EMPREENDEDORISMO PET – Ele agora é mentor

Com meta de alcançar os R$ 2 milhões em faturamento ao final de 2021, planeja iniciar uma rede de franquias no próximo ano e consolidar seu projeto de capacitação de profissionais para um dos mercados que mais cresce no Brasil. Saiba mais sobre o Empreendedorismo Pet.

É setembro e Cleber Santos, CEO da Comport Pet, faz seu oitavo voo últimos 30 dias. O destino é Salvador, onde vai prestar consultoria a um novo empresário do setor PET. Serão três dias de treinamento sobre estruturação e gestão de um hotel para cachorros, incluindo as áreas administrativa, operacional e comercial.

No seu caderno de anotações, dados de mais 16 negócios em formação e expansão (já em obras) sob sua tutela, em cidades do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia, DF e Tocantins. Com esses, já ultrapassam cem hotéis ou creches que receberam o pontapé inicial ou passaram por um processo de reestruturação por suas mãos.

Quem conhece a trajetória do baiano de 32 anos, hoje morador de São Paulo, sabe que essa é uma nova etapa de uma série progressiva de projetos. De morador de rua – com seu cão Grafit – a mentor de negócios. As oportunidades foram criadas ao ponto de chamar a atenção de quem estava em volta perceber seu dom com os animais. Aos 14 anos, conseguiu uma vaga como ajudante geral em um pet shop no bairro Taboão da Serra. Aos 18, iniciou no serviço militar. Logo se aproximou do canil do exército, para o qual foi contratado por cinco anos. Em outra experiência, dessa vez em um hospital veterinário, pode oferecer aos clientes o serviço de passeios (dog walking) e adestramento.

Vagas de hoje 18 de março 2021

Pensando em mudar de carreira ou se preparar melhor para entrevistas de emprego? Conheça a RC Locus, referência em Recrutamento & Seleção, em todos os níveis.

Tino comercial

“Entre cartões e panfletos distribuídos, dei origem aos primeiros clientes da Comport Pet”, conta Santos sobre a empresa que hoje fatura aproximados R$ 2 milhões ao ano.

Com clientes crescendo e em bairros de alto padrão da capital paulistana, adquiriu sua primeira sede relativamente rápido e foitrocando de casa ano a ano para caber mais cachorros. Do espaço de 100 m2, em 2009, passou para os atuais 700 m2 para abrigar os 130 pets que chegavam diariamente para passar o dia ou pernoitar, além dos pacientes das terapias oferecidas, entre musicoterapia (que ajuda na parte cognitiva dos animais).

Os cursos feitos em países como EUA, Canadá e Alemanha – todos com investimento próprio – lhe conferiram o título de especialista em comportamento animal – uma atuação especializada na área cognitiva, tornando o aprendizado mais rápido e prazeroso, o que lhe deu respaldo para cobrar o dobro ou até o triplo, em relação à média do mercado. Mesmo assim, com a agenda cheia de clientes, entre eles famosos.

Conheça todos nossos canais (Whatsapp, Telegram, Facebook, Buscador): https://jornalgrandeabc.com/inicio/nossas-redes-sociais/

A forma de vender seu trabalho é própria de quem é responsável de perto pelo marketing da empresa, dividindo as outras funções corporativas com Dan Batista, esposa e sócia (administrativo e financeiro). Cleber é hoje presença ativa nas redes, fazendo posts diários informativos e descontraídos, e lives com clientes e parceiros, conquistando um número significativo de seguidores. O bom tato comercial também rendeu negociações com a indústria pet, entre elas de embaixador de marcas de roupas e de acessórios – chegando a assinar uma linha completa de camisetas feitas exclusivamente para donos de animais de estimação.

EMPREENDEDORISMO PET - Ele agora é mentor
EMPREENDEDORISMO PET – Ele agora é mentor. Foto: Divulgação

A pandemia e a nova frente de trabalho

“Com reduções de salário durante a pandemia, muitas pessoas buscaram o curso de Dog Walker para complementar a renda. Outras, pelo desemprego, decidiram empreender em áreas que tinham afinidade, como a do cuidado com os animais de estimação (Cleber cita aqui o exemplo de profissionais das áreas financeira e de comunicação, por exemplo, que decidiram mudar a direção de suas carreiras). É um mercado muito mais afetivo que comercial. A maioria ama pets, mas não sabe sobre gestão”, explica.

Com isso, uma outra frente de trabalho do empresário foi impulsionada: as capacitações. A grade de disciplinas, até então restrita aos cursos de Adestramento e Dog Walker, foi ampliada para receber um número inédito de alunos por mês. 

Santos conta que, somente no último ano, passaram pelas aulas mais dois mil alunos (de um total de 10 mil, desde o início das turmas anos atrás). Os valores dos cursos variam entre R$ 400 e R$ 20 mil para classes de Adestrador, Dog Walker, Monitor, Day Care, Banho e Tosa, Gestão Administrativa e Educação Sanitária.

Dos cursos, Santos conta que o salto para as consultorias foi rápido. “Elas existem para quem precisa se atualizar e para aqueles que desejam empreender no setor, mas não sabem por onde começar. Já ajudamos a dobrar o faturamento de muitos proprietários de Day Care, de Hotéis e de Pet Shop. Nossas turmas hoje têm fila de espera”, comemora.

EMPREENDEDORISMO PET - Ele agora é mentor
EMPREENDEDORISMO PET – Ele agora é mentor. Foto: Divulgação

Franquias

Hoje, Santos está 100% focado nos cursos e nas consultorias, apesar de reservar dois dias da semana para o atendimento presencial de casos mais complexos. “Foi criado um CNPJ só para as capacitações, conta.

O empresário relata também que acabou de adquirir um terreno ao lado da sede para dobrar de tamanho. Na reforma está prevista uma sala de aula, já que hoje são utilizados espaços alugados de coworking. O investimento em automação também foi feito para ministrar aulas presenciais e remotas ao mesmo tempo. A meta é apostar cada vez mais nas formações e aumentar a agenda de consultorias em outras cidades.

Entre os planos de 2022 está a abertura de franquias com foco em expandir o modelo de gestão e a metodologia comportamental criada. “A proposta é começar com o serviço de adestramento, em seguida de creche e hotel. Será uma correria, mas é uma forma de devolver as oportunidades que recebi. É o que me motiva”, conta o segredo de quem não para de empreender.

Mais informações, acesse: https://comportpet.com.br/historia-comportpet-cleber-santos

Dados de mercado: O mercado de pet faturou R$ 40,1 bilhões em 2020 – 13,5% a mais do que em 2019. Além disso, o segmento gerou 2,4 milhões de empregos em 2020. A indústria deve crescer em 2021 17,8% este ano.

Mais Vagas no Grande ABC

EMPREENDEDORISMO PET - Ele agora é mentor
EMPREENDEDORISMO PET – Ele agora é mentor. Foto: Divulgação

Gostou “EMPREENDEDORISMO PET – Ele agora é mentor”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias. Conheça nosso site para o Rio de Janeiro, o Jornal Grande Rio.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Momento fofura no Atrium Shopping: feira de adoção de pets acontece neste domingo

Empreendimento, além de ser pet friendly, incentiva a adoção e posse responsável. Confira sobre o Momento Fofura no Atrium Shopping.

Neste domingo, 16, das 10h às 16h, o Atrium Shopping planeja um encontro mais do que especial: entre um pet e sua nova família. Em parceria com a ONG Amigo Legal e o Centro Médico Veterinário Pet Land, o empreendimento realiza a 20ª edição da Feira de Adoção.

Cerca de 30 animais, entre cães e gatos, adultos e filhotes, aguardam por um lar definitivo e uma família para chamar de sua. Todos são entregues vacinados, vermifugados e castrados. 

O adotante precisa ser maior de 21 anos e levar RG, CPF e um comprovante de residência. A posse responsável é explicada e o interessado assina um termo de compromisso e adoção antes de levar seu novo amiguinho para casa.

Feira de Adoção Atrium Shopping
Domingo, 16 de maio, das 10h às 16h

Atrium Shopping
Rua Giovanni Battista Pirelli, 155 – Vila Homero Thon, Santo André
Telefone e WhatsApp: (11) 3135-4500
Estacionamento visitantes: 
De segunda-feira a sábado e feriados: 9 reais até 2 horas + 2 reais cada 2 horas adicionais. Aos domingos, 50% de desconto.

Gostou da nossa matéria “Momento fofura no Atrium Shopping: feira de adoção de pets acontece neste domingo“?

Momento fofura no Atrium Shopping: feira de adoção de pets acontece neste domingo

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Condicionamento operante, você já ouviu falar?

Condicionamento operante, trata-se de um comportamento voluntário. Ex: correr, pular, sentar dentre outros, sendo voluntário, o mesmo não depende de um estímulo antecedente para ocorrer, mas é seguido de consequências futuras sendo assim chamadas de reforçamento. ☝️

Exemplo de reforçamento: Seu gatinho 😻está em um momento tranquilo ao seu lado sentadinho ou deitadinho na caminha dele (comportamento operante) e ganha uma guloseima (petisco). …rs a guloseima que ele ganhou, passa a ser uma consequência futura mediante aquela ação. (reforçamento)

Outro exemplo muito comum☝️🐱:

O seu gatinho começa a miar incansavelmente ao te ver e você na tentativa de ele parar de miar, enche o potinho de comida. Bingo!

Mais um comportamento reforçado, mediante a ação de miar incansavelmente.

A grande questão está em: no primeiro caso pode-se notar que o reforçamento da ação foi em um momento de calma e tranquilidade, já o segundo case o reforçamento foi pela agitação e vocalização excessiva (ansiedade).

E assim sucessivamente, como no segundo caso, vamos reforçando os maus comportamentos dos nossos animais de estimação muitas vezes de forma inconsciente.

Boa parte do comportamento do nosso animal de estimação (sejam eles bons ou maus comportamentos) refletem a forma como eles são condicionado por nós!

Os benefícios de treinarmos nossos amiguinhos de outra espécie por condicionamento operante são inúmeros, tanto para os animais quanto para o manejo.

As sessões de treinamento para os BONS☝️😻 comportamentos são uma excelente forma de estimulação física e mental através de desafios que os nossos amiguinhos animais de outras espécies enfrentam, sempre buscando algo prazeroso nas recompensas recebidas.

Agora me conte, você reforça o seu companheiro sempre que ele tem uma boa ação? rs

Por Fernanda Nogueira – Consultora comportamental de felinos domésticos.

Condicionamento operante, você já ouviu falar?
Foto de Alex Andrews no Pexels

Gostou da nossa matéria “Condicionamento operante, você já ouviu falar?“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Humanos, eu sou um gato

Ei humanos, ☝️hoje venho aqui como gato falar um pouquinho sobre os meus super poderes (habilidades naturais) de gato que sou😻! Você sabia que eu (gato) possuo uma grande agilidade, equilíbrio e por vezes tenho força acima do nível natural que me permite realizar movimentos rápidos e precisos para atingir minhas presas? Sim, minhas presas, isso porque tenho como minha principal característica ser caçador! 😻

Humanos, eu sou um gato
Humanos, eu sou um gato

Também sou dotado de garras, sabia? Minhas garras são capazes de perfurar superfícies como madeira, dentre outros😼😼além disso, eu tenho uma grande capacidade de saltar e os meus sentidos são bem apurados, tenho uma boa visão no escuro que me permite caçar a noite.

A vida com os humanos me permite socializar e conhecer a espécie de vocês (humanos), mas por outro lado às vezes esqueço-me de quem sou por faltar recursos no ambiente o qual vivo. 😿😿😿😿
Isso acaba me deixando sedentário, muito estressado e deprimido. Muitas vezes não sou compreendido embora eu tente mostrar quando tem alguma coisa errada no meu ambiente.

☝️Ah, minha espécie é territorialista, isso não quer dizer que gosto somente do ambiente, pelo contrário, gosto e preso muito os humanos 😻👧🧑que nele habitam e quero a todo custo viver em harmonia e segurança, por isso marco meu local através da minha caixinha sanitária, arranhaduras e também quando me esfrego. Esta ação demarca minha segurança territorial.

Adoro rotinas, portanto que tal brincarmos de caçar a noite ou ao entardecer? Isso me ajudará a lembrar de que sou um gato dotado de habilidades.🤩

Você humano🧑👧, pode me ajudar a lembrar de que sou um gato🐱? Eu gosto de acessórios que me estimulem a ser o melhor caçador da terra! 🙏

👉Os acessórios humanos (óculos, sapatinhos dentre outros) ou que fazem barulho o dia todo no meu ouvido (gizo o sininho na coleira) podem me fazer esquecer de quem eu SOU. 😿😿

Eu sou um GATO(A) e gosto de ser quem sou😻, só não posso me esquecer disso.

Por Fernanda Nogueira – Técnica em Veterinária, consultora comportamental de felinos domésticos.

Gostou da nossa matéria “Humanos, eu sou um gato“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Aprenda como cuidar de seu pet idoso

Saber quando começar a oferecer cuidados mais específicos ao pet idoso é a melhor forma de evitar o aparecimento de novas limitações; confira Aprenda como cuidar de seu pet idoso.

À medida que os pets envelhecem, os cuidados devem ser redobrados. Nos últimos anos, a expectativa de vida dos animais de estimação aumentou devido aos avanços da medicina veterinária, rações, vacinas e maior conhecimento dos tutores sobre a importância de manter um acompanhamento veterinário em dia.

Em tese, os animais chegam à terceira idade quando atingem 75% da sua expectativa de vida. Contudo, isso varia de acordo com o porte. Cães de pequeno porte são considerados idosos a partir de nove anos. Os medianos, a partir de oito anos e os grandes, aos sete. Já os gatos, em geral, são considerados idosos a partir de oito anos, uma vez que a diferença de porte é relativamente pequena.

Vale ressaltar que um aspecto determinante quanto à qualidade de vida dos bichanos é o ambiente em que vivem. Os que moram em espaços protegidos sem acesso às ruas certamente terão maior segurança e tendem a viver mais e melhor.

Ainda que essa seja uma base para definir a idade dos pets, é comum os tutores terem dúvidas. A médica veterinária do plano de cuidado domiciliar My Pet, Bianca Bond, revela que por meio do exame físico, o profissional consegue ter uma ideia da idade do animal. “A partir da avaliação bucal, os dentes (quais estão presentes), suas fases, coloração, estado geral, presença ou não de cálculo (tártaro) é possível indicar um paciente filhote, adulto ou idoso.”

Cuidado com os pets idosos

Pacientes idosos podem ter uma série de alterações de saúde por conta da idade. “Eles exigem maior necessidade de atenção por parte dos tutores, na parte de alimentação, quantidade e tipo de ração, hidratação, fornecimento de água de boa qualidade e da maneira correta, além do tipo de atividade física realizada”, pontua a médica veterinária Bianca.

O médico veterinário Daniel Cooper alerta que paciente idoso, assim como os humanos, começa a manifestar algum processo fisiológico inadequado. Quando isso é reconhecido de forma precoce, as chances de recuperação ou de não deixar que a doença avance de forma muito abrupta é por meio de exames periódicos. “Nesse sentido, o diagnóstico precoce traz muitos benefícios”, destaca.

Conforme envelhecem, os pets podem apresentam algumas doenças semelhantes aos humanos, como manifestação de problemas nas articulações, doenças de visão e envelhecimento do organismo. Contudo, os cuidados ao longo da vida podem influenciar muito na saúde na terceira idade dos pets. 

“Uma questão que vejo ter bastante benefício, principalmente na parte articular, é uma alimentação de boa qualidade”, diz Dr. Cooper. Mas ele alerta para a importância de uma avaliação do médico veterinário, pois a enfermidade pode ser alguma condição genética ou sobrepeso. “Existem animais que têm predisposição a ter alterações articulares”, relata.

Doenças de visão, segundo o Dr. Copper também são mais bem tratadas se reconhecidas antecipadamente. “Um oftalmologista avaliando isso precocemente pode identificar o diagnóstico e indicar tratamento correto para impedir a evolução rápida de uma doença como a catarata”, conta.

A melhor forma de minimizar qualquer risco é garantir visitas preventivas ao veterinário.Assim,agendar check-ups regulares com profissionais é essencial, afinal, quanto antes for detectado qualquer tipo de problema, maior será a facilidade em resolvê-lo.

Gostou de “Aprenda como cuidar de seu pet idoso?

Aprenda como cuidar de seu pet idoso
Foto: Pixabay

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Fique por dentro das notícias das cidades do Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 3.067 outros assinantes

Os gatos possuem comportamentos, conheça mais do seu amigo felino!

Os gatos possuem comportamentos bem interessantes e entende-los pode ajudar a avaliar a saúde de seu amigo.

Os felinos não são muito favoráveis a mudanças. Toda situação que desencadeia alteração da sua rotina pode afeta-los e refletir na sua saúde.

Muito se ouve que gatos não gostam das pessoas e sim da casa. O gato, por não gostar de mudanças, está habituado e familiarizado com determinado ambiente. Por isso, é muito comum o relato dos donos que ao mudarem de casa, o gato fugia e regressava ao endereço antigo. Provavelmente, por estar familiarizado e habituado com aquele local.

Mudanças simples na casa como disposição de móveis, local de caixas de areia, dos comedouros e bebedouros ou mesmo as reformas, são situações estressantes para os felinos e que podem desencadear alterações fisiológicas como: distúrbios urinários, automutilação e falta de apetite.

Gatos não gostam de compartilhar as caixas de areia, e também não usam se as mesmas estiverem muito sujas. O ideal é que sempre haja uma caixa a mais que o número de gatos, por exemplo, se você tem 3 gatos, aconselhamos 4 caixas de areia.

Quanto a areia das caixas, evite ficar trocando de marcas, lembre-se gatos não gostam de mudanças. Portanto, ao perceber que determinada areia é adequada ao seu gato tente manter. De fato, você deve trocar a caixa de areia, um ou duas vezes por semana. Sempre retirar os turrões formados pela urina e as fezes diariamente. Fezes quando não recolhidas diariamente podem facilitar a transmissão de doenças, como a toxoplasmose. Você deve lavar semanalmente as caixas de areia. Utilize água e sabão, e em casos de animais com diarreias, a lavagem deve ser diária.

Os gatos possuem comportamentos, fique atento!

Alguns felinos tem dificuldade de beber agua, e muitos optam por agua corrente por ser mais fresquinha. O que muitas vezes é inviável, o uso de fontes de agua é uma alternativa. Se o animal não se adaptar a fontes, a distribuição de potinhos de agua pela casa auxilia. Ademais, gatos comem pouco e várias vezes ao dia. Sendo assim, forneça sempre pequenas porções de ração durante o dia, sempre respeitando o limite diária de consumo.

Opte por rações sem cor e evite comprar a granel. Ração úmida como sache, não fazem mal aos felinos. Gatos tem o hábito de caçar, e o sache tem a constituição semelhante à caça (70% de proteína e 30% de água) e pode ser usada como alimento. Dessa maneira, coloque o sache em comedouros diferente da ração. Contudo, se o animal não comer em até 2 horas, retire, elas estragam facilmente. Após abertos, os saches devem ser armazenados na geladeira.

Para evitar saídas noturnas e passeios, além da castração, recomendamos telar as janelas e áreas abertas de residências. Afinal, por serem curiosos e caçadores, os gatos podem se acidentar ao cair de janelas ou parapeitos.

Gatos têm o habito de se limpar diariamente. Quando seu animal estiver sujo, pelos eriçados ou com queda acentuada, isto pode indicar que seu amigo não está bem. Sempre observe os olhos e as narinas, pois estas devem estar livres de secreções. Além disso, ao notar secreções de coloração amarelada ou esverdeada, leve seu amigo a uma consulta. Às vezes pode indicar um processo infeccioso.

Estas são só algumas dicas para seus gatinhos!!!

5 cuidados que você precisa ter com o seu pet durante o isolamento social

Veterinária traz orientações essenciais para enfrentar esse período, confira os 5 cuidados que você precisa ter

O isolamento social, provocado pela pandemia de covid-19, ainda não terminou. Apesar das regras de flexibilização terem avançado permitindo uma maior circulação de pessoas, o vírus segue ativo e uma segunda onda de contaminação não está descartada no Brasil.

Sendo assim, é preciso redobrar os cuidados, evitando aglomerações, utilizando máscara e álcool gel e, ainda, saindo de casa apenas quando necessário. Sabemos, no entanto, que adotar certos hábitos não tem sido fácil. Principalmente para os nossos pets, que ganharam companhia constante em casa e viram os passeios ficarem restritos nos últimos meses.

Pensando nisto, a médica veterinária Natasha Jeronimo, da VetLar, marca que realiza atendimentos em domicílio no ABC Paulista, listou cinco dicas de cuidados com os animais durante este período. Confira:

Combate ao estresse

A mudança de rotina pode, sim, estressar os pets. Por isso, devemos nos atentar aos sinais que eles estão dando, como por exemplo: excesso de lambedura nas patas, automutilação, excesso de latidos ou ruivos e coprofagia (ingestão de fezes). Essas ações ocorrem, principalmente, em situações de estresse e ansiedade nos animais de estimação e podem surgir neste momento que estamos vivenciando. Para amenizar o quadro, a dica é mantê-los entretidos com brinquedos apropriados, realizar atividades para gastar energia e dedicar pelo menos alguns minutos do dia para um carinho.

5 cuidados que você precisa ter: Alimentação saudável

Cuidar da alimentação do seu pet é fundamental. No caso de cães e gatos, é importante oferecer uma ração que seja rica em proteínas, fibras, vitaminas e minerais. Evite o excesso de petiscos, que podem ocasionar ganho de peso ao animal. Lembre-se que os passeios estão mais restritos, diminuindo a queima de calorias.

Ao comprar uma ração, verifique também qual é a mais adequada para o porte do pet e, de maneira alguma, ofereça doces e outras comidas ao animal. Nessa época do ano é muito comum um aumento na ocorrência de gastroenterites e pancreatites, devido a ingestão de alimentos inadequados. É necessário estar em alerta para sinais como: vômitos, diarreia e perda do apetite, buscando um atendimento veterinário. 

Exercícios frequentes

Os protocolos de segurança permitem que você saia para passear com o pet, no entanto, é importante que isto seja feito de maneira rápida e seguindo as recomendações das autoridades. Portanto, realize algumas atividades com o animal para gastar energia, mesmo que dentro de casa, utilizando bolinhas, discos e mordedores, compensando o passeio mais curto.

5 cuidados que você precisa ter: Higiene após passeios

Ao retornar de um passeio em ruas ou parques, lembre-se que o seu mascote também precisa de uma higienização para entrar no ambiente residencial. Por isso, é muito importante que isto seja realizado apenas com produtos específicos para pets. Existem no mercado diversas opções como lenços umedecidos e sprays de limpeza, com formulações adequadas aos animais, evitando queimaduras, possíveis alergias e intoxicações.

Saúde em dia

Mesmo em tempos de pandemia, o seu pet precisa de acompanhamento veterinário, assim como banho e tosa. Além disso, não se esqueça de analisar o peso e verificar se as vacinas estão em dia. Em caso de emergências, não deixe de procurar atendimento.

Sobre a Vetlar 

O modelo de negócio da Vetlar nasceu durante a pandemia no Grande ABC, para atender os pets em domicílio, oferecendo serviços de consultas, vacinas, exames laboratoriais, diagnóstico por imagem e fisioterapia, com toda a facilidade, comodidade e conforto, proporcionando uma experiência ímpar. É um serviço inovador, que oferece segurança aos idosos, gestantes, mães de crianças pequenas e quem está trabalhando em home office (cerca de 9 milhões de brasileiros). Em crescimento, a iniciativa conta com uma equipe de veterinários e atua, até o momento, na região do grande ABCDM.

Atividade física com seu pet reduz doenças cardíacas

Uma pesquisa da Associação Americana do Coração constatou que ter um animal de estimação e uma rotina de exercícios com o pet, em especial cães, promove a redução do risco de doenças cardíacas. Isso porque a prática de exercícios regulares estimula nos animais a aceleração do metabolismo, melhora da respiração e colabora para a digestão dos alimentos.

Segundo Karen Neves, especialista em pets e proprietária do Pet Shop Online Zen Animal, as atividades frequentes ajudam o animalzinho a diminuir o estresse de ficar em casa, muitas vezes sozinho e por períodos longos. Os exercícios podem ser os mais variados, desde uma caminhada na rua ou em um parque, pequenas corridas e até mesmo meditação. Tudo muito simples para se exercitar ao lado do seu pet de estimação.

Mas assim como nos humanos, antes de qualquer esforço fora do normal ou o início de uma programação de exercícios, é preciso tomar alguns cuidados e, sempre que possível, levar seu cãozinho ao veterinário para que seja avaliado e possa ter uma rotina saudável e divertida. Veja a seguir três dicas importantes:

   1. Corridas no parque ou pela rua

Existem algumas raças que não podem realizar atividades físicas intensas, por isso a dica é se informar e sempre passar por uma consulta com o veterinário antes de iniciar qualquer atividade com seu pet. Apenas esse profissional poderá afirmar se o seu cão está apto a realizar exercícios e qual o ritmo mais adequado.

    2. Brincadeiras também podem ser exercícios

Outra dica de atividades entre os donos e seus cães são as brincadeiras com bolinha e frisbee, que podem ser realizadas em parques ou áreas ao ar livre com bastante espaço. Além de divertidas, as atividades fazem com que o cão pratique exercícios e gaste energia de uma maneira bem agradável, sem estar preso à guia ou coleira. Vale lembrar que nesses casos é preciso cuidado em dobro.

3. Cuidados com a saúde do seu pet

Os exercícios são ótimos, mas é preciso tomar alguns cuidados para eles não acabarem prejudicando, ao invés de ajudar a saúde do seu pet. Dias quentes durante o verão podem causar insolação ou desidratação no pet devido ao calor intenso. Para essas ocasiões a dica é incentivar o pet a consumir água antes do passeio e se possível durante. Por último, é recomendado que os exercícios comecem aos poucos, aumentando gradualmente, para que o pet se acostume com a prática do esporte.

A IMPORTÂNCIA DA CASTRACÃO EM CÃES E GATOS

Será que a castração de cães e gatos traz benefícios, vale a pena fazer? Isto são perguntas frequentes  no consultório veterinário.

Quando falamos sobre castrar, o principal argumento que ouvimos é que a castração evita crias indesejadas e o aumento da população de cães e gatos sem dono. Isto realmente é um dos principais problemas que o procedimento reduz.

Mas temos outros benefícios que devem ser considerados.

As fêmeas felinas e caninas entram no cio até o final da vida.  Uma cachorrinha de 14 anos pode ter cio e pode ter crias. Na maioria das vezes, os animais mais velhos apresentam cio irregular, com intervalos maiores entre eles; os ciclos podem ser mais extensos e intensos (grande quantidade de sangramento por vários dias), em alguns casos isto já é uma indicação de alterações, a idade avançada dificulta  a realização de uma higiene adequada de seus órgãos genitais estando mais propensas a infecções uterinas.

 As infecções uterinas em sua maioria são silenciosas e os sinais clínicos não são claros como: a falta de apetite e episódios de vômitos. Se não diagnosticados a tempo, estas infecções resultam em quadros de septicemia grave levando o animal a óbito. A resolução destas infecções é cirúrgica. E os procedimentos cirúrgicos em animais mais velhos são sempre mais delicados.

O aparecimento de nódulos em mamas pode ser evitado com a castração. Estes nódulos sofrem influencias dos hormônios liberados no cio e por isso são mais frequentes em fêmeas não castradas a partir de 5 a 6 anos de idade

 Doenças reprodutivas e venéreas também são evitadas com a castração. Uma enfermidade comum é o Tumor Venéreo Transmissível (TVT) transmitido durante o acasalamento provocando  lesões nos órgãos genitais (pênis e vagina).

 Nos machos a castração reduz a marcação de território (urinar em todos os lugares) e  a agressividade. Para os felinos, reduz o índice de ferimentos por brigas, evita a transmissão de doenças virais e infecciosas, risco de atropelamentos, fraturas entre outros problemas decorrentes de suas voltinhas.

Com a idade os machos podem desenvolver tumores nos testículos e na próstata. Também apresentam aumento da próstata quando envelhecem, acarretando em dificuldade de urinar, dor, e em alguns casos colaborar para infecções urinarias e formação de cálculos.

A castração é um ato de amor e ajuda a prevenir inúmeras doenças