca de 186 mil passageiros nessa faixa etária usem diariamente a gratuidade do transporte. É o caso do mecânico de manutenção aposentado Juarez Martelozo, Ele tem 63 anos e faz bicos como motorista para complementar a aposentadoria de 2 salários mínimos.

A gratuidade para idosos com mais de 65 anos está prevista na Constituição Federal e vale para todo o país. Mas a isenção da tarifa nos trens, metrô e ônibus da capital paulista para quem tem entre 60 e 64 anos foi autorizada pelo ex-prefeito Fernando Haddad, do PT, e estava em vigor desde 2014.

A decisão de suspender o benefício foi anunciada no final do ano passado pelo prefeito Bruno Covas e pelo governador João Doria, os dois do PSDB.

Já os prefeitos das sete cidades da região do ABC, na Grande São Paulo, decidiram nesta terça-feira que, por enquanto, vão manter a gratuidade no transporte municipal.

“Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos” é com informações de Agência Brasil

Gostou da matéria “Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Então, aproveite e leia mais sobre a Gratuidade do Bilhete do Idoso.

Sindicato recorrerá por transporte grátis para idosos de 60 anos
Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas
Maiores de 60 anos

Gratuidade para maiores de 60 em SP é mantida

A justiça paulista concedeu liminar, nesta quinta-feira (07), que determina a manutenção da gratuidade no transporte público no metrô, trens da CPTM e ônibus metropolitanos a maiores de 60 anos.

O governo do estado junto com a prefeitura de São Paulo determinou no final de 2020 o fim da gratuidade para idosos entre 60 a 65 anos com o argumento de que estavam acompanhando a revisão gradual das políticas para idosos. O fim da gratuidade a essa faixa etária se daria no início de fevereiro.

Mas o Sindicato Nacional dos Aposentados e outras entidades representativas entraram nesta quinta (07) com ação na justiça pedindo a revogação do decreto do governador João Dória.

O juiz Luis Manuel Fonseca Pires acatou o pedido das entidades, e na decisão afirmou que o decreto que extinguiu a gratuidade revogou dispositivos de uma lei estadual de 2013 que determinava a gratuidade para idosos acima de 60 anos, algo que não seria permitido por extrapolar a atribuição do poder legislativo, e que afrontava o princípio da separação dos poderes. A decisão ainda cabe recurso.

O sindicato nacional dos aposentados, afirmou que a decisão da justiça foi uma grande vitória aos idosos.

Já o governo do estado, em nota, afirmou que as legislações estaduais e federais foram consideradas na edição do decreto e que vai recorrer da decisão assim que for intimada pela justiça.

“Gratuidade para maiores de 60 em SP é mantida” é com informações de Agência Brasil

Gostou de “Gratuidade para maiores de 60 em SP é mantida“?

Então, assine nossa Newsletter. Não deixe de comentar logo abaixo também. Leia mais sobre Mobilidade.

Maiores de 60 anos
Foto: (Patrícia Cruz/Divulgação)

Ano começa com vários estados já cobrando o IPVA 2021

O ano mal começou e os boletos já estão chegando na residência de muitos brasileiros. Um deles é o IPVA 2021, um imposto obrigatório que deve ser pago por quem é proprietário de um veículo.

O valor depende do modelo do carro e do ano de fabricação e varia de cidade para cidade. Assim como o calendário de pagamento, que é definido pelos estados. Em Alagoas, por exemplo, começa já neste mês a cobrança.

IPVA 2021 nos estados

Baianos, maranhenses e sergipanos vão ter um tempo maior para fazer o pagamento do imposto: fevereiro. No Distrito Federal, o contribuinte poderá pagar a primeira, de três parcelas, em fevereiro.

Já em Mato Grosso, o primeiro boleto para os motoristas será em março. O governo do estado justificou o adiamento em razão da pandemia da covid-19.

Na Paraíba, o prazo é ainda maior. O calendário de pagamento vai até outubro, a depender do final da placa do veículo.

Alguns estados oferecem desconto para pagamento em cota única do IPVA, que pode variar de 3% a 15%.

“Ano começa com vários estados já cobrando o IPVA 2021” é com informações de Agência Brasil

Gostou da matéria?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Leia mais sobre Documentação de Carros.

IPVA 2021
Photo by STANLEY NGUMA on Pexels.com

Carros registrados a partir de agora terão documentação digital

DUT passa a se chamar ATPV-e e vale para carros registrados este ano

Os carros registrados a partir de agora terão todos os documentos em formato digital. Uma resolução do Contran, o Conselho Nacional de Trânsito, que entrou em vigor esta semana, tornou digital também o DUT, o Documento Único de Transferência. Esse é o documento usado na compra e venda de automóveis e serve para transferir a propriedade do veículo. Porém, o antigo DUT de papel segue valendo do mesmo jeito, e o novo formato digital, que passa a se chamar ATPV-e, Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo, será para os automóveis registrados a partir deste ano.  

O presidente do Departamento Nacional de Trânsito – o Denatran, Frederico Carneiro, explicou o procedimento para a transferência de propriedade do veículo com o documento digital.   

Após imprimir o documento, o proprietário do carro ainda precisa reconhecer a firma no cartório e efetivar a transferência no Detran. Ainda segundo o presidente do Denatran, a meta é que até julho de 2021 seja possível transferir a titularidade do veículo totalmente por meio digital.

O DUT foi o último documento de trânsito a ser digitalizado, pois já era possível obter o formato digital do Certificado de Registro do Veículo e do Licenciamento Anual. Além disso, a carteira de motorista também já tem a versão digital.

Documentação para carros registrados em 2021

Portanto, a partir de agora, nenhum órgão de trânsito deve mais usar o papel verde característico dos documentos de carro. Os motoristas podem ter acesso aos documentos digitais, após pagarem os tributos anuais, nos portais dos Detrans de cada estado ou do Distrito Federal ou por meio do aplicativo Carteira Digital de Trânsito.

Para não correr o risco de cair a bateria do celular bem na hora da fiscalização, é bom o motorista também imprimir o documento digital em casa e andar com ele no carro. O documento vem com um QR Code, um código, que comprova a autenticidade das informações.

“Carros registrados a partir de agora terão documentação digital” é com informações de Agência Brasil

Gostou da matéria?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido. Leia mais sobre Mobilidade.

Carros registrados
Photo by STANLEY NGUMA on Pexels.com

Mortes nas rodovias federais caíram 9% no feriado de Ano Novo

A virada do ano registrou uma queda do número de mortes e de acidentes graves nas rodovias federais.

Foram 67 mortes nas BRs – uma queda de 9% em relação ao feriado de ano novo de 2020 e de 26% comparado ao último Natal. Ao todo, foram 254 acidentes graves – uma redução de 11% em comparação com 2020.

Com a operação Ano Novo, realizada entre 30 de dezembro e 3 de janeiro, a Polícia Rodoviária Federal fiscalizou mais de 125 mil veículos e pessoas.

Mais de 3,3 mil testes do bafômetro foram aplicados, resultando em 479 motoristas autuados em flagrante dirigindo após consumir bebida alcoólica. O número é 65% menor do que o registrado no ano novo de 2020.

Cerca de 6 mil condutores também foram autuados ultrapassando em locais proibidos – um aumento de 17% em relação ao mesmo período anterior.

Além disso, a PRF flagrou 800 motociclistas que não utilizavam capacete – número 11% menor que no mesmo feriado do ano passado.

A Polícia Rodoviária Federal também realizou ações de educação para o trânsito, alcançando mais de 3 mil pessoas.

Com informações de Agência Brasil

Mortes nas rodovias federais

Gostou da matéria “Mortes nas rodovias federais caíram 9% no feriado de Ano Novo”?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que forem publicadas, ou como desejar. Para periodicidade, confira informações no email recebido.

Seguro DPVAT em 2021: Proprietários de veículos terão de pagar

De acordo com a Susep, existem excedentes de recursos cobrados em anos anteriores que são suficientes para pagar indenizações do seguro DPVAT em 2021

Foi aprovado pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) prêmio zero para o DPVAT em 2021. A decisão foi tomada em reunião extraordinária realizada nesta semana. Além disso, foi autorizada a contratação de novo operador pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), em caráter emergencial e temporário.

De acordo com a Susep, existem excedentes de recursos cobrados em anos anteriores que são suficientes para pagar indenizações em 2021. Por meio de nota, a Susep afirma que “está envidando os melhores esforços para viabilizar a contratação de pessoa jurídica, já na primeira semana de janeiro de 2021, com capacidade técnica e operacional para assumir o DPVAT.

Seguro DPVAT em 2021

O Seguro DPVAT foi criado pela Lei n° 6194/1974 e tem como objetivo o amparo às vítimas de acidentes de trânsito em todo o País, independentemente de quem seja a culpa dos acidentes.
 

Com informações de Brasil 61

Seguro DPVAT em 2021
Brasília – Acidente envolvendo seis carros na BR 020, sem vítimas fatais

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

bilhete do idoso

Até 31/01 será aceito o Bilhete do Idoso, para abaixo de 65 anos

O Bilhete Único Especial da Pessoa Idosa (conhecido como Bilhete do Idoso) será aceito pela SPTrans, até o final de janeiro. Esta confirmação vem após medidas extinguindo o benefício para a faixa etária, em comum acordo entre João Doria e Bruno Covas. A publicação se deu em 23 de dezembro.

No intuito de suspender a gratuidade nos transportes municipais para idosos, Bruno Covas revogou lei 15.912 de 2013. Portanto, esta determinava a isenção de pagamento da tarifa nas linhas urbanas de ônibus, para pessoas com idade igual ou maior que 60 anos.

Por outro lado, João Doria revogou decreto 15.187 de 2013, dispondo sobre a gratuidade destas pessoas nos demais meios de transporte. Por exemplo, Metrô, trens da CPTM e os ônibus intermunicipais (EMTU), da Grande São Paulo.

Bilhete do Idoso e informações da SPTrans

Andréa Compri, superintendente de Receita e Remuneração da SPTrans, divulgou esta informação na reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito.

bilhete do idoso
Foto: Oswaldo Corneti/ Fotos Públicas

Perguntada sobre a possibilidade de bloqueio do bilhete do idoso no dia primeiro de janeiro de 2021, Andréa afirmou: “não, ele não trava. Ele vai travar no final do mês de janeiro, depois de finalizar o período de transição, depois de ser feita toda a transição e todo o treinamento quanto à troca do bilhete”.

Estimativas para 2021

A reunião se deu por meio virtual. A previsão de redução em 5,8% no custo por passageiro de ônibus na capital paulista. Nesse sentido, com o fim da gratuidade para idosos entre 60 e 65 anos, segundo a SPTrans. Como resultado, o valor representa recuo de R$ 0,44.

Nesse sentido, a expectativa da prefeitura de São Paulo é reduzir gradualmente os subsídios para o transporte. Ao passo que alcançaram R$ 3,29 bilhões do início do ano até 21 de dezembro de 2021.

Assine nossa Newsletter, e receba em primeira mão as novas publicações, como esta sobre o Bilhete do Idoso.

IPVA 2021 São Paulo

IPVA 2021 São Paulo está liberado para consulta

O IPVA 2021 de São Paulo já pode ser consultado no site do Detran-SP, pelos proprietários de veículos. A Sefaz (Secretaria da Fazenda e Planejamento) anunciou na última quinta-feira (17) as alíquotas e o calendário de pagamento do IPVA.

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores de 2021 será 6,77% mais barato que o deste ano. A Sefaz estima arrecadação em torno de R$ 18,5 bilhões com o imposto.

Consultar Boleto IPVA SP 2021

Você deve consultar o boleto para o pagamento deve no site do Detran-SP. Dentro do portal de serviços do Departamento de Trânsito, você clicará em “Veículos”.

Os usuários serão direcionados para nova página. Nesta, deve clicar em “Débitos e restrições do seu veículo”.

Você pode usar as suas contas no Facebook ou Gmail para acessar. Outra realizar cadastro, com o CPF ou CNPJ. Caso você já tenha cadastro, digitará o CPF e a senha de acesso. Em seguida, será solicitado o número da placa e o Renavam.

Calendário IPVA 2021 São Paulo

O pagamento é conforme o final da placa e a categoria do veículo. Veja abaixo:

Automóveis, caminhonetes, ônibus, micro-ônibus, motos e similares:

Final da Placa1ª parcela ou cota única com desconto2ª parcela ou cota única sem desconto3ª parcela
107 de janeiro09 de fevereiro09 de março
208 de janeiro10 de fevereiro10 de março
311 de janeiro11 de fevereiro11 de março
412 de janeiro12 de fevereiro12 de março
513 de janeiro18 de fevereiro15 de março
614 de janeiro19 de fevereiro16 de março
715 de janeiro22 de fevereiro17 de março
818 de janeiro23 de fevereiro18 de março
919 de janeiro24 de fevereiro19 de março
020 de janeiro25 de fevereiro22 de março

Caminhões:

Final da PlacaCota única com descontoCota única sem desconto1ª parcela2ª parcela3ª parcela
108 de janeiro15 de abril10 de março15 de junho15 de setembro
207 de janeiro15 de abril09 de março15 de junho15 de setembro
311 de janeiro15 de abril11 de março15 de junho15 de setembro
412 de janeiro15 de abril12 de março15 de junho15 de setembro
513 de janeiro15 de abril15 de março15 de junho15 de setembro
614 de janeiro15 de abril16 de março15 de junho15 de setembro
715 de janeiro15 de abril17 de março15 de junho15 de setembro
818 de janeiro15 de abril18 de março15 de junho15 de setembro
919 de janeiro15 de abril19 de março15 de junho15 de setembro
020 de janeiro15 de abril22 de março15 de junho15 de setembro

Os condutores podem garantir desconto de 3%, pagando o IPVA em cota única no mês de janeiro.

Jornal Grande ABC

IPVA 2021 São Paulo

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 103 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Gostou de ler sobre IPVA 2021 de São Paulo? Então, deixe seu comentário logo abaixo.

duplicação da Estrada dos Alvarengas

SBC: concluída duplicação da Estrada dos Alvarengas

A duplicação da Estrada dos Alvarengas terminou a 3ª etapa. São 1,5 Km, da Avenida São Jorge, no Jardim Thelma, até a UPA Alvarenga; conclusão também contempla a estação de conexão, no cruzamento com a Estrada da Cama Patente

A prefeitura de São Bernardo do Campo concluiu a 3ª etapa da duplicação da Estrada dos Alvarengas e do corredor de ônibus. A conclusão também inclui a ECO Alvarenga, estação de conexão, localizada na intersecção com a Estrada da Cama Patente. O trecho da Avenida São Jorge, no Jardim Thelma, até a UPA Alvarenga, o somando 1,5 Km aos 2,8 Km entregues anteriormente, totalizando 4,3 Km. Ainda, o trecho acompanha 1,5 Km de ciclovia, dentro do projeto de interligação dos meios de transporte. Além disso, da criação de alternativas para o transporte individual.

“Mais uma obra que iniciamos e terminamos nesta gestão. Continuamos com um combo de melhorias, que traz o corredor, ciclovia e culmina com a duplicação da Estrada dos Alvarengas. A conclusão da obra vai beneficiar os usuários do transporte público, motoristas, transportadores de carga, além de facilitar o transporte individual por meio da bicicleta”, concluiu.

duplicação da Estrada dos Alvarengas

Intervenções para duplicação da Estrada dos Alvarengas

Para o prefeito, a duplicação da Estrada dos Alvarengas foi uma das intervenções mais difíceis feita pela sua gestão. “Tratava-se de uma das obras mais esperadas no Grande Alvarenga. Sua execução trouxe uma série de transtornos para os moradores. Além disso, a obra demandou uma série de desapropriações, mas conseguimos avançar e qualificar o sistema de transporte”, complementou.

Sendo assim, entre as intervenções executadas estão o alargamento da pista, o reforço do subsolo, a implantação de novas guias e sarjetas, pontos de parada, remoção de postes, implantação e remodelação da sinalização semafórica, ciclovia com iluminação em LED, paisagismo, entre outros serviços. Dessa forma, o investimento total da obra foi de cerca de R$ 70 milhões, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e contrapartida do município.

ESTAÇÃO CONEXÃO

A estação conexão, ECO Alvarenga, foi entregue juntamente com a duplicação e corredor de ônibus na Estrada dos Alvarengas. Portanto, o espaço está localizado na intersecção com a Estrada da Cama Patente, com início da operação assistida na primeira semana de janeiro. As linhas municipais que passarão pela ECO Alvarenga são: 05 (Jardim Laura/Paço), 05B (Parque dos Químicos/Paço), 11 (Orquídeas/Paço), 16 (Alvarenga/Rudge Ramos), 05A (Eldorado/Casa Fortaleza), 13 (Los Angeles/Terminal Alvarenga), 13B (Parque Imigrantes/Terminal Alvarenga), 39 (Jardim Represa/Tiradentes).

Então, haverá também atendimento das seguintes linhas intermunicipais: 004 (São Bernardo/Terminal Alvarenga – SP/Terminal Sacomã), 147 (São Caetano/Terminal Rodoviário – São Bernardo (João de Barro), 314 (São Bernardo/Jardim Las Palmas – SP (Terminal Tietê), 409 (São Bernardo/Jardim Las Palmas – Santo André/Terminal Metropolitano Oeste) e 431 (São Bernardo/Jardim Las Palmas – SP/Terminal Sacomã).

proposta surpreendente

Grupo apresenta proposta surpreendente para linhas 2 e 20

Ascendal Group propõe projeto de operação da Linha Verde e construção da Linha Rosa em concessão com duração de 35 anos. Governo deve analisar o projeto e servirá de base para futura licitação, de acordo com a proposta surpreendente.

O governo Doria recebeu no início do mês uma Manifestação de Interesse Privado (MIP) de um grupo estrangeiro interessado em assumir a concessão da Linha 2-Verde do Metrô e também viabilizar a construção e operação da Linha 20-Rosa, ainda em estudo. Segundo dados a que o site teve acesso, a proposta envolve a empresa britânica Ascendal Group, que atua no transporte de ônibus no Reino Unido, Chile e Singapura.

Uma MIP é uma espécie de primeiro passo para formalizar um futuro edital de concessão já que serve como estudo inicial que pode delinar a modelagem do projeto. A proposta do grupo britânico, que possui uma filial no Brasil aberta em 2018, no entanto, surpreende por envolver números superlativos. Vale ressaltar que esse tipo de proposta necessariamente não significa que a empresa é uma das potenciais candidatas a uma susposta licitação, mas pode vir a participar de algum consórcio caso a iniciativa dê fruto algum dia.

Proposta Supreendente, estatísticas elevadas

O desenho do projeto é no mínimo instigante ao propor a criação de uma operação gigantesca, capaz de transportar cerca de 3 milhões de passageiros por dia. Logo, algo como a soma das linhas 1 e 3 do Metrô, as mais movimentadas de São Paulo. As cifras relativas ao investimento beiram R$ 37 bilhões, dos quais apenas R$ 7,7 bilhões seriam oriundos do poder público (desapropriações e outros custos secundários).

A previsão de início da concessão sugerida é de 2022, o que faria com que todo o projeto durasse até 2047. O custo total de operação chegaria aos R$ 40 bilhões enquanto a receita tarifária anual seria de R$ 2,7 bilhões, além de R$ 533 milhões de receitas acessórias. Segundo esse estudo preliminar, o ente privado teria uma taxa interna de retorno (TIR) de 8%. Um dos pontos da proposta, no entanto, preocupa ao prever que após o fim da concessão não haveria transferência permanente dos investimentos para o poder concedente (estado).

Mapa do Metrô na região Metropolitana de São Paulo, atualmente.

Duas fases e quatro etapas na proposta surpreendente

O projeto apresentado pela empresa estima um contrato de concessão de 35 anos, tempo-limite imposto pela legislação federal. Desses, oito anos seriam referentes à Fase 1, que foi dividida em quatro etapas a saber:

1 – A concessionária assumiria a operação da Linha 2-Verde do Metrô no formato atual, sendo responsável também por adequar e modernizar as 14 estações, frota de trens e sistemas.

2 – Ela implantaria os sistemas (alimentação elétrica, sinalização e telecomunicações) e aquisição dos trens para a operação da extensão da Linha 2 entre Vila Prudente e Penha.

3 – Expansão da Linha 2 entre Vila Madalena e Cerro Corá e também entre Penha e Tiquatira, onde haverá a ligação com as linhas 12 e 13 da CPTM (incluindo a estação Penha de França).

4 – Implantação da primeira fase da Linha 20-Rosa entre Santa Marina (ligação com a Linha 6) e São Judas (Linha 1), com investimento total feito pela concessionária.

proposta surpreendente

O que diz a proposta surpreendente sobre a Linha 20 Rosa?

A chegada da Linha 20 até o ABC Paulista (Santo André) é citada como não prioritária, apenas um investimento potencial que incluiria nove estações. Não há qualquer menção à extensão da Linha 2 após Tiquatira. Nem mesmo a sua prometida chegada até Dutra (Guarulhos), embora esse trecho esteja contratado pelo Metrô, mas sem previsão.

A operadora privada teria então 27 anos para explorar os dois ramais metroviários além do potencial comercial das estações e seus arredores. O projeto seria uma concessão patrocinada com contraprestação (PPP) ou valor de outorga (concessão comum) anual de R$ 950 milhões.

Comente sobre a proposta surpreendente feita pelo grupo do Reino Unido.

[wpdiscuz-feedback id=”62p8i1kne2″ question=”Peça feedback” opened=”0″][/wpdiscuz-feedback]

Jornal Grande ABC

proposta surpreendente

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 103 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

Mobilidade Urbana: desafios

Mobilidade Urbana: desafios na gestão e uso de bicicletas nos municípios

O objetivo é compreender os desafios para poder regulamentar o Programa Bicicleta Brasil e da Mobilidade Urbana e seus desafios no país.

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) analisa os principais desafios dos gestores municipais quanto à regulamentação do Programa Bicicleta Brasil. A iniciativa estimula o uso de bicicletas no meio urbano, para melhorar as condições de mobilidade, além de prever um direcionamento de verbas para a infraestrutura.

Os congressistas aprovaram em 2018 a Lei do Programa Bicicleta Brasil (Lei 13.724/2018). Então, agora há um esforço do movimento municipalista e de diferentes organizações. Com a finalidade de que ela seja regulamentada junto ao Governo Federal. O Grupo Gestor da Estratégia Nacional da Bicicleta é responsável pela iniciativa. Este, liderado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e pela União dos Ciclistas do Brasil.

Mobilidade Urbana: desafios além das Ciclovias

O coordenador do Grupo de Trabalho de Políticas Públicas da União de Ciclistas do Brasil, Yuriê Baptista César, explica que a norma vai além da construção de ciclovias.

“A lei que criou o Programa Bicicleta Brasil inclui infraestrutura, campanha de educação, outras ações a serem realizadas e a parceria do governo com a sociedade civil e o setor produtivo, para promover o uso da bicicleta”.

Yuriê Baptista César afirma que é visível o aumento de ciclistas e a venda de bicicletas, por conta da pandemia e o fechamento de academias no período. Portanto, ele detalha o reflexo desse cenário nos municípios.

“Isso gera uma maior necessidade do poder público de responder a essa demanda que foi colocada. A gente fala muito, quando vai cobrar medidas para estimular o uso da bicicleta, que existe uma demanda reprimida muito grande de ciclistas, de pessoas que querem utilizar a bicicleta e que não utilizam porque não sentem segurança para usá-la”. 

Gustavo Carvalho, analista de sistema, conta que sempre usou a bicicleta desde a infância no interior da Bahia, principalmente para lazer. Como não tinha ciclovia, ele se locomovia em praças e entre os carros. Todavia, agora que mora na cidade de São Paulo, usufrui da segurança dos espaços destinados aos ciclistas.

“Eu amo andar de bike em São Paulo. São vários pontos turísticos que eu gosto de visitar, e grande parte do percurso tem ciclovia, é de fácil acesso. Alguns locais, mas são poucos, não tem. Claro, nesses eu me sinto inseguro de passar, em relação ao trânsito. Até pelo que a gente vê na mídia, de acidentes com ciclistas”, comenta. 

Mobilidade Urbana: desafios pelo país

Mobilidade Urbana desafios

Carleane da Silva Santos, de 32 anos, mora em Imperatriz/MA, e é consultora de negócios. Ela conta que pedala em média 3 ou 4 vezes por semana, para tratar um problema de asma.  Mas reclama da falta de espaços para pedalar com segurança, na cidade.

“É muito ruim, não tem ciclovia. A gente tem que dividir o espaço com os carros. E se torna muito arriscado, porque aqui tem muito acidente. Seria bacana se aqui pudesse ter ciclovia, para termos um pedal mais seguro, tranquilo, menos perigoso”. 

Ela conta que no pouco espaço que tem ciclovias, as pessoas não utilizam corretamente. “Falta incentivo para que essas pessoas tenham uma educação no trânsito, para usar a ciclovia de uma forma correta”, completa.

Mobilidade Urbana: desafiosFoto Carleane da Silva Santos

Dessa maneira, as ações implementadas pelas entidades estaduais e municipais devem priorizar o estímulo ao desenvolvimento de projetos de infraestrutura cicloviárias. Por exemplo, a construção de bicicletários em terminas do transporte público coletivo, instalação de paraciclos e estacionamentos específicos nos locais de grande fluxo de pessoas. Além disso, de equipamentos de apoio aos usuários – como banheiros e bebedouros –, sistema de locação de bicicletas a baixo custo em locais estratégicos. Por fim, a elaboração e divulgação de campanha que estimulem o uso seguro da bicicleta.

Mobilidade Urbana: desafiosArte - BRASIL 61

Incentivos

O coordenador do Grupo de Trabalho de Políticas Públicas da União de Ciclistas do Brasil, Yuriê Baptista César, também fala sobre o como o incentivo ao uso de bicicletas promove benefícios para o meio urbano.

“Além de ser um meio de transporte eficiente, é um meio de transporte que promove benefícios para quem pedala, em termos de saúde. Promove benefícios para a cidade, porque quanto mais gente pedalando, menos gente vai andar de carro, menos poluição será emitida, menos gastos com saúde pública vão acontecer decorrentes da poluição e dos acidentes”, destaca.

A pesquisa quanto aos desafios da regulamentação do Programa Brasil Bicicleta deve ser realizada pelos próximos 80 dias. Então, o questionário será aplicado tanto na área da gestão, quanto para os usuários de bicicletas. Entre as perguntas, os gestores devem responder se o município conta, por exemplo: com algum órgão de trânsito, se tem um planejamento que contemple a bicicleta, quais são os desafios para implementar o programa, se precisa de apoio técnico e financeiro, entre outros.

A analista de mobilidade da CNM, Luma Costa, detalha o objetivo da pesquisa.

“Identificar quais são os desafios da área de gestão dos municípios. Queremos compreender esses desafios para regulamentação e direcionamento dos recursos desse programa. Ainda há que se decidir como vai ser esse fluxo de transferência de recurso. Para isso, é preciso ver quais são os municípios que mais precisam”. 
Ela destaca a importância do Programa para os municípios de pequeno e médio porte.

“A CNM entende que para os municípios de pequeno e médio porte, é uma política muito importante. Muitos deles não tem transporte público. Então, o incentivo desses outros modais, é primordial”, ressalta.

Os novos gestores devem responder nova pesquisa no ano que vem, afirma Luma Costa. Como resultado, se ter um comparativo com o ano de 2020. 

O estudo tem o apoio da Confederação Nacional dos Municípios, juntamente com a União dos Ciclistas do Brasil, WRI Brasil, Ministério do Desenvolvimento Regional, Frente Nacional de Prefeitos, Abraciclo, Abradibi, Aliança Bike e Tembici.

Fonte: Brasil 61

QR Code no Metrô e CPTM

QR Code no Metrô e CPTM

Passageiros de transporte sobre trilhos poderão adquirir o Bilhete Digital QR Code (Metrô e CPTM) por meio de aplicativo de celular e máquinas de autoatendimento nas estações

O Governo do Estado de São Paulo lançou nesta sexta-feira o TOP, novo Bilhete Digital QR Code para embarque nas estações da CPTM e do Metrô. A novidade, que já passava por um teste piloto em algumas estações desde o ano passado, chega para substituir, a médio prazo, o bilhete unitário tradicional (conhecido como Edmonson). Desta forma, trazendo mais rapidez e comodidade para quem utiliza o transporte sobre trilhos. A cerimônia de lançamento, na Estação da Luz, contou com a presença do Governador João Doria e do Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

O novo Bilhete Digital QR Code tem o mesmo valor que o anterior, R﹩ 4,40 por passagem. Além disso, conta com a praticidade de poder ser comprado e utilizado direto pelo celular, por meio do aplicativo TOP, disponível para celulares Android e IOS. “Essa é a modernidade. Um sistema digital é um sistema mais rápido, mais eficiente, de menor custo e que também impede a fraude. Coloca o Estado dentro do patamar das principais regiões do mundo. Sobretudo na Ásia, onde o sistema já é utilizado para facilitar o ingresso às estações de transporte”, afirmou Doria.

Como usar o QR Code no Metrô e CPTM

O uso do QR Code em versão mobile para pagamento de tarifas torna-se um aliado para uma mobilidade mais segura, sem contato físico ou manuseio de dinheiro, uma vez que o pagamento é feito por cartão de débito ou crédito. Pelo aplicativo TOP, o cliente pode adquirir, diariamente, até 10 bilhetes que ficam disponíveis no app para quando ele precisar usar, sem prazo para expirar.”Essa tecnologia visa facilitar a vida dos cidadãos no dia a dia. Esse meio é usado para substituir ao bilhete físico usado atualmente e complementa os demais bilhetes”, disse o secretário Alexandre Baldy.

Além do aplicativo TOP, o passageiro também poderá comprar o Bilhete Digital QR Code nas máquinas de autoatendimento (ATM). Estas, localizadas dentro das estações, com cartão de débito, e, muito em breve, em estabelecimentos comerciais parceiros. O bilhete é então impresso para que a pessoa use nas catracas. Mesmo sem ter uma data de validade, no caso do Bilhete Digital QR Code impresso, a recomendação é de que ele seja utilizado em até 72 horas após a emissão para evitar que a impressão do código sofra danos. Para garantir o melhor uso na sua versão em impressa, também é recomendado que não o amasse, dobre, rasgue ou molhe. Inclusive com álcool em gel, para evitar que o QR Code seja inutilizado, e que, após o uso, o papel seja descartado na lixeira mais próxima.

Onde encontrar?

Os Bilhetes Digitais QR Code poderão ser utilizados nas catracas sinalizadas e preparadas com a tecnologia, impresso ou digital direto da tela do celular. Basta aproximar o código do leitor indicado. Neste período de transição, haverá a presença de profissionais identificados nas estações para auxiliar os usuários no uso das máquinas ATMs e oferecer suporte nos leitores instalados nas catracas. Os clientes do TOP também contarão com atendimento por WhatsApp, pelo telefone (11) 3888-2200, 24 horas por dia, todos os dias da semana.

QR Code, sigla para Quick Response Code (Código de Resposta Rápida) é uma tendência nos meios de pagamento e a implantação dessa tecnologia significa um passo inovador para o transporte coletivo, pois, além de melhorar a experiência do usuário, proporciona mais controle e gestão de dados. Outra vantagem é a redução de custos operacionais, facilitando a logística, distribuição e armazenamento dos bilhetes unitários.

Para mais informações sobre o TOP: http://www.boradetop.com.br

Redes:

Facebook:http://www.facebook.com/boradetop

Instagram:http://www.instagram.com/boradetop/

Twitter:http://twitter.com/boradetop

Lojas de apps:

Google Play:http://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.autopass.top

Apple Store:http://apps.apple.com/app/id1542664234

Plantão STM: (11) 97150-4932

Operação Verão Seguro

Operação Verão Seguro: RP inicia ações 2020/2021

Operação Verão Seguro: Defesa Civil mobiliza a sociedade civil e membros do Poder Público com ações de prevenção durante o período de fortes chuvas

A Defesa Civil de Ribeirão Pires iniciou nesta terça-feira, dia 1, a Operação Verão Seguro (OVS) com objetivo de prevenir e reduzir os danos causados durante o período de chuvas fortes – previstos entre dezembro 2020 e abril de 2021.

Conjunto de ações preventivas e procedimentos emergenciais são estabelecidos na Operação. O Poder Público Municipal e a comunidade deverão adotar tais ações. Portanto, promovendo a organização e preparação de órgãos públicos para o gerenciamento de emergência e situações de perigo aos cidadãos durante os meses com maior intensidade de chuvas.

Com o objetivo de ampliar o entendimento da população sobre as ações de segurança durante o período, as redes sociais oficiais da Prefeitura compartilharão conteúdo de conscientização. Além disso, a prefeitura realizará vistorias e orientações nas áreas de maior atenção.

As atividades preventivas já começaram. Na última semana, por exemplo, a galeria pluvial localizada na região Central da cidade recebeu limpeza preventiva. Além da limpeza e desassoreamento do Ribeirão Grande. Da mesma forma, a Avenida Prefeito Valdírio Prisco, córregos na Quarta Divisão, Estrada da Cooperativa e em Ouro Fino, também foram ações já realizadas pela Prefeitura.

Orientações da Defesa Civil – Operação Verão Seguro

Com a previsão de chuvas fortes, as indicações feitas pela Defesa Civil são:

– Não jogue lixos e entulhos nas ruas e beiras de rios;

– Verifique calhas e telhas quebradas;

– Fique atento ao surgimento de goteiras, estufamentos e trincas em paredes, terrenos e muros;

– Fique atento a árvores, muros e postes inclinados; estalos ou aumento de trincas em pedras; águas mais barrentas.

Ao verificar algum destes sinais, saia imediatamente do local e acione a Defesa Civil.

– Em caso de emergência, acione a Defesa Civil Municipal. Telefones 199 ou 4825-1830.

Operação Verão Seguro
Defesa Civil inspecionando bueiro em Ribeirão Pires. Foto: Divulgação

Operação Fim de Ano

Operação Fim de Ano já está em vigor em Santo André

O Departamento de Engenharia de Tráfego (DET) de Santo André iniciou nesta sexta-feira (27) a Operação Fim de Ano, visando melhorar as condições de circulação para veículos e pedestres em toda a região central nas semanas que antecedem o Natal. A ação, que contará com o monitoramento por agentes de trânsito e câmeras, reprogramação semafórica e reforço da sinalização horizontal e vertical, seguirá até o dia 24 de dezembro, de segunda a sábado, das 7h às 20h.

A Central de Monitoramento de Tráfego (CMT) do DET, localizada no Centro de Operações Integradas (COI), da Prefeitura, vai gerar as imagens dos principais pontos da região central e contará com a atuação de agentes de trânsito que vão realizar ação especial de orientação e organização do tráfego nos trechos de maior movimento. A área de abrangência da Operação Fim de Ano inclui as avenidas Queirós dos Santos e Quinze de Novembro, Santos Dumont, José Caballero e as ruas Itambé, General Glicério, Figueiras e Cel. Alfredo Flaquer.

Os agentes do DET serão destacados para atuar ainda em pontos fixos, no cruzamento da avenida Bernardino de Campos com General Glicério e com as ruas Dr. Carlos de Campos e Campos Sales. A avenida Quinze de Novembro será monitorada também no cruzamento com a rua General Glicério e na baia de embarque e desembarque da rua Itambé, em frente à estação da CPTM Prefeito Celso Daniel.

Os agentes também farão monitoramento de rotas fixas com motos percorrendo as áreas de abrangência da região central e que compreende ainda as ruas Itambé, Cel. Oliveira Lima, General Glicério, Bernardino de Campos, Monte Casseros, Álvares de Azevedo, e as avenidas Queirós dos Santos e Ramiro Colleoni. Outras regiões comerciais com demanda de vistoria serão contempladas, como as áreas comercias da Vila Luzita, do bairro Santa Terezinha, na rua Carijós, avenida Martim Francisco, no entorno dos shoppings, no Parque das Nações e na Vila Pires.

O Departamento de Engenharia de Tráfego disponibiliza um telefone para que os motoristas solicitem e informem sobre a necessidade de apoio pelo 0800-7703194. Além do destacamento dos agentes de trânsito do DET, bem como o monitoramento por câmeras da CMT, serão feitas adequações na sinalização horizontal e vertical, reprogramação semafórica para otimização dos tempos de verde, de acordo com o aumento de demanda do período.

Essa medida será executada na avenida Quinze de Novembro com a rua General Glicério e avenida Portugal com a avenida José Caballero, além da rua Prefeito Justino Paixão com a rua Dona Elisa Flaquer e rua Delfim Moreira.

Para garantir a fluidez no tráfego e não permitir o represamento de veículos, o DET fará ainda a restrição do estacionamento no lado direto na rua Monte Casseros aos sábados, e nas ruas Presidente Carlos de Campos e Campos Sales, entre a avenida Quinze de Novembro e o calçadão da rua Coronel Oliveira Lima.

Acidentes nas rodovias paulistas

Acidentes nas rodovias paulistas: Em 2020 já registraram mais de 28 mil

De cada dez acidentes com mortes ocorridos de janeiro a outubro de 2020 nas rodovias que compõem o Sistema Anhanguera-Bandeirantes, quatro envolveram motociclistas. De acordo com a concessionária CCR AutoBan, as motocicletas representam apenas 2,5% do total de veículos que circulam pelas autopistas do complexo. Acidentes nas rodovias paulistas

A Rodovia Anhanguera liga a capital paulista ao norte do estado. A Rodovia Bandeirantes, por sua vez, conecta a capital a importantes municípios de São Paulo, como Campinas.

Segundo o gestor de Atendimento da CCR AutoBan, Fabiano Adami, a concessionária procura organizar campanhas para orientar os motociclistas sobre segurança no trânsito. Uma das instruções de prevenção de acidentes é evitar trafegar pelos corredores que se formam entre os automóveis.

De acordo com levantamento do InfosigaSP, banco de dados que reúne informações da Polícia Civil, da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal, as rodovias paulistas concentraram 20,1% dos acidentes com vítimas. No total, em 2020, ocorreram mais de 28,7 mil acidentes entre Janeiro e Outubro.

Fonte: Agência Brasil

Programa Motofretista Seguro

Motofretista Seguro destaca como evitar acidentes no trânsito

Rede de proteção lista procedimentos para uma direção segura em vias públicas

Lançado pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio do Detran.SP, o Programa Motofretista Seguro tem entre seus objetivos capacitar os motociclistas participantes e criar uma rede de proteção.

Veja abaixo seis dicas valiosas do programa que reforçam os cuidados necessários para evitar acidentes no trânsito:

  1. Capacitação e formação: a partir de janeiro, o condutor que se inscrever no programa participará de um curso com 30 horas de duração – sendo 25 horas teóricas e cinco práticas. O curso é gratuito e de forma EAD. As aulas tratam de temas como segurança, ética, disciplina e legislação.
  2. Utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs): fundamentais para minimizar danos e acidentes, os EPIs exigidos por lei são: colete refletivo, antena “corta-pipa”, protetor de motor e pernas, baú com identificação e faixa refletiva, e capacete. Os motociclistas participantes do programa contam com benefícios para aquisição desses itens.
  3. Manutenção do veículo: Cuidar da moto, além de uma questão de segurança, é fundamental para melhorar a produtividade durante o trabalho. O ideal é que o condutor realize a manutenção periodicamente. Os participantes do programa contam com parcerias com oficinas mecânicas.
  4. Respeitar a sinalização: antes demudar de faixa não basta usar a seta, é importante executar a manobra de forma gradual e segura sem colocar a vida do condutor e das pessoas a sua volta em risco.
  5. Atenção com o ponto cego: é preciso ter atenção a um detalhe que passa despercebido por muitos motofretistas quando estão no trânsito: o ponto cego. Na pressa de chegar mais cedo ao trabalho ou realizar uma entrega, muitos podem ignorar esse aspecto e provocar acidentes..
  6. Ter paciência: é primordial para aqueles que trabalham diariamente nas ruas e enfrentam o trânsito na cidade. Por isso, vale lembrar de não revidar a provocações, sempre aceitar desculpas e nunca sair em cima da hora para os seus compromissos.

Como funciona o Motofretista Seguro

O Programa Motofretista Seguro é uma iniciativa pioneira e oferece a oportunidade de regularização da documentação necessária para o exercício mais seguro da profissão, possibilita crédito, facilidades de financiamento e formação para os motofretistas, investindo na construção de uma rede de proteção para a categoria.

O objetivo da ação é atender tanto os profissionais que necessitam adequar a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para o exercício da atividade, com a regularização de documentos, realização do curso de formação e atualização, oportunidade de práticas de aperfeiçoamento, como auxiliar com linhas de crédito especiais àqueles que precisam renovar seu veículo ou adquirir novos equipamentos de segurança.

Capitaneada pelo Detran.SP, a ação cria as condições para a regularização da habilitação e do veículo, além de uma formação adequada para os profissionais, permitindo que prestem serviços de maneira mais segura. O Programa conta com recursos públicos oriundos da arrecadação de multas e a ação tem o apoio de parceiros, como SindimotoSP, SEDERSP, Banco do Povo Paulista e Sindicato das Autoescolas (CFC).

são bernardo do campo

São Bernardo do Campo testa sistema semafórico solar

Equipamento foi instalado no cruzamento das Avenidas Lions e Lauro Gomes sem custos ao município; administração já registrou furto de 2 quilômetros de material desde 2018

Na tentativa de solucionar problema comum às grandes cidades, o furto de cabos de energia que alimentam os semáforos, a Prefeitura de São Bernardo testa tecnologia inédita no Grande ABC. Trata-se de sistema semafórico movido à energia solar, que permite eliminar os fios, alvo dos criminosos devido ao cobre presente em sua composição, e, dessa forma garantir autonomia dos equipamentos por até 72 horas, com controle via celular.

O sistema pioneiro foi instalado no cruzamento das Avenidas Lions e Lauro Gomes, na Vila Vivaldi, um dos pontos mais afetados pelo furto de cabos de energia na cidade. A expectativa é a de que a ferramenta funcione em caráter experimental durante 60 dias. A alternativa é fruto de parceria com a empresa Trânsito Certo, sem custos aos cofres municipais.

O prefeito Orlando Morando destaca que o objetivo da medida é fazer uso da tecnologia como aliada no monitoramento do trânsito ao mesmo tempo em que visa coibir a criminalidade. “Estamos atentos às necessidades do município e trabalhando incansavelmente para garantir a segurança da nossa população. Parcerias com a iniciativa privada, ainda mais quando não geram custos à administração, são fundamentais para o avanço da cidade”, diz o chefe do Executivo.

Levantamento feito pela administração do prefeito Orlando Morando mostra que, desde maio de 2018, foram furtados cerca de 2 quilômetros de cabos de energia usados para o abastecimento de semáforos no município, um prejuízo de mais de R$ 1,5 milhão à Prefeitura.

Além do cruzamento das Avenidas Lions e Lauro Gomes, a Rua dos Vianas e a Rua Luiz Pequini estão entre as áreas mais vulneráveis para a prática criminosa no município. Os fios e cabos são visados pelo crime devido ao cobre presente em seu interior, que pode ser revendido em pontos ilegais.

O sistema semafórico solar fixo tem como características a autonomia do sistema por até 72 horas, o que permite com que os faróis permaneçam acesos mesmo em casos de queda de energia; tempo de recarga de até 24 horas; controlador de quatro fases; operação em modo manual ou automático; comunicação entre grupos sem fio, além de ser uma energia mais sustentável.

mobilidade urbana são paulo

Consórcio ABC recebe 76ª Reunião do Fórum Paulista de Mobilidade

Evento será realizado de forma virtual em 25 de novembro e terá o Consórcio ABC como anfitrião

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC será o anfitrião da 76ª Reunião do Fórum Paulista de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade, marcada para 25 de novembro. O evento será realizado por meio de videoconferência e vai reunir secretários municipais, técnicos e especialistas, além de empresas privadas do setor.

O encontro é organizado pela secretaria executiva do Fórum Paulista e pela Organizadora de Eventos para Mobilidade Urbana, tendo o Consórcio ABC como parceiro na realização e apoio da Secretaria Estadual de Logística e Transporte.

A reunião terá como pauta a apresentação do processo “Modelagem de informação da construção”. Trata-se de uma tecnologia 3D inteligente, baseada em um modelo que equipa os profissionais de arquitetura, engenharia e construção com informações e ferramentas para planejar, projetar, construir e gerenciar edificações e infraestrutura. A iniciativa permite mais eficiência e otimização de recursos financeiros.

As inscrições são gratuitas. Clique aqui para se inscrever.

mobilidade transporte público eleições

Guia de transporte público deve orientar eleitos deste ano

Objetivo da publicação é oferecer diretrizes para a implementação de melhorias do setor

Entidades de transporte público, ONGs, especialistas e empresas privadas divulgaram uma publicação para orientar os políticos eleitos nas eleições municipais deste ano com ações referentes ao setor. O documento possui propostas ligadas ao transporte coletivo e foi dividido em oito temas, tais como: transparência, infraestrutura, financiamento, ações emergenciais, entre outros. 

O guia intitulado “Como ter um transporte público eficiente, barato e com qualidade na sua cidade”, já está disponível na internet aos postulantes no pleito deste ano. Segundo os autores da publicação, as sugestões contidas no documento podem ser implementadas entre 2021 a 2024, período do mandato dos políticos eleitos neste ano.

Rodrigo Tortoriello, presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, uma das entidades signatárias do documento, e secretário extraordinário de Mobilidade Urbana de Porto Alegre, afirma que um dos objetivos do guia é fornecer aos gestores públicos propostas de fácil implementação. 

“Melhorar o transporte público não necessariamente exige grandes somas de dinheiro. O próprio guia mostra isso, expondo medidas que podem ser implementadas rapidamente e de baixo custo e que trazem resultados positivos à sociedade”, explica. 

O principal direcionamento do guia refere-se a ações de melhoria dos ônibus urbanos, que respondem a 85,7% dos deslocamentos de pessoas em transporte público nos municípios brasileiros.  O documento aponta soluções para a falta de recursos e linhas de crédito que impedem ou retardam as melhorias na infraestrutura urbana.

A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) também contribuiu com as propostas. Otávio Cunha, presidente-executivo da entidade, afirma que um dos entraves para a melhoria do setor é a forma de seu financiamento, que é sustentado pelos passageiros. De acordo com ele, uma das soluções para o problema seria toda a população pagar tarifas públicas de transporte, independente de usá-lo ou não, seguindo exemplos de países mais ricos. 

“No Brasil, apenas o passageiro sustenta o serviço. O transporte de qualidade tem custo elevado. Essa tarifa que a população acha que está cara, possui um valor elevado para quem paga e insuficiente para a prestação de um serviço de boa qualidade.”

Pandemia

Os impactos financeiros no setor por conta da pandemia do novo coronavírus também estão presentes na publicação. Os autores alegam que as medidas implementadas em várias cidades foram cruciais para minimizar os efeitos da doença e que, em alguns municípios, ações econômicas ainda serão necessárias em 2021.

Fonte: Brasil 61

metro campanha reciclagem bateria

Metrô envia para a reciclagem 9 toneladas de baterias alcalinas

Companhia do Metropolitano encaminhou para a reciclagem em 2020 (até setembro) nove toneladas de baterias alcalinas, meia tonelada de pilhas e baterias portáteis e 256 pneus.

Todos esses itens inservíveis são encaminhados para os respectivos fornecedores e destinados para reaproveitamento ou descarte de forma que não prejudiquem a natureza.

As ações de logística reversa são firmadas em contrato e constam do Sistema de Gestão Ambiental do Metrô, que é certificado com a ISO 14001 pela adoção de políticas comprometidas com a preservação do meio-ambiente.

Jornal Grande ABC

COMUNICAÇÃO: Existem formas de falar

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 103 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

dutra nova concessão antt

ANTT aprova estudos para nova concessão da Dutra

Projeto vai injetar R$ 14,5 bilhões em investimento e também contempla a concessão de trecho da BR-101

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou o projeto da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) para a nova concessão da rodovia Presidente Dutra, que liga as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A proposta vai injetar R$ 14,5 bilhões em investimento e também contempla a concessão de um trecho da BR-101, entre os municípios do Rio de Janeiro, no bairro de Campo Grande, e Ubatuba (SP).

Os estudos seguem para o Ministério da Infraestrutura, que irá submeter os documentos de licitação ao Tribunal de Contas da União (TCU). A aprovação do TCU é a última etapa antes da publicação do edital de concessão. O governo federal estima que o leilão seja feito dentro dos seis primeiros meses do ano que vem. O novo operador administrará os trechos pelos próximos 30 anos. 

Pela BR-116 e BR-101, circulam milhões de veículos diariamente. As rodovias fazem parte da rota em direção aos principais pontos de distribuição de bens e mercadorias, como o porto de Santos, aeroporto de Guarulhos, as regiões Sul, Nordeste e Centro-Oeste.

Fonte: Brasil 61

onibus pandemia sao bernardo

Ônibus de SBC serão desinfetados com novo sistema de nebulização

Segundo empresa, trabalho é feito na higienização noturna e efeito tem duração de 72 horas

ADAMO BAZANI

A empresa BR7 Mobilidade, que opera todas as linhas municipais de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, informou nesta sexta-feira, 09 de outubro de 2020, que adotou recentemente um novo sistema de nebulização para desinfetar os ônibus.

Os trabalhos são realizados na limpeza noturna, quando os veículos já estão recolhidos na garagem, e consiste na aplicação de um produto químico, semelhante aos usados nos hospitais, que pode neutralizar por 72 horas a ação de micro-organismos, entre os quais o novo coronavírus, causador da Covid-19.

O diretor técnico da Energis 8 Soluções em Higiene Profissional, empresa que fez uma parceria com a BR7 Mobilidade, Felipe Oliveiros, diz que com o produto, mesmo que uma pessoa infectada encoste nas superfícies internas do ônibus, como os apoiadores de mãos, o risco de contágio é reduzido.

“Caso alguém esteja contaminado pelo coronavírus ou por qualquer outro tipo de doença e entre em contato com as superfícies nas quais o produto foi aplicado, esta pessoa não irá transmitir qualquer tipo de vírus, bactérias ou fungos para o local”, garantiu por meio de nota.

O desinfetante é o Nippo-Bac Plus que, segundo a fabricante Nippon Chemical, possui três princípios ativos que, associados, impedem que as superfícies sejam contaminadas pelo novo coronavírus, além de outras bactérias e fungos.

Na mesma nota, a diretora executiva da BR7 Mobilidade, Milena Braga Romano, disse que desde o início da pandemia, outras ações estão sendo tomadas pela empresa para aumentar a segurança sanitária nos ônibus.

Nossa prioridade é que os passageiros se sintam seguros e, para isso, precisamos garantir que o transporte público não seja um fator de risco. Desde o início da pandemia, empregamos diversas ações e cuidados por meio de um protocolo de segurança, que segue todas as recomendações dos principais órgãos de saúde internacionais” , afirmou.

Entre as medidas informadas pela empresa na nota estão a demarcação do distanciamento de 1,5 m com adesivos no chão dos terminais e a abertura de todas as janelas antes do início das viagens é outro item muito importante do protocolo, uma vez que proporciona maior circulação de ar dentro dos veículos.

“Quando o ônibus está em movimento, a renovação do ar supera em mais de 60% os índices mínimos estabelecidos por normas, tornando-se menos arriscado que outros ambientes”, afirmou Milena Braga Romano na nota.

Os motoristas receberam máscaras e álcool em gel e a temperatura dos funcionários é medida diariamente.

A empresa também disse estimular o uso da bilhetagem eletrônica, por meio do “Cartão Legal”, para reduzir a manipulação e circulação de dinheiro.

Fonte: Diário do Transporte

Linha Prata Problema

Linha 15-Prata opera com problemas na tarde desta segunda-feira (05)

Uma interferência na via deixa a linha inteira operando com velocidade reduzida

Os passageiros que utilizam o monotrilho da Linha 15-Prata, na capital paulista, encontram problemas desde às 15h45 desta segunda-feira, 05 de outubro de 2020.

De acordo com o Metrô de São Paulo, a operação é realizada com velocidade reduzida e maior tempo de parada nas estações devido interferência de via na estação Vila União.

Técnicos atuam para solucionar a falha e regularizar a operação.

Fonte: Diário do Transporte

Governo de São Paulo entrega obras de modernização da SP-031

Com investimento de R$ 19 milhões, melhorias vão beneficiar quase 2 milhões de habitantes nas regiões do Alto Tietê e ABC

O Governador João Doria entregou, neste sábado (3), as obras de modernização da rodovia Índio Tibiriçá (SP-031), importante ligação entre as regiões do Alto Tietê e ABC Paulista. Por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), foram investidos R$ 19 milhões no empreendimento. As intervenções beneficiam 1,9 milhão de habitantes do entorno e mais de 16 mil motoristas que utilizam a via diariamente.

“Feliz em poder entregar a SP-031, a rodovia Índio Tibiriçá, ligação entre o Grande ABC e o Alto Tietê. Agora, com nova sinalização, nova pista, condições de segurança adequadas”, destacou o Governador. “São Paulo não parou durante todo esse período de pandemia. Todas as obras em São Paulo prosseguiram, não houve uma obra que foi interrompida”, completou Doria, que esteve no município de Suzano, região do Alto Tietê, para entrega da obra.

A Índio Tibiriçá recebeu obras para recuperação da pista, com aplicação de microrevestimento, em uma extensão total de 37,2 quilômetros ao longo de quatro municípios. O projeto também inclui nova sinalização, com tachões refletivos, e equipamentos de segurança como defensas e muretas de concreto.

Foram construídas ainda três rotatórias, nos km 58,5, km 59,8 e km 60,8, e em todos estes pontos há acesso a bairros de Suzano. Com os novos dispositivos, haverá uma melhor organização do tráfego local, gerando segurança tanto aos motoristas que seguem pela rodovia ou pelas ruas municipais.

Entre o km 58,4 e o km 62,2 a pista foi dividida, sendo mantido um sentido para cada lado. As medidas vão garantir mais fluidez ao tráfego e diminuir os riscos de acidentes em conversões proibidas.

A Secretária Executiva de Logística e Transportes, Priscila Ungaretti, destacou a importância do investimento para a região. “Mesmo diante da pandemia, as obras seguiram em ritmo acelerado. A pista foi modernizada nesta extensão da SP-031 que passa pelas cidades de São Bernardo do Campo, Santo André, Ribeirão Pires e Suzano. As melhorias beneficiam a população em geral e o principal modal de escoamento e abastecimento de produtos e insumos, sobretudo com mais segurança a todos”, concluiu.

A entrega das obras também foi acompanhada pelo Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Fim dos alagamentos

No trecho do km 68, localizado no município de Suzano, a pista foi alteada, o que evitará alagamentos e interrupções do tráfego em dias de fortes chuvas. Os serviços para modernização da SP-031 foram iniciados em junho de 2019 e concluídos na última sexta-feira (25/9).

Consórcio ABC apresenta projeto do Centro de Controle Regional

Encontro dos fóruns paulista e nacional de secretários e dirigentes do setor terminou nesta quarta-feira (30/9)

O evento conjunto da 75ª Reunião do Fórum Paulista e da 97ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana, reuniu nesta quarta-feira (30/9), por meio de videoconferência, mais de 120 participantes, incluindo representantes de vários estados brasileiros. Iniciado na terça-feira, o encontro teve o Consórcio Intermunicipal Grande ABC como anfitrião.

Participaram da abertura do evento os presidentes do Fórum Nacional, Rodrigo Tortoriello, e do Fórum Paulista, Atílio Pereira. A mediação do encontro foi realizada por Paulo Roberto Guimarães, secretário de Mobilidade Urbana de São José dos Campos.

Em seguida, o Consórcio ABC apresentou o projeto do Centro de Controle Regional de Mobilidade Urbana do Grande ABC, desenvolvido pela entidade regional. A iniciativa foi detalhada pelo secretário-executivo do Consórcio ABC, Edgard Brandão, e por Antonio Carlos Junqueira, representante da empresa contratada para elaboração do projeto.

“Somos uma região com 2,8 milhões de habitantes, com sete cidades muito interligadas e praticamente sem divisas. Por isso, o Centro de Controle é muito importante e, como já está com seu projeto concluído, não é mais um sonho“, afirmou Brandão.

A coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) Mobilidade Urbana do Consórcio ABC, Andrea Brisida, explicou que, finalizado o projeto, o objetivo da entidade regional é buscar recursos para sua implementação, inclusive no exterior. 

Entre os demais palestrantes do dia, o diretor-presidente do Detran-SP, Ernesto Mascellani Neto, falou sobre as principais ações desenvolvidas em conjunto com o Poupatempo e ressaltou os benefícios da articulação com as prefeituras.

“A aproximação com os municípios é muito importante, por isso estamos abertos para ouvir as necessidades de todos. Tenham o Detran como um grande parceiro que tem como objetivo proporcionar melhores serviços para os cidadãos”, afirmou Mascellani.

Dulce Lutfalla, conselheira do  Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo (Cetran-SP), abordou a revisão do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) por meio do Projeto de Lei (PL) 3267/2019, que aguarda sanção presidencial.

O encontro também contou com a apresentação da iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito, realizada por Hannah Arcuschin Machado, coordenadora de Desenho Urbano e Mobilidade pela Vital Strategies, e Paula dos Santos, gerente de Mobilidade Ativa da WRI.

Participaram ainda do encontro o diretor de Mobilidade da Digicon, Hélgio Trindade Filho; o diretor de Tecnologia da Associação Brasileira das Empresas de Engenharia de Trânsito (Abeetrans), Newman Marques; o diretor da Estapar,  Adélcio Antonini; Antônio Carlos Munhoz, especialista em Acessibilidade; Renato Campestrini, especialista em Trânsito; e Célio Freitas Bouzada, presidente da Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans); o assessor especial do secretário estadual de Logística e Transporte, Luiz Alberto Fioravante; e o vice-presidente do Fórum Paulista, Jorge Akira Kobayaski.

Foto: Divulgação/Consórcio ABC

Rodolfo Albiero
Assessoria de Comunicação

Consórcio Intermunicipal Grande ABC
Av. Ramiro Colleoni, 5 – Centro
Santo André – São Paulo
Tel: 4435-3575 

www.consorcioabc.sp.gov.br 

Fóruns paulista e nacional de Mobilidade Urbana destaca inovações

Consórcio ABC é o anfitrião do encontro, que prossegue na quarta-feira (30/9)

O primeiro dia do evento conjunto da 75ª Reunião do Fórum Paulista e da 97ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana, realizada nesta terça-feira (29/9), destacou inovações tecnológicas para a área no contexto da pandemia do novo coronavírus. O Consórcio Intermunicipal Grande ABC é o anfitrião do encontro, que prossegue na quarta-feira (30/9).

O evento ocorreu por meio de videoconferência e reuniu aproximadamente 130 participantes, incluindo dirigentes de Mobilidade Urbana de vários estados brasileiros. Na abertura da reunião, o presidente do Consórcio ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, classificou os efeitos da pandemia como um momento importante e desafiador para todos os atores envolvidos com a área de mobilidade.

“A pandemia trouxe mudanças nos nossos hábitos, como o isolamento social, e impactos econômicos para a população, para os governos e para as empresas. Nossa intenção é trilhar um caminho e garantir o direito constitucional de ir e vir”, afirmou Maranhão. Presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello agradeceu a contribuição do Consórcio ABC para a organização do evento. “A tecnologia permite que a gente não pare de discutir assuntos importantes e trabalhar as questões de mobilidade, mesmo diante dos efeitos da pandemia”, disse Tortoriello.

O encontro abordou temas voltados para gestores públicos da área, com destaque para inovações. A mediação foi realizada por Jurandir Fernandes, presidente da União Internacional de Transportes Públicos, Divisão América Latina (UITP/DAL).

O secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, afirmou que projetos e obras de mobilidade urbana precisam priorizar a questão da conectividade, garantindo condições de segurança para pedestres e ciclistas.

O presidente da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), Ailton Brasiliense Pires, defendeu a necessidade um projeto de longo prazo para a mobilidade e apresentou a cartilha desenvolvida pela entidade nacional para fornecer subsídios para os candidatos tratarem do tema em suas campanhas, com uma síntese das ações esperadas para o aprimoramento do setor.

O encontro também incluiu apresentações de inovações para o setor. O presidente da Cittamobi, Paulo Fraga, trouxe detalhes sobre um sistema de pagamento de transporte por meio de smartphone. A vice-presidente da Ubus, Milena Braga Romano, falou sobre uma plataforma que aproxima empresas operadoras do transporte coletivo de seus clientes.

O diretor da Serttel, Ângelo Leite, apresentou uma plataforma de relacionamento digital para serviços de mobilidade urbana. Roberto Sganzerla, especialista em Marketing de Transportes, abordou a reconquista da confiança e recuperação da demanda. O fundador da BeepBeep, André Fauri, falou sobre modelos de carros compartilhados. O evento também teve apresentações de Petras Amaral Santos, representando a Marcopolo, e Rafael Ting, da Caio Induscar.

A reunião conjunta contou ainda com a participação de Gilberto Perri, secretário-executivo da Frente Nacional de Prefeitos (FNP); Marcos Bicalho dos Santos, diretor nacional da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU); Silvestre Ribeiro, vice-presidente do Fórum Paulista de Mobilidade; e Felix Araújo Neto, vice-presidente do Fórum Nacional.

Foto: Divulgação/Consórcio ABC

Fonte: Rodolfo Albiero
Assessoria de Comunicação
Consórcio Intermunicipal Grande ABC
Av. Ramiro Colleoni, 5 – Centro
Santo André – São Paulo
Tel: 4435-3575 
www.consorcioabc.sp.gov.br 

Dia Mundial sem Carro chama atenção para bicicleta

Data chama atenção para debates sobre mobilidade urbana

Hoje (22) é comemorado o Dia Mundial Sem Carro. A data é usada por entidades envolvidas com o debate sobre mobilidade urbana para chamar a atenção para alternativas a veículos individuais motorizados, como a bicicleta.

Este é o meio de transporte de Marcelo Santos. Aposentado, ele se desloca pedalando e tem um projeto com alunos de jornalismo da Universidade Federal Fluminense sobre o tema. Até se aposentar, ia da casa para o trabalho em um trajeto de 14 quilômetros diários de pedalada.  

“Eu usava transporte público, mas encontrava dificuldade. Andei muito de bicicleta até meus 26 anos e voltei a andar há quatro anos. A opção foi por achar mais fácil me movimentar entre meu trabalho e minha casa sem transtorno de engarrafamento e outros obstáculos”, conta.

Não há dados muito consolidados sobre a realidade de pessoas como Marcelo no Brasil. De acordo com o relatório mais atual sobre os ciclistas, denominada Perfil do Ciclista 2018, da Parceria Nacional pela Mobilidade por Bicicleta, 75,8% utilizavam o meio de transporte para ir ao trabalho, 61,9% para o lazer, 55,7% para fazer compras e 25,4% para ir à faculdade.

Dos ouvidos, 82,5% pedalavam mais de cinco vezes por semana, 59% usavam há mais de cinco anos, 55% levavam entre 10 minutos e 30 minutos em suas viagens, 40,3% têm renda entre 1 e 2 salários e 25.7% têm entre 25 e 34 anos de idade.

As principais motivações para pedalar são rapidez e praticidade (34,8%), saúde (25,8%) e custo (22%). Os principais problemas enfrentados são segurança no trânsito (40,8%), a infraestrutura (37,9%), segurança pública (7,9%) e sinalização (6,9%).

A diretora-presidente da União de Ciclistas do Brasil, Ana Carboni, destaca que apesar da presença quantitativa das bicicletas no país, ela ainda é pouco valorizada como meio de transporte tanto entre as pessoas quanto no planejamento das cidades e das estruturas de mobilidade.

“A frota de bicicleta é maior do que a de automóveis. Contudo, o Brasil continua priorizando os veículos individuais motorizados. 80% da infraestrutura viária nas cidades é dedicada ao carro e à moto, que transporta menos de 30% da população. Existe um desequilíbrio muito grande. A maioria das pessoas se locomove a pé, de bicicleta ou de transporte público”, pondera.

Ana Carboni defende que é preciso repensar as cidades considerando novos modelos de mobilidade. A dificuldade posta nas distâncias de grandes centros urbanos está diretamente relacionada às desigualdades e como elas se colocam nos territórios. Mas ela acredita que as duas rodas podem ser uma alternativa real, não somente sozinhas como em combinação com outros modais, como metrô.

“A bicicleta tem potencial de intermodalidade, mas o transporte público precisa melhorar. Precisa haver investimento em infraestrutura, em bicicletários, bicicletas compartilhadas, e a bicicleta pode ser usada como primeira ou última perna”, defende. Ela cita como exemplo a cidade de Fortaleza, onde é possível usar o bilhete de ônibus para pegar bicicletas compartilhadas e fazer parte do trajeto.

Ciclismo e pandemia

A União dos Ciclistas do Brasil lançou um documento com sugestões de adaptação das vias e estruturas de mobilidade no contexto da pandemia. Como o transporte público se tornou um vetor de transmissão do vírus e parte expressiva da população não conta com a possibilidade do transporte por carro, as bicicletas se tornaram uma alternativa de mobilidade.

As bicicletas também passam a ser empregadas crescentemente na logística. Os entregadores de aplicativo são um exemplo dessa tendência e forma de deslocamento.  

“O transporte por bicicleta não polui o ar, evita contato físico direto e promove saúde e bem-estar. Além dos benefícios ambientais, há também benefícios socioeconômicos: trata-se de um veículo de baixo custo e acessível, sendo a ciclomobilidade a aposta de muitos países para recuperar a economia”, defendem os autores.

Uma série de cidades em todo o mundo, como Berlim (Alemanha), Bogotá (Colômbia) e Vancouver (Canadá) adotaram medidas emergenciais, como a construção de ciclovias temporárias (com sinalização ou com reserva de faixas com cones, por exemplo).

A construção dessas ciclofaixas pode ser feita a baixo custo, com sinalização. O documento sugere cores como amarelo e vermelho para remeter ao sinal de alerta e trazer maior contraste com o pavimento. São sugeridas também barreiras móveis para reforçar a demarcação e evitar acidentes causados por motoristas.

Outra alternativa é a ampliação de espaços para pessoas. Em Brasília, isso foi feito na pandemia em algumas vias. Mas, de acordo com os autores, ainda de forma limitada por ocorrer em alguns dias. Eles advogam pelo uso deste recurso de forma mais perene, com o objetivo de incentivar o deslocamento ativo.

Marcelo Santos destaca que várias cidades estão vendo o novo normal com a necessidade de incentivar a mobilidade ativa. “Sabe-se que no Brasil 70% das viagens são de no máximo 8 km, é uma distância viável para qualquer um pedalar. O desafio maior é da sociedade entender que esse é um momento de retornar diferentes”, opina.

Fonte: Agência Brasil

boonchai wedmakawand/Getty Images

Leilão de carros e motos tem lance inicial a partir de R$ 3.100

Leilão é do Santander de veículos recuperados de financiamento
Por Da redaçãoExame

O Santander irá leiloar no dia 15 de setembro veículos recuperados de financiamento. O evento, realizado pela leiloeira Sato, terá carros populares e de luxo, além de motos. O lance inicial mais barato, de 3.100, é de uma moto Yamaha Fazer YS250 2010/2011. 

Entre os veículos, os destaques estão um Jaguar XF V8 Luxury 2010/2011, com lances a partir de 72 mil reais. Há também um Volkswagen Fusca AB 2014/2015, popularmente conhecido como “novo Fusca”, com  lance inicial a partir de 34 mil reais. 

Os arrematantes também podem optar por um Mitsubishi Outlander 3.0 V6 2010/2011, com lance inicial a partir de 17 mil reais, e a Mercedes-Benz C-200 K 2008/2009, com lance a partir de 18.500 reais. Para quem procura picape-média, o leilão trará lotes com a Ford Ranger XL CS4 22H 2015/2015 e a Volkswagen Amarok CD 4X4 HIGH 2013/2013, com lances a partir de 29 mil reais e 32 mil reais, respectivamente.

Neste momento, as visitas a casa leiloeira, localizado na cidade de Ribeirão Pires (São Paulo), estão suspensas temporariamente por conta da pandemia No entanto, é importante lembrar que no edital do evento é possível conferir cada um dos lotes disponíveis, especificações sobre cada item, assim como fotos e vídeos detalhados, que auxiliam na avaliação do bem.

Os consumidores que arrematarem lotes neste evento poderão receber os bens em qualquer lugar do território nacional, por meio do sistema Car Delivery. “Sabemos que nem todos os participantes podem se deslocar para retirar o item arrematado, seja por uma questão de custo ou de disponibilidade. Dessa forma, criamos o sistema de entregas, oferecendo conforto, segurança e praticidade”, afirma Antonio Hissao Sato Junior, leiloeiro público oficial e CEO da empresa Sato Leilões.

Cuidados

Quem ficou interessado pelos leilões preciso estar atento a alguns cuidados antes de arrematar o item desejado, que vão além do preço baixo:

Pesquisar informações

Antes de fazer qualquer compra você deve pesquisar informações sobre o produto, no mercado de leilão isso não é diferente. Antes de arrematar faça uma busca sobre débitos e condições do item.

Modos de pagamento

Antes de oferecer seu lance, atente-se aos métodos de pagamento. Uma vez arrematado, não é possível desistir da compra. Certifique-se também que a conta de pagamento esteja em nome do leiloeiro oficial.

Leia o edital

No documento estão todas as informações, modo de pagamento, lance inicial, data, hora, local (caso seja presencial), data de encerramento do leilão, se o imóvel está ou não ocupado, se o veículo é sucata, novo, seminovo, se há pendências de pagamento, entre todas as outras informações necessárias que o cliente deve saber sobre o item, antes de comprá-lo.

No site da empresa leiloeira é possível verificar a lista completa dos itens, assim como os valores para arremate dos bens. No edital também é possível ver fotos dos itens e lance inicial. Para os interessados na compra, que devem ser maiores de idade, é necessário se cadastrar no site do leiloeiro e realizar o lance pelo link.

Donos de carros mais caros sentirão diferença com a nova gasolina

por Folhapress
nova especificação da gasolina comum disponível no país reduz o consumo dos carros, mas apenas donos de modelos mais sofisticados devem perceber alguma diferença no uso urbano. A conclusão é baseada em testes feitos pela reportagem em parceria com o Instituto Mauá de Tecnologia. Três modelos 2020 passaram pela avaliação: o popular Fiat Uno 1.0 Fire Attractive (R$ 45.890), o sedã médio Toyota Corolla XEI (R$ 121.690) e o cupê esportivo Honda Civic SI (R$ 179.990). Os carros foram cedidos pelas montadoras.

As medições seguiram os mesmos critérios adotados no Teste Folha-Mauá, realizado desde 1996. O popular Uno registrou médias urbanas de 13 km/l com a nova gasolina e de 12,9 km/l com a antiga. A melhora de apenas 0,77% é considerada empate técnico pelo Instituto Mauá de Tecnologia.

consumo urbano foi o principal ponto considerado, por ser a condição mais comum no uso cotidiano do veículo e o que mais impacta na qualidade do ar nas cidades. O Fiat testado veio equipado com motor 1.0 Fire, presente no mercado brasileiro desde o início dos anos 2000. Sua potência máxima é de 75 cv, e não há recursos como injeção direta de gasolina feita por bicos que trabalham em alta pressão, item presente no Corolla.

Com motor 2.0 flex (177 cv) lançado há cerca de um ano no Brasil, o sedã da Toyota obteve a melhor média no circuito urbano: 11,1 km/l com a nova gasolina, ante 10,7 km/l com a antiga. A redução de consumo chegou a 3,6%, mais próxima da média estimada pela Petrobras, que prevê uma queda entre 4% e 6%.

Já esportivo Honda Civic SI tem motor 1.5 turbo de 208 cv e recursos eletrônicos ainda mais avançados. Na cidade, a redução de consumo na comparação das gasolinas foi de 2,75%.

Avaliação

Rogério Gonçalves, engenheiro mecânico e coordenador de assistência técnica da Petrobras, afirma que o benefício tende a ser maior em carros mais modernos, pois esses, em geral, possuem sensores eletrônicos e sistemas de mapeamento do motor mais avançados, permitindo que os veículos se aproveitem da maior octanagem RON, uma das mudanças da nova especificação da gasolina.

“Cabe ressaltar que veículos mais antigos também devem apresentar redução no consumo, tendo em vista que a nova gasolina introduziu a especificação de densidade mínima, atributo que é aproveitado também pelos motores antigos”, afirma Gonçalves.

“O ganho maior nem será do consumidor, que certamente terá dificuldades para identificar a mudança em razão das alterações de trânsito, das condições do ambiente e da forma de dirigir. Porém, o país será beneficiado pelo montante total de economia de recursos naturais”, diz Renato Romio, chefe do laboratório de motores e veículos do Instituto Mauá de Tecnologia.

Consumo

De acordo com dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), foram consumidos 38,4 bilhões de litros de gasolina no Brasil em 2019. Nesse cenário, uma redução de 0,77% representaria menos 295,7 milhões de litros queimados.

Entretanto, as diferenças não vão compensar os possíveis aumentos provocados pela mudança no combustível. Como os postos ainda estão dentro do prazo de 90 dias até que seja obrigatório revender apenas a gasolina nova, não é possível ter uma análise definitiva da oscilação dos valores na bomba.

O preço do combustível é definido pela cotação no mercado internacional e outras variáveis como valor do barril do petróleo, frete e câmbio. “Esses fatores podem oscilar para cima ou para baixo e são mais influentes no preço do que o custo adicional das características do combustível. Além disso, é importante destacar que a Petrobras é responsável por apenas 30% do preço final da gasolina nos postos de serviço, as demais parcelas são compostas por tributos, preço do etanol adicionado e margens das distribuidoras e revendedores”, afirma o engenheiro.

Diferença

Sobre a diferença entre os resultados obtidos pela Petrobras e pelo Instituto Mauá de Tecnologia, Gonçalves afirma que as avaliações da empresa também foram realizadas com veículos de diferentes tecnologias.

“Foram realizados testes de curvas de desempenho de motores em dinamômetro para medições de potência, torque e consumo específico e testes de veículos para medição de autonomia, além de ensaios de retomada de velocidade e detonação, todos bastante criteriosos e tentando eliminar qualquer influência externa nos resultados.”

O engenheiro diz que os resultados de melhoria de consumo apresentados pela Petrobras foram valores médios e que a queda do consumo específico chegou a 17,9% em uma das medições. Já o teste feito pelo Instituto Mauá de Tecnologia simulou o uso real dos carros em circuitos predefinidos.

O consumo foi aferido em duas etapas: a primeira, com velocidade média de 90 km/h, simulou um percurso rodoviário de 31 quilômetros.

A segunda etapa, realizada em circuito urbano de 27 quilômetros, teve média horária de 25 km/h. Ambos os trajetos foram percorridos na cidade de São Caetano do Sul (Grande São Paulo). Para diminuir a interferência das condições climáticas, cada carro foi testado em um único dia.

Densidade

A mudança principal está na densidade do combustível. A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) estabeleceu um limite mínimo de densidade para a gasolina, o que impede a produção ou a importação de combustíveis mais “leves” ou com compostos químicos que reduzem o rendimento.

Embora essa condição não representasse uma adulteração, havia perda de rendimento e risco de defeitos em carros com motores mais modernos. Outra mudança estabelecida pela ANP é o valor mínimo para o indicador de octanagem RON, que mede a resistência à detonação em baixas rotações. Antes, o Brasil só tinha limites para a octanagem do tipo MON (calculada com giro alto) e para o IAD (Índice Antidetonante), que é uma média dos dois.

As novas especificações definem também uma nova curva de destilação, que indica a temperatura em que frações mais leves da gasolina evaporam. De acordo com a ANP, as novas normas se traduzem em maior geração de energia com menos consumo, o que leva a ganhos em desempenho, dirigibilidade e aquecimento do motor.

A nova gasolina já vinha sendo distribuída antes de a norma entrar em vigor, mas os postos têm até o dia 3 de novembro para zerar os estoques antigos. A ANP mantém seu programa de fiscalização nos postos, agora adaptado à mudança no combustível – a densidade passou a ser medida pelos técnicos.

A nova gasolina comum serve de base para todas as bandeiras, mas cada marca define seu próprio pacote de detergentes e redutores de atrito. O percentual de etanol anidro na composição permanece o mesmo: 27% na gasolina comum e 25% nas opções premium.

Metrô aponta vencedor de licitação para projeto da Linha 20-Rosa

viatrobelus

Por: Renato Lobo – Viatrolebus

O Metrô de São Paulo acabou classificando o consórcio GPO-Geocompany-Geotec como vencedor da licitação para executar o serviço de anteprojeto de engenharia e projeto funcional da Linha 20-Rosa, de acordo com publicação do site Metrô/CPTM. A proposta foi considerada vencedora, no valor de R$ 5,31 milhões.

Os trabalhos devem fornecer mais detalhes da futura linha, que ligará a estação Santa Marina e Lapa, na capital paulista, até a estação Prefeito Celso Daniel – Santo André, no ABC, passando por bairros das zonas oeste e sul de São Paulo, e em São Bernardo do Campo.

Não há, no entanto, prazos para início das obras, visto que faltam etapas dos estudos, como por exemplo, o projeto básico.

Serão 31 km de extensão, com 24 estações, e integrações com as outras ligações metroferroviárias. A nova linha deverá transportar cerca de 1 milhão de passageiros por dia e um máximo de 32.000 passageiros por hora.  O contrato para os estudos poderá ser assinado no último trimestre deste ano. O vencedor terá até 32 meses para concluir os trabalhos.