Com DNA made in Brazil, “Bang Bang!” é lançado nos EUA

Com estreia prevista no Brasil para este segundo semestre, foi lançado no último dia 18 de abril, nos Estados Unidos, o longa metragem – Bang Bang! – uma produção brasileira e norte-americana produzida por uma talentosa baiana de Vitória da Conquista – Nicole Fahel, que também atua no filme – e dirigida por Nicholas Cunha, filho de brasileiros, nascido em Nova York. Com DNA made in Brazil, o filme foi gravado em Vitória da Conquista (BA), produzido pela Manga Rosa Filmes e recentemente adquirido pela distribuidora Indican Pictures para distribuição mundial.

No elenco, nomes conhecidos como Marcelo Serrado e Antônia Morais e também atores norte-americanos, de Salvador e Vitória da Conquista, que participaram de uma grande seleção em dezembro de 2017, para atuar no filme.

O longa, que mescla ação e drama, narra a história de cinco adolescentes, Biel, Gabby, Amber, Alice (vivido por Antônia Moraes) e Thomás, que decidem numa noite por diversão, roubar um supermercado. O plano sai errado quando um deles dispara acidentalmente um tiro em Nathan (Marcelo Serrado), funcionário do supermercado. A partir daí, eles decidem levá-lo como refém.

Com personalidades opostas, Gabby e Biel, lidam com a situação de forma diferente, e através dos seus olhos, os expectadores viajam em uma descoberta sobre limites sendo testados, amizades,  dinheiro, cadáveres e sangue nas mãos. Em quem devem confiar? Começa então uma intensa jornada pela sobrevivência.

Locação Brazuca

Toda a locação foi feita em Vitória da Conquista com apoio da prefeitura da cidade, apenas parte dos créditos iniciais foi filmada em Los Angeles. Nicole Fahel, que se formou pela New York Film Academy, em Los Angeles, explica que ter a oportunidade de produzir esse projeto na cidade onde nasceu e trazer o mundo artístico para um local que tem pouco acesso à arte, fez com que sua experiência fosse extraordinária. “Com todo o aprendizado que tive no cinema nos  Estados Unidos, achei que era hora de retribuir e levar um pouco da arte dando visibilidade para minha cidade natal”, conta. Ela explica que, como artista fazer parte de um projeto que fala sobre a complexidade do comportamento humano, escolhendo entre o quão longe alguém vai por dinheiro ou amizade é extremamente gratificante.

From Bahia to Los Angeles

Nascida em Vitória da Conquista, Nicole Fahel tem 25 anos, e começou a carreira de atriz em 2013, em Salvador. Dois anos antes, havia feito intercâmbio sobre Shakespeare em Stratford, no Canadá. Em 2015 se mudou para Los Angeles, onde cursou atuação na New York Film Academy e em 2017 conseguiu o visto artístico para atuação e produção. Começou a produzir curtas e iniciou o trabalho como produtora desenvolvendo diversos projetos. Produziu vários curtas premiados, que foram para festivais europeus como Summer with Alicia (2017), The Bus Stop (2018) e Daisy (2016), este que a levou para o Cannes Short Film Corner.

Atualmente está desenvolvendo três documentários: Passage to AmericaThe Future e Bricks, Concrete and Steel – com o produtor e engenheiro americano Dilip Khatri. Além disso, trabalha em dois longas metragens, com Wagner Santisteban e Victoria Martonne, ambos em português.

Também está envolvida como Associate Producer no longa metragem americano On Our Way, atualmente em pós produção, que tem no elenco o consagrado ator irlandês, Liam Neeson. Em 2020, foi juíza do Festival Hollyshorts em Los Angeles e é membro do Comitê do Festival Diversity, em Cannes.  Agora está começando a trabalhar na Artemis Pictures, com a produtora Siena Oberman.

SINOPSE

Título original: Bang! Bang!

Ano: 2020

Estreia: EUA, em abril de 2021. Brasil, segundo semestre de 2021.

Gênero: Ação, Drama, Policial.

Diretor: Nicholas Joseph Cunha.

Produtora Executiva: Nicole Fahel.

País: Brasil/Estados Unidos.

Detalhes: 71 minutos / colorido / som.

Elenco: Nicole Fahel, Lucas Mogerley, Jordan Knapp, Antonia Morais, Marlon Samuda, Marcelo Serrado, Alice Guêga, Guilherme Aurich.

Informações à Imprensa

C+M Comunicação

11 4110-5132 / 11 99337-8536

Carlos Prado – carlos@castilhoemontano.com.br

Antonio Montano – antonio@castilhoemontano.com.br

Gostou da nossa matéria “Com DNA made in Brazil, “Bang Bang!” é lançado nos EUA“?

Com DNA made in Brazil, "Bang Bang!" é lançado nos EUA
A brasileira Nicole Fahel, produtora executiva e atriz do longa Bang Bang! Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 2.138 outros assinantes

Mulheres Revolucionárias: Hedy Lamarr

Hedy Lamarr foi uma estrela de Hollywood na década de 1940, mas o papel mais interessante que já interpretou, foi ser ela mesma.

A atriz austríaca era razoavelmente famosa em seu país, mas decidiu se aventurar em terras norte americanas para fugir do nazismo.

Mulheres Revolucionárias: Hedy Lamarr

Certo dia percebeu que um dos clientes de seu marido, Friedrich Mandl, era Benito Mussolini e percebendo a situação em que se encontrava, resolveu se separar. Mandl era um dos homens mais influentes da Áustria e mesmo sendo contra o nazismo, apoiava o fascismo.

Após fugir do casamento, em 1937, foi para os Estados Unidos atrás de uma nova vida. Conseguiu um contrato com o chefe dos estúdios MGM, Louis B. Mayer, e a partir daí sua carreira crescia cada vez mais.

Conforme os anos passavam, Hedy ficava cada vez mais preocupada com a sua família, que ainda estava na Áustria e correndo risco de vida, já que o nazismo estava tomando conta do país.

Aflita com toda a situação, decidiu tomar uma atitude e criar uma espécie de torpedo. Com todos os anos observando seu marido trabalhando, percebeu que o torpedo era o que mais precisava de ajustes, já que até um inimigo poderia interceptar o sinal.

Começou a estudar e montar um plano com seu amigo, George Antheil. Os dois trabalharam nessa invenção por meses, até que conseguiram transmitir um sinal de rádio sem que houvesse nenhuma interrupção ou intercepção. Levaram o projeto para o Conselho Nacional de Inventores e algum tempo depois, o próprio presidente do conselho admitiu a ideia e aconselhou que fosse usado como sistema dentro da Marinha.

Mas quando o projeto chegou aos ouvidos do presidente dos Estados Unidos, ele se recusou a aceitar um projeto de uma mulher.

Foi apenas em 1962, na  Crise dos Mísseis, que experimentaram pela primeira vez em um combate real. Depois de um tempo, o sistema que Hedy havia intentado foi utilizada para criar novas tecnologias, como o WI-FI e o GPS.

Para conhecer mais da vida da atriz, é possível ler o livro baseado em sua história, A Única Mulher, de Marie Benedict. E assistir ao documentário Bombshell.

Gostou de “Mulheres Revolucionárias: Hedy Lamarr?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no História e Luta e no Blog PS toda semana.

Junte-se a 2.138 outros assinantes

Atores que arruinaram suas carreiras estrelando terror

Momentos em que escolher entrar no lado do medo deixou os atores no escuro. Atores que arruinaram suas carreiras

Assim como em muitas áreas de negócios, quando você está trabalhando como ator, você é tão bom quanto seu último projeto. Por causa dessa regra em uma indústria tão implacável, houve alguns casos em que os atores viram suas carreiras encolhendo porque fizeram a escolha de estrelar um filme menos que estelar.

Embora alguns atores tenham se destruído totalmente ao estrelar um determinado filme, como Elizabeth Berkley em Showgirls ou Jamie Kennedy em Son Of The Mask, alguns atores conduziram sua carreira a uma queda constante da qual raramente se recuperam ao escolher estrelar um filme de terror.

Por causa da polêmica que cercou o gênero no passado, esses tipos de filmes mancharam a carreira de seus atores. Raramente permite que os atores floresçam, mas para outros pode levar sua carreira ao colapso ou detê-los antes de atingirem as alturas estonteantes.

Quer estar por dentro dos últimos lançamentos e novidades? Acesse Entre Séries

10 – JOHN SAXON Atores que arruinaram suas carreiras

 Atores que arruinaram suas carreiras

Um ator ítalo-americano cuja carreira começou na década de 1950. John Saxon estrelou em mais de 200 projetos de TV e filmes antes de sua infeliz morte em julho. Ele se tornou um ídolo adolescente na década de 1950. Estrelando em filmes como Rock, Pretty Baby e Summer Love, onde se tornou tão popular que ele recebia cerca de 3.000 cartas de fãs. Por semana! Com essa fama veio o interesse de produtoras cada vez maiores. Em 1958, a Universal deu a Saxon um papel em This Happy Feeling ao lado de Debbie Reynolds e Curt Jurgens. Sua carreira disparou a partir daí

Em 1973, Saxon foi escolhido a dedo para a obra-prima das artes marciais Enter The Dragon, onde estrelou ao lado de Bruce Lee como o mestre de Karate Roper. No entanto, apesar do grande sucesso, Saxon tomou a estranha decisão de estrelar Black Christmas de Bob Clarke um ano depois. Esta decisão interrompeu severamente a carreira de Saxon. Depois disso, Saxon começou a trabalhar em filmes de ação italianos de baixo orçamento e filmes de terror polêmicos, como Tenebrae, Cannibal Apocalypse e A Nightmare On Elm Street ao longo dos anos 80.

Infelizmente, esses últimos papéis são aqueles pelos quais ele seria mais lembrado, e sua carreira declinou rapidamente até sua morte. Com o passar do tempo, ele estrelou em projetos cada vez mais obscuros, com seus últimos papéis sendo curtas-metragens no final dos anos 2010.

9 – Donald Pleasence Atores que arruinaram suas carreiras

Em uma carreira de mais de 230 atuações no cinema e na TV, o papel mais icônico do ator britânico Donald Pleasence foi o lendário vilão de James Bond, Ernst Stavro Blofeld, em 1967 em You Only Live Twice. Embora não seja lembrado como um dos melhores filmes de Bond, o retrato de Pleasence do supervilão com cicatrizes, fala mansa e carinho de gato tornou o papel icônico; levando a inúmeras paródias e imitações, como Dr. Evil de Austin Powers, de Mike Myer. Com um papel tão prestigioso, parecia possível que Pleasence finalmente alcançaria o estrelato em Hollywood depois de dez anos estrelando filmes de ficção científica e terror de baixo orçamento.

Por um tempo, sua carreira pareceu florescer com papéis em THX 1138 de George Lucas, The Pied Piper, onde Pleasence estrelou ao lado de John Hurt, e ele era a voz de The Lonely Water em um dos PSAs britânicos mais famosos e marcantes do setenta. No entanto, Pleasence nunca abandonou suas credenciais de terror e continuou estrelando filmes de terror de baixo orçamento.

Tudo isso veio à tona com o Halloween de 1978, onde sua interpretação do Dr. Loomis lhe rendeu o prêmio Saturn de melhor ator e, a partir de então, ele se tornou quente no mundo do horror e da exploração com papéis em Escape From New York, The Demonsville Terror , Príncipe das Trevas, Fantasma da Morte, Fenômenos e as sequências de Halloween. Enquanto Donald Pleasence parecia muito confortável com sua carreira de terror, ainda resta a questão de e se.

8 – Michael Massee Atores que arruinaram suas carreiras

 Atores que arruinaram suas carreiras

Enquanto Michael Massee estrelou em alguns projetos importantes nos últimos anos de sua carreira, como The Amazing Spider-Man 1 e 2 e Catwoman, estrelando em 1994 o filme de terror de Gothic Action The Crow gravemente o prejudicou e sua carreira nos anos 1990 .

Massee interpretou Funboy na foto icônica e, infelizmente, foi ele quem puxou o gatilho da arma que matou Brandon Lee. Em uma entrevista de 2005, Massee afirmou que ainda tem pesadelos recorrentes sobre o evento, dizendo “Acho que você nunca superará algo assim”. Como resultado desse infeliz acidente, ele voltou para Nova York após as filmagens, tirou um ano de folga e nunca mais viu o filme depois de concluído.

No entanto, isso não impediu Massee da indústria cinematográfica completamente e, embora abalado, ele teve pequenos papéis em filmes como The Low Life, Se7en e Tales From The Hood. A partir daí, ele trabalhou continuamente em Hollywood, encontrando uma nova vida no mundo dos filmes de quadrinhos, que começou com um papel em Mulher-Gato e dando a voz de Bruce Banner nos filmes de animação de Ultimate Avengers.

Se não fosse pelo infeliz acidente de Lee, Massee poderia ter feito muito mais com sua carreira, especialmente vendo o quão popular The Crow se tornou. No entanto, o fato de que ele voltou a atuar depois é uma história bastante edificante de determinação.

7 – Janet Leigh Atores que arruinaram suas carreiras

Janet Leigh foi uma estrela em ascensão em Hollywood nos anos 1950. Em seguida, fechou contrato com a MGM, Leigh estrelou em filmes de grande orçamento de Hollywood. Por exemplo, como The Romance Of Rosy Ridge, Houdini e Touch Of Evil de Orson Welles.

Em 1960, Leigh aceitou uma oferta para trabalhar com o aclamado diretor de suspense britânico Alfred Hitchcock em seu novo filme Psicose. No entanto, trabalhar com Hitchcock e sua abordagem demente ao cinema traumatizou Janet Leigh por muitos anos depois. Por exemplo, por causa da famosa ‘cena do banho’ do filme, Leigh desenvolveu uma fobia de tomar banho que durou até sua morte. Além de uma participação especial na comédia Pepe de 1960 ao lado de seu então marido Tony Curtis, Leigh teve um hiato de atuar depois do que Psycho fez com ela mentalmente.

No entanto, Leigh olha para trás em Psycho com carinho como o papel que definiu sua carreira. No entanto, a questão permanece se isso era uma coisa boa ou ruim, porque Leigh foi procurado por filmes de terror nos anos que viriam com papéis em Night Of The Lepus, The Fog e Halloween H20. Admitindo-se que na década de 1970, os melhores dias da carreira de Leigh já haviam ficado para trás, ainda assim há uma pequena dúvida se passar por Psycho poderia ter ajudado a ela e sua carreira no longo prazo.

6 – Christopher Behling

 Atores que arruinaram suas carreiras

Christopher Robert ‘Bob’ Behling começou sua carreira em 1949 com um papel em The Ford Theatre Hour, uma antologia de série da Broadway. A partir daí, sua carreira cresceu com o papel em The Devil’s Men with Donald Pleasence, no filme italiano The Hook, e na sequência de Dirty Harry, The Enforcer.

No entanto, Behling sempre teve problemas com seus papéis de ator. Apesar de ter alguns bons filmes em seu currículo na década de 1970, a dúvida de Behling o levou a assumir um papel no notório Video Nasty Island Of Death quando estava no auge de sua carreira e no ponto mais baixo de sua vida. Nico Mastorakis, diretor de Island Of Death, deixou registrado que trabalhar com Behling foi uma experiência difícil porque Behling estava lutando contra vários demônios pessoais na época. No entanto, estrelar a peça desastrosa da exploração de Nico arruinou a carreira de Behling e o impediu de conquistar o estrelato que poderia ter alcançado.

Behling estrelou alguns filmes eróticos e de terror de baixo orçamento depois de Island Of Death, com sua última aparição em Cujo, de 1983. Depois desse filme, Behling cometeu suicídio tristemente. Mastorakis atesta isso às constantes dúvidas de Behling sobre sua carreira e sexualidade, mas, mesmo assim, sua morte em 1983 significou tragicamente que Behling nunca se tornou a estrela que poderia ter sido.

5 – Marlon Brando

Um grande maestro da atuação, Marlon Brando é a estrela de muitos filmes icônicos com papéis em títulos como O Poderoso Chefão, Guys And Dolls, Apocalypse Now, The Wild One e Superman de 1978. Em sua carreira de sessenta anos, ele ganhou uma infinidade de prêmios por seu estilo de atuação ‘realismo’ e performances excepcionais.

No entanto, começou a ficar evidente no final dos anos 1970 que, além de ser um ator incrível, Marlon Brando era incrivelmente difícil de trabalhar. Durante as filmagens de Superman e O Poderoso Chefão, Brando se recusou a aprender suas falas e as equipes de produção tiveram que encontrar maneiras inteligentes de colocar suas falas diante dele, como gravá-las em volta do estômago de Robert Duvall em O Poderoso Chefão ou escritas na fralda do bebê em Super homen.

No entanto, The Island Of Dr. Moreau, de 1996, apresentou Brando em sua forma mais insana. O filme já era um pesadelo para sair do papel, mas Brando não fez nenhum favor à produção. Seus acessos de raiva, confrontos e decisões loucas enquanto filmava muitas vezes atrasavam a produção. O resultado foi uma grande confusão que fez com que o escritor / diretor Richard Stanley fosse demitido do estúdio de produção.

Como resultado, a carreira de Brando também estava próxima. Ninguém quis trabalhar com ele depois disso. Seus próximos papéis antes de sua morte foram em um drama independente, uma comédia negra canadense e um filme de roubo de Frank Oz com Robert de Niro.

4 – Camille Keaton

 Atores que arruinaram suas carreiras

Camille Keaton, parente distante da lenda Buster Keaton, era uma atriz e modelo americana cuja carreira se tornou infame por um papel no filme: a de Jennifer Hills no infame desagradável I Spit On Your Grave. Antes disso, a carreira de Keaton começou um tanto decentemente com uma estreia como o papel titular no italiano Giallo de 1972 O que você fez com Solange? A partir daí, ela estrelou o papel principal no filme de terror Tragic Ceremony, e parecia que ela estava subindo no mundo do cinema italiano.

No entanto, sua decisão de estrelar o notório vídeo desagradável de Meir Zarchi interrompeu sua carreira. A má recepção da bem-intencionada fábula de Zarchi significou que sua carreira na América foi fortemente atrofiada. Por exemplo, seu próximo papel foi em um filme de artes marciais filipino de 1982, onde ela foi creditada como ‘Garota no Banheiro’. Ela nunca viu outro papel principal novamente, nem na América, nem na Itália. Seu próximo grande papel veio em 2012 com o fracasso de terror de Rob Zombie, The Lords Of Salem.

Nem mesmo seu casamento com Sidney Luft, empresário de Hollywood e terceiro marido de Judy Garland, salvou sua carreira da ruína. Camille Keaton voltou aos olhos do público em 2019. No entanto, ela estava trabalhando com o ex-marido Zarchi em uma sequência do original I Spit On Your Grave: Déjà vu.

3 – Lindsey Lohan Atores que arruinaram suas carreiras

Lindsey Lohan teve uma carreira incrível no início dos anos 2000. Seu papel icônico de Operação Cupido em 1998 a tornou uma estrela de Hollywood. O que levou os produtores a elogiarem seu talento em um mundo em evolução de cinema adolescente. Não contente com seu estrelato na Disney, Lohan se tornou um ídolo adolescente com vários lançamentos musicais. Logo começou a assumir papéis em filmes mais maduros, como Mean Girls, Just My Luck e Capítulo 27.

No entanto, um papel no filme de terror de 2007 I Know Who Killed Me foi o ponto em que sua carreira mudou de emocionante para embaraçosa. Nessa época, sua caótica vida pessoal começou a afetar seriamente suas habilidades como atriz. Durante as filmagens do filme, Lohan estava em reabilitação por uso de drogas, saindo apenas durante o dia para filmar. Além disso, os paparazzi não a deixariam sozinha enquanto filmava com alguns fotógrafos que acabaram no fundo do filme por acidente.

I Know Who Killed Me foi um grande fracasso, com números decepcionantes de bilheteria e críticas ruins dos críticos. A carreira de Lohan começou a cair em queda livre e este filme provou que as pessoas estavam começando a prestar mais atenção em suas travessuras ultrajantes do que em seu trabalho no cinema. Embora o filme não fosse um pesadelo apenas por causa dela, 2007 marcou o início da reabilitação ordenada pelo tribunal e múltiplas ofensas DUI para Lohan, cimentando uma má reputação que não pôde ser recuperada.

2 – Bela Lugosi Atores que arruinaram suas carreiras

 Atores que arruinaram suas carreiras

Todos reconhecem Bela Lugosi como o rosto do Drácula. Seu retrato do monstro literário em 1931 definiu o que um ‘vampiro’ deveria ser: hipnótico, estranho e excêntrico. Sempre que alguém imita o Drácula, com certeza está imitando Bela Lugosi.

Nenhum outro ator poderia desempenhar o papel do grande vampiro tão bem, e esse foi o principal problema da carreira de Lugosi. Ele começou na Hungria no final dos anos 1910. Uma performance na Broadway de Drácula de Bram Stoker em 1927 o ajudou a subir no mundo do cinema. O sotaque húngaro de Lugosi e seu estilo de atuação excêntrico deram vida ao personagem. Mas infelizmente levou a uma escolha de personagens que limitou os papéis que ele foi chamado para desempenhar. Enquanto seu colega ator monstro Boris Karloff estava recebendo grandes papéis na época, Lugosi teve que se contentar com pequenos papéis apenas para manter a cabeça acima da água.

O vício em drogas na década de 1940 decorrente de neurite ciática não ajudou suas chances na indústria cinematográfica. No final, ele só conseguiu encontrar trabalho estrelando os filmes terrivelmente infames de Ed Wood. Lugosi morreu em 1956 e, em homenagem ao único papel que ele respeitou e foi respeitado, foi enterrado com sua famosa fantasia de Drácula.

1 – Linda Blair Atores que arruinaram suas carreiras

É justo dizer que trabalhar em O Exorcista afetou a vida de todos os envolvidos. A reação das comunidades cristãs e a aparente ‘maldição’ significaram que as pessoas simplesmente não eram as mesmas depois. A pobre Linda Blair foi uma das poucas que foi gravemente afetada pelo filme. Pois, depois de seu papel como a possuída Regan MacNeil, ela lutou no ramo do cinema.

Blair recebeu muito escrutínio graças ao filme, que resultou em ameaças de morte. A situação ficou tão ruim que a Warner Bros. teve que trazer Blair para uma turnê de imprensa. Apenas para provar que ela era uma adolescente comum e não uma cria de Satanás. No entanto, a NBC escolheu Linda Blair após O Exorcista e decidiu capitalizar sobre o sucesso chocante do filme, colocando-a no filme Born Innocent, o filme de TV com maior audiência nos Estados Unidos.

Blair se viu estrelando horrores de baixo orçamento e filmes de exploração como Savage Streets, Chained Heat, Hell Night e Witchery. Um momento muito difícil em sua vida. Esses filmes começaram a ganhar vários prêmios Golden Raspberry de Pior Atriz e ninguém conseguia levá-la a sério.

Sua carreira poderia ter sido muito diferente se ela não tivesse concordado em estrelar O Exorcista. No entanto, atualmente Blair tem uma nova retrospectiva de sua carreira no terror, estrelando em vários documentários e paródias.