Tiroteio em centro para migrantes em Trípoli deixa vítimas

Uma pessoa foi morta e duas ficaram feridas nas primeiras horas desta quinta-feira (08/04), após um tiroteio em um centro de detenção de Trípoli, capital da Líbia, onde refugiados e migrantes são mantidos pelas autoridades do país. Dois adolescentes de 17 e 18 anos com ferimentos a bala foram transferidos para atendimento médico de urgência por uma equipe da organização médica internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF). As tensões já vinham crescendo na instalação de Al-Mabani, já superlotado, na noite do incidente, de acordo com relatórios recebidos por MSF, culminando em tiros indiscriminadamente disparados contra as celas onde os detidos eram mantidos.

Este tiroteio demonstra os graves riscos que as pessoas enfrentam enquanto estão presas nesses centros de detenção por um período indefinido”, disse Ellen van der Velden, gerente operacional de MSF para a Líbia. “Este último ato de violência é uma clara corroboração de que os centros de detenção são lugares perigosos para as pessoas.

Nas últimas semanas, equipes médicas de MSF testemunharam tensões crescentes dentro de centros de detenção na Líbia, onde refugiados e migrantes – incluindo mulheres, crianças e menores desacompanhados – são mantidos involuntária e arbitrariamente em condições deploráveis. Os centros estão cada vez mais superlotados desde o início de fevereiro, quando houve um aumento nas interceptações ativas de migrantes e refugiados que fogem da Líbia por mar pela Guarda Costeira do país africano. Essa atividade é financiada pela União Europeia para deter a entrada de refugiados no continente. MSF aponta que a prática contribuiu para aumento incontrolável no número de pessoas mantidas em centros de detenção em Trípoli (em Al-Mabani em particular) resultando em uma rápida deterioração das condições de vida dentro dessas instalações.

Na primeira semana de fevereiro, o número de pessoas detidas em Al-Mabani aumentou de 300 para mil em poucos dias. Atualmente, o centro abriga cerca de 1,5 mil pessoas.

Como em muitos outros centros de detenção, as pessoas detidas em Al-Mabani têm iluminação e ventilação naturais mínimas, comida e água potável insuficientes e falta de instalações de higiene como banheiros, chuveiros e pias. A superlotação grave – com até três pessoas por metro quadrado – muitas vezes não deixa espaço no chão nem para deitarem. Doenças infecciosas como sarna e tuberculose são comuns pelas condições deploráveis. O distanciamento físico em relação ao COVID-19 é impossível.

Esta não é a primeira vez que refugiados e migrantes detidos são expostos à violência. Tiroteios e mortes foram relatados nos últimos meses, enquanto equipes de MSF testemunharam o uso de força física pela guarda local. Somente em fevereiro, profissionais de MSF trataram 36 detidos por fraturas, traumas contundentes, escoriações, ferimentos nos olhos, ferimentos a bala e fraqueza nos membros em vários centros de detenção. Quinze desses pacientes foram encaminhados por MSF para hospitais. Os ferimentos que apresentavam eram recentes, indicando a violência dentro dos centros de detenção.

As autoridades de Al-Mabani teriam aberto uma investigação sobre o incidente. MSF pede às autoridades que compartilhem o resultado dessa investigação com a comunidade humanitária e responsabilizem os autores.

À luz deste evento, MSF reitera seus apelos para o fim da prática de detenção arbitrária na Líbia, para a libertação imediata de todos os detidos e para o fornecimento de abrigos seguros e acesso a serviços básicos para refugiados e migrantes.

MSF trabalha em centros de detenção na Líbia desde 2016, fornecendo cuidados de saúde e atendimentos psicológicos, além de encaminhamentos de emergência para hospitais, para aliviar o sofrimento de refugiados, requerentes de asilo e migrantes que são detidos arbitrariamente sob condições desumanas de detenção.

Sobre Médicos Sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem nenhum acesso à assistência médica. Oferece ajuda exclusivamente com base na necessidade das populações atendidas, sem discriminação de raça, religião ou convicção política e de forma independente de poderes políticos e econômicos. Também é missão da MSF chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas atendidas em seus projetos. Para saber mais acesse o site de MSF-Brasil.

Gostou de “Tiroteio em centro para migrantes em Trípoli deixa vítimas?

Tiroteio em centro para migrantes em Trípoli deixa vítimas
Foto: Sara Creta / MSF

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais das Últimas Notícias. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Projeto de nova rodovia com destino ao Porto de Santos é lançado

O Governo do Estado de São Paulo planeja construir um corredor multimodal com destino ao Porto de Santos, no litoral paulista. O projeto da nova rodovia, chamado de ‘Linha Verde’, tem por objetivo ser uma alternativa inteligente e moderna para o escoamento de toda a produção nacional. A Manifestação de Interesse Público para as empresas foi publicada na última quinta-feira (25), no Diário Oficial.

Segundo a Secretaria de Logística e Transporte de São Paulo, a expectativa é receber projetos para um corredor multimodal no eixo Planalto/Baixada Santista, o que pode incluir, além de uma rodovia, a construção de uma ferrovia. A ideia é que o novo corredor logístico faça a conexão do Rodoanel à Margem Esquerda do Porto e à Rodovia Cônego Domênico Rangoni.

Conforme explica o governo estadual, os trabalhos fazem parte do planejamento da pasta para criar uma nova matriz de logística no estado, que ofereça modelos mais eficientes no trânsito de cargas e mercadorias.

De acordo com o secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, essa nova estrutura logística poderá trazer um grande ganho à economia, já que boa parte do Produto Interno Bruto (PIB) nacional passa pelo Porto de Santos.

A secretaria explica que a nova rodovia também permitirá a implantação de novas tecnologias, como compensação de emissões de gás carbônico decorrentes da operação, veículos com energia limpa, iluminação com energia solar, sistema de monitoramento inteligente e integração com o Centro de Controle.

Ainda segundo o governo, a implantação desse novo ramo logístico cria, também, um novo acesso ao litoral paulista, e pode melhorar o fluxo do Sistema Anchieta/Imigrantes, além de trazer outros benefícios, como:

Plataformas logísticas mais eficientes;

Ter uma nova e eficiente via para o escoamento da produção;

Viagens mais rápidas para a Baixada Santista;

Redução no tempo de abastecimento dos caminhões;

Redução no custo de frete;

Possibilidade de conexão com ferrovias que abastecem o estado;

Agilidade no escoamento da carga de contêineres.

Como participar

Conforme definido pelo governo estadual, os interessados têm 30 dias para apresentar projetos ou estudos nesse sentido, por meio de uma Manifestação de Interesse Privado (MIP). Os estudos devem conter a viabilidade técnica e econômico-financeira dessa nova rodovia, podendo ou não incluir uma malha ferroviária integrada para o transporte de cargas, especialmente de contêineres, originados ou destinados diretamente de ou para os terminais portuários.

A opção pela tecnologia a ser sugerida é livre, e terá que atender aos requisitos operacionais para fluxo de veículos em ambos os sentidos, transpondo a Serra do Mar que se interpõe entre o Planalto e a Baixada Santista.

Fonte: G1 Santos

Gostou de “Projeto de nova rodovia com destino ao Porto de Santos é lançado?

Projeto de nova rodovia

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 1.323 outros assinantes