Um mosteiro no caminho dos fotógrafos

Clelgen Luiz Bonetti e Norma Vasconcelos Saldanha Marinho são autores do texto “Um mosteiro no caminho dos fotógrafos” e das fotos neste artigo.

Fé e beleza se encontraram no bairro do Paraíso, em uma cidade do interior paulista a cerca de 300 km, da Capital.

Lá fica o Mosteiro do Paraíso, que segue a ordem beneditina: oração, silêncio e trabalho.

O mosteiro é um cenário fotográfico a céu aberto! Misticismo e beleza integrados pela arquitetura, pelas obras de artes de artistas locais e pela predominância da cor azul.

Foi planejado sob a forma de jardins temáticos abrangendo as principais datas do catolicismo. O suporte do mosteiro é a comunidade do bairro com vocação agrícola, composta de aproximadamente 100 famílias e cujo guia espiritual é o padre Nilton.

Nós, membros do fotoclube ABCclick temos o hábito de passear e fotografar. O fotoclube nos ajuda a desenvolver o nosso olhar e a usar instrumentos (hardwares e softwares) que possibilitam chegarmos através das imagens naquilo que imaginamos dos lugares. O resultado deste treinamento/aprendizado foi um livro de fotografia sobre este mosteiro maravilhoso que descobrimos quando estávamos passando pela região de Piracicaba.

Somos médicos e fotógrafos amadores.

Vista parcial da Capela de São José do Paraíso, de noite.
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Capela de São José do Paraíso, de frente
Formação que deu origem ao nome da cidade de Torrinha.
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Lago com as vias Lucis, Crucis e Sacra.
Jardim do Advento
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Capela do Santo Sepulcro
Entrada da Capela da Figueira
Um mosteiro no caminho dos fotógrafos
Uma das dezenas de espécies de aves do mosteiro

Gostou da nossa matéria “Um mosteiro no caminho dos fotógrafos“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias, e também conheça o nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Obras selecionadas do 9º Salão expostas na Linha de Cultura do Metrô SP

O Metrô de São Paulo apresenta a partir de hoje, 11 de maio, a exposição virtual Cenários, com fotos selecionadas do 9º Salão Nacional de Arte Fotográfica ABCclick, publicada na Linha da Cultura da Biblioteca Neli Siqueira, página na internet do Metrô de SP dedicada às artes.

Nessa primeira mostra foram selecionadas pela Diretoria Executiva do Fotoclube ABCclick 27 imagens que trazem perspectivas visuais com três pilares na narrativa: humanos, animais e a natureza, dentro de cenários variados mas sempre com uma conexão entre eles.

Para o Diretor de Fotografia do ABCclick, Clelgen Luiz Bonetti, “uma foto tem que revelar uma história que sensibilize o observador” como podemos perceber nesta exposição. “Não basta apenas a beleza visual, que por si só é incompleta”.

Todas as 27 fotos são em preto e branco, e com uma grande potência emocional, fazem parte das 100 fotografias classificadas e premiadas do 9º Salão Nacional de Arte Fotográfica do Fotoclube ABCclick realizado no começo deste ano. As demais fotos serão apresentadas nos próximos meses.

Fazem parte deste mostra as obras dos fotógrafos e fotógrafas Andreza Cunha, Antônio Ferreira, Cezar Magalhães, Cleusa Migliorini, Deborah Dias, Ederaldo Veronese, Elias Rosal, Gutemberg Ostemberg, Helder Fontenele, Ivan Cavas, Leny Fontenelle, Luís Carlos Martinelli, Magali Maschi, Patricia Marcondes, Peterson Azevedo, Raoni Frizzo, Régis Santos, Ricardo Fernandes, Ricardo Takamura, Roberto Soares Gomes, Thais Andressa, Thelmå Gatuz o e Valdeci de Oliveira.

A linha de Cultura pode ser acessada nesse link: https://biblioteca.metrosp.com.br/index.php/ptbr/359-linha-visuais/957-abcclick

O 9º Salão Nacional de Arte Fotográfica ABCclick foi um projeto aprovado e financiado pela Lei Aldir Blanc, através da Secretaria Municipal de Cultura de São Caetano do Sul, sendo realizado pelo Fotoclube ABCclick.

Serviço:
9º Salão Nacional de Arte Fotográfica ABCclick
Realização: Fotoclube ABCclick ( www.abcclick.com.br)
Parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de São Caetano do Sul
Projeto aprovado e financiado pela Lei Aldir Blanc
Supervisão da Confederação Brasileira de Fotografia (CONFOTO)
Mais informações pelo site www.abcclick.com.br/9salao

Obras selecionadas do 9º Salão expostas na Linha de Cultura do Metrô SP

Gostou da nossa matéria “Obras selecionadas do 9º Salão expostas na Linha de Cultura do Metrô SP“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Mãe, Maravilhosa por natureza

Jornal Grande ABC
Jornal Grande ABC
Mãe, Maravilhosa por natureza
/

Lorena Pelais é autora de “Mãe, Maravilhosa por natureza”

Maternidade é fantástica, seu corpo dá espaço e abriga um outro novo ser, autossuficiente para produzir alimento, rico em proteínas fundamental à fase inicial da vida.

Mães são imprevisíveis, são os seres mais humanos que podem existir, elas piram, elas surtam, elas podem parecer chatas, porém são incrivelmente encantadoras, suas “obrigações” são inúmeras, suas preocupações incontáveis, são simplesmente loucas, loucas por suas crias.

Tiram forças de onde não tem, superam obstáculos por um amor maior, tornam-se “autoimunes” quando se trata de seus filhos, saúde de ferro, nem parecem que ficam doentes.

Não possuem super poderes, mas são tão fortes para não demonstrarem suas fraquezas, pois no fundo elas são mulheres, moças e até meninas cheias de sonhos, bondosas com muitas expectativas.

São generosas sem limites, partilham suas vidas com os pequenos e de “quebra” com toda a família.

Ser Mãe é muito abrangente, se torna educadora, atua em diversas disciplinas, artes , português, matemática, ciências, história, geografia, etiqueta e boas maneiras, entende dialetos, fala em línguas. É mímica, entende “libras” nas fases iniciais.
É médica, enfermeira, nutricionista, cozinheira, mestre cuca, “queimam a mufa” aspiram ser mais completas a cada dia.

São racionais, mas “viram bichos” quando se tratam de seus filhos, acalentam e os protegem com unhas e dentes.
São meteorologista natas, astrólogas, sensitivas de carteirinha, preveem o futuro, antecipam os fatos do presente e guardam docilmente em boas lembranças o passado.

São escritoras, historiadoras, arquivistas, registram e guardam cada dente. Contadoras de histórias, estatutárias sabem em detalhes de aspectos que as crianças nem imaginam, estimam os percentuais dos prós e revés.
Mãe é super protetora, orienta mas os filhos fazem suas próprias escolhas.
Mãe dá asas, ensina a voar, usar freio de pouso e sinaliza a pista para resguardar seus tesouros.

Mãe é uma fase intermediária, é um estágio desafiador do processo, momento de erros e acertos, sem tempo para avaliações finais , mas sempre com recuperações paralelas diárias talvez, são filósofas, pensadoras, estrategistas, malabaristas.
Mães são “polvos” desdobram-se em muitas, realizam inúmeros feitos em apenas 24h por dia, todos os dias, durante 365 dias do ano e vivem nesse círculo da “caverna do dragão”, a roda gigante mostra a saída, mas o portal se mantém fechado ao compromisso de cuidar da dádiva que foi recebida dos Céus, cultua a Fé para se manter firme, forte e de pé.

Com passar do tempo, se tornam Avós, se tornam humoristas “filhos criados trabalho dobrado” , a generosidade está entranhada nos ossos, pele, na alma, não tem como não ser algo além.
Dividi-se em duas, mãe e avó, atenção diferenciada de acordo com a faixa etária, conselhos constantes às crias e “invenção de moda” com os netinhos transfere parte de sua vivência geralmente em trabalhos manuais, reforça as regras de etiqueta, olha sério pras peripécias, mas já não distribui tantos puxões de orelha (exclusividade reservada).

Bisavós, essas são as mais estilosas, alegres, o tempo pode não ser o melhor aliado “exauriu” suas forças nas etapas anteriores, geralmente, sem forças para saltar e correr, reforça a importância da disciplina, que “esperto demais se atrapalha” relembra seus tempos de menina , fala sobre paciência e das mudanças das últimas décadas vividas, a beleza não é tão aparente, se torna quase irreconhecível, mas deixa sua alma gravada passada com tanta sabedoria.

Mamãe Maravilha desenvolve seus dons e aceitam todas as etapas da vida, se doa, cuida e cresce lado a lado com suas crias.

De geração em geração, etapas e mais etapas ser Mãe é evoluir conscientemente ou inconscientemente dia após dia.

Feliz dia das Mães!! 💖
Lorena Pelais ॐ∞

Gostou da nossa matéria “Mãe, Maravilhosa por natureza.“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau

Principal destaque da programação do mês, que será realizada nos dias 19, 20 e 21 de maio, O Museu É Nerd integra as atividades propostas pelo MM Gerdau para a 19ª Semana Nacional de Museus pelo Ibram.  A proposta é reverberar a temática nerd em diálogo com o recorte curatorial do museu por meio de atividades como bate-papos, workshop, exposições, concurso de cosplay, K-pop, RPG, Games, HQs, além de um inédito e inovador Artist’s Alley virtual

A cada atividade cultural proposta pelo MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, o espaço busca, ao máximo, promover discussões teóricas e atividades práticas a fim de pensar o museu que se virtualiza e cria novas relações com outros campos e esferas. É a partir desta premissa que o MM Gerdau realiza o Museu É Nerd – iniciativa que integra a programação do museu desde 2017 – nos próximos dias 19, 20 e 21 de maio. Este ano a ação faz parte da 19º Semana Nacional de Museus pelo Ibram, que, em 2021,dialoga com o tema geral proposto: “O futuro dos museus – recuperar e reimaginar”.

Agora, em maio de 2021, a intenção é incentivar a discussão e a troca (por meio de atividades como apresentações de cosplay, K-pop, RPG, games, HQs, feira, espaço para jogos, bate-papo, workshops, exposições, etc) entre um universo que já nasce imerso no imaginário science fiction (sci-fi),  e espaços museológicos, já que, na suspensão de atividades físicas, o tecnológico, o digital e o ficcional, passam a ser também uma expansão de olhares para as constituições dos museus.

As conversações propõem, também, um paralelo interessante entre o surgimento do universo nerd no fim dos anos 30 – com a criação de Superman (1938) e Batman (1939) para os quadrinhos – e sua relação com o contexto pós-Revolução Industrial, da mesmo forma como, em 2021, a digitalização e a virtualização da vida se tornaram as questões temporais que imergem o mundo geek em um futurismo centenário de temas como universos ampliados e estendidos, NFT – arte digital e cryptoart, preload de games e animação, The GDMC Competition.

Todos estes temas e recortes serão discutidos e condutores para as atividades que contam com nomes como Carlos Fraiha, animador brasileiro indicado ao Oscar de animação com o filme “Os Guardiões da Galáxia” com os criadores do game brasileiro “Lampião Verde – A maldição da botija”, de Campina Grande, com o professor Claus Aranha da Universidade de Tsukuba, no Japão, e com o professor Gabriel Menotti, da Queen’s University, Canadá. Esses são alguns dos convidados para a construção de diálogos entre o universo nerd e o futuro dos museus.

Todas as atividades são gratuitas e serão realizadas de forma 100% online, uma vez que o museu segue com todas as ações em âmbito virtual como medida de combate à pandemia do COVID-19.

PROGRAMAÇÃO / O MUSEU É NERD:

Trilha: “Universos estendidos e ampliados” – 19/05

– 19/05, às 10h: “The GDMC Competition – A Inteligência Artificial e a experiência Minecraf” com Prof. Claus Aranha | Universidade Tsukuba (JP)

O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau - Museu das Minas
MM Gerdau/Divulgação Claus Aranha – Universidade Tsukuba – O Museu é Nerd!

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Mediação: Rangel Soares

Sinopse da atividade: Entre 2020 e 2021, o mundo mergulhou no metaverso; saímos dos encontros presenciais para encontros virtuais; a Realidade Estendida (XR-Extended Reality) passou a fazer parte de nossos dias; os vários lugares de uma realidade ficcional nos provocou a intensificação dos usos da tecnologia para a vivência em experiências com interfaces computacionais baseadas em Realidade Aumentada (AR-Augmented Reality), Realidade Virtual (VR-Virtual Reality) e Realidade Mista (MR-Mix Reality). É provável que, se você fez uma visita aos museus nos últimos anos, óculos de Realidade Virtual estiveram presentes para garantir sua imersão na obra. Quantos filtros AR você usou no Instagram? Já parou para pensar? As conferências de tecnologia ou os megas shows de música trouxeram a AR para a sala da sua casa, podendo, em um futuro próximo, acelerar a possibilidade de outras experiências coletivas – da arte à ciência. A trilha Universos estendidos e ampliados se inicia com a apresentação do professor da Universidade de Tsukuba – Japão, o maranhense Claus Aranha, que orienta alunos sobre o uso da Inteligência Artificial na competição de Design Generativo no Minecraft – The GDMC Competition (Generative Design Competition in Minecraft). O design generativo tem na tecnologia a relação de criação conjunta, e, através de algoritmos, a capacidade criativa é expandida. A competição tem auxiliado no desenvolvimento de novas possibilidades para se pensar o planejamento urbano, e o jogo Minecraft é a base para a criação.

Convidado: Claus Aranha | Universidade Tsukuba (JP)

Claus Aranha se formou na UNICAMP e hoje é professor na Universidade de Tsukuba, Japão. Sua pesquisa é focada em Vida Artificial, Evolução Computacional e Inteligência Artificial para jogos como Lobisomem e Minecraft. Nas horas vagas, gosta de participar de Game Jams.

Mediação: Rangel Sales | Docente UNI-BH e Doutorando na Escola de Design – UEMG (BR)

Docente no Centro Universitário de Belo Horizonte – UniBH desde 2010, atua profissionalmente nas áreas de design gráfico e editorial. Seus interesses acadêmicos são comunicação, educação e museologia. Tem experiência profissional em coordenação acadêmica, docência e pesquisa em design. É graduado em Comunicação Social, especializado em Projetos Editoriais e é Mestre em Educação Tecnológica. Atualmente, dedica-se à pesquisa, para doutoramento em Design, intitulada: “Do imaginário ao representativo: a atuação do design emocional na concepção dos espaços museais da hipermodernidade” no programa de Pós-Graduação em Design da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG, sob orientação da Profa. Dra .Marcelina das Graças de Almeida.

14:30   Visita Virtual Mediada – “Entre Blocos e Picaretas: uma visita craftada”

(ação educativa do MM Gerdau por meio das plataformas Zoom ou Meeting, traduzida em LIBRAS)

“Entre Blocos e Picaretas: uma visita craftada” é um convite para uma aventura virtual pelo Museu, inspirada nos modelos de mundo aberto à maneira de alguns jogos contemporâneos e, mais especificamente, ao Minecraft, criado por Markus Persson. Enquanto estiverem “logados” conosco, os visitantes serão estimulados a explorar o ambiente, conhecer suas características e a descobrir minerais presentes na produção tecnológica. Ao longo dessa jornada o visitante poderá refletir sobre as potencialidades dos jogos virtuais e suas conexões entre diferentes mundos.

Inscrições individuais:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfdSZ-ZgVVYxN9HC_mDmO2TRUrz66aAa0gMf6UbRDufFh32Jg/viewform

Inscrições para grupos pelo e-maileducativomm@mmgerdau.org.br

– 19/05, às 19h: “Museu sem Paredes”, com Prof. Gabriel Menotti | Queen’s University (CA)

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Hervan Rossi Gabriel Menotti / Queen’s University – O Museu é Nerd!

Mediação: Karla Danitza

Sinopse da atividade: Na mesma trilha, professor assistente em curadoria e imagem em movimento na Queen’s University, em Ontário, Gabriel Menotti, antecipa as conexões da semana: ele apresenta o projeto “Museus sem Paredes” realizado em parceria com o Museu de Artes do Espírito Santo – MAES, com o apoio do Social Sciences and Humanities Research Council do Canadá e da Agnes Etherington Art Centre, Canadá. O encontro é um convite para se pensar que futuro há no presente da virtualização das realidades.

Convidado: Prof. Gabriel Menotti | Universidade Federal do Espírito Santo (BR)

Gabriel Menotti é pesquisador e curador independente, atuando em diversas formas de cinema. Atualmente trabalha como professor assistente em curadoria e imagem em movimento na Queen’s University, em Ontário. É autor e organizador de diversas publicações sobre imagem e tecnologia lançadas no Brasil e no exterior. Seu livro mais recente é “Practices of Projection: Histories and Technologies” (Oxford University Press, 2020), co-editado com Virginia Crisp. Coordena a rede de pesquisa e festival Besides the Screen.

– 19/05, às 20h /  “NFTs e CryptoArt, a Arte em um universo intangível e não fungível”, com Mônica Rizzoli e Shima Hirokazu Shimabukuro (BR)

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e na Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Acervo pessoal Shima Hirokazu Shimabukuro – O Museu é Nerd!

Mediação: Shima Hirokazu

Sinopse da atividade: Os debates do dia se encerram com a mais recente discussão sobre mercados, propriedade intelectual e autenticidade na produção artística arquivada no digital: o NFT – Non-Fungible Tokens, tokens não fungíveis ou bens de dados únicos. NFTs e cryptoart ganharam força nos últimos meses e têm provocado controvérsias sobre sua efetividade como geração de recursos, visto que usa criptomoedas, como a Ethereum ou a mais conhecida, a Bitcoin, para compra e venda de obras de arte no universo intangível e, agora, não fungível do digital.

Convidada: Mônica Rizzoli | Artista Plástica (BR)

Monica Rizzolli é artista-programadora, estudou no Instituto de Artes da UNESP e na Kunsthochschule Kassel (Alemanha). Participou de projetos internacionais como MAK Center Artists and Architects (EUA), Creatives in Residence (China), Sweet Home (Espanha) e A.I.R. DRAWinternational (França). Recebeu o prêmio MAK Schindler, do MAK – Museum of Applied Arts Vienna. É co-fundadora da Noite de Processing e co-organizadora do Processing Community Day São Paulo de 2019, evento anual da Processing Foundation. É sócia da type foundry Just in Type e do estúdio de design Contrast – programação, tipografia e design.

Mediador: Shima Hirokazu Shimabukuro (BR)

Shima (São Paulo, 1978), vive e trabalha em Belo Horizonte/MG. É artista, pesquisador e professor em artes visuais formado em Desenho Industrial e pós-graduado em Gestão Cultural Contemporânea. Sua produção artística envolve performances, instalações, intervenções urbanas, audiovisuais, pinturas, desenhos e fotografias. Coordena o Espaço Efêmero, em Carrancas/MG e orienta artistas na construção de ferramentas para gestionar a carreira. É chef executivo no bistrô A Casa da Agnes e Designer na Agência New Friends on the Block, voltado para o mercado de Blockchains. Recentemente ingressou no mercado das NFT e participa da criação da comunidade CryptoArtBr e da 1ª Exposição Brasileira de CryptoArt. http://www.shima.art.br

– 21h / “Streaming Games – Among us com Canal RZero, GM Station Oficial, Capitão Serket (BR)”

Onde: Na Twitch TV do MM Gerdau

Mediação: Organizadoras do Museu é Nerd

Streamers Convidados:

– canal_rzero: Raphael Zero, carioca que mora em SP, ótimo em piadas ruins e fazer rimas aleatórias. Fã de JRPGs, RPGs Táticos, Roguelikes, Metroidvanias, indies e jogos de aventura.

– gmstation: George, cosplayer, editor de vídeo, criador de conteúdo e streamer na GM Station. Paulistano de nascimento, atualmente mora em BH. Curte jogos de RPG, de aventura, mundo aberto e plataforma. Gosta de focar na exploração do enredo e aproveita a aventura para conhecer mais sobre a obra, suas ligações e referências.

– capitaoserket: Felipe Cássio, conhecido como Serket, é streamer e cosplayer, especializado em Legends of Runeterra, Magic e League of legends. Aos 27, é atualmente o maior streamer de Legends of Runeterra do Brasil.

Organizadoras e apresentadoras do Museu é Nerd:

– Melânya Fiaux (Mel) é professora de inglês, tradutora, atriz e dubladora. É cosplayer desde 2006 e trabalha apresentando eventos em Belo Horizonte e região desde 2013. Melânya faz parte da equipe organizadora do “Museu é Nerd” desde sua primeira edição.

– RachAsakawa: Rachel é cosplayer desde 1999, apresentadora de palcos desde 2004, assim como juíza e organizadora de concursos em diversos eventos pelo país. Também conhecida por seu trabalho de cosplay e fotografia junto de sua esposa Rizzy, formando o time Praia de Concreto, nome também do canal de streaming da dupla.

– Rayara Eckhardt, ou Rizzy, como é conhecida nas redes sociais, é fotógrafa e cosplayer há aproximadamente 8 anos. Já participou e venceu diversos concursos cosplays e hoje é organizadora/jurada de concursos cosplays.

– Vitória Barros, conhecida também como Vii Princess, se dedica há 11 anos à divulgação da moda japonesa como coordenadora do grupo Moda Harajuku MG. Nesse tempo, já passou por Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba representando o grupo e palestrando sobre o estilo de Harajuku. Antes disso foi cosplayer desde os 13 anos de idade, e desde os 18 participa da organização de eventos dedicados à cultura pop japonesa no estado de Minas Gerais. 

Trilha: Universos Nerd – 20/05

Sinopse da atividade: Já em sua 5ª edição, o Museu é Nerd tem a intenção de aproximar o público nerd do Museu das Minas e do Metal. Ele compõe a trilha que traz workshop, concurso e feira. Do universo recente do K-pop à feira no estilo Artist’s Alley dos grande eventos nerd, quatro garotas nerds, Mel, Rach, Ray e Vic fazem um convite aos cosplayers, gamers, streamers, dubladores e um professor de língua japonesa para a exibição de uma programação diversa. Entre os convidados estão a campeã nacional e jurada da CCXP – Comic Con Experience, Thais Yuki, Júlio Shirou – vencedor da CCXP 2019 e Nando Grey, representante do Brasil no Mundial de Cosplay WCS (World Cosplay Summit).

O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau - Museu das Minas
Thais Yuki /Divulgação Cosplay Mulher Gato – Thais Yuki – O Museu é Nerd!

– 20/05, às 15h: Workshop – K-Pop com Giulia Chan (BR)

Duração: 1h

Canal: Zoom

Quantidade de participantes: 20

Faixa Etária: livre

Inscrições pelo Sympla

Sinopse da atividade: O k-pop se popularizou nos últimos anos, puxados pela popularidade de ídolos que alcançaram fama internacional como Psy – Gangnam Style, Black Pink e BTS. As coreografias elaboradas fazem sucesso com o público. Oficina de introdução aos passos de dança K-Pop.

Professora: Giulia Chan é professora de Kpop há 4 anos e acompanha o estilo musical desde 2014!  Se dedica à dança há aproximadamente 9 anos, tendo feito aulas de jazz e danças urbanas. Atualmente faz parte de um grupo cover de Kpop chamado B&W Dance Crew.

Acervo pessoal Giulia Chan

– 20/05, às 16h: Workshop – Cosplay com Thaís Yuki (BR)

Duração: 1h

Quantidade de participantes: 20

Faixa Etária: 16+

Canal: Zoom
Inscrições pelo Sympla

Sinopse da atividade: A campeã nacional e jurada da CCXP Thais Yuki ministra uma oficina de cosplay ao vivo, ensinando técnicas de construção de acessórios com a oficina de elaboração de circuito de LED para iluminar armaduras e outros props.

Sobre Thaís Jussimmais conhecida como Yuki Lefay, é uma referência do cosplay nacional. Durante anos venceu diversos concursos em todo o país, e foi  representante brasileira no WCS Japão. Cenógrafa, figurinista, maquiadora profissional e produtora atuante principalmente no mercado publicitário e de eventos, também é sócia da Cosplay Art, empresa responsável pela organização e curadoria das atividades de cosplay dos maiores eventos do país. Frequentemente convidada a participar e julgar concursos em grandes eventos por todo o mundo, Yuki conta com mais de 70 cosplays realizados, e diversos títulos acumulados. Por sua vasta experiência e conhecimento nas mais diversas áreas do cosplay, é jurada de concurso de cosplay e consultora em eventos como CCXP, BGS, GameXP, Geek City, entre outros.

– 20/05, às 18h: Bate Papo – Dublagem em filmes, games e animações com Melânya Fiaux e Luciano Vivacqua (BR)

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividadeA dublagem é umas das principais profissões ligadas ao entretenimento e que desperta muita curiosidade entre os fãs de jogos, filmes e animações. Na live, os dubladores profissionais Melânya Fiaux e Luciano Vivacqua contam mais sobre a profissão, como se tornar um dublador e técnicas de dublagem.

Convidados:

– Luciano Vivacqua é Bacharel em Literatura pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP, 2003) e Ator pelo Centro de Formação Artístico e Tecnológico (CEFART, 2006). Dublador e diretor de dublagem há mais de dez anos, Luciano tem seus trabalhos como dublador e voice over exibidos em canais como SBT, HBO, AMC, Netflix, Paramount, Studio Universal, National Geografic, entre outros. Como diretor de dublagem, já contabilizou mais de uma centena de filmes dirigidos em versão brasileira, desde voice over, passando por desenhos animados, séries, longas e curtas metragens. 

– Melânya Fiaux (Mel) é professora de inglês, tradutora, atriz e dubladora. É cosplayer desde 2006 e trabalha apresentando eventos em Belo Horizonte e região desde 2013. Melânya faz parte da equipe organizadora do “Museu é Nerd” desde sua primeira edição.

– 20/05, às 19h30 – Premiação – Concurso Cosplay (BR)

Informações sobre regras de participação e premiação serão informadas no Instagram do MM Gerdau – Em breve

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Jurados: Paula Kamei (jurada do WCS Belo Horizonte), Júlio Shirou (vencedor da CCXP 2019) e Nando Grey (representante do Brasil no Mundial de Cosplay WCS).

Bios jurados:

– Júlio Shirou (BR): Júlio César, cosplayer mineiro, conhecido no meio cosplay como “Shirou” e praticante do hobby desde 2007. A parte que mais gosto do cosplay é o play (performance), representar uma cena em palco retratando meus personagens favoritos. Sou também apaixonado pela criação artística de props para cosplay das mais diversas técnicas, formas e materiais. Os trabalhos que mais me inspiram estão diante do cenário competitivo pois posso atrelar o amor ao cos e ao play de maneira completa.

– Nando Grey (BR): Cosplayer desde 2010, 4 vezes finalista do world cosplay summit Brasil, e campeão brasileiro em 2014, representando o Brasil no Japão em 2015. Além de competidor, também atua como jurado desde 2014, tendo integrado o júri de dezenas de concursos em diversos estados brasileiros.

– Paula Kamei (BR): Olá, sou Kamei, sou cosplayer e frequento eventos geek desde 2008. Com o passar dos anos aprendi a produzir meus cosplays, costurar, fazer props, estilizar perucas, maquiagem e muito mais. O hobby me ajudou tanto pessoalmente como profissionalmente, trabalhei em muitos eventos e ações como cosplayer. Fico muito feliz de ser novamente convidada pelo O Museu é Nerd para ser júri do concurso cosplay!

Trilha: Preload – 21/05

Recorte curatorial: Em jogos, o game preloading é a possibilidade de se realizar a descarga/download dos jogos antes de eles estarem disponíveis. No Preload da Semana Nacional de Museus,  jogo e animação são partes da reflexão sobre o futuro dos museus. Em um universo de realidades estendidas e ampliadas, a virtualização e a digitalização são também a gamificação das artes, das ciências e da vida? Há mais de oitenta anos o historiador Johan Huizinga escreveu sobre o homem e o jogo. Em seu livro Homo ludens: o jogo como elemento da cultura (1938), ele fala sobre o homem que transcende o sapiens, o faber e passa a ser ludens. Para o historiador “é no jogo e pelo jogo que a civilização surge e se desenvolve”.

– 21/05, às 14h30: Workshop – Japonês com Tsuyoshi (BR)

Sinopse da atividade: O professor do Centro de Língua Japonesa de BH, Tsuyoshi, apresenta uma aula online em que ensina o básico da língua japonesa para os participantes. Exibição de trechos curtos, de menos de 20 segundos, de animações japonesas e páginas de quadrinhos para contextualização da aula.

Duração: 1h

Canal: Zoom

Quantidade de participantes: 20

Faixa Etária: 13+

Inscrições pelo Sympla

Professor: Renato Tsuyoshi é professor de língua japonesa há 12 anos, tendo atuado na escola modelo de língua japonesa de Minas Gerais e é um dos fundadores do Centro de Língua Japonesa de Belo Horizonte. Em 2014 foi para o Japão como bolsista do programa JICA para formação de professores de japonês. Suas aulas tem como foco a cultura japonesa associada ao aprendizado da língua.

– 21/05, às 16h – Ceci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca, com Carlos Fraiha (CA)

Mediação: Karla Danitza

Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividadeCeci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca, traz um bate papo sobre a animação que conta o percurso do belo-horizontino Carlos Fraiha, animador profissional desde 2008. Ceci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca talvez seja uma aventura sobre o imaginário nos museus. Carlos integrou a equipe vencedora do Oscar de efeitos especiais de 2017, por Mogli: o menino lobo. Em 2021 concorre ao Oscar com A Caminho da Lua como melhor longa de animação.

ConvidadoCarlos Fraiha é animador profissional desde 2008, com passagem por alguns dos principais estúdios do mundo na área, como a Industrial Light & Magic e Weta Digital. Atualmente faz parte da equipe de animação da Sony Pictures Imageworks, no Canadá. Entre seus trabalhos estão os filmes Guardiões da Galáxia, Vingadores: Guerra Infinita, Mogli, O Hobbit, Planeta dos Macacos: A Guerra, Jurassic World: Fallen Kingdom, e o longa de animação A Caminho da Lua.

– 21/05, às 18h – Mundo acessível com Christian Bernauer | AbleGamers (BR) + Lucas Ramon | Educativo MM Gerdau

Mediação: Mateus Nogueira

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividade: Em preload, a acessibilidade e a inclusão são discutidas em colaboração com a AbleGamers, que trata especificamente do desenvolvimento de suportes para atendimento às diversidades das Pessoas com Deficiências. Nesse encontro, o museu lança o seu Librário Digital, um jogo de libras que ensina a todos a Língua Brasileira de Sinais – LIbras.

ConvidadoChristian Bernauer | AbleGamers (BR) | Representante da AbleGamers no Brasil, instituição que há mais de 15 anos atua para tornar videogames mais acessíveis para pessoas com deficiência (PcD). Desde 2017 organizando eventos para arrecadar fundos para a AbleGamers e discutindo o tema de acessibilidade em videogames. Ex-apresentador do Xbox Drops e Sextou Xbox, programas do canal oficial de Xbox Brasil no Youtube. Ex-redator no blog Nós Nerds. Idealizador da campanha Rod In Brazil, que mobilizou a comunidade de Xbox para trazer Rod Fergusson, diretor da franquia Gears of War para a BGS 2018.

ConvidadoLucas Ramon – Educativo MM Gerdau | Lucas Ramon é cartunista e surdo brasileiro. Apresentou desenhos no Festival Internacional de  Quadrinhos em 2015 sobre os Três Patetas Surdos. Após este evento passou a ministrar palestra em quase todos os estados no Brasil com o mesmo tema. Aos 25 anos de idade, se profissionalizou em desenho, curso ofertado pela Casa dos Quadrinhos, em Belo Horizonte, onde conheceu o mundo das histórias em quadrinho e animação Cartoon Network, onde se apaixonou. O livro “Três Patetas Surdos” foi lançado no Bienal Minas Gerais em 2016. Lucas também fez exposição de seus desenhos na Gibiteca de Curitiba; deu entrevistas para emissoras de TVS Rede Minas, Record e outras; foi convidado para participar do dia dos quadrinhos em Belo Horizonte-MG (2016, 2017 e 2018), e lançou o livro “Os Dinossauros Sobrevivem”, que até 2021 já alcançou 1720 unidades vendidas.

– 21/05, às 19h – Sertão Profundo e o game brasileiro “Lampião Verde – A maldição da botija” com Rubem Medeiros

Mediação: Luciano Jorge

Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

Sinopse da atividade: Nascido em Campina Grande, na Paraíba – “Lampião Verde – A maldição da botija” é um jogo brasileiro inspirado no herói Lanterna Verde. O game é um passeio pelas culturas nordestinas do sertão e os imaginários nas histórias de Lampião. Em um pequeno trecho sobre o desenvolvimento, que a turma do Narsvera mantém updates sobre o processo de criação, há indicações dos caminhos do que veremos no game. Já Sertão Profundo é um jogo de ação e aventura ambientado num universo fantástico inspirado no imaginário da cultura nordestina. Com jogabilidade que conta com exploração, combates e puzzles, o jogo conta a história de um Lampião moribundo que vai entrar nesse novo mundo e tentar refazer seu bando enquanto lida com seu passado de terror.

Convidados:

– Rubem Medeiros | Sertão Profundo (BR) | Rubem Medeiros é graduado e mestre em Engenharia Elétrica, tendo também cursado Composição Musical. Além de professor na área de Computação e presidente da Associação Paraibana de Games, atua principalmente como diretor no estúdio Narsvera, desenvolvendo jogos e aplicações interativas com viés mais artístico e cultural.

  • Luciano Jorge (BR) | Professor da rede pública de Belo Horizonte e do Estado de Minas Gerais. Luciano também é membro do Observatório da Discriminação racial no Futebol e contribui com o Jornal Empoderado. Seus trabalhos passam pelo Ensino da Educação Física, mundo nerd, futebol e questões raciais e temas correlatos

AGENDA – SEMANA NACIONAL DOS MUSEUS – O MUSEU É NERD

TRILHAS

Universos estendidos e ampliados

Quarta-feira, dia 19 de maio

10:00  The GDMC Competition – A Inteligência Artificial e a experiência Minecraf  – Prof. Claus

Aranha | Universidade Tsukuba (JP) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

14:30   Visita Virtual Mediada com o Educativo – Entre Blocos e Picaretas: uma visita craftada – Plataformas Zoom ou Meeting, com tradução em LIBRAS.

19:00  Museu sem Paredes – Prof. Gabriel Menotti | UFES (BR-CA) –  Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

20:00  NFTs e CryptoArt, a Arte em um universo intangível e não fungível – Mônica Rizzoli e Shima Hirokazu Shimabukuro (BR) –Transmissão ao vivo no canal do YouTube e na Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

21:00  Streaming Games – Among us com Canal RZero, GM Station Oficial, Capitão Serket (BR) – Na Twitch TV do MM Gerdau

Universo Nerd e cosplays

Quinta-feira, dia 20 de maio

15:00  Workshop – K-Pop com Giulia Chan (BR) – Plataforma Zoom

Inscrições:https://www.sympla.com.br/workshop—k-pop-com-giulia-chan-br__1211101

16:00  Workshop – Cosplay com Thaís Yuki (BR)- Plataforma Zoom

Inscriçõeshttps://www.sympla.com.br/workshop—cosplay-com-thais-yuki-br__1211140 

18:00  Bate-papo – Dublagem em filmes, games e animações com Melânya Fiaux e Luciano

Vivacqua (BR) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

19:30  Premiação – Concurso Cosplay (BR) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

Preload

Sexta-feira, dia 21 de maio

14:30  Workshop – Japonês com Tsuyoshi (BR) –  Plataforma Zoom

Inscrições: https://www.sympla.com.br/workshop—japones-com-tsuyoshi-br__1211165 

16:00  Ceci n’est pas une mouche – Isto não é uma mosca com Carlos Fraiha (CA) – Transmissão ao vivo no canal do YouTube e Twitch TV do Museu, com tradução em LIBRAS.

18:00  Mundo acessível com Christian Bernauer | AbleGamers (BR) + Lucas Ramon – Educativo

MM Gerdau – Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

19:00  Sertão Profundo e o game brasileiro “Lampião Verde – A maldição da botija” com Rubem Medeiros – Transmissão ao vivo no canal do YouTube do Museu, com tradução em LIBRAS.

:: SOBRE O MM GERDAU O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal ::

 |@mmgerdau |  

MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências.

O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau.  O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, foi de autoria de Marcello Dantas.

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal é patrocinado pela Gerdau, via lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

Gostou da nossa matéria “O Museu é Nerd! é destaque da programação de maio do MM Gerdau – Museu das Minas“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

ClubSaúde lança e-book sobre saúde mental: dicas de como lidar com isolamento social

O mais importante, quanto a saúde mental, para lidar com a ansiedade é aceitá-la plenamente. Aceitar o que não podemos mudar é a melhor maneira para haver alguma mudança.

ClubSaúde, especialista em saúde, bem estar e cuidados, desenvolveu um e-book sobre Quarentena vs Saúde Mental, com dicas e sugestões para que você busque cuidar ao máximo de sua saúde física e emocional, principalmente, durante esta difícil fase que estamos vivendo. São mais de 320.000 mil famílias que já utilizaram os serviços da empresa, que tem como propósito levar saúde acessível e de qualidade para milhões de brasileiros.

Aceite a sua ansiedade

Devido à quarentena, o home office foi definido para grande parte das empresas do nosso país e assim foi preciso se organizar e trabalhar de casa, o que nem sempre é fácil para quem vive com outras pessoas.

“O mais importante para lidar com a ansiedade é aceitá-la plenamente. Aceitar o que não podemos mudar é a melhor maneira e o primeiro passo para haver alguma mudança. Aceitar não é acomodar, desistir ou não fazer nada. É parar de lutar contra algo diante do qual é impotente. Aceite a sua ansiedade. Aceitar a ansiedade faz com que ela desapareça. Lutar contra ela para evitá-la faz com que ela aumente”, afirma o Dr. Fernando Oetterer Arruda, Gerente Medico do ClubSaúde e BenCorp.

 .

Tenha uma rotina

Pense em atividades que você gosta ou que precisa fazer e procure estabelecer horários e momentos definidos para realizar cada uma delas. Nessas horas, ter uma “agenda” pode te ajudar muito a não perder o foco, não procrastinar e utilizar o seu tempo da melhor forma.

Levante no horário habitual. Sabemos que dormir até mais tarde é tentador, mas tente não fazer isso todos os dias, pois a tendência é ficarmos deprimidos quando dormimos excessivamente. Um adulto precisa de quatro a seis ciclos de sono por noite, mais ou menos do que isso pode ser prejudicial. Faça uma tentativa e veja como se sente.

Tome um banho ao acordar, mantenha sua rotina de higiene pessoal, coloque uma roupa confortável, mas não fique de pijama o dia todo, arrume a cama e mantenha a limpeza da casa para que o seu ambiente fique asseado e você se sinta produtivo e disposto neste período.

Caso seja possível, tome 10-15 minutos de sol por dia, pois a vitamina D absorvida pela sua pele ao se expor ao sol é importante para fortalecer a imunidade.

Exercite o cérebro

Aprenda algo novo seja cozinhar, pintar, falar uma nova língua, crochet, bordado. Procure cursos online. Busque informação, mas não se deixe contaminar pelo excesso de conteúdo que as mídias disponibilizam. É importante que todos nós estejamos bem informados e cientes do que está acontecendo, tanto para nos protegermos e  para tomarmos as medidas corretas e necessárias. No entanto, chega-se num ponto em que o excesso de notícias nos deixa ainda mais ansiosos, abalados, assustados e nervosos. Equilíbrio é muito importante nesse momento.

Como lidar com a procrastinação

É muito tentador ficar de pijama o dia todo e maratonar todo o seu seriado favorito novamente ou ainda virar especialista em números de infectados pelo COVID no mundo, mas apesar de estarmos relativamente em stand by no momento, a avalanche de obrigações, pendências e tarefas irá surgir. Listamos algumas atividades para você se manter sempre em atividade:

  • Organize sua casa, gavetas e armários;
  • Meditar pode ser uma boa forma de tranquilizar a mente;
  • Aproveite para colocar a leitura em dia, seja por livros físicos ou online;
  • Defina metas e objetivos pessoais. Se você não tem esse hábito, é importante repensar;
  • Faça cada uma das atividades na hora certa;
  • Ache seus melhores momentos e execute as atividades de forma inteligente, na hora certa;

“Lembre-se: o feito é melhor que o perfeito, portanto vá em frente, com sorriso no rosto e firmeza nas decisões” incentiva Luís Alexandre Chicani, CEO do ClubSaúde.

Cuide da sua alimentação

Faça uma “lista” do que você e sua família gostariam de comer na semana. Coloque no papel a composição para esses dias, combinando sempre uma porção de proteína, uma de carboidratos e uma de vegetais ou fonte de fibras e vitaminas em todas as refeições (considere que o indicado é comer de três em três horas).

  • Lembre-se de que metade do prato deve ser composta por vegetais crus e/ou cozidos;
  • Inclua água em todos os dias. Se quiser beber nas refeições, o recomendado é 110 ml por refeição.

Sobre o ClubSaúde:

ClubSaúde é um completo de benefícios, que oferece a você e sua família acesso a consultas e exames por preços reduzidos, além de um super desconto em medicamentos sem cobrança por dependentes. Além disso, com o ClubSaúde, você tem acesso a um atendimento médico diferenciado para lhe ajudar a se manter sempre saudável. Temos uma equipe de médicos qualificada e mais de 3 mil clinicas e laboratórios por todo o país.

Você também pode contar com a Telepsicologia e ter acesso a consultas online com psicólogos a partir de R$ 50,00. Aproveite esse benefício para você e sua família e tenha uma vida mais saudável durante estes tempos difíceis em que estamos vivendo.

Quer saber mais sobre o ClubSaúde? Confira o site e fique por dentro de todos os pacotes e benefícios que temos para você e sua família.

Gostou da nossa matéria “ClubSaúde lança e-book sobre saúde mental: dicas de como lidar com isolamento social“?

ClubSaúde lança e-book sobre saúde mental: dicas de como lidar com isolamento social
Ethel Braga, autor de “Quarentena vs Saúde Mental”. Foto: ethelbraga.com

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

MAURICIO BENVENUTTI LANÇA O LIVRO DESOBEDEÇA

Além da versão impressa, a obra “Desobedeça” será um marco na inclusão literária porque é a primeira a ser traduzida no mundo e o Brasil é o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas.

Questionar o modelo tradicional de se construir carreiras é o ponto chave do livro Desobedeça, do escritor Mauricio Benvenutti, que será lançado no dia 10 junho de 2021 pela editora Gente. A pré-venda tem início no dia 10 de maio nos sites das principais livrarias do país. A obra também será disponibilizada na versão SL Book: Sign Language Book (Livro em Língua de Sinais), sendo um marco na inclusão literária.

Criado pela startup Wise Hands, é o primeiro livro traduzido no mundo e o Brasil será o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas. O SL Book é a evolução do livro físico, mas sem perder a elegância das páginas. “Desobedeça” terá seu conteúdo disponibilizado em áudio e vídeo sendo que a tradução é feita por intérpretes humanos utilizando a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ele será comercializado e acessado diretamente pelo site http://www.slbook.shop, que é uma plataforma segura e funcional.

Construção de carreira mudou

O mundo atual impulsionou a redefinição da palavra “carreira” para profissionais e empresas. As estratégias que irão construir as próximas trajetórias de sucesso serão bem diferentes das usadas até aqui. A leitura promove uma reflexão sobre o caminho clássico para se conquistar um lugar de destaque no mercado. Antes, era precisavo frequentar as melhores escolas e, posteriormente, cursar universidades de ponta para conquistar bons empregos e alavancar uma carreira. Hoje, essa continua sendo uma alternativa. Mas existem várias outras maneiras eficazes para se desenvolver uma trajetória profissional bem-sucedida.

O escritor reforça que algumas pessoas constroem o seu valor profissional atrelado à placa da empresa onde trabalham. “Hoje sabemos que isso é um problema. Afinal, empregos vêm e vão e profissionais que usam essa estratégia terão o seu valor de mercado reduzido quando precisarem se recolocar, pois não terão mais a marca da antiga empresa em seu sobrenome. No livro, explico como mudei minha postura para deixar de ser o ‘Mauricio da XP’ e passar a ser o ‘Mauricio Benvenutti’. Também mostro como as empresas devem apostar numa política de valorização da reputação pessoal dos seus colaboradores e não focar apenas nas experiências profissionais. Tal conduta pode aumentar o reconhecimento, a influência e, até mesmo, as vendas de uma companhia”, explica Benvenutti.

Título faz referência a projeto social

O título do livro faz uma referência a um projeto social no qual o autor participou em Indiaroba, em Sergipe. Benvenutti dedicou um capítulo para contar a história de jovens que, a partir das suas habilidades e dedicação, criaram cinco projetos e um deles foi pré-selecionado para o programa de TV Shark Tank Brasil. Esses jovens geraram empregos, tornaram-se empreendedores e movimentaram a economia do município.

Guia Prático

A obra traz ainda um guia prático chamado 10 Ps, ou seja, etapas que contemplam três pilares importantes sobre carreiras: satisfação, competências e remuneração. Essa ferramenta faz o leitor refletir se está contente com o seu trabalho, se dispõe de motivação para a execução das atividades diárias e se as realiza com competência. “Esses elementos devem estar em perfeita harmonia para que o profissional ganhe autoridade naquilo que faz”, diz o autor.

OBRA:

Desobedeça – Editora Gente

Pré-venda: 10 de maio

R$ 39,90- versão impressa

R$ 27,90 – versão SL Book: Sign Language Book

PERFIL DO AUTOR:

Maurício Benvenutti – é formado em Sistemas de Informação pela PUCRS, possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e pós graduação em Marketing por UC Berkeley. Foi sócio e diretor B2B da XP Investimentos por mais de 8 anos. Desde 2015, é sócio e membro do conselho da StartSe – empresa de educação executiva com sedes no Vale do Silício, China e Brasil. É palestrante do TEDx  e autor dos livros Incansáveis (9ª edição) e Audaz (5ª edição), lançadas pela editora Gente, que entraram na lista dos mais vendidos do Brasil na categoria “negócios”.

MAURICIO BENVENUTTI LANÇA O LIVRO DESOBEDEÇA

Assessoria de Imprensa:

Assunção Comunicação

Keyla Assunção

(11) 99608-6226| keylaassuncao@gmail.com

@assuncao_comunicacao

Gostou da nossa matéria “MAURICIO BENVENUTTI LANÇA O LIVRO DESOBEDEÇA“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Despedida

Lorena Pelais é autora de “Despedida”.

Assustador como derrepente tivemos nossas vidas transformadas.
Pessoas assustadas, “quarentena” interminável, mudanças de hábitos, vidas ceifadas.

Inúmeras perdas em todo canto do mundo deste planeta, o mistério da vida , as crescentes especulações aos enigmas que envolvem a morte, chamada de “vida eterna”, uma viagem sem previsão de reencontro, não resta menor dúvida, os que ficam não conseguem superar com facilidade, é difícil lidar com a ausência e a saudade.

Do riso ao choro, do drama a graça, das desgraças uma comédia da vida urbana na íntegra com riquezas de detalhes, cada aspecto de certa forma tocou diretamente os inúmeros espectadores independente de quais meios de comunicação tenha sido usado, cada um de nós , teve sua história contada com doses exageradas de bom humor, leveza , toda tristeza revertida em uma bela gargalhada.

Em tempos tão difíceis, a doce lembrança de bordões inesquecíveis ficam registradas no coração dos que aqui ficam.

“Borocoxozinha é a sensação de uma nação, sem poder assistir teus córneos show, uma pessoa rica riquíssima de alegria contagiante, de energia além de 220volts sua partida será algo difícil de acreditar e que jamais vai colar a palavra Adeus!”.

Uma passagem brilhante, em cada personagem a transparência da alma a sinceridade do ser humano por trás do papel, presenteou nossos dias com muito amor, risadas e alegrias, se doou, compartilhou sua vida com graciosidade para uma platéia desconhecida, partiu, deixando um pouco de ti marcado em cada um dos que te assitia , se essa era sua missão, caminhe certo que foi belamente cumprida, lamentamos somente porque não estávamos preparados ainda.
Encantou, emanou alegrou, despertou amor com humor transformou vidas , os “pensares”, os “conceitos” , jamais serão os mesmos , fez da própria vida uma “piada” recorde de bilheteria, com glamour, beleza, agradável a ser vivida.

Inacreditável…
Porque os bons morrem jovens??
Já dizia Renato Russo/ Legião Urbana.

No espetáculo da vida, ao fechar das cortinas, apagar as luzes, o mais difícil é dizer: – Vai com Deus! 😭

Meus sinceros sentimentos a todas às famílias vítimas da pandemia!!!

Ao amigo que gostaria de ter conhecido Paulo Gustavo, condolências à família, sempre será lembrado, um ser bem quisto e amado, nos deixa uma dentre muitas lições que rir é um ato de resistência!

💔 Lorena Pelais ॐ∞

Despedida
Foto de cottonbro no Pexels

Gostou de “Despedida”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 703 outros assinantes

Abertas inscrições para edição gratuita do curso Na Rima, com Antonio Nóbrega

Como parte do projeto Velhas Rimas Novas, que tem entre os seus propósitos fomentar a leitura e a prática da poesia rimada brasileira, o artista Antonio Nóbrega fará uma edição gratuita do seu já tradicional curso Na Rima, oferecido na programação regular do Instituto Brincante.

As inscrições para a atividade seguem abertas até 14/05 por meio do link http://bit.ly/NaRimaPROAC. O resultado será publicado no site www.antonionobrega.com.br dia 21/05 – professores da rede pública e jovens artistas terão prioridade nas 25 vagas disponíveis. 

O curso será composto por 10 aulas com Antonio Nóbrega via zoom, uma por semana, em que os alunos irão trabalhar a escrita e improviso de versos da poesia rimada popular brasileira: quadras, sextilhas, setilhas, quadrões, carretilha de embolada, décimas de sete, de dez e de onze sílabas, entre outras. O último encontro será um sarau virtual com os alunos e convidados.

Com este projeto, que traz ainda três palestras e um podcast, abertos e gratuitos, Nóbrega quer dar maior conhecimento e visibilidade a essas estruturas e formas, seja incentivando a sua prática lúdica nas atividades educativas, seja difundindo-as entre os artistas da palavra do país. “Nosso objetivo é dar uma função e significado mais amplos a esses gêneros e modalidades poéticas que, assim como o Rap e o Slam – tão em voga na atualidade – também têm vigor e substância para reivindicar  um mundo melhor, um mundo mais de todos e para todos”, explica o multiartista pernambucano.

A série de atividades Velhas Rimas Novas foi contemplada pelo PROAC (Programa de Ação Cultural) do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Edital de Ações de Incentivo à leitura no estado de São Paulo.Para acompanhar o projeto, siga @brincantenobrega no Facebook, Instagram, Twitter ou YouTube. Ou inscreva-se para receber as informações por e-mail ou Whatsapp: http://bit.ly/MailingVelhasRimas Novas

Gostou da nossa matéria “Abertas inscrições para edição gratuita do curso Na Rima, com Antonio Nóbrega“?

Abertas inscrições para edição gratuita do curso Na Rima, com Antonio Nóbrega
Foto: Silvia Machado

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Lagum joga uma lente de aumento nas próprias neuras em “Eu e Minhas Paranoias”

“OK, OK. Sei que não pareço bem, mas eu tô” canta a Lagum no refrão do novo single, “Eu e Minhas Paranoias” (ouça aqui). De forma leve, eles tratam das “nóias” vividas no dia a dia nos versos da música que é a terceira extraída do próximo disco (previsto para este ano) e chega hoje, 29 de abril, às plataformas de streaming. Imersa em questionamentos mais reflexivos, sem abandonar a sonoridade upbeat, a faixa vem acompanhada de um registro audiovisual que dá continuidade às aventuras da Lagum na estética dos anos 2000 (assista aqui).

A inspiração para “Eu e Minhas Paranoias” veio da percepção de uma sensação recorrente detectada pelos integrantes da Lagum. “Enxergo que, na nossa geração, tá todo mundo na mesma: lidando com os próprios conflitos e, ao mesmo tempo, buscando algum tipo de leveza”, pensa o vocalista Pedro Calais, que forma a banda ao lado de  Jorge (guitarra), Otávio Cardoso (guitarra) e Chicão Jardim (baixo). A canção reflete como as redes sociais e a superexposição colaboram para dar uma dimensão ainda maior às “historinhas que a gente vai criando na cabeça” – algo também agravado pela pandemia. Como é de praxe na trajetória da Lagum, o panorama é avaliado por meio de uma lente de aumento otimista: “Trouxemos um tema super sério e profundo, mas a sonoridade é muito descontraída, bem humorada e espontânea”, afirma Pedro. 

Com produção musical de Dudu Marote (conhecido por trabalhos com Emicida, Skank, BaianaSystem e Pato Fu), “Eu e Minhas Paranoias” também ganhou um videoclipe. As imagens que ilustram a canção foram dirigidas por Dumonte e trazem a Lagum esbanjando espontaneidade. Ao mesmo passo que buscam um respiro na liberdade de se divertir com coisas simples ao lado de amigos, um cenário vai se enchendo de inúmeros pôsteres, jogos e fitas cassete para espelhar a avalanche de pensamentos e informações responsáveis por fazer brotar as tais paranoias. “Espero que a gente possa causar uma pequena reflexão para jogar um pouco de luz nessas sombras individuais”, afirma Jorge. Não à toa, o vídeo sugere uma superação de todas as neuras e explode em um alívio.

“Eu e Minhas Paranoias” é o segundo single lançado pela Lagum em 2021, sucedendo “Musa do Inverno” (assista aqui). A faixa mostra que mudar a forma como enxergamos essas “nóias” pode ser o caminho para lidar com as inquietações da própria mente. “Deixar que o universo fale comigo, e não as minhas paranoias”, conclui Pedro.

Ouça “Eu e Minhas Paranoias”

Assista “Eu e Minhas Paranoias”

Ficha Técnica:

EQUIPE LAGUM
Management: A Macaco e Fernando Furtado
Direção Executiva: Carol de Amar
Comunicação e Marketing: Julia Ferreira, Lúrian Leite
Produção Executiva: Catarina Capelossi, Áurea Amorim 

GRAVADORA
Sony Music

VIDEOCLIPE
Um filme duMonte
Direção: Oliverzort, Alexandre Stehling e Pedro Milagres
Assistente de Direção: André Greco Amaral
Redação: Cecília Parreira
Edição: Alexandre Stehling e Pedro Milagres 
Direção de Fotografia e Cor: Oliverzort  
Luz: Power Light
Direção de Arte: Luma Zauli e Lorena Maruch 
Assistente de Direção de Arte: Gabriel Mendes e Leonardo Branco 
Styling: Pedro Birra 
Assistente de Styling: Taís Ribeiro
Projeções: Lucas Fix
Drone FPV: Alysson Bruno

CASTING
Alexandre Mayrink, Alexandre Stehling, André Mayrink, André Greco Amaral, Arthur Montarazzo, Bárbara Cló, Camila Felix, Clara Fontainela, Eduardo Canabrava, Francisco Jardim, Gabriel Oliver, Gabriel Song, Gladson Santos, Glauco Borges, Gleidistone Silva, Isadora Mitsue, João Pedro Martins, José Caminada, Lais Bagno, Lucas Calais, Mariana Barbosa, Mateus Eduardo Lara, Matheus D’Ávila, Natalia Moreau, Otávio Cardoso, Patrick Vilar, Paula Riquetti, Pedro Birra, Pedro Calais, Pedro Milagres, Pedro Soares, Raquel Parreira, Sofia Song, Taís Ribeiro, Thiago Iglesias, Yasmin Micheline.

APOIO
Vans

FAIXA
Produção: Dudu Marote
Mixagem: Marcelinho Ferraz
Assistente: Grilo 
Masterização: Sterling Sound 

SONY MUSIC
Presidente: Paulo Junqueiro
Diretor A&R: Bruno Baptista
Diretora de Marketing: Cristiane Simões
Gerente A&R: André Vilella
Analista A&R: Jhulia Gomes
A&R Audiovisual: Karina Taccolini e Vanessa Anesi
Estagiária A&R Audiovisual: Luiza Catalani
Label Mkt: Ricardo Bertozzi
Label Mkt digital: Giovana Giannini
Estagiário Mkt: Gabriel Costa

Siga a Lagum nas redes sociais:
Facebook 
Instagram
Twitter
Site Oficial

Lagum joga uma lente de aumento nas próprias neuras em "Eu e Minhas Paranoias"

Gostou da nossa matéria “Lagum joga uma lente de aumento nas próprias neuras em “Eu e Minhas Paranoias”“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Beleza Oculta

Lorena Pelais é a autora de “Beleza Oculta”, confira:

Não se trata de imagens visíveis a olho nu, relaciona-se a sentimentos vindos da alma.
Alegria e tristeza, do medo à superação, da angústia ao refrigério e por aí vai…

Incontável , imensurável, disponível a quem sente.
Empatia, compaixão compartilham parte das sensações que o outro pode sentir, nunca com a mesma intensidade, cada um tem seu jeito próprio e tempo certo para sentir, individualmente, os conceitos, sentimentos que habitam um ser jamais serão os mesmos do outro, possuem semelhanças e com imaginário deduzimos a sensação que o outro possa sentir.

O que fere a uns por tempo, pode durar segundos para o outro, que abstrai e reverte essa energia transformando em uma experiência “positiva” menos dolosa.
Tudo depende do ângulo, ponto de vista.

Relacionar a beleza aos momentos difíceis é a tarefa mais árdua, é justamente quando estamos totalmente envolvidos em algo de corpo e alma , onde tudo parece interminável e insolúvel.

Somos assim em nossa maioria, extremistas , imediatistas e um tanto dramáticos por assim dizer. Quando na verdade, tudo parece perdido , esquecemos que sempre surge uma inesperada luz.

“Quando uma porta se fecha, duas novas se abrirão!”
Momento em que o que aparenta ser impossível se torna possível repleto de novas possibilidades inimagináveis.

Fé, foco e determinação, quem te ampara , não te desampará.

“Não existe vitória sem luta, a luta nos eleva a glória”, não de vencer a guerra, mas sim de derrubar os gigantes que nos habitam, criados pela nossa própria mente, superando-os um a um.

Obter clareza dos fatos vivenciados, com lucidez, maturidade, sabedoria o que for mais conveniente e próximo ao seu ser no momento da experiência.

Não importam, todas as situações existentes te encaminham para algo maior e melhor imperceptível à razão momentânea , que foge nosso conhecimento imediato, mas que lá na frente, bem adiante reconheceremos que tudo era preciso e necessário.

Trabalhe a aceitação em sua vida atual, “tudo que não mata te fortalece”, poderás padecer por alguns intermináveis segundos , mas retomará às rédeas no segundo seguinte , pronta, renovada, revigorada para novos desafios mais à frente.

E, é mais ou menos assim que é..
A vida inicia e finda a cada adormecer na verdade já “nascemos mortos”, temos metas a cumprir até chegada da vida eterna no paraíso.

O céu é o limite e a prova final fazemos aqui!
Observemos o belo que há dentro e em cada um de nós, apreciar a beleza Oculta que carregamos esse é nosso grande e próprio mistério a ser descoberto.

Lorena Pelais ॐ∞.

beleza oculta
Foto de Anna Shvets no Pexels

Gostou de “Relações sociais e o fluxo da vida”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 703 outros assinantes

MÁRCIA SCHWEIZER ” A POETA DA BELEZA” LANÇA NOVO LIVRO

Márcia Schweizer é  uma mulher à frente de seu tempo, que desde bem pequena gosta de escrever poesias e ganhou os melhores prêmios nos concursos literários das escolas que estudava. Já naquela época tinha o hábito de escrever palavras soltas e rimadas nas contracapas de seus cadernos, o que já era indício da alma de poeta que estava florescendo e que viria a se transformar na brilhante escritora que ora apresentamos e que lançou  seu primeiro livro solo de poesias, intitulado “Palavras de Mulher”, da editora Courier Brasil e Litteris editora, na XIX Bienal Internacional do Livro, no Riocentro do Rio de Janeiro (Barra da Tijuca).

Mas não pensem que Márcia Schweizer é uma mulher comum. Ela é  uma mulher linda e elegante, que esbanja personalidade, que todos olham quando passa, admirando seu porte de princesa, sua alegria, espontaneidade e simpatia. E foi capa de várias revistas, onde ela também publicou suas poesias, como “Ventos de Outono”, que fez o maior sucesso entre os leitores. Nas revistas, como na vida real, Márcia mostra a exuberância e a feminilidade da mulher incrivelmente bela. 

Por fim, Márcia Schweizer, que é sinônimo de beleza, inteligência e empoderamento feminino, indica seu livro “Palavras de Mulher”, para os leitores, pois sabe que todos encontrarão nele uma poesia que o representará, que falará como se fosse o próprio sentimento da pessoa que está lendo, já que os assuntos contidos nele são variados e sempre emocionam que lê.

SOBRE O LIVRO

Palavras de Mulher, de Márcia Schweizer descreve em suas prosas poéticas, sentimentos,como forma de chamar atenção dos leitores e elevando sentimentos e emoções inspirada no seu olhar à vida. Sua escrita poética desperta o interesse do leitor quando nos fala da natureza, das relações humanas e amor pelos animais. Poeta e jornalista, delineia em seus textos imagens que despertam a beleza do BEM VIVER. Formada em Literatura como professora de adolescentes, podemos perceber a sua responsabilidade e compromisso em colocar as palavras e emoções no corpo de seus textos com preocupação com a escrita criativa e correta. O leitor certamente se identifica e sairá com a sensação de desejar ler mais.

Mas não pensem que Márcia Schweizer é uma mulher comum. Ela é  uma mulher linda e elegante, que esbanja personalidade, que todos olham quando passa, admirando seu porte de princesa, sua alegria, espontaneidade e simpatia. E foi capa de várias revistas, onde ela também publicou suas poesias, como “Ventos de Outono”, que fez o maior sucesso entre os leitores. Nas revistas, como na vida real, Márcia mostra a exuberância e a feminilidade da mulher incrivelmente bela. 

Por fim, Márcia Schweizer, que é sinônimo de beleza, inteligência e empoderamento feminino, indica seu livro “Palavras de Mulher”, para os leitores, pois sabe que todos encontrarão nele uma poesia que o representará, que falará como se fosse o próprio sentimento da pessoa que está lendo, já que os assuntos contidos nele são variados e sempre emocionam que lê.

Foto: Ênio Guimarães

Maquiagem e cabelo:  Andrea Santana 

MÁRCIA SCHWEIZER

POEMA DA AUTORA

Pequena canção de amor

Mais do que prazer; muito mais do que paixão

E as palavras me apertando o coração

Os meus olhos tentam falar por mim

Estou sem chão, meu anjo querubim

Se esta canção ilumina o nosso amor

Este tempo não tem fim, 

Doce é o momento

E me perco na emoção

E me acho em tuas mãos

És meu porto seguro, velas ao vento

Mas as flores se abrigam no outono

Regem esta paz e assim a sinfonia não descansa

Fazes meu céu azul

A contemplar o teu sorriso de criança

Ah! Me dá as mãos

E o nosso mundo então será o paraíso.

São tantas as razões de viver por ti

Amor, eu te prometo, sempre estarei aqui.

QUEM É MÁRCIA SCHWEIZER 

Márcia Schweizer é Jornalista, Professora de Português/Literatura, Pós-Graduada em Teoria da Literatura, Bacharel em Direito, Escritora e Poeta. Membro da ALALS (Académie de Lettres et Arts Luso-Suísse) e da AJEB/RJ (Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil – Coordenadoria Rio de Janeiro), onde é Diretora de Comunicação, prestando relevante contribuição para a entidade na luta pelo espaço da Mulher Jornalista e Escritora. Participou da Antologia “Grandes Escritores do Século XXI”; da Coletânea Literária e Internacional em Verso e Prosa – “Sem Fronteiras Pelo Mundo”… – Volumes 3, 4, 5, 6; da Coletânea Literária “A Arte de Ser Mulher” – Prosa Feminina; e da Antologia do Círculo Literário Clube Naval 2020; Participou da Antologia do Forte de Copacabana 2020;  participou da Feira Literária de Lisboa 2020 com seu livro solo de poesias “ Palavras de Mulher”; representada pela editora Sem Fronteiras pelo Mundo. Márcia ainda é colunista nas Revistas Mais Bonita, Poesia Revista, Planeta Noite, Mulher Elegante, Barra Legal, Caxias Legal, Sou Mais, Jornal Cidade da Barra

REDES SOCIAIS  DA AUTORA

: https://www.facebook.com/marciaschweizerpoetisa

http://marciaschweizerjornalista.blogspot.com/

Instagram: @marciaschweizer

Gostou da nossa matéria “MÁRCIA SCHWEIZER ” A POETA DA BELEZA” LANÇA NOVO LIVRO“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

A fotógrafa pioneira em ter uma agência de modelos exclusiva para deficientes no Brasil

O artigo “A fotógrafa pioneira em ter uma agência de modelos exclusiva para deficientes no Brasil” é de autoria de Carlos Irineu.

Kica de Castro é uma fotógrafa paulistana com um currículo invejável. Com formação em publicidade e propaganda e pós-graduada em fotografia, é um referencial quando o assunto é mercado de trabalho no mundo da moda e cultural para profissionais que possuem algum tipo de deficiência.

Após longo período atuando em centros de reabilitação, onde o contato com o público interno foi essencial para a tomada de decisões que seriam responsáveis por torná-la pioneira do assunto, Kica teve a percepção de que algo inovador estava pronto a surgir.

O período de 2002 a 2007 foi um divisor de águas para a fotógrafa apaixonada pela profissão. Enquanto atuava no centro, ouvia histórias de pessoas com alguma deficiência e que gostariam muito de serem aceitas no mercado de trabalho como referência de beleza e reconhecimento pelas qualificações profissionais. 

Foi em 2003 que, ainda atuando dentro do centro de reabilitação, desenvolveu o projeto de fototerapia, que consiste em conhecer melhor as reações e os sentimentos no ato de fotografar, fazendo com que os modelos resgatassem a sua autoestima.

A fotógrafa pioneira em ter uma agência de modelos exclusiva para deficientes no Brasil
Kica de Castro com algumas telas de sua exposição fotográfica

Inquieta e com ideias borbulhando, sentiu que chegara a hora de inovar. Transformar sonhos em realidade. Reacender e redescobrir grandes talentos através da fotografia e da moda. É a partir daí que, em 2007, nasce a Kica de Castro Fotografias. Uma novidade no mercado brasileiro.

Hoje, a agência é responsável por resgatar o que há de mais lindo dentro de cada humano. A autoestima, o autoconhecimento e o reconhecimento através das fotos que reproduzem não só a beleza exterior do modelo ou espaço, mas a sensibilidade no olhar e sorriso daqueles que se sentem úteis e inseridos no mercado de trabalho.

Renata Paiva tem amiotrofia muscular espinhal

Kica de Castro ressalta: “Beleza e deficiência não são palavras opostas. Hoje estamos colhendo os frutos que plantamos no começo do projeto. Cada dia estamos valorizando as eficiências e pluralidade corporal.”

Desde 2015, Kica possui um  programa de televisão , o Viver Eficiente, onde busca dar voz e tirar da invisibilidade social pessoas com deficiência.  Instagram: @vivereficiente

Gostou da nossa matéria “A fotógrafa pioneira em ter uma agência de modelos exclusiva para deficientes no Brasil“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

FOTOGRAFIA, ALÉM DE UMA PROFISSÃO É UMA ARTETERAPIA

Autoria de Sueli Mozeika, Médica Psiquiatra e amante da fotografia, “FOTOGRAFIA, ALÉM DE UMA PROFISSÃO É UMA ARTETERAPIA”.

A palavra fotografia, do grego phosgraphein, significa registrar, desenhar na luz.

Nestas poucas palavras vou me ater, não na profissão fotógrafo, mas na fotografia como um registro biográfico do tempo, da história, um registro da nossa vida, de nossos sentimentos e emoções e, principalmente, como um instrumento terapêutico.

A fotografia, o registro de uma simples imagem, nos remete à história de uma época, de uma cultura, de um momento alegre ou triste, registra a vida como ela é, repleta de emoções.

A fotografia é uma memória visual e como tal pode ser utilizada como arteterapia, um tratamento coadjuvante na recuperação e preservação da memória em pacientes que sofreram traumas neurológicos ou que estão entrando num processo demencial.

Vou utilizar minha experiência pessoal para relatar como a fotografia pode ser um forte elemento terapêutico, eliminador do estresse e da depressão.

Não sou fotógrafa profissional, mas sempre gostei de fotografia, uma herança paterna de registrar momentos familiares, hoje gosto de registrar a natureza.

Há cerca de uns dez a doze anos, filiei-me no Fotoclube ABCclick e me deliciava com as saídas fotográficas, eram momentos que me desligava das tensões e exigências do dia a dia e me conectava com a natureza e recarregava minha bateria com uma energia agradável e saudável.

Em função da doença da minha mãe tive que ir diminuindo as minhas saídas, mas registrava o que tinha em casa, meus cachorros, minhas plantinhas e isto manteve a chama da vida dentro de mim, até que em um dado momento tive que parar completamente com meu lazer.

Quando comecei a retornar as minhas atividades e reingressei no Fotoclube ABCclick, em meio a pandemia, que nos aprisiona dentro de casa, encontrei no grupo a conexão que estimula a nossa criatividade mantém a chama de continuarmos escrevendo a nossa história, na luz.

Como disse, não sou fotógrafa mas, vou deixar aqui algumas fotos que registrei dentro de casa, durante esta pandemia. O ato de fotografar, de fazer o “tratamento” na imagem nos desvia de uma realidade dura, limitante e nos transporta para um momento aonde nos conectamos com a nossa essência e podemos ver a beleza da vida, mesmo quando ela insiste em nos mostrar a sua “feiúra”.

A fotografia pode ser uma arteterapia onde podemos fazer uma ressignificação da nossa vida e de nossa história.

ARTETERAPIA
ARTETERAPIA
ARTETERAPIA
ARTETERAPIA

Gostou da nossa matéria “FOTOGRAFIA, ALÉM DE UMA PROFISSÃO É UMA ARTETERAPIA“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Relações sociais e o fluxo da vida

Lorena Pelais é autora de “Relações sociais e o fluxo da vida”

De nada adianta uma vida, sem ter com quem dividi-la.

Bem assim ….
A nossa história depende de outras.
Nossa estrada se cruza com caminhos que nem sempre conhecemos com riqueza de detalhes, mas que fazem parte da nossa jornada.

O medo de se lançar ao que é novo muitas vezes nos consome, se torna maior do que possamos imaginar, enfraquecendo nossa vontade de tentar e se jogar de corpo e alma em novas oportunidades que a vida secretamente nos reserva , mas que de uma forma ou de outra precisam ser completadas para que possamos finalizar ciclos, iniciar outros que por medo muitas vezes aprazamos.

Repetitivo, sei que é….
Mas sinto a necessidade de expor o pensamento que não somos feitos para vivermos sós.
Até nossa chegada, quantas pessoas nos antecederam , o quanto nós esperamos para vir ao mundo e porquê alguns insistem afirmar que a solidão é a melhor experiência da vida?!?

Não vou negar que nos conhecermos o suficiente é imprencidível para amar a convivência com nós mesmos, para sermos “autoalegres” é ter certeza de que somos capazes de sermos felizes de nós conosco mesmos, mais gratificante se torna quando conseguimos doar esse conhecimento, compartilhando uma vida em comum, formando uma família, perpetuando nossa existência com nossos descendentes, participando e atuando seja como for na vida de alguém além de nós mesmos ampliando o significado da vida, explorando o real motivo de estar vivo e viver.

Qual a serventia de nossos feitos e conquistas se não temos com quem dividir os bons e maus momentos que passamos.
E quando tropeçamos é tão reconfortante ter alguém para nos acalentar, ajudar, amparar e se necessário nos pôr de pé novamente, um tropeço pode levar uma queda , o dia a dia pode ser tão exaustivo que renovar o fôlego para dar continuidade sozinho me parece árduo , improvável, mas não impossível.

Por mais que nós queiramos nos sentir autossuficientes , ainda sim , sou muito a favor à interação entre os seres de todas as espécies, com respeito, dedicação e afeto todas as relações são possíveis e terem momentos ternos inesquecíveis que ficaram reservadas no coração e na mente.

Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “Relações sociais e o fluxo da vida”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 703 outros assinantes

Livro e leitura: amigos inseparáveis para a educação de qualidade

Valéria Pilão, autora de “Livro e leitura”, é doutora em Ciências Sociais e professora do curso de Sociologia – área de Humanidades – do Centro Universitário Internacional UNINTER

A partir das datas de morte de Miguel de Cervantes (romancista, dramaturgo e poeta castelhano), William Shakespeare (poeta e dramaturgo inglês) e Inca Garcilaso de la Vega (cronista e escritor peruano de origem espanhola e inca), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em sua XXVIII Conferência Geral, proclamou a necessidade de reconhecer o livro como “o elemento mais poderoso de difusão de conhecimento e de meio mais eficaz para sua conservação”.

A justificativa da instituição desta data considera o livro como meio para o enriquecimento cultural, promotor de desenvolvimento de sensibilidades coletivas e inspiração para comportamentos de tolerância e diálogo. Sabe-se que tais argumentos são verdadeiros e que o acesso à leitura – e aos livros – é eixo fundamental do processo educacional em todas as suas etapas. No Brasil, porém, ainda vivenciamos problemas importantes a respeito do acesso ao livro, à leitura, e à consecução de alfabetização proficiente.

A pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, de 2019, mostra que a média nacional é de 2,6 livros por pessoa não necessariamente lidos por inteiro, e 1,05 lidos por inteiro. Reconhece, portanto, que ainda há um hiato severo e um desafio educacional a respeito do nível de alfabetização no país. Apesar dos avanços, o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) divulgado em 2019 revela que os estudantes brasileiros têm baixa proficiência em leitura. Ou seja, baixa capacidade de interpretação de texto e, assim, inserção adequada no mercado de trabalho.

Outro ponto é a pergunta feita na pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, desta vez a realizada em 2016, na qual se indagou sobre o significado da leitura e 22% das repostas foram de que ela ensina a viver melhor. Mesmo sendo um país com problemas no processo de escolarização, reconhece-se sim a importância da leitura. Expressando aquilo que foi proposto pela UNESCO, pode-se dizer que a leitura e livro conferem passagem para um enriquecimento subjetivo de fina sensibilidade.

Antônio Cândido, no livro Educação para a Democracia, lembra que a leitura é um processo que “confirma no homem aqueles traços que reputamos essenciais, como o exercício da reflexão, a aquisição do saber, a boa disposição para com o próximo, o afinamento das emoções”. Então promover a circulação de livros e a leitura, para além dos estudantes e professores, incrementa a qualidade do processo ensino-aprendizagem e viabiliza a construção de capacidade crítica da sociedade como um todo.

Os livros são instrumentos valiosos de acesso à informação, de disseminação de conhecimento e de transformação individual quanto à percepção tanto de si quanto do coletivo. Eles propiciam mundividência. Já a leitura enriquece, transforma e sensibiliza o ser humano. Justamente por isso tanto os livros quanto a leitura merecem investimento e devem ser o centro nas políticas educacionais.

(*) Valéria Pilão é doutora em Ciências Sociais e professora do curso de Sociologia – área de Humanidades – do Centro Universitário Internacional UNINTER

Gostou da nossa matéria “Livro e leitura: amigos inseparáveis para a educação de qualidade“?

Livro e leitura: amigos inseparáveis para a educação de qualidade
Valéria Pilão é doutora em Ciências Sociais e professora do curso de Sociologia do Centro Universitário Internacional UNINTER. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias e mais sobre livros em Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Universo Paralelo

Lorena Pelais é autora de “Universo Paralelo”.

Embora tenhamos muitas dúvidas sobre o universo e seu funcionamento, nossa relação de existência nesse espaço físico tão grandioso o qual chamamos de casa, o planta Terra, que existem vidas em outros planetas , que a viagem a Marte seja a mais sonhada para alguns, que os seres possuem características similares a nossa, mas sua aparência não é tão “formosa” como a nossa, que os seres extra terrestres possuem “superpoderes” capazes de ler mentes e mover objetos e a mais destacável de todas sua pele geralmente é verde.

Uauuuuu, quantas suposições temos, se já é difícil cuidarmos das nossas próprias vidas, porque nos interessamos tanto a compreender a existência de seres em outros planetas?!?
Porque os consideramos tão grandiosos?!?
Quando na verdade, cada um carrega individualmente um poder consigo.

Não seria muito mais fácil, tentarmos nos compreender primeiramente , saber exatamente para que e como funciona cada parte de nossa mente?

Sei que tudo pode parecer uma grande bobagem, poderia eu estar imergida em meu universo Paralelo nesse momento, onde suponho minha coexistência, onde todas as pesquisas , estudos estejam verdadeiramente certos, ao invés de, estudarmos a mente do povo que aqui habita e tentar aperfeiço-lá para assim tentarmos sanar um pouco das dores causadas pelos desencontros que ocasionamos com a nossa própria existência.

Em sua maioria, em quase sempre todos momentos, partimos contra as leis da criação, não seguimos a risca os mandamentos, outrora questionamos que as escrituras foram registradas por meros homens comuns, questionando inclusive que talvez esteja desatualizada com o avançar dos tempos…

Não sou estudiosa, apenas uma entusiasta, mas percebo que nos deram regras simples e não conseguimos segui-las, seria desvio de caráter, ou por tendências naturais do espírito?!?

Respostas que em sua maioria não a teremos tão facilmente, não existe um órgão de serviço de proteção ao crédito da existência, ou uma sociedade preservadora dos direitos inquestionáveis , nem mesmo um confessionário de respostas celestiais imediato.

Sabe, a criação do universo pode ter sido gerada através de uma grande explosão, onde supostamente ainda não havia Deus e nem mesmo não existia nada.

Somos livres para cremos no que nos faz sentir melhor, mas temos que elevar sim a mente e pensar, se partimos do princípio que antes o universo era escuro e nada havia, houve uma explosão e surgiu Deus , dando início à obra da criação, dias da semana foram criados, a escuridão passou a ser temporária e representada pela lua, indicado o anoitecer, a luz se fez presente, o dia carrega a esperança de um amanhecer melhor , vidas foram criadas.

Que existem vidas em toda parte do universo, sempre será algo contestável.
Que civilizações antigas tinham métodos próprios para contagem do tempo, criações foram desenvolvidas aprimorando métodos que utilizamos e perpetuarão, que somos capazes de ir além do que vemos, chegar a patamares desconhecido, mas sob orientação de “fonte desconhecida”, que brilhantemente nos conduz a um lugar melhor.

Porque nos fechamos tanto a novas informações, acreditando que somos conhecedores de muitos mistérios, onde nossa mente é um grande universo com partes escuras que talvez jamais encontrem a luz ,ou seja, do Sol ou Divina que assim permaneceram as idéias imergidas na finita escuridão interior que habitamos .

Já imaginou que talvez sejamos seres tão primatas que não estejamos preparados para conhecer os “dominadores” dos poderes ocultos da nossa própria mente e por esse motivo não tivemos a devida apresentação.

A vida nos apresenta universos paralelos a todo instante, desde que chegamos o céu e o inferno, o plano que vivemos entre a carne e o espírito é o limiar.

Tantos avanços, tantas tecnologias, tantos conhecimentos e de que forma é associado pela mente?
Como fazemos uso de todas as descobertas o quão evoluímos com elas?

Como nos sentimos diante das regras , das orientações prévias que recebemos?

Falamos sempre o externo, esquecendo de priorizar o íntimo e primordial a mente.

Assim como somos o Universo, todos temos nosso próprio Universo Paralelo, nosso faz de conta, nossos medos, inseguranças, até mesmo vestígios de vidas que aparentemente não vivemos, de tempos que desconhecemos, lembranças saudosistas de imagens, fragrâncias, sabores de experiência que nunca tivemos.

Universo Paralelo
Foto de Rakicevic Nenad no Pexels

Que existe explicação, existe , mas convence a todos o que você ou eu acreditamos que possa ser a “verdade completa” ou apenas uma de todas as faces que podem ser apresentadas, muitas teorias, pouca prática e assim seguimos na dúvida da expansão do universo sem conhecer o universo individual que nos habita .🎇

Lorena Pelais ॐ∞

Gostou de “Universo Paralelo”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 703 outros assinantes

Uma pandemia

Colaboração de Aretusa Sousa, do ABCclick Fotoclube “Uma pandemia”

O que você enxerga quando você vê?

Uma pandemia, todos sem poder sair de casa e um hobby que precisa de elementos para acontecer – em geral a rua, paisagem, pessoas  – foram os ingredientes para uma atividade coletiva no Fotoclube ABCclick. O desafio era fotografar um utensílio de cozinha da forma que cada um quisesse.

Objetos que nos são úteis no dia a dia, foram capturados conforme a visão de cada fotógrafo. Nosso grupo é misto em todos os sentidos, composto por pessoas da região e de outros estados, com profissões diversas. O resultado foram  imagens cheias de personalidade, algumas com poucos elementos mostrando uma abordagem minimalista, outras super produzidas com acessórios de família e ainda composições de dar água na boca de todos.

Cada fotografia conta uma história, traz consigo a personalidade de quem a faz. Nessa brincadeira o fotógrafo seleciona e interpreta uma cena e assim a codifica e o observador a decodifica interpretando ou lendo.

Estão prontos para decodificar nossas imagens? Que tal também produzir a sua? Mostre seu resultado marcando o #jornalgrandeabc e o #abcclickfotoclube.

Envie sua foto, com seu nome e título para redacao@gmail.com.br

Gostou da nossa matéria “Uma pandemia“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação

‘Senza pietà’ se passa em Vitória e debate o fracasso e as mazelas da educação.

A clássica questão do fosso entre o ensino público e o privado é a tônica de ‘Senza pietà’, conto do jornalista Maxwell dos Santos disponível para download gratuito em http://bit.ly/contosenzapietapdf (PDF), http://bit.ly/contosenzapietaepub (EPUB) e http://bit.ly/senzapietamobi (MOBI)

Este conto tem o claro objetivo de debater o fracasso escolar na rede particular de ensino e desconstruir o conceito de meritocracia, onde o sucesso e o fracasso dependem exclusivamente do indivíduo, mas no caso é o aluno Rodrigo, que acabara de perder a bolsa de estudos no Michelangelo, o colégio mais caro de Vitória, onde estudam os filhos dos donos do PIB do Espírito Santo e devolvido à escola pública de origem, como se fosse uma experiência que deu certo.

Vindo de escola pública, com o ensino precário e constantes graves, o adolescente não estava preparado para o altamente conteudista e vestibulável currículo daquela escola de elite, tampouco tinha inteligência emocional para suportar as pressões por resultados, entrando em conflito com os alunos.

Espera-se que este opúsculo contribua com os debates sobre a educação no Brasil.

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação
Jornalista e autor Maxwell dos Santos. Foto: Divulgação

Sobre Maxwell dos Santos

Maxwell dos Santos é brasileiro, nasceu em Vitória/ES em 1986 e mora na referida cidade. É jornalista, radialista, designer gráfico e servidor público da Prefeitura de Cariacica desde 2017 e professor de Literatura Brasileira dos cursinhos populares Risoflora e Atitude. É técnico em Multimídia pelo CEET Vasco Coutinho, licenciado em Letras/Português pelo Instituto Federal do Espírito Santo, licenciando em História pelo Centro Universitário Internacional, pós-graduando em Letras: Português e Literatura pela Faculdade de Ciências da Bahia e especialista em Educação Especial com Ênfase em Transtornos Globais do Desenvolvimento e Superdotação pela Faculdade de Educação Paulistana.

Gostou da nossa matéria “Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Uma história de amor aos livros: Ela nasceu Clarice

O lançamento “Ela nasceu Clarice”, obra escrita por Ana Rapha Nunes, ilustrada por Ana Laura Alvarenga, e editada pela Compor Editora, do Grupo Editorial Lê, traz
uma homenagem à escritora Clarice Lispector, que teve o centenário comemorado no
último mês de dezembro.

O livro conta a história de uma menina chamada Clarice, que terá a leitura como companheira de vida desde a infância. Um dia, ela descobrirá Clarice Lispector nas
páginas de um livro. E, através das histórias dessa grande autora, a menina irá conhecer melhor ela mesma e o mundo.

Nas páginas de Clarice Lispector, a menina Clarice se encantou com palavras de sonhos, medos e ausências que se pareciam muito com as suas. Vozes femininas, como, por exemplo, as de Clarice Lispector, Cecília Meireles, Lygia Bojunga e Cora Coralina passaram a povoar essa Clarice.

As ilustrações desenvolvem um belo diálogo com a narrativa, apresentando uma paleta de cores que chama a atenção do leitor. A parceria entre a escritora e a ilustradora já rendeu um prêmio em outra obra recente, que foi uma das ganhadoras do Concurso Outras Palavras, promovido pelo Estado do Paraná.

“Ela nasceu Clarice” é sobretudo uma história de amor aos livros. A obra está disponível no site da editora e em diversas livrarias.

Ela nasceu Clarice
Divulgação

A escritora Ana Rapha (site da autora: www.anaraphanunes.com.br) nasceu no Rio de Janeiro e mudou-se ainda na infância para Curitiba. Desde criança, ela vivia cercada por histórias.

Sua paixão pelos livros a fez cursar Letras. Tornou-se professora e, em suas aulas, sempre despertava sonhos nas asas da Literatura.

Em 2015, lançou sua primeira obra. Pouco depois, passou a visitar escolas espalhadas
pelas veredas do Brasil, realizando palestras para professores e estudantes. Um de seus livros foi finalista na categoria infantil do Prêmio Jabuti em 2019. E outro, recentemente, ficou entre os ganhadores do Prêmio Outras Palavras, promovido pelo
Governo do Paraná.

Ana Rapha Nunes, autora de “Ela Nasceu Clarice”. Foto: Divulgação

A ilustradora Ana Laura nasceu em Franca, onde vive até hoje. Desde a infância foi descobrindo o mundo das artes e da pintura.

Formou-se em Design Gráfico e fez vários cursos de aprimoramento. Utiliza várias
técnicas, dentre elas a aquarela é uma das que se destaca.

Iniciou sua carreira na Literatura Infantil em 2020, sendo que um dos livros que ilustrou
ficou entre os ganhadores do Prêmio Outras Palavras, promovido pelo Governo do
Paraná.

Gostou da nossa matéria “Uma história de amor aos livros: Ela nasceu Clarice“?

Ela nasceu Clarice
Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Bruma

Jornal Grande ABC
Jornal Grande ABC
Bruma
/

Lorena Pelais é autora de “Bruma

Ela pregava “felizes para sempre”
Mas no fundo sabia que isso era coisa de menina
Sua mente reflexiva, transitava no passado, futuro e presente
Dormia e acordava
Sorria e chorava
Pensava e escrevia

Sua alma sempre ativa
A cada pulsação seu coração cansado sofria
Sonhava com possibilidades de uma vida que não tinha.

Sonhar não era o erro
Descobrir que viver não era assim tão perfeito
Como sua mente lhe dizia
Amar não era o plano
Liberdade não tinha preço
Da da saudade ao desespero

Desesperada, da saudade de um tempo que sua vivência desconhecia
Sentimentos que atualmente ela nem sabia que existiam

Como é possível??
Sentir saudade do desconhecido (abstrato, aparentemente dito)
Questionava-se, tentando compreender seus porquês.

bruma lorena pelais
Foto de Mati Mango no Pexels

Porque a vida parecia ser tão mágica, encantadora e envolvente, saudade de quando assim se sentia
Porque a vida parece uma “guerra fria”?
Combatente, guerreira sentiu-se em uma guerra que na verdade não existia.

Porque amar??
Buscava entender ao menos, o que verdadeiramente sentia.
Saudade do tempo que seu coração parecia gelado e ninguém nele havia.

Saudade e o tempo perfeitamente conectados
Sensações e a vida interligadas profundamente
Sentir-se perdida
Acreditava que o que sentia, era saudade de tudo aquilo que ela nem mesmo viveu, simplesmente desconhecia

E assim segue, vive em busca de descobrir verdadeiramente o que sente
Em meio tantos enigmas que sua mente abruptamente a conduzia 🛤️

🌻Lorena Pelais, ॐ∞

Gostou de “Bruma”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 703 outros assinantes

Dia Nacional do Livro Infantil: Leia com as crianças estas obras

Estimular a leitura desde a infância traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento da criança. É nessa fase que elas mais absorvem informações e as historinhas têm sido ótimas aliadas para ajudar pais e filhos na hora de enfrentarem um novo ciclo na vida. Por isso é tão importante colocá-los em contato com obras lúdicas e bem ilustradas desde muito cedo.  E neste Dia Nacional do Livro Infantil, 18 de abril, separamos cinco livros lúdicos de escritores nacionais para ler e se divertir com as crianças. Entre as obras selecionadas está o lançamento do ator Lázaro Ramos que ajuda a garotada a desenvolver entre outras habilidades a autonomia. Manter-se familiarizados com a literatura é necessário e esses “amigos lúdicos” vão dar uma mãozinha. Confira!

Dia Nacional do Livro Infantil Lázaro ramos

O Pulo do Gato
Gusmão era um menino “querente”. Queria aprender o passinho de dança, queria tomar chuva sem hora pra acabar, queria acalmar a avó. Queria tudo e ao mesmo tempo – como toda criança.  Um dia, Gusmão teve um sonho, sonhou que era um coelho e que estava em um circo. Mas Gusmão, todo querente, não queria ser coelho, queria mesmo era ser mágico. No meio dessa aventura circense, o menino vai descobrir que o mais importante é não desistir do próprio do sonho.  O pulo do coelho é uma história sobre liberdade, autonomia e esperança – ideal para discutir com as crianças temas como: lidar com as frustrações (os fracassos e os sucessos); lidar com a liberdade; cuidar dos próprios brinquedos; cuidar da própria higiene. 

(Autor:  Lázaro Ramos | Editora: Carochinha | Link de venda aqui)

alessandra camargo

Semente em Versos
Pedidos, vontades e impasses tão comuns no início da primeira infância inspiram os cinco poemas que formam o segundo volume da série “Poesia para Criança”. Entre conscientizar sobre a responsabilidade de se ter um pet e a importância de cuidar do meio ambiente, os versos também apresentam e normalizam para o público infantil a vulnerabilidade dos adultos. O estímulo para a dedicação escolar e do desenvolvimento da espiritualidade são outros assuntos abordados ludicamente por Alessandra em meio as rimas. (Autora: Alessandra Camargo | Link de venda aqui)

Dia Nacional do Livro Infantil maíra lot micales samanta flôor

Careta pra chupeta!
Um ótimo livro para crianças que precisam largar a chupeta e para pais que querem auxiliar nessa jornada! Além de educativo e

ricamente ilustrado traz uma introdução sobre a importância do reflexo de sucção quando bebê e a decisão dos pais de oferecerem ou não a chupeta. Além disso, conta com regras para não banalizar o uso do objeto e dicas de higienização; as vantagens e desvantagens; qual idade é indicada para abandonar o hábito com o passo a passo e orientações para pais de crianças maiores de dois anos. 

(Autora: Maíra Lot Micales | Editora: Caminho Suave | Link de venda aqui)

isabel cintra

Corvo-Correio
Tolerância, igualdade, representatividade. A tríade forma a mensagem principal da obra da escritora Isabel Cintra, que ‘fala’ com crianças sobre racismo sem mencioná-lo. O livro conta a história do Corvo José, que por ser diferente foi impedido pela Coruja Mafalda de fazer parte do seleto grupo dos pombos-correio. Um enredo sensível e fácil de se identificar. Afinal, quem nunca desanimou diante das adversidades, ainda mais quando o pré-julgamento se apresenta, irredutível? (Autora: Isabel Cintra | Editora: Mazza | Link de venda aqui)

Dia Nacional do Livro Infantil leni zillioto

Pirulito RodaPé
É uma história para divertir e interagir, que traz magia para quem escuta e para quem lê. Tem história, tem joguinho, tem desenho pra pintar e folha em branco pra desenhar. Tem amor, tem carinho e muita gargalhada pra dar! Pirulito é doce, é palhaço, é brinquedo de papel. É uma historinha gostosa para aproveitar com os pequenos e trazer a eles o rico universo da literatura e a alegria própria do palhaço de circo. O enredo retrata um pouco de nossa trajetória como educadores e artistas e tem o poder de nos transformar-nos em pessoas melhores. Está traduzido para 5 idiomas: inglês, francês, italiano, espanhol e alemão.

(Autora: Leni Zilioto | Link de venda aqui)

Gostou da nossa matéria “Dia Nacional do Livro Infantil: Leia com as crianças estas obras“?

Dia Nacional do Livro Infantil. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

A visão amorosa e inclusiva de Thamires Hauch

Carioca, 28 anos, terapeuta holística e protagonista do próprio discurso. Influenciadora digital que dosa profundidade e humor nas redes sociais, Thamires Hauch decide levar palavras de coragem também por meio da literatura. Publicado pela Editora Opala, Faça o amor ser fácil surge como resposta à necessidade das mulheres aprenderem a se relacionar melhor, consigo e com o outro.

“Pressupõe-se que nascemos sabendo amar, mas não é bem assim que funciona. O amor é um fato, o amar é o seu exercício e ele exige coragem”, pondera a autora. Assim, por meio de crônicas e aforismos, Thamires trata de dilemas cotidianos e temas que geram confusão e curiosidade no terreno da conquista.

Homens que somem sem explicação prévia, os famosos joguinhos nas relações e a vida que existe no pós-término são abordados com o objetivo de desenvolver o amor-próprio e a autovalorização, além de aumentar a compreensão sobre as dinâmicas nos relacionamentos. Leitura não só para mulheres, mas a todos que buscam se desenvolver e se encontrar nos assuntos do coração.

Vivemos em tempo de consumismo afetivo: a urgência, a impaciência, as intensas demandas, a comparação, a variedade, a facilidade. Tudo isso nos coloca em um eterno contraste das posições “poderosa” e “impotente”. Em um momento, pode se sentir poderosa por estar passeando pelo aplicativo de encontros e escolher quem quiser ou, ainda, rejeitar quem te escolheu. Em outro momento, ninguém te escolhe naquele dia ou quem te escolheu é completamente o oposto do que você gostaria. (Faça o amor ser fácil, p. 78)

O título da obra é reflexo e também reflete o potente trabalho de Thamires nas redes sociais. Faça o amor ser fácil nasce de uma publicação no Instagram curtida por mais de 50 mil pessoas, compartilhada por 20 mil e salva por mais de 15 mil. “É nos detalhes que o amor floresce. Quem muito tenta exercer controle, só mostra o desequilíbrio que ali reside”, pontua, entre as verdades que todos sabem, mas muitos custam a registrar.

Não à toa, são mais de um milhão de seguidoras nas redes sociais, 5 mil alunas em cursos – on-line e presenciais – e um mesmo objetivo: auxiliar mulheres em busca de força e coragem para se lembrarem de quem realmente são.  

FICHA TÉCNICA
Título: 
Faça o amor ser fácil
Autora: Thamires Hauch
Editora:
 Opala
ISBN: 978-65-9913-693-1
Páginas: 128 páginas
Formato: 11,8 x 17,5 cm
Preço: R$ 29,90
Links de pré-venda: Amazon | Livraria da Travessa | Martins Fontes Paulista  

Sobre a autora: Thamires Hauch, 28 anos, carioca, escritora, terapeuta e caminhante incansável no processo do autoconhecimento. Entre textos e vídeos compartilhados com mais de 1 milhão de pessoas em suas redes sociais, Thamires aborda temas como amor-próprio, relacionamento e empoderamento feminino — com humor, quando o assunto permite; com seriedade, sempre que necessário. Seu olhar é todo voltado para o reconhecimento do valor das mulheres em situações do cotidiano. Seus encontros presenciais reúnem centenas de mulheres em busca de força e coragem para se lembrarem de quem realmente são. Além dos encontros presenciais, Thamires também produz programas e cursos on-line voltados para o desenvolvimento pessoal de mulheres ao redor do mundo — já são mais de 5 mil alunas juntas nessa jornada.

Site da autora: https://www.thamireshauch.com
Instagram: @thamireshauch | Twitter: @thamireshauch

Site da editora: http://www.editoraopala.com.br
Instagram: @editoraopala
Facebook: Editora Opala

Gostou da nossa matéria “A visão amorosa e inclusiva de Thamires Hauch“?

A visão amorosa e inclusiva de Thamires Hauch
Foto: Divulgação/Opala

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Turma da Mônica Jovem traz páginas da Terceira Série do mangá

A editora Panini confirmou que a edição 52 da Turma da Mônica Jovem, que chegará às bancas no próximo dia 30, trará as primeiras páginas que apresentarão a terceira Série do Mangá. A história promete desdobramentos importantes e surpresas que fazem do número uma edição valiosa. 

Unindo duas séries em uma só revista, o roteiro gira em torno de um inimigo que chega para libertar a bruxa Yuka das Quatro Dimensões Mágicas. O evento  mudará tudo o que se conhece e irá agitar a vida de todos no bairro do Limoeiro. O que será que vem por aí?

A edição histórica  já está em pré-venda na loja online da editora por R$11,90.

Sobre a Panini

O Grupo Panini foi criado há 60 anos em Modena, Itália. Possui subsidiárias em toda a Europa, América Latina e Estados Unidos. É a líder mundial no setor de colecionáveis e publicações e a principal editora multinacional de quadrinhos, revistas infantis e mangás na Europa e na América Latina. A empresa possui canais de distribuição em mais de 150 países e conta com uma equipe de mais de 1.200 pessoas. Para mais informações, visite www.paninigroup.com.

Sobre a Mauricio de Sousa Produções

A Mauricio de Sousa Produções (MSP) é a maior empresa de entretenimento do Brasil, responsável por uma das marcas mais admiradas do país, a Turma da Mônica. A MSP investe em inovação e produz conteúdos em todas as plataformas com a mais alta tecnologia, alinhando educação, cultura e entretenimento. No licenciamento, trabalha com 150 empresas que utilizam seus personagens em mais de 4 mil itens. No universo digital, o canal no YouTube da Turma da Mônica já chegou a 14,5 bilhões de visualizações, sendo a maior audiência para Mônica Toy, conteúdo desenvolvido exclusivamente para esta plataforma; além do engajamento e interações orgânicos com os fãs em mídias sociais. Na área editorial, possui um dos maiores estúdios do setor no mundo e já tem mais de 450 títulos e mais de 1,2 bilhão de revistas em quadrinhos, responsáveis pela alfabetização informal de milhões de brasileiros.

Gostou da nossa matéria “Turma da Mônica Jovem traz páginas da Terceira Série do mangá“?

Turma da Mônica Jovem traz páginas da Terceira Série do mangá
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Barracão Teatro leva para a sua casa “Zabobrim, o Rei Vagabundo”

Como transpor para os limites da tela um espetáculo concebido para dialogar com o público? Com o desafio lançado, o Barracão Teatro – importante centro de investigação e pesquisa das artes da cena, localizado em Campinas (SP) – apresenta a adaptação de “Zabobrim, O Rei Vagabundo” (um dos clássicos do repertório do grupo) para os formatos digitais.

Filmado e formatado para a realização de uma série de seis apresentações on-line, gratuitas, nas plataformas sociodigitais do Barracão Teatro, “Zabobrim, O Rei Vagabundo Online” tem sua estreia nesta sexta-feira, 16 de abril, às 20h. A temporada, contemplada pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), com recursos da Lei Aldir Blanc, se estende nos dias 17, 18, 23, 24 e 25 de abril.

A temporada on-line terá uma novidade: o grupo receberá o público,, às 19h40, em uma antessala da plataforma Zoom, para conversar com os participantes. O link de acesso para a noite de estreia, sexta-feira, dia 16, é http://bit.ly/zoom_antessala_estreiazabobrim. Nos outros dias, o link estará disponível no Youtube e Instagram do Barracão Teatro.

Barracão Teatro leva para a sua casa "Zabobrim, o Rei Vagabundo"

Sob nova perspectiva
O espetáculo “Zabobrim, O Rei Vagabundo”, foi concebido, na sua origem, para ser uma obra volátil que dialogasse diretamente com público. Para a adaptação do espetáculo aos formatos digitais, o Barracão Teatro contou com a parceria da produtora de vídeo Mapache Filmes – fundada e dirigida pelo videomaker e cineasta Levi Munhoz.

“Entendemos que essa ressignificação não foi simplesmente o ato de filmar um espetáculo teatral já concebido, mas criar uma adaptação da obra feita exclusivamente para ser vinculada e apresentada nas redes a fim de possibilitar um diálogo presente com o espectador que assiste do outro lado da tela”, destaca a diretora Tiche Vianna.

Transpor uma linguagem para outra sem querer ter perdas é uma tarefa árdua e seria uma “prepotência dizermos que conseguimos fazer isso”, reforça Tiche. Em “Zabobrim, o Rei Vagabundo Online”, a equipe teve, acima de tudo, a possibilidade de estudar, revisitar, desmontar e remontar um espetáculo teatral sob uma nova perspectiva.

Quais os desafios? “A primeira coisa que perderíamos seria a relação interativa com o público e por conta disso, seria necessário modificar a narrativa. Isso diminuiu consideravelmente o tempo de realização das cenas o que favoreceu muito a apresentação através da tela”, afirma.

Segundo ela, “é diferente gravar um espetáculo teatral e reinventar a teatralidade no ‘teatro audiovisual’. Como a câmera se aproxima e às vezes entra na cena, atrizes e atores tiveram que condicionar corpos habituados ao exagero, a não caminhar as distâncias cênicas e recriar seus movimentos: tanto da máscara em si, que pressupõe sutilezas do rosto (coisa que não vemos no teatro por causa da distância), quanto da coluna e transferência de peso, redesenhando seus gestos. Tudo ganhou outra dimensão e é por meio do retorno, que poderemos ter através do público, após as apresentações, que saberemos com mais profundidade como operar essa outra perspectiva de trabalho, que parece ser o que nos moverá nos próximos meses”, reflete.

Do outro lado da tela
Desde sua estreia, em 2015, o espetáculo circulou por diversas cidades, apresentando em festivais, mostras e temporadas. Em cada lugar, e diante de cada público diferente, a peça, na improvisação direta com a plateia, ia se reconfigurando na atualização de piadas, interações e comentários (tudo isso a partir dos acontecimentos atuais e do retorno do espectador).

Agora, sob a nova perspectiva virtual, a diretora é enfática: “Longe de termos uma câmera que captura imagens fiéis ao realismo, temos uma câmera que vasculha alguns ângulos distintos da cena, na busca de uma intimidade que só a presença cênica é capaz de revelar. Ainda temos muito a aprender e o desafio é esse. Quanto mais caminho pela frente, maior a vontade de realizar a possibilidade do agora”, conclui Tiche Vianna com muitas ideias na cabeça e, definitivamente, uma câmera na mão.

Ficha técnica

Dramaturgia
Tiche Vianna – Esio Magalhães

Direção
Tiche Vianna

Atuação
Cintia Birocchi
Esio Magalhães
Fernando Fubá
Kara Ariza
Raissa Guimarães
Rodrigo Nasser
Ulisses Junior

Direção Musical
Marcelo Onofri

Direção de arte (figurinos)
Antonio Apolinário

Designer Gráfico
Ana Muriel

Técnico de Iluminação
Erico Damineli

Produtora Executiva
Cau Vianna

Assistente de Produção
Thomas do Anjos

Sinopse do espetáculo
Na peça, Zabobrim, o palhaço vagabundo remexe o lixo e encontra uma lâmpada mágica. Um gênio lhe concede três pedidos e ele pede para se tornar rei. Seu desejo é realizado e Zabobrim retorna ao passado, quando o fim da monarquia se anuncia e os reis estão perdendo suas cabeças.

Serviço
“Zabobrim, o “Rei Vagabundo On-Line”
Quando: 16, 17 e 18 de abril (sexta a domingo); 23, 24 e 25 de abril (sexta a domingo), sempre às 20h.
Ondehttps://www.youtube.com/barracaoteatro 
Recepção do público: plataforma Zoom, às 19h40. Link de acesso para a estreia, sexta-feira, dia 16, é http://bit.ly/zoom_antessala_estreiazabobrim. Nos outros dias, o link estará disponível no Youtube e Instagram do Barracão Teatro.
Classificação indicativa: 12 anos.

Projeto: Zabobrim, o Rei Vagabundo Online, contemplado pelo Programa de Apoio Cultural Expresso Lei Aldir Blanc nº36 – Produção e temporada de espetáculo de teatro com apresentação on-line, da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Gostou da nossa matéria “Barracão Teatro leva para a sua casa “Zabobrim, o Rei Vagabundo”“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Livro aborda técnicas de comunicação para redigir e-mails

Lançado pela editora Aberje, Livro que aborda técnicas de comunicação é da doutora em linguística Vívian Cristina Rio Stella

O livro “Comunicação eficiente: como escrever mensagens com clareza, concisão e funcionalidade”, lançado pela Aberje Editorial e escrito por Vívian Cristina Rio Stella, doutora em linguística pela Unicamp, aborda diversas técnicas de comunicação textual. A proposta da obra foge do comum em relação ao que já existe sobre o tema, trazendo uma abordagem de como estruturar as ideias, organizar as informações e como ser conciso e empático ao redigir um e-mail, além da humanização na escrita corporativa e aplicabilidade em qualquer outro tipo de comunicação. Segundo a autora, foram anos de trabalho para transformar o sonho em realidade, resultado de todos os estudos e leituras sobre linguística textual e cerca de 15 anos oferecendo cursos na área em várias empresas.

“O grande problema não é (apenas) o volume de mensagens enviadas diariamente, e sim como elas são redigidas. Desde mensagens pontuais às mais estratégicas, há muita falta de clareza ou de organização, prolixidade, falta de objetividade e de foco, idas e vindas infindáveis de mensagens, escolha de palavras inadequadas e até mesmo mau uso do canal de comunicação”, destaca Vívian. Com esse cenário, abre espaço para perda de tempo, retrabalho – que pode gerar custos desnecessários, conflitos entre os colaboradores e até mesmo enfraquecimento na reputação do profissional e da organização que ele representa. Sem contar que apesar das atualizações digitais, o e-mail continua sendo fundamental no universo corporativo, por ter segurança e rastreamento maior nas informações e caráter documental ao que é compartilhado.

“No livro, você também aprende sobre netiqueta, empatia, eficácia da comunicação, tudo por meio de exemplos.⠀Apresento técnicas, discuto o papel da humanização na escrita corporativa e mostro, com antes e depois, formas de redigir melhores e-mails”, completa. O livro, recomendado para qualquer pessoa que queira desenvolver a habilidade da comunicação escrita, está disponível pelo site da Aberje e na versão e-book pela Amazon. Para os participantes da segunda turma do programa 3Ps da Comunicação, que será realizado de fevereiro a março de 2021 e foi desenvolvido pela autora, um exemplar da obra ‘Comunicação Eficiente’ será enviado após a adesão.

Serviço

Livro “Comunicação eficiente: como escrever mensagens com clareza, concisão e funcionalidade”

Disponível em: https://www.aberje.com.br/produto/comunicacao-eficiente/

https://www.amazon.com.br/Comunica%C3%A7%C3%A3o-eficiente-escrever-mensagens-funcionalidade-ebook/dp/B08L9M3PZW/ref=sr_1_1?dchild=1&keywords=comunica%C3%A7%C3%A3o+eficiente&qid=1608121078&sr=8-1

Sobre Vívian Cristina Rio Stella

A Prof.ª. Dr. Vívian Cristina Rio Stella é idealizadora e curadora da VRS Academy, onde desenvolve e aplica soluções de aprendizagem criativas e customizadas para diversos clientes. Graduada e doutora em Linguística pela Unicamp, fez pós-doutorado na PUC-SP. É certificada como facilitadora Lego®️ Serious Play®️, Focus play®️, Go Minimal®️ e habilitada a aplicar Big Five Assessment. Professora de cursos de extensão da Faculdade Cásper Líbero e de disciplinas de graduação na UniAnchieta. Ministra cursos e workshops na Casa do Saber, na Aberje, na Atingire e na Integração Escola de Negócios.

Na Aberje, é também colunista no portal e membro do comitê de Comunicação Interna (ano 2018-2019). Atua como palestrante e instrutora de treinamentos empresariais nas áreas de Comunicação, Liderança e Educação. Ministrou cursos de extensão sobre redação acadêmica na Unicamp e foi coordenadora de comunicação do CPDEC, onde também atuou como instrutora de inúmeros treinamentos.

Foi coordenadora e tutora do curso de especialização a distância de Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa, na Universidade Gama Filho – UGF, como tutorado Redefor, programa de capacitação de professores do ensino público. Foi corretora de redação do vestibular da Unicamp e ministrou oficinas de comunicação escrita na Revista Língua Portuguesa, Editora Segmento. Atualmente, pesquisa e desenvolve trabalhos voltados à lifelong learning.

Gostou de “Livro aborda técnicas de comunicação para redigir e-mails?

Livro aborda técnicas de comunicação para redigir e-mails
Prof.ª. Dr. Vívian Cristina Rio Stella. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo

Livro Compreender e acolher, da Dra. Deborah Kerches, especialista em TEA, traz conteúdos específicos voltados a crianças, adolescentes e adultos

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição do neurodesenvolvimento que afeta aspectos ligados à comunicação e ao comportamento de uma pessoa. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 1% a 2% da população mundial está no espectro autista. No Brasil, estima-se mais de 2 milhões de pessoas com essa condição.

No livro “Compreender e acolher”, a partir de muito trabalho clínico e pesquisa, a neuropediatra Deborah Kerches, especialista em autismo, apresenta o espectro autista a todos de uma forma lúdica, empática e com embasamento científico. Seu conteúdo é voltado a crianças, adolescentes e adultos, para que todos possam se informar e conscientizar sobre o espectro autista, possibilitando o reconhecimento dos sinais precoces e a construção de uma sociedade inclusiva.

O livro, lançado pela Literare Books International, vem em um formato “vira-vira”, onde cada lado possui uma abordagem diferente. De um lado, destacam-se informações referentes ao TEA na infância, seguidas de uma história em quadrinhos direcionada ao público infantil; do outro, considerações relevantes sobre o TEA na adolescência e uma nova história em quadrinhos direcionada a adolescentes e jovens.

“Além dos adultos, é essencial que crianças e adolescentes compreendam melhor o que é o autismo e, assim, possam contribuir na construção de uma sociedade mais acolhedora, empática e inclusiva”, afirma a autora e neuropediatra.


Prejuízos persistentes na comunicação e interação social, assim como padrões de comportamentos, interesses e atividades restritos e repetitivos, são as características centrais do TEA. O diagnóstico e intervenções precoces são determinantes para o desenvolvimento e qualidade de vida das pessoas com autismo e também de suas famílias.

Relacionar-se requer colocar-se no lugar do outro e, por meio dessa obra, os leitores – de diferentes faixas etárias – passam a compreender melhor as pessoas com TEA e o quanto podem contribuir e aprender com elas.


Trata-se, assim, de um livro inédito em que diferentes públicos podem se beneficiar das lições da autora, seja pelas páginas com conteúdo escrito, seja por meio da história em quadrinhos.

Sobre a autora

Deborah Kerches – (CRM 102717- SP; RQE 23262-1.) Neurologista da infância e adolescência. Título de Especialista em Neuropediatria e Pediatria. Especialista em Transtorno do Espectro Autista. Coordenadora e professora de pós-graduações do CBI of Miami. Especialização em Preceptoria em Residência Médica no SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês. Membro da Sociedade Brasileira de Neuropediatria. Membro da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil (ABENEPI). Membro da Academia Brasileira de Neurologia. Membro da Associação Francesa La cause des bébés. Membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

Sobre o livro
Compreender e acolher
Autora: Deborah Kerches
Editora: Literare Books International
Formato: 21,5 x 28 cm – 1ªedição – 112 páginas
ISBN: 9786586939996
Instagram: @dradeborahkerches
Loja Literare Books:  http://bit.ly/lojaliterare-compreendereacolher

À venda nas principais livrarias físicas e on-line

Gostou de “Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo?

Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo
Dra. Deborah Kerches. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças

Seleção da Disal aposta em títulos clássicos da série “Sítio do Picapau Amarelo” e do folclore brasileiro para impulsionar o gosto pela leitura, confira os livros selecionados de Monteiro Lobato

Seja na escola ou nas histórias contadas pelos pais, tios e avós, o livro é uma figura presente na vida de crianças de diferentes idades e peça fundamental no desenvolvimento intelectual e criativo. Tanto que tem uma data comemorativa especial para chamar de sua, o Dia Nacional do Livro Infantil, celebrado em 18 de abril, data de nascimento de José Bento Renato Monteiro Lobato, uma das maiores referências da literatura infantojuvenil de todos os tempos.

Disal, uma das principais distribuidoras de livros do país, não poderia ficar de fora desta comemoração e aproveita a ocasião para selecionar livros do Monteiro Lobato que caem como uma luva na tarefa de estimular a imaginação e o gosto pela leitura. O autor, inclusive, é a prova disso, já que ele mesmo se apaixonou pelo universo das letras depois de ler todos os títulos da biblioteca do avô, o Visconde de Tremembé.

Confira:

O Saci

Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças

A narrativa revela lendas curiosas sobre o nascimento dos sacis, histórias sobre a mula sem cabeça, o lobisomem, o boitatá, o Negrinho do Pastoreio, a Cuca, e a sereia Iara. O saci parte da curiosidade de Pedrinho, neto de Dona Benta, que costuma passar as férias no Sitio do Picapau Amarelo, a respeito de um ser da floresta que está sempre com um gorro vermelho e fumando cachimbo. Destemido, o garoto não tem medo de urutus, onças, vespas nem de cobras, mas descobre seu pavor de Saci. Porém, Pedrinho decide enfrentar seus medos e pede ajuda ao sabido Tio Barnabé, um senhor de mais de oitenta anos que mora em um rancho coberto de sapé.

Saiba mais:  https://cutt.ly/bcOnS6z

Reinações de Narizinho

Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças

Nem mesmo o autor mais respeitado de toda a literatura infantojuvenil brasileira conseguia dominar as peraltices da boneca de pano nas dezenas de aventuras povoadas da mais rica mitologia nacional. Conhecido como a locomotiva do comboio da saga do Picapau Amarelo, Reinações de Narizinho reúne as onze histórias que Lobato começou escrevendo em 1920. Surgem ali Narizinho, Pedrinho, o Visconde, Rabicó, Tia Nastácia, e, claro, Emília, que comanda todas as travessuras em um misto de realidade e fantasia.

Saiba mais: https://cutt.ly/4cPkzfa

O Picapau Amarelo

Em O Picapau Amarelo (1939), a turma do sítio se encontra com seres da mitologia grega, como Pégaso e a Quimera, personagens de contos de fadas europeus, como Cinderela, o Pequeno Polegar, Chapeuzinho Vermelho, e personagens clássicos da literatura, como o Capitão Gancho, Peter Pan, Dom Quixote… É que o Mundo da Fábula resolveu se mudar para o sítio com seus castelos, suas carruagens, seus animais – e foi então que as mais incríveis aventuras começaram.

Saiba mais: https://cutt.ly/ecPlQwa

Serões de Dona Benta

Para atender à necessidade infinita de conhecimento das crianças do sítio, Dona Benta mais uma vez dá uma aula completa de Ciências. Sem palavras difíceis e conceitos complicados, ela consegue apresentar a Narizinho, Pedrinho e Emília as invenções que mudaram o mundo, o sistema solar, os elementos da natureza, e muito mais! A sabedoria da vovó vai aguçar ainda mais a vontade de aprender da turma, que comenta cada descoberta com bastante humor e criatividade.

Saiba mais em: https://cutt.ly/HkLo62j

Sobre a Disal Distribuidora: Há mais de meio século em operação, é considerada a mais importante distribuidora de livros e materiais didáticos do Brasil para o ensino de idiomas, e, também, técnicos e científicos, de ciências humanas e sociais, literatura, autoajuda e conhecimentos gerais. Possui um catálogo com 400 editoras e mais de 400 mil títulos comercializados. Tem 18 filiais distribuídas nas principais cidades do país e um portal em que é possível encontrar todos os serviços e produtos oferecidos. Saiba mais em www.disal.com.br

Gostou de “Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Padre Reginaldo Manzotti apresenta single e clipe de “Ser Livre”

Padre Reginaldo Manzotti lança hoje em todas as plataformas digitais o single e clipe de “Ser livre”, canção composta pelo sacerdote e Danilo Dyba. Ouça e baixe aqui: https://umusicbrazil.lnk.to/SerLivre .

O clipe foi gravado dentro dos estúdios da Associação Evangelizar é Preciso, em Curitiba (PR), com equipe reduzida e respeitando todas as orientações das autoridades sanitárias. A direção artística e de vídeo é de Murilo Almeida.  Assista aqui: www.youtube.com/watch?v=OX8DjtG4QaA

“Essa canção busca lembrar que todos nós devemos ser livres para servir e que devemos nos desprender do que nos impede de viver a felicidade plena que é junto ao Nosso Senhor”, disse Padre Reginaldo Manzotti.

No ano passado, Padre Manzotti apresentou em seu canal oficial da VEVO os clipes de “Tempo de Inovar”, o quinto DVD da discografia do sacerdote que arrasta multidões. Gravado na Live Curitiba, em Curitiba (PR), em 2019, com a presença de mais de cinco mil pessoas, o DVD contou com três convidados especiais: DJ Alok, Gustavo Mioto e Naiara Azevedo. Ouça e baixe aqui: https://umusicbrazil.lnk.to/TempoDeInovar  . Assista a todos os clipes no canal oficial de Padre Manzotti: youtube.com/Padremanzottivevo .

Antenado com as mídias digitais, o sacerdote tem 7.3 milhões de seguidores no Facebook, 3.6 milhões de seguidores no Instagram, 2.4 milhões de pessoas inscritas em seu canal do YouTube, 692 mil seguidores no Twitter e 221 mil em seu canal Vevo. Seu portal, www.padrereginaldomanzotti.org.br, recebe mais de 1 milhão de acessos mês.

Gostou de “Padre Reginaldo Manzotti apresenta single e clipe de “Ser Livre”?

Padre Reginaldo Manzotti apresenta single e clipe de "Ser Livre"
Padre Reginaldo Manzotti apresenta o single e clipe de “Ser Livre”
Divulgação – Assessoria de Imprensa

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Raylla Araújo lança primeiro EP autoral e clipe

As músicas de Raylla Araújo já estão em todas as plataformas digitais

A artista Raylla Araújo, de 15 anos, acaba de lançar seu primeiro EP autoral que se chama “Momentos” e o clipe “Vibe Paz”. O novo trabalho da artista traz 4 canções. A cantora ficou conhecida depois de participar do Reality Musical da Globo, o The Voice Kids na edição de 2019, onde representou o time de Carlinhos Brown, e foi uma das finalistas do programa.

Raylla também participou do Super Chefinhos, Programa de culinária do Mais Você e também foi finalista. O novo projeto da artista foi gravado no Amazonas. As canções foram produzidas em Manaus.

O clipe foi gravado em uma ilha e em duas cachoeiras no município de Presidente Figueiredo no Amazonas.

Raylla canta desde os 8 anos de idade, e já tem um clipe no YouTube que foi lançado em 2019, logo após a sua participação no The Voice Kids. O clipe “Descobri Em Você”, é uma composição da Banda Melim. Desta vez a cantora aposta em um trabalho totalmente autoral, todas as músicas foram compostas pela artista.

O EP Momentos já está disponível em todas as plataformas digitais, sendo ele disponibilizado pela gravadora Sony Music.


Assista o clipe de Vibe Paz, com Raylla Araújo.

Gostou de “Raylla Araújo lança primeiro EP autoral e clipe?

Raylla Araújo
Raylla Araújo. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Livro apresenta nova geração de escritoras negras brasileiras

Resultado do ciclo de formação de escrita da FLUP, a edição apresenta 180 mulheres e trabalhos orientados por nomes como Ana Paula Lisboa, Itamar Vieira Junior e Eliana Alves. Confira sobre a nova geração de escritoras negras brasileiras.

Mais de 500 mulheres se inscreveram para participar do processo de formação de escrita organizado pela Festa Literária das Periferias – FLUP em 2020, dedicado à obra de Carolina Maria de Jesus. Esta edição do projeto FLUP Pensa, Uma revolução chamada Carolina, foi destinada exclusivamente a mulheres autodeclaradas negras, o primeiro em formato digital por causa da pandemia, e tinha como objetivo celebrar os 60 anos de publicação de Quarto de Despejo.

Dos 15 encontros semanais com personalidades poderosas e inspiradoras, como Conceição Evaristo, Zezé Motta, Preta Rara e Erica Malunguinho, e do trabalho de orientação de nomes fortes da literatura brasileira, como Alexandre Faria, Ana Paula Lisboa, Cristiane Costa, Eduardo Coelho, Eliana Alves Cruz, Fred Coelho, Itamar Vieira Jr. e Milena Britto, surgiu Carolinas – a nova geração de escritoras negras brasileiras, livro organizado por Julio Ludemir, cofundador da FLUP, que a Bazar do Tempo lança, em abril.

São mais de duzentos textos divididos em oito partes – cada uma organizada por um orientador – que transitam entre conto, crônica, diário e relato autobiográfico. O livro ainda traz textos de Conceição Evaristo na quarta capa; apresentação de Fernanda Miranda, professora e autora de Silêncios Prescritos; de Fernanda Felisberto, professora de literatura brasileira na UFRJ/Nova Iguaçu e mestre na obra de Carolina Maria de Jesus, na orelha; e ilustrações de Thais Linhares ao longo de todo o livro. As autoras presentes nessa coletânea estão espalhadas por todo o país, assim como na África e até mesmo na França – o que amplia ainda mais o diálogo com as favelas cariocas onde a FLUP vem trabalhando há dez anos.

“Este livro é um daqueles raros casos de uma obra que fala muito mais para o futuro do que para o presente. Os quase 200 textos revelam uma geração de escritoras que impactarão o país com a mesma amplitude com que a juventude preta mudou o cotidiano das universidades brasileiras, em seguida à implantação da política de cotas. Está longe de ser um devaneio afirmar que não menos de 30 dessas mulheres farão carreiras relevantes no mercado editorial na década que ora se inicia”, escreve Julio Ludemir no prólogo do livro.

Ainda no texto, Ludemir destaca também outro fator importante sobre as escritoras: “Chamou nossa atenção a escolaridade das mulheres que atenderam nossa convocação nos primeiros dias da pandemia que paralisou o mundo em 2020: nada menos que 38% delas tinham o título de mestre ou doutora e 40% já eram formadas”.

O ciclo de formação contou também com a participação de vinte catadoras ligadas às cooperativas de reciclagem do ABC paulista. Sob orientação de Eduardo Coelho, as oficinas partiram dos relatos de seus percursos biográficos para mapear os desejos, bem como enredos e técnicas de narrativas. Coelho ressalta em seu texto que “a leitura e a audição de trechos do Quarto de Despejo consistiram num recurso fundamental para que elas se sentissem autorizadas a produzir seus textos e contações de histórias. Por outro lado, o desenvolvimento de suas próprias narrativas foi levando as catadoras a se reconhecerem e se perceberem de outras formas, naquilo que elas caracterizaram, por fim, como um processo ‘terapêutico’. Em outras palavras, as oficinas se tornaram um meio de elas passarem suas vidas a limpo, atribuindo novos sentidos aos seus percursos biográficos, além de reconhecerem nesse processo uma possibilidade comovente de ensino e aprendizagem”.

O livro marca os dez anos de atuação da FLUP nas favelas cariocas, de onde surgiram nomes que ganharam destaque nacional, como Geovani Martins, cujo livro de estreia foi lançado em mais de 20 países; Ana Paula Lisboa, colunista do jornal O Globo e orientadora desta edição da FLUP Pensa, e a cineasta Yasmin Thayná .

Para celebrar o lançamento do livro, estão previstos três eventos virtuais, cada um em parceria com uma livraria independente: uma do Rio de Janeiro, outra de Salvador e de Porto Alegre.

Livro apresenta nova geração de escritoras negras brasileiras

Livro: Carolinas – a nova geração de escritoras negras brasileiras
Autor: Várias autoras
Organização: Julio Ludemir
Número de páginas: 548
Ano de publicação: 2021
Valor: R$ 60,00

Gostou de “Livro apresenta nova geração de escritoras negras brasileiras?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Escritor Julio Ribeiro lança dois romances durante a pandemia

O isolamento trouxe à tona questões existenciais, escolhas e amores, temas para o escritor Julio Ribeiro

A literatura sempre esteve presente na vida do escritor Julio Ribeiro. Tanto que em 2020, durante a pandemia, lançou dois romances, que se misturam e se completam, passeando por vários lugares diferentes, mas que tratam de questões existenciais, escolhas e amores.

“Cabeça, Corpo e Alma”, encanta pelos seus cenários e contrastes humanos do mundo, seja nas andanças pela África, na primavera florida de Amsterdã, na pulsante Nova Iorque, ou navegando pelas águas do Rio Amazonas, entre outros lugares. A história trata de conflitos, medos, esperanças e sonhos. A trama envolvente narra, em terceira pessoa, as vivências paralelas de dois homens, Oscar e Henri, cada qual com as suas escolhas, divertimentos e arrependimentos. Até que uma enfermidade os torna protagonistas de uma mesma experiência médica, expondo as fragilidades e as emoções das pessoas.

Na novela ” Um chimarrão com o Diabo”, narrado na primeira pessoa e passado em um cenário local, o autor levanta perguntas como: quem manda em nossas vidas? O que pensamos? O que não podemos? Como lidar com quaisquer possibilidades, ou com suas ausências? Com profundidade emocional levanta essas perguntas e algumas possibilidades de respostas que podem surpreender.A sábia lição que o livro ensina é antiga – nem por isso menos perigosa: a associação com o mal nunca acaba bem. Tudo tem um alto preço: o abuso do poder e da ganância sempre somam-se em um desfecho fatal.

Entrevista:

Julio, fale-nos um pouco sobre o livro “Cabeça, Corpo e Alma”, como ele foi concebido? Ficamos sabendo que ele é fruto também de uma pesquisa pessoal, certo?

Julio Ribeiro: O livro ” Cabeça, Corpo e Alma” começou a nascer em 2018, aí mesmo no Rio, quando eu estava participando de um evento literário na Casa França Brasil. Depois, de volta ao Rio Grande do Sul, segui pesquisando. Eu sabia que algo bom e interessante estava brotando, li muito sobre medicina, sobre lugares e deixei que a trama me conduzisse como um rio caudaloso. E foi, justamente nesse momento, que decidi ir para o Amazonas sorver o que fosse possível da experiência dos meus personagens. Sei que é clichê falar assim, mas foi a cereja do bolo. O que eu ouço e leio das pessoas que me dão um feedback é maravilhoso, por isso estou muito feliz com o resultado final.

E quanto ao “Um Chimarrão com o Diabo”? Tem uma “pegada” mais regionalista, certo?

Julio Ribeiro: O livro ” Um Chimarrão com o Diabo” é muito diferente de tudo que eu já tinha feito. Acho que escrever em primeira pessoa é muito difícil, mas ele fluiu com uma naturalidade espantosa, escrevi o livro em noventa dias. Na verdade os amigos me cobravam que os meus livros falavam de coisas de Rio e São Paulo, ou mesmo do mundo, mas pouco sobre os gaúchos, estão resolvi fazer uma narrativa local, cenários, história, narrados em primeira pessoa pelo Pedro, que vai desfiando o novelo de sua vida, ” no dizer de Saramago”, onde o simples e singelo se metamorfoseiam em uma trama densa, emocionante e muito rica. Acredito que o ambiente da pandemia, de isolamento e perdas, influenciou as reflexões sobre a experiência de existir.

Sobre o autor:

Nascido em 1967, em Santiago/RS,  e residindo em Canoas/RS com a família, Julio Ribeiro é graduado em Sociologia e pós graduado em Filosofia, e trabalha como Professor e Diretor de uma escola pública em Nova Santa Rita. Sua primeira participação foi em ‘1ª Antologia Poética’ (1987), depois organizou o livro ‘Semeando Letras Colhendo Sonhos’, com poemas e contos dos estudantes da rede pública (2005), e em 2016 publicou ‘Da Caverna ao Shopping, Os Labirintos da vida’, com 18 contos.

Seu primeiro romance foi ‘Escolhas do Amor e do Tempo’, lançado na 63ª Feira do Livro de Porto Alegre (2017) e no Salão Internacional do Livro no RJ (2018), com grande aceitação do público em todo o país.

‘Cabeça Corpo e Alma’ ficou pronto em 2019, mas o lançamento ocorreu em 2020, em São Paulo, um mês antes de ‘O Chimarrão com o Diabo’ ficar pronto.

Serviço:

01. Cabeça, Corpo e Alma, Editora Lendari, 1ª edição, São Paulo, 2020, 160p, ISBN 978-65-88762-02-8. Literatura fantástica, Romance fantástico, Literatura brasileira. Disponível na Amazon e no Google Play.

02. O Chimarrão com o Diabo, 1ª edição, Editora Alcance, Porto Alegre, 2020, 160p, ISBN 978-65-86910-20-9. Literatura Rio-Grandense, Romance Rio-Grandense. Disponível nas livrarias online: Amazon, Kobo, Americanas, Mercado Livre, Mercado Shops.
Os livros podem ser encontrados nas versões impressa e ebook, pela Amazon e outras plataformas (acima) ou pelo e-mail escritorjulioribeiro@gmail.com
Instagram: @julio.ribeiro.7543
Confira em LITERATURA – Portal ArteCult.com
Em : artecult.com/julio-ribeiro-lanca-dois-romances-emocionantes-que-se-misturam-e-se-completam

Participe no Instagram e no Facebook. Compartilhe!
https://www.instagram.com/p/CMk4DrYJKUs/?igshid=1qrd8hw0rob18

Gostou de “Escritor Julio Ribeiro lança dois romances durante a pandemia?

Escritor Julio Ribeiro lança dois romances durante a pandemia
O escritor Julio Ribeiro. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Seja um verdadeiro líder de A a Z

Com pequenas pílulas de ensinamentos, livro ensina atributos que todo verdadeiro líder deve ter nos dias de hoje

Manter-se atualizado, no mundo atual, é um verdadeiro desafio.

As rápidas mudanças, tanto nas comunicações como no ambiente empresarial, requerem indivíduos preparados para lidar com as situações mais variadas e que saibam se posicionar em um mercado globalizado. Mas como conseguir acompanhar e até se antecipar a fatos em ambientes tão voláteis?

Apesar de não existir receita pronta, há algumas atitudes e certas mentalidades que podem ajudar a se tornar uma liderança mais preparada e competitiva para vencer na era da informação.

Marcelo Simonato, especialista referência em liderança e gestão de pessoas, acaba de lançar sua mais nova obra: “O líder de A a Z”, onde aponta alguns caminhos e direções, indicadas pelas 26 letras do alfabeto, apresentando os principais conceitos sobre liderança moderna, de acordo com cada letra, embasando cada capítulo com exemplo de líderes, histórias reais e citações de outros autores renomados.

De A a Z, o autor passeia por pequenas pílulas de ensinamentos, algumas doses de motivação, para o leitor se munir das armas necessárias para ter mais ânimo e conseguir avançar em uma época tão incerta. As palavras do alfabeto, a cada capítulo, mostram características encontradas em grandes líderes contemporâneos, contam histórias reais e apontam meios viáveis para alcançar seus objetivos.

Com uma linguagem fácil e clara, a obra apresenta vários exemplos para o leitor fazer as conexões com seu dia a dia e propõe ainda uma reflexão sobre qual estágio de liderança estamos e aonde queremos chegar. Segundo Marcelo Simonato, o leitor conseguirá colocar em prática todos os atributos e qualidades que cada capítulo está trazendo. “E verá os resultados na própria semana. Tenho certeza que leitor encontrará no livro alguma situação, que irá ajudá-lo na gestão de pessoas, nos conflitos e nas dificuldades do dia a dia”.

Parafraseando Ronald Regan: “O maior líder é aquele que leva as pessoas a fazer coisas grandiosas, porque as impulsiona”. E para o autor, “um verdadeiro líder é seguido por uma equipe por livre e espontânea vontade, pois enxergam nele inteligência, confiança e ousadia”.

Leitura obrigatória para atuais e futuros líderes, a obra lançada pela Literare Books International é uma verdadeira bússola para quem quer liderar na prática e de forma humanizado nos dias de hoje.

Sobre o autor

Marcelo Simonato – Executivo, escritor e palestrante, sendo especialista em Liderança e Gestão de Pessoas. Atua com treinamentos e palestras em todo território nacional. Graduado em Administração de Empresas e Comércio Exterior pela Universidade Paulista, possui Pós-graduação em Finanças Empresarias pela Fundação Getúlio Vargas e MBA em Gestão Empresarial pela Lassale University na Philadelphia. Possui mais de 25 anos de experiência profissional tendo atuado em grandes empresas nacionais e multinacionais em cargos de liderança.

Atualmente é diretor financeiro em uma multinacional espanhola em São Paulo. É professor convidado na Universidade Mackenzie e facilitador formado pelo Instituto Haggai Internacional na área de liderança. Tem como propósito levar conhecimento e informação de qualidade baseada em sua experiência profissional e acadêmica, deixando assim uma marca de motivação e transformação por onde passa. Coordenador editorial dos livros “Segredos de alto impacto”, “O poder do óbvio” e “Liderando juntos”. Autor dos livros “Pilares do sucesso profissional” e “O líder de A a Z”.

Sobre o livro
O líder de A a Z – Aprenda com quem lidera na prática e de forma humanizada
Autor:
 Marcelo Simonato
Editora: Literare Books International 
Formato: 14 x 21 cm – 1ª edição – 192 páginas
ISBN: 9786559220427

Loja Literare Books: http://bit.ly/literare-lider-de-A-Z

À venda nas principais lojas físicas e e-commerce

Gostou de “Seja um verdadeiro líder de A a Z?

Seja um verdadeiro líder de A a Z
Capa do livro/Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

“Soft Skills” estreia na lista dos livros mais vendidos do Brasil

Destaque na lista da Veja e PublishNews, obra inédita destaca que profissionais do futuro serão selecionados pelo comportamento. Confira sobre o livro Soft Skills.

O livro de coautoria “Skills: competências essenciais para os novos tempos, com coordenação editorial de Lucedile Antunes estreou nessa segunda semana de dezembro na lista dos mais vendidos no Brasil pela revista Veja, categoria “Autoajuda” e no PublishNews. Nesse último, o livro conquistou a primeiro lugar na categoria “Negócios” e a sexta colocação no ranking geral de vendas no país.

O já considerado best-seller desde a sua pré-venda, em outubro, já dava indícios do seu sucesso, pois já estava na lista de mais vendidos na Amazon.

Lançado em novembro de 2020, o livro reúne grandes especialistas que compartilharam seus conhecimentos e valiosas experiências. Os capítulos são apresentados em um estilo que prende a atenção do leitor, do começo ao fim.

Relacionamento interpessoal, comunicação, liderança, negociação, empatia etc., vão muito além dos bancos de faculdade. Você sabia que os profissionais são contratados pelo currículo e demitidos pelos comportamentos? As “soft skills”, tema do livro, são habilidades comportamentais diretamente relacionadas à inteligência emocional das pessoas. Essas capacidades são, normalmente, adquiridas por meio das experiências vivenciadas ao longo do tempo, e não em livros e cursos, como é o caso das “hard skills”. A falta de soft skills provoca problemas comportamentais que afetam os resultados dos negócios e, principalmente, a relação entre as pessoas, causando muitas vezes desgastes e consequentemente desmotivação.

Do mesmo modo que a tecnologia e a inteligência artificial avançam rapidamente, as soft skills dificilmente serão copiadas pelos robôs. É o que revela essa obra inédita no Brasil, lançada pela Literare Books International.

Quer saber mais? Adquira o livro!

Versão impressa: https://bit.ly/loja-literare-soft-skills
Versão digital: https://bit.ly/ebook-literare-soft-skills
Saiba mais em: https://bit.ly/livrosoftskills

Gostou de ““Soft Skills” estreia na lista dos livros mais vendidos do Brasil?

“Soft Skills” estreia na lista dos livros mais vendidos do Brasil

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

ONA lança livro gratuito “Jornada da Acreditação”

E-book Jornada da Acreditação está dividido em 11 capítulos e conta com a contribuição de diversos autores. O conteúdo é um guia para organizações de saúde que buscam iniciar ou aperfeiçoar seus processos ligados à promoção da segurança do paciente.

A Organização Nacional de Acreditação (ONA) lança o livro “Jornada da Acreditação”, disponível em formato digital e gratuito. Para contribuir com a obra, foram convidados especialistas brasileiros de diferentes áreas.

“No mês de abril, em que comemoramos o Dia Mundial da Saúde e o aniversário do Programa Nacional de Segurança do Paciente, este é um presente para todos os profissionais e colegas que queiram iniciar, aprimorar ou continuar no processo de acreditação”, afirma Gilvane Lolato, gerente de Educação da ONA.

A publicação faz parte da campanha “A ONA acredita na sua saúde”, lançada no dia 5 de abril, na mesma semana em que é celebrado o Dia Mundial da Saúde, e que segue até o dia 17 de setembro, Dia Mundial da Segurança do Paciente. O objetivo é compartilhar mais informações sobre os padrões de Qualidade e Segurança do Paciente com todos os públicos – pacientes e familiares, cuidadores e profissionais de saúde.

Entre as ações da campanha, também estão previstos outros conteúdos educativos, como vídeos, cursos gratuitos, webinars e posts para sensibilização nas redes sociais. Os materiais serão disponibilizados ao longo dos próximos meses no portal e nas redes sociais da ONA.

Capítulos do livro
Capítulo 1 – Sistema Brasileiro de Acreditação (SBA)
Capítulo 2 – Gestão de qualidade
Capítulo 3 – Gestão e avaliação dos processos
Capítulo 4 – Gestão de resultados dos processos
Capítulo 5 – Gestão de riscos em saúde
Capítulo 6 – Núcleo de Segurança do Paciente e fluxo de notificação
Capítulo 7 – Ferramentas de gestão da qualidade
Capítulo 8 – Como ser um líder propulsor da cultura de segurança do paciente
Capítulo 9 – Melhoria contínua de processos
Capítulo 10 – O papel da liderança na gestão estratégica de pessoas, pilar de sustentação da Acreditação Hospitalar
Capítulo 11 – Comunicação como ferramenta para a qualidade de segurança do paciente

Informações técnicas
Ano: 2021
Número de Págs.:  178
Formato: Digital  
Distribuição: Gratuita

Autores
Adriana V. Torres de A. Fernandes, farmacêutica e especialista em Farmácia Clinica.
Aline Bevidqua, enfermeira e MBA em Gestão de Saúde, Auditora e Acreditação Hospitalar.
Ana Paula Gonçalves Stutzel, especialista em Ciência da Melhoria e MBA Gestão em Saúde.
Andréa Prestes, formada em administração e mestranda em Gestão de Saúde, MBA em Gestão Hospitalar e especialista em Qualidade nos Serviços de Saúde.
Audrey Rippel, mestre Qualidade e Segurança do Paciente, MBA executivo em Saúde, especialista em Administração Hospitalar e graduada em enfermagem.
Camila Deister, enfermeira, especialista em Cardiologia.
Cassia Monfredini, formada em administração, tecnóloga em Gestão e Qualidade e em Gestão da Informação.
Daniela Siccardi Menezes, Ginecologista Obstétrica, mestre em Saúde Pública e doutora de Ciências Medicas. 
Fabiana Rigolo, enfermeira, pós-graduada em Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente.
Fabrízio Rosso, administrador, especialista em Didática do Ensino Superior, Dinâmica Organizacional, Liderança e Motivação, mestre em RH.
Gilvane Lolato, administradora, MBA Gestão em Saúde e Controle de Infecção, especialista em Qualidade e Segurança do Paciente, mestranda em Gestão e Metodologias da Qualidade e Segurança da Atenção em Saúde.
José Antônio Ferreira Cirino, comunicólogo, doutor em Comunicação e Sociabilidade, pós-graduado em Comunicação e Cultura, mestre em Comunicação, especialista em Gestão de Projetos.
Péricles Góes da Cruz, médico, pós-graduado em Administração Hospitalar e em Gerência Hospitalar.
Renata Michele Guimarães Pereira Macedo, enfermeira, especialista em Saúde Pública e Terapia Intensiva, MBA em cursos em escolas de negócios.
Rubria Coutinho, mestre em Administração de Empresas, possui especializações em escola de negócios

jornada da acreditação
Faça o download com o QR Code

Sobre a ONA

A Organização Nacional de Acreditação (ONA – www.ona.org.br) é responsável pelo desenvolvimento e gestão dos padrões brasileiros de qualidade e segurança em saúde. Hoje mais de 80% das instituições acreditadas no Brasil adotam o padrão ONA. Além de referência nacional, os padrões ONA são reconhecidos no exterior. A ONA é membro da International Society for Quality in Health Care (ISQua), atuando ao lado de instituições que promovem a qualidade de saúde em diversos países do mundo.

Gostou de “ONA lança livro gratuito “Jornada da Acreditação”?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Propósito Livro Caixinha

Propósito Livro Caixinha – 100 perguntas para pensar em planos e destino

Autoria de Julia Duarte

Sinopse: “Tenha certeza de que você escolhe a vida que vive e não apenas se
acomodou com a vida que leva.”

Essa provocação é, na verdade, uma oportunidade para você mergulhar em
seu universo pessoal e profissional. Este livro-caixinha® vai mostrar que o que
deixa você curioso pelo que está acontecendo ou vai acontecer não é aleatório,
está conectado ao seu propósito Você só vai largar essas perguntas para
respirar, refletir e, finalmente, cumprir o seu destino.

Serviço:
Editora Matrix: Veja no link https://matrixeditora.com.br/produtos/proposito/
Amazon: Veja no link https://amzn.to/31VrSMc

Propósito Livro Caixinha

Gostou de “Propósito Livro Caixinha?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

“Adaptar-se é Preciso… ” 12 mulheres relatam suas histórias

No dia 13 de março foi lançado na Livraria Blooks do Reserva Cultural, em Niterói, o livro “Adaptar-se é Preciso – histórias de mulheres que conquistaram o protagonismo em seus negócios”. No projeto, 12 mulheres relatam histórias de superação e resiliência no mundo do empreendedorismo, por meio de suas próprias histórias reais e surpreendentes. Foi realizada também uma roda de conversa com Jordana Luchetti, CEO e fundadora da JLC Relações Públicas e Marketing.

O livro foi idealizado pelas gestoras do grupo Somos Empreendedoras – Helga Vianna, Letícia Torzecki, Queila Moraes e Thaís Garcia – e editado pela Texto & Café Comunicação e Editora. A escolha do tema adaptação não poderia ser mais atual, com as mudanças enfrentadas pelo mundo em meio à pandemia. E o livro veio a reboque de todo esse processo de transformação que exige cada vez mais criatividade na solução dos problemas.

Ao longo das 128 páginas será possível conhecer um pouco sobre o Somos Empreendedoras e sua trajetória muito voltada para o fomento de parcerias e o estímulo ao apoio mútuo, reproduzindo o verdadeiro sentimento de sororidade. Até mesmo o livro cumpre o papel de conceder o tão reflexivo “lugar de fala” a mulheres que não desistiram dos seus sonhos em troca de qualquer relação de trabalho desigual. Ao contarem suas histórias de vida, muitas relataram o quanto se sentiram ressignificando a sua existência.

“Mais do que um livro para inspirar, ele cumpre o papel de destacar o importante papel das mulheres no mundo dos negócios, com dicas valiosas sobre como prosperar em seu voo solo”, conta Queila Moraes, uma das gestoras do grupo Somos Empreendedoras.

Forte, mas sem perder a ternura

Todas as histórias foram contadas, partindo do passado para o presente, ressaltando características pessoais. Todas guiadas pelo mesmo enredo: mostrar a evolução dessas mulheres, a partir da sua resiliência e força para modificar o curso da vida. Como resultado desse texto cadenciado por um certo lirismo, mas sem perder a objetividade, é passível ver a poesia concernente a essas mulheres nas suas “falas” e nos seus olhares captados pelas lentes da fotógrafa Adriana Oliveira.

Além da curadoria das gestoras, o livro foi todo produzido por mulheres ligadas ao Somos Empreendedoras, seja no papel de agência colaboradora ou como participante. A começar pela jornalista e escritora Verônica Oliveira, da Texto & Café; a fotografia de Adriana Oliveira; maquiagem de Marcella Quintino; distribuição do Clube Girafa, de Fernanda Figueiredo, e toda a divulgação nas redes sociais, orquestrada pelas sócias Raquel Bianchi e Carol Azevedo, da Bloom Comunicação e Branding.

O próprio livro é o exemplo vivo de onde é possível chegar, quando um grupo de mulheres unem seus talentos e expertises em prol de algo maior: gerar uma obra que marca o valor do voo compartilhado e do ideário de que “juntas somos mais fortes”. A própria capa, idealizada pelo ilustrador Cícero Lopes, já demonstra a força feminina refletida no revoar dos pássaros, muito imbuídos de buscar o voo solitário, mas que sempre percorrem o céu em bandos, como forma de vencer a resistência do ar.

Enfim, uma obra que tem tudo para marcar uma geração importante de empreendedoras que fazem a diferença na sociedade, refletindo dignidade, gerando empregos e alimentando seus filhos com a dedicação ao seu trabalho. Uma vida que se transforma em muitas vidas e que tem contribuído para um mundo melhor, mais igualitário e justo, com a leveza e sensibilidade de mulheres arrojadas, mas sem perder a ternura.  

Interessados podem adquirir a obra na loja virtual do Clube Girafa (www.loja.clubegirafa.com.br).

Ficha técnica:

“Adaptar-se é Preciso... " 12 mulheres relatam suas histórias
Adaptar-se é Preciso – histórias de mulheres que conquistaram o protagonismo em seus negócios

Título: “Adaptar-se é Preciso – Histórias de mulheres que conquistaram o protagonismo em seus negócios”
Autora: Verônica Oliveira
Capa: Cícero Lopes
Organização: Helga Vianna, Letícia Torzecki, Queila Moraes e Thaís Garcia
Curadoria: Queila Moraes e Thaís Garcia
Assunto: empreendedorismo feminino/histórias/negócios
Editora: Texto & Café Comunicação e Editora
ISBN: 978-65-992028-1-0
Páginas: 128
Formato: brochura
Venda: (www.loja.clubegirafa.com.br )
Fotos: Adriana Oliveira
Maquiagem: Marcela Quintino

Sobre o grupo Somos Empreendedoras

Criado na cidade de Niterói, o grupo de empreendedoras formado pela sócia diretora na C.Chaves Comunicação e Marketing – Helga Vianna; por Letícia Torzecki – proprietária da Ri Happy Icaraí e Itaboraí e Loja Valisere Niterói – Icaraí; por Thais Garcia- proprietária da Gráfica Printmill e por Queila Moraes – Gerenciamento de Projetos, tem como papel fundamental promover um ambiente sinérgico de valorização do empreendedorismo feminino. Sob o lema de que “juntas somos mais fortes”, as gestoras do grupo incentivam a troca de experiências e vivências, estimulando o crescimento e desenvolvimento do grupo.

Gostou de ““Adaptar-se é Preciso… ” 12 mulheres relatam suas histórias?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual

2020 foi o ano de estabelecer relações de convívio coletivo mais saudáveis e de respeito, cada um em sua casa. Confira o balanço do programa ExploreCarlotas

Em um ano desafiador para a educação brasileira, a empresa Carlotas mostra em vídeo a retrospectiva do programa ExploreCarlotas com o ponto de vista de professores e professoras que enfrentaram a pandemia mostrando dedicação e coragem.

O programa ExploreCarlotas, que cria espaços de diálogo e aprendizagem por meio de oficinas, tem como objetivo levar reflexões sobre diversidade, respeito e empatia de forma lúdica para crianças, jovens e educadores em escolas públicas e instituições de assistência gratuitamente.

O vídeo ilustra os sentimentos e emoções vividos nesse ano de incertezas, além de trazer depoimentos de professoras das escolas públicas. Veja aqui:  https://youtu.be/ESINKOT2QlQ. Em 2020 o Programa ExploreCarlotas focou em acolher e criar vínculos com os professores e professoras de escolas públicas. Os participantes dividiram com Carlotas seus medos, aflições, aprendizados e como foi o ano mais difícil de suas carreiras.

O programa ExploreCarlotas que é financiado com 10% do faturamento da empresa, esteve em 14 escolas públicas. Nestes encontros foram explorados temas tão relevantes quanto atuais como empatia, acolhimento e a importância do olhar para a diversidade com um material inédito: a BOX Carlotas, uma caixa repleta de ferramentas lúdicas focadas em educação emocional para o uso em sala de aula. Nas duas unidades da Fundação Casa, Azaléia e Chiquinha Gonzaga, os relatos de que quem passou pela experiência foi de que os encontros transformaram a maneira como veem o mundo, as pessoas e a si mesmas.

Balanço do programa ExploreCarlotas

Devido à pandemia, os instrumentos de apoio foram apostilas de histórias, atividades lúdicas e jogos para falar sobre as emoções com crianças e jovens. O primeiro Café Virtual foi um encontro remoto para dialogar e organizar as experiências internas com o tema: “Saúde Emocional dos educadores em Tempos de Pandemia.” Com esta atividade a devolutiva de professores, educadores, pais e mães foi muito positiva.

Ao todo 517 educadores participaram de 6 oficinas presenciais e 30 oficinas online onde 6 macrotemas foram abordados: Saúde Emocional, Arteterapia e Saúde, Tempos de Incerteza, o livro Saudade Sabor Chocolate, o Poder Transformador das Histórias e Empatia, Diversidade e Segurança Psicológica.

Um material digital inédito foi construído: uma trilha de aprendizagem em educação emocional adaptado para todas as faixas etárias (de 0 a 17 anos). Respeitando os pilares da UNESCO (aprender a ser, a conhecer, a fazer e aprender a conviver) e fortalecendo as competências socioemocionais da Base Nacional Comum Curricular – BNCC (autoconhecimento, autogestão, amabilidade, relações e tomada de decisão responsável). Com isso, 6 apostilas garantem que educadores e educandos tenham acesso a informações de qualidade. Para mais informações do relatório do Programa ExploreCarlotas clique aqui para fazer o download: http://bit.ly/2020_ExploreCarlotas.

Sobre Carlotas 

Uma empresa com propósito social, localizada no Brasil, nos Estados Unidos e na Alemanha, que busca realçar o potencial da empatia, por meio de uma abordagem única. Carlotas ilustra o diálogo sobre a desconstrução do perfeito e aceitação da diversidade, por meio da arte e do lúdico, encoraja o desenvolvimento das habilidades socioemocionais para melhorar as relações humanas. Para mais informações acesse: https://carlotas.org/

Gostou de “Balanço do programa ExploreCarlotas com vídeo e relatório anual?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Laços de Mel: relatos de uma mãe de anjo

Livro ‘Laços de Melconta a emocionante história de vida de Melissa, uma criança com Síndrome de Down, uma grave cardiopatia e paralisia cerebral

Quem via Melissa sorrir, encontrava apenas boas energias e muita vontade de vencer, de superar as batalhas que já surgiram logo ao seu nascimento.

O livro “Laços de Mel: relatos de uma mãe de anjo”, publicado pela editora Literare Books International é de autoria de Mirela Miranda Nobre, mãe da pequena Melissa (Mel), personagem da obra.

O livro resume um pouco da história de vida de Mel, uma menininha linda que nasceu com Síndrome de Down, uma grave cardiopatia e, aos cinco meses de idade, adquiriu paralisia cerebral. Apesar de ter tido inúmeros desafios no tocante à sua saúde, dava lições diárias sobre o sentido da vida. Sempre com um sorriso no rosto, a pequena guerreira enfrentava internações, procedimentos hospitalares e os mais variados tratamentos por conta de sua condição.

“Se mil vidas eu tivesse, nas mil eu queria viver tudo isso outra vez. Minha filha só me trouxe coisas boas”, declara Mirela, que não poderia ter escolhido melhor o título dessa obra. Melissa era uma menina delicada que amava usar laços nos cabelos, transbordava alegria, amor e contagiava a todos, estava sempre bem-cuidada, cheirosa e vestida. Graças ao carinho e empenho de sua mãe e família, teve o melhor que quem ama pode oferecer e, justamente por isso, viveu com qualidade.

“Mel foi um lindo presente que Deus me deu. Ele confiou a mim uma missão linda (…) os laços de Mel ficarão para sempre, não só no quadro da parede, mas também nas palavras que agora deixo nesse livro. Os cinco anos e oito meses que Mel viveu na Terra foram de puro amor e aprendizado”, segundo Mirela em um trecho do seu livro.

A obra é, sobretudo, um relato de amor, mas também levanta questões humanas importantes que devem ser debatidas e trazidas à discussão da sociedade.

Sobre a autora

Mirela Miranda Nobre – Escritora, residente em Jacobina, interior da Bahia. Bacharel em Turismo e Hotelaria pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Proprietária da Agência Nobre Viagens. Casada e mãe de três, dois meninos e uma anjinha.

A autora Mirela Miranda Nobre. Foto: Divulgação

Sobre o livro

Laços de mel: relatos de uma mãe de anjo

Autora: Mirela Miranda Nobre

Editora: Literare Books International

Formato: 14 x 21 cm – 1ªedição – 216 páginas

ISBN: 9786559220175

Instagram: @mirelamirandanobre

Facebook: Melissa Miranda Nobre

Blog: melissamirandanobre.blogspot.com

Loja Literare Books: https://bit.ly/livro-lacosdemel

À venda nas principais livrarias físicas e on-line

Laços de Mel

Gostou de “Laços de Mel: relatos de uma mãe de anjo?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Mulher, solteira e feliz – Obra de Gunda Windmüller é lançada

Primavera Editorial lança “Mulher, solteira e feliz”,

“Melhor eu já confessar. Estou com trinta e poucos anos.
Não sou casada. Não tenho filhos. Sou mulher, solteira e feliz.
Suspeito que neste momento muitos começam a duvidar. Pensam que a última
palavra não está correta? Mulher, solteira e feliz? À sua frente está a imagem de uma
mulher reivindicando, de um jeito desafiador, algo
que talvez ela possa sentir agora…”

A virada do século 19 para o 20 é considerada um marco de uma mudança significativa na linguagem do amor. De acordo com Gunda Windmüller, mestre em Literatura, esse é o momento histórico em que as mulheres começam a desempenhar um papel social no romance; entretanto, nos livros, elas aparecem como figuras trágicas, seduzidas e traídas como Anna Karenina e Madame Bovary, respectivamente, personagens dos escritores Liev Tolstói e Gustav Flaubert.

Em pleno século 21, o conceito do amor romântico permanece reduzindo as mulheres
a um parceiro, relegando às solteiras a condição de coitadas. Com base em estatísticas, digressões históricas e sociológicas, experiências pessoais e entrevistas
com mulheres em idades entre 30 e 60 anos, a jornalista e escritora Gunda desafia a
falsa noção de que somente um relacionamento amoroso confere sentido à vida
feminina. Autora de Mulher, solteira e feliz, ela estreia no Brasil com o lançamento da
obra pela Primavera Editorial. Em tempos de pandemia, o livro está disponível,
inicialmente, na versão digital.

A ideia de escrever o livro surgiu, segundo a autora, quando terminou um
relacionamento de anos e constatou que as pessoas próximas estavam realmente
preocupadas com o presente e futuro dela: casamento, filhos, solidão à noite. “Essas
preocupações me intrigaram, porque eu estava realmente feliz. Foi nesse momento
que percebi o quanto uma mulher solteira desperta pena, inclusive de outras
mulheres. Daí, decidi escrever um livro sobre isso!”, afirma. Sobre a verdadeira
investigação social que fez no processo de construção da obra, Gunda conta que se
deparou com uma série de mentiras que a sociedade conta sobre as mulheres.

Mulher, solteira e feliz
Gunda Windmüller, autora de “Mulher, solteira e feliz” . Foto: Divulgação

“A principal é que precisamos nos apressar, porque a vida está prestes a acabar – o que não é verdade. Nós vendemos essa ideia da beleza desaparecendo com a idade; a noção de que tudo se reduz à aparência. Conversei com tantas mulheres na casa dos trinta que sentem, realmente, que as suas vidas estão apenas começando”, afirma.

Dividido em três blocos – Do Amor, Sobre as Mulheres, e Rumo à Liberdade –, a obra
trás investigações sobre o relacionamento clássico; o que o amor fez com o feminino;
ego e a realidade do desejo masculino; o conceito de single shaming (vergonha de ser
solteira); envelhecer sozinha; o melhor de estar sozinha; e o único amor verdadeiro.
Em Mulher, Solteira e Feliz há uma crítica ao papel feminino na construção desse
comportamento em relação aos seus pares – e o quanto as mulheres podem fazer
para que haja uma mudança social que promova uma real transformação.

“Se queremos mudar a narrativa sobre as mulheres, precisamos começar a falar de forma diferente; há uma demanda por sermos mais gentis conosco e com nossas irmãs. Por sermos mulheres, sempre pensamos que devemos ser perfeitas e, quando vemos outras de nós se comportando de maneira ‘não tão perfeitas’, somos rápidas em apontar o dedo, em culpá-las. Esse não é o caminho a seguir”, declara.

Sobre a mensagem que gostaria de trazer para as mulheres solteiras brasileiras,
Gunda responde rapidamente: “Você é o suficiente! A sociedade fala continuamente
que fala, às mulheres solteiras, um parceiro, uma família perfeita, o corpo certo. Mas,
não precisamos de nada disso para sermos completas; somos o suficiente. Pratiquem
o amor a si mesmas; esse é o amor que definitivamente vai durar até o fim”, finaliza.

FICHA TÉCNICA
Título: Mulher, solteira e feliz
Autora: Gunda Windmüller
Categoria: Não ficção, desenvolvimento pessoal
Páginas: 272
Preço sugerido: R$ 29,90 (digital)
Como adquirir? Clique aqui (Primavera Editorial)

SOBRE A AUTORA
Doutora em Literatura, a escritora Gunda Windmüller nasceu em 1980, na Alemanha.
Como jornalista freelancer, colabora com publicações como Die Welt, ze.tt e Huffpost.
Colunas no Huffpost | https://www.huffpost.com/author/gunda-windmaller
Entrevistas recentes
FrauTV | https://www.youtube.com/watch?v=MFnJPxlCyW0
Deutschlandfunk Kultur | https://www.deutschlandfunkkultur.de/gunda-windmueller-weiblich-ledig-gluecklich-sucht-nicht.1270.de.html?dram:article_id=446376

Trechos do livro

Página 17 | “(…) O livro não será sobre como encontrar um homem. Neste livro não
há um manual sobre como uma mulher fisga um homem e, se parecer, me avise…
Vamos esclarecer isso. Este livro trata de histórias. Da minha, da sua, da nossa
história. Conversei com mulheres que me contaram suas histórias. Mulheres na casa
dos trinta, quarenta, cinquenta e mais. Histórias sem homens, histórias com homens.
Conversei com psicólogos e especialistas em sociologia. E estive em um setor que
utiliza o modelo descrito como modelo de negócios.

Com tudo isso, não quero enterrar o amor e declarar os homens como seres inúteis.
De jeito nenhum! Prefiro libertar o amor. Quem liberta o amor não sabe aonde a
história vai levar. Não sei como a minha história continua. Ainda assim, como outras
histórias que relato, ela continua. Não sei se não estarei casada daqui a um ano. E
mãe… Ou mãe. De qualquer forma, não importa. Não muda o fato de que minha
história não precisa de um príncipe para ter um final feliz. Não acredito na moral
desses contos de fadas. Acredito na vida e no poder das narrativas. E por isso
nenhum príncipe surgirá por um motivo muito simples: porque ele não precisa surgir.”

Página 32 |“(…) Solteiras não têm boa reputação, ainda não. Os tempos mudam, mas
mudam lentamente, muito lentamente. A psicóloga Astrid Schütz e seus colegas
conduziram um estudo sobre atitudes em relação a solteiros. Os solteiros não estão em conformidade com a norma, desviam-se dela e não são vistos pelo que têm, mas
pelo que não têm. Por aquilo que supostamente lhes falta.”

Páginas 61 e 62 |“(…) Para as mulheres, a sensação de serem livres no amor, de serem elas mesmas, de serem realmente alguma coisa é bastante nova. Tradicionalmente, tínhamos permissão para fazer muito pouco. Alguns exemplos: ocupar cargos públicos, votar, ganhar dinheiro, herdar – em sua maioria, essas realidades mudaram apenas nos últimos cem anos. O que mudou apenas nos últimos
cinquenta anos é que as mulheres podem manter seu nome após o casamento,
podem ter uma conta corrente própria, podem trabalhar sem a permissão do marido, e
que o estupro no casamento é crime. E mesmo se o relacionamento estivesse em pé de igualdade, as mulheres não tinham esse direito. As mulheres também não tinham direito à escolha, a se apaixonar. As mulheres eram casadas e, no altar, não apenas simbolicamente o poder sobre elas era transferido do pai ao marido, mas juridicamente. Ainda hoje casa-se assim, mas sem a transferência de domínio. Mas o rito permanece: o pai pousa a mão da filha sobre a do homem. As latinhas e os sapatos velhos pendurados no para-choque do carro quando um casal recém-casado parte para a lua de mel são símbolos da violência que cabe ao marido. Toda mulher carrega essa história de falta de liberdade em seu véu de noiva, um véu pelo qual muitas mulheres anseiam.”

Sobre a editora
A Primavera Editorial é uma editora que busca apresentar obras inteligentes,
instigantes e acalentadoras para a mulher que busca emancipação social e poder
sobre suas escolhas. www.primaveraeditorial.com

Gostou de “Mulher, solteira e feliz – Obra de Gunda Windmüller é lançada?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

História de Hopi Hari vira tema de livro

Obra sobre Hopi Hari traça linha do tempo dos 20 anos de história do País Mais Divertido do Mundo

Parque Temático Hopi Hari convida a todos para entrarem em sua cápsula do tempo, com o lançamento do livro Hopi Hari em papel – Um sonho para se ter nas mãos. A obra, escrita por Mariana Penteado, reúne o desenrolar da história do País Mais Divertido do Mundo em seus 20 anos de existência. Em produção independente, a novidade vem em edição física e de tiragem limitada.

O presidente do Parque, Alexandre Rodrigues, conta que a ideia surgiu em conjunto: “Estávamos pensando em algo para imortalizar os 20 anos de história de Hopi Hari. Então, Diego Moura, que, na época, integrava a equipe do Parque, sugeriu a criação do livro e eu aceitei de imediato. Depois disso, comecei os trâmites para viabilizar este projeto, momento em que apareceu a Mariana Penteado. Dessa forma, juntos e todos envolvidos, começamos a concretizar essa obra.”

Por trás da essência mágica e divertida de Hopi Hari estão décadas de trabalho, sonhos de diversas pessoas e o desejo de vencer as adversidades. “O leitor irá encontrar muitas realizações, curiosidades envolvendo celebridades, desafios, tristezas, mas, acima de tudo, alegrias, pois esse livro trata-se puramente de realidade, às vezes lúdico e divertido, outras vezes sério e triste”, comenta Alexandre Rodrigues.

História de Hopi Hari vira tema de livro
Livro Hopi Hari em papel – Um sonho para se ter nas mãos conta história do Parque Temático. CRÉDITO FOTO: ANDERSON TORRES

A autora, Mariana Penteado, explica que a narrativa não quer só despertar as lembranças do Parque, mas também transportar o leitor para a experiência de estar lá: “Nem todo mundo consegue ir ao Parque sempre que dá vontade. Ter o livro é como ter um pedacinho de Hopi Hari nas mãos. Sendo assim, o livro também traz essa magia de mexer com os sentimentos, ele nos leva às melhores lembranças que tivemos no Parque e, até para quem nunca foi, oferece essa oportunidade de estar lá, mesmo que seja em sua sala ou em seu quarto.”

Ao terminar de ler a última das 100 páginas que compõem a obra, Mariana deseja gerar um impacto positivo até para quem nunca foi ao Parque Temático. “Queremos deixar aquele gostinho de quero mais: quero mais histórias, quero mais depoimentos, quero saber mais, quero ir ao Parque. Para quem é fã, queremos dar a oportunidade de tê-lo em sua estante. Para quem não conhece Hopi Hari, queremos atiçar sua vontade de vir, conhecê-lo pessoalmente e se envolver. E, para quem não gosta muito, quem sabe não muda de ideia?”, diz a autora.  

O LIVRO O enredo busca, inicialmente, traçar uma linha do tempo ‘da vida’ de Hopi Hari, desde sua fundação até completar 20 anos de história, baseado em um formato biográfico. Em meio aos acontecimentos, os leitores encontram curiosidades sobre a idealização do Parque, sua localização, a criação do dialeto oficial, entre outras. Depois, cada uma das regiões do Parque – MistieriAribabibaWild West, Infantasia e Kaminda Mundi – dá vida a uma fase histórica dele, com a presença de depoimentos daqueles que levaram a essência do País Mais Divertido do Mundo para suas vidas.

LANÇAMENTO Para a pré-venda, durante o mês de março, a obra custará R$129,90. Também há a opção de adquiri-lo em conjunto com o Passaporti Uni, que dá direito a um dia de diversão em Hopi Hari, pelo valor de R$199,90. A princípio, o livro será vendido pela Central de Vendas, no telefone (11) 4210-4000, com retirada diretamente no Parque. 

Sobre o Parque Temático Hopi Hari 

Localizado no interior paulista, próximo a Região Metropolitana de Campinas, o Parque Temático Hopi Hari conta com infraestrutura completa para receber famílias, escolas, excursões turísticas e amantes de parques de todo o país. Ao todo são cinco regiões temáticas distribuídas em 760 mil metros quadrados. Além disso, conta com um dos teatros mais modernos de São Paulo (Theatro di Kaminda) e a mais rápida montanha-russa da América do Sul (Montezum) e ainda oferece mais de 40 atrações para todas as idades, mais de 20 pontos de alimentos e bebidas (incluindo comida vegana), enfermaria, sanitários, fraldários, área para amamentação e estacionamento para cinco mil veículos.

FICHA TÉCNICA
Hopi Hari em papel – Um sonho para se ter nas mãosIdealização: Alexandre Rodrigues (Presidente de Hopi Hari)
Escrito e editado por: Mariana Penteado
Assistência editorial: Rogério Barbatti e Diego Moura
Projeto Gráfico: Ronaldo L. Vicente
Revisão Técnica: Laila Braghero
Revisão Ortográfica: Denise Santos
Colaboração:  Equipe de Marketing Hopi Hari 

Site www.hopihari.com.br l Facebook/ Instagram/Twitter HopiHari l YouTube hopiharioficial

Gostou de “História de Hopi Hari vira tema de livro?

História de Hopi Hari vira tema de livro
Concentradores de oxigênio. Foto: Divulgação/Internet

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece nas cidades do Grande ABC. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 703 outros assinantes

Amor…

Amor… é uma troca de interesse egoísta?!?

É cada coisa que aparece.
Saber que vivemos em um mundo caótico, que temos nossas próprias dificuldades internas e o mundo nos “entuba” uma série de desventuras

Eu te pergunto, porquê e pra que questionar o Amor?!?

Descabido?!?
Não sei.
Dúvida é uma opção humana natural
Mas associar o amor ao egoísmo e troca de interesse, sinceramente acho que é um tanto demais.

Um sentimento sublime, excelsa da natureza e sua criação.

1 Coríntios 13. Paulo fala da excelência da caridade — A caridade, um amor puro, excede e supera quase todas as outras coisas. … 3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria.

amor
Photo by Orlando Allo on Pexels.com

Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

Noto que não só porque não o sentimos verdadeiramente, creio que não somos capazes de julgar.

Julgo por mim mesma, jurava ter amado alguém, até o nascimento das minhas crias, e olha que fui avisada que quando os filhos nascem sentimos algo crescer no peito de forma inexplicável, não considerava possível, as retas finais das gestações são variadas e incômodas , verdade seja dita, o processo é legal e tal, tem o lance da curiosidade de conhecer quem te habita mas sentimentos inexplicáveis, como seria isso?!?

Eu pensava medo, é provável, sou inexperiente e tal, novidade, mudanças, alterações de rotinas, choro, alimentação, putz só via os contras.

Óbvio, eu desconhecia o momento da chegada, o choro é sinal de vida e saúde, alimentação ato de amor natural, sem sacrifício, “incômodo” por ser algo novo, parece ser desconfortável, não dura tanto, logo passa a ser prazeroso, gratificante e lindo, momento de intimidade plena e início de laços finitos.

Questionar o amor entre pessoas é realmente necessário?!?

Não vejo serventia alguma….
Quantas vezes sentimos uma imensa vontade de sorrir feitos bocós, que somos invadido por uma alegria sem fundamento, que nos sentimentos felizes tudo junto e misturado ao mesmo tempo.

Uauuuuu, isso não seria Amor?!?
Ver beleza na simplicidade, ser invadida por bons sentimentos, receber e ofertar sorrisos espontâneos, se alegrar em ver a alegria alheia, ter a bondade correndo em suas entranhas inundando a mente e vivenciando momentos de paz.

Isso é Amor?!?
Crer no inesperado
Sentir o impalpável
Não encontrar palavras, figuras, nada para decifrar o quanto tão bem se sente, ainda sim não seria amor.

Inefável é o Amor, egoísta pode ser, por ser imensurável suas formas e ausência de explicações para singelos atos que transformam o ser e a experiência humana dia após dia .

Ame involuntariamente, compulsivamente, descontroladamente, sinta os extremos, se jogue de corpo e alma, amor próprio, amor ao próximo, ame simplesmente por amar, pelo bem que o amor te faz sentir-se com você mesma.

Ou se preferir uma experiência sem solo, “Nunca Ame Ninguém!”

Lorena Pelais ❤️ ॐ∞

Gostou de do novo artigo da autora?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu emai. Aproveite, leia mais artigos da autora Lorena Pelais. Veja também nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 703 outros assinantes

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas

A resenha de “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas” é de autoria de Fito

Dale Carnegie entrou para a lista dos mais vendidos por tratar de forma simples algo que é verdade, está ao nosso redor, mas não percebemos: existem regras para se
relacionar com os outros com sucesso.

Embora possa parecer manipulação, este é um dos primeiros livros de autoajuda já escritos, e foi tão simples e direto que não teria como não funcionar. Embora tenha sido direcionado para empreendedores e pessoas de negócios, já que o autor dava aulas para essas pessoas aprenderem a se relacionar neste ambiente, os postulados de Carnegie se aplicam a quase todos os relacionamentos humanos, haja vista que nós, humanos, temos formas padronizadas de ação e reação.

“Não critique, não condene, não se queixe.” Esse primeiro princípio já parece impossível de se cumprir por parte de algumas pessoas, mas realmente funciona. Aplicando este princípio, verifiquei eu mesmo uma melhora no ambiente ao redor, pois a negatividade gerada por mim mesmo desapareceu. Para melhorar mais ainda, passei a assistir vídeos de humor e tiradas espirituosas, aplicando às minhas conversas particulares, de modo que as pessoas tendem a se aproximar de mim mesmo que quieto, por causa da autoconfiança.

“Aprecie honesta e sinceramente.” Num mundo de falsidades, parece impossível. Mas quando o elogio é honesto e sincero, o interlocutor reconhece a veracidade e se sente melhor, o que resulta em uma relação positiva para você, que iniciou a apreciação.

“Desperte um forte desejo na outra pessoa.” Nada sexual aqui. A questão trazida por Dale é utilizar o que a pessoa quer para fazê-la cumprir o que você quer.

Um exemplo seria a “cenoura de burro”, no qual se coloca uma cenoura na frente de um burro para que o mesmo ande para frente para tentar alcançar a cenoura. Não adianta forçar, é preciso convencer.

“Torne-se verdadeiramente interessado na outra pessoa.” Quando o interlocutor percebe o seu olhar de interesse, ele se sente importante para você, e se torna mais
receptível aos seus pedidos. No entanto, não adianta fingir interesse, é preciso demostrar interesse verdadeiro.

“Sorria.” Parece simples, mas dificilmente vemos pessoas sorrindo espontaneamente, sendo a maioria das vezes um sorriso forçado de cumprimento. Sorrir espontaneamente para os interlocutores é essencial para fazer amigos e influenciar pessoas.

“Lembre-se que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma.” Lembrar e mencionar o nome da pessoa é garantia de que ela se lembrará de você positivamente, pois você a fez se sentir importante, ao ponto de ter seu nome lembrado.

“Seja um bom ouvinte, incentive as pessoas a falarem sobre elas mesmas.” O
ser humano adora falar de si (mais uma vez, quer ser importante). Deixe a pessoa
falando dela à vontade, que ao colocar para fora toda a ansiedade que tem, vai se
acalmar e se tornar amigável a você.
“Fale de coisas que interessem à outra pessoa.” Essencial verificar o que a pessoa gosta e levar a conversa para esse ponto. Até mesmo a tatuagem da pessoa pode ser assunto, pois se ela fez, provavelmente gosta muito daquilo.

“Faça a outra pessoa sentir-se importante, e faça-o com sinceridade.” Novamente, neste mundo de mentiras que vivemos, a parte difícil é a sinceridade. Colocar o interlocutor em posição de importância com sinceridade fará com que a pessoa tenha você em alta conta.

“A única maneira de ganhar uma discussão é evitando-a.” Claro que não estamos tratando aqui de discussão acadêmica ou científica, no qual a discussão é parte essencial da formação das ideias e teses. O que se trata é evitar as discussões do dia-a-dia, que não vão levar a lugar algum, pois uma discussão normalmente não parte dos mesmos pressupostos, e as pessoas não estão interessadas a se sentirem derrotadas em suas ideias, jamais reconhecendo que o outro está correto.

“Respeite a opinião dos outros. Nunca diga ‘Você está enganado’.” O que temos aqui não é filosofia, é arte de convencimento. Claramente, não se deve respeitar toda e qualquer opinião, mas o direito do outro ter opinião. Se você respeitar uma opinião contrária à sua, você está invalidando sua própria opinião.

“Se está enganado, reconheça o seu erro rápida e enfaticamente.” Já utilizei isso e acabei imediatamente com uma reunião feita para expor meu erro. Em trinta segundos, acabou a reunião. Mas é necessário verificar que você realmente errou, que a pessoa que apontou o erro está realmente certa, e que você tenha a capacidade de engolir o orgulho.

“Comece de uma maneira amistosa.” Duvido que você consiga fazer amigos e influenciar pessoas começando uma briga ou discussão. Levar a situação de forma amistosa é o caminho certo.

“Consiga que a outra pessoa diga ‘sim, sim’, imediatamente.” Bom para todos, principalmente para vendedores. Pergunte sobre se a pessoa quer a solução para o
problema que ela tem, que rapidamente a resposta será “sim”. A partir daí, apresente
seu produto ou ideia, que metade do trabalho já foi feito.

“Deixe a outra pessoa falar durante boa parte da conversa.” Se seu interlocutor se sentir importante, pois você ouve tudo o que ele diz, ele se sentirá bem em sua presença, e vai ceder mais aos seus pedidos.

“Deixe que a outra pessoa sinta que a ideia é dela.” Ao apresentar uma ideia, mostre uma ligação do que a pessoa falou ou pensou, para induzir que é a partir daquilo que ela disse que a ideia surgiu.

“Procure honestamente ver as coisas do ponto de vista da outra pessoa.” Embora seja difícil, veja em qual situação a pessoa viveu, e o que isso influenciou para que ela tenha aquele ponto de vista apresentado. Seja sincero ao tentar ver pelos olhos da outra pessoa.

“Seja receptivo às ideias e desejos da outra pessoa.” Quem não quer ajuda para cumprir seus próprios desejos? Todos querem. Se você faz a pessoa se sentir importante, ao ponto de ajudá-la a alcançar um objetivo, ela provavelmente fará o mesmo por você.

“Apele para os mais nobres motivos.” Apelar para salvar vidas, proteger inocentes ou qualquer outra coisa que a maioria gosta, é o melhor caminho para mostrar que o que você quer vai fazer da pessoa um ser mais digno do que ela é agora.

“Dramatize suas ideias.” Conte uma história para mostrar a ideia, coloque personagens, cite de forma que a pessoa consiga “novelizar” a situação em sua própria mente.

“Lance um desafio.” Essa é a parte mais difícil, pois queremos algo fácil sempre. Ao lançar um desafio para o outro, é preciso que este desafio seja simples e pequeno, que a pessoa consiga alcançar sem perdas. Se ela conseguir, você poderá lançar novos desafios, que a pessoa terá a tendência a confiar em você.

“Comece com um elogio ou uma apreciação sincera.” Esse é o segredo para criticar de forma aproveitável. Começando com um elogio sincero, a pessoa se torna mais receptiva para a crítica que vem depois. Esta crítica deve ser específica e baseada em fatos.

“Chame a atenção para os erros das pessoas de maneira indireta.” Em vez de jogar na pessoa, mostre um ponto da situação que seja próximo ao erro, e se a pessoa não perceber, conte sobre alguém que cometeu o erro, para que seu interlocutor perceba que a situação é errada.

“Fale sobre os seus erros, antes de criticar os das outras pessoas.” Comece colocando você mesmo no barco, para chamar a pessoa para o barco junto de você. Após mostrar que é um ser humano que erra, você poderá mostrar o erro do interlocutor de modo que ele perceberá que não é uma crítica arrogante, pois você mesmo já deu seu erro no início da conversa.

“Faça perguntas em vez de dar ordens diretas.” É sempre melhor perguntar o que o interlocutor acha de fazer alguma coisa do que mandá-lo fazer. Ele sente que a vontade é dele, e não dos outros.

“Permita que a pessoa salve seu próprio prestígio.” Em vez de expor o erro da pessoa em público, peça para a pessoa dar explicação sobre a questão, de modo que ela dirá suas próprias palavras. Se ela tratar se seu próprio erro, com algum problema, peça para pessoa reportar o problema no momento, que você estará lá para ajudar a não acontecer novamente. Coloque-se como auxiliar de confiança, mesmo que você seja o chefe da pessoa.

“Elogie o menor progresso e elogie cada progresso. Seja ‘sincero na sua apreciação e pródigo no seu elogio’.” Pessoas parecem ser movidas a elogios. Se sentir importante é o principal motivador, o principal impulso. Elogiar cada progresso, ainda que pequeno, faz o interlocutor prestar atenção a tudo o que você diz.

“Proporcione à outra pessoa uma boa reputação para ela zelar.” Dê uma chance à pessoa ter uma boa reputação verdadeira e específica, tipo, “Fulano redige excelentes relatórios”. Este Fulano vai se esforçar para fazer relatórios cada vez melhores, pois não quer perder a boa reputação criada sobre esse ponto de sua vida.

“Empregue o incentivo. Torne o erro mais fácil de ser corrigido.” Pergunte ao interlocutor o pior que pode acontecer com aquele erro. Será preso? Perderá o emprego? Traga a pessoa à realidade, mostrando que o erro não é o fim do mundo.

Aproveite e ofereça ajuda ao interlocutor para corrigir o erro cometido. “Faça a outra pessoa sentir-se feliz realizando aquilo que você sugere.” Além de sugerir que seu interlocutor faça algo, mostre como ele é essencial naquilo, e que mesmo a situação sendo simples, somente ele poderá dar o resultado perfeito. Criar na pessoa uma autoconfiança ajudará a mesma a realizar o que é preciso fazer.

Carnegie foi um gênio da empatia. Utilizando esses princípios em seus relacionamentos, você terá a oportunidade crescer e se aperfeiçoar nos relacionamentos.

Onde adquirir “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas?

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas: Link na Amazon

Gostou da resenha?

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas
Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 703 outros assinantes

1964 – O Elo Perdido – um documento em forma de livro

A resenha de “1964 – O Elo Perdido – um documento em forma de livro” é de autoria de Fito

Por pouco perdemos a oportunidade de ter a obra máxima da ditadura militar (ou regime militar) no Brasil. A obra de conjunta de Mauro Abranches Kraenski e Vladimir Petrilák é uma necessidade primeira na inteligência brasileira. Descreve em detalhes a atuação da polícia secreta comunista soviética no Rio de Janeiro e outros locais.

Esta obra é a mais importante, não canso de dizer, já editada no país. Descreve em detalhes, nomes, lugares, atividades etc, com cópias dos arquivos que, por pouco, não foram queimados quando a população tchecoslovaca tomou as rédeas do poder novamente, expulsando os comunistas que destruíam o povo, sua cultura e sua memória.

Recheado de imagens para o leitor verificar o que está sendo dito, os autores verificaram tudo o que se relacionava ao Brasil na StB, o braço tchecoslovaco da KGB, que atuava no Brasil na década de 50 e 60. Informações de inteligência foram passadas daqui para lá aos montes, por pessoas que podem ser tratadas, hoje, como verdadeiras traidoras da pátria.

Aproveitando-se do antiamericanismo dos militares do Brasil, a StB entrou no meio militar com este discurso, para aos poucos cooptá-los à revolução comunista sem que os mesmos percebessem. Quase uma mistura de tática soviética com gramscismo, no qual não se percebe o que está acontecendo de verdade.

Livro de pesada leitura, por vezes maçante, mas por ótimos motivos: os autores trouxeram centenas (quiçá milhares) de informações de inteligência sobre a StB e a

KGB, que precisam ser analisadas detidamente, ponto a ponto, por aqueles que se dizem historiadores.

Um tapa na cara daqueles que negam a verdadeira influência comunista na história do Brasil, principalmente antes do regime militar instaurado em 1964, e que só se baseiam em narrativas de um lado, sem ver todos os lados possíveis, todas as informações possíveis, todas as fontes possíveis.

Quem sabe um dia os historiadores brasileiros passem a ter algum tipo de consciência da importância da ciência histórica e utilizem essa obra com o respeito que é necessário para a mesma, já que não se trata de uma narração, mas da análise pormenorizada de documentos em primeira mão, sem alterações, que descrevem a atividade de europeus e brasileiros para destruir o Brasil.

Onde adquirir “1964 – O Elo Perdido – um documento em forma de livro?

Link na Amazon

Gostou da resenha?

1964 - O Elo Perdido - um documento em forma de livro

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 703 outros assinantes

A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído

A resenha de “A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído” é de autoria de Fito

A silenciosa obra de Ricardo Vélez-Rodríguez vai ganhando espaço organicamente, ponto a ponto, ao explicitar como o patrimonialismo da era PT agarrou o Brasil pelas pernas e puxou para cair de cara.

Demonstrando como o Lula e o PT foram ocupando espaços na máquina pública, destruindo os sistemas de vigilância interna, gerindo como se fosse seu patrimônio particular, tornando-se um superpoder sobre o Legislativo e o Judiciário (este ultimamente tem se tornado uma ditadura sobre tudo e todos), fazendo política externa com base em ideologia comunista, sustentando ditaduras latino-americanas e africanas com dinheiro brasileiro, causando o maior morticínio da história do país.

Se temos algo para lembrar da era Lula, precisamos lembrar destes dois pontos: Lula sustentou genocídios em países (Cuba, Venezuela e Angola são os principais), o que faria de Lula um… genocida? E os homicídios a toneladas que tomaram o país. Como pode viver um Brasil com cerca de cem mil mortes por ano advindas de crimes?

Lula conseguiu ser um ditador latino-americano clássico: distribuiu dinheiro para os mais pobres através de um sistema pessimamente gerenciado, e encheu certos setores de mais dinheiro: mídia, “intelectuais”, formadores de opinião. O padrão da Era Lula é jornal escondendo fatos sobre o ex-presidente. Ou alguém lembra de jornais falando da tentativa de estupro do “menino do MEP”?

O patrimonialismo é um comportamento latino-americano derivado de um feudalismo europeu que veio para cá no descobrimento, junto com as ideias de administração de sesmarias, capitanias e outros sistemas em que alguém se torna “dono” de terra pública. Aqui no Brasil o administrador público está acostumado a gerenciar como se fosse propriedade dele, e não do povo.

A obra se torna mais relevante pelo fato de Ricardo ser um colombiano que mora no Brasil, tendo como enxergar as coisas com “olhos de estrangeiro” e “olhos de nacional” ao mesmo tempo, permitindo uma percepção de outros países na relação com o Brasil sem se ater a paixões típicas de um nacional. Sejam paixões ufanistas, sejam paixões antiamericanas.

A obra finaliza de modo surpreendente. Deixo ao leitor tirar suas próprias conclusões sobre a mesma.

Onde adquirir “A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído?

Link na Estante Virtual

Gostou da resenha?

A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 703 outros assinantes

“Águas de Março”, o novo e emocionante romance policial

O primeiro romance policial escrito pelo jornalista Jonatas Oliveira chega para despertar a curiosidade, mas principalmente, aguçar os instintos investigativos e prender os leitores até a última página. Águas de Março foi um desafio para o autor, pois foi escrito em 31 dias em tempo real. Assim, cada capítulo faz referência direta a um dia do mês e a trama passa a sofrer interferência direta dos fatos ocorridos no período, impactando o andamento da história e o desenvolvimento do roteiro.

Em Águas de Março diversas mulheres aparecem mortas na cidade de São Paulo ao longo de março de 2019, crimes que ficam sem solução imediata. Dois policiais e um jornalista de um programa sensacionalista de TV começam a investigar e fazem descobertas que os levam a um implacável serial killer e a uma assustadora descoberta: o mal às vezes pode estar ao nosso lado.


“Escrever um livro em tempo real foi interessantíssimo, pois qualquer coisa pode acontecer e mudar o rumo da história em pouco tempo. Eu tinha uma trama pré-definida e sabia onde queria chegar com a história. Porém, o roteiro era editado e revisado todos os dias já que no processo criativo, optei por direcionar os rumos da narrativa de acordo com questões que realmente aconteciam, fazendo com que a vida real influenciasse diretamente a ficção”.

Prenda o fôlego e tente desvendar nos pequenos detalhes de quem é o serial killer dessa história inspirada na canção “Águas de Março” de Tom Jobim.

Serviço:

Título: Águas de Março Autor: Jonatas Oliveira Editora: Edição do Autor Formato: e-Book e impresso (ambos disponíveis na Amazon) Nº de páginas: 170 Preço: R$ 9,99 (digital) e 56,59 (impresso)

Sobre o Autor

Jonatas Oliveira nasceu em Belo Horizonte e cresceu em Rio Claro, interior de São Paulo, e hoje mora na Capital do Estado. Estudou Jornalismo na Universidade Católica de Santos, onde aprimorou o olhar para o cotidiano e se tornou um apaixonado por desenvolver histórias de ficção baseadas em fatos. É autor de “O Diário de Arthur Ferraù”, também disponível em formato digital na Amazon, com mais de 1000 cópias vendidas. Atualmente trabalha em um novo romance policial inspirado no lockdown ocasionado pela pandemia da Covid-19 e publica algumas crônicas e poemas em seu blog pessoal: www.jonatas.com.br

Gostou de ““Águas de Março”, o novo e emocionante romance policial ?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais sobre o que acontece no ABC Cidades todo dia no Grande ABC.

Junte-se a 703 outros assinantes

Romances

Lorena Pelais é autora de “Romances”

Usado muito por jovens, quem nunca ouviu a seguinte frase:
“- Um lance é um lance e não um romance!”
Hahaha, do nada me surgiu essa frase na mente, pensei bem ….
Revirei minhas lembranças e constatei: por mais “dura” que uma pessoa aparente ser, em seu íntimo existe o desejo de amar, se apaixonar verdadeiramente por alguém.

Essas experiências afetivas são excelentes, no início são belas como uma linda rosa , mas contêm espinhos que podem perfurar a alma.

Por que o amor é tão bom, mas sempre nos faz chorar?!?

Sentimentos….
O coração é um órgão vital, mas ele tem suas tramas e põe a mente em segundo plano em fração de segundos.