14 livros para aquecer o coração no inverno

Um café ou chá quentinho, um cobertor, a janela aberta para deixar o sol entrar. Nesse cenário perfeito para receber a estação mais fria do ano, só falta uma coisa: um bom livro nas mãos. Por isso, selecionamos hoje 14 livros para aquecer o coração nesse inverno, que começa na próxima segunda-feira, 21 e segue até 21 de setembro.

Inteligência do Coração

A obra apresenta 108 lições que ajudam o leitor a acessar a inteligência do conexão de maneira simples e leve. Uma prática que exige menos razão e mais amor para materializar os sonhos.(Autora: Patrícia Meirelles | Luz da Serra Editora | 312 páginas | Valor: R$ 69,90 | Onde encontrar: Loja Luz da Serra)
Crônicas de uma pandemia

O que passear de tuk-tuk na Índia tem a ver com o sucesso musical de 1985 We are the world, George Orwell e os apagões em Cuba? Conexões imperceptíveis a olhares menos sensíveis são afloradas na visão intimista de Gustavo Miotti nesta obra sobre a condição humana.(Autor: Gustavo Miotti | Editora Buqui | 160 páginas | Valor: R$ 39,90 | Onde encontrar: Amazon)
Trono de Cangalha

O livro narra a vida de um garoto que nasceu na caatinga e, na fase adulta, leva para a zona urbana a luta iniciada por seus antepassados. Uma linda história de amor, de superação, uma saga que mescla a nobreza de valores humanos com os mais viscerais instintos de sobrevivência.(Autor: Aroldo Veiga | 240 páginas | Valor: R$ 50,00 | Onde encontrar: site do autor e Amazon)
O Eu sensível

A partir de uma pesquisa com cem qualidades de sentimentos, a psicóloga Beatriz Breves convida o leitor, sob a forma de exercício, a uma conexão consigo mesmo. E alerta sobre a necessidade de resgatar o “sentir” que foi suprimido pela “razão”.(Autora: Beatriz Breves | 92 páginas | Valor: R$ 39,90 | Onde encontrar: Amazon)
Lumen Há

Por meio de poesias, a obra transborda sentimentos e reflexões sobre os recomeços e renascimentos que cada fase da vida impõe. Lumen Há desperta no leitor o desejo de conhecer e reencontrar-se consigo mesmo.(Autora: Tai | Editora: Chiado Books | 74 páginas | Valor: R$ 32,00 | Onde encontrar: Amazon)
Raízes – a força da minha origem

Ambientado nos anos 70 na Bahia, o romance narra a história de um rapaz que viveu a infância e adolescência no meio rural sem poder ir para a escola. A perseverança do protagonista torna a trajetória um exemplo para quem, com amor e bons princípios, encara as mais duras lutas.(Autora: Lu Nagao | Editora: Capella Editorial | 132 páginas | Valor: R$ 35,00 | Onde encontrar: Amazon)
No fundo do rio

O lançamento do escritor finalista do Prêmio Jabuti 2020 mistura a lenda do boto cor-de-rosa, cultura do folclore brasileiro, com um fragmento do Terceiro Reich localizado na Amazônia Oriental. Os fatos históricos abrem espaço para o romance de Bruno e Cecile e a triste partida da protagonista que some misteriosamente no Rio Jari.(Autor: Paulo Stucchi | Editora Insígnia| 240 páginas | Valor: R$ 49,90 | Onde encontrar: http://bit.ly/nofundodorio)
Amar-se: uma viagem em busca de si mesmo

O criador de um dos maiores canais de relacionamento no YouTube, Nós da Questão, com mais de um milhão de inscritos, reúne na produção os 28 anos de experiência na Psicologia. O lançamento reúne uma série de reflexões e exercícios que fortalecem e direcionam o leitor para mudanças.(Autor: Marcos Lacerda | Editora Latitude | 180 páginas | Valor: R$ 46,90 | Onde encontrar: Amazon)
Educar, amar e dar limites

Leitura obrigatória para todos que desejam preparar os filhos para enfrentar os obstáculos do mundo, a obra reúne tudo o que é preciso saber para nutrir a inteligência emocional das crianças. O propósito é o desejo de toda família: formar um indivíduo maduro, autônomo e responsável.(Autora: Sara Braga | Editora Gente | 191 páginas | Valor: R$ 39,90 | Onde encontrar: Amazon )
Contos de Awnya: RAVEL

E se você fosse o seu maior inimigo? Esta é a questão de Ravel, um talentoso mago que desenvolveu intolerância à magia na obra Contos de Awnya: RAVEL.(Autor: Flávio Arthur | 480 páginas | Valor: R$ 12,00 (eBook), R$ 46,60 (livro físico) | Onde encontrar: AmazonUiclap)
Delito Latente

O livro encerra a saga da jornalista ficcional Betina Zetser. Trata-se de um romance policial que faz um alerta sobre o tráfico de órgãos.(Autora: Luciana de Gnone |350 páginas | Valor: R$ 39,90 (físico) R$11,99 (eBook) | Onde encontrar: Amazon)
D’Angelo – O Viajante de Conca

Um romance de época que mescla história e ficção num cenário de pós-guerra com lindas paisagens da Itália. A trama trata sobre empoderamento feminino, parentalidade e pioneirismo empresarial.(Autor: Sérgio Giacomelli  | 294 páginas | Valor:R$ 47,20 | Onde encontrarAmazon)
Faça você mesmo

Novo livro do best-seller Gary Chapman traz ferramentas eficazes para que esposas, maridos, pais e mães possam melhorar a harmonia do lar com insights bem-humorados.(Autor: Gary Chapman | Editora: Mundo Cristão | 1632 páginas | Valor: R$ 43,92 | Onde encontrar: Capa preta: Amazon Capa colorida: Amazon)
1984

Clássico de Orwell, essa sátira política é ambientada em uma distopia futurista, em que trouxe a mítica do Grande Irmão, ou seja, as câmeras do governo totalitário que controlam toda a população. A obra que deu origem ao reality show Big Brother.(Autor: George Orwell| | Editora: Editora Edipro Edições Profissionais Ltda | 288 Páginas | Valor: R$ 24,50 | Onde encontrar: Amazon)

Veja mais em CADERNO CULTURAL

Gostou “14 livros para aquecer o coração no inverno”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Entre Séries.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Livro Ansiedade sai primeiro em versão e-book pelo Skeelo

Pesquisas já comprovaram que transtornos como depressão, estresse e ansiedade aumentaram durante a pandemia, por isso o livro Ansiedade, da Editora Escreva, da jornalista e escritora brasiliense Thalía Magalhães, se faz mais do que necessário para tempos tão turbulentos.

O título traz depoimentos de pessoas diagnosticadas com diferentes tipos de transtorno de ansiedade, lugares e idades com a intenção de mostrar que com as ferramentas necessárias é possível ter uma vida saudável, apesar dos percalços que essa patologia causa. A obra tem o prefácio do neurologista e escritor Leandro Teles e comentários de Bianca Oliveira – jornalista autora do podcast Coisas sobre você.

Ansiedade nasceu após o termino do livro-reportagem que a autora fez para um trabalho de conclusão de curso, inspirado em seu próprio diagnóstico e na vontade de expressar como essas pessoas vivem, de uma forma mais humana e menos científica.

O lançamento acontece primeiramente em versão digital com exclusividade para os assinantes do Skeelo, maior aplicativo de e-books do país, no período de pré-venda, de 15 de junho a 15 de julho, podendo ser acessado pelas plataformas Android e iOS, nas lojas Google Play e App Store, ou pelo site www.skeelo.app.

Livro Ansiedade sai primeiro em versão e-book pelo Skeelo

Veja mais em Caderno Cultural

Gostou “Livro Ansiedade sai primeiro em versão e-book pelo Skeelo”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias. Visite e conheça o nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

TI de Salto apresenta relatos inspiradores de 21 mulheres do setor tecnológico

Autoras contam como venceram o preconceito de gênero no segmento, tornaram-se bem-sucedidas na área e como romperam paradigmas em prol da presença da mulher na TI. Além de darem lições de sororidade. São depoimentos que buscam inspirar, encorajar e abrem as portas para um debate no livro TI de Salto.

O primeiro algoritmo foi escrito pela condessa Ada Lovelace, considerada a mãe da computação, no século XIX. Mesmo com mulheres importantes ao longo da história, há quem acredite que lugar de mulher não é na tecnologia. Apesar de ainda serem minoria nesse mercado predominante masculino, as contemporâneas da Ada estão cada vez mais presentes no dia a dia e fazem a diferença no universo de Tecnologia da Informação (TI). 

Pensando nisso, a empresária Sylvia Bellio reúne histórias dessas mulheres transformadoras no seu novo livro, TI de Salto. A publicação, que integra o Projeto Conte Sua História, traz 21 personalidades femininas, incluindo a organizadora, que vencem as adversidades ao longo da jornada. São assistentes, técnicas, analistas, gestoras, executivas, CEO e até mesmo entusiastas da área. 

A ideia da obra, de acordo com Sylvia, surgiu da “vontade de ajudar, inspirar e incentivar outras mulheres” a participar do mercado e fazer parte dessa transformação. A apresentação é assinada pela jornalista e executiva Sandra Boccia, que destacou a importância da organizadora em dar voz a outras empreendedoras. 

Já a introdução ficou por conta do líder da Dell na América Latina, Luis Gonçalves. Para ele, as trajetórias das mulheres presentes no livro são inspiradoras e carregadas de propósito. O lançamento da obra acontece no dia 19 de junho, às 17h.

A baixa presença feminina nas salas de aula é comum nas narrações das autoras. De acordo com a pesquisa Estatísticas de Gênero, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, elas representavam 13,3% das matrículas nos cursos presenciais de graduação na área de Computação e Tecnologias e Comunicação. E, na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), também do IBGE, mostrou que somente 20% dos profissionais da área de tecnologia de informação são mulheres. 

Com isso, elas acabam sofrendo a síndrome do impostor, que é aquela sensação de se sentir inferior aos demais e incapaz de reconhecer o próprio sucesso. Esse problema foi enfrentado por algumas retratadas do livro.

Além do horizonte

Elas saem da zona de conforto, como uma líder global de TI, que deixou o trabalho no Brasil para encarar um novo desafio em uma companhia, nos Estados Unidos. Isso aos 50 anos e sozinha. 

Situação parecida aconteceu com uma jovem profissional que deixou o Nordeste para “inovar” em São Paulo, como ela mesmo diz. Apesar das barreiras, ela conseguiu e, atualmente, é líder do Comitê de Diversidade e Inclusão na empresa onde trabalha, além de ser cofundadora de uma comunidade destinada às mulheres cis e trans na tecnologia.

As questões de gênero e a diversidade também são pautas defendidas por outras mulheres retratadas na obra, além dos questionamentos de ser mãe e profissional no setor tecnológico, que não é tarefa fácil de conciliar. Entretanto, a maternidade levou uma autora ao cargo de CIO de uma empresa.

Compartilhar

O desejo em compartilhar o que sabem para outras pessoas está no sangue das autoras, elas contam como levam o conhecimento através de palestras, mentorias e até mesmo de escolas, como a presidida por uma nomeada da lista dos 30 jovens de destaque de uma revista de negócios, em 2017. 

Após mais de anos de experiência no setor financeiro, Sylvia Bellio fundou a empresa itl.tech, que foi eleita por quatro anos consecutivos a maior revendedora da Dell no Brasil, e é a única mulher no país a fazer parte do conselho de empresas parceiras da marca.

Em 2016, quando começou a participar do DWEN (Dell Women’s Entrepreneur Network), uma rede da Dell que capacita empreendedoras para crescimento de seus negócios, ela entendeu que “não estava sozinha no mundo da tecnologia” e surgiu a vontade de transformar o mercado. 

Desde então, Sylvia escreveu os livros “Simplificando TI” (2018), ‘Impressões Digitais” (2019), organizou o “Mulheres Além do Óbvio” (2020) e, lançou também o “Projeto Conte Sua História”, onde mulheres podem compartilhar suas experiências de vida.

Livro: TI de Salto
Organizadora: Sylvia Bellio
Editora: Árvore Digital

ti de salto
Livro TI de Salto, de Sylvia Bellio

Sobre Sylvia Bellio

CEO e Co-fundadora da itl.tech – empresa eleita por quatro anos consecutivos o Maior Canal de Vendas Dell Technologies. Organizadora do Projeto Conte sua História que tem como objetivo divulgar, compartilhar histórias de mulheres da vida real. Primeiro livro do projeto foi lançado ano passado – Mulheres Além do Obvio. 

Iniciou a carreira no setor financeiro, atuando como gerente da área administrativa de uma grande Instituição Financeira.

É autora dos livros “Simplificando TI” e “Impressões Digitais”. Organizadora do Projeto Conte Sua História que compartilhas histórias de mulheres da vida real, em 2020 lançou primeiro livro do Projeto – Mulheres Além do Obvio.Com mais de 20 anos de experiência no mercado de tecnologia conduz sua equipe de arquitetos de soluções e executivos de negócios para se posicionarem lado a lado com os profissionais de TI na busca de soluções para resolver os desafios de negócios das empresas.

Introduziu no Brasil fabricantes como: DotHill Systems de armazenamento FC; EqualLogic armazenamento ISCSI; Force10 de networking; Compellent de armazenamento FC|ISCI, entre tatas outros fabricantes. 

Tem papel de destaque no empoderamento feminino dentro do universo da tecnologia.  É a única mulher a compor o conselho das empresas parceiras da Dell Technologies no Brasil. Membro do DWEN Dell Women’s Entrepreneur Network e participante das últimas edições do evento. Integrante do WPN Women Partner Network. Integrante do Female Force Latam.

Mais notícias do Grande ABC

Gostou “TI de Salto apresenta relatos inspiradores de 21 mulheres do setor tecnológico”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email assim que estiverem online em nosso site. Aproveite e leia sobre Carreiras e Trabalho, com os ensinamentos de Rogério de Caro. Veja também as Últimas Notícias. Visite e conheça o nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

ClubSaúde lança e-book sobre saúde mental: dicas de como lidar com isolamento social

O mais importante, quanto a saúde mental, para lidar com a ansiedade é aceitá-la plenamente. Aceitar o que não podemos mudar é a melhor maneira para haver alguma mudança.

ClubSaúde, especialista em saúde, bem estar e cuidados, desenvolveu um e-book sobre Quarentena vs Saúde Mental, com dicas e sugestões para que você busque cuidar ao máximo de sua saúde física e emocional, principalmente, durante esta difícil fase que estamos vivendo. São mais de 320.000 mil famílias que já utilizaram os serviços da empresa, que tem como propósito levar saúde acessível e de qualidade para milhões de brasileiros.

Aceite a sua ansiedade

Devido à quarentena, o home office foi definido para grande parte das empresas do nosso país e assim foi preciso se organizar e trabalhar de casa, o que nem sempre é fácil para quem vive com outras pessoas.

“O mais importante para lidar com a ansiedade é aceitá-la plenamente. Aceitar o que não podemos mudar é a melhor maneira e o primeiro passo para haver alguma mudança. Aceitar não é acomodar, desistir ou não fazer nada. É parar de lutar contra algo diante do qual é impotente. Aceite a sua ansiedade. Aceitar a ansiedade faz com que ela desapareça. Lutar contra ela para evitá-la faz com que ela aumente”, afirma o Dr. Fernando Oetterer Arruda, Gerente Medico do ClubSaúde e BenCorp.

 .

Tenha uma rotina

Pense em atividades que você gosta ou que precisa fazer e procure estabelecer horários e momentos definidos para realizar cada uma delas. Nessas horas, ter uma “agenda” pode te ajudar muito a não perder o foco, não procrastinar e utilizar o seu tempo da melhor forma.

Levante no horário habitual. Sabemos que dormir até mais tarde é tentador, mas tente não fazer isso todos os dias, pois a tendência é ficarmos deprimidos quando dormimos excessivamente. Um adulto precisa de quatro a seis ciclos de sono por noite, mais ou menos do que isso pode ser prejudicial. Faça uma tentativa e veja como se sente.

Tome um banho ao acordar, mantenha sua rotina de higiene pessoal, coloque uma roupa confortável, mas não fique de pijama o dia todo, arrume a cama e mantenha a limpeza da casa para que o seu ambiente fique asseado e você se sinta produtivo e disposto neste período.

Caso seja possível, tome 10-15 minutos de sol por dia, pois a vitamina D absorvida pela sua pele ao se expor ao sol é importante para fortalecer a imunidade.

Exercite o cérebro

Aprenda algo novo seja cozinhar, pintar, falar uma nova língua, crochet, bordado. Procure cursos online. Busque informação, mas não se deixe contaminar pelo excesso de conteúdo que as mídias disponibilizam. É importante que todos nós estejamos bem informados e cientes do que está acontecendo, tanto para nos protegermos e  para tomarmos as medidas corretas e necessárias. No entanto, chega-se num ponto em que o excesso de notícias nos deixa ainda mais ansiosos, abalados, assustados e nervosos. Equilíbrio é muito importante nesse momento.

Como lidar com a procrastinação

É muito tentador ficar de pijama o dia todo e maratonar todo o seu seriado favorito novamente ou ainda virar especialista em números de infectados pelo COVID no mundo, mas apesar de estarmos relativamente em stand by no momento, a avalanche de obrigações, pendências e tarefas irá surgir. Listamos algumas atividades para você se manter sempre em atividade:

  • Organize sua casa, gavetas e armários;
  • Meditar pode ser uma boa forma de tranquilizar a mente;
  • Aproveite para colocar a leitura em dia, seja por livros físicos ou online;
  • Defina metas e objetivos pessoais. Se você não tem esse hábito, é importante repensar;
  • Faça cada uma das atividades na hora certa;
  • Ache seus melhores momentos e execute as atividades de forma inteligente, na hora certa;

“Lembre-se: o feito é melhor que o perfeito, portanto vá em frente, com sorriso no rosto e firmeza nas decisões” incentiva Luís Alexandre Chicani, CEO do ClubSaúde.

Cuide da sua alimentação

Faça uma “lista” do que você e sua família gostariam de comer na semana. Coloque no papel a composição para esses dias, combinando sempre uma porção de proteína, uma de carboidratos e uma de vegetais ou fonte de fibras e vitaminas em todas as refeições (considere que o indicado é comer de três em três horas).

  • Lembre-se de que metade do prato deve ser composta por vegetais crus e/ou cozidos;
  • Inclua água em todos os dias. Se quiser beber nas refeições, o recomendado é 110 ml por refeição.

Sobre o ClubSaúde:

ClubSaúde é um completo de benefícios, que oferece a você e sua família acesso a consultas e exames por preços reduzidos, além de um super desconto em medicamentos sem cobrança por dependentes. Além disso, com o ClubSaúde, você tem acesso a um atendimento médico diferenciado para lhe ajudar a se manter sempre saudável. Temos uma equipe de médicos qualificada e mais de 3 mil clinicas e laboratórios por todo o país.

Você também pode contar com a Telepsicologia e ter acesso a consultas online com psicólogos a partir de R$ 50,00. Aproveite esse benefício para você e sua família e tenha uma vida mais saudável durante estes tempos difíceis em que estamos vivendo.

Quer saber mais sobre o ClubSaúde? Confira o site e fique por dentro de todos os pacotes e benefícios que temos para você e sua família.

Gostou da nossa matéria “ClubSaúde lança e-book sobre saúde mental: dicas de como lidar com isolamento social“?

ClubSaúde lança e-book sobre saúde mental: dicas de como lidar com isolamento social
Ethel Braga, autor de “Quarentena vs Saúde Mental”. Foto: ethelbraga.com

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

MAURICIO BENVENUTTI LANÇA O LIVRO DESOBEDEÇA

Além da versão impressa, a obra “Desobedeça” será um marco na inclusão literária porque é a primeira a ser traduzida no mundo e o Brasil é o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas.

Questionar o modelo tradicional de se construir carreiras é o ponto chave do livro Desobedeça, do escritor Mauricio Benvenutti, que será lançado no dia 10 junho de 2021 pela editora Gente. A pré-venda tem início no dia 10 de maio nos sites das principais livrarias do país. A obra também será disponibilizada na versão SL Book: Sign Language Book (Livro em Língua de Sinais), sendo um marco na inclusão literária.

Criado pela startup Wise Hands, é o primeiro livro traduzido no mundo e o Brasil será o país que levará esse produto inovador às pessoas com dislexia, déficit de atenção, cegas e surdas. O SL Book é a evolução do livro físico, mas sem perder a elegância das páginas. “Desobedeça” terá seu conteúdo disponibilizado em áudio e vídeo sendo que a tradução é feita por intérpretes humanos utilizando a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ele será comercializado e acessado diretamente pelo site http://www.slbook.shop, que é uma plataforma segura e funcional.

Construção de carreira mudou

O mundo atual impulsionou a redefinição da palavra “carreira” para profissionais e empresas. As estratégias que irão construir as próximas trajetórias de sucesso serão bem diferentes das usadas até aqui. A leitura promove uma reflexão sobre o caminho clássico para se conquistar um lugar de destaque no mercado. Antes, era precisavo frequentar as melhores escolas e, posteriormente, cursar universidades de ponta para conquistar bons empregos e alavancar uma carreira. Hoje, essa continua sendo uma alternativa. Mas existem várias outras maneiras eficazes para se desenvolver uma trajetória profissional bem-sucedida.

O escritor reforça que algumas pessoas constroem o seu valor profissional atrelado à placa da empresa onde trabalham. “Hoje sabemos que isso é um problema. Afinal, empregos vêm e vão e profissionais que usam essa estratégia terão o seu valor de mercado reduzido quando precisarem se recolocar, pois não terão mais a marca da antiga empresa em seu sobrenome. No livro, explico como mudei minha postura para deixar de ser o ‘Mauricio da XP’ e passar a ser o ‘Mauricio Benvenutti’. Também mostro como as empresas devem apostar numa política de valorização da reputação pessoal dos seus colaboradores e não focar apenas nas experiências profissionais. Tal conduta pode aumentar o reconhecimento, a influência e, até mesmo, as vendas de uma companhia”, explica Benvenutti.

Título faz referência a projeto social

O título do livro faz uma referência a um projeto social no qual o autor participou em Indiaroba, em Sergipe. Benvenutti dedicou um capítulo para contar a história de jovens que, a partir das suas habilidades e dedicação, criaram cinco projetos e um deles foi pré-selecionado para o programa de TV Shark Tank Brasil. Esses jovens geraram empregos, tornaram-se empreendedores e movimentaram a economia do município.

Guia Prático

A obra traz ainda um guia prático chamado 10 Ps, ou seja, etapas que contemplam três pilares importantes sobre carreiras: satisfação, competências e remuneração. Essa ferramenta faz o leitor refletir se está contente com o seu trabalho, se dispõe de motivação para a execução das atividades diárias e se as realiza com competência. “Esses elementos devem estar em perfeita harmonia para que o profissional ganhe autoridade naquilo que faz”, diz o autor.

OBRA:

Desobedeça – Editora Gente

Pré-venda: 10 de maio

R$ 39,90- versão impressa

R$ 27,90 – versão SL Book: Sign Language Book

PERFIL DO AUTOR:

Maurício Benvenutti – é formado em Sistemas de Informação pela PUCRS, possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e pós graduação em Marketing por UC Berkeley. Foi sócio e diretor B2B da XP Investimentos por mais de 8 anos. Desde 2015, é sócio e membro do conselho da StartSe – empresa de educação executiva com sedes no Vale do Silício, China e Brasil. É palestrante do TEDx  e autor dos livros Incansáveis (9ª edição) e Audaz (5ª edição), lançadas pela editora Gente, que entraram na lista dos mais vendidos do Brasil na categoria “negócios”.

MAURICIO BENVENUTTI LANÇA O LIVRO DESOBEDEÇA

Assessoria de Imprensa:

Assunção Comunicação

Keyla Assunção

(11) 99608-6226| keylaassuncao@gmail.com

@assuncao_comunicacao

Gostou da nossa matéria “MAURICIO BENVENUTTI LANÇA O LIVRO DESOBEDEÇA“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Últimas Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação

‘Senza pietà’ se passa em Vitória e debate o fracasso e as mazelas da educação.

A clássica questão do fosso entre o ensino público e o privado é a tônica de ‘Senza pietà’, conto do jornalista Maxwell dos Santos disponível para download gratuito em http://bit.ly/contosenzapietapdf (PDF), http://bit.ly/contosenzapietaepub (EPUB) e http://bit.ly/senzapietamobi (MOBI)

Este conto tem o claro objetivo de debater o fracasso escolar na rede particular de ensino e desconstruir o conceito de meritocracia, onde o sucesso e o fracasso dependem exclusivamente do indivíduo, mas no caso é o aluno Rodrigo, que acabara de perder a bolsa de estudos no Michelangelo, o colégio mais caro de Vitória, onde estudam os filhos dos donos do PIB do Espírito Santo e devolvido à escola pública de origem, como se fosse uma experiência que deu certo.

Vindo de escola pública, com o ensino precário e constantes graves, o adolescente não estava preparado para o altamente conteudista e vestibulável currículo daquela escola de elite, tampouco tinha inteligência emocional para suportar as pressões por resultados, entrando em conflito com os alunos.

Espera-se que este opúsculo contribua com os debates sobre a educação no Brasil.

Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação
Jornalista e autor Maxwell dos Santos. Foto: Divulgação

Sobre Maxwell dos Santos

Maxwell dos Santos é brasileiro, nasceu em Vitória/ES em 1986 e mora na referida cidade. É jornalista, radialista, designer gráfico e servidor público da Prefeitura de Cariacica desde 2017 e professor de Literatura Brasileira dos cursinhos populares Risoflora e Atitude. É técnico em Multimídia pelo CEET Vasco Coutinho, licenciado em Letras/Português pelo Instituto Federal do Espírito Santo, licenciando em História pelo Centro Universitário Internacional, pós-graduando em Letras: Português e Literatura pela Faculdade de Ciências da Bahia e especialista em Educação Especial com Ênfase em Transtornos Globais do Desenvolvimento e Superdotação pela Faculdade de Educação Paulistana.

Gostou da nossa matéria “Maxwell dos Santos lança conto gratuito sobre mazelas da educação“?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Uma história de amor aos livros: Ela nasceu Clarice

O lançamento “Ela nasceu Clarice”, obra escrita por Ana Rapha Nunes, ilustrada por Ana Laura Alvarenga, e editada pela Compor Editora, do Grupo Editorial Lê, traz
uma homenagem à escritora Clarice Lispector, que teve o centenário comemorado no
último mês de dezembro.

O livro conta a história de uma menina chamada Clarice, que terá a leitura como companheira de vida desde a infância. Um dia, ela descobrirá Clarice Lispector nas
páginas de um livro. E, através das histórias dessa grande autora, a menina irá conhecer melhor ela mesma e o mundo.

Nas páginas de Clarice Lispector, a menina Clarice se encantou com palavras de sonhos, medos e ausências que se pareciam muito com as suas. Vozes femininas, como, por exemplo, as de Clarice Lispector, Cecília Meireles, Lygia Bojunga e Cora Coralina passaram a povoar essa Clarice.

As ilustrações desenvolvem um belo diálogo com a narrativa, apresentando uma paleta de cores que chama a atenção do leitor. A parceria entre a escritora e a ilustradora já rendeu um prêmio em outra obra recente, que foi uma das ganhadoras do Concurso Outras Palavras, promovido pelo Estado do Paraná.

“Ela nasceu Clarice” é sobretudo uma história de amor aos livros. A obra está disponível no site da editora e em diversas livrarias.

Ela nasceu Clarice
Divulgação

A escritora Ana Rapha (site da autora: www.anaraphanunes.com.br) nasceu no Rio de Janeiro e mudou-se ainda na infância para Curitiba. Desde criança, ela vivia cercada por histórias.

Sua paixão pelos livros a fez cursar Letras. Tornou-se professora e, em suas aulas, sempre despertava sonhos nas asas da Literatura.

Em 2015, lançou sua primeira obra. Pouco depois, passou a visitar escolas espalhadas
pelas veredas do Brasil, realizando palestras para professores e estudantes. Um de seus livros foi finalista na categoria infantil do Prêmio Jabuti em 2019. E outro, recentemente, ficou entre os ganhadores do Prêmio Outras Palavras, promovido pelo
Governo do Paraná.

Ana Rapha Nunes, autora de “Ela Nasceu Clarice”. Foto: Divulgação

A ilustradora Ana Laura nasceu em Franca, onde vive até hoje. Desde a infância foi descobrindo o mundo das artes e da pintura.

Formou-se em Design Gráfico e fez vários cursos de aprimoramento. Utiliza várias
técnicas, dentre elas a aquarela é uma das que se destaca.

Iniciou sua carreira na Literatura Infantil em 2020, sendo que um dos livros que ilustrou
ficou entre os ganhadores do Prêmio Outras Palavras, promovido pelo Governo do
Paraná.

Gostou da nossa matéria “Uma história de amor aos livros: Ela nasceu Clarice“?

Ela nasceu Clarice
Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Dia Nacional do Livro Infantil: Leia com as crianças estas obras

Estimular a leitura desde a infância traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento da criança. É nessa fase que elas mais absorvem informações e as historinhas têm sido ótimas aliadas para ajudar pais e filhos na hora de enfrentarem um novo ciclo na vida. Por isso é tão importante colocá-los em contato com obras lúdicas e bem ilustradas desde muito cedo.  E neste Dia Nacional do Livro Infantil, 18 de abril, separamos cinco livros lúdicos de escritores nacionais para ler e se divertir com as crianças. Entre as obras selecionadas está o lançamento do ator Lázaro Ramos que ajuda a garotada a desenvolver entre outras habilidades a autonomia. Manter-se familiarizados com a literatura é necessário e esses “amigos lúdicos” vão dar uma mãozinha. Confira!

Dia Nacional do Livro Infantil Lázaro ramos

O Pulo do Gato
Gusmão era um menino “querente”. Queria aprender o passinho de dança, queria tomar chuva sem hora pra acabar, queria acalmar a avó. Queria tudo e ao mesmo tempo – como toda criança.  Um dia, Gusmão teve um sonho, sonhou que era um coelho e que estava em um circo. Mas Gusmão, todo querente, não queria ser coelho, queria mesmo era ser mágico. No meio dessa aventura circense, o menino vai descobrir que o mais importante é não desistir do próprio do sonho.  O pulo do coelho é uma história sobre liberdade, autonomia e esperança – ideal para discutir com as crianças temas como: lidar com as frustrações (os fracassos e os sucessos); lidar com a liberdade; cuidar dos próprios brinquedos; cuidar da própria higiene. 

(Autor:  Lázaro Ramos | Editora: Carochinha | Link de venda aqui)

alessandra camargo

Semente em Versos
Pedidos, vontades e impasses tão comuns no início da primeira infância inspiram os cinco poemas que formam o segundo volume da série “Poesia para Criança”. Entre conscientizar sobre a responsabilidade de se ter um pet e a importância de cuidar do meio ambiente, os versos também apresentam e normalizam para o público infantil a vulnerabilidade dos adultos. O estímulo para a dedicação escolar e do desenvolvimento da espiritualidade são outros assuntos abordados ludicamente por Alessandra em meio as rimas. (Autora: Alessandra Camargo | Link de venda aqui)

Dia Nacional do Livro Infantil maíra lot micales samanta flôor

Careta pra chupeta!
Um ótimo livro para crianças que precisam largar a chupeta e para pais que querem auxiliar nessa jornada! Além de educativo e

ricamente ilustrado traz uma introdução sobre a importância do reflexo de sucção quando bebê e a decisão dos pais de oferecerem ou não a chupeta. Além disso, conta com regras para não banalizar o uso do objeto e dicas de higienização; as vantagens e desvantagens; qual idade é indicada para abandonar o hábito com o passo a passo e orientações para pais de crianças maiores de dois anos. 

(Autora: Maíra Lot Micales | Editora: Caminho Suave | Link de venda aqui)

isabel cintra

Corvo-Correio
Tolerância, igualdade, representatividade. A tríade forma a mensagem principal da obra da escritora Isabel Cintra, que ‘fala’ com crianças sobre racismo sem mencioná-lo. O livro conta a história do Corvo José, que por ser diferente foi impedido pela Coruja Mafalda de fazer parte do seleto grupo dos pombos-correio. Um enredo sensível e fácil de se identificar. Afinal, quem nunca desanimou diante das adversidades, ainda mais quando o pré-julgamento se apresenta, irredutível? (Autora: Isabel Cintra | Editora: Mazza | Link de venda aqui)

Dia Nacional do Livro Infantil leni zillioto

Pirulito RodaPé
É uma história para divertir e interagir, que traz magia para quem escuta e para quem lê. Tem história, tem joguinho, tem desenho pra pintar e folha em branco pra desenhar. Tem amor, tem carinho e muita gargalhada pra dar! Pirulito é doce, é palhaço, é brinquedo de papel. É uma historinha gostosa para aproveitar com os pequenos e trazer a eles o rico universo da literatura e a alegria própria do palhaço de circo. O enredo retrata um pouco de nossa trajetória como educadores e artistas e tem o poder de nos transformar-nos em pessoas melhores. Está traduzido para 5 idiomas: inglês, francês, italiano, espanhol e alemão.

(Autora: Leni Zilioto | Link de venda aqui)

Gostou da nossa matéria “Dia Nacional do Livro Infantil: Leia com as crianças estas obras“?

Dia Nacional do Livro Infantil. Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia as Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

A visão amorosa e inclusiva de Thamires Hauch

Carioca, 28 anos, terapeuta holística e protagonista do próprio discurso. Influenciadora digital que dosa profundidade e humor nas redes sociais, Thamires Hauch decide levar palavras de coragem também por meio da literatura. Publicado pela Editora Opala, Faça o amor ser fácil surge como resposta à necessidade das mulheres aprenderem a se relacionar melhor, consigo e com o outro.

“Pressupõe-se que nascemos sabendo amar, mas não é bem assim que funciona. O amor é um fato, o amar é o seu exercício e ele exige coragem”, pondera a autora. Assim, por meio de crônicas e aforismos, Thamires trata de dilemas cotidianos e temas que geram confusão e curiosidade no terreno da conquista.

Homens que somem sem explicação prévia, os famosos joguinhos nas relações e a vida que existe no pós-término são abordados com o objetivo de desenvolver o amor-próprio e a autovalorização, além de aumentar a compreensão sobre as dinâmicas nos relacionamentos. Leitura não só para mulheres, mas a todos que buscam se desenvolver e se encontrar nos assuntos do coração.

Vivemos em tempo de consumismo afetivo: a urgência, a impaciência, as intensas demandas, a comparação, a variedade, a facilidade. Tudo isso nos coloca em um eterno contraste das posições “poderosa” e “impotente”. Em um momento, pode se sentir poderosa por estar passeando pelo aplicativo de encontros e escolher quem quiser ou, ainda, rejeitar quem te escolheu. Em outro momento, ninguém te escolhe naquele dia ou quem te escolheu é completamente o oposto do que você gostaria. (Faça o amor ser fácil, p. 78)

O título da obra é reflexo e também reflete o potente trabalho de Thamires nas redes sociais. Faça o amor ser fácil nasce de uma publicação no Instagram curtida por mais de 50 mil pessoas, compartilhada por 20 mil e salva por mais de 15 mil. “É nos detalhes que o amor floresce. Quem muito tenta exercer controle, só mostra o desequilíbrio que ali reside”, pontua, entre as verdades que todos sabem, mas muitos custam a registrar.

Não à toa, são mais de um milhão de seguidoras nas redes sociais, 5 mil alunas em cursos – on-line e presenciais – e um mesmo objetivo: auxiliar mulheres em busca de força e coragem para se lembrarem de quem realmente são.  

FICHA TÉCNICA
Título: 
Faça o amor ser fácil
Autora: Thamires Hauch
Editora:
 Opala
ISBN: 978-65-9913-693-1
Páginas: 128 páginas
Formato: 11,8 x 17,5 cm
Preço: R$ 29,90
Links de pré-venda: Amazon | Livraria da Travessa | Martins Fontes Paulista  

Sobre a autora: Thamires Hauch, 28 anos, carioca, escritora, terapeuta e caminhante incansável no processo do autoconhecimento. Entre textos e vídeos compartilhados com mais de 1 milhão de pessoas em suas redes sociais, Thamires aborda temas como amor-próprio, relacionamento e empoderamento feminino — com humor, quando o assunto permite; com seriedade, sempre que necessário. Seu olhar é todo voltado para o reconhecimento do valor das mulheres em situações do cotidiano. Seus encontros presenciais reúnem centenas de mulheres em busca de força e coragem para se lembrarem de quem realmente são. Além dos encontros presenciais, Thamires também produz programas e cursos on-line voltados para o desenvolvimento pessoal de mulheres ao redor do mundo — já são mais de 5 mil alunas juntas nessa jornada.

Site da autora: https://www.thamireshauch.com
Instagram: @thamireshauch | Twitter: @thamireshauch

Site da editora: http://www.editoraopala.com.br
Instagram: @editoraopala
Facebook: Editora Opala

Gostou da nossa matéria “A visão amorosa e inclusiva de Thamires Hauch“?

A visão amorosa e inclusiva de Thamires Hauch
Foto: Divulgação/Opala

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Caderno Cultural. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Turma da Mônica Jovem traz páginas da Terceira Série do mangá

A editora Panini confirmou que a edição 52 da Turma da Mônica Jovem, que chegará às bancas no próximo dia 30, trará as primeiras páginas que apresentarão a terceira Série do Mangá. A história promete desdobramentos importantes e surpresas que fazem do número uma edição valiosa. 

Unindo duas séries em uma só revista, o roteiro gira em torno de um inimigo que chega para libertar a bruxa Yuka das Quatro Dimensões Mágicas. O evento  mudará tudo o que se conhece e irá agitar a vida de todos no bairro do Limoeiro. O que será que vem por aí?

A edição histórica  já está em pré-venda na loja online da editora por R$11,90.

Sobre a Panini

O Grupo Panini foi criado há 60 anos em Modena, Itália. Possui subsidiárias em toda a Europa, América Latina e Estados Unidos. É a líder mundial no setor de colecionáveis e publicações e a principal editora multinacional de quadrinhos, revistas infantis e mangás na Europa e na América Latina. A empresa possui canais de distribuição em mais de 150 países e conta com uma equipe de mais de 1.200 pessoas. Para mais informações, visite www.paninigroup.com.

Sobre a Mauricio de Sousa Produções

A Mauricio de Sousa Produções (MSP) é a maior empresa de entretenimento do Brasil, responsável por uma das marcas mais admiradas do país, a Turma da Mônica. A MSP investe em inovação e produz conteúdos em todas as plataformas com a mais alta tecnologia, alinhando educação, cultura e entretenimento. No licenciamento, trabalha com 150 empresas que utilizam seus personagens em mais de 4 mil itens. No universo digital, o canal no YouTube da Turma da Mônica já chegou a 14,5 bilhões de visualizações, sendo a maior audiência para Mônica Toy, conteúdo desenvolvido exclusivamente para esta plataforma; além do engajamento e interações orgânicos com os fãs em mídias sociais. Na área editorial, possui um dos maiores estúdios do setor no mundo e já tem mais de 450 títulos e mais de 1,2 bilhão de revistas em quadrinhos, responsáveis pela alfabetização informal de milhões de brasileiros.

Gostou da nossa matéria “Turma da Mônica Jovem traz páginas da Terceira Série do mangá“?

Turma da Mônica Jovem traz páginas da Terceira Série do mangá
Foto: Divulgação

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email, fique ligado nas notícias e matérias do jornal assim que estiverem online. Então, aproveite e leia Notícias. Conheça nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo

Livro Compreender e acolher, da Dra. Deborah Kerches, especialista em TEA, traz conteúdos específicos voltados a crianças, adolescentes e adultos

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição do neurodesenvolvimento que afeta aspectos ligados à comunicação e ao comportamento de uma pessoa. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 1% a 2% da população mundial está no espectro autista. No Brasil, estima-se mais de 2 milhões de pessoas com essa condição.

No livro “Compreender e acolher”, a partir de muito trabalho clínico e pesquisa, a neuropediatra Deborah Kerches, especialista em autismo, apresenta o espectro autista a todos de uma forma lúdica, empática e com embasamento científico. Seu conteúdo é voltado a crianças, adolescentes e adultos, para que todos possam se informar e conscientizar sobre o espectro autista, possibilitando o reconhecimento dos sinais precoces e a construção de uma sociedade inclusiva.

O livro, lançado pela Literare Books International, vem em um formato “vira-vira”, onde cada lado possui uma abordagem diferente. De um lado, destacam-se informações referentes ao TEA na infância, seguidas de uma história em quadrinhos direcionada ao público infantil; do outro, considerações relevantes sobre o TEA na adolescência e uma nova história em quadrinhos direcionada a adolescentes e jovens.

“Além dos adultos, é essencial que crianças e adolescentes compreendam melhor o que é o autismo e, assim, possam contribuir na construção de uma sociedade mais acolhedora, empática e inclusiva”, afirma a autora e neuropediatra.


Prejuízos persistentes na comunicação e interação social, assim como padrões de comportamentos, interesses e atividades restritos e repetitivos, são as características centrais do TEA. O diagnóstico e intervenções precoces são determinantes para o desenvolvimento e qualidade de vida das pessoas com autismo e também de suas famílias.

Relacionar-se requer colocar-se no lugar do outro e, por meio dessa obra, os leitores – de diferentes faixas etárias – passam a compreender melhor as pessoas com TEA e o quanto podem contribuir e aprender com elas.


Trata-se, assim, de um livro inédito em que diferentes públicos podem se beneficiar das lições da autora, seja pelas páginas com conteúdo escrito, seja por meio da história em quadrinhos.

Sobre a autora

Deborah Kerches – (CRM 102717- SP; RQE 23262-1.) Neurologista da infância e adolescência. Título de Especialista em Neuropediatria e Pediatria. Especialista em Transtorno do Espectro Autista. Coordenadora e professora de pós-graduações do CBI of Miami. Especialização em Preceptoria em Residência Médica no SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês. Membro da Sociedade Brasileira de Neuropediatria. Membro da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil (ABENEPI). Membro da Academia Brasileira de Neurologia. Membro da Associação Francesa La cause des bébés. Membro da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

Sobre o livro
Compreender e acolher
Autora: Deborah Kerches
Editora: Literare Books International
Formato: 21,5 x 28 cm – 1ªedição – 112 páginas
ISBN: 9786586939996
Instagram: @dradeborahkerches
Loja Literare Books:  http://bit.ly/lojaliterare-compreendereacolher

À venda nas principais livrarias físicas e on-line

Gostou de “Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo?

Compreender e acolher: Abordagem lúdica e empática sobre autismo
Dra. Deborah Kerches. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças

Seleção da Disal aposta em títulos clássicos da série “Sítio do Picapau Amarelo” e do folclore brasileiro para impulsionar o gosto pela leitura, confira os livros selecionados de Monteiro Lobato

Seja na escola ou nas histórias contadas pelos pais, tios e avós, o livro é uma figura presente na vida de crianças de diferentes idades e peça fundamental no desenvolvimento intelectual e criativo. Tanto que tem uma data comemorativa especial para chamar de sua, o Dia Nacional do Livro Infantil, celebrado em 18 de abril, data de nascimento de José Bento Renato Monteiro Lobato, uma das maiores referências da literatura infantojuvenil de todos os tempos.

Disal, uma das principais distribuidoras de livros do país, não poderia ficar de fora desta comemoração e aproveita a ocasião para selecionar livros do Monteiro Lobato que caem como uma luva na tarefa de estimular a imaginação e o gosto pela leitura. O autor, inclusive, é a prova disso, já que ele mesmo se apaixonou pelo universo das letras depois de ler todos os títulos da biblioteca do avô, o Visconde de Tremembé.

Confira:

O Saci

Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças

A narrativa revela lendas curiosas sobre o nascimento dos sacis, histórias sobre a mula sem cabeça, o lobisomem, o boitatá, o Negrinho do Pastoreio, a Cuca, e a sereia Iara. O saci parte da curiosidade de Pedrinho, neto de Dona Benta, que costuma passar as férias no Sitio do Picapau Amarelo, a respeito de um ser da floresta que está sempre com um gorro vermelho e fumando cachimbo. Destemido, o garoto não tem medo de urutus, onças, vespas nem de cobras, mas descobre seu pavor de Saci. Porém, Pedrinho decide enfrentar seus medos e pede ajuda ao sabido Tio Barnabé, um senhor de mais de oitenta anos que mora em um rancho coberto de sapé.

Saiba mais:  https://cutt.ly/bcOnS6z

Reinações de Narizinho

Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças

Nem mesmo o autor mais respeitado de toda a literatura infantojuvenil brasileira conseguia dominar as peraltices da boneca de pano nas dezenas de aventuras povoadas da mais rica mitologia nacional. Conhecido como a locomotiva do comboio da saga do Picapau Amarelo, Reinações de Narizinho reúne as onze histórias que Lobato começou escrevendo em 1920. Surgem ali Narizinho, Pedrinho, o Visconde, Rabicó, Tia Nastácia, e, claro, Emília, que comanda todas as travessuras em um misto de realidade e fantasia.

Saiba mais: https://cutt.ly/4cPkzfa

O Picapau Amarelo

Em O Picapau Amarelo (1939), a turma do sítio se encontra com seres da mitologia grega, como Pégaso e a Quimera, personagens de contos de fadas europeus, como Cinderela, o Pequeno Polegar, Chapeuzinho Vermelho, e personagens clássicos da literatura, como o Capitão Gancho, Peter Pan, Dom Quixote… É que o Mundo da Fábula resolveu se mudar para o sítio com seus castelos, suas carruagens, seus animais – e foi então que as mais incríveis aventuras começaram.

Saiba mais: https://cutt.ly/ecPlQwa

Serões de Dona Benta

Para atender à necessidade infinita de conhecimento das crianças do sítio, Dona Benta mais uma vez dá uma aula completa de Ciências. Sem palavras difíceis e conceitos complicados, ela consegue apresentar a Narizinho, Pedrinho e Emília as invenções que mudaram o mundo, o sistema solar, os elementos da natureza, e muito mais! A sabedoria da vovó vai aguçar ainda mais a vontade de aprender da turma, que comenta cada descoberta com bastante humor e criatividade.

Saiba mais em: https://cutt.ly/HkLo62j

Sobre a Disal Distribuidora: Há mais de meio século em operação, é considerada a mais importante distribuidora de livros e materiais didáticos do Brasil para o ensino de idiomas, e, também, técnicos e científicos, de ciências humanas e sociais, literatura, autoajuda e conhecimentos gerais. Possui um catálogo com 400 editoras e mais de 400 mil títulos comercializados. Tem 18 filiais distribuídas nas principais cidades do país e um portal em que é possível encontrar todos os serviços e produtos oferecidos. Saiba mais em www.disal.com.br

Gostou de “Livros de Monteiro Lobato para incentivar a leitura nas crianças?

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira mais em Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Escritor Julio Ribeiro lança dois romances durante a pandemia

O isolamento trouxe à tona questões existenciais, escolhas e amores, temas para o escritor Julio Ribeiro

A literatura sempre esteve presente na vida do escritor Julio Ribeiro. Tanto que em 2020, durante a pandemia, lançou dois romances, que se misturam e se completam, passeando por vários lugares diferentes, mas que tratam de questões existenciais, escolhas e amores.

“Cabeça, Corpo e Alma”, encanta pelos seus cenários e contrastes humanos do mundo, seja nas andanças pela África, na primavera florida de Amsterdã, na pulsante Nova Iorque, ou navegando pelas águas do Rio Amazonas, entre outros lugares. A história trata de conflitos, medos, esperanças e sonhos. A trama envolvente narra, em terceira pessoa, as vivências paralelas de dois homens, Oscar e Henri, cada qual com as suas escolhas, divertimentos e arrependimentos. Até que uma enfermidade os torna protagonistas de uma mesma experiência médica, expondo as fragilidades e as emoções das pessoas.

Na novela ” Um chimarrão com o Diabo”, narrado na primeira pessoa e passado em um cenário local, o autor levanta perguntas como: quem manda em nossas vidas? O que pensamos? O que não podemos? Como lidar com quaisquer possibilidades, ou com suas ausências? Com profundidade emocional levanta essas perguntas e algumas possibilidades de respostas que podem surpreender.A sábia lição que o livro ensina é antiga – nem por isso menos perigosa: a associação com o mal nunca acaba bem. Tudo tem um alto preço: o abuso do poder e da ganância sempre somam-se em um desfecho fatal.

Entrevista:

Julio, fale-nos um pouco sobre o livro “Cabeça, Corpo e Alma”, como ele foi concebido? Ficamos sabendo que ele é fruto também de uma pesquisa pessoal, certo?

Julio Ribeiro: O livro ” Cabeça, Corpo e Alma” começou a nascer em 2018, aí mesmo no Rio, quando eu estava participando de um evento literário na Casa França Brasil. Depois, de volta ao Rio Grande do Sul, segui pesquisando. Eu sabia que algo bom e interessante estava brotando, li muito sobre medicina, sobre lugares e deixei que a trama me conduzisse como um rio caudaloso. E foi, justamente nesse momento, que decidi ir para o Amazonas sorver o que fosse possível da experiência dos meus personagens. Sei que é clichê falar assim, mas foi a cereja do bolo. O que eu ouço e leio das pessoas que me dão um feedback é maravilhoso, por isso estou muito feliz com o resultado final.

E quanto ao “Um Chimarrão com o Diabo”? Tem uma “pegada” mais regionalista, certo?

Julio Ribeiro: O livro ” Um Chimarrão com o Diabo” é muito diferente de tudo que eu já tinha feito. Acho que escrever em primeira pessoa é muito difícil, mas ele fluiu com uma naturalidade espantosa, escrevi o livro em noventa dias. Na verdade os amigos me cobravam que os meus livros falavam de coisas de Rio e São Paulo, ou mesmo do mundo, mas pouco sobre os gaúchos, estão resolvi fazer uma narrativa local, cenários, história, narrados em primeira pessoa pelo Pedro, que vai desfiando o novelo de sua vida, ” no dizer de Saramago”, onde o simples e singelo se metamorfoseiam em uma trama densa, emocionante e muito rica. Acredito que o ambiente da pandemia, de isolamento e perdas, influenciou as reflexões sobre a experiência de existir.

Sobre o autor:

Nascido em 1967, em Santiago/RS,  e residindo em Canoas/RS com a família, Julio Ribeiro é graduado em Sociologia e pós graduado em Filosofia, e trabalha como Professor e Diretor de uma escola pública em Nova Santa Rita. Sua primeira participação foi em ‘1ª Antologia Poética’ (1987), depois organizou o livro ‘Semeando Letras Colhendo Sonhos’, com poemas e contos dos estudantes da rede pública (2005), e em 2016 publicou ‘Da Caverna ao Shopping, Os Labirintos da vida’, com 18 contos.

Seu primeiro romance foi ‘Escolhas do Amor e do Tempo’, lançado na 63ª Feira do Livro de Porto Alegre (2017) e no Salão Internacional do Livro no RJ (2018), com grande aceitação do público em todo o país.

‘Cabeça Corpo e Alma’ ficou pronto em 2019, mas o lançamento ocorreu em 2020, em São Paulo, um mês antes de ‘O Chimarrão com o Diabo’ ficar pronto.

Serviço:

01. Cabeça, Corpo e Alma, Editora Lendari, 1ª edição, São Paulo, 2020, 160p, ISBN 978-65-88762-02-8. Literatura fantástica, Romance fantástico, Literatura brasileira. Disponível na Amazon e no Google Play.

02. O Chimarrão com o Diabo, 1ª edição, Editora Alcance, Porto Alegre, 2020, 160p, ISBN 978-65-86910-20-9. Literatura Rio-Grandense, Romance Rio-Grandense. Disponível nas livrarias online: Amazon, Kobo, Americanas, Mercado Livre, Mercado Shops.
Os livros podem ser encontrados nas versões impressa e ebook, pela Amazon e outras plataformas (acima) ou pelo e-mail escritorjulioribeiro@gmail.com
Instagram: @julio.ribeiro.7543
Confira em LITERATURA – Portal ArteCult.com
Em : artecult.com/julio-ribeiro-lanca-dois-romances-emocionantes-que-se-misturam-e-se-completam

Participe no Instagram e no Facebook. Compartilhe!
https://www.instagram.com/p/CMk4DrYJKUs/?igshid=1qrd8hw0rob18

Gostou de “Escritor Julio Ribeiro lança dois romances durante a pandemia?

Escritor Julio Ribeiro lança dois romances durante a pandemia
O escritor Julio Ribeiro. Foto: Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Confira as notícias do Brasil. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Seja um verdadeiro líder de A a Z

Com pequenas pílulas de ensinamentos, livro ensina atributos que todo verdadeiro líder deve ter nos dias de hoje

Manter-se atualizado, no mundo atual, é um verdadeiro desafio.

As rápidas mudanças, tanto nas comunicações como no ambiente empresarial, requerem indivíduos preparados para lidar com as situações mais variadas e que saibam se posicionar em um mercado globalizado. Mas como conseguir acompanhar e até se antecipar a fatos em ambientes tão voláteis?

Apesar de não existir receita pronta, há algumas atitudes e certas mentalidades que podem ajudar a se tornar uma liderança mais preparada e competitiva para vencer na era da informação.

Marcelo Simonato, especialista referência em liderança e gestão de pessoas, acaba de lançar sua mais nova obra: “O líder de A a Z”, onde aponta alguns caminhos e direções, indicadas pelas 26 letras do alfabeto, apresentando os principais conceitos sobre liderança moderna, de acordo com cada letra, embasando cada capítulo com exemplo de líderes, histórias reais e citações de outros autores renomados.

De A a Z, o autor passeia por pequenas pílulas de ensinamentos, algumas doses de motivação, para o leitor se munir das armas necessárias para ter mais ânimo e conseguir avançar em uma época tão incerta. As palavras do alfabeto, a cada capítulo, mostram características encontradas em grandes líderes contemporâneos, contam histórias reais e apontam meios viáveis para alcançar seus objetivos.

Com uma linguagem fácil e clara, a obra apresenta vários exemplos para o leitor fazer as conexões com seu dia a dia e propõe ainda uma reflexão sobre qual estágio de liderança estamos e aonde queremos chegar. Segundo Marcelo Simonato, o leitor conseguirá colocar em prática todos os atributos e qualidades que cada capítulo está trazendo. “E verá os resultados na própria semana. Tenho certeza que leitor encontrará no livro alguma situação, que irá ajudá-lo na gestão de pessoas, nos conflitos e nas dificuldades do dia a dia”.

Parafraseando Ronald Regan: “O maior líder é aquele que leva as pessoas a fazer coisas grandiosas, porque as impulsiona”. E para o autor, “um verdadeiro líder é seguido por uma equipe por livre e espontânea vontade, pois enxergam nele inteligência, confiança e ousadia”.

Leitura obrigatória para atuais e futuros líderes, a obra lançada pela Literare Books International é uma verdadeira bússola para quem quer liderar na prática e de forma humanizado nos dias de hoje.

Sobre o autor

Marcelo Simonato – Executivo, escritor e palestrante, sendo especialista em Liderança e Gestão de Pessoas. Atua com treinamentos e palestras em todo território nacional. Graduado em Administração de Empresas e Comércio Exterior pela Universidade Paulista, possui Pós-graduação em Finanças Empresarias pela Fundação Getúlio Vargas e MBA em Gestão Empresarial pela Lassale University na Philadelphia. Possui mais de 25 anos de experiência profissional tendo atuado em grandes empresas nacionais e multinacionais em cargos de liderança.

Atualmente é diretor financeiro em uma multinacional espanhola em São Paulo. É professor convidado na Universidade Mackenzie e facilitador formado pelo Instituto Haggai Internacional na área de liderança. Tem como propósito levar conhecimento e informação de qualidade baseada em sua experiência profissional e acadêmica, deixando assim uma marca de motivação e transformação por onde passa. Coordenador editorial dos livros “Segredos de alto impacto”, “O poder do óbvio” e “Liderando juntos”. Autor dos livros “Pilares do sucesso profissional” e “O líder de A a Z”.

Sobre o livro
O líder de A a Z – Aprenda com quem lidera na prática e de forma humanizada
Autor:
 Marcelo Simonato
Editora: Literare Books International 
Formato: 14 x 21 cm – 1ª edição – 192 páginas
ISBN: 9786559220427

Loja Literare Books: http://bit.ly/literare-lider-de-A-Z

À venda nas principais lojas físicas e e-commerce

Gostou de “Seja um verdadeiro líder de A a Z?

Seja um verdadeiro líder de A a Z
Capa do livro/Divulgação

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

“Soft Skills” estreia na lista dos livros mais vendidos do Brasil

Destaque na lista da Veja e PublishNews, obra inédita destaca que profissionais do futuro serão selecionados pelo comportamento. Confira sobre o livro Soft Skills.

O livro de coautoria “Skills: competências essenciais para os novos tempos, com coordenação editorial de Lucedile Antunes estreou nessa segunda semana de dezembro na lista dos mais vendidos no Brasil pela revista Veja, categoria “Autoajuda” e no PublishNews. Nesse último, o livro conquistou a primeiro lugar na categoria “Negócios” e a sexta colocação no ranking geral de vendas no país.

O já considerado best-seller desde a sua pré-venda, em outubro, já dava indícios do seu sucesso, pois já estava na lista de mais vendidos na Amazon.

Lançado em novembro de 2020, o livro reúne grandes especialistas que compartilharam seus conhecimentos e valiosas experiências. Os capítulos são apresentados em um estilo que prende a atenção do leitor, do começo ao fim.

Relacionamento interpessoal, comunicação, liderança, negociação, empatia etc., vão muito além dos bancos de faculdade. Você sabia que os profissionais são contratados pelo currículo e demitidos pelos comportamentos? As “soft skills”, tema do livro, são habilidades comportamentais diretamente relacionadas à inteligência emocional das pessoas. Essas capacidades são, normalmente, adquiridas por meio das experiências vivenciadas ao longo do tempo, e não em livros e cursos, como é o caso das “hard skills”. A falta de soft skills provoca problemas comportamentais que afetam os resultados dos negócios e, principalmente, a relação entre as pessoas, causando muitas vezes desgastes e consequentemente desmotivação.

Do mesmo modo que a tecnologia e a inteligência artificial avançam rapidamente, as soft skills dificilmente serão copiadas pelos robôs. É o que revela essa obra inédita no Brasil, lançada pela Literare Books International.

Quer saber mais? Adquira o livro!

Versão impressa: https://bit.ly/loja-literare-soft-skills
Versão digital: https://bit.ly/ebook-literare-soft-skills
Saiba mais em: https://bit.ly/livrosoftskills

Gostou de ““Soft Skills” estreia na lista dos livros mais vendidos do Brasil?

“Soft Skills” estreia na lista dos livros mais vendidos do Brasil

Então, aproveite e assine nossa newsletter e seja noticiado assim que publicarmos novas matérias! Ah, leia mais em nosso Caderno Cultural. Confira nosso parceiro Dica App do Dia.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas

A resenha de “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas” é de autoria de Fito

Dale Carnegie entrou para a lista dos mais vendidos por tratar de forma simples algo que é verdade, está ao nosso redor, mas não percebemos: existem regras para se
relacionar com os outros com sucesso.

Embora possa parecer manipulação, este é um dos primeiros livros de autoajuda já escritos, e foi tão simples e direto que não teria como não funcionar. Embora tenha sido direcionado para empreendedores e pessoas de negócios, já que o autor dava aulas para essas pessoas aprenderem a se relacionar neste ambiente, os postulados de Carnegie se aplicam a quase todos os relacionamentos humanos, haja vista que nós, humanos, temos formas padronizadas de ação e reação.

“Não critique, não condene, não se queixe.” Esse primeiro princípio já parece impossível de se cumprir por parte de algumas pessoas, mas realmente funciona. Aplicando este princípio, verifiquei eu mesmo uma melhora no ambiente ao redor, pois a negatividade gerada por mim mesmo desapareceu. Para melhorar mais ainda, passei a assistir vídeos de humor e tiradas espirituosas, aplicando às minhas conversas particulares, de modo que as pessoas tendem a se aproximar de mim mesmo que quieto, por causa da autoconfiança.

“Aprecie honesta e sinceramente.” Num mundo de falsidades, parece impossível. Mas quando o elogio é honesto e sincero, o interlocutor reconhece a veracidade e se sente melhor, o que resulta em uma relação positiva para você, que iniciou a apreciação.

“Desperte um forte desejo na outra pessoa.” Nada sexual aqui. A questão trazida por Dale é utilizar o que a pessoa quer para fazê-la cumprir o que você quer.

Um exemplo seria a “cenoura de burro”, no qual se coloca uma cenoura na frente de um burro para que o mesmo ande para frente para tentar alcançar a cenoura. Não adianta forçar, é preciso convencer.

“Torne-se verdadeiramente interessado na outra pessoa.” Quando o interlocutor percebe o seu olhar de interesse, ele se sente importante para você, e se torna mais
receptível aos seus pedidos. No entanto, não adianta fingir interesse, é preciso demostrar interesse verdadeiro.

“Sorria.” Parece simples, mas dificilmente vemos pessoas sorrindo espontaneamente, sendo a maioria das vezes um sorriso forçado de cumprimento. Sorrir espontaneamente para os interlocutores é essencial para fazer amigos e influenciar pessoas.

“Lembre-se que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma.” Lembrar e mencionar o nome da pessoa é garantia de que ela se lembrará de você positivamente, pois você a fez se sentir importante, ao ponto de ter seu nome lembrado.

“Seja um bom ouvinte, incentive as pessoas a falarem sobre elas mesmas.” O
ser humano adora falar de si (mais uma vez, quer ser importante). Deixe a pessoa
falando dela à vontade, que ao colocar para fora toda a ansiedade que tem, vai se
acalmar e se tornar amigável a você.
“Fale de coisas que interessem à outra pessoa.” Essencial verificar o que a pessoa gosta e levar a conversa para esse ponto. Até mesmo a tatuagem da pessoa pode ser assunto, pois se ela fez, provavelmente gosta muito daquilo.

“Faça a outra pessoa sentir-se importante, e faça-o com sinceridade.” Novamente, neste mundo de mentiras que vivemos, a parte difícil é a sinceridade. Colocar o interlocutor em posição de importância com sinceridade fará com que a pessoa tenha você em alta conta.

“A única maneira de ganhar uma discussão é evitando-a.” Claro que não estamos tratando aqui de discussão acadêmica ou científica, no qual a discussão é parte essencial da formação das ideias e teses. O que se trata é evitar as discussões do dia-a-dia, que não vão levar a lugar algum, pois uma discussão normalmente não parte dos mesmos pressupostos, e as pessoas não estão interessadas a se sentirem derrotadas em suas ideias, jamais reconhecendo que o outro está correto.

“Respeite a opinião dos outros. Nunca diga ‘Você está enganado’.” O que temos aqui não é filosofia, é arte de convencimento. Claramente, não se deve respeitar toda e qualquer opinião, mas o direito do outro ter opinião. Se você respeitar uma opinião contrária à sua, você está invalidando sua própria opinião.

“Se está enganado, reconheça o seu erro rápida e enfaticamente.” Já utilizei isso e acabei imediatamente com uma reunião feita para expor meu erro. Em trinta segundos, acabou a reunião. Mas é necessário verificar que você realmente errou, que a pessoa que apontou o erro está realmente certa, e que você tenha a capacidade de engolir o orgulho.

“Comece de uma maneira amistosa.” Duvido que você consiga fazer amigos e influenciar pessoas começando uma briga ou discussão. Levar a situação de forma amistosa é o caminho certo.

“Consiga que a outra pessoa diga ‘sim, sim’, imediatamente.” Bom para todos, principalmente para vendedores. Pergunte sobre se a pessoa quer a solução para o
problema que ela tem, que rapidamente a resposta será “sim”. A partir daí, apresente
seu produto ou ideia, que metade do trabalho já foi feito.

“Deixe a outra pessoa falar durante boa parte da conversa.” Se seu interlocutor se sentir importante, pois você ouve tudo o que ele diz, ele se sentirá bem em sua presença, e vai ceder mais aos seus pedidos.

“Deixe que a outra pessoa sinta que a ideia é dela.” Ao apresentar uma ideia, mostre uma ligação do que a pessoa falou ou pensou, para induzir que é a partir daquilo que ela disse que a ideia surgiu.

“Procure honestamente ver as coisas do ponto de vista da outra pessoa.” Embora seja difícil, veja em qual situação a pessoa viveu, e o que isso influenciou para que ela tenha aquele ponto de vista apresentado. Seja sincero ao tentar ver pelos olhos da outra pessoa.

“Seja receptivo às ideias e desejos da outra pessoa.” Quem não quer ajuda para cumprir seus próprios desejos? Todos querem. Se você faz a pessoa se sentir importante, ao ponto de ajudá-la a alcançar um objetivo, ela provavelmente fará o mesmo por você.

“Apele para os mais nobres motivos.” Apelar para salvar vidas, proteger inocentes ou qualquer outra coisa que a maioria gosta, é o melhor caminho para mostrar que o que você quer vai fazer da pessoa um ser mais digno do que ela é agora.

“Dramatize suas ideias.” Conte uma história para mostrar a ideia, coloque personagens, cite de forma que a pessoa consiga “novelizar” a situação em sua própria mente.

“Lance um desafio.” Essa é a parte mais difícil, pois queremos algo fácil sempre. Ao lançar um desafio para o outro, é preciso que este desafio seja simples e pequeno, que a pessoa consiga alcançar sem perdas. Se ela conseguir, você poderá lançar novos desafios, que a pessoa terá a tendência a confiar em você.

“Comece com um elogio ou uma apreciação sincera.” Esse é o segredo para criticar de forma aproveitável. Começando com um elogio sincero, a pessoa se torna mais receptiva para a crítica que vem depois. Esta crítica deve ser específica e baseada em fatos.

“Chame a atenção para os erros das pessoas de maneira indireta.” Em vez de jogar na pessoa, mostre um ponto da situação que seja próximo ao erro, e se a pessoa não perceber, conte sobre alguém que cometeu o erro, para que seu interlocutor perceba que a situação é errada.

“Fale sobre os seus erros, antes de criticar os das outras pessoas.” Comece colocando você mesmo no barco, para chamar a pessoa para o barco junto de você. Após mostrar que é um ser humano que erra, você poderá mostrar o erro do interlocutor de modo que ele perceberá que não é uma crítica arrogante, pois você mesmo já deu seu erro no início da conversa.

“Faça perguntas em vez de dar ordens diretas.” É sempre melhor perguntar o que o interlocutor acha de fazer alguma coisa do que mandá-lo fazer. Ele sente que a vontade é dele, e não dos outros.

“Permita que a pessoa salve seu próprio prestígio.” Em vez de expor o erro da pessoa em público, peça para a pessoa dar explicação sobre a questão, de modo que ela dirá suas próprias palavras. Se ela tratar se seu próprio erro, com algum problema, peça para pessoa reportar o problema no momento, que você estará lá para ajudar a não acontecer novamente. Coloque-se como auxiliar de confiança, mesmo que você seja o chefe da pessoa.

“Elogie o menor progresso e elogie cada progresso. Seja ‘sincero na sua apreciação e pródigo no seu elogio’.” Pessoas parecem ser movidas a elogios. Se sentir importante é o principal motivador, o principal impulso. Elogiar cada progresso, ainda que pequeno, faz o interlocutor prestar atenção a tudo o que você diz.

“Proporcione à outra pessoa uma boa reputação para ela zelar.” Dê uma chance à pessoa ter uma boa reputação verdadeira e específica, tipo, “Fulano redige excelentes relatórios”. Este Fulano vai se esforçar para fazer relatórios cada vez melhores, pois não quer perder a boa reputação criada sobre esse ponto de sua vida.

“Empregue o incentivo. Torne o erro mais fácil de ser corrigido.” Pergunte ao interlocutor o pior que pode acontecer com aquele erro. Será preso? Perderá o emprego? Traga a pessoa à realidade, mostrando que o erro não é o fim do mundo.

Aproveite e ofereça ajuda ao interlocutor para corrigir o erro cometido. “Faça a outra pessoa sentir-se feliz realizando aquilo que você sugere.” Além de sugerir que seu interlocutor faça algo, mostre como ele é essencial naquilo, e que mesmo a situação sendo simples, somente ele poderá dar o resultado perfeito. Criar na pessoa uma autoconfiança ajudará a mesma a realizar o que é preciso fazer.

Carnegie foi um gênio da empatia. Utilizando esses princípios em seus relacionamentos, você terá a oportunidade crescer e se aperfeiçoar nos relacionamentos.

Onde adquirir “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas?

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas: Link na Amazon

Gostou da resenha?

Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas
Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

1964 – O Elo Perdido – um documento em forma de livro

A resenha de “1964 – O Elo Perdido – um documento em forma de livro” é de autoria de Fito

Por pouco perdemos a oportunidade de ter a obra máxima da ditadura militar (ou regime militar) no Brasil. A obra de conjunta de Mauro Abranches Kraenski e Vladimir Petrilák é uma necessidade primeira na inteligência brasileira. Descreve em detalhes a atuação da polícia secreta comunista soviética no Rio de Janeiro e outros locais.

Esta obra é a mais importante, não canso de dizer, já editada no país. Descreve em detalhes, nomes, lugares, atividades etc, com cópias dos arquivos que, por pouco, não foram queimados quando a população tchecoslovaca tomou as rédeas do poder novamente, expulsando os comunistas que destruíam o povo, sua cultura e sua memória.

Recheado de imagens para o leitor verificar o que está sendo dito, os autores verificaram tudo o que se relacionava ao Brasil na StB, o braço tchecoslovaco da KGB, que atuava no Brasil na década de 50 e 60. Informações de inteligência foram passadas daqui para lá aos montes, por pessoas que podem ser tratadas, hoje, como verdadeiras traidoras da pátria.

Aproveitando-se do antiamericanismo dos militares do Brasil, a StB entrou no meio militar com este discurso, para aos poucos cooptá-los à revolução comunista sem que os mesmos percebessem. Quase uma mistura de tática soviética com gramscismo, no qual não se percebe o que está acontecendo de verdade.

Livro de pesada leitura, por vezes maçante, mas por ótimos motivos: os autores trouxeram centenas (quiçá milhares) de informações de inteligência sobre a StB e a

KGB, que precisam ser analisadas detidamente, ponto a ponto, por aqueles que se dizem historiadores.

Um tapa na cara daqueles que negam a verdadeira influência comunista na história do Brasil, principalmente antes do regime militar instaurado em 1964, e que só se baseiam em narrativas de um lado, sem ver todos os lados possíveis, todas as informações possíveis, todas as fontes possíveis.

Quem sabe um dia os historiadores brasileiros passem a ter algum tipo de consciência da importância da ciência histórica e utilizem essa obra com o respeito que é necessário para a mesma, já que não se trata de uma narração, mas da análise pormenorizada de documentos em primeira mão, sem alterações, que descrevem a atividade de europeus e brasileiros para destruir o Brasil.

Onde adquirir “1964 – O Elo Perdido – um documento em forma de livro?

Link na Amazon

Gostou da resenha?

1964 - O Elo Perdido - um documento em forma de livro

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído

A resenha de “A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído” é de autoria de Fito

A silenciosa obra de Ricardo Vélez-Rodríguez vai ganhando espaço organicamente, ponto a ponto, ao explicitar como o patrimonialismo da era PT agarrou o Brasil pelas pernas e puxou para cair de cara.

Demonstrando como o Lula e o PT foram ocupando espaços na máquina pública, destruindo os sistemas de vigilância interna, gerindo como se fosse seu patrimônio particular, tornando-se um superpoder sobre o Legislativo e o Judiciário (este ultimamente tem se tornado uma ditadura sobre tudo e todos), fazendo política externa com base em ideologia comunista, sustentando ditaduras latino-americanas e africanas com dinheiro brasileiro, causando o maior morticínio da história do país.

Se temos algo para lembrar da era Lula, precisamos lembrar destes dois pontos: Lula sustentou genocídios em países (Cuba, Venezuela e Angola são os principais), o que faria de Lula um… genocida? E os homicídios a toneladas que tomaram o país. Como pode viver um Brasil com cerca de cem mil mortes por ano advindas de crimes?

Lula conseguiu ser um ditador latino-americano clássico: distribuiu dinheiro para os mais pobres através de um sistema pessimamente gerenciado, e encheu certos setores de mais dinheiro: mídia, “intelectuais”, formadores de opinião. O padrão da Era Lula é jornal escondendo fatos sobre o ex-presidente. Ou alguém lembra de jornais falando da tentativa de estupro do “menino do MEP”?

O patrimonialismo é um comportamento latino-americano derivado de um feudalismo europeu que veio para cá no descobrimento, junto com as ideias de administração de sesmarias, capitanias e outros sistemas em que alguém se torna “dono” de terra pública. Aqui no Brasil o administrador público está acostumado a gerenciar como se fosse propriedade dele, e não do povo.

A obra se torna mais relevante pelo fato de Ricardo ser um colombiano que mora no Brasil, tendo como enxergar as coisas com “olhos de estrangeiro” e “olhos de nacional” ao mesmo tempo, permitindo uma percepção de outros países na relação com o Brasil sem se ater a paixões típicas de um nacional. Sejam paixões ufanistas, sejam paixões antiamericanas.

A obra finaliza de modo surpreendente. Deixo ao leitor tirar suas próprias conclusões sobre a mesma.

Onde adquirir “A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído?

Link na Estante Virtual

Gostou da resenha?

A Grande Mentira – O Brasil Sendo Destruído

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

A Obsessão Antiamericana – Inveja Documentada

A resenha de “A Obsessão Antiamericana – Inveja Documentada” é de autoria de Fito

Jean-François Revel documentou algo pouco falado (e pouco criticado) no comportamento francês (quiçá europeu) sobre os EUA: a obsessão que os nacionais da França têm de falar mal dos Estados Unidos da América. Pontuando pesquisas, artigos, notícias de jornal etc., Revel mostra que a mídia francesa, totalmente desassociada da realidade (tal qual o Brasil o é), ocupa-se em criticar os defeitos alheios sem olhar seus próprios defeitos.

Embora a estrutura física do livro deixe a desejar (seja a capa ou a contracapa), o brilhantismo da tradução começa com a apresentação por parte de Meira Penna, que inaugura a obra com sua típica majestade irônica.

A França padece do mesmo problema que outros países: movido pela inveja de ter sido algo grandioso no passado, atira em outrem sem olhar que tem um alvo imenso na testa.

Revel traz os fatos, quais sejam: o antiamericanismo está no tutano da intelectualidade francesa, que ao fingir não ver seus próprios defeitos, aponta os outros. Exemplo perfeito tirado do livro: enquanto a França tinha um desemprego maior que os EUA, criticava o desemprego… nos EUA! Hipocrisia maior não há.

Críticas ao aquecimento global por parte dos EUA é só um dos pontos que os franceses, mergulhados num marxismo nível lixo, tentam desmerecer o país alheio. Ignoram que o vapor de água tem mais influência que o dióxido de carbono. Quero dizer, parecem ignorar.

O que vemos na obsessão antiamericana francesa são décadas (séculos) de marxismo engendrado nas universidades, que formam os “intelectuais”, a mídia e os formadores de opinião. Só podia dar um resultado: burrice e hipocrisia.

Quanto mais socialismo temos, pior ficamos. As universidades o provam, através de algo ainda não documentado: quantas teses anticomunistas foram aprovadas em universidades no Brasil (e na França)? A ausência de teses é a mostra que as universidades nada mais são que campos de aculturação e doutrinação ideológica comunistas, nas quais é proibido pensar.

A solução para o antiamericanismo é ir aos EUA. Lá os imigrantes passam a amar o país que os receberam. Vide cubanos, poloneses, norte-coreanos e venezuelanos.

Onde adquirir “A Obsessão Antiamericana – Inveja Documentada?

Link na Estante Virtual

Gostou da resenha?

A Obsessão Antiamericana – Inveja Documentada

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

Psicose Ambientalista – Verdades Inconvenientes

A resenha de “Psicose Ambientalista – Verdades Inconvenientes” é de autoria de Fito

Dom Bertrand de Orleans e Bragança premiou o Brasil com uma obra simples, embora extremamente lastreada em fatos, na qual demonstra as falácias ambientalistas que se vê na “velha mídia”. Inclusive acusa a criação de uma religião ambientalista anticristã por parte de grupos metacapitalistas.

Em duas partes, a primeira parte do livro demonstra como uma controvérsia mundial expôs fraudes e fragilidades do ambientalismo. Até mesmo violência e morte é utilizada para calar vozes que discordam do ambientalismo. A segunda parte trata das contradições do ambientalismo, centrado no Brasil.

O ambientalismo, pelo autor, tem relação imediata com o comunismo, enquanto ideologia e cultura, e não somente enquanto somente sistema político. Esse comunismo remete ao comunismo russo-chinês, que é atualmente um dos três grupos
globalistas em conflito para dominar o mundo.

Não é à toa que vemos que toda a esquerda mundial, unida, tem um discurso ambientalista destrutivo e vazio, sem qualquer parâmetro lógico ou racional, Utilizam
o termo “sustentabilidade” para justificar qualquer irracionalidade, qualquer comportamento absurdo.

Com a pretensão de salvar o meio ambiente, ataca-se o Brasil e os EUA, mas “esquecem” do maior poluidor do planeta, como a China. Acredita-se que sozinha, já matou mais de trinta milhões de pessoas com sua poluição, principalmente queima de carvão mineral, um dos maiores poluentes do mundo, no que se refere à produção de energia.

No entanto, ambientalismo não é ecologia. É política. Utilizando dinheiro e/ou ameaças, a China é “esquecida” no momento das estatísticas, de modo que continua passando incólume pelo olho dos abutres ecológicos. Uma falsa afetação de virtude, como diz Guilherme Fiúza, é o que mais aparece nesses momentos.

Inclusive, temos uma epidemia de falsa afetação de virtude. Cria-se falsamente uma imagem de virtude de si mesmo, e utiliza-se este padrão para julgar os outros, como se isso fosse válido. Um falso querendo imputar pecados a outrem.

Esta obra Psicose Ambientalista descortina brilhantemente a epidemia de mentiras ecológicas que reina no Brasil (e no Ocidente), de modo que sua leitura é obrigatória para qualquer um que queira, minimamente, discutir o tema.

Onde adquirir “Psicose Ambientalista – Verdades Inconvenientes?

Link na Estante Virtual

Gostou da resenha?

Psicose Ambientalista – Verdades Inconvenientes

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

A Conquista do Ocidente

A resenha de “A Conquista do Ocidente” é de autoria de Fito

Sylvain Besson tem uma coragem incomum: com documentos nas mãos para provar tudo o que diz, foi além do politicamente correto, além das ameaças de morte, e publicou uma obra que relata, com provas, como o movimento islâmico mundial está conquistando, a passos largos, o ocidente.

O Califado Mundial é um objetivo cravado na alma dos muçulmanos, de modo que todos devem colaborar na implantação deste Califado com todas as suas forças. Para eles, o objetivo de Alá sobre a terra é estabelecer este Califado. Com documentos comprobatórios de movimentações políticas para implantação desta agenda religiosa, Besson traz, ponto a ponto, os detalhes sobre este objetivo, que vem sendo implantado a olhos vistos.

O ateísmo / agnosticismo cada vez maior na Europa abre espaço para esta estrutura religiosa, que não encontra muitos opositores. Vem, assim, ganhando espaço ao ponto de haver bairros inteiros de muçulmanos, nos quais não existem leis dos países europeus. Só a sharia.

Um relatório de 1982, publicado no livro, mostra a implantação progressiva desta agenda, que mostra que não há um crescimento orgânico do islã na Europa, mas sim a implantação específica e induzida de pontos culturais e políticos nos povos europeus, que não têm qualquer forma de impedir a aculturação que sofrem.

Sem um esteio cultural cristão e clássico, a Europa deixa de sê-la, tornando-se mera ajuntadora de países, que esquecem suas próprias histórias, e derrogam a cada dia de sua forma de viver: uma civilização plena. Paulatinamente, a Europa se torna Arábia.

Existe saída? Para Besson não há resposta pronta. Ele denuncia os passos da implantação do Califado Mundial (principalmente na França), mas os guerreiros que poderiam impedir foram mortos ou emasculados por décadas de politicamente correto, feminilização da masculinidade e aceitação de tudo sem critério. Há quem diga que todas as culturas têm o mesmo valor. Uma cultura que mata tem o mesmo valor de uma cultura que salva? Jamais.

O livro lista os “pais espirituais” do movimento político-religioso que vem desmontando a Europa, que claramente, sem qualquer pudor, declaram abertamente pautas xenofóbicas, machistas, coletivistas etc., acusando outrem de fazer o mesmo.

Criou-se um grupo incriticável, intocável, que tudo pode. Todos os direitos, nenhuma
obrigação.

O destino da Europa, ao ler A Conquista do Ocidente, é deixar de ser Ocidente.

Onde adquirir “A Conquista do Ocidente?

Link na Amazon

Gostou da resenha?

A Conquista do Ocidente

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Dez Livros que Estragaram o Mundo – E continuam estragando

Esta resenha “Dez Livros que Estragaram o Mundo…” é de autoria de Fito

A análise de Benjamin Wiker conseguiu mostrar, de uma só vez, quinze obras que trouxeram um mal ao ocidente, infelizmente, por causa da grande quantidade de leitores que consumiram a perfidez escrita nas páginas.

Começando por Maquiavel, já começa “detonando” sua obra, que alimentou diversos psicopatas que comandaram o mundo nos últimos séculos. Depois René Descartes, que oferece péssimas soluções para problemas reais. Thomas Hobbes, que relativizou o bem e o mal.

Em consequência, Jean-Jacques Rousseau, hipócrita de mão cheia, que faz o discurso mais non sense que já vi: o homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe. Ora, se a sociedade é feita de homens, a mesma deveria ser boa, pela natureza bondosa intrínseca. Mas exigir raciocínio dos analfabetos funcionais emitidos pelas universidades brasileiras é demais, não é?

Depois vemos a obra do satanista Karl Marx, e seu padrinho-apadrinhado Friedrich Engels, responsável pela morte indireta de mais de 100 milhões de pessoas só no século 20, fora de guerras. Junto vem John Stuart Mill, que ensinou um hedonismo terrível. Segue-se a obra eugênica de Charles Darwin, baseada na obra de seu avô, cheia de premissas sabidamente falsas há décadas.

Perfila-se na obra comentários a Friedrich Nietzsche, possivelmente um inspirador de um austríaco chamado Adolf. Após, Vladimir Lênin, um dos maiores genocidas (ou democida?) do mundo. Seguindo a linha eugênica, a socialista Margaret Sanger, maior influenciadora de assassinatos de bebês em gestação, principalmente de negros, que, segundo ela, eram muitos. Absurdo dos absurdos!

As obras analisadas continuam com Adolf Hitler, Sigmund Freud e a desconhecidíssima Margaret Mead. Também não ficam de fora o monstro imoral Alfred Kinsey, indutor de estupros, bem como uma das piores feministas, Betty Friedan.

Enfim, uma seleção de obras de extensa destruição moral é analisada e desmentida na obra de Benjamin Wiker, que nos alerta para fazer o correto: queimar livros? Jamais!

Ler essas péssimas obras é descobrir, com nossa própria razão, o mal que elas causaram no ocidente. Jamais censura, mas sim entendimento.

Onde adquirir “Dez Livros que Estragaram o Mundo”?

Link na Americanas.com.br

Gostou da resenha?

Dez Livros que Estragaram o Mundo

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

A Rebelião das Massas – um livro atual

José Ortega Y Gasset é quase um profeta: descreveu o futuro do ocidente sem saber que o fazia, ao descrever aquilo que já via acontecer ao seu redor há quase um século. Sua obra A Rebelião das Massas, ao descrever o “homem-massa”, me faz pensar que o mesmo pegou uma máquina do tempo, viu o nosso presente, e voltou para seu próprio tempo para descrever o que via.

Se engana quem pensa que o “homem-massa” seja o homem comum, das massas populacionais. Pelo contrário, é o indivíduo formado pela falsa educação, falsa ciência, falsa política, falsa vida. Um conjunto de absurdidades que vivenciamos sem perceber. Se não pararmos para refletir, sobrevivemos em automático.

O ser humano médio, ou “homem-massa” é aquilo que vemos até dentro de casa: dá opiniões sobre tudo sem saber nada; acredita piamente que pensa “criticamente”; vive o oposto do que prega; mente para si o tempo todo. O ocidente já perdeu a guerra, só falta dividir os despojos.

Este nosso ocidente, criador das mais belas artes, da maior alta cultura já presenciada desde que caminhamos nesta terra, está com os dias contados. E falo isso com pesar, pois o seu substituto é uma ditadura pedida pelo homem-massa. Quem será que vai dominar? Certamente diversos grupos, como os metacapitalistas, o comunismo russo-chinês e o califado mundial, em constantes tensões entre eles.

O que mais entristece é saber que é o próprio homem-massa pede para ser menos responsável por sua própria vida, pedindo uma ditadura sobre si, para decidir para ele o que é melhor para ele e para todos os outros. Simplesmente não consegue perceber (e aí vem novamente a falsa educação) que está tomando para si e para seus filhos e netos um peso incarregável, uma tonelada de problemas indizíveis, que destruirá a si mesmo.

Não é à toa que o livro do Apocalipse narra que no futuro haverá escravidão. Diferentemente de antigamente, a escravidão será de crianças para intercurso, e não de adultos para trabalho.

Exagero? O tempo dirá. Voltando a Ortega, fica sua obra como um alerta do que nós nos tornamos, vivendo hedonisticamente, abraçando a não-cultura como normalidade de vida.

Onde adquirir “A Rebelião das Massas – um livro atual”?

Link na Estante Virtual

Gostou da resenha?

A Rebelião das Massas

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Os EUA e a Nova Ordem Mundial – um debate entre gigantes

Resenha escrita pro Fito. Confira sobre o livro “Os EUA e a Nova Ordem Mundial – um debate entre gigantes”

Acompanhei passo a passo, num blog à época, da equipe que organizou um debate escrito, extremamente formidável, entre Alexandre Dugin e Olavo de Carvalho, semana após semana. Um debate que NUNCA houve antes semelhante no Brasil, por causa da falta total de intelecto no país.

Alexandre Dugin era (ainda é) um desconhecido no Brasil, conselheiro pessoal e espiritual de Vladimir Putin, que proclama a necessidade de restaurar um império cristão russo para resgatar um nacionalismo soviético-fascista, e proteger o mundo contra os bilionários da política e da mídia.

Olavo já mostrava os três esquemas globalistas, que Dugin conhecia, mas acreditava que os EUA estivessem dentro do esquema. Carvalho prova que os EUA não está, e Dugin, após o debate, deu o braço a torcer, subscrevendo a tese de Carvalho.

Os três esquemas globalistas são grupos que querem implantar um poder global, às vezes juntos, às vezes em conflito. O mais antigo é o Califado Universal, em que todo muçulmano crê, para implantar um governo islâmico mundial.

O segundo é o comunismo russo-chinês, iniciado a partir do comunismo marxista.

O terceiro são os metacapitalistas, pessoas que adquiriram tanto dinheiro que querem
estar fora do capitalismo, para não perder o poder que têm, como a família Rothschild, família Rockfeller, as Big Techs, Fundação Bill e Melinda Gates, maçonaria e por aí vai.

Todos têm o mesmo objetivo: destruir o cristianismo e o ocidente, que tem como bastião o povo dos EUA (não necessariamente seu governo, que é fortemente influenciado pelos metacapitalistas). Com Biden no poder agora, veremos que a destruição da cultura conservadora se dará a passos largos.

Dugin viu que Carvalho tinha razão (os fãs do escritor dizem abertamente “Olavo tem razão” há anos). A obra é um primor do debate. São centenas de referências literárias,
históricas, políticas, que trazem ao leitor a sensação de perdimento em meio a tanto conhecimento, ou falta do mesmo. Vale da página virada e cada centavo gasto.

Onde adquirir “Os EUA e a Nova Ordem Mundial – um debate entre gigantes”?

Link na Estante Virtual

Gostou da resenha?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Os EUA e a Nova Ordem Mundial - um debate entre gigantes

Contra o Aborto – A filosofia a serviço da vida humana

Francisco Razzo fez algo inédito no Brasil: escreveu sobre filosofia para provar que a vida começa na concepção, adotando frontalmente uma posição pró-vida e contra o aborto. A de Razzo vem no sentido de que devemos utilizar o raciocínio filosófico para provar que a melhor e única posição possível frente ao aborto é tratando-o como homicídio, de modo que somente esta posição se assume como verdade.

Em sua obra, o autor utiliza diversos argumentos filosóficos que demonstram que o feto, ou embrião, ou zigoto é pessoa humana, pois a sua plenitude é justamente como pessoa humana, merecedora de dignidade própria. Até mesmo o direito à propriedade pode ser invocado, pois o feto, ou ser humano em gestação, tem a propriedade de seu corpo físico.

Atuando em áreas até mesmo fora do comum, como na pessoalidade extracorpórea, temos argumentos para demonstrar que o ser humano é o que é, e, portanto, é merecedor de dignidade própria, igual a qualquer outro ser humano.

A única “falha” que encontrei no livro foi a falta de um argumento, levantado por mim há anos, e que, em minhas pesquisas, descobri que Olavo de Carvalho já tinha escrito o mesmo: a posição da garantia da possível vida. Vejamos como isso se dá.

Partindo do pressuposto que é possível, ainda que remotamente, que o feto / embrião / zigoto seja uma pessoa humana viva, temos dois comportamentos possíveis: proteger ou não proteger. Se adotarmos a proteção e, no futuro, descobrirmos cientificamente que não é pessoa humana viva, não teremos com o que nos preocupar, pois apenas fomos excessivamente protetivos com aquilo que não era pessoa humana viva.

No entanto, se adotarmos a não proteção, e, no futuro, descobrirmos cientificamente que eram pessoas humanas vivas, teremos sobre nossos ombros o peso de termos assassinado milhões ou bilhões de pessoas humanas vivas indefesas.

Enfim, Francisco Razzo traz uma obra necessária ao país, pois desvenda os movimentos políticos e sociais que trabalham a favor do aborto no Brasil e no mundo, mostrando que existe até mesmo interesse econômico em venda de tecidos fetais para pesquisas médicas de duvidosa legalidade. Antes disso, somente em artigos esparsos era possível encontrar tal informação. A edição e publicação de um livro para documentar esse movimento político é essencial.

Onde adquirir “Contra o Aborto – A filosofia a serviço da vida humana”?

Link na Amazon.

Gostou da resenha?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Contra o Aborto

Os livros de Star Wars – O filme que mudou o cinema

Poucos filmes mudaram a história do cinema e influenciaram a cultura ocidental como Star Wars. Um arsenal infinito de livros, histórias em quadrinhos, jogos eletrônicos, brinquedos, miniaturas, séries e demais produtos foi lançado no mercado, com a marca Star Wars.

Tratando-se de uma coluna cultural sobre livros, vamos falar logo de cinco: os livros de Daniel Wallace para Star Wars: O Caminho Jedi, o Livro dos Sith, o Manual do Império, O Arquivo Rebelde e O Código do Caçador de Recompensas.

Daniel Wallace fez com estes cinco livros algo que raramente se vê: o que você tem em mãos é o livro “real”, ou seja, não é um livro, mas o “verdadeiro” manual que foi encontrado em algum lugar, com anotações de pessoas ligadas ao tema.

O livro de O Caminho Jedi está “comido” nas bordas, como se tivesse sido manuseado por diversas pessoas ao longo dos anos. A apresentação é assinada por Luke Skywalker, de modo que você, leitor, o recebeu das mãos do mesmo, com anotações em grafias e cores diferentes, de Yoan, Thame Cerulian, Dookan, Qui-Gon Jinn, ObiWan Kenobi, Anakin Skywalker, Ahsoka Tano, Darth Sidious e finalmente o Luke. Somente na última página que vemos informações de edição. Assim, o leitor é mergulhado na fantasia-realidade desde a primeira página.

O Livro dos Sith é composto de vários pedaços de livros diferentes, encadernados por Darth Sidious, mas encontrado por Luke, que entregou ao leitor. Darth Sidious juntou os pedaços dos livros, e comenta cada um deles: um pedaço das anotações de Mar Sorzus Syn, um texto de Darth Malgus, um outro de Darth Bane, outro da Mãe Talzin e um de Darth Plagueis (mestre de Darth Sidious). Como o anterior, só há informação de editora e autor na última página. O leitor é mergulhado no mundo dos Sith.

O Manual do Império é um guia para o comandante, ensinando como funciona o Império e as forças armadas dele. É incrível que todo o tempo o livro (encontrado por Luke, e entregue a você, leitor) fala claramente que o Império é a salvação da galáxia, que os cidadãos são protegidos da escória rebelde, e que é um orgulho participar do Império como oficial. É prefaciada pelo próprio Imperador Palpatine. Obra belíssima.

Em O Arquivo Rebelde há uma coletânea meio desorganizada de informações da Aliança Rebelde, extremamente descentralizada, que teria sido finalizada alguns anos antes de Star Wars: Uma Nova Esperança. Da mesma forma, o livro tem a textura diferente dos demais, como se fosse um material mais resistente, por passar de mão em mão, recheado de informações de inteligência coletada pela Aliança contra o Império.

Na derradeira obra, O Código do Caçador de Recompensa, a Aliança entrega a você, leitor, uma encadernação do Código em sua última versão, a Imperial, mais um adendo (com papel diferente e tinta diferente) das Sentinelas da Morte, com anotações de Boba Fett, Jango Fett entre outros, falando detalhes extremamente práticos do ofício de Caçador de Recompensa. O livro chega a ser realista demais.

Enfim, temos no Brasil todas as obras publicadas, de excelente aparência e em bom papel, tinta impecável, que te faz mergulhar de cabeça no mundo imaginado por George Lucas. Infelizmente, O Caminho Jedi só é encontrado em sua versão usada, pois não localizei versão nova do mesmo. As demais obras são encontradas em livrarias novas em folha. Se é para mergulhar de cabeça no mundo de Star Wars, estes cinco livros são um oceano de fantasia.

Onde comprar? Na Amazon você encontra todos os títulos, acesse neste link.

Gostou “Os livros de Star Wars – O filme que mudou o cinema”?

Assine nossa Newsletter e receba nossas publicações em seu email. Aproveite e leia mais resenhas e obras em nosso Caderno Cultural.

Os livros de Star Wars – O filme que mudou o cinema

Almanaque dos Anos 90

Em 2008 foi trazido à baila pela editora Agir o livro de Silvio Essinger, “Almanaque dos Anos 90”, que dá uma avalanche de saudades para quem viveu esse época “sem lei” no Brasil (só os anos 80 eram mais “sem lei”, mas isso é para outro
dia).

Dividido em Música, Televisão, Cinema, Mídia, Tecnologia, Comportamento e Esportes, o livro é um calhamaço de curiosidades desta época em que vivi a adolescência. O saudosismo impera nesta obra. Recheado de fotos e ilustrações, cada imagem faz referência a um sem-número de emoções encobertas pelo dia-a-dia que vivemos, mostrando o melhor (e o pior) da cultura pop da época. Os noventistas vão se deliciar em ler as páginas que rememoram momentos embalados pelo sentimentalismo
jovem, no qual não havia grandes preocupações.

A parte ruim do livro é justamente o fato de ser quase todo preto-e-branco, poucas páginas coloridas. Uma obra que se vale de grande visualidade deveria se manter o mais colorida possível, pois se é para trazer sentimento, que venha completo. Dá para ter uma noção de que Os Simpsons (página 106) começou no final de 1989 e continua até hoje no canal Fox, ano após ano? E os celulares de “flip” que apareciam nos jornais?

Curiosidades do Almanaque

O famoso Motorola StarTac era símbolo de que você era uma pessoa de negócios atualizada, que unia o financeiro com o tecnológico em alto estilo.

A obra agrada a todos, dos descolados aos nerds, mas a quantidade de revistas com nudez é exagerada. No entanto… estes eram os anos 90: revistas de TV, como a Revista Manchete, com seios à mostra. Playboy, então, era quase toda liberada na própria capa. Definitivamente, os anos 90 eram uma terra sem lei.

Aproveita-se para incluir aqui um aviso inusitado: o livro está praticamente esgotado, sendo encontrado com mais facilidade em sebos (a Estante Virtual pode ser a melhor opção online), o que demonstra que a falta de reimpressões veio da baixa quantidade de vendas, embora seja uma obra de nostalgia total para quem tem interesse em reviver a adolescência ou juventude com cenas memoráveis.

Link do “Almanaque dos Anos 90”

Está disponível na Amazon

Leia mais em nosso Caderno Cultural.

Almanaque dos Anos 90

Hitler / Stalin: O Pacto Maldito

Resenha e dissertação sobre o livro “Hitler / Stalin: O Pacto Maldito”, por Fito.

Publicado em 1990, mesmo ano da fundação do Foro de São Paulo por Lula e Fidel, Joel Silveira e Geneton Moraes Neto se uniram para fazer um livro que explicava os motivos pelo qual a esquerda brasileira dava vivas a Hitler. Dessa forma, reconhecendo-o como socialista (a invenção de que Hitler era de extrema-direita veio com Stalin, após a segunda guerra mundial).

Na obra da Editora Record, dividida em duas partes, Joel trata de como a Europa vivia a época do Pacto Ribentrop-Molotov. Este, ficou escondido até que fosse publicamente exposto no Tribunal de Nuremberg. Cabe aqui uma nota histórica interessante: conta-se que no tribunal o juiz era norte-americano, enquanto que o promotor de justiça (acusador) era soviético. Quando um dos réus mencionou o Pacto Ribentrop-Molotov, o promotor rapidamente desconversou. O juiz, no entanto, foi enfático em querer saber do Pacto, que foi exposto publicamente. Nesse sentido, Hitler e Stalin tinham um pacto de não agressão, antes da invasão simultânea à Polônia.

Quem veio primeiro?

A mea-culpa está na página sete, que trata o apoio da esquerda brasileira à Hitler como um terrível equívoco. Mas os autores foram sinceros o suficiente para mostrar os jornais da esquerda, à época, com as propagandas e elogios à Hitler, no qual comandava o nazismo. Não, Hitler não o inventou. O nazismo já existia antes dele, pois “nazi” vem de “nacional-socialismo”, corrente ideológica de esquerda que prega o socialismo dirigido num contexto patriótico de uma nação. Exatamente o mesmo que o fascismo, alterando-se somente a estrutura filosófica. O fascismo tinha intelectuais na sua criação, que por sua vez inspirou também uma melhor arregimentação dos nazistas.

Voltando dos devaneios explicativos, a obra de Joel Pinheiro e Geneton Moraes Neto é uma tentativa de “passar pano” no apoio que a esquerda deu a Hitler. Todavia, sem pedir desculpa pelo apoio ao comunismo soviético, que matou muito mais gente do que o nazismo e o fascismo juntos.

Uma obra difícil de achar, que vale a pena por mostrar as fontes originais dos jornais de esquerda do Brasil que elogiavam Hitler diuturnamente.

Onde adquirir “Hitler / Stalin: O Pacto Maldito”?

Link na Amazon

Gostou da resenha?

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias, assim que publicadas, ou como desejar. Portanto, confira informações no email recebido.

Além disso, leia mais em Caderno Cultural.

Hitler / Stalin: O Pacto Maldito

A Vida Secreta de Fidel: um comunonazifascista latino-americano

A Vida Secreta de Fidel: um comunonazifascista latino-americano

Resenha e dissertação sobre o livro “A Vida Secreta de Fidel”, por Fito.

Quando Juan Reinaldo Sánchez conseguiu fugir de Fidel Castro para os EUA, trouxe à luz revelações espantosas, como a ilha “particular” de Fidel em Cuba (como se toda a Cuba não fosse sua propriedade). O mais importante, contudo, foi a demonstração de que o comunista, enquanto líder, é idêntico a um líder nazista ou a um líder fascista. Nada muda.

O comunismo é uma ditadura em torno da ideologia do proletariado contra a burguesia. No nazismo, os inimigos são as raças inferiores. No fascismo, o inimigo são os países burgueses. Simplificação rasa, mas suficiente para prosseguir. Os totalitarismos coletivistas, revolucionários, esquerdistas, socialistas etc. estão descritos fielmente na pessoa de Fidel (trocadilho involuntário), que Juan cuidou mais do que a própria vida. Ser guarda pessoal de Fidel por dezessete anos mostrou ao mesmo que a vida do ditador era nababesca e cheia de frivolidades, ao mesmo tempo que o ditador sustentava guerrilheiros. Até Lula é mencionado, em sua visita em 1989, um ano antes de criar o Foro de São Paulo (quiçá foi nesta reunião que idealizou-se tal grupo).

Fidel era comunista, pois levava o povo a combater a burguesia. Era nazista, pois sustentava a superioridade espanhola, enquanto perseguia e matava negros e homossexuais. Era fascista, pois pregava que seu país deveria lutar contra os países burgueses (EUA, por exemplo).

Afagado pela mídia internacional, Fidel é descrito em minúcias que somente quem vivia colado ao ditador poderia dizer. E como sempre, Juan foi traído pelo ditador, como sói acontecer com quem discorda uma vírgula do pensamento castrista. Ou Maoísta. Ou Stalinista. Ou Leninista. Ou Polpotista. Ou Hitlerista. Enfim, totalitário.

A leitura é mais leve do que se imagina, levando em conta a descrição dos atos perpetrados pela pessoa de Fidel, bem como os discursos (longos, por sinal) em que Fidel se colocava como um herói acima do bem e do mal. O autor mostra, sem levar em conta disso, que está descrevendo o padrão comportamental de todo líder socialista que já passou por esta Terra.

A leitura vale cada real pago.

Onde comprar “A Vida Secreta de Fidel”?

Link na Amazon

Jornal Grande ABC

A Vida Secreta de Fidel

O Jornal Grande ABC é feito para você, e por vocês. Nossos colaboradores e jornalistas estão todos dias buscando novidades e matérias. Assim, produzindo material especial para nossos leitores. Nosso foco são as cidades de Mauá, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo e Santo André. Além disso, cobrimos o que acontece no Brasil e no Mundo, incluindo esporte, entretenimento e tecnologias.

Não possuímos nenhuma vinculação política ou partidária. Da mesma forma, sem ligações com outras mídias já existentes na região. Nossa fundação se deu em 07 de Setembro de 2020. Desde então, cada dia estamos crescendo e chegando em mais dispositivos e usuários. Por isso, nossa maior satisfação é entregar material de qualidade para nossos leitores. Portanto, cada nova visita e comentário, nos dão mais fôlego para seguirmos firmes e fortes neste projeto.

Quer receber mais notícias, em qualquer momento? Assine nossa Newsletter, basta inserir seu e-mail logo abaixo, e receba as publicações todos os dias.

Junte-se a 1.323 outros assinantes

É um prazer ter você conosco. Aproveite para deixar comentário aqui embaixo. Salve nosso Site. Volte Sempre!

O Jardim das Aflições: o sofrimento de estar só

Resenha autoral sobre o livro O Jardim das Aflições; Twitter do autor

A Magnum Opus do filósofo Olavo de Carvalho é o introito perfeito para a abertura do Caderno Cultural do Jornal Grande ABC: o jardim no qual Cristo esteve só, em seu sofrimento.

Olavo de Carvalho nos traz uma ideia original, como parece ser do seu feitio, em que a humanidade busca a nova realização do império universal a cada geração, inconscientemente agindo neste objetivo. Mas me salta aos olhos outro aspecto da obra Olaviana (embora há quem diga Olavista): a solidão tão própria daquele que é chamado por Deus para realizar algo.

No Evangelho Segundo Mateus, capítulo 26, versículo 39, está escrito (Bíblia Literal do Texto Tradicional, de Hélio de Menezes Silva): E, havendo Ele ido um pouco mais adiante, prostrou-se sobre o Seu rosto, orando e dizendo: “Ó Meu Pai, se possível é, passa para longe de mim este cálice; no entanto não seja como Eu quero, mas como Tu queres”.

Este é o chamado que Olavo recebeu, e nos convida: a vida intelectual é uma vida espiritual de transformação dolorida, um tormento na alma, em que a solidão só cresce, diminuindo-se a si mesmo ao ponto de quase desaparecer. Então surge uma luz na alma, que faz aproximar aqueles que amam a sabedoria. E a solidão começa a
desaparecer, pois o amor de Deus faz jorrar amor de si mesmo e de volta dos outros
que buscam a Luz.

Olavo é um alquimista sem saber que é. O Mutus Liber diz, em latim, que “Ore, leia, leia, leia, releia, trabalhe e encontrarás”. É o que vemos surgir da obra O Jardim das Aflições, pois o autor precisou passar seu próprio jardim para destroçar a si mesmo, até que pudesse aceitar o que Deus determinou, e surgir dali como outra pessoa que,
embora a mesma, fosse totalmente diferente para si e para os outros.

Em minha pequena busca intelectual, li a obra em um momento tão quebrado de mim mesmo que enxerguei a dor humana junto da minha, e parei de questionar o mal que me sobrevinha. Dali, tudo melhorou, pois mudei. Este chamado de Olavo de Carvalho está na obra, embora seja complicada de enxergar. Talvez a mudança de mentalidade do leitor venha em seu próprio ritmo, mas vem de todo jeito.

Indico também o filme de mesmo nome, de 2017, no qual a tranquilidade de alguém que sabe quem é e o que não é, é o que mais transparece na tela.

Gostou de “O Jardim das Aflições: o sofrimento de estar só“?

Então, assine nossa Newsletter. Não deixe de comentar logo abaixo também.

O jardim das aflições